O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 14 de janeiro de 2012

O Rodrigo é craque!

Avatar
 ●  7 comentários  ● 

Se ainda não está assinado...para lá caminha.

 ●  11 comentários  ● 
Penso que o malfadado contrato televisivo que  tem consumido os neurónios a quase todos os Benfiquistas, estará já assinado ou vai a caminho disso com a SPORKA-TV, cujo proprietário é a OLIVEDOSPORKOS do amigo jaquim.

E porque é que isso afirmo, quase com tanta certeza que até ponho o pescoço no cepo???

Vou esmiuçar-vos  o que me vai pela cabeça.

AQUELE MAMÃO  - que  vem chulando e sugando a  saborosa teta do GLORIOSO desde há anos e que, aproveitando-se de um momento particularmente difícil e quase de joelhos porque passámos, nos impôs um contrato miserável salpicado aqui e ali com algumas migalhas de cêntimos e dos enxovalhos e más criações zurradas, ganidas e uivadas pelos papagaios amestrados que lá trabalham em comissão de serviço -,   NÃO SABE CONJUGAR O VERBO DISTRIBUIR MAS SIM ...AMEALHAR!!!

Para esse traste não há ALMOÇOS GRÁTIS e, ou muito me engano, ou aqueles anúncios que a TSF ( que pertence ao império do chulo) está a fazer,  publicitando não só o jogo de hoje contra os sardinheiros e xocos, como também para os jogos futuros do nosso GLORIOSO, não será já uma dessas migalhas para nos adoçar a boca.

Não acredito que o BENFICA pague essa publicidade, porque se assim fosse, tinha também outras  estações de rádio  para o fazer, e não se percebe o porquê de só beneficiar aquele apeadeiro com trela, perdão...com cancela, em que está transformada a outrora ESTAÇÃO de Rádio que foi uma autentica escola de bom jornalismo radiofónico, até ser
cangada e ocupada pelas forças do eixo do mal.

Não sei se a SPORKA-TV também faz a mesma publicidade, porque na minha casa aquele esgoto não entra.

Nesta minha "quase certeza" utilizo a palavra quase, porque "quase" acredito, que o nosso Presidente convocará uma Assembleia Extraordinária conforme PROMETEU, a fim de dissecar-mos este bicudo problema com os sócios. 

Aguardemos pois !!!

Do céu à terra

 ●  10 comentários  ● 
Em Julho de 2011 o Benfica surpreendeu ao anunciar a compra de 180 jogos particulares de clubes - Man. United, Barcelona, Bayern, Liverpool, Chelsea, Flamengo, São Paulo, Palmeiras, Estudiantes e Velez Sarsfield - e de qualificação de Brasil e Argentina para o Mundial-2014. Por outro lado, um novo canal de desporto - de Pais do Amaral, perfilava-se então para concorrente da SportTV sendo que, na medida que os direitos de transmissão dos jogos do Benfica eram parte vital da estratégia do presidente do conselho de administração da Media Capital - detentora da TVI, assumiu-se que Luis Filipe Vieira e seus pares pudessem vir a alcançar os pretendidos 40 Milhões/Época.

Agosto de 2011 trouxe-nos ainda melhores perspectivas em matéria de venda dos direitos de transmissão. A entrevista de LFV ao Expresso, deixando subentendido que haveria alguém disposto a pagar 40 Milhões/Época - Miguel Pais do Amaral e o seu sócio Nicolas Berggruen - era motivo de regozijo para os benfiquistas que não só viam a marca Benfica reconhecida, como projectavam a ambicionada ruptura com a Olivedesportos.

Os meses passaram e sob o epíteto da «austeridade» os sintomas de recuo chegaram, e já ontem Domingos Soares de Oliveira colocou de parte a hipótese Pais do Amaral por via da «declaração de intenções nunca ter passado à prática». Do positivismo resultante de 3 avenidas possíveis - BTV, SportTV, Canal de Pais do Amaral – ficámos então reduzidos a duas.

Assumindo-se a BTV como a hipótese mais desejada pelos benfiquistas, fazer da BTV um canal pago ou, numa modalidade de PPV, ter de resolver as limitações actuais e cumulativamente ter de investir consideravelmente à cabeça para receber os dividendos de uma forma paulatina, para mais numa conjuntura que exige contenção, leva-me a crer que o tortuoso caminho esteja já traçado.

NDR: Rui Moreira devia preocupar-se menos com a blogosfera benfiquista e canalizar a sua energia para aspectos de somenos como a pequena eternidade na aplicabilidade do NRJFD, Apito Dourado, ou as recentes declarações de António Oliveira que, só por acaso, até estão interligados. Mas ser «sócio do ano» é mais fácil...

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

A palhaçada continua dentro de momentos...

Avatar
 ●  19 comentários  ● 
"Christian Atsu contraiu um traumatismo no joelho esquerdo no treino desta sexta-feira e será baixa certa para o jogo com o FC Porto, clube detentor do seu passe.
Com a ausência forçada do extremo ganês, o técnico Carlos Brito conta apenas com 18 jogadores disponíveis para a viagem ao Estádio do Dragão, em partida a contar para a 15.ª jornada da Liga ZON Sagres (no sábado à 20 e 30)."

Isto é tudo feito sem qualquer pudor. Depois digam que basta olharmos para nós e jogarmos bem.

A futura Equipa B do Benfica

 ●  10 comentários  ● 
Vamos falar sobre o futuro da formação em Portugal, nomeadamente das futuras equipas B.

REGULAMENTO GERAL

1. Não podem estar na mesma divisão das equipas A, mas estão sujeitas a descer à 2.ª Divisão

2. Não podem competir na Taça de Portugal e na Taça da Liga

3. A partir de 2012/13, não será possível às equipas B acederem directamente à 2ª Liga mas apenas por via da promoção

CRITÉRIOS ETÁRIOS

1. Idade máxima de referência: 23 anos

2. Limite mínimo de idade: 16 anos

3. Autorizada a utilização de 3 jogadores com mais de 23 anos

4. Restrições acima mencionadas aplicam-se à ficha técnica de cada jogo e não ao plantel

5. Ficha do jogo tem de incluir 10 jogadores formados localmente (inscritos há 3 épocas na FPF)

Uma das normas regulamentares do projecto das equipas B defende a credibilidade das competições profissionais, impedindo que um jogo que envolva estes conjuntos sirva para limpar castigos. Determina-se assim que o jogador que em representação da equipa principal seja punido com acumulação de cartões amarelos (série ou duplo amarelo) ou seja expulso através da exibição de cartão vermelho, não poderá constar da ficha do jogo seguinte da equipa B, pelo que deverá cumprir no encontro seguinte da competição em que a equipa principal estiver envolvida.

