O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 18 de maio de 2013

Irá o Paços ser tão empenhado como o Estoril?

 ●  39 comentários  ● 

A minha resposta é não. Isso porque os jogadores do Paços estão a ser ameaçados!!


O "braço-armado" portista sabe bem onde trabalham esposas e familiares, sabem os nomes e onde estudam os filhos.
Devido a esta situação dois jogadores normalmente titulares pediram a Paulo Fonseca dispensa do jogo. Foi recusado pelo treinador. Mau estar instalado no clube.
Jogadores do Paços amedrontados, desconcentrados só querem que o jogo passe depressa, que o porto seja campeão e que possam voltar à vida normal com a sua família.

* Adeptos Pacenses agredidos e roubados.
Para conseguir o máximo dos bilhetes possíveis, elementos das claques portistas têm estado a semana todo em Paços. Agrediram adeptos adversários e roubaram os poucos que já tinham conseguido bilhete. Vários relatos inclusive de idosos mal tratados. Poucos adeptos Pacenses estarão presentes no jogo de Domingo. O medo e o terror dominam a cidade. Um clube pacato, sem grande força popular e mediática "come e cala".
Vários novos sócios do Paços nos últimos dias, todos da zona do porto. Consta-se que todas estas inscrições foram suportadas pelo fcp e todos estes novos sócios são membros dos grupos de apoio organizado do clube. Algo que seria muito fácil de investigar por quem de direito… Objectivo "silenciar e controlar" as reduzidas áreas de sócios Pacenses.

* Josué, jogador preponderante na equipa do Paços e membro dos "Super-dragões" desde há muitos anos, garantiu no seu circulo de "amigos" que estava tudo controlado. Tem sido constantes os encontros entre neste atleta e alguns dos mais conhecidos membros da claque portista. Segundo palavras do mesmo "não há razão para preocupações, o porto será campeão ou… Campeão".
Josué tem também aconselhado colegas a não se armarem a heróis porque "aquela malta não brinca". Este talentoso médio tem servido como uma espécie de infiltrado daquele grupo de marginais no balneário Pacense. Domina os mais fracos, demove os indecisos e denuncia os íntegros. Estes últimos os principais alvos do terror psicológico em relação às famílias.

* Ameaças de que o jogo nunca chegará ao fim se algo estiver a correr mal e de que o Paços dentro de anos disputará as divisões amadoras…

* Ameaças aos habitantes locais de uma enorme invasão portista à cidade! É melhor para todos, para a terra e os seus habitantes que nada "falhe".
Ideia generalizada e desejo de toda a cidade, cidadãos, adeptos do clube, jogadores e dirigentes que toda esta gente ganhe, fique feliz e se vá embora. De vez.

Em Paços de Ferreira, e em muitos lugares da cidade do Porto sabe-se tudo isto e muito mais. Poucos aceitam dar a cara e falar com medo de represálias e os outros gabam-se, gozam e… Já festejam!
Tudo às claras, tudo sob um silêncio comprometedor de milhares de jornalistas, centenas de rádios, tv's e jornais. Só interessa falar no futuro do Jesus, no Gaitan para o Manchester, no Garay de volta para o Real Madrid... (link)


E é assim que se ganham campeonatos de futebol em Portugal...

Os verdadeiros motivos da hesitação de Jesus

 ●  30 comentários  ● 
Discordo em absoluto do Vermelhusco. Jorge Jesus não quer ficar!!!

Jorge Jesus conhece o SLBenfica e conhece muito bem Luis Filipe Vieira. Depois das duas derrotas deste ano e dos sucessivos falhanços nos jogos com o FCPorto, Jorge Jesus sabe que para muitos benfiquistas a sua margem de manobra está muito reduzida.

Sabe perfeitamente Jorge Jesus que se falhar novamente, passará do homem que nos pôs a jogar o dobro, como prometera, para o homem que não nos faz ganhar.

E sabe, com isso, que quando essa pressão aumentar, Luis Filipe Vieira não hesitará deixa-lo cair, apesar destas declarações de amor eterno de que Jorge Jesus é o seu treinador. Se é, porque esperou até esta fase para lhe renovar o contrato e não o fez há seis meses depois de reeleito?

Luis Filipe Vieira está pessimamente mal rodeado. Gente incompetente, que gosta de protagonismo e de feiras de vaidades, de bazofia e de ter voz... Enfim, amadores num "mundo" que exige cada vez mais profissionalismo e competência.

Mas obviamente que o Presidente sabe disso. Ele próprio, no seu estilo, gosta desta postura de "dividir para reinar", metendo todos a chocar, para no final aparecer como o grande decisor. Pura ilusão.

Uma gestão desta forma é uma total ausência de estratégia e planeamento de longo prazo. Desta forma, Luis Filipe Vieira anda ao sabor dos momentos e de... Do grandes "acontecimentos" que dão projecção mediática, como as vendas de jogadores.

Jorge Jesus sabe tudo isto!
E Luis Filipe Vieira sabe que só Jorge Jesus sabe trabalhar e ter resultados neste caos imposto por este tipo de gestão, onde apenas um parece realmente ter um papel de líder e um caminho definido (não necessariamente o melhor), chama-se Domingos Soares Oliveira.

... Só que Pinto da Costa também sabe tudo isto, como sabe que a melhor forma de entrar no ultimo mandato é precisamente, roubando o "treinador do Vieira". Depois da declaração de fidelidade feita por Luis Filipe Vieira, nada melhor que apresentar Jorge Jesus como o sucessor de Vítor Pereira, para dar ao FCPorto a capacidade europeia que eles não conseguem ter, onde sempre que o desafio aumenta de complexidade... O FCPorto mostra não ter o estofo europeu que Jesus deu ao SLBenfica, como se viu na 4a feira.

É este "síndroma Peseiro", aliado ao amadorismo e impreparação da estrutura do SLBenfica, que deixa os treinadores entregues ao seu próprio destino e sujeitos às pressões e boicotes internos, que faz com que Jesus considere efectivamente a saída.

O desafio é decidir entre a sua grande ambição: Sair para o estrangeiro, onde Inglaterra chama por ele, ou manter-se em Portugal, o que é bastante mais seguro até face à barreira da língua. Ao manter-se em Portugal, não tenho duvidas que Jesus tem a certeza aí o projecto que lhe oferece melhores garantias de apoio e projecção europeia é o FCPorto.

É por isso que afirmo que Luis Filipe Vieira, se considera Jesus "o seu treinador", comete dois erros de palmatória:

1. Não lhe ter proposto a renovação logo quando foi reeleito e com a duração do seu mandato
2. Insistir em manter uma estrutura de apoio ao futebol com pouca competência e muito impreparada para os imensos desafios e jogos de bastidores do futebol português. Desta forma, deixa os treinadores "entregues à própria sorte". Se juntarmos a isto a feira de vaidades no resto dos dirigentes onde todos se consideram legitimados para ter opinião e exercer sob o Presidente influencia nesse sentido.......

Ao cabo de mais de 15 treinadores nos últimos 10 anos, será nunca ninguém constatou que o problema não estará nos treinadores?

Até voava bem, mas acabou-se o gasóleo.

 ●  3 comentários  ● 

É com bastante pesar que vos anuncio hoje, o fim do EDDG ( Em Defesa do Glorioso)

A coisa conta-se em poucas linhas,

A Gloriosasfera era um enorme edifício,  onde o EDDG tinha de borla o piso do primeiro andar.  Quem tinha as chaves e era proprietário daquele magnífico imóvel, deixou de dar notícias desde 10 de Fevereiro de 2011.

Dado que mantinha com ele ( Jorge Almeida Guerreio) trocas de emilios a diário e alguns telefonemas  (na altura ele residia em Paris)  sabia por isso, que desde o Natal de 2010 se encontrava  muito doente. Recuperou um pouco e ainda deu noticias nos primeiros dias de Fevereiro, mas a doença grave de que padecia,  deve-o ter vencido...infelizmente.

Desde aí, a GLORIOSASFERA andou em piloto automático e já se sabia que, quando se acabasse o gasóleo, estatelar-se-ia num ponto qualquer deste Planeta.  Felizmente foi no mar e por isso, não há vítimas a lamentar a não ser o fim do meu filhote EDDG.

Não deixa de ser curioso,  os motores começarem a falhar no minuto 92 -  já ia em 920 mil e picos visitantes - mas  a aeronave ainda foi planando...planando...planando  e caiu exactamente nas 933 mil  visitas....33...o número do titulo que o xistrema nos vai fazer perder.

A todos os que fizeram o favor, de me brindarem com a esmola das vossas visitas, o meu muito obrigado .
A todos os que colaboraram com o projecto que agora findou, vão também os meus agradecimentos. Foi bom, mas acabou-se.

Quanto a mim, vou andar por aí...

