O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 25 de junho de 2011

O Football Manager do Redmoon

Avatar
 ●  19 comentários  ● 
Confesso que não jogo Football Manager, e por isso tenho alguma dificuldade em opinar sobre jogadores que não conheço, isto se partisse do princípio que esse famoso jogo retrata fielmente as potencialidades de cada jogador, o que não me parece que assim aconteça. Sei que aqui há uns anos havia um super craque nesse jogo chamado Mokoena, que pelo que que me parece na vida real teve uma carreira bem modesta.

Por isso, isto de nos armarmos em treinadores de bancada e virmos para aqui opinar e recomendar o plantel ideal da próxima época é um divertimento giro, e eu também gosto de brincar e idealizar um pouco mas, a base científica em que baseamos os nossos critérios de escolha, está corrompida logo à partida.

Está corrompida porque muito pouca gente conhece os Moras, os Nolitos, os Wasses, os Pérez, os Brunos Césares e os Ansaldis que aí vêm. Ah e tal, vimos uns vídeos giros no Youtube, que valem aquilo que valem. Eu no ano passado também vi uns vídeos do Jara na Argentina, e palavra de honra que pensei que o Benfica tinha comprado o Paulo Futre dos anos de ouro. Afinal, pelo que mostrou até agora, ainda pode vir a ser craque mas continua a ser um jogador em crescimento.

O que eu sei, e perdoem-me se estou errado mas foi o que li no jornal Expresso, é que o Benfica comprou até agora 12 jogadores, dez deles a custo zero, tendo comprado apenas os passes de Bruno César e Enzo Pérez. Ou o Benfica fez de facto um excelentíssimo trabalho de prospecção este ano e passou a perna a muitos clubes, ou então, quando um clube adquire dez jogadores a custo zero, faz-me desconfiar da qualidade. Se desses dez se aproveitassem cinco já não era mau.

Por isso, prefiro fazer a minha brincadeira de Football Manager sob uma outra perspectiva, não sobre as análises e recomendações de jogadores contratados e que não conheço, mas sobre o sistema de jogo da equipa, que é aquilo em que acho em que o Benfica precisa realmente de melhorar.

O Benfica falhou o ano passado, entre outras razões evidentemente, por falta de alternativas para cinco lugares chave na equipa: Maxi, Coentão, Gaitan e Sálvio. Cardozo tinha Kardec, mas kardec foi também de uma nulidade extrema. E nesse aspecto penso que o Benfica se precaveu este ano. Não posso ainda avalizar a qualidade de Wass, Perez ou Nolito, mas confiando que são jogadores com qualidade, pelo menos já estamos precavidos em relação a lesões e castigos, o mesmo se aplica a Nélson Oliveira que pode ser uma excelente alternativa a Cardozo.

No entanto, na minha opinião, o principal problema não foi ainda resolvido, e acredito (ou espero) que Jorge Jesus esteja a trabalhar nesse sentido. É que ao Benfica faltam jogadores para o 4-3-3. Há muitos números seis, muitos números dez, mas o número oito escasseia. Pelo que tenho lido, Nolito e Enzo Pérez são mais uma vez dois alas super ofensivos com dificuldade na recuperação, o que juntando a Aimar ou Bruno César, temos mais uma vez um meio campo onde apenas Javi Garcia (ou Matic ou Nuno Coelho) defende.

Se vamos jogar contra o Portimonense, a táctica ofensiva do compressor de Jorge Jesus resulta quase sempre. Mas se vamos para a Liga dos Campeões mais uma vez com esta táctica suicida do podemos marcar 4 golos mas podemos também sofrer 5, é certo e sabido que nos vamos dar mal muitas vezes.

Dito isto, na minha opinião continua a faltar-nos um… Ramirez para o 4-4-2, um jogador diferente de Pérez, Gaitan ou Nolito. No Benfica esse jogador tem sido Peixoto ou Ruben Amorim mas, Peixoto é limitado e Rúben Amorim devia lutar na minha opinião com Maxi pela posição de lateral direito.

Ao Benfica falta também o sistema alternativo, um 4-3-3 forte para se tornar finalmente numa equipa capaz de ombrear com as grandes equipas da Europa e de… Portugal. Falta-nos esse tal Ramirez (será Danilo esse jogador?) para o 4-4-2, e falta-nos um número 8, um jogador como… Tiago (poderá ser Matic?)… para ser o Moutinho do Benfica e ser a ponte entre o Javi ou o Matic e o Aimar ou o Bruno César num 4-3-3, partindo eu do princípio que David Simão e Miguel Rosa são jogadores para se irem integrando aos poucos.

Se não para jogar todos os jogos, acho que Tiago poderia ser um reforço importantíssimo para os jogos mais difíceis, um pouco à semelhança do papel que Park tem no Manchester United. Para além de bom jogador, é experiente, conhece a casa e o campeonato português, não deve custar balúrdios e ainda há poucas semanas disse que gostava de regressar.

E então sim, poderíamos libertar os extremos das missões defensivas e deixá-los fazer aquilo que melhor sabem fazer, manter o 4-4-2 nos jogos mais fáceis com Cardozo e Saviola na frente, e ter então a alternativa a Cardozo, um jogador mais móvel como Saviola, Jara ou… Rodrigo (acho que tem um potencial imenso), para jogar sozinho na frente num 4-3-3.

Isto claro, vale o que vale, vale tanto como qualquer outra sugestão ou post sobre a mesma matéria mas, como o pessoal gosta de brincar ao Football Manager e o Redmoon ainda não tinha brincado, o Redmoon achou que era hora de mostrar o que faria se estivesse na pele do Jorge Jesus.:))))

Partindo claro do princípio do que já tinha escrito há algum tempo: Que este era um Benfica a precisar de retoques e não de revoluções.



27 jogadores

Como as coisas são feitas...

 ●  5 comentários  ● 
... Desenganem-se todos aqueles que acreditam que o Jorge Mendes "arquitectou" a transferência do Villas Boas à revelia de Pinto da Costa (e já agora desenganem-se os que acreditam que Vitor Pereira foi a primeira escolha, porque foi Rui Faria - que recusou).
... Desenganem-se os que acreditam nas transferências milionárias dos jogadores do FCPorto apenas pela "magia" negocial de Pinto da Costa.
... Desenganem-se os que acham que a composição da equipa da CD da Liga de Clubes é feita "por acaso".
... Desenganem-se os que acreditam que Fernando Gomes se aborreceu com Pinto da Costa e por isso foi para a Liga de Clubes.
... Desenganem-se os que acham que Salvador, Alves e Pinto da Costa não compõem com Oliveira, Madaíl, Mendes e Gomes a "troika" que domina o futebol português.
... Desenganem-se os que acreditam que não há clubes "vendidos" a estes "patrões" a troco da permanência na I Divisão.
... Desenganem-se os que consideram que não há presidentes de Clubes a serem "remunerados" para facilitar negócios, para potenciar/valorizar jogadores, etc.

Depois de vários exemplos de "coisas estranhas" conhecidas em transferências de jogadores como P.Ferreira, Anderson, Pepe, Bruno Alves, etc. atentem bem a este exemplo de uma futura transferência de Moutinho, num excelente trabalho apresentado pelo Vermelhovsky no Antitripa:

"Tudo começa no dia 15 de Outubro de 2010. Nas antas era preciso guito e lá se vendeu 37.5% do J. Moutinho a uma empresa qualquer holandesa por 4.125 M€.

Para um jogador com o cláusula de rescisão de 40 milhões, receber pouco mais de 4 milhões por mais de 1/3 do passe parecia muito pouco. Seria de esperar que o clube conseguisse um valor maior, perto dos 6 a 8 milhões, o que valorizaria o jogador para 18 a 24 milhões de euros.

Mas não se vendem assim os passes, sem que fiquem alguns a ganhar. Especialmente os corruptos que há mais de 20 anos gerem aquele clube.

A empresa com quem eles fizeram o negócio chama-se Mamers B.V. e é holandesa. Só tem um accionista que é a "Stichting Mamers" que tem no seu conselho de administração Fernando Duarte Rodrigues Cordeiro (presidente), Fernando Duarte Rodrigues Cordeiro Filho (filho do presidente), António Fernando Maia Moreira de Sá e Flávio Azevedo Moreira de Sá.

António Fernando Moreira de Sá foi eleito para o Conselho Superior dos corruptos e é amigo de longa data de Peidoso da Bosta. O seu filho Flávio, é um ex-jogador da bola que chegou a jogar na 1ª divisão (Rio Ave) em 2004/2005. Seu sonho sempre foi chegar ao FCP, e mesmo com muitos favores, a falta de talento falou mais alto e acabou por desisitir do futebol ainda jovem.

Fernando Duarte Rodrigues Cordeiro é acionista da extinta SLN e foi membro do conselho de superior do BPN. Interessante frisar que já após a intervenção do estado no BPN, este senhor conseguiu que lhe fosse paga uma fatura de mais de 200 mil euros. É sócio em vários negócios e amigo do peito de António Fernando Moreira de Sá, tendo também relações próximas com Rui Moreira, Pintelho da Tosta e Reinaldo pasTeles.

Portanto este fundo é detido por 2 senhores que colocaram na sua administração 2 filhos. O negócio ficou então em familia e o que se sabe, é que se Moutinho for vendido, o fundo lucra muito mais que o Clube Corrupto.

Imaginem por exemplo (por muito ridículo que seja) que o minorca-rebolão é vendido por 25 Milhões de Euros. O Porto depois de pagar 25% das mais valias ao Sporting, os 5% de direitos de formação (ao lagartos e ao Portimonense) e os 37.5% a esta empresa, ficariam com pouco mais de 11.5 M€ que somados aos 4.125 recebidos desta empresa daria cerca de 15,5 M€. Subtraindo os 11 milhões que lhes custou o passe... seria 4.5 M€ de lucro (uma margem de lucro de pouco mais de 20%). Enquanto isso a Mamers B.V. receberia quase 9 M€, tendo um lucro de quase 4.8 M€ (muito mais que 100%) em menos de um ano.

Acreditam vocês que as 2 familias serão as únicas a faturar? Claro que não... Fernando Duarte e António Fernando não passam daquilo a que se chama no Brasil de "Laranjas". Gente que monta negócios de fachada mas em que os lucros são de outros, próximos deles. E neste caso, quem tem mais a lucrar é o tal dirigente que tem uma vida de sultão com ordenado de pedreiro. O tal que oferece casas, automóveis de luxo, joias no valor de milhares de euros... sem que se saiba de onde vem o dinheiro. Ou melhor, não sabem por que não querem ver.

Fiquem bem,
V."

