Janeiro 2019
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

O mercado quase a fechar e até agora...

Avatar
 ●  + 176 comentários  ● 

ONDE ESTÃO OS REFORÇOS?

O médico Frederico Varandas precisa de uma transfusão urgente

Avatar
 ●  + 97 comentários  ● 
Parecidos não? (Best movie ever!)

Sim, Frederico Varandas passou muito tempo com estes senhores...em silêncio
O presidente do Sporting resolveu insistir nas referências ao Sport Lisboa e Benfica e ao seu presidente no mais recente editorial do jornal do seu clube.

Entre muitas referências lida em A Bola destaco esta:

"O Sport Lisboa e Benfica, em resultado de um tipo de dirigismo que há muito devia ter sido erradicado do Futebol Português, carece de uma transformação, mas não de personificar em Paulo Gonçalves todos os males e toda a vergonha (…) Ainda na última semana, o seu presidente veio publicamente transmitir o que pretende de imediato para o "seu" futebol: condicionar, limitar, impedir e penalizar a liberdade de atuação de árbitros e de órgãos independentes como o Conselho de Arbitragem deve ser."

Os erros e os vícios de Vieira e da sua direcção são conhecidos e cabe aos benfiquistas resolvermos esses temas no futuro, próximo ou não.

O que tenho muita dificuldade é que um presidente supostamente reformador e unificador...só tenha como prioridade produzir um discurso igual ao do seu antecessor: anti-Benfica.

Frederico Varandas poderia produzir as mesmas declarações se, em primeiro lugar, se tivesse referido quem já apodrece o nosso futebol desde os anos 80 do século passado.

Na verdade, seria o lógico pois nunca o FC Porto venceu ou lucrou lutando com SL Benfica e Sporting CP ao mesmo tempo. Precisou sempre de uma muleta em Lisboa.

É essa clarividência que, para já, falta ao presidente do Sporting. Perceber que o grande beneficiado com o ocaso do Sporting nos últimos 40 anos foi o FC Porto e não o SL Benfica que, com mais ou menos dificuldade, tem continuado a ser campeão.

Poderemos daqui a uns tempos concluir algumas coisas sobre os últimos anos do futebol português.

Por exemplo, quem esteve por detrás da substituição de Vitor Pereira por Fontelas Gomes. 

Por exemplo, quem esteve por detrás da queda súbita de Hermínio Loureiro na Liga de Clubes, dinamitando as consequências do revelado pelo Apito Dourado.

Também iremos perceber porque os dirigentes do 3 grandes protegem Fernando Gomes ou Tiago Craveiro, nunca pedindo responsabilidades aos 2 dirigentes que conduzem o nosso futebol.

Ou porque ninguém, com tantas críticas aos árbitros e ao VAR, parece interessado no afastamento de Fontelas Gomes.

Eu diria que o presidente do clube em que um plantel inteiro foi agredido barbaramente em Maio tem mais coisas com que se preocupar.

Um clube que tem as finanças prisioneiras de um simples espirro tem muito mais com que se preocupar.

Um clube que ignora quem é que os tem canibalizado nos últimos 30 anos é um clube estúpido.


Eu diria que um presidente que se diz não condicionado por ninguém teria toda a preocupação em relembrar o legado de João Rocha e marcar uma nova posição face aos últimos 20 anos, pelo menos.

Xô Tor Frederico Varandas: se quer ser um presidente à moda do Roquette, então está claramente a precisar de uma transfusão de sportinguismo pois neste momento só lhe corre o anti-Benfica nas veias...e isso vai fazer o mesmo que fez aos seus antecessores: matá-lo.

E essa experiência de vender os bilhetes para Alvalade exclusivamente online?

Avatar
 ●  + 26 comentários  ● 

Já ouviram falar em testes antes de colocarem em prática uma solução destas e para um jogo destes?

Que amadorismo...!

E que falta de respeito pelos sócios!

ATUALIZAÇÃO:

Finalmente lá funcionou! Custava muito terem antecipado que são milhares de sócios a entrarem ao mesmo tempo, Benfica?!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Curtas: Lage, Jonas, banco do FC Porto, Sérgio Conceição e Paulo Gama(ou Paulinho)

Avatar
 ●  + 77 comentários  ● 


Bruno Lage: é evidente a empatia que Bruno Lage está a criar com os adeptos do SL Benfica bem como com o próprio plantel.

A atitude em campo em nada tem a ver com o período Rui Vitória. Também algumas mexidas que fez na equipa foram bastante positivas.

No entanto, desconfio sempre destes "entusiasmos" vindos de jogos menores como o de ontem. Mal de nós se não ganhassemos a uma equipa tão fraca e sem alguns dos seus melhores jogadores.

Por isso, há que ter e dar a tranquilidade à equipa necessária para poderem executar o seu trabalho da melhor forma. Não podemos esquecer que os próximos jogos são vitais para as nossas aspirações esta temporada.

Rapidamente deste "céu" podemos passar ao "inferno" caso as coisas corram menos bem nos jogos com o Sporting ou na Liga Europa por exemplo.

Bruno Lage tem mostrado estar focado em meter a equipa a funcionar e portanto, mesmo discordando com uma ou outra opção, continua a usufruir do benefício de lhe ter caído nas mãos sem ele ter qualquer escolha no modo ou no tempo.

Jonas: como já escrevi várias vezes, ontem inclusive, a questão de renovação do contrato de Jonas arranjou um problema enorme ao invés de resolver.