A renovação de Jorge Jesus e o que isso implica.

Avatar
 ●  16 comentários  ● 

É o tema mais importante da actualidade benfiquista.

Deve ou não o Benfica renovar com Jorge Jesus? Quer ou não Jorge Jesus renovar com o Benfica? 

Para já, o timing de Luis Filipe Vieira quanto à gestão da renovação do contrato demonstrou a sua completa incompetência para gerir o futebol do Benfica. 
As suas repetidas declarações de 'amor' a Jorge Jesus chegaram tarde e o próprio treinador não achou piada nenhuma a isso, após meses de silêncio de Vieira sobre esse assunto.

Quanto à renovação do contrato, sou contra. Com esta estrutura. 
Já o disse e repito: o departamento de futebol do Benfica é uma anarquia em que temos 2 elementos não aproveitados, Shéu e Rui Costa, um bufo e sem competências para estar naquele lugar, Carraça, e a ausência de um líder presente todos os dias e a acompanhar, defender e proteger plantel e equipa técnica.
Alguém como Veiga em 2005 ou Rui Costa em 2010.
E não como Luis Filipe Vieira
A sua ausência no Brasil no dia do importantíssimo Benfica-Estoril foi mais um exemplo.

Jorge Jesus não tem perfil para liderar todo o futebol benfiquista como está provado. Já foi escrito e eu subscrevo totalmente, que JJ evoluiu nestes 4 anos mas não o suficiente. Sozinho não conseguirá fazer mais. 
Tem demasiadas insuficiências humanas para ter a rédea solta como tem tido desde o afastamento forçado de Rui Costa.
Jorge Jesus é um funcionário do clube e não o Messias, como tantas vezes se acha.
Tem sido comum JJ justificar as vitórias com as suas tácticas, as suas escolhas, mas sempre sacudir a culpa para cima de jogadores ou o azar quando falha. A sua falta de humildade tem sido o seu principal inimigo.

Quanto a mim, Jorge Jesus quer renovar com o Benfica mas procura uma forma de se relegitimar após mais uma temporada de fracassos. Tipo um 'demito-me mas sou novamente candidato'.

Mesmo que um golpe de sorte dê este campeonato ao Benfica, a memória não permite apagar os fracassos nos grandes jogos.
Fizemos um grande jogo na final da Liga Europa? Tivemos azar? E a quantidade de bolas ao poste que levamos contra alemães, ingleses e turcos? 

Hoje circulou a notícia de que Jorge Jesus teria recusado renovar e estaria a negociar com o FC Porto.
Não há confirmação de nada e até haver, tudo são rumores.

Nos últimos 13 campeonatos(excluindo o actual) o Benfica venceu apenas 2 vezes e o FC Porto 
8 vezes. Tudo sob o consulado de Luis Filipe Vieira. 
Nos últimos 4 anos, com um investimento brutal(em euros) na equipa principal como nunca antes se tinha feito, o FC Porto prepara-se para vencer o 3º seguido.

Temos uma estrutura vencedora no futebol? Nem de perto. 
O que não quer dizer que não se tenha feito um trabalho de valor nos últimos 4 anos. Claro que não. Mas ainda não é o suficiente para devolver o Benfica ao 1º lugar em Portugal.

Dêem o poder a Rui Costa e Shéu, ou a um Humberto Coelho e Nené, aceitando Jorge Jesus que terá de estar integrado numa estrutura e não o contrário, e o trabalho dos últimos 4 anos poderá ser consolidado e mantido. 
Nestes moldes, apoio a renovação com Jorge Jesus.

Recuse Jorge Jesus aceitar o seu lugar de 'apenas' treinador e poderá seguir o seu caminho para o Porto, Inglaterra ou para o Cascalheira, se quiser. 

Se Jorge Jesus sair, e a única alteração for ao nível do treinador, os últimos 4 anos terão sido desperdiçados.e apenas terão servido para aumentar a já gigantesca dívida bancária.

Pede-se que os interesses do Benfica sejam defendidos em toda a linha.
Já chega da conversa do 'sabemos o caminho que queremos' e outras tretas idênticas, enquanto tudo fica na mesma.

Nota: Compreendo que os benfiquistas que só viram o Benfica pós 1994 vejam em Jorge Jesus o único caminho. Mas o Benfica nunca foi um só homem. O Benfica somos todos nós. Já morreram milhares de grandes benfiquistas e o clube continua.


A diferença entre ser vencedor ou perdedor.

 ●  31 comentários  ● 
Mourinho após a derrota na Taça do Rei:

«Na primeira temporada ganhei uma Taça, cheguei às meias-finais da Liga dos Campeões e lutei até ao final pelo campeonato frente a uma equipa considerada como a melhor do mundo. Na segunda também não fracassei ao ganhar como ganhámos, outra meias-final da Champions, onde fomos eliminados nos penalties. A terceira é falhada ou fracassada e quando as coisas correm bem é mérito de todos e quando vão mal é do treinador e não dos jogadores ou da estrutura. Numa temporada não existe o estivemos quase a ganhar, pelo que para mim é a minha pior temporadas, mas para outros seria boa. Nunca tinha ficado sem ganhar nenhum dos títulos importantes. Fracassei nesta temporada»
Jorge Jesus antes do jogo com o Newcastle:

«Independentemente do que possa acontecer até ao final, esta será sempre uma época brilhante, mas pode ser ainda mais brilhante se vencermos as três provas em que estamos envolvidos. Se conseguirmos isso, será uma época de sonho» 
Não sei se isto não será uma boca do Mourinho a outros treinadores portugueses... Se não é parece.
Jesus muito agradecido por ter feito os benfiquistas sonhar, mas esta época não passou de uma época do quase. Os benfiquistas já não viam o Benfica numa final europeia á 23 anos mas os sportinguistas em 2005 também não viam o Sporting á muitos mais anos. E o Peseiro fez as malas e saiu.
Se for para continuar no Benfica está na hora de mudar o discurso, ser humilde e admitir que não é o maior génio do futebol.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Vamos a votos e decisões!

 ●  32 comentários  ● 
Já todos vimos o episódio do "agarrem-me senão vou-me embora" do Jorge Jesus em Amesterdão, naquele registo do Presidente "se não atingir os 300.000 sócios vou-me embora porque não confiam no meu projecto".

Enfim, estas "novelas mexicanas" eu dispenso bem. Os lideres não precisam de criar "ondas de apoio" e, seguramente, não precisam de ouvir o mundo inteiro a chamar por eles para estarem bem onde estão.

Eu já aqui dei a minha opinião: JESUS É PARA FICAR!

Não que considere que o depois de Jesus é o caus, ou que entenda que só com Jesus é possível ganhar! Bom... na verdade, com Jesus não tem sido muito possível ganhar, mas adiante.

Na verdade, Jorge Jesus cumpriu a promessa que nos deixou quando chegou: Com ele o SLBenfica ia jogar o dobro. Em boa verdade, não disse que ia ganhar o dobro, mas seja como for, eu prefiro sair de uma final da Liga Europa sem titulo mas com o respeito de todos, com tudo o que isso representa até para quando queremos trazer jogadores para o Clube... prefiro isso do que não chegar lá. Mas em boa verdade, também aceitaria "fazer o papel" do Chelsea - ter jogado menos, mas ganho!

Bom, mas adiante. O que vos desafio hoje é pensarem e comentarem sobre algumas hipoteses, que - com honestidade - considero qualquer uma delas possível, ainda que só deseje uma e já afirmei qual é. Então:

- Jorge Jesus FICA no SLBenfica!

Neste cenário penso que há muito trabalho para fazer para não continuarmos a falhar nos momentos críticos. Jorge Jesus, por mérito seu, mas também do Presidente, já não está no SLBenfica de há quatro anos, sem jogadores de qualidade, sem cultura de exigência, sem estabilidade, sem estratégia... 

Jorge Jesus como um "one man show", é o homem certo para o SLBenfica de há quatro anos, o homem que vem de baixo e vem fazer muito com pouco. 

Mas, como disse, o actual Benfica cresceu (também com mérito dele), fez crescer jogadores e viu passar jogadores de dimensão e qualidade, que tem agora hábitos de vitoria... 

Neste nosso actual Benfica, Jorge Jesus a lutar sozinho e com esta estrutura deficitária e pouco competente, não chega... e falhará sempre nos momentos críticos. 

Para manter "este Jesus", neste Benfica... É preciso despedir Carraça e lá meter alguém que fale futebolês e tenha poder na SAD: Rui Costa... mas COM PODER (será capaz, Presidente) e a efectivamente liderar a SAD. Teria, depois, de ter um "braço direito" jovem e com vontade de inovar e crescer, porém com passado no futebol - "um João Vieira Pinto" por exemplo. 