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Tentar ajudar a arrumar a casa

 ●  20 comentários  ● 
Não que concorde com algumas opções tomadas, mas vou assumir como válidas grande parte das decisões tomadas. Até porque, como sócio do SLBenfica, a partir do momento em que são tomadas as decisões... passam a ser minhas também. Isso não implica que concorde com elas, mas implica que saiba conviver com elas.

Assim, e para mais tarde recordar, vou deixar aqui a minha ideia de como organizaria a estrutura e o plantel, face ao actual enquadramento de pessoas e decisões.

O Staff da SAD

Não há volta a dar ao facto de Luis Filipe Vieira ser a linha de responsabilidade directa da estrutura directiva da SAD. Na minha perspectiva deveria ser Rui Costa a liderar o futebol profissional e de formação, ficando Luis Filipe Vieira com um papel supervisor (enquanto Pres. SAD). Como já disse, é fundamental ter a liderar o futebol, alguém do futebol e que sabe e sente o SLBenfica. Luis Filipe Vieira não é essa pessoa em termos de background e seguramente não o é na paixão.

Mas admitindo que não podemos fugir deste centralismo penalizador, o desejável é que seja real o que a comunicação social anuncia de ter Rui Costa num papel decisor em termos de gestão e planeamento do futebol de uma forma macro (contratações, empréstimos, acompanhamento de jogadores, coordenação do scouting, relação com outros clubes, etc.).

António Carraça a assegurar todo o processo operacional do futebol profissional (acompanhamento da equipa, presença no banco, gestão de comunicação, acompanhamento dos jogadores, controlo da actividade extra-futebol, estágios, coordenação com treinador, integração com DIC, comunicação com a SAD, identificação das lacunas, idenficação de soluções a propor à SAD, etc.).

Já o prof. Manuel Sérgio, penso que deve ser mais do que um "espectador" e consultor dos treinadores, neste caso Jorge Jesus - mais tarde vão perceber porque considero o treinador o elo menos relevante da equação "staff". O Prof Manuel Sérgio deve trabalhar sobre a directa responsabilidade de Rui Costa e em perfeita sintonia com António Carraça, sim porque o seu trabalho é mais do que apenas operacional e mais do que apenas direccionado ao dia-a-dia do futebol.

Na minha opinião, Ricardo Lemos (Resp. Comunicação para o futebol) deveria estar sobre a responsabilidade de António Carraça. A coordenação e articulação com a imprensa diária, seja na libertação ou controlo de informação estratégica é importantíssimo que seja muito bem articulada com o Director Geral e mesmo com o responsável pelo DIC.

Sobre a responsabilidade de Rui Costa, deveria estar o scouting do futebol profissional que deveria ter uma estrutura de recursos humanos (scouts) e meios tecnológicos (recolha e tratamento de dados) totalmente independente do futebol de formação.

Por falar em futebol de formação, toda a vertente operacional deveria estar sobre a responsabilidade... do Director Geral, pois é! Do scouting à direcção técnica, passando pela gestão do Caixa Futebol Campus... tudo são vertentes que devem estar na égide do Director Geral de modo a que sejam estruturados e desenvolvidos de foram a servir o futebol profissional e não apenas no intuito de formar jogadores e... "depois logo se vê".

Por fim... o staff técnico. Treinadores, preparadores físicos e observadores são a base da pirâmide, um factor importante de sucesso, alargado por incluir o futebol profissional e a formação e fundamental na perspectiva que é o garante da efectivação em campo de toda a estratégia. Mas...

... pois é, mas! Mas não podem continuar a ser escolhidos "porque sim". Tem que acabar a elevada rotatividade de treinadores, preparadores e observadores fruto de insucessos desportivos. Está nas mãos de Rui Costa e de António Carraça a definição do perfil de treinador do SLBenfica e da metodologia de treino a implementar desde a formação até ao futebol profissional. 60% deste trabalho está feito...

Se olharmos aos clubes mais organizados e estruturados, quase que podemos arriscar dizer que lá qualquer treinador tem sucesso, isto porque a "máquina" funciona com grande autonomia e o treinador só tem que criar as bases técnicas e alinhar com o "rolo compressor" que é a organização do clube, seja na definição das carências do plantel, seja na comunicação para dentro e fora. Chega de "salvadores da pátria"... (por isto é que há pouco disse "neste caso Jorge Jesus"... é que pode claramente ser outro, se tiver as competências definidas pela SAD)

Neste enquadramento, há muito que defendo que a nossa formação deveria ser também uma "escola" de treinadores que pudessem depois evoluir em clubes com modelos de colaboração desportiva com o SLBenfica e, mais tarde, puderem regressar para a estrutura de futebol profissional do SLBenfica. Este modelo garante uma muito melhor continuidade dos projectos desportivos (incluindo modelos tácticos) e muito menores custos e riscos com as vertentes técnicas.

O mesmo se aplica também a preparadores físicos, adjuntos e observadores, onde o clube deverá sempre ter uma palavra a dizer na sua escolha. Obviamente que os treinadores têm a sua equipa de confiança, mas o modelo de mérito e identificação com o clube não podem ser esquecidos e as equipas técnicas têm que ser um misto de escolhas de confiança do treinador e do elementos do Clube. Por outro lado a "escola de treinadores" facilita esse processo na medida em que há uma maior identificação dos recursos com as pessoas, métodos, etc.

O Plantel
Todos sabemos que é preciso começar a cortar naquele número elevado de jogadores. Sabendo que uma parte desses jogadores foram contratados com o objectivo de se valorizarem, é preciso começar por perceber qual a nossa base de potenciação desses jogadores, ou seja, que clubes têm interesse em receber jogadores emprestados pelo SLBenfica para potenciar as suas temporadas desportivas, a troco de imparcialidade neste futebol corrupto vendido aos azuis.

Na minha perspectiva, Rui Costa tem um longo caminho a percorrer porque o futebol português está muito "minado" neste aspecto. Idealmente, penso que deveriamos privilegiar clubes de Lisboa, pela maior facilidade de acompanhamento dos jogadores (Belenenses, Atlético e Estoril estão todos na Liga Orangina). Além destes, Beira-Mar, Paços Ferreira, Olhanense e Guimarães parecem-me ser suficientes para implementar uma estratégia adequada. Acrescentaria apenas, um ou dois clubes no estrangeiro (Espanha e França ou Holanda) para colocação de jogadores a rodar na Europa.

Os jogadores a valorizar devem ser definidos em dois patamares (A, B, C e D) em função da sua etapa de evolução e potencial de atingirem um grau de competência suficientes para integrar o plantel do SLBenfica. Nos jogadores actualmente ligados ao SLBenfica, colocaria então a seguinte divisão:

(A - elevado potencial de integração) - Oblak, Roderick, Leo Kanu, Ruben Pinto, Yartey, André Almeida e Melgarejo.
(B - potencial moderado) - Fabio Faria, André Carvalhas, Leandro Pimenta, Lassana Camará, Bakar, Alípio Brandão, Luis Martins e Jean Silva.
(C - a observar/acompanhar) - Diogo Caramelo, Junior, José Graça, Ademir, Diogo Caramelo, Abel Pereira, José Coelho, Helio Vaz, André Soares.
(D - a dispensar) - Julio César, Filipe Menezes, Fernandez, Shaffer, Eder Luis, Fillipe Bastos, Airton, Weldon, Kardec, Yebda, C.Peixoto e Balboa. Nestes pode igualmente integrar-se aqueles jogadores por quem vejamos com bons olhos uma proposta, atractiva, mas cuja permanência será vista com interesse caso a proposta não surja de forma devidamente compensatória: Roberto, C. Martins, Cardozo, Aimar e Saviola.

Os jogadores dos patamares A e B deveriam ser cedidos em Portugal nas Ligas Zon/Sagres e Orangina, respectivamente. Os jogadores dos patamares C e D deveriam ser colocados em Portugal, na liga Orangina (ou inferiores), no estrangeiro ou mesmo no seu país de origem.

Assim sendo, cá ficam as minhas escolhas para 2011/12 para dar uma ideia ao Jorge Jesus:

GR: Artur Moraes, Moreira e Oblak - Excluo por completo a hipótese Roberto ficar porque entendo que o seu custo e vencimento são demasiado elevados para ficar se não for titular absoluto - o que considero que não tem condições para tal. Julio César entendo que não faz qualquer sentido no SLBenfica quando temos Oblak que pode e deve evoluir ao mais alto nível.

DEF: Wass e Maxi Pereira; Luisão, Dedé (5M€ abatidos com venda de Eder e Bastos?), Miguel Victor e Jardel; José Angel (5M€?) e Carole. - Assumo a saída de Coentrão como uma questão de tempo, considero Kanu demasiado "verde" para jogar no SLBenfica e reitero que Miguel Victor é hoje muito melhor jogador que Roderick.

MED: Ruben Amorim, Javi Garcia, Matic e Nuno Coelho; Bruno César, Gaitan, David Simão, Miguel Rosa, Enzo Perez, Salvio ou Danilo (7 a 9 M€), Nolito e Urreta. - Considero precipitada a incorporação de Ruben Pinto (quando temos David Simão e Miguel Rosa) e reitero a minha opção pela procura de um bom negócio por Aimar, não podemos ter um grande jogador (que é) a jogar apenas 60min e a descansar um jogo em cada quatro, ganhando 150mil/mês limpos.

AV: Nelson Oliveira, Rodrigo, Mora, Jara, Cardozo e Saviola. - Assumindo que é complicado alguém dar 20M pelo Cardozo, um jogador que "factura" como ele não deve sair por menos que isso. Salvo apareçam 20M (mínimo) entendo que não deve sair, apesar de eu não me rever minimamente nas suas competências. Saviola para mim tem o mesmo enquadramento de Aimar. Se sairem, têm que entrar dois novos jogadores para esta posição, ou pelo menos um, dado que a função de Saviola pode ser feita também por Salvio, Enzo Perez ou mesmo Gaitan.

Tréguas à crítica, até ver!

 ●  Sem comentários  ● 
Tal qual a generalidade dos benfiquistas, a cada início de temporada sou imbuído de nova esperança. Independentemente dos antecedentes, das decisões difíceis de compreender e dos exageros nas aquisições, até ver entro em tréguas... As decisões estão tomadas, não há muito a observar! Com respeito por quem opta por esse caminho, também acredito que exercícios "a la" FM são pouco importantes. Vamos deixar, para já, esse trabalho a quem de direito.

Mesmo sabendo que a entrada de quatro jovens da formação é uma imposição legal, tenho esperança que esses mesmos 4 mosqueteiros sejam parte de um futuro radioso do Benfica! Tenho esperança que JJ ultrapasse as burrices da época passada e que este ano o SLB entre forte e confiante. Cardozo, se a dinâmica da equipa o permitir, irá marcar no mínimo uns 35 golos! O nosso guarda-redes vai ser de confiança! E as nossas novas camisolas vão inspirar todos os jogadores a serem melhores! E os melhores! É o nosso lugar!