Quem está no balneário lembra bem o lobby da picanha e a sua influência nefasta no trabalho de Rui Vitória, juntamente com a sua própria falta de qualidade como treinador de futebol.

Daí que a questão levantada ontem e que Bruno Lage não apreciou vai surgir mais vezes. Acho que Bruno Lage esteve mal na forma como reagiu e acabou por justificar a importância da questão em vez de dar uma resposta breve e despreocupada.

Jonas não tinha condições para fazer uma época ao nível que habituou os adeptos e muito menos ao nível da renovação de contrato milionária que lhe fizeram.

Quem está no balneário sabe bem as expressões utilizadas num passado bem recente referindo-se ao trabalho dos colegas enquanto estava lesionado.

Jonas é um problema que provavelmente só se resolverá com a mesma solução de Luisão. Arrancar(do balneário) pela raiz.


Banco do FC Porto: tem sido (mais) um sinal de total impunidade o que se passa jogo após jogo no banco do FC Porto. Qualquer lance mais "rasgadinho", qualquer situação mais polémica, todos se levantam pressionando todos os agentes desportivos presentes.

Árbitro, fiscais de linha, 4º árbitro...todos são pressionados. Parece que todos no banco têm a missão de pressionar a pessoa X.

Não se compreende como não há mais expulsões, tirando a ocasional expulsão, para inglês ver, de Luis Gonçalves.

Não se compreende como não há suspensões por reincidência e multas pesadas. Olhamos para o que se passa em Inglaterra e percebemos a palhaçada de disciplina que há em Portugal.

Muito do "colinho" do FC Porto esta temporada passa também por isto. Não deixar passar em claro é uma das formas de pressionar os árbitros de campo a agir com a mesma bitola que utilizam para os outros.

Sérgio Conceição: um dos seres mais cínicos que está no futebol português. Infelizmente para ele a natureza de cada um revela-se nos momentos mais críticos.

Por isso é que continuarei a defender que com o FC Porto de Pinto da Costa ou de qualquer das suas "criações" não devemos esperar nada de bom mas sim sempre a mesma batota e os mesmos esquemas.

Não há qualquer boa intenção ou honestidade na postura do clube que destruiu o ambiente de fair play no futebol português.

Pinto da Costa e Pedroto são os pais do ambiente de ódio. Sérgio Conceição é um dos "filhos" desse ódio.


Paulo Gama (ou Paulinho): tive o privilégio de conhecer o Paulo Gama no princípio dos anos 90. Digo privilégio porque não é comum conhecer alguém que seja tão fanático de um clube como ele é do Sporting mas ao mesmo tempo detentor de um fair play gigante. Algo cada vez mais invulgar no futebol.

Eramos vários jovens que, nos cruzando com ele vestido sempre com as cores do Sporting, puxavamos a picardia Benfica/Sporting. Ele, percebendo que não passava de uma picardia sem má intenção, brincava e respondia enquanto equilibrava a bola atrás do seu pescoço. Mesmo com limitações físicas dava mais toques na bola que muitos totalmente aptos. :)

Na realidade, o Paulinho nunca foi um privilegiado pela vida durante muito tempo. Quem conhece a sua história sabe bem disso. Mas teve a sorte merecida de o clube a quem dedicou a vida ter retribuido a sua entrega, profissionalismo e postura.

Numa época em que muitos escolhem o ódio aos rivais como caminho preferencial, felizmente temos muitos para quem a rivalidade é para resolver de forma justa dentro das 4 linhas.

Por isso ver que ele celebra meio século de vida feliz e realizado com o que a vida lhe deu é sempre uma boa notícia para todos os que querem um futebol português sadio e em que "rivais" podem conviver sem violência verbal.

Que mais se poderia exigir de Bruno Lage nesta altura?

Avatar
 ●  + 63 comentários  ● 

Bruno Lage tinha duas opções quando pegou na equipa: Ou apostava no 4-4-2 e sacrificava Krovinovic e Gedson, ou apostava no 4-3-3 e sacrificaria a melhor versão de João Félix e, como se está a verificar, o melhor Seferovic de sempre.

Convém recordar que o grande problema deste plantel é precisamente esse e já vem de trás: Rui Vitória quis apostar num 4-3-3 e formou o plantel nesse sentido, mas o plano foi “estragado” por Luís Filipe Vieira quando à última da hora manteve Jonas, o melhor jogador da equipa, mas que por sinal não é talhado para o 4-3-3.

E foi nesta indecisão que o Benfica viveu grande parte da época: Jonas ficou mas esteve muito tempo aleijado, o Benfica nunca definiu o seu sistema de jogo por completo, Ferreyra e Castillo perderam espaço até porque o Benfica acabou a trabalhar uma solução desenrascada de um 4-3-3 com Jonas ou Seferovic sozinho na frente, os quais, embora fossem marcando golos nunca deram à equipa a dinâmica que ela precisava.

Curiosamente o Benfica de Lage tem um problema parecido: Já não se chama Jonas até porque o novo menino bonito da equipa chama-se agora João Félix, mas percebe-se que para termos o melhor Félix temos de jogar em 4-4-2 e a equipa é formada em função dele.

Bom, só que Bruno Lage tem aqui um mérito enorme: Ao contrário de Rui Vitória pegou na equipa e assumiu o seu sistema de jogo... Não andou aqui com experiências e a jogar com jogadores fora do sítio ou em má forma só para manter alguns indiscutíveis satisfeitos.