Se não houver contratempos de última hora, a Liga Orangina de 2012/13 irá contar com a participação de 22 equipas, sendo 6 as "bês" do FC Porto, Benfica, Sporting, Sp. Braga, V. Guimarães e Marítimo. Se algum destes clubes não avançar em definitivo com o projeto das equipas B, far-se-á o ajustamento necessário, sem que a competição fique comprometida.
No entanto, esse cenário, embora ponderado por mera precaução, não é previsível, pelo que teremos um calendário bem preenchido com 42 jornadas. É quase uma prova "non stop" que será interrompida nos fins-de-semana em que houver Taça de Portugal e quando estiverem marcados jogos da Seleção Nacional.


TREINADOR BENFICA:
- Algumas fontes de informação falam em Luis Norton de Matos. Que sugestões deixam os leitores do NGB, dado que parece não estar confirmado?


JOGADORES ELEGÍVEIS sem incluir os juniores da próxima temporada
(os leitores completem a lista, por favor):
Bruno Varela, Copetti, Oblak e Mika, Luis Martins, Andre Almeida, Wass, M.Vitor, F.Faria, Carole, Cafu, Bruno Gaspar, Paulo Teles, André Gomes, Ivan Cavaleiro, Bernardo Lopes, Diego Lopes, Djaninny, Nélson Oliveira, Roderick, Yartey, Miguel Rosa, Melgarejo, Derlis Gonzalez, Nelson Semedo, Manuel Liz, David Simão, Ruben Pinto, Elvis, Eliseu Cassamá, Nuno Coelho, Lindelof, Leandro Pimenta, Leo Kanu

Pay-per-view: uma alternativa real

Avatar
 ●  33 comentários  ● 
Numa altura em que o Benfica (supostamente) ainda procura a melhor solução para os seus direitos televisivos, devemos falar no pay-per-view. Uma realidade que existe à muito lá fora, e que em Portugal apenas o Benfica tem dimensão para tornar num fenómeno global e lucrativo.

De facto, o sistema PPV já existe à mais de 50 anos, tendo nos últimos 15 anos sido estabelecido como uma opção clara de rentabilização e comercialização com a maximização do lucro financeiro.

Alguns exemplos:

  • o canal americano HBO(responsável por séries de sucesso como 'Os Sopranos') no ano de 2007 vendeu cerca de 4.800.000 PPV's, tendo gerado 255.000.000 USD em vendas
  • Em 13/11/2011 um combate de boxe vendeu cerca de 1.450.000 de PPV's
  • Cada evento da WWE tem cerca de 200.000 a 300.000 PPV's vendidos, com preços a oscilar os 35 USD e os 53 USD por evento

Calculando um preço justo para cada encontro, de acordo com a sua importância, e juntando todo o valor da publicidade, os valores podem ser tremendos. Além disso, o Benfica poderia negociar a venda dos jogos a outros canais estrangeiros, algo que geraria mais valor à marca Benfica além-fronteiras.

Em Portugal, os ganhos do Benfica não ficariam por aqui.
É indesmentível a mais valia para a expansão do MEO que foi e é a BTV. Usando os direitos televisivos dos jogos na Luz na BTV, a implementação da parte tecnológica do PPV pode e deve ser negociada com a PT, aprofundando a parceria com esta empresa e retirando os dividendos financeiros de mais este trunfo para o aumento do número de clientes do MEO.

O PPV é uma opção válida e que deve ser seriamente considerada caso não apareça nenhum operador disposto a pagar o PREÇO JUSTO pela MARCA BENFICA.

O potencial do PPV é imenso, mesmo que no início a implementação do PPV possa demorar um pouco a gerar receitas significativas, quer pelo investimento inicial quer pelo desbravar desse território ainda pouco conhecido do público português que é o PPV.

Valeria a pena pelo facto de o Benfica recuperar para si receitas que têm alimentado terceiros, e pelo importante golpe no financiamento da Olivedesportos, que sem o Benfica, perde o único trunfo credível que tem para se continuar a financiar junto da banca.

É um erro não estudar o PPV. É um erro não deixar a BTV dar o passo seguinte e ser de facto o elo de ligação do Benfica com os seus adeptos.

A transmissão exclusiva dos jogos na Luz pela BTV seria devolver ao clube o poder financeiro.

Não aceito que se vendam os direitos à Olivedesportos por um valor inferior justificando isso com a crise. É um argumento falso, pois a crise não retira um cêntimo ao valor da MARCA BENFICA.

30 anos de corrupção não retiraram esse valor.

O BENFICA e os SEUS SÓCIOS E ADEPTOS merecem a defesa dos interesses do clube acima de quaisquer outros.

Notas: E em pouco mais de um mês, a cúpula do futebol em Portugal está ocupado pelos homens de mão do sistema, directamente vindos do núcleo do PC. É vergonhoso que 30 anos de corrupção e roubos ao Benfica não tenham servido para nada. Não aprendemos nada. E provavelmente merecemos isto, pois permitimos que direcções sucessivas do Benfica brinquem com a história do clube, com os seus pergaminhos, e se marimbem em lutar pela verdade. Não chegam palavras. É preciso acção. E nisso, também esta direcção, assim como as anteriores, falhou.

Falta clamor público

 ●  1 comentário  ● 
Ainda relativo à recente entrevista de António Oliveira (AO) e contíguas reacções, vimos assistindo ao paulatino assassinato público do ex-seleccionador. Tal era aliás expectável, não fosse por um lado AO ser um alvo fácil de atingir, e por outro os visados terem uma máquina de propaganda ao seu dispor, capaz de triturar quem lhes faz frente. Um ex-presidente do Benfica que o diga.

Não sendo alheio a entrevista poder dar azo a uma contraproducente polémica capaz de mais uma vez beliscar a «indústria» do futebol e o seu 'novo' modelo, as impertinentes inconfidências vêm assim sendo tratadas com pinças, desencantando-se no meio do silêncio conivente da Comunicação Social alguns alinhados pontas-de-lança que, dentro das suas competências, se debruçam sobre a descredibilização de AO.

Quanto à entrevista propriamente dita, compreende-se que AO não podia ir mais além. Tal seria ao fim ao cabo um suicídio cometido por quem se agarra com unhas e dentes aos seus méritos enquanto treinador e seleccionador nacional. Além do mais, o alvo não era o FCPorto, tão pouco o Sistema, mas somente a Olivedesportos. Contudo, aparte o ziguezague de quem não quer beliscar quer a «hegemonia portista» quer a sua carreira, e deseja simultaneamente dar a conhecer certos meandros do futebol português – uma dicotomia que confere alguma subjectividade às declarações de António Oliveira -, tal não invalida que se devam isolar declarações passíveis não só de profunda análise, mas também de... intervenção pública.