Até a decisão de dar a Aimar o posto de subcapitão é positiva! É um belíssimo jogador, um profissional a 100% e de uma inteligência acima da média! Espero que seja um exemplo para os miúdos! Aliás, na minha opinião, Pablo Aimar daria um bom treinador! Renovar no final da época? Se ele o quiser, temos ali um grande capital humano, a não desperdiçar!

A minha expectatica corresponde claramente só à grandeza do meu clube! Assim, o percebam os jogadores e dirigentes do Sport Lisboa e Benfica!

A melhor contratação do SLBenfica?

 ●  8 comentários  ● 
Quem é, até ao momento, a melhor contratação do SLBenfica?

António Carraça?
Manuel Sérgio?

Artur Moraes?
André Almeida?
David Simão, Miguel Rosa, Nélson Oliveira e Ruben Pinto?
Melgarejo?
Bruno César?
Nuno Coelho?
Matic?
Nolito?
Enzo Perez?
Permanência de Aimar?
Permanência de Cardozo?


E quem falta ao plantel? Algum dos nomes já falados ou alguém que entendem que ainda não apareceu, quem?

Ansaldi?
Witsel?
Danilo?
Ruiz?
Dedé?
Garay?
Sarabia?

Por fim, quem está a mais que ainda não saiu?

Oblak?
Julio César?
Peixoto?
Miguel Victor?
Roderick?
Shaffer?
Fernandez?
Carlos Martins?
Weldon?

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Balanço das modalidades de pavilhão II

 ●  2 comentários  ● 
Portugal, 23 de Junho de 2011

Na continuação da avaliação dos resultados obtidos pelas modalidades de pavilhão na época que agora findou, hoje debruço-me sobre as duas modalidades que ficaram claramente abaixo das expectativas: o Vólei e o Futsal.

Vólei – desempenho mediano. Nota 3+. Vitória na Taça de Portugal frente ao Sp. Espinho, derrota no playoff do título com o AJ Bastardo. Se há modalidade em que fica evidente que uma equipa pode ser melhor que as outras mas não ser campeã porque falhou nos derradeiros episódios da época, o Vólei do Benfica é o exemplo por excelência. Fomos claramente melhores na fase regular. Fomos claramente melhores na 2ª fase. Tivemos apenas 2 derrotas no conjunto destas duas fases. Contudo perdemos o título, uma semana depois de vencermos com clareza (embora com dificuldades) a Taça por 3-0 frente a uma equipa de mais pergaminhos na modalidade, o Sp. Espinho. Terá funcionado algum excesso de confiança que se transformou em sobranceria? Julgo que sim. Vi parte do 1º jogo do playoff, que eprdemos por 1-3, e em dois dos sets, o resultado ultrapassou os 25, tendo a nossa equipa tido algumas bolas de set. Que não concretizou. Por ansiedade? Creio que sim. A sobranceria é inimiga da concentração e estimula a ansiedade dos jogadores.

Recordo que na época passada, o treinador Jardim afirmou antes da final da Taça, que íamos a Coimbra ganhar a Taça para a dedicar aos adeptos. O blá, blá do costume. Resultado: perdemos 3-1 com o Castelo da Maia. Curiosamente após essa derrota, começamos bem o playoff do título, à melhor de 5, e ganhamos os 2 primeiros jogos ao Espinho. Neste caso, penso que a sobranceria foi derrotada na Taça e a equipa foi humilde e competitiva no playoff do título, aproximando-se do seu real valor.

A sobranceria ou a falta de humildade é uma característica que frequentemente existe entre nós, seja pela facilidade como vencemos as fases regulares, seja pela natureza da nossa história, seja pela conjugação das duas.

Futsal – desempenho mediano. Nota 3-. Não dou nota negativa porque estivemos nas 4 finais que podíamos estar: UEFA Futsal Cup, Taça, Campeonato e Taça intercontinental (esta por estatuto). Falhamos apenas a Supertaça por não termos ganho nem o Campeonato nem a Taça. Se está banalizada a afirmação que as “finais são para ganhar”, também não é menos verdade que para as ganhar é preciso estar lá, ou seja, é preciso fazer um longo caminho de sucesso. E nós fizemo-lo no Campeonato (vencedores da fase regular sem derrotas).

Tenho uma certa dificuldade em falar do Futsal porque pensei que podíamos ganhar no mínimo o campeonato. Depois, vendo bem, os números devem fazer-nos reflectir. Nos dois últimos anos, um com Ricardinho e André Lima a treinador, outro com o treinador campeão no SCP mas sem Ricardinho, fizemos 7 jogos com o SCP na final do playoff. Ganhamos 1 jogo! Nos restantes, estivemos em vantagem por 4 vezes. Em 3 delas, a vantagem vigorava nos últimos 5 mn. Acabamos por empatar todos estes jogos, perdendo-os no critério de desempate: prolongamento ou penaltys. 4: é obra.

Mas se contabilizarmos as duas finais da Taça perdidas, frente a Belenenses e SCP, estamos na mesma: 2 empates que no prolongamento deram derrotas. A diferença é que com o SCP fomos nós a recuperar de 0-2 para 2-2 nos últimos segundos. Raro.

Se incluirmos o último título conquistado, 3-2 frente ao Belenenses, percebemos que as nossas vitórias dão muito trabalho. O Belenenses podia, inclusivamente ter ganho o título no jogo 4, em sua casa, mas aí o Benfica deu uma resposta de campeão e depois de estar a perder 3-0, ganhamos 6-3. Mas não são dificuldades a mais? Acho que são ...

A minha opinião é que (1) o Benfica não sabe defender, os jogadores são “formatados” durante toda a época, pela cultura reinante do clube, de ganhar pelo ataque e não pelo equilíbrio entre os processos defensivos e atacantes, (2) os jogadores do Benfica não são duros a meter o pé nos processos defensivos e (3) houve alguma sobranceria, mas ao contrário do Vólei, aqui a sobranceria foi activa. Foi assumida no discurso de alguns intervenientes. Destaco o Davi que afirmou que queria ser campeão em Loures.

Os resultados obtidos no Futsal deviam fazer-nos pensar sobre se o problema é o modelo de jogo, se são os jogadores, se é a cultura reinante no clube que prepara de forma errada a mentalidade dos jogadores.
E neste ultimo aspecto, a interferência da Benfica TV deve ser ponderada. Não me parece correcto, para a questão da concentração, fazerem longos programas antes das competições. Depois delas sim. Antes, nunca.

O homem certo no lugar certo

Avatar
 ●  17 comentários  ● 
Aqueles que vão acompanhando o que neste blogue se vai escrevendo, sabem que tenho sido desde o inicio um admirador de Jorge Jesus, continuando a defender a 100% a sua permanência no clube, apesar de alguns defeitos que também tem, nomeadamente a fanfarronice e as limitações do discurso, que muitas vezes o comprometem, arrastando com ele toda a instituição.

Mas este post vem a propósito das dezenas de comentários e de alguns posts que já li, salientando a arrogância de Jorge Jesus, por, vá lá saber-se porquê, não contar com Nuno Gomes nem Miguel Vitor para a próxima época. Arrogante porque, segundo os críticos, sobrepõe a sua vontade à do clube que, tal direcção submissa, não tem tomates para chamar JJ à razão.

Eu quero dizer que neste caso, a minha posição não tem sequer só a ver com o Jorge Jesus. Tem a ver com todos os treinadores de futebol com categoria suficiente para fazerem impor as suas ideias, para terem legitimidade para escolher aqueles com quem querem ir à luta. Sim, porque se há alguém na estrutura de um clube que deve de facto tentar impor ao máximo as suas ideias (porque só isso dará depois legitimidade às direcções para apontar o dedo) são os treinadores, porque são também eles que ao fim de dois ou três resultados negativos são corridos, varridos, muitas vezes destruídos, e culpados de tudo aquilo que a equipa não foi capaz de produzir.

Mourinho foi arrogante quando chegou a Madrid e disse que não contava com Raul nem com Gutti? Adrianse foi arrogante quando chegou ao Porto e disse que num esquema com 3 defesas precisava de um central rápido e que, por isso, Jorge Costa não entrava nas suas contas? Não acabou no Charlton com o aval (talvez contrariado) de Pinto da Costa?

Se um treinador tem as suas ideias, se é seguramente o primeiro responsável pelo sucesso ou o insucesso das equipas, se os treinadores são contratados por direcções, depois de dezenas de reuniões onde as ideias de cada um são conhecidas, se uma direcção entende que confia e deve apoiar esse treinador, estamos a falar de arrogância quando um treinador toma as decisões que são da sua competência?

Arrogância por um treinador se manter fiel às suas ideias, por se ter praticamente recusado a trabalhar com Mantorras que passou na Luz não sei quantos anos a "mamar", transformado (imposto) pelo padrinho Vieira na coqueluche da equipa, incapaz porém de dar três pontapés numa bola?

Jorge Jesus arrogante porquê? Por não abdicar de 4 torres na equipa, dois centrais, um trinco e um avançado, preferencialmente todos com mais de metro e noventa, onde Miguel Vitor não se enquadra? Por precisar das torres para os lances de bola parada onde costuma ser letal e para compensar os outros 5 jogadores de campo que têm pouco mais de metro e sessenta? Podemos discordar mas, não é legítimo?

Jorge Jesus arrogante porquê? Porque futebolisticamente não contava com Nuno Gomes? Tenho muito respeito pelo Nuno mas, caramba, será que o Nuno alguma vez foi um jogador acima da média, um ponta de lança à Benfica, apesar dos seus anos de casa? E não explicou JJ no último sábado, que apostou mais em Kardec do que em Nuno porque Kardec era uma aposta de futuro, e que no esquema em que o Benfica jogava, Kardec era o jogador mais parecido que tinha com Cardozo? Tudo isto não é legitimo? Ele que inclusivamente, fez questão de colocar Nuno Gomes em campo no último jogo da época, ainda aleijado para que recebesse os aplausos do público, sabendo de antemão que essa entrada do capitão talvez nos viesse a custar mais dois pontos como custou?

No país do fado é que há sempre tristezas e dívidas de gratidão, e sentimentalismos levados ao extremo. Vão lá ver se o Zola ficou no Chelsea, se o Raul ficou em Mardrid, se o Jorge Costa ficou no Porto, se o Scholes ou o Nevile ficam agora em Manchester, ou se o Maldini ficou em Milão. Em Portugal é sempre a merda das dívidas de gratidão a gente que chega aos trinta anos milionária... Acaba a carreira, não faz falta ao clube mas inventa-se um posto qualquer na hierarquia do clube onde possa encaixar, de preferência sem atropelar ninguém, para que passe a mística aos miúdos, enquanto o clube continua a pagar. Isto é o que eu chamo amadorismo, porque a mística passa-se de várias formas, passa-se até com estrangeiros como Aimares e Luisões, e passa-se especialmente com vitórias e estádios cheios.