Não, Lage assumiu o seu sistema de jogo, tirou da equipa quem tinha de tirar, assumiu claramente que o seu Joker se chamava João Félix, e não há razão para alguém achar que não está a tomar as decisões corretas. Gabriel tem sido uma carta consistente também, e até Grimaldo subiu o nível das suas exibições muitíssimo.

Isto apesar, das vítimas do sistema: Desde já Krovinovic, que para mim não cabe no 4-4-2, e aparentemente Gedson, este último a custar-me um bocadinho a aceitar porque acho que está ali um jogador com uma qualidade bem acima da média.

Falta saber ainda o que se vai fazer quando Jonas estiver disponível, falta também apenas confirmar que Zivkovic é uma carta cada vez mais fora do baralho, e já não falta prova nenhuma de que Sálvio é para ser vendido se alguém o quiser.

Ou seja, em pouco tempo, Lage tem filtrado o plantel à sua medida, tem assumido que tem ideias e que são os jogadores que têm de se adaptar a ele, e que é com elas que bem ou mal, irá até ao fim... E ou os jogadores fazem o que o treinador pede ou vão ter, como já se percebeu, vida difícil!

E para mim, convenhamos, que mais poderia eu pedir a Lage nesta altura? A um treinador à experiência, a um treinador que herdou um plantel com deficiências várias, a um treinador sem estatuto para pedir reforços, a um treinador que sabe que provavelmente até terá gente dentro do clube a desejar que as coisas lhe corram mal para justificar trazer de volta o treinador que se quer desde o início?

Nada meus amigos, não lhe posso exigir mais nada quando, com menos armas que qualquer outro treinador com estatuto que tivesse chegado nesta altura (porque aí os reforços já cá estariam), e com margem de erro tão curta, se predispõe desde logo a pegar o toiro pelos cornos e se assume aos olhos de todos, com a vantagem de o ver fazê-lo 100% comprometido em colocar os interesses do Benfica bem acima de qualquer nome.




terça-feira, 29 de janeiro de 2019

SL Benfica - Boavista FC: 11 inicial e acompanhamento do jogo

Avatar
 ●  + 91 comentários  ● 

Onze do SL Benfica: Odysseas; André Almeida, Rúben Dias, Jardel e Grimaldo; Samaris, Gabriel, Pizzi e Rafa; João Félix e Seferovic.

Onze do Boavista: Helton; Edu Machado, Neris, Cardoso, Talocha; Idris, Tahar, Rafa, Matheus Indío; Mateus e Perdigão.

Banco do SL Benfica: Zlobin, Conti, Cervi, Zivkovic, Salvio, Ferreyra e Gedson

Banco do Boavista: Bracali, Raphael, Carraça, André Claro, Falcone, Samu e Gabriel.

Árbitro: Rui Costa, irmão de Paulo Costa do Conselho de Arbitragem.

-------------------------------------------

VENCER, VENCER, VENCER!!

Ir a Alvalade com tudo a ganhar!

SL Benfica - Boavista: convocados. Não temos problemas de dinheiro...? Então onde estão os reforços?

Avatar
 ●  + 87 comentários  ● 

Guarda-redes: Zlobin e Odysseas;

Defesas: Conti, Grimaldo, Rúben Dias, Jardel e André Almeida;

Médios: Gabriel, Cervi, Alfa Semedo, Zivkovic, Salvio, Pizzi, Samaris, Rafa, Florentino Luís e Gedson 

Avançados: Seferovic, Ferreyra e João Félix

-----------------------------------

Vários pontos a assinalar:

- Entrada de Zlobin para o banco por lesão de Svilar

- Krovinovic fora por opção

- Castillo fora por opção

- Florentino nos convocados

O mais preocupante é que estamos a 2 dias do fecho de mercado e reforços para atacar o título...(e os 40 milhões que vale a entrada directa na Champions) ZERO.

Além disto, e infelizmente para as nossas ambições, a gestão errática de Vieira está aí a penalizar a equipa:

- Jonas: só esta temporada o brasileiro já passou 74 dias lesionado, perdendo assim 16 jogos(hoje será o 17º). Renovar e pagar o maior salário do plantel a um jogador que já se sabia que ía passar metade do tempo no estaleiro é penalizar a equipa.
Com o mesmo salário milionário que se paga a Jonas poderíamos ter contratado alguém mais novo e sem propensão a lesões. (Sem falar nos problemas no balneário...)

- Fejsa: os problemas físicos de Fejsa são conhecidos. Quando um jogador não pode sequer treinar todos os dias para poder estar apto...mas até hoje continuamos a não contratar um trinco de raiz para ser alternativa. Preferimos estar com invenções e adaptações.
Fejsa esta temporada já esteve lesionado 16 dias. Isto depois dos 48 dias lesionado na temporada passada ou dos 78 dias na anterior. É assim que se gere um clube de topo?

- Lema: o único jogo em que foi opção inicial foi contra o FC Porto na Luz. Fez uma boa exibição, não deu espaços ou chances. Vencemos o jogo. Com um Jardel insuficiente, um Ruben Dias que precisa de alguém bom ao lado para evoluir e um Conti com potencial mas muito verdinho...vamos todos acreditar que Lema não tinha lugar nesta equipa?