Já em 27 de dezembro de 2010, em entrevista cedida ao jornal Record, AO defendera que "A má gestão, a ambição desmedida, a megalomania, a falta de visão da FPF e da Liga na organização das competições pode desembocar na desintegração de mais clubes. Só não aconteceu ainda porque o FMI do futebol, a Olivedesportos, tem impedido o desenlace fatal.(...) Se fosse candidato era muito provável que não agradasse e fosse reprovado pelos lóbis."

Quase um ano depois – concretamente em 12 de Dezembro de 2011 - AO voltaria à carga numa das suas crónicas no mesmo orgão. Sob o título «Carta aberta ao futebol», AO debruçou-se sobre o fenómeno da corrupção enquanto problema transversal da sociedade portuguesa, incluindo o futebol como parte envolvida; «a corrupção existe em Portugal e o futebol por muito que nos custe, também é um terreno fértil para estas práticas. Inverter este mal só será possível com a chegada de um líder capaz de desenvolver a modalidade com uma visão de futuro, através de uma atitude transparente e com um projeto que envolva todos os intervenientes em torno do mesmo objetivo. É por isso que defendo que a Federação Portuguesa de Futebol deveria ser liderada por pessoas idóneas, sem segredos e capazes de resistir a pressões e solicitações dos mais variados quadrantes, servindo os interesses do futebol nacional. Mas estou em crer que nada disso aconteceu.»

Desta feita, em entrevista à RTP Internacional e com tempo de antena pós-Clássico Sporting-FCPorto, AO extravasou os limites ao traçar analogias como «Não é sorteio, eles não metem uma bolinha como na Taça de Portugal, quente e fria(...)», ou ao tecer considerações como «Não é uma eleição, é colocar pessoas.(...) O presidente da Federação é colocado por um lóbi fortíssimo que existe em Portugal. «O presidente da Liga é colocado na Liga por interesses do lóbi que domina o futebol em Portugal. Quem? A Olivedesportos, obviamente (...) Tal como o anterior [Gilberto Madaíl] que foi metido pela Olivedesportos, este é o substituto, um continuador, um homem de mão da Olivedesportos.»

É de facto pena que não se aproveite a dádiva, até parece que é todos os dias que vemos denunciados num estúdio televisivo Tráfico de influência e Corrupção desportiva. E com nomes e tudo...

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

O António Oliveira avisou...

 ●  12 comentários  ● 
Foi qualquer coisa como "não ganha quem tem mais apoios" quando foi confrontado com os apoios de FCPorto, SportingCP e SLBenfica a António Laranjo para as eleições da Liga de Clubes.

Tal como fizera com Fernando Gomes para a Liga, primeiro, depois novamente com Fernando Gomes para a FPF... o FCPorto tentou "desviar atenções" e fingir que queria outra coisa que não aquela que iria acontecer.

Efectivamente, o melhor que poderia acontecer ao "negócio futebol", que basicamente é ao que a Liga de Clubes (e bem) fica reduzida, teria sido a vitória de António Laranjo. Mas tal como dissera António Oliveira, ganha quem o Sistema quer... e o Sistema quis o Mário Figueiredo.

Há muito, muito tempo eu antevi aqui o pleno feito pelo Sistema (Pinto da Costa e Joaquim Oliveira, com os aliados Pinto de Sousa, Fernando Gomes, António Salvador, Rui Alves, etc.) no que dizia respeito às eleições para a FPF e Liga de Clubes. Poucas vezes tive duvidas e a apatia da única força que lhes podia fazer frente (o SLBenfica) deixava menos duvidas ainda.

Infelizmente acertei. A minha aposta foram outros nomes, mas ao final do dia... muda o cheiro, mas a merda é a mesma. Tal como acontecera quando foi aprovado o antigo Regime Jurídico das Federações Desportivas (1992, salvo erro), o Sistema (AKA: "FCPorto + Olivedesportos") voltou a posicionar as suas peças de forma estratégica na Liga e FPF, garantido os plenos poderes do futebol nacional.

Não me venham com tretas sobre as presenças de alguns ilustres como Humberto Coelho ou Hermínio Loureiro e muito menos tenham a ousadia de considerar Vitor Pereira independente desta "equipa". Todos os que serviram apenas para credibilizar, têm funções meramente decorativas na FPF e ligadas à selecção e não ao que interessa.

Para a Liga, arrancou Mário Figueiredo, ex de Fernando Gomes na Liga (coincidências!) e colaborador de Adelino Caldeira, administrador do FCPorto numa sociedade de advogados (coincidências!).

Enquanto a FPF vai voltar a desempenhar o papel de proteger, pelo controlo da Arbitragem e Disciplina, os interesses dos "Amigos do Sistema", a Liga de Clubes vai defender os interesses desses mesmos amigos ao nível das receitas com o "negócio futebol".

O distinto novo Presidente da Liga vai procurar reforçar o papel do Joaquim Oliveira no futebol nacional por via da negociação colectiva dos direitos televisivos - onde só o SLBenfica é prejudicado. Com isso, vai financiar os "jogos de interesses" através do refinanciamento dos clubes falidos e assim manter os favorecimentos e a rotação de "treinadores amigos" entre os "presidentes amigos" para obter... "resultados amigos".

Esses "resultados amigos" estarão devidamente protegidos pelos regulamentos de Disciplina e Arbitragem da FPF habilmente controlados por Vitor Pereira e Fernando Gomes.

SIMPLES, não?!

Pelos vistos o nosso Presidente ficou demasiado traumatizado com as consequências da sua frase (verdadeira) de que era mais importante contratar para a Liga de Clubes. Ficou com vergonha de o ter feito e resolveu nunca mais se meter nas contratações dos outros, para onde em Portugal (infelizmente) se ganham os campeonatos (e muito dinheiro).

PS- Aqueles que acham que o SLBenfica não podia fazer nada para evitar isto... voltem mais tarde! Já não há pachorra para essas desculpas.

Vai chegar amanhã....

 ●  6 comentários  ● 
Os meus caros leitores, pelo menos os mais antigos, lembram-se da rábula do saudoso RAUL SOLNADO, em que este dizia nos anos 70/80, que fez  uma viagem ao PORTO e que, para tal efeito, se tinha metido na auto-estrada que começava em Sacavém?

Parece que o nosso Solnado  perdeu-se da auto-estrada, para os lados de Vila Franca de Xira.

Assegura ele que se meteu depois por uns atalhos e só a encontrou de novo nos Carvalhos, perdendo nessa odisseia demasiado tempo e gastos.

Será mais ou menos uma coisa parecida que o ENZO PEREZ dirá AMANHÃ ao nosso Presidente, quando chegar ao aeroporto da Portela e se apresentar à porta do seu gabinete !!!
Que andou em bolandas de avião em avião, até que finalmente e depois de tanta canseira, uma alma caridosa o fez aterrar em Lisboa.
Espero que  Luís Filipe Vieira responda a essa hipotética desculpa esfarrapada, que ele ganha muitíssimo mais que o suficiente para comprar um GPS, mas como é bom e amigo do seu semelhante lhe vai compra um da última geração e a 3 dimensões, a fim de se não enganar no caminho da...RUA !!!!!