Depois, se se gosta mais do que um jogador do que outro, ou se se gosta mais ou menos de Jorge Jesus, isso é outra questão. Eu pessoalmente gosto, apesar de, como já disse, ter defeitos que pode e deveria fazer um esforço por corrigir. Em dois anos conquistámos três títulos, coisa que já não acontecia há séculos; em ano e meio Jorge Jesus potenciou 80 milhões de euros em vendas que também já não acontecia há séculos, e futebol de qualidade também tenho visto, o que, infelizmente, também já não via… há séculos, exceptuando um período com Fernando Santos.

Tenho pois razão para estar optimista com mais uma época com Jorge Jesus à frente dos destinos da equipa. E já agora, a talhe de foice, já que já li aqui comentários do género de que o “Quique Flores” é que era bom, e que até a explosão do Di Maria, do Cardozo e do David Luiz, foi mérito do trabalho específico do Quique e não de Jesus… Sinceramente, não sei que merda de trabalho específico foi esse já que o David Luiz jogava a defesa esquerdo, o Cardozo não jogava, e o extremo esquerdo do Quique era Reyes que só não ficou na Luz por mais 5 milhões porque o Quique foi embora. Essa de pôr 6 quilos de massa muscular no Di Maria, convenhamos… Esse é trabalho de laboratório, é prática normal nos clubes imediatamente desde o momento que chegam…

Dizer-se que foi Quique que potenciou Di Maria não é justo, porque se houve alguém que assim que chegou a Luz disse imediatamente (até contra a vontade dos adeptos) que não precisava de gastar 5 milhões no Reyes porque tinha Di Maria, foi Jorge Jesus. Dêmos pois o mérito a quem o tem. Não tarda nada ainda vão dizer que o mérito da explosão do Fábio Coentrão é do trabalho específico do... Carlos Brito.

... E uma excelente notícia

 ●  2 comentários  ● 
Depois de anunciar há pouco o que considero serem Um erro tremendo e uma dúvida já habitual, aparece-nos agora uma excelente notícia.

Há dias o SouBenfica achou, legitimamente face às informações que circulavam, que tinhamos sido Ultrapassados pelo Sporting no que diz respeito à oportunidade de fazer uma parceria com o Atlético Clube de Portugal para o seu regresso ao futebol profissional.

Tanto Lisboa, como os clubes de Lisboa, precisam do Atlético (como do Belenenses ou do Estoril, para já não falar do Estrela da Amadora) não apenas no futebol profissional, mas na primeira divisão.

A Bola anuncia hoje uma parceria do SLBenfica com o Altético Clube de Portugal, e já ontem tinha sido dado conta dos empréstimos de José Coelho, Abel Pereira e Hélio Vaz.

Excelente notícia, assim seja possível potenciar o Clube e os atletas emprestados ao invés de repetir o erro que foi efectuado com Fátima ao "despejar" para lá um contentor de jogadores, algo que o Presidente do Atlético já disse não estar interessado.

Confesso que estes jogadores, que não têm qualidade para integrar o SLBenfica no futuro, não seriam a minha principal aposta para esta parceria, mas vamos ver como evolui.

É portanto uma excelente notícia para equilibrar o que considero ser Um erro tremendo e uma dúvida já habitual

Um erro tremendo e uma dúvida já habitual

 ●  6 comentários  ● 
O erro tremendo: A dispensa de Miguel Victor
A dúvida habitual: Os 400.000€ ao Varzim

Vamos começar pelo Varzim. Há uns meses foi anunciado com pompa e circunstância um protocolo do SLBenfica com o Varzim, que a troco de 400.000€ nos dava direito de preferência sobre um lote de jogadores do clube do norte do plantel e da formação.

Volvidos (poucos) meses, o Varzim desceu à 2a B (nem sequer é atractivo para colocar jogadores) e está a vender/libertar os seus melhores jogadores para equipas da I Divisão, quando há pouco tempo até o presidente do Varzim anunciava um acordo de 250.000€ para a transferência de três jogadores que estavam ao abrigo do tal protocolo.

A minha dúvida é simples e penso que legítima: Para que servem os 400.000€ investidos no Varzim (já nem vou colocar em questão se os 250.000€ seriam deduzidos ou acrescidos ao protocolo)? Qual o benefício do SLBenfica neste protocolo? Pagámos, seja quanto for, pelo quê?


Sobre o erro tremendo que considero ser a dispensa de Miguel Victor, diria que Jorge Jesus está a ser igual a si próprio (burro teimoso como foi com Nuno Gomes) e infelizmente parece que ninguém da estrutura do SLBenfica lhe chama à razão.

Mito 1 - O tamanho
Alegadamente é o principal, se calhar único, motivo pelo qual o Jorge Jesus não gosta do Miguel Victor. Sobre isto vou deixar-vos uma nota muito breve com uma comparação: O Sidnei tem 1,88m e o Jardel 1,92 enquanto o Miguel Vitor 1,83m, curiosamente, como ficou provado no Championship (onde disputava o Leicester), ele com 1,83m chega onde os jogadores mais altos por vezes não chegam. O Puyol, um dos melhores do Mundo tem 1,78m, pelo que seguramente que a altura não é assim tão determinante se compensada.

Mito 2- A qualidade
E por falar em compensar, gostava apenas de pedir um exercício de memória aos que se lembram da estreia do Miguel Victor no SLBenfica. Liga dos Campeões, jogos com ACMilan e Copenhaga, depois de uma estreia dias antes para a Liga com o Guimarães.

Mito 3- Inferior a Roderick
A todos os que consideram o Roderick um jogador que já justifica a presença no plantel principal sem nunca ter jogado de forma regular no futebol sénior, tentem só lembrar-se da actuação do Miguel Victor (ainda a cheirar a leite) em San Siro perante senhores como Inzaghi, Pirlo e Companhia. Não foi obra do acaso, seguramente.

Na minha opinião, como entendo que o Nuno Gomes devia ter ficado neste plantel e ter oportunidades para jogar porque tem qualidade, também entendo que o Miguel Victor deveria ser o terceiro central do SLBenfica, à frente de Jardel e com Roderick emprestado a um clube da I Liga onde pudesse ser titular com regularidade. O puto Roderick virá possivelmente a ser um excelente jogador... mas ainda não é.

Mas pelos vistos... quem manda não quer intervir, ou acha que o Jesus manda, mesmo quando está evidentemente errado.

Manto Sagrado para 2011/2012

 ●  2 comentários  ● 
Este é o equipamento principal mais belo que o Benfica teve desde o equipamento do centenário. E os sócios e adeptos têm que estar particularmente orgulhosos pois este equipamento surgiu pela sua pressão para acabar com aquele rídiculo quadrado azul que conspurcou as camisolas dos anos anteriores.

Finalmente um equipamento que respeita a tradição do clube!
Agora se o equipamento alternativo tivesse sido branco então esta seria a época em que o Benfica ficaria mais bem servido...

Por isso deixo aqui uma sugestão á Direcção:
Tal como o Sporting tem o equipamento Stromp além do equipamento alternativo o Benfica devia criar um terceiro equipamento - o tradicional branco - e usá-lo para homenagear alguém que honrou o Benfica pela sua dedicação ao clube dentro do campo ou fora dele. Porque não fazer um equipamento branco denominado Equipamento Bogalho ou Equipamento Torres por exemplo. Claro que o nome não é tão chique como "Stromp" mas o Benfica é clube do povo. Um Torres ou um Bogalho só representam ainda melhor quem mais fez crescer o clube (bonito mesmo seria chamá-lo de Equipamento Ferreira).

Posição musculada

 ●  8 comentários  ● 
Depois das notícias sórdidas de 26 a 30 de Maio a lançar o espectro de novas falcatruas financeiras no Benfica pela parte dos jornais do Grupo Cofina e Olivedesportos praticamente que deixaram de haver desenvolvimentos sobre os resultados das averiguações da PJ. Como nada mais veio a lume a pôr em causa a Direcção encarnada é razoável assumir que de facto as averiguações tinham somente a ver com o Belenenses.

Por isso é com agrado que vejo que o Benfica e a sua Direcção decidiram pela primeira vez em muito tempo assumir uma posição de força sobre quem quer manchar o bom nome do clube.
 A SAD do Benfica, o presidente Luís Filipe Vieira e os outros quatro administradores pedem um total de 132 milhões de euros de indemnização a três empresas de comunicação social, três jornais, três directores e seis jornalistas.
 Colocando vários intervenientes em como alvo em múltiplos processos judiciais leva a que a pandilha nojenta e corrupta que executou este ataque ao clube vai ter muita água pela barba nos próximos tempos.
 E agora os comparsas Cofina e Oliveirinha lá vão ter que arranjar novo esquema para tentar vergar o Benfica a renovar contrato dos direitos de transmissão televisiva com o Oliveira pelos valores que ele quer.

Fica apenas o registo que reacções destas deviam ser a norma não só quando o bom nome dos dirigentes do clube são postos em causa mas em situações em que a honra do clube, a integridade física dos jogadores e/ou adeptos são também colocados em causa como tantas vezes aconteceu durante esta época nos relvados do Dragão e da Pedreira, ou na repressão policial digna do Estado Novo que se verificou nos arredores do Estádio da Luz.
Espero que esta mudança de atitude seja regra durante esta próxima época.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Menos Dois!

 ●  6 comentários  ● 
Kardec e Weldon nem aqueceram os novos equipamentos de treino... já eram! Boas noticias!

NEXT!

Orgulho Benfiquista

 ●  7 comentários  ● 


O orgulho Benfiquista está bem presente em toda a blogsfera benfiquista. Estas foram, talvez, as contratações que mais e melhor entusiasmaram os benfiquistas nos últimos anos. Que sirva de lição a quem lidera o nosso clube e a quem lidera o plantel. Obrigado ao JJD pela divulgação do video.

Reparem bem na diferença de discurso destes jovens quando comparado com as centenas de sul-americanos que têm chegado. QUE ORGULHO!!!!

No que me diz respeito, serão os jogadores mais acarinhados e acompanhados por mim. Todos aqueles pedidos recorrentes de adaptação, do tempo, etc. ficarão todos dedicados para eles! MERECEM!

terça-feira, 21 de junho de 2011

O futuro do SLB? Oxalá...

 ●  5 comentários  ● 
Estes miúdos já provaram ter capacidade! Precisam agora tempo para crescer, dentro do Benfica! Qualidade para vingar não lhes falta, já amadureceram um pouco. Agora só precisam de uma época a treinar lado a lado com Aimar, Javi Garcia, etc! E terem umas oportunidades ocassionais! Para em 2012/13 explodirem em definitivo! Não podemos é esperar que sejam craques à primeira! Deixem-nos crescer, naturalmente e sem pressa! E veremos como não nos arrependemos! Espero que este seja mesmo o caminho de futuro do SLB! Se assim for, o meu optimismo aumenta! E muito!