- Ferreyra: foi incinerado na fase inicial da temporada. Rasgaram um jogador sem ele sequer ter tempo para se adaptar. Foi preferível deixar Rui Vitória e a turma da picanha deixarem este plantel de rastos com guerras para agora tentarem fazer alguma coisa do rapaz. Mas fica a pergunta: a dificuldade de Ferreyra em render é só da táctica? Ou há algum problema físico desconhecido dos adeptos em geral...? Se sim, quando é que foi detectado? Antes ou depois da contratação do argentino?

Depois de uma temporada passada miserável, a prioridade de Vieira foi renovar com Jonas, Luisão, Salvio e Pizzi.

Jonas já falamos, Luisão já na temporada passada não tinha condições para jogar, Salvio tem boa imprensa(talvez pelas fotos da mulher) mas é o terceiro mais bem pago do plantel e quando joga é olhos no chão, correr para a frente e...perder a bola. O último, Pizzi, é relativamente bom em jogos com os "mija na escada" mas uma inutilidade nos restantes. Outro dos mais bem pagos...mas qualidade superior zero.

É preocupante ver Krovinovic de fora(depois do que mostrou antes da lesão) ou ver Zivkovic empurrado para o banco quando era claramente o jogador com mais qualidade em campo.

É preocupante ver que André Almeida ou Grimaldo serão as nossas melhores opções para as laterais ou que, estando Lema proibido de jogar, temos de acreditar que Jardel é um grande central(e capitão).

É preocupante ver que a administração da SAD acha que Seferovic tem qualidade para ser o nosso titular em vez de uma opção secundária.

Ver que em menos de um mês chegam 6 ou 7 jogadores para o Seixal mas ninguém para a equipa principal.

ONDE ESTÃO OS REFORÇOS?

Depois digam que o termo SABOTAGEM é exagerado... 


Record tenta usar Florentino para atacar Benfica! (VERGONHA!)

Avatar
 ●  + 31 comentários  ● 
Além dos dirigentes corruptos e que se aproveitam dos adeptos, a imprensa portuguesa é - talvez - a gente mais estupida do futebol português. Estes atrasados mentais ainda não perceberam que a sua missão diária de tentar atacar os clubes e gerar polémicas, destroi o valor do futebol nacional.

Já muitos foram despedidos, outros andam perto disso. Os jornais e outros meios estão cada vez mais pobres mas esta gente continua a deriva avençada de destruir o futebol português.

Hoje o ataque é a Krovinovic. Quer o Record convencer os adeptos do SLBenfica que, como ainda não teve oportunidade de regressar depois da lesão... Krovi (um dos médios mais criativos do SLBenfica) não conta para Bruno Lage.

Já o tentaram com Gedson, que hoje aparece nos jornais como alvo do PSG, agora com Krovinovic... e aposto que o próximo será Zivkovic.

A ideia é criar desestabilização interna e tentativas de "ataques internos dentro do balneário.

SÃO UMA MERDA DE GENTE ESTES AVENÇADOS!

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Chupar limões

Avatar
 ●  + 20 comentários  ● 

Crónica de Nuno Amado, do blogue Entre Dez, publicada a 26\01\2019 no jornal Record:

"O treinador português, diz-se por aí à boca cheia, é dos melhores do mundo. 

A afirmação, já de si bizarra ao relacionar a competência de alguém para ser bem sucedido em determinada área com a contingência de ter nascido em determinado território, é de um chauvinismo impressionante. De tão acostumados que estamos a ouvir falar elogiosamente dos portugueses sempre que algum compatriota se notabiliza no estrangeiro a descascar uma noz, nem prestamos a devida atenção a este tipo de coisas. 

A verdade, porém, é que se tornou normal falar do treinador português como se fosse muito especial. E o que o torna especial, de acordo com os chauvinistas dos nossos tempos, é a sua competência estratégica. Por quaisquer razões insondáveis, só ao treinador português foi concedido o dom de saber preparar estrategicamente uma partida de futebol. Um treinador que tenha tido o azar astral de ter nascido em Badajoz pode pois queixar-se de má sorte; nunca na vida conseguirá perceber que pode ferir um adversário que se desequilibra quando ataca defendendo em bloco baixo e atacando em transição. 

O treinador estrangeiro é, para todos aqueles a quem a afirmação inicial comove e arrepia, pouco mais que um idiota. Se, em vez de treinador de futebol, tivesse sido pugilista, não saberia que uma boa altura para atacar é quando o adversário baixa a guarda. E, se tivesse sido calceteiro, não saberia que com uma pedra da calçada numa mão e um martelo na outra está pronto a calcetar. Sejamos frontais: o melhor que o treinador estrangeiro consegue fazer é babar-se.

O parágrafo anterior é injusto tanto para o treinador português como para o treinador estrangeiro. Assim como o último não tem culpa de ter nascido tantã, o primeiro não tem culpa de ser tão amado pelos deuses. 

Alguma coisa deve haver, contudo, que assim o faça tão apetecido, até porque além dos deuses há toda uma classe de comentadores, analistas e palermas em geral que lhe procura as partes com a língua de fora e os joelhos esfolados. Do Jorge da Cândida ao Hernâni dos números, o deboche é generalizado. Uma substituição banal de um extremo por outro, cujo fito seja apenas refrescar o corredor, não é menos decisiva para esta gente do que a descoberta da penicilina. 

O treinador português não faz nada ao acaso; todas as suas acções fazem parte de um grande plano que levou meses a elaborar e tornam visível a sua sabedoria estratégica. Mesmo que tenham ideias de jogo completamente diferentes, todos os treinadores portugueses são magníficos estrategas. Na verdade, pouco interessa que tenham ideias bem definidas acerca do que é jogar futebol; o importante é que tenham ideias estratégicas para cada jogo. 