Quo Vadis, António Oliveira?

 ●  6 comentários  ● 
Nota prévia: As declarações de António Oliveira à RTP foram referidas, pelo menos, no Expresso online de 8/1/2012 e no CM de 9/1/2012, pág.33 e 10/1/2012, pág.26/27.

Admiro António Oliveira, quer pelo seu percurso de jogador de futebol de grande qualidade ao serviço do SCP e da Seleção Nacional, quer pela sua recente licenciatura em Direito, obtida, nada mais, nada menos, que na Universidade Católica do Porto e ainda pela sua breve passagem na banca - Finibanco, recentemente adquirido pelo Montepio.

Mas não tenho apreço especial pelo seu trajecto enquanto Técnico do Porto ou da Seleção Nacional, apesar de ter sido bicampeão em 96/97 e 97/98, não obstante o quarto lugar no Euro96, e muito menos enquanto sócio da Olivedesportos, por tudo o que sabemos.

As famigeradas declarações que fez na RTP, relevam pela assunção pública definitiva da rotura que mantém com Joaquim Oliveira e pelo reconhecimento igualmente público do condicionamento que atribui à Olivedesportos sobre as várias competições do futebol nacional; seja pela influência que aquela tem junto dos clubes seja pelo controle que exerce nas superestruturas do futebol nacional; LPF e FPF.

António Oliveira, apesar de rico e do passado desportivo e agora académico de sucesso, ostenta nesta entrevista um ressentimento profundo patenteado pela hostilidade intensa e emotiva contra o meio que diz tê-lo traído, rejeitando-o, e destruindo, digo eu, todos os sonhos que, legitimamente, ainda tinha no futebol e dos quais parece que não ter desistido definitivamente.

De facto, parece latente o sonho de ainda vir a ser Presidente do FCP, clube ao qual devota um grande afeto, desempenhar um alto cargo na FPF ou, quem sabe até, ser membro de um qualquer governo para a área do desporto. Aspirações legítimas e possíveis, mas que não revelam nada mais além da sua ambição pessoal.

A regeneração do futebol não o preocupa, nem tão pouco referiu os conhecidos benefícios que, supostamente, o FCP tem retirado do lóbi que refere, incluindo no tempo em que foi seu Técnico. Chamo a isto falta de integridade.

O que ele sabe é que, enquanto o “lóbi traidor” se mantiver, não poderá concretizar os seus alegados desígnios. Por isso o denuncia.

Mas também sabe que o futebol nacional está num processo de viragem, demarcando-se por isso do lóbi que denuncia, chegando a afirmar que nunca teve qualquer responsabilidade na Direção executiva da Olivedesportos, tentando assim apanhar um lugar no comboio da mudança, que lhe permita aceder a novos projetos.

Apesar de tudo, este evento constitui um embaraço para “o sistema” e uma boa ajuda para os regeneradores desde que o saibam aproveitar. Mas, não tenhamos ilusões; sem um novo “player” no mercado dos direitos televisivos com capacidade para desalojar a Olivedesportos e a PPTV, do feudo onde mantêm capturados os clubes nacionais, estes continuarão a definhar até à exaustão e consequente falência do futebol Português.

A negação por um Tribunal do Porto - estranho não é? -, do efeito suspensivo do recurso apresentado pela LPFP de uma sentença proferida em setembro de 2011, CM 10/01/2012 pág. 31, constitui uma perda imediata de receita nos depauperados cofres dos clubes e constituirá um “terramoto financeiro” nos mesmos, especialmente nos mais pequenos, caso se mantenha após trânsito em julgado. O financiamento da BWIN é de 20ME/época!

Agora, concentrem-se e acompanhem-me por favor; num quadro de profunda austeridade em que vivemos, em que todas as receitas correntes e extraordinárias dos clubes, já falidos, tendem a cair drasticamente, com mais esta “martelada”, adivinhem a quem vão eles recorrer para se manterem “à tona de água”?

Adivinharam? Eu também! Pois é; os lucros do grupo Oliveira estão inevitávelmente a cair e os financiamentos bancários a escassear, mas, com novas prorrogações dos direitos desportivos dos clubes e da Seleção, proporcionados pelos desesperados dirigentes daqueles e pela “superior” defesa dos interesses da FPF, que Fernando Gomes não deixará de garantir, o “milagre” poderá acontecer e o alegado polvo poderá ganhar novo fôlego, à moda do “polvo de Parrait” (se não souberem o que é digam que eu explico).

Apanhado neste assunto foi Gilberto Madail que, na síntese do CM de 9/01/2012 pág.33, afirma ter sido sócio da Olivedesportos, facto que me deixa perplexo! A ser verdade, parece-me ter havido um claro conflito de interesses passível de suscitar investigação de quem de Direito. Qualquer adepto, qualquer cidadão, tem o direito de querer saber que interesses defendeu Gilberto Madail nessa dupla condição, nos negócios eventualmente consumados entre as duas entidades; FPF e Olivedesportos. Não será caso para apresentação de queixa ao Ministério Público? Estamos à espera de quê?


Um abraço a todos

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Lóbis, Ligas e Losangos

 ●  7 comentários  ● 
O próximo presidente da LPFP deu o mote: «Temos de diminuir o fosso entre os grandes e os outros.» Resta apenas saber se se nivelará o futebol português por cima... ou por baixo.

Com a negociação colectiva como veículo, eleitorado e eleitos defendem as inúmeras vantagens, desde a LPFP poder vir a contar com uma importante fonte de receitas, aos clubes e SADs que à porta da falência verão adiada a sua dissolução, à Olivedesportos - que tendo obviamente de ser ouvida porque todos os clubes têm compromissos contratuais - retirará da mesma natural vantagem negocial.

Olhando de relance para o futebol português, os feitos além fronteiras mais recentes, sobretudo do FCPorto, mas também de SCBraga e Benfica, advieram não de medidas estruturais que a LPFP ou outros organismos tenham introduzido, mas única e exclusivamente da capacidade dos clubes.

E, sem vermos reconhecidos méritos estruturais no Futebol português, quando a Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS) coloca o campeonato nacional na quarta posição, é bom que os organismos não batam no peito e sorriam para a fotografia, na medida que não é certamente com base nos estádios vazios e noutras métricas semelhantes que a IFFHS se baseia, mas sim predominantemente na visibilidade internacional que alguns clubes (e seus intérpretes) - a custo - conseguem vir emprestando ao futebol nacional, onde méritos nos sejam reconhecidos, estamos habituados a fazer de gato sapato.