PS: Por falar em futuro, Yartey tem tudo para ser apresentado na próxima da época! O empréstimo ao Servette não me parece boa ideia. Tem o positivo de ir trabalhar com João Alves. Por outro lado, prefiro sempre os empréstimos na Liga. Por dois motivos: habitua-se às "manhas" dos defesas em Portugal e há os chamados "ganhos extra 4 linhas". Viram o Carlos Pereira a vir ao Porto, possivelmente, ao beija-mão?

Vitor Pereira? O dos árbitros?

 ●  2 comentários  ● 
Vitor Pereira, que já estava ligado ao FCPorto, é o novo treinador principal. Juro que inicialmente pensei que finalmente fossem assumir a ligação do FCPorto ao "orientador" do melhor plantel que o FCPorto tem (Os Árbitros), mas não... ainda há vergonha e essa ligação vai continuar escondida à vista de todos e é "outro" Vitor Pereira.

Assim pelo menos o Pinto da Costa já não vai mentir quando disser o nome do responsável pelos sucessos do FCPorto.

Entretanto, o SLBenfica já colocou hoje o Filipe Menezes (emprestado ao Botafogo), Yartey (emprestado ao Servette de João Alves), José Fernandez (emprestado ao Independiente) e o empresário de Melgarejo assume que o empréstimo será o caminho desta aposta de futuro - ele prefere na Argentina, eu preferia em Portugal. Ainda faltam muitos.

Siga a avaliação das modalidades pelo Eagle01 em: Balanço das modalidades de pavilhão I

Balanço das modalidades de pavilhão I

 ●  3 comentários  ● 
Portugal, 20 de Junho de 2011

Com a perda do título de campeão no Futsal, terminou a época das modalidades de pavilhão. Despretensiosamente, faço o seguinte balanço.

Em termos globais, creio que tivemos uma época razoável. Atrevo-me a dar uma nota 4, numa escala de 0 a 5. Foram muitos os troféus ganhos, foram muitas as finais disputadas, foram alguns bons resultados nas competições europeias.

Apreciando modalidade a modalidade, há naturalmente umas que estiveram melhor que outras. Começando de cima para baixo, das que considero terem-se portado melhor para as que se portaram pior:

Hóquei em Patins – excelente desempenho. Nota 4+. Vitórias na Supertaça frente ao FCP e na Taça CERS.
Terminado o campeonato com os mesmos pontos que o vencedor, não fomos campeões pelo critério de desempate dos resultados directos, já que em goal-average fomos a melhor equipa.
Na ressaca da perda do título fomos eliminados da “Final Four” da Taça de Portugal, em grandes penalidades pelo Candelária, finalista vencido do troféu. O campeão FCP ficou-se pelo título de campeão, o título da regularidade de como se é ajudado pelas arbitragens, e mais nada. Sinal que os tempos estão a mudar e quem sabe já na próxima época, interrompemos a senda de vitórias do adversário.

Andebol – excelente desempenho. Nota 4+. Vitória na Supertaça (eliminando FCP, SCP e na final o Águas Santas), vitória na Taça de Portugal (eliminando FCP e Madeira SAD na final), 1ª final europeia (Taça Challenge, derrotados) e 4º lugar no campeonato.
A menos boa combatividade no campeonato deveu-se aos muitos jogos disputados na competição europeia, ao contrário de todos os nossos adversários que ficaram à nossa frente na classificação.
Deve ser referido, para comparação, que na época passada ficamos em 2º lugar no campeonato e não vencemos qualquer troféu. Já o SCP por exemplo, ganhou a mesma Taça Challenge, mas ficou em 6º no campeonato e foi derrotado na final da Taça de Portugal pelo Xico Andebol.

Basquetebol – bom desempenho. Nota 4. Vitórias na Taça Hugo Santos e Supertaça, ambas frente ao FCP que se sagrou campeão.
Boa resistência na final do Playoff onde chegamos com 1 derrota tal como no ano passado. O factor casa foi-nos adverso e acabou por decidir o campeão. Mas gostava que um dia o Benfica fosse campeão num terreno tão hostil como o do pavilhão do FCP, onde 1600 adeptos não serão mais ruidosos que os mais de 25 mil que presenciaram a derrota que custou o título aos Miami Heat em casa frente aos Dallas Mavericks. Realce também para a participação na Supertaça Compal onde apesar de ficarmos em último, oferecemos muita resistência às equipas angolanas, as quais só nos venceram no prolongamento (ao contrário do FCP que perdeu sempre no tempo regulamentar).
Realce também para a participação na Eurochallenge, onde chegamos aos últimos 16, o que é sempre uma marca positiva mesmo considerando que esta é a prova de menor dificuldade a nível europeu. Destaco a caminhada de um dos nossos adversários, o Lukoil da 1ª fase, que chegou às meias-finais tendo sido eliminado da final por 2-1. O Ventspils ficou nos quartos de final por 2-1. O Gravellines também mas por 2-0.
Ponto negativo a eliminação da Taça em casa frente ao Guimarães e as 5 derrotas na fase regular.

No próximo texto darei as minhas opiniões sobre as duas modalidades menos bem sucedidas, o Vólei e o Futsal.

Próxima Temporada? Muito, mas muito Optimista!

 ●  18 comentários  ● 
Volto a reforçar o que já disse antes, há umas semanas: Estou muito optimista para a próxima temporada. Obviamente que há algumas questões, muitas, com as quais não me identifico e nas quais tenho dificuldades em rever-me. Há, obviamente, muitas diferenças entre as ideias que tenho para o SLBenfica e aquilo que é a conduta, atitude e postura do nosso Presidente, ao ponto de referir que se não aparecer uma solução melhor em Outubro de 2012, voltarei a votar em branco.

Posto isto, é hora de vos explicar porque não devemos confundir diferenças de opinião com optimismo na próxima temporada.

Começar por algo que me enche de orgulho, serão hoje apresentados às 18.00 como reforços da equipa para 2011/12, quatro atletas formados no SLBenfica. David Simão, Miguel Rosa, Nélson Oliveira e Ruben Pinto vão integrar mesmo o plantel do SLBenfica para 2011/12, segundo informa o Jornal A Bola.

Juntamente com Moreira, Ruben Amorim e Roderick (a minha aposta seria o Miguel Victor) serão sete os atletas que efectivamente sentem o SLBenfica, sabem o que representa cada vez que se veste aquela camisola. É hora, agora, de apostar neles e não ter receio do resultado, incentivar cada vez que corra menos bem e dar o dobro da confiança que damos aos outros cada vez que correr melhor.

Na forma como vejo as coisas, estes jogadores deveriam ter "lugar cativo" na Taça da Liga e, sempre que o justifiquem nos treinos e nessa competição, serem aposta efectiva para os demais jogos do Campeonato, T.Portugal e Champions.

Já aqui falámos muito também nas entradas de António Carraça e, agora, do Prof. Manuel Sérgio. Sejamos pragmáticos, são valores acrescentados em termos de competência, mas à boa maneira de Luis Filipe Vieira, entram no SLBenfica de forma atabalhoada e susceptível de correr mal, por isso mesmo. É o exemplo de como boas decisões podem resultar muito mal pela forma como são tomadas.

Como sabem, há muito que defendo a existência de um Director Geral no futebol do SLBenfica. Ao mesmo tempo, entendo que isso só faria sentido sobre a dependência de Rui Costa. Luis Filipe Vieira deveria ser o "fio condutor" das decisões e não o centro de tudo. Dessa forma, temo que não resulte pela forma impreparada que Luis Filipe Vieira lida com a generalidade das questões do futebol.

Aparte disso, e não colocando mais uma vez em causa a competência de António Carraça, acho que poderíamos ter sido mais ambiciosos. Continuo a dizer que a pessoa certa para aquela função seria José Veiga. Mas não olhando para trás, se o Presidente for capaz de provar (por mim tem que provar porque acho que há ali muita coisa mal explicada...) que Rui Costa tem efectivamente lugar de valor para ele na organização e que ficará encarregue directamente de missões com efectivo valor e autonomia na preparação dos próximos anos do SLBenfica, seja ao nível da formação, seja no que diz respeito ao futebol profissional.

Por fim, na questão do plantel, penso que se impõe um grande elogio à prospecção do SLBenfica. Jogadores de grande qualidade como Bruno César, Rodrigo Mora, Wass, Nolito, Enzo Pérez "pegarão de estaca" no SLBenfica na próxima temporada e estão identificados/contratados outros que poderão fazê-lo nos anos seguintes como Oblak, Melgarejo, Denis, Dedé, Danilo, etc.

O grande desafio que se coloca é mesmo o das saídas de jogadores. A minha lista de vendáveis bem sei que é muito discutível, mas é igualmente ambiciosa no que diz respeito aos substitutos. Jogadores como Roberto, Aimar, Cardozo e Saviola encabeçam a minha lista de "vendáveis". São todos eles jogadores com qualidade para jogar no SLBenfica, mas que entendo que face à qualidade de jogadores que já temos contratados, o seu vencimento torna-os "substituíveis" perante boas propostas.

Num momento crítico das nossas finanças, a saída destes jogadores permitir-nos-ia aliviar a "folha salarial" em cerca de 7 a 8M€/ano brutos (só Aimar recebe 1,8M€ líquidos). Bem sei que são "nomes" que representam também muita qualidade, mas a experiência já nos mostrou que esses "nomes" nem sempre são determinantes quando temos gente com muita qualidade, com vontade de crescer e fazer um bom trabalho. Nesta "operação" e com um momento financeiro muitíssimo delicado, o SLBenfica poderia recuperar mais de 10/15M€ e eu acredito que equipa pouco se ressentiria.

À luz da nova organização, e a fazer fé nas notícias que o SLBenfica coloca cá fora, Rui Costa deveria então ser o elo principal na gestão desta questão. Se ficarem penso que terão um papel a desempenhar no SLBenfica. Se tiverem que sair, penso que estaremos preparados para tal.

Outro grande desafio, eu diria enorme face ao atraso que leva, é a colocação dos excedentários bem como a delineação do plano de decisão sobre os que disputarão a pré-temporada, ou seja, é preciso colocar com a máxima urgência aqueles com quem não contamos, preferencialmente vendê-los, mas pelo menos colocá-los: Julio César, Peixoto, Shaffer, Fernandez, Filipe Menezes, Weldon, Kardec, Yebda e Balboa.

A estes juntam-se jovens que dificilmente voltarão ao SLBenfica mas que importa decidir como queremos gerir esta questão, dado serem jogadores de qualidade e formados no SLBenfica como André Carvalhas, André Soares, Mário Rui, João Pereira, Leandro Pimenta, Lassana Camará.