Em Inglaterra, as melhores equipas da actualidade têm todas uma ideia de jogo clara. No Manchester City de Guardiola, no Liverpool de Klopp, no Tottenham de Pochettino e no Chelsea de Sarri, o futebol é de autor: em todas estas equipas é possível fazer coincidir o modo de jogar com as ideias, as convicções e a personalidade do seu treinador. Há malucos que defendem que é precisamente por isso que são as melhores equipas da actualidade em Inglaterra. Para aqueles a quem nada desvaira como o aroma suave de uma virilha lusitana e o creme viscoso que nela se aloja, não há nada melhor, no entanto, do que um treinador que adapte semanalmente a sua equipa dando atenção exclusiva ao adversário particular que tiver intenção de derrotar. 

Só de pensar nisso, o quanto não se lamberão os grandes construtores de equipas campeãs, o Bonacheirão das Dialéticas, o Kaká de Gondomar, o Lunetas... E, quando um treinador assim não consegue ter sucesso contra equipas de valia idêntica, como foi o caso de José Mourinho nos últimos anos em Inglaterra, logo todos eles saem à rua, agitando com subserviência o ramo de palmeira para refrescar as faces ao amo rubicundo, a dizer que os rivais tinham melhores orçamentos, que o dono do clube não lhe deu o que pretendia ou que o plantel era fraco e os jogadores indisciplinados. Da qualidade do futebol apresentado não dizem nada, porque para isso precisavam de ter a boca desocupada.

Abel Ferreira diz que não gosta de falar de arbitragens, mas perdeu um jogo e logo subiu ao altar da sua moralidadezinha para gritar contra tudo e contra todos. Os seus olhos faiscavam, e proporcionou um espectáculo memorável. Savonarola não faria melhor. E, tal como o iracundo pregador florentino, também Abel apela a uma reforma. 

A acusação é tão original que não me parece que estivéssemos preparados para ela. É a seguinte: o que vai mal, segundo o treinador do Braga, é a arbitragem. A arbitragem não é séria, o futebol não é credível e as pessoas mais tarde ou mais cedo fartar-se-ão de ir aos estádios. O raciocínio não é mau, se acharmos que ir ao futebol é como ir ao casino. 

Mas as pessoas, quando vão ao futebol, não vão apenas ver se calhou vermelho ou preto. Para isso, apareciam apenas no período de descontos, para festejar a vitória ou para chorar a derrota, ou ficavam os 90 minutos especados a olhar para o placard electrónico do estádio. 
A afirmação seguinte é capaz de ser uma surpresa para muita gente, mas durante os 90 minutos as pessoas querem ver futebol. 

E sobre o futebol que a sua equipa pratica, que pouco ou nada fica a dever à banalíssima generalidade das outras equipas em Portugal, Abel não diz muita coisa. Confessa-se orgulhoso, pelo que considerará que o Braga joga bem. É pena que não jogue. Aquilo que o Braga faz em campo é tão original como as desculpas de que o treinador dos minhotos se serve para justificar o fracasso. 

Sérgio Conceição tem uma personalidade vincada e um estilo contundente, consegue passar a mensagem aos seus atletas e comprometê-los com a missão colectiva, e é sistematicamente frontal. Mas também acha que quem quiser ver um espectáculo fará melhor em ir ao teatro. E também acredita que, quando o adversário preenche o espaço central, a sua equipa deve circular por fora. A primeira ideia sugeriu-a há uns meses; a segunda proferiu-a há poucos dias, mais ou menos por estas palavras. É um pensamento estratégico típico, mas é também um sintoma de cobardia táctica e de preguiça mental. Achar que muitos jogadores adversários no centro do terreno obrigam a equipa em posse a circular por fora do bloco defensivo adversário é como achar que o caminho marítimo para a Índia é demasiado perigoso e mais vale ir por terra. O futebol do Porto é pobre, e só em Portugal é que tanta pobreza poderia traduzir-se em títulos. 

Rui Vitória gostava muito de falar de honradez, só se exaltava quando lhe punham em causa os valores de pai de família, e não se sentia desconfortável com a fraquíssima qualidade colectiva da equipa que orientava. Falava jogo a jogo, e geralmente quando ganhava era porque tinha estudado bem o adversário e porque os jogadores tinham executado na perfeição a estratégia montada pela equipa técnica para aquele jogo em particular. Foram três anos e meio de agonia prolongada, e só as conquistas fortuitas e as vergonhas históricas ficarão para a posteridade. 

De José Peseiro talvez baste dizer que achava que Acuña podia ser médio-centro. São estes, ou foram estes, num passado recente, os treinadores portugueses das principais equipas portuguesas. O que lhes é comum é a obsessão com o próximo jogo e a crença de que o treinador pode interferir em tudo o que se passa dentro das quatro linhas. 

Todos eles estão convencidos de que os jogadores são marionetas, e de que o treinador é um marionetista de muitas mãos puxando de longe os cordelinhos com habilidade suprema; todos eles estão convencidos de que aquilo que as equipas fazem em campo é pôr em prática as intenções do seu treinador, e de que uma equipa está mais perto do sucesso quanto mais próximos dos comportamentos imaginados pelo treinador no banco forem os comportamentos dos jogadores no terreno de jogo; e todos eles estão convencidos de que um treinador é sobretudo um estratega a quem não compete senão enganar o estratega adversário. 