Jesus teria que aceitar a estrutura e a estrutura aceitar o espaço de Jesus - difícil de ambas as partes, mas o sucesso tem um preço e já evidente que a "formula" actual não resulta.

Depois, claro, importantíssimo para o sucesso de Jorge Jesus seria a renovação integral da Comunicação do SLBenfica onde Moniz pode dar um claríssimo impulso. Também a importância de DSO teria que ser drasticamente reduzida, o que não significaria a sua saída ou sequer menosprezo, simplesmente menos poder.

- Jorge Jesus SAI do SLBenfica!
É importante que todos percebam que há uma possibilidade de isto acontecer até ao dia do preto no branco! E a acontecer, pode até ser para o nosso rival FCPorto. Eu já aqui afirmei várias vezes sobre esse tema que um treinador que lhe passa essa hipótese pela cabeça (trocar o SLBenfica pelo FCPorto), é um funcionário que está a mais no nosso clube, tenha ele a capacidade/competência que tiver.

Reitero que, apesar de desejar a sua permanência, se este aparecesse anunciado para o FCPorto, eu estaria longe de ficar deprimido ou considerar que isso daria ao FCPorto um passo em frente perante o SLBenfica.

Ficaria sim claro que o Jorge Jesus não seria o Homem que eu quis acreditar que ele seria, mesmo depois das suas demonstrações publicas de simpatia para com alguém que só quer mal ao SLBenfica: Pinto da Costa.

Assim sendo, eu não vejo outro cenário para JJ em caso de saída que não seja o FCPorto. A ambição dele a isso impõe. Mas como que me interessa é o SLBenfica, volta a impactar sobre duas escolhas minhas para esse cenário:

- Se o SLBenfica insistir em manter aquela estrutura que contribuiu para a "bazófia" que nos afastou de já estarmos campeões, a minha aposta seria alguém que conseguisse lutar sozinho por resultados, ou seja, alguém que não poderia contar com ninguém para vencer. A aposta nesse caso seria: RUI VITÓRIA, sem dúvidas.

- Se o SLBenfica, finalmente, apostasse em transformar o futebol do SLBenfica, numa estrutura altamente profissionalizada, competente, dedicada, apaixonada pelos resultados e pelo Clube, inconformada, fria, calculista, etc... nesse caso optaria por um treinador estrangeiro: Frank De Boer, pela relevância da dimensão europeia que não seria possível obter no curto prazo com Rui Vitória, mas que se seguramente o treinador português viria a entregar no médio prazo.

Seja como for, com todos os defeitos e virtudes de JJ, espero e desejo que fique, que aprenda com os erros que lhe têm retirado a glória nos momentos decisivos e que o SLBenfica contribua para essa melhoria, com a Direcção, especialmente o Presidente, também ele a aprender com os erros.

Obrigado (parte II)

 ●  2 comentários  ● 


Portugal, 17 de Maio de 2013

Terminei o texto anterior referindo que as situações de remate à baliza do Benfica, são mais “limpas” para o adversário, do que as situações de remate à baliza do adversário por parte do Benfica, por erro do modelo e não por erro de posicionamento ou de desempenho dos jogadores! 

Devo também lembrar que apesar de ser o modelo esmagadoramente mais utilizado, o 4-4-2 deu lugar com Jesus a uma variação do modelo 4-2-3-1 que é utilizado contra equipas de dificuldade acrescida. Como o caso do Manchester United na época passada da Champions. Ou o caso do FCP recentemente. Foi também utilizado nos dois jogos com o Bayer Leverkusen.
Confesso que era o modelo que eu esperava que Jesus utilizasse na final. Mas fosse porque se ouviram algumas criticas ao desempenho do jogo com o FCP (e não podemos esquecer como a “estrutura” é importante na vida dos treinadores do Benfica), fosse por outra razão, o que é certo é que JJ utilizou o modelo ofensivo contra a equipa mais difícil da prova até à final. Um erro de avaliação, mas um erro muito à Benfica. 

De facto no Benfica não existe meio-termo. Se joga com 1 avançado, o treinador é rotulado de ter medo, se joga com 2 avançados, o treinador é acusado de ser demasiado atacante. Tal como com os jogadores. Os mesmos críticos que na época passada acusavam Emerson de ser pouco ofensivo, agora acusam Melgarejo e Maxi de serem demasiado ofensivos. Fhónix...

Claro que ainda temos uma terceira via, que é a via “José Augusto”. Para esta velha glória do Benfica, no rescaldo pós jogo na Benfica TV, o problema das oportunidades falhadas na 1ª parte esteve na utilização do Rodrigo em vez do Lima. Ora se José Augusto pensasse tão bem como utilizava os pés quando jogava, ter-se-ia lembrado que Lima jogou a titular contra o Estoril e não marcou qualquer golo. E teria sido justo ao sublinhar que essas oportunidades foram falhadas pelo Gaitán e pelo Sálvio, e não pelo Rodrigo.
Mas como já disse uma vez, há pessoas que foram abençoadas com bons pés, mas na inteligência infelizmente não...

O Benfica é refém da sua história de vitórias e de pouca reflexão na análise às derrotas nas provas europeias. É um facto que os adversários têm sido sempre do mais difícil que pode existir. Milan e Chelsea, com quem perdemos as duas últimas finais, eram campeões europeus em título. O Anderlecht desses tempos, era das melhores equipas europeias a seguir aos ditos “tubarões”. Nessa campanha aviou o FCP com 3-0 na Bélgica e derrota 3-2 no Porto, depois de estarem a vencer por 2-0 e terem a eliminatória controlada. O PSV tinha eliminado o super Real Madrid e pensávamos que íamos ser goleados. No final perdemos nos penaltys. Já agora, na época seguinte o PSV começou a defesa do seu título cilindrando o FCP por 5-0 na Holanda... O Milan também era campeão europeu com 4-0 sobre o Barcelona... Enfim...

E não venham com o argumento que o FCP também jogou com adversários difíceis, porque difíceis foram estes: Milan, Valência e Barcelona. Os 3 adversários das Supertaça Europeia, todas perdidas pelo FCP!

Voltando ao Benfica, acho que temos de pensar melhor a forma de jogar contra equipas de grandes orçamentos, grandes jogadores, dos que resolvem um jogo num lance, dos que têm treinadores muito experientes. E acho que esta problemática teria de ser liderada pela Direcção, em programas de opinião ou em simples comentários avulsos. A mensagem tem de passar para os adeptos verem o futebol com outros olhos. E aceitarem as exibições ditas, menos ofensivas.

O Chelsea dos 100/120 milhões jogou com David Luiz a trinco. E pôde. O Benfica dos 30/40 milhões meteu o Roderick no Porto (35/45 milhões) e Jesus foi acusado de não arriscar (quando de facto arriscou com a entrada de Aimar, perdeu!).

Remato com um agradecimento muito grande aos jogadores e equipa técnica pela excelente prova que nos deram, pelo orgulho que me fizeram sentir como benfiquista. Também pelo contributo que esta excelente prestação europeia deu para recolocar o Benfica como melhor equipa portuguesa no ranquing da IFHHS.

Parabéns também às centenas de adeptos que imunes à “doença do erro” estiveram no aeroporto a saudarem os nossos heróis. É nas derrotas que se constroem as grandes equipas. A forma acolhedora como os adeptos receberam os nossos bravos jogadores, seguramente terá recompensa um dia destes. E no futuro. Obrigado!

Homenagem a um dos últimos de uma geração.

Avatar
 ●  7 comentários  ● 


Num país onde cada vez é mais difícil combinar na mesma frase as palavras sério e jornalista desportivo, a partida de Cruz dos Santos marca quase definitivamente o fim de uma era em que os jornalistas raramente misturavam as suas afinidades clubísticas com a análise séria e isenta do futebol.
Restam muito poucos dessa escola. Infelizmente.

Fica a homenagem ao Sr.Cruz dos Santos. 

O Ás de trunfo do FC Porto no jogo de Domingo.

Avatar
 ●  39 comentários  ● 


Cássio, guarda redes do Paços de Ferreira, prepara-se para seguir a tradição dos guarda-redes em Portugal que presentearam o FC Porto com uma colaboração preciosa no momento que mais precisavam.

Helton, Nuno Espírito Santo, Beto ou Fabiano têm mantido esta linhagem de mãos de manteiga nos jogos com o FC Porto.
No caso de Cássio, de partida para o Brasil no final da temporada, a procura de um complemento de reforma de última hora por parte do brasileiro parece ser a aposta.

Em vez de procurar mais aliados dentro do plantel do Paços de Ferreira, em tempos de austeridade o ás de trunfo dos andrades corruptos será este.