E a estes juntam-se ainda jogadores como Miguel Victor (já disse que preferia o empréstimo de Roderick) e Yartey, mas também as decisões sobre o futuro de Oblak, Urreta, Nuno Coelho, Melgarejo, Rodrigo, Uche e André Almeida que farão a pré-temporada.

Por último, chegam dos juniores para a primeira temporada profissional Bakar, Alípio Brandão, Diogo Caramelo, Luis Martins, Junior, José Graça, Ademir, Diogo Caramelo e Jean Silva.

Como podem verificar é muita gente que tem contrato com o SLBenfica e cujo futuro está totalmente incerto, sendo que alguns eu até gostaria de ver no plantel como Oblak, Urreta e Miguel Victor pelo menos.

Para fechar, sobre a transferência de Coentrão, por favor, alguém que tenha o bom senso de NÃO TRAZER Drenthe para o SLBenfica.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O que é Inteligência Competitiva - por Manuel Sérgio

 ●  1 comentário  ● 
Se vamos ter o Prof. Manuel Sérgio no SLBenfica, (mais uma pessoa de muito valor que entendo que poderia entrar noutro enquadramento, mas adiante), vamos então perceber o que é isto da Inteligência Competitiva que o Professor fala e que considera relevante implementar no SLBenfica.

A Inteligência Competitiva (IC) resulta de uma resposta cultural e operacional à globalização e às transformações individuais e sociais que este fenómeno originou. A IC pode mesmo definir-se como um sistema cultural e operacional de recolha, tratamento, análise e encaminhamento da informação, visando o processo de tomada de decisões.

A IC, como diz o meu amigo, Doutor Miguel Trigo (Universidade Fernando Pessoa), “deve fornecer a informação certa, no momento certo, de forma certa, à pessoa certa, para que, finalmente, esta última possa tomar a decisão certa”.

De acordo com os dados publicados pela Society of Competitive Intelligence (SCIP), no plano internacional mais de 80% das empresas que atingem lucros superiores a 10 biliões de dólares possuem sistemas organizados de IC.

De facto, estas empresas, actualizadas do ponto de vista científico e organizacional, apresentam departamentos de IC e superam assim as restantes em três importantes áreas: vendas, quota de mercado e ganhos por quota de mercado. Relativamente aos profissionais de IC, a “conditio sine qua non” de admissão são as qualidades pessoais do candidato, a sua informação e a sua cultura. No caso do futebol, eu acrescentaria uma incontida paixão por esta modalidade desportiva. Quem gosta do que faz, trabalha mais e melhor...

A informação e a cultura são, hoje, os grandes factores de desenvolvimento. A multidimensionalidade da Sociedade da Informação, que é a nossa, exige, também dos fazedores do espectáculo desportivo (e portanto do futebol) mais informação e, por extensão, mais cultura.

No nosso futebol (meu poiso durante 28 anos, através do dirigismo no C.F. “Os Belenenses”) há dois campos bem estremados em liça: o dos que se fundamentam na sua vida de ex-profissionais e o dos que, teoricamente tão-só, falam de futebol, até à exaustão – escasseando, tanto num lado como noutro, a informação e a cultura. Trata-se de uma lacuna tão evidente... que ninguém vê! Ocorre-me o conto de Poe, “The Purloined Letter”.

A polícia parisiense procura, em vão, na casa de um suspeito, uma carta politicamente comprometedora. A polícia investiga os pontos mais escondidos e... nada! Em desespero de causa, o chefe da polícia solicitou a colaboração de Dupin, precursor de todos os detectives da literatura policial, que rapidamente encontrou a carta procurada. De facto, a carta não se encontrava em nenhum esconderijo de difícil acesso, mas à vista de toda a gente. E nisto consistia a astúcia: o seu ocultamento era a sua fácil visibilidade. Acontece o mesmo com o nosso futebol. É tão evidente a incultura e a desinformação, que o fragilizam, que se torna difícil descobri-las e entendê-las.

Daí que eu ouse propor a criação de um departamento de inteligência competitiva (DIC), nos clubes de futebol profissional, na selecção nacional de futebol, liderado por um doutor em Desporto e composto ainda por um filósofo, um psicólogo, um fisiologista (ou um médico) e um treinador de futebol.

Com que objectivos? A criação de uma nova racionalidade, onde ciência e filosofia sejam complementares e portanto onde conhecer seja principalmente relacionar, contextualizar, organizar. E que ciência? Indubitavelmente, uma ciência hermenêutico-humana, dado que o futebol é menos uma Actividade Física do que uma Actividade Humana. Uma teoria científica do Desporto é sempre uma teoria científica do sujeito.

Sem as acções individuais e colectivas do praticante, o futebol (ou qualquer outra modalidade desportiva) não pode estudar-se como objecto do conhecimento. E, como ciência hermenêutico-humana, que método?

O método, para a máquina complexa que é o ser humano, será o que decorre do pensamento complexo, ou seja, o método da complexidade, ou método integrado (cfr. Francisco Silveira Ramos, Futebol – a competição começa na rua, pp. 31 ss.) onde, pelas acções típicas da competição, se treinam o individual e o colectivo, o grupo e as capacidades individuais físicas, intelectuais, emocionais. De sublinhar também que a realidade e a verdade são fruto de práticas discursivas complicadas. De facto, a realidade não pré-existe à razão e à linguagem.
O treinador deve, por isso, saber comunicar, para motivar. Por outro lado, o método da complexidade diz-nos que o jogador é homem, antes de ser futebolista, e portanto na preparação do futebolista não pode esquecer-se o homem capaz de assumir uma racionalidade e uma ética intersubjectivas e... um rigoroso “treino invisível”.

O DIC criará ainda e dinamizará dispositivos de recolha, tratamento e disseminação da informação, de acordo com os mais modernos princípios da informação e da comunicação e os interesses do departamento de futebol.

Semanalmente, este departamento encontrar-se-á com o treinador principal, apresentando-lhe a informação julgada necessária aos seus processos de decisão, como técnico de futebol. Também, todas as semanas, o DIC fará, só com os elementos que o integram, uma reflexão crítica sobre o papel da inteligência competitiva, como resposta cultural e operacional às problemáticas criadas pelo desporto de alta competição em geral e pelo futebol em particular.

Cada um dos elementos deste departamento perceberá senhas de presença pelas reuniões que efectuar. Porque sou um teórico tão-só e quem não pratica não sabe (eu aprendi a memorizar e a ver, não a fazer) peço desculpa por ter metido a foice em seara alheia.
in Universidade do Futebol

Sobre o Professor Manuel Sérgio:
*Antigo professor do Instituto Superior de Educação Física (ISEF) e um dos principais pensadores lusos, Manuel Sérgio é licenciado em Filosofia pela Universidade Clássica de Lisboa, Doutor e Professor Agregado, em Motricidade Humana, pela Universidade Técnica de Lisboa.

Notabilizou-se como ensaísta do fenômeno desportivo e filósofo da motricidade. É reitor do Instituto Superior de Estudos Interdisciplinares e Transdisciplinares do Instituto Piaget (Campus de Almada), e tem publicado inúmeros textos de reflexão filosófica e de poesia.

Enquanto nos regozijamos...

 ●  3 comentários  ● 
É triste atravessar a blogosfera e ver o contentamento de muitos benfiquistas com a saída dos Villas-Boas! É tão patético como os que ficaram satisfeitos em ver o Barcelona a ganhar a Champios League, porque "assim o Porto vai levar uma cabazada..."


O Sport Lisboa e Benfica não se pode dar isto. Ou melhor, não deveria dar-se a isto por respeito à história. Depois de mais um ano a ver os navios a passarem para Contumil, a nossa preocupação era ter tudo a jeito para aproveitar a mudança técnica azul como uma chance para lhes aplicar uma machadada! Era nisso que os benfiquistas deviam de pensar! Mas não... Continuamos nos fait-divers típicos de pré-temporada! Brincando aos FM's com mais de 40 jogadores à escolha! Em vez de termos uma uma estrutura forte, não! Vemos a entrada de um elemento que fora "cuspido" do SLB em tempos... É o circo habitual!


Como viemos parar aqui, pergunto-me! No contentamento com os recuos dos outros, com as supostas cabazadas do Barça e com o portismo de AVB que foi comprado pelos euros do Chelsea...


Desculpem, é só um desabafo!


Desculpa, SouBenfica, não reparei! Espero não ofuscar o tópico Saída de Villas Boas não é surpresa!

Saída de Villas Boas não é surpresa

 ●  5 comentários  ● 
Mas alguém no seu perfeito juizo acredita que o Jorge Mendes cozinhou isto tudo às escondidas do Pinto da Costa? Mas está tudo a dormir?

O Jorge Mendes jamais iria abdicar dos muitos milhões que tem a lucrar com os corruptos e por isso mesmo jamais faria uma dessas ao seu «abono» em terras portuguesas.

O menino que já era o maior, virou mercenário porque aceitou ir ganhar cinco vezes mais para uma liga muitas vezes melhor que a nossa, virando as costas aos que já se organizam para umas manifestações nada pacíficas à porta de casa do puto. Parecem o Benfica.

Acho que isto não é mesmo problema para o Pinto da Costa porque ali não são os treinadores que decidem nada. Ali quem manda é organização tentacular do "Polvo corrupto" e qualquer treinador basta ser recebido e dar treino.

Quanto às apostas, eu acredito que o novo treinador dos corruptos terá impacto no Benfica. Seja por ser um ex-treinador que não tenha tido sucesso (Quique Flores), seja por ser o actual treinador (se pagar a cláusula de Jesus ainda sobravam 7,5M), seja por ser um dos que Vieira um dia considerará para a Luz (Rui Vitória ou José Peseiro).

António Carraça segundo A Bola

 ●  2 comentários  ● 
(clique na imagem para aumentar)

Voltando a referir que nada tem a ver com a competência de Rui Costa, Carraça ou Vieira, a mim continua não só a não fazer sentido, como a considerar que estamos a criar um potencial problema futuro. Espero estar enganado ao ver António Carraça nomeado o novo "salvador da pátria", uma espécie de "agora sim, é que vão ver".

Esta organização na minha cabeça na faz qualquer sentido! E olhando ao passado então...

Como se não bastasse o "buzz" que vai ser criado por Rui Costa, Carraça ou Vieira, com Jorge Jesus a tentar impor a sua lei, aparece mais um assalariado na Luz. Desta vez não é "apenas" um profissional, mas um catedrático: o Prof. Manuel Sérgio e o seu futuro "departamento de inteligência competitiva".

É o que se chama "por a carne toda no assador" a ver o que dá!