De Bruno Lage talvez ainda seja cedo para falar, mas quer o discurso quer o que tem apresentado em campo parecem indiciar mais do mesmo.

Em termos gerais, o treinador português é medíocre. Mas não o é por comparação com o treinador estrangeiro. Guardiola é espanhol, Klopp é alemão, Pochettino é argentino, Sarri é italiano. Não é uma questão de nacionalidade. Há bons treinadores, há treinadores razoáveis e há maus treinadores. E, regra geral, os bons são uma minoria. Em Portugal não é diferente. Estrategas todos são, qualquer que seja a nacionalidade e desde o mais fraco ao mais forte. É aliás fácil sê-lo. 

Qual é o treinador que, sabendo por exemplo que o lateral esquerdo adversário é lento, não pense que pode explorar essa fragilidade colocando aí o seu extremo mais rápido? Há decerto chimpanzés capazes de chegar a essa conclusão. Mas que impacto é que essa estratégia terá se a equipa não souber fazer lá chegar a bola em condições? E que consequências terá essa estratégia no resto da arrumação da equipa? O que distingue os bons treinadores dos outros não são as ideias estratégicas, que mudam semanalmente, consoante o adversário que tiverem pela frente; são as ideias próprias, que não mudam como um cata-vento nem se arrumam na gaveta quando as dificuldades aumentam, e é também a forma como essas ideias são operacionalizadas e se reflectem em campo semana após semana, nos comportamentos regulares dos jogadores.

O treinador português em geral é muitíssimo admirado, por exemplo, naqueles lugares infectos onde até a mais solicitada das meretrizes pode contrair doenças que não tinha, e onde actualmente o cérebro só predomina sobre o físico na porta de entrada. O que, aliás, não é de admirar: há doenças venéreas que degeneram em meningites. 

Até meados do século XVIII, os marinheiros que ficavam muito tempo no mar geralmente adoeciam: começavam por sangrar das gengivas, depois caíam-lhes os dentes, apareciam chagas, febre, icterícia e perdiam o controlo dos membros. O escorbuto vitimava muita gente porque a dieta a bordo de um navio era pobre em vitamina C. A causa da doença foi descoberta quando, em 1747, um cirurgião escocês chamado James Lind decidiu dividir em vários grupos os marinheiros afectados pela doença a bordo do HMS Salisbury, e instruiu um dos grupos para ingerir citrinos. A consequência notável da descoberta de James Lind, que surpreendentemente não era português, é que para evitar o escorbuto basta chupar limões. A receita é ainda hoje seguida por inúmeros portugueses, que se automedicam chupando todos os limões que puderem. 

Como mais vale prevenir do que remediar, quase todos os que em Portugal se dedicam ao comentário futebolístico procuram tratar preventivamente o "mal de Angola" (era assim que os marinheiros portugueses nos séculos XV e XVI chamavam ao escorbuto) chupando muitos limões. 

E é por haver tanta gente a chupar limões, e não por qualquer razão intrínseca, que o treinador português hoje em dia goza de tão boa reputação na opinião pública. Sempre que o leitor ouvir entoar loas a um treinador português, ou ler num jornal, num blogue ou numa rede social qualquer um comentário lisonjeiro, desconfie. É bem possível que o único motivo para tal seja a nacionalidade portuguesa do treinador e que o louvaminheiro de serviço não esteja senão a chupar deliciado um limãozinho. É que isto é gente que receia em demasia o mal da Angola. 

Já viu o leitor o que era se esta gente começasse um dia a sangrar das gengivas e não tivesse a ampará-la qualquer amiguinho? Mal por mal, mais vale encher a boca de aftas a chupar limões."

Exclusivo: "Da vergonha da Taça da Liga... à Bandeira do SL Benfica", por Rui Gomes da Silva

Avatar
 ●  + 70 comentários  ● 



1. A VERGONHA DA TAÇA DA LIGA

“QUE VERGONHA!!!

O 1.º golo do Porto precedido de falta!

E aquele que seria o 2.º do Benfica anulado ... por fora de jogo inexistente!

Já não é um “erro humano”! É um “roubo videográfico”!”

Foi este o texto que publiquei em todas as “redes sociais” por onde ando!

Indignado com o “roubo videográfico”, mas - também - intrigado, de novo, em saber ... porque é que nos fazem isto?

A nós - Benfica - de longe o maior clube português e (ainda) um dos grandes da Europa do futebol!

E a resposta, sendo uma, é, em si mesma, composta de muitas partes!

A resposta?

Não respeitam quem, hoje, “é” o Benfica!

As partes de que é feita essa unidade é que podem variar!

Porque ou odeiam a sua “fanfarronice”, ou desprezam a sua falta de classe, ou se riem dessa vulgaridade, ou acham irrelevante ser criticado por quem tem tantas “histórias” em termos de seriedade!

Ou seja, não levam a sério quem está ... no Benfica (embora esses julguem “ser” o Benfica)!

2. PORQUE PERDEMOS?

Então, porque perdemos assim?

Se, antes, havia a desculpa do erro humano, porque continuamos a perder assim, em pleno séc. XXI, com tanta tecnologia à mistura?

Sejamos honestos!

Como conseguimos fragilizar outro clube com tudo o que soubemos sobre o “Apito Dourado”, assim estaremos nós hoje, ... “10 anos à frente do nosso tempo”, ... mas incompetentes para, fora do campo, conseguirmos as condições para não sermos roubados “lá dentro”!