Resta saber se as gentes de Paços de Ferreira, sérias, honestas e trabalhadoras, vão deixar que alguém manche o percurso fantástico do seu clube nesta temporada.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Obrigado (parte I)

 ●  32 comentários  ● 


Portugal, 16 de Maio de 2013

Ao contrário de algumas pessoas que se manifestaram nos blogues (e não só) contra a forma como perdemos a final da Liga Europa contra o Chelsea, eu não me queixo de nada. Fizemos um bom jogo do ponto de vista estético, à Benfica eu diria, dominamos largas partes do mesmo, fomos eficazes nos processos defensivos, cometendo talvez no máximo 4 erros (os dois golos, o remate para a grande defesa de Artur na 1ª parte e para a bola na trave na 2ª parte), fomos dominadores obrigando um adversário de grande qualidade a jogar quase como nós quisemos, mas no final acabamos por ser castigados de forma penosa e dura. Entre aquilo e perder nos penaltys, não sei qual é pior.

Como adulto vi o Benfica jogar 4 finais de provas europeias, Anderlecht, PSV, Milan e agora Chelsea. De todas as que vi, sem querer ser injusto com ninguém, esta foi a final onde estivemos mais próximos de ganhar. Talvez nos tenhamos aproximado desta exibição na 2ª mão do jogo com o Anderlecht, não fosse o golo de Lozano (depois contratado pelo Real Madrid) e aquilo que agora os inteligentes que falam sobre futebol chamam “as facilidades dadas no golo adversário”.

Não sei se repararam, mas nos 4 jogos anteriores das referidas finais europeias (a Taça UEFA era disputada a 2 mãos), apenas marcamos 1 golo (Shéu na Luz ao Anderlecht). Ontem marcamos 2 e mesmo que 1 não tenha valido, lembro que foi com um fora de jogo assim tão “pequenininho” que o FCP ganhou a ultima Liga Europa ao Braga. Azar também com os árbitros assistentes.

Se Jesus muito contribuiu para construir este plantel e qualidade de jogo da equipa, exponenciando ao máximo o seu valor, na realidade acho que o seu (nosso) problema é que está muito condicionado pela história do clube e pelas ideias dominantes sobre como deve ser o nosso futebol. A opção pelo 4-4-2 é disso reveladora. Exprimi isto antes do jogo pelo que tenho legitimidade moral para voltar a dizê-lo: não passa pela cabeça de ninguém que uma equipa com orçamento de 30/40 milhões jogue com 2 avançados contra uma equipa que tem um orçamento de 100/120 milhões e que por sua vez joga com... 1!

Quem tem a pachorra de me ler sabe que há meses (anos) que insiro frequentes criticas nos meus textos sobre o modelo 4-4-2. Porque é um modelo de pendor ofensivo e muito dado a sofrer lances de contra ataque. Não é pois novidade que o volte a criticar agora.

No modelo 4-4-2 temos mais um avançado e menos um médio, por muito vai-e-vem que os avançados possam fazer, a estrutura física e mental de um avançado é sempre ser... um avançado. Resulta pois que a distribuição das peças do xadrez é-nos desfavorável perante equipas que jogam em 4-2-3-1 e conseguem ter mais um médio nessa zona do campo, onde nasce o ataque e começa a defesa!

O 4-4-2, o seu natural pendor atacante e os jogadores de grande qualidade, resultam numa pressão alta que encosta o adversário na sua defesa, aumentando o número de unidades defensivas e dificultando as situações de remate. De facto ontem viu-se outra vez, tivemos mais remates mas de menor eficácia, porque os jogadores do Chelsea (os tais dos 100/120 milhões) estavam quase todos dentro da área! Ao invés, com menos remates, o Chelsea teve situações mais “limpas” para alvejar a nossa baliza. Porquê? Porque os nossos jogadores quando perdem a bola ou são desarmados, não podem recuperar no terreno com a mesma eficácia de quem tem a bola. Porque estes correm de frente para a baliza tendo melhor percepção onde podem colocar a bola, e os nossos jogadores não. 

As tais situações de remate à baliza do Benfica, são mais “limpas” para o adversário por erro do modelo e não por erro de posicionamento dos jogadores! (cont.)

quarta-feira, 15 de maio de 2013

O azar dos...erros.

Avatar
 ●  115 comentários  ● 



O Benfica realiza uma boa exibição, demonstrando a qualidade dos jogadores que compõem o seu plantel.
Mas em alta competição, e perante equipas de grande qualidade, os erros pagam-se caros.

Tivemos oportunidades de golo? Sem dúvida. Falhamos. O Chelsea também as teve. Inclusivé uma bola na barra.
Sofremos 2 golos completamente inaceitáveis e fatais perante uma equipa com a qualidade do Chelsea. Sinais que refletem o que também se passou no Dragão, nos descontos.

A falta de treino e rotinas defensivas no Benfica tem sido uma das grandes falhas de Jorge Jesus.  
Só se pensa no ataque, na estratégia atacante e a parte defensiva é relegada para segundo plano. 
Com custos elevados nos momentos críticos.

Fico feliz pela imagem muito boa que o Benfica deixou para o mundo do futebol hoje.
Mérito dos jogadores e do treinador Jorge Jesus.

Mas deixo o festejo do 'troféu moral' para outros. Não embarco nisso.

Este grupo merece uma grande recepção no aeroporto. No post anterior está lá a indicação do vôo.

Nota: Luis Filipe Vieira está a fazer o mesmo que fez com Fernando Santos. Ou pior.

Sou do Benfica e isso me envaidece...

Avatar
 ●  58 comentários  ● 
3h15 voo WI 9101 este é o vôo do Benfica. Todos ao Aeroporto.


A Notícia do Dia

 ●  8 comentários  ● 


Luís Filipe Vieira chegou a acordo com Jorge Jesus para o treinador se manter à frente do Benfica. Segundo o Sol apurou junto de fonte conhecedora do processo, a assinatura do novo contrato não depende do resultado de hoje na final da Liga Europa. 


A mais-valia do trabalho realizado pelo técnico ao longo das últimas quatro temporadas é reconhecida pelo presidente do clube, que já acertou com Jesus os detalhes que vão permitir estender a ligação entre as duas partes, em princípio, por mais duas temporadas. 

O SOL sabe que a oficialização da renovação de contrato está iminente e pode acontecer já amanhã, qualquer que seja o desfecho da final europeia de Amesterdão, frente ao Chelsea.

in Jornal Sol

Entretanto, BRILHANTE análise do Snortinho ao jogo do Chelsea:
Como vai o Chelsea jogar contra o Benfica ?


Como vai o Chelsea jogar contra o Benfica ?

 ●  5 comentários  ● 


O grande tema depois da infeliz noite do passado sábado para os escribas do NGB, não foi se o Jorge Jesus deveria ou não renovar, se deveríamos mandar o Presidente dar uma volta ao bilhar grande e levar o Carraça junto, a 7ª avaliação da Troika ou o 13 de Maio em Fátima. O tema foi :
"Quem vamos convidar para escrever sobre a forma de jogar do Chelsea"


E vários nomes foram lançados em cima do teclado ( sim a malta prefere o teclado do que a mesa ).

Desde o Luís Freitas Lobo, António Tadeia, José Marinho, Pedro Ribeiro, Dani ou o pequeno grande Luís Campos, havia sempre prós e contras e não se chegava a um consenso, até que o Shadows deu um murro no teclado e disse :
"E que tal imitarmos os nossos ex-rivais da 2ª circular, o Sporting, que quando andam tesos apostam na prata da casa ? Já não temos budget para croquetes e minis com torresmos, vamos lançar novamente o Snortinho, como fizemos com o Fenerbahce"
E aqui está o Snortinho para "degustar" lentamente o Chelsea.

O jogo que o Snortinho escolheu para a degustação, foi o Chelsea vs Tottenham da Liga Inglesa.
E para quem já reparou, sim é verdade...Eu falo sobre mim na 3ª pessoa do singular, porque o meu sonho sempre foi ser como o Ricardo "Labreca" ou o Miguel Veloso...Jogadores amadores de Golf que usam aqueles calções coloridos, e andam naqueles carritos brancos a 10 kms/h !!

E começo por vos dizer que o Rafa Benitez ( é aquele badochinha de bochechas rosadas de quem bebeu carrascão espanhol e de bigode e barba "fashion" quem nem assim consegue comer uma bifa às 6 da manhã podre de bêbeda ) é tão cagão como o Jorge Jesus quando joga no Dragão, que até deve ter borrão nas cuecas !! Cuecas sim, porque aquela figura, não pode de maneira nenhuma conhecer os boxers !!

Mas vamos então ao que interessa, depois deste meu momento, tipo substituição de Gaitán por Roderick no Estádio do Dragão....