Numa altura em que as Comissões do Relvas pretendem hipotecar uma importante fonte de receitas como constitui a valorização de jogadores estrangeiros, a negociação colectiva dos direitos televisivos poderá vir a alienar outra, subtraindo muito aos grandes – em particular ao Benfica – para dar pouco aos pequenos.

Assumindo que as duas medidas entram em cena, e baseando-nos em que já hoje é difícil competir com equipas inglesas ou espanholas (sobretudo estas) que, pese embora duas realidades distintas, ambas recebem fortunas, é previsível que a maior competitividade interna se ganhe à custa de menos voos internacionais dos nossos designados «grandes».

Tomando a realidade holandesa na qual Frank Rutten - director executivo da Liga holandesa - obviamente defende o formato do campeonato holandês que diz ter aumentado o número de espectadores e ter feito crescer as receitas no futebol daquele país, por outro vemos o director comercial do Ajax Henri van der Aat reclamar dos 4 Milhões/Época impostos ao maior clube holandês que, por sinal, até conta com o reconhecimento mundial a respeito das suas camadas jovens mas, internacionalmente, vem voando baixinho.

Numa semana em que se ouviu falar sem rodeios dos actuais lóbis que agrilhoam o futebol português, é bom indagar se o súbito iluminismo que chega em todas as frentes tem a ver com proactividade, ou se resume à habitual perpetuação de poderes, capaz de reforçar os vértices do losango Controlinveste-PT-ZON-BES.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Será que ainda há quem aceite renovar com Oliveira?

 ●  19 comentários  ● 
Sinceramente, António Oliveira não disse nada que já não soubessemos, e não é por ser dito por ele - mais que ressabiado com o irmão - que vou ficar mais animado. Igual a ele, muitos outros o fizeram, curiosamente todos eles com ligações umbilicais ao FCPorto. A questão que se coloca é: Quem é que tem a ganhar com o que António Oliveira afirmou? Será que foi o Sistema que foi "ferido"?

Fica o desafio aos leitores do NGB para vermos até onde consegue ir a vossa imaginação...

Já agora, será que ainda há benfiquista que aceite que em nome da amizade, passado, momento económico e bla bla bla, o SLBenfica venha anunciar a renovação do contrato com Joaquim Oliveira?

Não sejam maus e não se riam

 ●  9 comentários  ● 
O bota-fogo que equipa tipo as barracas da Figueira disseram:

"O Sporting emitiu um comunicado no qual garante que as imagens existentes no acesso ao balneário foram "aprovadas" e "elogiadas" pela Liga e pela UEFA no início da época, pelo que estranha a notícia desta sexta-feira do "Público"."

 ""Vi a notícia com desagrado. As imagens estão no balneário desde agosto, depois de 18 jogos. Em véspera do clássico não faz sentido, é uma brincadeira de mau gosto. Não é nada de agressivo, é motivador. Quando falo da Liga, falo de pessoas, que acharam motivador", frisou o presidente do Sporting."


A Liga diz isto:
"Segundo a fonte da Liga de Clubes, a vistoria técnica ao reduto leonino foi realizada no início da temporada, numa altura em que ainda não tinham sido colocadas as imagens no acesso aos balneários. Contudo, a mesma fonte garante que não recebeu qualquer queixa de clubes devido às imagens, assim como não viu reportada em nenhum relatório a sua existência."


A UEFA faz isto:
"A UEFA solicitou que o clube remova ou cubra estas imagens em jogos da UEFA"


E eu digo isto:

E andaram estas bestas a criticar e a marrar com uma zona de segurança APROVADA PELA UEFA!!

São mesmo a paródia Nacional!!!!

Dia Seguinte

 ●  6 comentários  ● 
Ponto prévio: as expectativas em torno de um programa de debate onde alinha gentalha como Dias Ferreira e Guilherme Aguiar têm de ser forçosamente curtas, quer pela falta de nível de ambos, quer pelo passado pouco inócuo que doutas personalidades têm no futebol, quer por último pelo anti-benfiquismo que lhes tolda o raciocínio.

Por outro lado vemos alinhar um vice-presidente do Benfica - Rui Gomes da Silva -, que como é fácil de compreender, tem responsabilidades acrescidas e supostamente acesso a pastas do foro interno do clube, o que para mim constitui uma aberração ver no mesmo estúdio de Dias Ferreira e Guilherme Aguiar.

Ontem, o ponto alto do programa Dia Seguinte da SIC Notícias terá sido a contratação de Djaniny pelo Benfica, anunciada por Rui Gomes da Silva e que os adversários – dentro da coerência que é seu apanágio – resolveram dramatizar na senda do que haviam feito com a contratação de Jardel no passado.

O timing foi obviamente desajustado, não fosse o Benfica ter jogado ante a União de Leiria no passado fim-de-semana, e sabendo-se de antemão que a mentalidade dos nossos adversários é por norma mesquinha e a sua memória é tão curta como selectiva.

Aparte disso a contratação de Djaniny conta ainda com a indignação do Velense, clube açoriano que reclama 10 por cento dos direitos económicos do jogador, e que «está disposto a ir até às últimas consequências do ponto de vista jurídico-legal» para se ver ressarcido.

Resumindo, o Benfica - que supostamente até já assinou com o jogador há bastante tempo – será mais uma vez usado numa polémica estéril que tem como pano de fundo o óbvio interesse da Comunicação Social em polemizar este assunto, e a conhecida má índole dos dirigentes leirienses, não fossem outrora terem pertencido ao circulo do Dragão.

Caso para dizer que Rui Gomes da Silva perdeu uma boa oportunidade... para estar calado.

NDR1: «Vou confessar... eu tenho dois contratos com o Leiria! Tenho um, em Portugal, registado na Liga, onde ganho 5 mil euros, e outro na Sérvia com os restantes 10 mil euros de ordenado. É esse outro contrato, puramente ilegal, que me deixaram de pagar há sete meses, totalizando os 70 mil euros» - Djuricic - Guarda-Redes do União de Leiria, em A Bola, 16 de Fevereiro de 2011.

NDR2: Guilherme Aguiar deverá lembrar-se perfeitamente – passou-se em 1992 - quando António Oliveira, então treinador do Gil Vicente, fez entrar num FCPorto-Gil Vicente Remko Boere a um minuto do fim e com o resultado em branco, jogador que por sinal nunca havia jogado na equipa barcelista e que cometeu a proeza de num minuto ceder um penálti caricato ao FCPorto que lhe deu a vitória e ainda acabar expulso. E lembrar-se-á decerto que na segunda volta, em Barcelos, com o F.C.Porto já campeão, o Gil venceu 2-1 e salvou-se da descida à segunda divisão, como ajuste de contas. Do seu conhecimento deve ser também quando em 24 de Novembro de 1985 o avançado Cadorin do Portimonense revelou à comunicação social como D'Onofrio lhe prometera 500 contos e uma transferência para o FC Porto, Itália ou Suíça, se Cadorin provocasse um penálti no início do jogo Portimonense-FC Porto. Virgens ofendidas ou uma ofensa à memória dos benfiquistas?