... Se os outros contrataram o "aprendiz do Mourinho"... então vamos contratar o gajo que ensinou o Mourinho. TUNGA EMBRULHEM TRIPEIROS... E se eles se armarem em parvos trazemos também o pai do professor do Mourinho.

MEUS DEUS! Ao que isto chegou... QUE CIRCO!

Construa o seu plantel

 ●  17 comentários  ● 
Se existe algo que me preocupa nesta pré-temporada é o número excessivo de jogadores que o Benfica tem sob as suas ordens. Na minha opinião existe um descontrolo na contratação de jogadores mas acho justificável que se trate primeiro das contratações e só depois de colocar os dispensados pois deve-se tratar primeiro de criar um grupo de trabalho que dê garantias de lutar para ser campeão do que em arranjar colocação para quem não conta.

Contudo, com tanto jogador ao serviço do Benfica acho que é um exercício interessante se cada um construir o seu plantel com base nos nomes enumerados no Expresso:


Tentem limitar o número de jogadores a um máximo de 27. As minhas escolhas:
GR: Artur Moraes, Moreira, Oblak.
Defesas: Maxi, Wass, Luisão, Miguel Vítor, Dedé ou Garay, Jardel, Carole, e outro lateral-esquerdo para titular.
Médios: Javi Garcia, Ruben Amorim, Matic, Carlos Martins, Aimar, Bruno César, Gaitán, Nolito, Enzo Pérez, David Simão.
Avançados: Saviola, Cardozo, Jara, Nélson Oliveira, Rodrigo e Mora.

Isto resultaria num plantel com 26 jogadores e houve alguns que tive que deixar de fora e que gostaria de ver no plantel, sendo o caso mais premente o de Miguel Rosa.
Quanto aos excedentes seriam para emprestar/vender conforme cada caso específico.
Fico particularmente preocupado em ver o número avassalador de jogadores que o clube já tem e tenho sérias dúvidas que se consiga colocar todos os excedentários.

A baliza não está bem servida. Apesar do número a qualidade das opções deixa muito a desejar. Tanto Roberto como Júlio César não dão confiança, Moreira não é o mesmo depois das lesões nos joelhos e Artur Moraes não me parece ser tão bom quanto o pintam. Oblak é demasiado novo.


Existe uma escassez de centrais de qualidade. E como tal acho incompreensível a ostracização a que Jesus votou Miguel Vítor. Este jovem trata-se de alguém que sente o Benfica, nunca comprometeu e que já tem experiência num campeonato exigente. A estrutura encarnada devia bater o pé a Jorge Jesus neste caso pois trata-se de alguém que pode render muito ao Benfica no futuro e é um potencial sucessor de Luisão  como patrão da defesa. Também convém resolver o dossier Coentrão o quanto antes e definir se fica ou se sai. Daí depende não só encontrar um substituto para ele como também possivelmente a vinda de um central de qualidade.

Acho que existe um excedente de médios para o centro do terreno entre Aimar, Bruno César, Carlos Martins, Miguel Rosa e Gaitán. Tantas alternativas para o centro do terreno não auguram nada de bom sobre as possibilidades de Miguel Rosa ficar no plantel e tenho medo de ver Aimar ou Carlos Martins deixarem o clube pois acho que são dois jogadores muito distintos, de alta qualidade e que trazem grande variabilidade ao jogo do Benfica.

As alas estão bem servidas. Entre Gaitán, Pérez, Urreta, Ruben Amorim, Matic, David Simão e Nolito acho que estas posições estão bem entregues a jogadores de qualidade e que podem trazer bastante versatilidade ao estilo de jogo que se pretende imprimir consoante os adversários ao contrário do que aconteceu na época passada.


No ataque existe um excesso de avançados. No entanto, só três destes é que oferecem garantias de qualidade e golos: Cardozo, Saviola e Jara. Nélson Oliveira deve ser aposta em alguns jogos para ver se faz esta época o que Jara fez na época passada. Rodrigo e Mora são incógnitas e acho que só um deve ficar no plantel.

Dispensas: muitas. Mesmo muitas, a começar por Roberto e Júlio César, passando por Peixoto, Roderick, Shaffer e André Almeida. Fernandéz, Felipe Menezes, Miguel Rosa ou Carlos Martins no centro do terreno. Kardec, Weldon e Mora ou Rodrigo também necessitam de ser colocados a rodar.


Considero que o plantel deve ser considerado fechado, excluindo a vinda de mais um central de qualidade e um lateral-esquerdo. É inútil andar a contratar-se mais jogadores numa altura em que já se tem tantos ás ordens do treinador - é um desperdício de recursos financeiros e exigiria a saída de referências do plantel o que levaria á descaracterização da equipa e á ausência de referências no plantel. E acima de tudo a vinda de Drenthe não se justifica para posições no plantel totalmente sobrelotadas (a não ser que venha para lateral-esquerdo o que duvido muito).

Adenda ao post do SouBenfica

 ●  2 comentários  ● 
DOMINGOS, PACIÊNCIA!
desculpa SouBenfica, não podia deixar passar :)

E Quique Flores nos Corruptos?

 ●  17 comentários  ● 
Enquanto ninguém me explica como o Presidente vai delegar menos utilizando a forma esquisita de contratar gente com cargos de decisão, aproveito para especular sobre a pseudo-notícia da venda de Villas Boas para o Chelsea pelo triplo do que foi vendido Mourinho e menos de 10 milhões abaixo do que sairá Coentrão.

E se Pinto da Costa escolhesse o desempregado Quique Flores para os corruptos?

A «queda» do namorado da Orsi Feher esteve na falta de suporte que teve da estrutura. E os corruptos têm toda essa estrutura que permite ao espanhol focar-se no que sabe e corrigir as fragilidades de comunicação (fala de forma demasiado «aberta») e de controlo do balneário (lá em cima os SuperLadrões e o Teles das putas resolvem isso por ele).

Ou será que o Salvador oferecia o Leonardo Jardim ao Porto, a troco de uns milhões como fez o Loureiro com o Jesualdo? E nesse caso quem ocupava o cargo nos Corruptos B? Couceiro? Bem lixado deve andar o Domingos por ter ido para os submissos do lumiar.

Claro que me estou a cagar para a saída do Pillas-Moles e para o namorado da Orsi. O que quero dizer com este tópico é que quando a organização é sólida e conhecedora do futebol português, tudo é fácil no que toca a entradas e saídas seja de quem for. O Vieira parece que ainda não percebeu isso.

Vamos ficar também atentos a outras movimentações de gente nos corruptos que vai mostrar o que podemos esperar dos bastidores deste futebol vendido ao Peido da Costa

«Eu próprio vou delegar muito menos»

 ●  1 comentário  ● 
Navegar à vista, é o que se chama à recontratação de António Carraça. Dizem uns bem informados que Rui Costa foi vítima de si próprio e que não terá tanta competência fora de campo como teve dentro.

Rui Costa começou anunciado como «novo timoneiro» do Benfica, quando o Vieira estava «com eles apertados» pelos sócios. António Carraça, curiosamente, também começou como o líder conhecedor que ia revolucionar a formação.

António Carraça, com a saída de Veiga teve a ambição de chegar ao lugar que ocupou depois Rui Costa, ainda cheirava a relva. Em troco, o Vieira impôs-lhe o treinador de juniores e o Rui Águas.

Volvidos menos de três anos sobre tudo isto, tirando o Vieira nenhum dos acima indicados está nas funções com que foi pomposamente apresentado. Carraça fez uma travessia no deserto sem fazer nenhum e com tempo para ir ver o seu Sporting, Rui Águas acabou despedido tal como João Alves depois de duas temporadas miseráveis e Rui Costa passou de «timoneiro» a sabe-se lá o quê que vai fazer agora, mas possivelmente será uma espécie de superior hierárquico de Carraça, mas só no papel porque na prática será subordinado.

Isto é a imagem do Benfica do Vieira. Navegar à vista e decisões mal ponderadas que mais tarde se fazem e refazem sem que isso obrigue a assumir quaisquer responsabilidades pelo Vieira.

De acordo com o Vieira, Carraça não teve competência ou liderança para comandar a formação, ao ponto de lhe ter imposto decisões que se vieram a provar devastadoras. Mas agora, estupidamente, o mesmo Vieira acha que Carraça tem competência para uma missão bem mais complicada e onde o próprio Vieira se mete de uma forma inqualificável e incompetente.

E é preciso não esquecer as palavras dele: «Eu próprio vou delegar muito menos»

A teoria dos jornais diz que o Carraça vai ser o Antero Henrique do Benfica, o Vieira o Pinto da Costa e o Rui Costa será talvez o Reinaldo Teles. Só falta para o ano pedir ao Nuno Gomes que abra uma escola do Benfica no Porto para ser o Chainho. O Vieira continua a sua cruzada de tentar fazer do Benfica... o Porto. Não resulta nem nunca vai resultar.

domingo, 19 de junho de 2011

António Carraça no SLBenfica

 ●  12 comentários  ● 
Jedi, desculpa lá a sobreposição à tua "conclusão de que Afinal, parece que o Fábio "ama" o Benfica!, mas parece-me de grande importância a noticia quase oficial que dá o António Carraça como director para o futebol do SLBenfica.

O jornal O Jogo anunciou-o esta manhã e agora ao final do dia o Record e a A Bola já dão como certo igualmente, tal como o Maisfutebol, numa notícia que parece então confirmar-se depois de António Carraça, ao que parece ter já sido apresentado a toda a estrutura do futebol. Estranhamente volta a ser o grupo de Joaquim Oliveira a aparecer com estas informações antecipadamente.

Aparte da competência de António Carraça, que não me sinto capacitado para julgar, acho que esta entrada é um erro tremendo. Num clube onde...

... o treinador põe e dispõe sobre quem quer ter no clube sem se responsabilizar pelos prejuizos desportivos e financeiros.

... o presidente entende que é conhecedor de todas as pastas e impõe um regime de presidencialista em todo o clube, assumindo-se como lider de todas as pastas, especialmente as mais mediáticas.

... há ainda um Administrador da SAD, teoricamente director desportivo, empossado logo no seguimento da saída de António Carraça em 2008.

Agora alguém decidiu cometer o "Pecado Bettencourt" e começar a contratar pessoas que se sobrepõem umas às outras excepto na cabeça do Presidente. O resultado, independentemente da competência dos envolvidos, parece-me necessariamente nefasto e desgastante para a estrutura do SLBenfica.

Algumas dúvidas que tenho:
Que responsabilidades tem um Director Geral nem regime destes?
Que responsabilidades têm no futebol Luis Filipe Vieira, Rui Costa e António Carraça?
Perante jogadores pedidos por Jesus (tipo Eder Luis e afins) que "equação" é tida em conta?
Estará Carraça mais perto do plantel? E que experiência tem para tal? Se Rui Costa não serve para o Presidente, porque serve Carraça? Com base em quê?
O que justifica ter sido afastado em 2008 e agora regressar? O que o fez sair já não tem peso?