Com Hazard de fora por lesão e John Terry em dúvida pela mesma razão, a minha aposta do 11 inicial por parte do Chelsea para a Final da Liga Europa é esta :


Se Terry estiver apto, sai Cahill do 11. E Benitez poderá ainda recuar David Luiz para central e colocar o veterano Lampard ao lado de Ramires. Óscar passará do lado direito para o esquerdo pela ausência de Hazard, entrando no 11 inicial, Moses para o flanco direito. Torres será o jogador mais adiantado com o seu compatriota Juan Mata a ser o jogador mais próximo a apoiá-lo. 

Olhando para o esquema táctico dá a entender que o 1x4x2x3x1 é uma 1x4x5x1 a defender. Mas não. É mesmo um típico 1x4x4x2, com Mata a colocar-se ao lado de Torres na 1ª zona de construção do adversário. Ramires e David Luíz são os "tampões" do meio campo e os que mais bolas recuperam, apesar de David quando recupera por vezes não toma as melhores opções, o que faz com que o Chelsea perca novamente a posse de bola.
Azpilicueta no jogo contra o Tottenham, defendeu muito no espaço exterior Gareth Bale, deixando muito espaço para o central Cahill. E Ivanovic quanto tem de se colocar numa acção de cobertura a Cole, cria uma "cratera" onde nem Cahill ao vir para a zona mais central, ou David Luíz por ser o médio defensivo dessa zona, ocupam esse espaço que pode ser aproveitado por uma ruptura de um médio. No caso desta final, na minha opinião será Gaitán que terá que aparecer rompendo por este espaço, ou Enzo.
O Chelsea defende à zona, num bloco médio / baixo. Opta alternadamente por fazer pressão alta, onde David Luíz tem papel fulcral. 
Mas sente-se mais confortável baixando o bloco, esperando pelo adversário e sair em transição rápida.


Como a imagem documenta, 1x4x4x2 e não um 1x4x2x3x1 sem bola. Nota-se o espaço que deixam para jogar entre linhas ( meio campo e defesa ). Jogando à zona, sem pressão alta.

Um ponto fraco no jogo defensivo do Chelsea são as transições ataque / defesa. Quando se encontra no meio campo adversário, em posse e perde a bola, a equipa tem muitos problemas em se colocar correctamente, sobretudo porque Ramires e David Luíz sobem ao mesmo tempo.

No jogo observado, o Tottenham faz o 1 x 1 por Adebayor numa dessas situações, uma transição rápida por parte dos Spurs depois de um canto ofensivo do Chelsea, onde os Blues não conseguiram criar o equilíbrio para evitar o golo da equipa de Villas Boas, como se pode comprovar na imagem em baixo.


Um pormenor a ter em conta pela equipa técnica liderada por Jorge Jesus, já que o Benfica é muito forte neste aspecto.

Por falar em transições ofensivas, as duas equipas finalistas são muito equivalentes neste aspecto. Nenhuma delas se dá muito bem em posse de bola. Não existe no ADN de ambas as equipas a paciência para jogar em posse. São ambas talhadas para as transições rápidas.

E neste aspecto, Juan Mata é figura central de todo o jogo ofensivo do Chelsea.
É a sua primeira opção, sendo a 2ª mais longe no terreno, Torres.
Juan Mata faz jus à camisola 10 que enverga. Marca cantos, livres, e é peça importante no jogo ofensivo do Chelsea. Raramente a bola não passa pelos seus pés. É inteligente, rápido a executar e no deslocamento. Será Matic que se encarregará de não o deixar jogar.

Se o Chelsea se sente pressionado na 1º zona de construção, Ivanovic jogará longo com o seu pé direito ( apesar de jogar no lado esquerdo do corredor central da defesa.
Cech também baterá longo o pontapé de baliza, onde a referência será Torres e com Mata a fazer o movimento nas costas para tentar surpreender o Benfica.

Os laterais acompanham o ataque, e Ramires é o médio a ter atenção nas rupturas, aparece muito bem no espaço. Torres joga sempre fixo entre os centrais, mas por vezes com movimentos para o flanco direito dando largura na transição, para Mata ou Ramires, aparecerem no corredor central.

O Benfica precisa de ter especial atenção nos lances de bola parada, especialmente nos cantos. Torres, Óscar e Cahill ficam na pequena área. Cahill move-se para o 1º pau ( Pau como Carlos Manuel agora diz ), Torres ao centro, e o jovem Óscar ao 2º poste, como Saviola ficava quando jogava entre nós.

Em jeito de conclusão, são duas equipas com esquemas tácticos diferentes, mas com princípios de jogo com algumas semelhanças. Sentem-se melhor jogando em transições rápidas ou contra ataque, do que em ataque organizado, em posse jogando mais em largura a todo o campo.
Não vai ser na minha opinião um jogo que pela sua qualidade ficará na memória de todos, mas sim um jogo emotivo, com oportunidades de golo.
Acredito que ambas as equipas irão marcar golos, mas espero que o Benfica faça mais golos que o Chelsea e saia vencedor.

Já me chega a desilusão do jogo contra o PSV, não pela derrota nos penalties, mas sim aquela imagem de ver os jogadores do Benfica a correrem em velocidade e as chuteiras a saírem-lhes dos pés, pelas meias novas que estavam a usar, ou a derrota com o Milan, num jogo que perdemos mas caímos em pé.

Às 19.45 é de igual para igual, à Benfica! Vencer!

 ●  9 comentários  ● 

Como disse no meu tópico Para que fique registado: Prognóstico GB, o SLBenfica vai vencer o jogo desta noite. Não tenho dúvidas.

Como poucas dúvidas são aquelas que tenho no facto de o Paços Ferreira ir roubar dois pontos ao FCPorto no Domingo, bastando depois cumprirmos a nossa missão imaculada em casa.

Sei que o SLBenfica (como o FCPorto) tudo farão no sentido de assegurar este cenário (o contrário no caso dos corruptos).

Mas como prefiro olhar a um objectivo de cada vez, sobre esta noite, já não há tácticas a rever, modelos de jogo ou estratégias. Perante um Chelsea (convenhamos... isto é nome de gaja!) nem sempre consistente, o SLBenfica só tem que entrar a jogar de igual para igual - quer dizer, na verdade é de superior para inferior, pois estou absolutamente convicto que o Sport Lisboa e Benfica é hoje uma equipa superior ao Chelsea (nome de gaja!!!) FC.

Nesse sentido, ao contrário do que tem vindo nos jornais, não é com uma estratégia semelhante à que utilizámos contra o FCPorto - jogar no erro do adversário - que vamos vencer. É sim com o nosso habitual e temido na Europa... ROLO COMPRESSOR!

Como sugere o "nosso" Nuno Gomes, é "por a carne toda no assador" e ir para cima deles sem medos e com a confiança que vamos só passar em Amesterdão para ir buscar a Taça... e voltar para Portugal para a celebrar com os benfiquistas.

CARREGA BENFICA!

terça-feira, 14 de maio de 2013

O prognóstico do GB já saltou as fronteiras nacionais...

Avatar
 ●  5 comentários  ● 


Virginie Caprice, atriz de filmes pornográficos que no último verão saltou para a ribalta por fazer prognósticos dos resultados no Europeu, deu o seu palpite para a final da Liga Europa, onde defende que o Benfica irá ganhar o Chelsea por 2-1.


Caprice colocou na rede social «Twitter» uma fotografia com o resultado que ela sugere que vai acontecer na final de Amesterdão. - in Pasquim do Serpa.

Para que fique registado: Prognóstico GB

 ●  72 comentários  ● 

Cá estarei para assumir a responsabilidade sobre o que vou escrever:

- Amanhã: SLBenfica vence a Liga Europa por 2-1 com golos de Lima e Salvio (e Demba Ba ou Moses para o Chelsea).

- Domingo: Paços de Ferreira empata 1-1 com o FCPorto, "oferecendo" a o titulo ao SLBenfica, que vence o Moreirense por claros 4-0 e "manda o Inácio" para a 2a Liga.

- Luis Filipe Vieira anuncia a renovação de Jorge Jesus até 2016 antes da Final da Taça de Portugal.


VIVA o Sport Lisboa e Benfica.


Quando anoitece assim, o sonho parece mais perto

 ●  2 comentários  ● 
Lisboa, ontem ao final da tarde, pelo Autor


O céu em Lisboa é encarnado. E em Amesterdão? Força rapazes!

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Triplete

 ●  38 comentários  ● 


Portugal, 13 de Maio de 2013



Perder um jogo com um golo sofrido aos 92mn de 94mn dados pelo árbitro, um jogo que pode significar a derrota do labor, a luta, o querer, a ambição de toda uma época, enfim, não sei se é para rir ou se é para chorar. Tanto mais que a equipa vencedora chegou a esta fase da prova com inúmeras ajudas – habituais – de erros de arbitragem bem complementados com o labor de branqueamento da generalidade da comunicação social, com a SportiTV à cabeça e a falta de reacção da Direcção do Benfica.