Não me digam que não me compreendem

 ●  9 comentários  ● 
Continuação de “A Decadência do Futebol”.


Primeira nota prévia: Um abraço ao nosso querido Eusébio com o desejo de rápidas melhoras.

Segunda nota prévia: Ao visitante das 16:23, que teve o mau gosto de escolher para nick um nome que nos é caro, digo que é bem-vindo quando vier por bem, apesar de ser adepto do FCP. Creio no entanto que faz parte do “departamento de contra-informação Portista” que, infiltrando-se entre Benfiquistas, pretende lançá-los uns contra os outros bem como contra os seus Dirigentes, Técnicos e Atletas. A vossa retórica é como uma impressão digital. Capichi?

Agradeço a todos os restantes comentadores e desenvolvo mais um pouco:

Grande parte do que Declan Hill refere no seu livro “Máfia do futebol” não foi novidade para mim; na verdade, conheço muito bem, desde há muito, o fantástico trabalho de Marinho Neves na sua obra de ficção “Golpe de Estádio” olimpicamente ignorada pelas autoridades, quer judiciais quer desportivas, apesar das repetidas denúncias públicas que teve a coragem de fazer e que, alegadamente, lhe custaram umas valentes bordoadas no pêlo, sem que os seus autores, que eu saiba, tenham sido identificados, acusados, julgados e condenados. Também Hill esteve perto de ser abatido, tendo tido o sangue frio e a ajuda suficientes para escapar. Porém, nada o demoveu, apesar do medo. São pessoas como estas que me fazem acreditar que pode haver esperança.

Por outro lado, quem andou pelo Mundo, está habituado a ver futebol, sabe ler nas entrelinhas e sabe fazer contas elementares, percebe bem o que se passa desde há muito. A certeza da impunidade levou os “artistas” a desleixarem-se, ostentando despudoradamente e ironicamente as suas manobras saloias. A absolvição de alguns arguidos por desclassificação de provas e de testemunhos não impede a condenação pública; já dizia o poeta; “não há machado que corte/A raiz ao pensamento/Porque é livre como vento/Porque é livre…”

Efetivamente, o que pensar dos clubes A,B,C,D,E,F,G,H, habitualmente competitivos, quando, ao defrontar o clube Z, prescindem de atletas nucleares por pseudolesão ou ostensiva opção técnica dos seus treinadores, adotando, simultaneamente, táticas surpreendentes e inadequadas aos olhos de todos, resultando numa derrota aparentemente consentida? Por mim, começo a desconfiar!

Mas, se verifico que, após esses fatídicos jogos, aqueles clubes, começam a subir na tabela classificativa beneficiando aqui e ali - assim como quem não quer a coisa - dos inevitáveis erros humanos das equipas de Arbitragem, grosseiros ou não; aí, eu desconfio!

Porém, se por um qualquer acaso verifico que, entre tais clubes, todos eles em pré-falência, e o clube Z, no decurso ou no final da época, há transacções de atletas, resultando num financiamento líquido do segundo aos primeiros; aí, eu começo a suspeitar!

Não obstante, se acontece observar que os dirigentes desses clubes são aliados crónicos do clube Z nas instâncias desportivas e outras; agora, eu tenho fortes suspeitas!

Ao ver repetir-se este triste fado ano após ano, década após década, com os mesmos protagonistas, eu tenho a “certeza” de que há uma aliança entre estes clubes, que visa a obtenção de benefícios financeiros e desportivos de todos eles, com prejuízo dos restantes concorrentes “não alinhados”, os quais, sendo habitualmente vítimas dos “naturais” erros grosseiros das equipas de arbitragem vêm-se “gregos” para defenderem a manutenção ou lutar pelo primeiro lugar, acabando alguns mesmo por ser despromovidos.

Por outro lado, se verifico, que, ano após ano, década após década, as equipas de arbitragem que mais erros grosseiros “naturais cometem” favoráveis àquelas equipas, são as melhores classificadas no respectivo ranking; eu desconfio que o sistema de supervisão e classificação correspondente está adulterado.

E se, por um acaso acontece, que os responsáveis máximos das instituições desportivas tutelares, afirmam em pleno Tribunal, que nunca desconfiaram de nada porque raramente vêm pédibol; eu concluo que há conivência dos mesmos, por omissão.

Agora, digam-me os meus caros leitores o que hei-de pensar perante notícias de que “tal arguido”, com ligações aos clubes referidos, foi absolvido, tendo-se verificado alegada inabilidade do responsável pela acusação?

E se o acusador, perante um processo de crime punível com pena de prisão superior a cinco anos, envolvendo arguidos dos clubes “beneficiados”, para o qual as escutas telefónicas legais servem como prova, resolve dividir o processo em dois, reduzindo-se consequentemente, para cada um deles, a pena de prisão aplicável para três anos, invalidando as irrefutáveis escutas disponíveis e inviabilizando assim a condenação dos arguidos, o que hei-de eu pensar?

E, que hei-de pensar se, no meio de tudo isto há notícias; de forças de segurança que não notificam testemunhas de acusação apesar de estas residirem nas suas moradas oficiais, de suspeitas de fugas de informação aos arguidos do interior da polícia de investigação, de suspeitas de apoio de magistrados a fugitivos das autoridades, de suspeitas de bloqueio de investigações por parte de magistrados que frequentam regularmente camarotes presidenciais, de testemunhas de agentes da autoridade abonatórias dos “líderes” de grupos de agressores dos seus próprios colegas, apoio público a arguidos em cerimónias hipócritas, com declarações de admiração de altas figuras da cena nacional, tendo algumas das quais desempenhado altos cargos públicos?

Um alto magistrado disse um dia: “A justiça julga os casos e os casos julgam a Justiça”. Pois eu acho, que os casos subjacentes, condenaram a justiça no Tribunal da opinião pública e com ela, a Democracia, tal como aos autoproclamados democratas desta arruinada terceira República.

O que Hill trouxe de novo, foi a informação da amplitude e profundidade do arranjo de jogos ao serviço do jogo ilegal com origem na China, a estrutura fortemente organizada, hierarquizada e implacável das redes de corrupção, as verbas astronómicas que movimentam - talvez superiores às do próprio futebol -, a capacidade de adulteração de um jogo de um Mundial de futebol ou da Liga dos Campeões ou outro por dois “chungosos”, a partir de uma qualquer taberna de Singapura, o envolvimento de grandes clubes e atletas europeus como os casos referidos do Manchester United do Liverpool e outros, em esquemas de corrupção num passado tido por glorioso e os detalhes; nomes dos envolvidos, entrevistas com os mesmos, casos concretos, métodos utilizados e tratamento estatístico na Universidade de Oxford da informação recolhida e as suas conclusões.