Isto poderia, repito, poderia fazer sentido se o Presidente se afastasse do futebol, a responsabilidade passasse para Rui Costa integralmente e este escolhesse alguém para o apoiar e operacionalizar. Mas não só não é esse o caso, como Carraça não é escolha de Rui Costa, mas de Luis Filipe Vieira. Ou seja, tem tudo para correr mal...

A estes três (quatro com Jesus que manda mais do que devia) ainda se vai juntar na próxima temporada Nuno Gomes. É impressão minha ou está a copiar-se o modelo errado do Sporting em vez de dotar o clube das competências que estão em falta, nomeadamente o conhecer mais e melhor os meandros do futebol nacional, a forma como se deve actuar, experiência internacional, competências de liderança, capacidade negocial...

Ainda sobre Carraça, se me dissessem que não devia ter saído da formação e que lá fez um bom trabalho, talvez aceite. Agora, que deve vir encher o futebol do SLBenfica de "pensadores"... acho muito errado.

Este não seria o caminho que eu escolheria, mas estando escolhido desejo que corra pelo melhor.

PS- Continuamos a apostar em "profissionais" e a esquecer os benfiquistas. A identidade do Sport Lisboa e Benfica vai-se reduzindo a cada dia que passa. Primeiro foi-se a dimensão nacional em títulos, agora vai-se a mística, dando lugar a adeptos de outros clubes em posições de decisão.

Afinal, parece que o Fábio "ama" o Benfica!

 ●  11 comentários  ● 
Hoje, Fábio Coentrão afirmou que sempre disse que amava o Benfica. Sinal que o negócio está duro ou sinal que foi metido na "ordem"? Either way, quer uma, quer outra opção, a serem verdade, os parabéns são devidos a LFV!

Um cheirinho da Actualidade by GB

 ●  25 comentários  ● 
Queria começar por uma das piadolas que os adeptos do SportingCP e FCPorto correm a fazer sobre o SLBenfica quando permitimos através da nossa inabilidade para vencer. Esta vou colocá-la aqui não em jeito de provocação mas de elogio, porque está bem feita e não é mal educada:

O Benfica este ano é como um relógio, tem andado certinho ao segundo!!!
...segundo no Futebol, segundo no Andebol, segundo no Basquetebol, segundo no Hóquei, segundo no Volei, segundo no Futsal!

Espero que eles aproveitem bem, porque estou convencido que o Hoquei, especialmente, para o ano lhes vai mostrar o que é bom para a tosse e, penso que o Volei, Futebol, Basquete, Andebol e Futsal darão a devida réplica.

Quanto à actualidade, aproveitando o mote de alguns que pediram para eu vir comentar o resultado da temporada de Futsal depois de ter sido, se calhar, o primeiro a dizer que o André Lima não tinha (ainda) capacidade suficiente para liderar o SLBenfica, cá estou eu.

Reitero tudo o que disse e só dou graças a Deus de termos tido o mister Paulo Fernandes, numa temporada onde perdemos O MELHOR JOGADOR DO MUNDO e ainda tivemos o seu "substituto" (Diece) e César Paulo lesionados mais de metade da época.

A todos os que querem perceber um bocadinho mais sobre aquela secção, digo-vos apenas que o tópico SLBenfica: O Clube onde todos acham que têm opinião foi feito a pensar em gente que ali anda. Digo-vos também que o melhor treinador que tivémos foi-lhe feita a vida negra porque se estava nas tintas para os "estatutos" de algumas pessoas e até jogadores, obrigando todos a trabalhar e muito. Viu-se o que lhe aconteceu...

Reitero, e não é por acaso que não está a treinar, que André Lima ainda tem um percurso para fazer até chegar a treinador de elite - que entendo ser o que o SLBenfica precisa - mas também acredito que o pode vir a ser e nesse dia espero que o SLBenfica lhe abra a porta. Até lá, acho que Paulo Fernandes é um excelente treinador e fez uma grande fase regular com a equipa a bater records de invencibilidades, apesar das circunstâncias. Na fase final apanhou um SportingCP à imagem do seu treinador: cínico, pouco atrevido e a jogar no erro. Uma espécie de "catenaccio" do futsal. Este título deles tem tanto valor como o do Mourinho na Champions, por exemplo... mas não tem o mérito de outros já conquistados pelo SLBenfica e até pelo SportingCP. Nã foram os melhores, foram os mais eficazes.

Ainda nas modalidades, o "Hoquei vai levantar voo", meus amigos. Acreditem que temos na liderança o homem certo e estamos a planear da forma acertada. Não tenham dúvidas que me vão ver muitas vezes no pavilhão a ver jogos deles e a celebrar a conquista do título no final. Espero e desejo que a estabilidade na liderança perdure, assim como no Volei e Futsal.

No Basquete parece-me um erro a saída de Henrique Vieira, mas respeito a decisão por desconhecimento de mais dados, já no caso do Andebol penso que a decisão tem um ano de atraso, pois José António Silva era talvez o menos capacitado dos nossos treinadores das modalidades e o seu substituto (Jorge Rito) trará ao Andebol a qualidade que Luis Sénica trouxe ao Hoquei. Em ambas as modalidades, veremos como vão evoluir as movimentações dos planteis.


No futebol, como já disse há muito tempo, estou óptimista para a nova temporada, ainda que considere que faltam ainda uns retoques, o que é perfeitamente normal face ao momento da temporada.

Na construção final do plantel é preciso haver coragem para apostar e para manter "rédea curta" a Jorge Jesus, de modo a que ele não se considere maior que o SLBenfica, porque não o é, nem nunca vai ser.

Assim, na baliza para mim a formula "old school" é a mais correcta: Dois jogadores experientes e um jovem para a Taça da Liga. Assim, Moreira parece-me importante permanecer e Artur deverá ser o titular com Oblak a ter a oportunidade de trabalhar ao mais alto nível para evoluir. Júlio César e Roberto, na minha perspectiva, deveriam ser ambos vendidos ou emprestados com vista a uma venda.

Na defesa o que me preocupa é o arranque da temporada. Luisão e Maxi (as duas referências) estarão ausentes no arranque dos trabalhos e se não vier Garay não vejo quem poderá comandar a defesa numa fase inicial. Acresce ainda que já "cheira mal" tanto atraso na renovação de Maxi Pereira.

Na direita parece tudo estabelecido com Maxi e Wass, sendo que face à lesão grave onde de Wass, será possivelmente Ruben Amorim a "segurar as pontas" mais uma vez. Na esquerda só temos alternativa (Carole), mas parece que Ansaldi será a opção - confesso que não conheço. Ao centro, está a minha grade discórdia com Jorge Jesus: Para mim seria Luisão com um parceiro a contratar (Dedé?), juntamente com Jardel e Miguel Victor. Roderick e o (tosco?) Leo Kanu deveriam rodar EM PORTUGAL.

No meio campo defensivo temos Matic e Javi Garcia como as principais referências, sendo que Nuno Coelho espreita a oportunidade de ficar no plantel, o que me parece complicado face à polivalência de Amorim e um sistema que só tem um médio defensivo. No esquerda temos Nolito e Gaitan que dão muitas garantias e ainda temos David Simão que pode fazer essa posição em 4-3-3 tal como Bruno César. Por falar no brasileiro, mantenho a tese da saída do Aimar (não que não tenha qualidade) e a aposta mais até que no brasileiro, no Gaitan para 10. Nesta equação entra ainda Miguel Rosa e David Simão que deveriam ser os esteios do meio campo na Taça da Liga. Na direita, parece estar tudo resolvido com Enzo Perez que descarta assim um investimento elevado em Sálvio (apoio isso!) e como alternativa há o Urreta (será que fica?), Ruben Amorim, Miguel Rosa e ainda André Almeida à espreita de uma oportunidade de ficar no plantel. Fala-se ainda no Danilo.

No ataque, Cardozo continuo a dizer que sairá, tal como Weldon que viu o contrato renovado quero acreditar que apenas para podermos ganhar algum com a saída dele. Nuno Gomes também saiu e para mim a permanência de Saviola (apesar do desejo de JJ) não é segura. Caminho inverso fazem Rodrigo (acredito neste jogador), Nélson Oliveira (JJ confirma que fica), Mora (idem) e Jara. Se ficar Saviola só há espaço para mais um jogador que se diz ser o Brian Ruiz. Melgarejo e Uche parece-me que terão poucas possibilidades de ficar no plantel, mas a serem emprestados espero que sejam em Portugal.

Em resumo, um plantel que me oferece, sinceramente, todas as garantias de podermos realizar um campeonato muitíssimo competente e uma luta muito efectiva pelo primeiro lugar, tal como nas Taça de Portugal e dando muito espaço e oportunidade aos jovens na Taça da Liga para poderem também justificar apostas nas outras competições. Na Europa, penso ser um plantel muito mexido para ser objectivo fazer algo (vencer) na Europa...


Para fechar, gostava de comentar as mexidas na SAD. Continua a custar-me muito ver Rui Costa dedicado apenas a apresentar jogadores e a ser "menorizado" nas declarações do Presidente. Ao mesmo tempo há hoje notícia de mais um profissional que chega ao SLBenfica, António Carraça.

Este profissional, que é o que se chama a pessoas de outros clubes que vem para o SLBenfica feitos "sabedores" com grandes ordenados, se entrar alguém me explique o que vem fazer??? Quando esteve no Benfica, promovido por Luis Filipe Vieira, acabou dispensado. Chega agora para quê? E Rui Costa? Qual é o "papel" dele? E Octávio Machado? Sempre se confirma a entrada...?

Estou mais preocupado com o que se está a passar na SAD do que na equipa de futebol... vamos ver, para já vou esperar que "assente a poeira" para depois perceber o que se passará e aí emitir a minha opinião, sendo que o meu desejo já todos sabem qual é: Não recorreria, a quase um ano de eleições, a pessoas externas para a SAD. Rui Costa lideraria o futebol em toda a sua dimensão, sendo que o que considero ideal seria ter Vieira a Presidente, Rui Costa Administrador da SAD e líder de todo o futebol (profissional e formação) e José Veiga Director Geral do futebol profissional, a reportar a Rui Costa.

PS- Muito importante o critério e o timming dos empréstimos de Roderick, Ruben Pinto, Lass Camará e Yartey EM PORTUGAL, tal como Leo Kanu, Fábio Faria, Melgarejo e Uche pelo menos NA EUROPA.

PS 2 - Na novela Coentrão, partilho da dúvida do SouBenfica no tópico «Crazy about Coentrão»?. Porque raio não damos oportunidades aos demais interessados e estamos a fechar a negociação ao Real Madrid?

ranking