Às vezes a vida não é justa dando a sensação que o crime compensa.


Obviamente que nestas alturas há sempre análises absolutamente infalíveis, do que devia ser feito para evitar que tudo isto tivesse acontecido, e que a derrota fosse sempre vitória. E sempre para nós. Invariavelmente, essas análises conduzem aos “últimos” responsáveis do processo, criando movimentos de pressão de opinião pública que, regra geral, conduzem ao seu despedimento ou subalternização. No ano passado foi o Emerson, há dois anos o Roberto. Despedimos mas continuamos a não ganhar a prova principal, apesar de, tal como nos anos anteriores fazermos um conjunto de bons resultados nas provas não organizadas pelas viciadas FPF ou Liga de (alguns) Clubes.


Não resolve os nossos problemas mas é seguramente um instrumento de análise válido considerar que o Benfica, no ano passado, com Emerson, Nolito e Bruno César, fez melhor na Champions que o FCP desta época, e que o Benfica com Melgarejo, Sálvio e Ola Jonh fez melhor na Liga Europa do que o FCP na época passada. E já agora, lembrar que o Benfica empatando com o Moreirense faz a pontuação que o FCP fez na época passada. Se ganhar, ultrapassa essa pontuação do tal FCP de Hulk, e com isso não está garantido o título de campeão.


Posto isto não perceber onde está o problema é um problema de inteligência, ou de falta dela. No Benfica de Vieira, do BES, da Olivedesportos, da PT e dos empresários, há défice de inteligência a gerir os aspectos laterais à equipa, como seja a pressão da comunicação social e a qualidade da arbitragem. Seja intencional, seja involuntário, essa falta de habilidade para lidar com isso é notória e irritante. Pela persistência.

Voltemos ao jogo. O famigerado golo surge com a linha defensiva da equipa muito próxima do meio campo, com os dois defesas laterais subidos no terreno e propícios a levarem com bolas nas suas costas. Porque tínhamos esse posicionamento quando, no cômputo geral, durante o jogo não cometemos esse tipo de erros?


Eu atribuo esse erro defensivo ao principio – ADN - que existe neste clube e é: “no Benfica joga-se sempre para ganhar”. Ninguém é imune a esta ideia, entranhada no presente com as vitórias do passado, nem o treinador, jogadores e demais elementos do corpo técnico, etc. Posto isto o que acontece é que Jesus não foge à regra e tendo a possibilidade de ser campeão não cuidou de manter a equipa com a mesma dinâmica de jogo. Vai daí, apostou em Aimar para o lugar de Ola Jonh aos 83 mn. Podia ter trocado jogador por jogador (Urreta ou Melgarezo), mas entendeu dar um toque de classe e de génio ao nosso meio campo, puxando Enzo Peres para a ala e deixando Aimar como “maestro”. Obviamente fez esta opção porque quis ganhar o jogo, já que Aimar caracteriza-se pelo futebol que tem com a bola nos pés e não quando a bola está com o adversário.


E quis ganhar o jogo, porque no Benfica joga-se sempre para ganhar. Considerar um empate na programação do jogo é visto como falta de coragem. Uma covardia até, como me disse um amigo destas lides quando Koeman apostou num modelo de contenção (embora em 4-4-2) para empatar em casa do Lille na Champions (uso este exemplo muitas vezes porque tudo isto é recorrente no Benfica).


Ou seja, a somar ao teorema “15 mn à Benfica” e “deve jogar sempre o onze de gala” (este é o teorema José Augusto, em sua homenagem) que tão maus resultados deram contra o Estoril por exemplo, temos mais um teorema: “no Benfica joga-se sempre para ganhar”. Não perceber que uma boa parte dos fracassos desportivos do Benfica dos últimos 30 anos assentam nestes 3 teoremas, só serve para mandar embora Emersons e Robertos, para virem outros tomar o seu lugar. Este ano será se calhar o Maxi ou outro qualquer. E para o ano idem.


Claro que se somarmos a estes erros de concepção benfiquista, os erros das arbitragens, temos a explicação para tão pouco lucro de tão grandes investimentos no futebol. É que este FCP devia ter chegado a este jogo com uns 4 a 6 pontos a menos, e nós seguramente com 2 ou 4 a mais. Por exemplo. E a gerir o próximo jogo da Final da Liga Europa...


Mas sabemos que não é assim. Pelo contrário os maus resultados resultantes dos teoremas à Benfica colocaram-nos (em conjunto com os árbitros) nesta situação, e agora está tudo mais difícil para o triplete.


São mais 3 jogos para acabar a época. 3 vitórias farão toda a diferença do mundo...

Lição de humildade

 ●  41 comentários  ● 
Como havia previsto a quente após o jogo com o Estoril o Benfica perdeu no Dragão. Uma previsão que me custou muito ver concretizada mas que veio apenas confirmar a realidade estatística do Benfica contra o Porto naquele estádio.

Se existe algo que muito benfiquista tem que aprender com o jogo de ontem é que é essencial ter humildade. E esta é uma lição que o mais simples adepto até aos membros da Direcção têm que aprender.
Na 6ª-feira apanhei um táxi conduzido por um sportinguista ou portista que vinha completamente desvairado e passou metade da conversa a zurzir nos colegas de trabalho benfiquistas - que o Porto os ia calar no dia seguinte (eu não dei seguimento a conversas sobre bola senão ainda me chateava com o homem e falei sobre assuntos mais consensuais como malhar no Coelho e Gaspar e sobre o tempo).
No entanto, esta situação levou-me a reflectir sobre como muitos benfiquistas vivem o Benfica. Muito sinceramente, eu sou benfiquista mas não me gabo do clube. Prefiro guardar os foguetes para quando há motivos para festejar e não gosto de esfregar na cara de amigos e colegas de outros clubes as "glórias" do meu clube. Acho que é por causa disso que se criam ódios e sentimentos primários contra o clube. Prefiro viver as alegrias do Benfica com quem partilha essas alegrias do que me rir da miséria alheia.
Acordei para a realidade de que muitos benfiquistas (especialmente da zona de Lisboa) não vivem assim o Benfica e pura e simplesmente adoram esfregar na cara dos outros o seu "benfiquismo". Esta atitude é pervasiva e vai desde o mais simples benfiquista até ás altas esferas do clube. Basta ver os festejos totalmente descabidos por parte da equipa técnica e membros do clube após a vitória na Madeira. O campeonato não tinha acabado na Madeira e pelos vistos só acordaram para essa realidade anteontem.

O que me interrogo é de onde vem esta atitude?
Nos últimos 20 anos existe razão para esta fanfarronice depois das repetidas humilhações a que o Benfica foi submetido? Não chegaram estes vinte anos para ganhar alguma humildade??

O Benfica actual não passa de uma caricatura do Benfica de outros tempos. Um Benfica que em 50 anos de história garantiu 9 finais europeias e ganhou três (contando com a Taça Latina). Esse Benfica atingiu esse patamar não com gabarolice, fanfarronice e pavoneando-se nos bons momentos e escondendo-se nos maus mas com uma atitude de conquista, de não contar com as vitórias antes dos jogos estarem jogados.
O que ficou desses tempos infelizmente foram apenas os troféus na vitrine porque a atitude e a postura humilde e trabalhadora para os alcançar - aquilo que verdadeiramente definia o Benfica - perdeu-se.
Claro que eram outros tempos. Tempos em que quem governava o País era um senhor tétrico que incutia nos portugueses que as melhores qualidades eram a modéstia e a frugalidade ao mesmo tempoque estagnou o País no tempo. Mas nessa época, o português era humilde mas sabia que tinha que trabalhar para sobreviver e alcançar o sucesso - estender a mão e pedir subsídios á Europa não era uma opção.

Muita coisa mudou no Benfica desde então, já atravessámos o nosso calvário e o clube está a caminho da recuperação. Mas para completar esse processo falta uma qualidade essencial: humildade. Assumir que todos os adversários são um Cabo das Tormentas á espera de ser ultrapassado e não um simples cruzeiro de verão pelo Mediterrâneo. E essa atitude tem que vir de cima. Luís Filipe Vieira é uma pessoa que subiu a pulso na vida. E essa subida não foi alcançada com gabarolice e a pôr a carroça á frente dos bois. Logo, não esqueça de onde veio e do que teve de suar para chegar onde chegou. Implemente esse espírito de sacrifício no clube porque é isso que está a faltar para darmos o salto.
Acima de tudo ensine isso a quem está na estrutura e pensa que o Benfica é rei do futebol português por legítimo direito. Não é. O Benfica era o clube mais ganhador porque era quem mais lutava pelas vitórias mas esse espírito morreu com os anos 80. Para o Benfica voltar a ser grande é necessário que volte a ser humilde.