À incapacidade de gerirmos o futebol como um “grande europeu”, juntou-se a falta de coragem para agir à Benfica por cada “mail” conhecido!

E isso fragiliza-nos muito!

3. TÁTICA SEM ESTRATÉGIA

A essa incapacidade de gerirmos os danos de cada ataque, “respondemos” com a esperteza do momento sem termos um rumo definido.

Temos astúcia sem termos princípios, ... temos jogo de cintura, sem termos valores, ... temos respostas táticas sem termos estratégia!

Percebemos todos ... que os aliados de hoje são deitados ao lixo por um interesse qualquer de momento!

E que os inimigos de ontem são chamados à mesa do "orçamento das comissões", por um outro interesse qualquer!

E quem está do outro lado percebe isso, ... percebe essa “esperteza saloia”, esse desenrasca permanente que se sobrepõe ao que importa!

E o que importa - neste caso - são os interesses permanentes de um clube tão grande como o Benfica (que não podem ser confundidos com os interesses de quem “está”)!

4. SONS DO VAR 

Espoliado de uma vitória contra o Porto, na passada terça-feira, o Benfica exigiu - e bem - a divulgação das conversas entre o árbitro e o VAR desse jogo.

A pergunta que deixo é ... só agora?

No texto que escrevi aqui, no NGB, em 13 de Dezembro de 2017, suscitei a questão, face à recusa do Presidente do Conselho de Arbitragem em os divulgar porque - pasme-se - “o nosso futebol não está preparado para a transparência”!

E não tendo Fontelas Gomes , desde então, feito nada para isso, só poderemos concluir que, a eles, interessa que a coisa continue assim!

Ou seja ... sem transparência!

Recusando a divulgação de áudios dos jogos em que o VAR falhou!

Fontelas Gomes agiu de forma prepotente ... e o Benfica ... possivelmente mais preocupado, então (sabemos agora) com a venda do treinador, não quis saber dessa prepotência!

Já antes, em 6 de Novembro desse mesmo ano de 2017, eu tinha suscitado o problema face a, não um, mas dois pênaltis perdoados ao Porto, no jogo desse fim de semana!

Tão evidentes que até o “Jogo” o reconheceu!

Apelei, então, ao Presidente da FPF para acabar com aquele clima de suspeição permanente sobre a arbitragem no futebol português ... olhando para a incompetência, para a conivência ou ... para o medo que por aí vai!

Ora, perante tantos escândalos desse fim de semana, o que fez o Benfica, em termos institucionais?

Nada ... porque ainda achava que, com a inércia, acabaria campeão.

Trocando, mais uma vez, a estratégia pela tática, ... o oportunismo pelos princípio, o silêncio conivente pelos valores!

E, em vez de não se calar com isso, ... calou-se!

Em vez de exigir, sempre, o som do VAR, ... esqueceu-se de o fazer ... porque nos foram deixando ganhar!

Permitindo que se ouvisse o VAR quando o caso era com o Benfica (num fora de jogo que existiu) e não deixando ... quando os outros ganharam ... ou quando o Benfica, agora, perdeu!!!

E como quem cala consente, Fontelas Gomes só precisa de deixar passar uns dias ... para voltarem as palmadas nas costas e tudo cair no esquecimento.

Por isso ... não respeitam o Benfica!

5. INTRANSIGENTES NA DEFESA DO BENFICA

Para que nos respeitem, ... o Benfica tem que ser intransigente na defesa ... do Benfica!

Sem ceder e sem deixar cair no esquecimento cada “combate” pela verdade desportiva!

Intransigentes nos princípios, implacáveis nos valores, insaciáveis na luta contra tudo o que nos prejudica!

Sem dar tréguas nem deixar cair no esquecimento cada situação em que fomos prejudicados!

Intransigentes, até na posição em relação a Fontelas Gomes!

Porque oscilando entre a conivência e o ataque, ... entre o apoio e a demissão, ... entre o sorriso e o ataque ... só fortalecemos quem não queremos e só fragilizamos o Benfica!

Como se não bastasse a condição de fragilidade a que nos conduziram com os comportamentos que, hoje, conhecemos!

Mas como vivemos num mundo de imagens construídas pelas máquinas de (des)informação dos agentes - políticos ou desportivos ... no que aqui interessa - como poderemos alimentar a ideia ... incompatível com a grandeza do Benfica ... de termos notícias de que os jogadores - no Benfica - Porto de 3.ª feira - não quereriam entrar na segunda parte?

Ainda que isso pudesse acontecer em termos de desabafo, ... como pode um desabafo - com sanções desportivas e financeiras incalculáveis - ser vendido a um grande jornal desportivo por uma máquina de comunicação e a direção desse jornal lhe tenha dado honras de 1.ª página?

O jornal vendeu mais e os dirigentes - para os mais fanáticos - legitimaram o seu fracasso desportivo, com tal radicalismo!

Quem perdeu? O Benfica!

Poderíamos ter feito isso sem um castigo severo?

E os jogadores seriam capazes de propor isso ... a não ser em jeito de desabafo?

E mesmo querendo-o, algum deles arriscaria fazer isso sem a tutela dos dirigentes?

Então porque teremos que acreditar nas notícias plantadas para justificar as derrotas (de quem sabe que depende das vitórias para a sua sobrevivência) se isso não é compatível com a nossa dimensão?

Ou passaremos a ter uma história dessas a cada derrota nos próximos meses?