Nas páginas 164 e 165, refere-se ao caso de Portugal onde, em geral, diz o que já sabemos; Refere-se a Pinto da Costa, como: “ um fenómeno Português, tão desagradável, tão poderoso e, aparentemente, tão natural ao ambiente, que parece inspirar um orgulho perverso e conformado”. Faz referência ao envolvimento de Carolina Salgado e à sua afirmação segundo a qual: “ comparado com o mundo do futebol Português, No Calor da Noite, o mundo da noite e do Alterne é quase como um jardim infantil povoado de inocentinhas criaturas”. Elogia o “Golpe de Estádio” de Marinho Neves, alude à prisão de Vale e Azevedo: “por fraudes relacionadas com o futebol”, refere a intervenção de Fernando Barata por alegada corrupção do respectivo árbitro em favor do Porto do jogo da meia-final da Taça das Taças de 1984 com o Aberdeen treinado na ocasião por Alex Ferguson (esta é que eu não sabia; daí a conhecida alusão deste à compra de títulos no supermercado pelo Porto), cita a alegada afirmação do Capitão do FCP, segundo a qual: “Pinto da Costa era um grande Presidente com grandes valores éticos”, faz referência ao Presidente da APAF Vitor Reis por alegadamente ter afirmado: “É já tempo de saber, de uma vez por todas, quem no futebol tem ética e quem não tem” e conclui concordando com este, opinando que: “Infelizmente, isso parece não ser possível”.

Quantas vezes sonhei com o grande Buffon para a baliza do nosso Benfica! Guardo Canavaro no meu imaginário como um dos melhores centrais de sempre! Admiro a tenacidade de Gatuso, uma referência do meiocampo do recente Milão! Afinal, heróis de papel, cuja ambição destruiu para sempre o seu legado de atletas de referência histórica, fazendo-nos temer o pior por receio da vulgarização da trafulhice e, finalmente, contaminando o nosso inocente prazer de disfrutar dos jogos futebol.

Perante tudo isto, resta-nos, finalmente, o regresso às origens; à profunda e simples emoção de ver os nossos atletas de vermelho e branco, no fascinante relvado, deliciarem-nos e aos nossos contrários, com a arte do jogo como fizeram ontem, respeitando público e adversário; a esperança de nunca vermos o nosso querido clube envolvido em tais indignidades; e o sonho, porventura utópico, de que, um dia, haveremos de conseguir acabar com esta vergonha, que radica na imaturidade cívica e cultural crónicas de grande parte da população, patentes também noutros sectores da sociedade portuguesa.

Um abraço a todos

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Em defesa de JJ

 ●  9 comentários  ● 
Antes de mais quero dizer que também concordo que os nossos "putos" já poderiam ter mais tempo de jogo, especialmente David Simão e nem tanto Nelson Oliveira. David Simão era importante no meio campo do Paços enquanto Nelson era suplente utilizado. Reconheço enorme valor a ambos como também sei que Nelson está uns furos abaixo de Rodrigo e David Simão de Bruno César mas ainda assim penso que deveriam jogar mais mas não vou criticar JJ por isso porque tenho consciência que a pressa não é inimiga da perfeição e JJ estará a trabalhar o Nelson, David, Rodrigo e até Mika e num futuro próximo poderão afirmar-se no Benfica. Continuem a trabalhar porque só assim podem evoluir e aproveitem para aprender com jogadores de classe Mundial como Artur, Aimar, Saviola e Cardozo. Vamos lá a ter um pouco mais de paciência!

Esta minha defesa de JJ nem seria em relação aos minutos que os nossos "putos" jogam mas sim a uma opinião de JJ que tem sido usada contra ele várias vezes para afirmarem que JJ não gosta do jogador Português ou não aposta no jogador Português. A opinião de que falo é aquela sobre a limitação de jogadores estrangeiros. Passo a transcrever o que JJ acha através do link deixado pelo amigo vermelhusco no texto anterior a este: "Jesus critica possível restrição de estrangeiros: "Uma das propostas que têm em cima da mesa é que estrangeiros só internacionais, mas Portugal não tem capacidade financeira para os contratar. O campeonato em Portugal é competitivo porque somos formadores de jogadores, de portugueses e de estrangeiros. Quando falam de restringir estrangeiros têm de saber o que estão a dizer"

Gostaria de saber qual das parte que estão sublinhadas e em letra aumentada que não perceberam? Também concordam limitar o campeonato Português a estrangeiros internacionais? Acham que há algum clube Português com capacidade financeira para o fazer? Não acham estranho que só quando os corruptos andam com dificuldades financeiras alguém comece a pensar em acabar com os estrangeiros, excepto se forem internacionais? Logo agora que o Benfica tem uma melhor politica de aquisição dos jovens jogadores estrangeiros que mais tarde dão milhões, vide David Luiz, Ramires e Di Maria?

Para que fique definitivamente claro, JJ não concorda que se possa contratar somente jogadores estrangeiros que sejam internacionais. 


Sim, limitem os estrangeiros no campeonato Português mas não limitem os clubes a comprarem estrangeiros somente se forem internacionais porque os clubes não têm capacidade financeira para os comprar.

Urgente emprestar os jovens portugueses do plantel

 ●  21 comentários  ● 
Nelson Oliveira e David Simão são dois jovens jogadores com imenso potencial como foi constatado na época passada com a grande época que realizaram no Paços de Ferreira sob orientação de Rui Vitória.
David Simão era titular indiscutível e foi um dos obreiros da boa época do Paços de Ferreira o ano passado.
Além disso Nelson Oliveira demonstrou no Mundial de Sub-20 que, juntamente com Rodrigo é um dos melhores pontas-de-lança a nível mundial nessa categoria de idade.

Outro caso de um jovem com imenso potencial no plantel que de momento está a ver o seu potencial completamente esbanjado é Miguel Vítor. Este trata-se de um caso mais delicado pois é um um jogador que sempre que jogou demonstrou sempre elevadíssima qualidade tendo chegado a segurar a defesa no início desta época quando houve escassez de centrais.
Como tal, eu achei incompreensível a atitude de Jesus em preterir Miguel Vítor para o banco no lugar de Jardel quando Luisão se lesionou. Foi mesmo uma oportunidade desperdiçada para valorizar um jogador jovem e que pouco custou ao Benfica. Não fazia mais sentido apostar e tentar rentabilizar um jovem de 21 anos com potencial de atrair potenciais compradores do que um jogador feito de 26 anos, isto quanto a nível de qualidade estão os dois num patamar aproximado?

Infelizmente, neste momento o Benfica tem um treinador que apesar de ter imensa qualidade (os números falam por si) é um técnico que discrimina os jovens jogadores portugueses tal como as suas declarações a manifestar-se contra uma possível limitação de estrangeiros demonstra.