Edit. Caros leitores o facto de não haver humildade no Porto é fácilmente justificável: eles ganham títulos.
Nós não temos títulos que justifiquem a basófia que tanta gente, da Direcção a adeptos e sócios demonstram.

A esta responda quem souber mais...

 ●  29 comentários  ● 
Texto para nossa reflexão recebido no email do blog:

"Será que o Benfica não tem, no Paços, algum amigo, ou amigos, como o Porto teve no Nacional e antes no Estoril, que faça os jogadores esfolarem-se para ganhar. 
Lembro que, se o Nacional não tem ganho em Braga, o Paços tinha de ganhar ao Porto. 
Tivessem os jogadores do Nacional corrido tanto na jornada anterior (com o Porto), como no jogo com o Braga!!!.
António Salvador distraiu-se, não foi só o Peseiro, e o Antero entalou-o.  

Mas nós não temos "amigos" desses, já me esquecia, pugnamos pela verdade desportiva!!!.

Já agora, alguém imagina o "marido da Fernanda" a ir ao Brasil a três jornadas do fim do campeonato, com dois pontos a mais que o Benfica, e a não estar presente num jogo crucial?!.
E será que alguém entende, quando se pedia à equipa no jogo com o Porto, determinação, garra, coragem, vontade de vencer, que o presidente veja o jogo, "escondido", no balneário!!!. Que pensamentos tem um jogador quando lá entra, qual a imagem que passa?.
Alguém imagina o "marido da Fernanda" a ver o jogo, na Luz, fechado no balneário???. Algum jogo na Luz ele não esteve no camarote presidencial, á vista de toda a gente?!.

Mas, claro, sou eu que, de tanto querer que o Benfica ganhe, vejo as coisas mal, estamos no bom caminho. 
Melhorámos em muitos aspectos, mas continuamos a falhar nos pormenores, e os jogos e os campeonatos ganham-se, cada vez mais, nos pormenores"

Levantar aquilo que caiu

 ●  4 comentários  ● 

Existem pequenos momentos na vida em que as emoções tomam o controlo total do nosso corpo. Pode ser numa trip fodida de ácido, num grave momento de ansiedade ou quando algo nos provoca um choque emocional.

No mesmo momento em que Jesus caiu de joelhos, todos nós tivemos o mesmo choque emocional, e cada um de nós ajoelhou-se à sua maneira, sem saber sequer o que o seu corpo estava a fazer. Não vi este ajoelhar de Jesus como fraqueza, vi como um momento de choque, daqueles que só são comparáveis à notícia da morte de alguém muito querido, ou de ver a casa a arder ou a ruir.

Tirando a morte de jogadores em campo, não me lembro, em tantos anos a ver futebol, de um momento tão dramático para o Benfica, ou até para outro clube qualquer. Todos sabemos que sofrer um golo naquela altura pode acontecer, mas ter acontecido mesmo, no jogo 29, no campo do rival directo, e depois de tudo o que envolveu esse jogo, só pode ser, a par da morte de Miklos, um dos segundos mais dramáticos de sempre, da história do nosso clube. Se repararem, o pequeno apanha-bolas perdeu o seu segundo de comemoração para olhar, estupefacto, para o nosso treinador. Naquele momento, o petiz percebia que qualquer mito podia cair, e, entristecido, contempla o pior dos lados de um choque emocional provocado pelo Futebol. Ver Jesus, prostrado, dói a qualquer um.

Não sei o que irá acontecer nos próximos dias, estou certo que hoje também terá sido dia de luto para os jogadores, mas estou convicto que o ajoelhar de Jesus não mais foi que um segundo de fraqueza, proporcionado por algo que não lhe foi possível controlar naquele momento. Não vi isto como um 'cair por terra', mas sim um tropeço. E todos sabemos que quando se tropeça, queremos é voltar a andar, e não ficar com a fronha no meio da calçada.

PS: Mas por amor de D10s Aimar, não me venham com o "há que levantar a cabeça", isso já é humilhante por demais.

domingo, 12 de maio de 2013

Luis Filipe Vieira pode ser a solução, ou o nosso maior problema.

Avatar
 ●  36 comentários  ● 


Esta é uma imagem que continuo a não compreender.
Não aceito que o treinador do meu Benfica exteriorize desta forma para o mundo e muito mais importante para o seu grupo, a dias de uma final europeia, o baixar dos braços.

Mas já escrevi sobre Jorge Jesus e o seu papel em mais este falhanço. Mais haverá para dizer, após a final da Liga Europa, sobre o treinador do Benfica.

Mas neste momento interessa analisar o problema que é o presidente do Benfica.
Desde 2005 que o seu papel no Benfica ficou claro. Não quer e não admite ninguém que lhe possa fazer sombra na liderança do futebol.
Quer ser um 'Pinto da Costa', mas sem ter nenhum do 'jogo de cintura' do dirigente do FC Porto e sem perceber que ser presidente do Benfica não passa por imitar ninguém, muito menos esse senhor.

Cometeu um erro no final da época de 2009/2010, quando cedeu em toda a linha às exigências de Jorge Jesus perante a ameaça de partida do treinador para o Porto.
Aceitou pagar um dos mais elevados salários da Europa a um treinador de futebol. Aceitou afastar Rui Costa, hierarquicamente acima de Jorge Jesus, a pedido do treinador.
Aceitou entregar as principais decisões do futebol do Benfica a Jorge Jesus, valendo acima dele apenas a sua própria vontade. 

Cedendo às vontades de DSO na parte financeira, LFV interveio sempre que foi preciso vender alguém.

Até hoje, LFV continua a não entender o seguinte: o Benfica está acima de si. Se assim fosse, já teria há muito entregue a liderança do futebol a quem realmente perceba do jogo. Mas mais que isso. Alguém que seja um líder, que feche a estrutura do futebol ao exterior e que coloque Jorge Jesus no nível em que ele é melhor: como treinador.
Alguém que saiba antecipar problemas, obstáculos, e que crie soluções para eles.
Alguém que tenha carisma e se saiba relacionar com os outros clubes nacionais, coisa que LFV só sabe fazer quando tem negócios com alguém desse clube.
Alguém que consiga ser agregador e que dessa forma combata pela positiva a influência nefasta vinda de outros lados.

Neste aspecto, é imperativo que a Comunicação do departamento de futebol seja totalmente autónoma da Comunicação institucional do Benfica clube.
O responsável pelo futebol deve ter esse controle.

Após anos e anos, continuamos a ter dos piores departamentos de Comunicação que já vi num clube de futebol. Surpreende que alguém como João Gabriel, que já serviu um presidente da República, cometa erros de estagiário. Os timings que escolhe são os piores. 

A oportunidade das intervenções de Luis Filipe Vieira é desastrosa. Todos os anos. 

Luis Filipe Vieira é mal aconselhado? Sem qualquer dúvida! Mas quem tem escolhido os seus conselheiros? O próprio Vieira!

O presidente do Benfica tem tudo nas mãos, como tem tido desde que foi eleito presidente pela primeira vez.

É altura de Luis Filipe Vieira deixar de lado a sua vontade de destaque. Não precisa disso. É presidente de um dos maiores clubes do mundo.

Tem que saber delegar o poder do futebol a quem dele perceba.
Eu sempre defendi o nome de alguém que em tese está neste momento próximo de Vieira. Trata-se de Humberto Coelho. Mesmo na Europa, o presidente do Benfica não procura estabelecer relações com os outros grandes clubes. A não ser que isso envolva outras coisas. E não é disso que o Benfica precisa.

Jorge Jesus não tem capacidade para ser um 'manager' à inglesa. E ao contrário da sua própria opinião, precisa de alguém acima dele e ao mesmo tempo muito próximo de si e que seja o verdadeiro guardião do plantel e da sua equipa técnica.

Se Luis Filipe Vieira não compreender isto e continuar a colocar a sua vaidade e ânsia de ser um 'Pinto da Costa' do Benfica, a renovação com Jorge Jesus não valerá a pena. JJ continuará a cometer os mesmos erros e sem ninguém a ajudá-lo a lidar com os problemas.
E o nosso futebol continuará com Carraças bufos, permeável, desprotegido e sem saber usar um magistério de influência que um clube com a grandeza do Benfica pode ter no futebol português e europeu.

Luis Filipe Vieira, depois da confusão que arranjou com o tema da renovação de Jorge Jesus(um dia essa história será contada), tem que deixar o futebol a quem percebe dele!!! 

Eu fui ao dragao. ..

 ●  21 comentários  ● 
E vi um Porto lento de ideias e processos . Completamente acessível para um Benfica ambicioso. ..vi um público entusiasta que puxava pela sua equipa...vi o Benfica a chegar facilidade à área contrária. ..
JJ deve sair já. ..nem mais um jogo.

Continuo a "Acarditar"

 ●  17 comentários  ● 
Não no título, mas em Jorge Jesus...

Mas também acredito que enquanto não houver complemento ao trabalho de campo, continuaremos a morrer na praia.

Dizer que Jesus falhou tacticamente ontem não faz sentido. O contrario poderia ter sido muito pior, muito melhor... Nunca vamos saber.

O problema não foi o jogo de ontem, nem sequer outros antes.

O problema continua a ser a "cambada" que rodeia o futebol e que são a fonte dos erros estratégicos do Presidente, por serem maus profissionais (para o que o Benfica precisa), mas excelentes influenciadores... Péssimas influencias!

A Comunicação continua a ser das piores que já vi num clube de futebol.

A bazofia é imensa e atenção aos detalhes é inexistente. A capacidade de antecipação de potenciais ameaças ou problemas é zero. A protecção aos nossos jogadores e treinadores, no contexto da imprensa é patética. Tudo isto em oposição à sede de protagonismo e vontade de ser figura de jornais e TVa.

Podem sempre pedir a cabeça do Jesus, como pediram a do Fernando Santos, Trapattoni, Koeman ou outros que tinham tudo para o sucesso, mas que foram vitimas da ineficiente e incapaz estrutura do Benfica.

Por isto mesmo, um título no SLBenfica nunca será (enquanto isto durar) um trabalho de equipa, mas sim obra de um "mestre", de um "David" que sozinho enfrenta organizações coesas, poderosas e competentes, os "Golias" deste futebol.

Um falhanço de Kelvin ontem ditaria, possivelmente o título de Jesus e não o do SLBenfica, por isso mesmo entendo quando Jesus se afirma perante todos e passa a sobranceira imagem que ele é que ganha... É que, infelizmente, é mesmo! Só não percebo como isto não revolta ninguém...

O futuro? Vamos continuar a despejar milhões no futebol, a aumentar brutalmente a divida e o passivo, a fazer umas receitas em vendas que vão tapando o buraco... E lá sacaremos um título ou outro quando tivermos um dos treinadores de rotatividade a ser mais engenhoso.

É isto que querem? Se não é, há que manter Jorge Jesus e fazer uma RENOVAÇÃO quase total na estrutura da SAD, retirando poder a quem não o pode ter, dispensando quem não demonstrou ser parte da solução e trazendo para a estrutura gente que saiba marcar a diferença nas nossas carências de estrutura.

O problema não é Jesus, seguramente, não é Luís Filipe Vieira... Mas sim todos aqueles que ali parasitam e influenciam negativamente o Presidente e dificultam o trabalho de Jesus, obrigando-o a vencer os adversários, os esquemas do futebol... E os incompetentes internos.

Uma certa sobranceria que a derrota de ontem também pune

Avatar
 ●  39 comentários  ● 

Hoje não é dia para se discutir entre benfiquistas. Já chega as discussões que tivemos de ter com os Anti-Benfica, já chega de noite mal dormida, já chega deste amargo sabor a desilusão.

E por isso compreendo e partilho da frustração do meu companheiro de blogue Shadows, e compreendo até a sua análise fria pelos números. O Shadows, tal como eu, e como qualquer outro que escreve ou comenta neste blogue, o que quer é que o Benfica ganhe, seja com o Jesus, seja com o Jaquim ou seja com o Manel.

E como o Shadows gosta muito, muito do Benfica, e corre atrás do Benfica, e gasta dinheiro no Benfica, e vive e respira o Benfica neste blogue, está frustrado, como todos estamos,  deve ter tido uma noite horrível como todos tivemos, e quer na manhã seguinte, resolver o mal pela raiz, identificar o que está mal, e correr com as pessoas que segundo ele são responsáveis por tudo o que está mal (embora nunca pelo que está bem), e trazer outras (que ninguém sabe quem são), que irão seguramente fazer muitíssimo melhor, eventualmente vencer um jogo no Dragão, eventualmente vencer um dos tais jogos decisivos de que o Shadows fala, porque naturalmente, já todos percebemos que os jogos decisivos para o Shadows são sempre aqueles que se perdem, nunca os que se ganham (que são muitos).

Jogo decisivo era com o Estoril em casa. Jogo decisivo porquê? Porque não vencemos, claro. Claro que a vitória no Marítimo não foi decisiva, a vitória com o Sporting não foi decisiva, a vitória em Guimarães também não, e a de Braga muito menos. Esses nunca foram jogos decisivos porque, claro, ganhámos.

Eu não percebo, sinceramente, as criticas ao Benfica do jogo de ontem. O Benfica fez ontem no Dragão um jogo conseguido, um jogo maduro, um jogo que nunca ofereceu perigo para a nossa baliza, exceto no último minuto. Um golo sofrido num auto golo, dois golos oferecidos contra o mesmo Porto no Jogo da Luz por disparates de dois jogadores.

O Benfica não quis ganhar o jogo? Não concordo. O Benfica quis ganhar o jogo mas o resultado e o desenrolar do tempo do jogo jogava a nosso favor. Primeiro que tudo era preciso segurar o ponto, e esperar que numa ou noutra jogada, o contra ataque saísse e matasse o adversário. Saiu poucas vezes, concordo com isso.

Em relação ao Jesus e ao Shadows, é certo que o Shadows nunca foi muito à bola com o Jorge Jesus mas, ultimamente, ele aí estava já como um defensor da renovação, dizendo até, em resposta a um post meu: “Mas JJ tem gerido as coisas de forma muito competente na segunda parte da temporada. 
E este JJ, sim ESTE, merece continuar no clube.”


Temos claro de alterar o que escreveu para “segunda parte da temporada, EXCETUANDO os últimos 2 minutos do jogo do Dragão (jogo que representa fielmente para mim, aquilo que estava a ser uma gestão de jogo competentíssima, tendo até em conta que na quarta feira há uma final europeia para disputar e nem tínhamos tido de suar muito)

Tudo muda de facto, num remate, numa bola no post, num ressalto que entra ou não entra na baliza, e hoje, claro, para o Shadows e para muitos outros seguramente por esse pais fora, é hora de tirar deste blogue a tarja que exige a renovação imediata do treinador Jorge Jesus e colocar uma que exija a imediata contratação de outro treinador qualquer. Seja ele quem for. Que não será seguramente Mourinho nem Guardiola, por isso é mesmo preciso agarrar algum génio que ande por aí perdido, e que seja capaz de garantir em 29 jogos, mais do que  23 vitórias, 5 empates e uma derrota.

Na realidade, muito do que o Shadows diz também é correto, e nestas últimas duas semanas cometeram-se dois erros muito graves: O primeiro, as palavras de Vieira, já, como tanto gosta, a celebrar as coisas antes do tempo. A segunda, a própria celebração da equipa no relvado depois da vitória na Madeira.

No geral, sou sempre contra análises a quente e, vamos esperar pelo fim da época para análises mais elaboradas mas, acho que Jorge Jesus não errou no jogo de ontem, acho que Jorge Jesus falou muitíssimo bem no fim do jogo (tendo em conta o abalo que sofrera minutos antes), assumiu as culpas pela derrota, acho que o Benfica não devia ter cortado em falta todas as jogadas do Porto como o Shadows defende, já que todos perceberam que o perigo para a nossa baliza só poderia vir de bolas paradas, e acho que o ajoelhar de Jorge Jesus no fim do jogo é o ajoelhar de todo o Benfiquista que sente ter morrido na praia uma vez mais. A pressão era imensa (para toda a gente) mas, a maior parte dessa pressão estava nos ombros de Jorge Jesus e, ignorar esse facto é não perceber o óbvio.

E agora? Agora é concentrar-nos no jogo de quarta-feira, e esperar que Vieira puxe das notas para oferecer um prémio de jogo bem chorudo aos jogadores do Paços no jogo de Domingo, para que comam a relva como o Estoril comeu contra nós.

Realmente custa, e custa muito, porque este Porto não joga nada. Mas também é verdade que para alguns Benfiquistas é um castigo merecido, para todos aqueles que por exemplo nunca escondem a cagança e reservam até o Marquês antes do tempo.

Do contacto que vou tendo com outros Benfiquistas, conheço alguns que me dizem que a única coisa boa que advém deste abalo é poderem ver a cara de Rui Gomes da Silva no “O Dia Seguinte” de amanhã.

O  meu pai, antigamente um grande Benfiquista e cada vez mais um que se borrifa para a bola, torceu ontem pelo Porto por causa deste senhor.

Pessoalmente, é um “estilo” com que não me identifico, com que nunca me identifiquei, e de que não gosto, e que tem fomentado e muito o ódio cada vez mais exacerbado ao nosso clube pelos Anti-Benfica nos últimos anos, representado na figura de Rui Gomes da Silva, na gabarolice, no facciosismo, na sobranceria, na falta de humildade, e uma certa arrogância que a derrota de ontem também pune.


ranking