A Direcção tem que resolver esta bomba relógio. Neste momento o Benfica tem três jogadores de elevada qualidade, e com provas dadas a serem ostracizados pelo treinador.
 Isto para mim faz-me lembrar um filme já visto imensas vezes: chega ao fim da época os jovens rescindem com o Benfica que não lhes dá uma oportunidade, passam uma época num clube de menor dimensão e depois são pescados pelos Andrades/Gayrreiros/Lagartos onde dão cartas e rendem largos milhões.

Podem dizer-me que para o ano já haverão equipas-B onde estes jogadores podem jogar mais, mas eu não acredito que nenhum destes três casos depois de já ter jogado na 1ª Liga e no estrangeiro queiram descer de cavalo para burro e adiar a sua explosão.

Porque não aproveitar e ceder estes três jovens ao Vitória de Guimarães? Assim dá-se um apoio que provavelmente se afiguraria de essencial a um clube não alinhado com os Corruptos mas com fortes pressões para voltar á esfera de influência corrupta porque francamente nada ganharam com as boas relações com o Benfica. Além do mais, têm um treinador com afinidades ao Benfica e que sabe aproveitar e potenciar jovens.

Neste momento, está-se a esbanjar talento no Benfica, e o clube não se pode dar ao luxo disso quando tem que potenciar o maior número possível de activos.

Sem Eco! Surpreende? Não...

 ●  8 comentários  ● 
Mais abaixo no blog, podem ler um breve resumo da entrevista do António Oliveira, bem como um excerto do video onde se refere à forma como Joaquim Oliveira controla o futebol nacional - não é novidade nenhuma para os leitores do NGB que desde 2008 que têm esse senhor identificado como um dos três patrões do futebol nacional. O que gostariamos de pedir a todos é que façam muito mais barulho, que não se calem sobre este assunto até que a imprensa decida de uma vez por todas fazer eco desta entrevista. 

MUITA GENTE COME DAQUELE TACHO e esse é o principal motivo para ninguém querer falar deste assunto. É importante tornarmos o assunto inevitável. 

 FALEM DISTO VEZES SEM CONTA!

domingo, 8 de janeiro de 2012

609 Dias depois...

 ●  10 comentários  ● 
... O SLBenfica atinge o lugar que merece pelo mérito, qualidade e sem recurso a "estratagemas corruptos". Tal como tem vindo a ser afirmado neste blog por vários "escribas" desde o início da época, queremos rever esta foto em Maio, por mérito próprio. Até lá, não nos desfoquemos e continuemos a trabalhar no duro...

E como não sou ingrato, nem sequer gosto de me esconder atrás do tempo, gostava de destacar a exibição hoje de um jogador que sempre considerei não justificar a contratação e as oportunidades que teve: Bruno César.

Efectivamente, é preciso reconhecer a razão a Jorge Jesus na escolha deste jogador e no tempo que lhe deu para começar a relevar exibições de grande qualidade. Fica feita a justiça a quem a merece.

António Oliveira

Avatar
 ●  21 comentários  ● 

O cancro do futebol português  - (Entrevista na RTP)





ADENDA: Oliveira na SIC
"Se estivesse no Benfica rompia com a Olivedesportos"



«O Benfica tem mais dimensão mundial do que o SCP e FCP juntos»

 ●  7 comentários  ● 
Alguns dos tópicos do discurso do António Oliveira esta noite no programa Zona Mista da RTPN.


- Jardel. Adaptação difícil, todos no plantel do FCPorto o ridicularizavam;

- Clássico Sporting-FCPorto foi o mais calmo dos últimos tempos;

- Não pensa voltar ao futebol como treinador e tão pouco ser sucessor de Pinto da Costa, apesar da participação na SAD. «Honra suprema ser presidente do FCPorto mas o meu futuro não passa por aí». «Se o clube precisar estarei disponível, mas o FCPorto não vai precisar de mim»;

- Hoje o futebol vai muito além dos simples clubes, é a indústria, foi o caminho que o futebol português e europeu seguiu. «Entristece-me o caminho que o futebol seguiu»;

- «Tive para contratar o JJ quando estava no Penafiel mas optei por Manuel Fernandes», «Benfica tem muitas semelhanças com uma equipa holandesa», «Na altura falava-se que vinha o Scolari (...) Eu disse que o JJ talvez fosse melhor opção porque ele faria um bom trabalho». «Tinha feeling pelo JJ e pelas características do Benfica». «Sempre acreditei que ia ser campeão no Benfica». «JJ foi um dos nomes indicados e que estava na lista do FCPorto e foi convidado anteriormente»;

- «O Benfica é um clube com uma dimensão mundial muito grande (...) As pessoas ofendem-se quando ponho de parte o meu portismo e digo isto... o Benfica tem mais dimensão mundial do que o SCP e FCP juntos»;

- «Domingos vai chegar ao FCPorto só não sei se sairá do Sporting para o estrangeiro primeiro»;

- «Blackout no Porto é um instrumento de gestão». «É preciso vencer pelo silêncio (...) não é pelo acaso (...) visa causar desconforto no adversário». Bruno Prata perguntou se faz sentido que isso se mantenha hoje e se não terá contribuído para a implantação regional do FCPorto, o AO respondeu «hoje de facto não faz sentido e é impensável. Por causa da banca, compromissos, parceiros, da indústria»;

- «Não sou muito a favor da "eleição" do presidente que para mim não é mais do que colocar pessoas (...) Não me parece que venha [Fernando Gomes] acrescentar nada(...) Tinha esperança que fosse o Medeiros ou Humberto Coelho». «Não acabou [Fernando Gomes] sequer o mandato da Liga e pouco lá fez».

- «O Presidente da FPF é colocado pela Olivedesportos (...) Um lóbi que movimenta 700 Milhões de Euros» e como tal manda no futebol português;

- A culpa é e foi dos clubes e da sua constante necessidade de receitas, tal conduziu ao que se passou nos últimos 20/30 anos, o que conduziu a este modus operandi do Futebol Português;

- «Gilberto Madaíl foi posto na FPF pela Olivedesportos e agora o FG»;

-  LPFP: «Eu até já sei quem vai ganhar as eleições da Liga»;

-  «Comunicação Social é outro lóbi enormíssimo»

- «Nunca devia ter aceite lugar na Selecção»;

- FCP estando no círculo da Olivedesportos retirava vantagens;

- «Há um monopólio de 30 anos (...) dos quais não se podem deixar de fora os financiamentos».

- «Fala-se muito dos Direito de Opção e Preferência dos clubes (...) Benfica está no mesmo colete de forças»;

- «Esquema que está montado com legalidade, não pensem que há alguma aldrabice.»;

- «Depois de eu já lá estar [FPF] é que o Madaíl me fez ver que era porque eu era da Olivedesportos».

ranking