Para que nós - adeptos que “eles” pretendem irracionais - sublimemos a nossa frustração na atitude (imaginária) dos jogadores e consintamos na irresponsabilidade e na inimputabilidade dos dirigentes?

Voltando ao argumento do “não sou eu que marco os golos”?

Não me parece aceitável!!!

6. PRÓXIMA PARAGEM ... SPORTING 

Nesta deriva tática que vamos vivendo ... vem aí o Sporting!

Um Sporting de “papel” ... que veremos se um VAR qualquer não transforma em candidato ao título!

Frederico Varandas está a pôr-se a jeito, com invocação de linhas imaginárias ...

Com o desejo - o meu - de que não haja linha que os salvem!

No derby, como em todos os jogos que vá fazendo ...

7. SEM APELOS A FALSAS UNIDADES 

Para isso, para voltar a ganhar, ... valores, princípios, estratégia!

Com unidade mas sem unicidade!

Com unidade em torno dos valores do Benfica, mas sem confundir esses valores com os interesses de ninguém!

Como diria o Presidente do Benfica, depois da derrota em Braga, ... “Temos um chapéu por cima que é a bandeira do Benfica e quem não a respeitar não deve pertencer a esta família”. 

Não podíamos estar mais de acordo! Só que - talvez - não da mesma maneira!

Porque o Benfica não se confunde nem se pode misturar com nada que não seja o interesse do Benfica!

Porque ... prefiro mais, muito mais, as bandeiras empunhadas do que as bandeiras tipo chapéu!

As bandeiras projeto do que as bandeiras abrigo!

Ou, para ser franco ... muito mais os homens que seguem bandeiras do que os que se abrigam debaixo delas!

Porque a história do Benfica foi sempre feita por quem honrou a bandeira e lhe seguiu os ensinamentos ... e não por aqueles que a usaram e se serviram dela como abrigo!

Uma bandeira do Benfica ... à Benfica!

Ou um Benfica digno da sua bandeira!!!

Vamos a isso, Benfica?

sábado, 26 de janeiro de 2019

O que a Liga ou a FPF vão fazer?

Avatar
 ●  + 131 comentários  ● 


Um adjunto do FCP agrediu um adepto com uma medalha.
Onde vão andar os moralistas dos últimos dias
Vão perguntar a Sérgio Conceição sobre o tema?
Vão perguntar a Sérgio Conceição se é insuportável assistir à falta de fair play?
Recebem guarda de honra e depois vão embora?
Tudo isto vai passar impunemente?
O que se diria se fosse com o SL Benfica?
Já agora, o Soares está melhor? Espero que as análises ao sangue não acusem nenhuma doença...







sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Preparem-se para a nova mentira: Rui Pinto ao serviço do Benfica!

Avatar
 ●  + 67 comentários  ● 
Diz o advogado do rapazinho que (vejam bem) ele foi preso por divulgação de informação relativa ao Sporting em 2015...

Estão a ver bem o que se está a preparar, certo? Começo "uma certa imprensa" por lhe chamar carinhosamente "Hacker do Benfica", sabendo a gente da comunicação que há expressões que ficam na cabeça das pessoas... e entretanto ganham sentido!

Nos próximos dias irá começar a montar-se a história que Rui Pinto actuou a interesse do SLBenfica para expor dados confidenciais do Sporting e FCPorto... para com isso preparar o que será a mensagem para quando se provar o crime orquestrado pelos rivais do SLBenfica:

- afinal... o que Rui Pinto cedeu ao Sporting e FCPorto foi o mesmo que antes fizera a interesses do SLBenfica, por isso, ao final de contas a culpa disto tudo é... do SLBenfica!

Durante semanas a imprensa afecta e os peões como o Jota Marques irão incessantemente explorar que o SLBenfica patrocinou crimes de violação de dados dos rivais... e com isso tentar travar o que se adivinha: comprovar o CRIME levado a cabo com financiamento de rivais.

Este esquema visa esconder o que já todos perceberam e que é a minha opinião sobre o que se passou:

- Um rapaz explorou a vulnerabilidade dos sistemas onde os tres grandes tinham todos os seus dados digitais. Acho que não é preciso recordar que empresa era, nem quem geria os ativos digitais dos clubes. Posso dizer-vos que, segundo notícias, entretanto o SLBenfica retirou imediatamente todos os seus dados dessa empresa (e a gestão desses ativos já tinha terminado com o fim do contrato e arranque da BTV).

- Com o acesso a esses dados, o rapaz começou a tentar extorquir os clubes a troco de não divulgar informação - uma prática comum entre os ciber criminosos.

- Só que o rapaz estava a interagir não com gente normal, mas com mafiosos.

- Com este ativo nas mãos, um dos clubes resolveu orquestrar uma ofensiva ao SLBenfica e desafiou o outro rival para subir a parada ao miudo a troco do silencio das suas informacões e do acesso a todos os dados do SLBenfica.

- Acabou por sair o Euromilhões a todos: O rapaz recebia muito mais dinheiro do que estava a pedir em troca do silêncio, os clubes rivais acederam a toda a informação interna do SLBenfica (contratos de jogadores, de patrocinadores, dados privados, profissionais, tudo....) e ainda viram salvaguardado que seria apagado tudo o que ele tinha sobres os seus clubes.

O resto... bom, o resto vocês sabem o que aconteceu.

É apenas a minha opinião, veremos com o tempo (e se houver um mínimo de justiça em Portugal) se a verdade não irá revelar isto mesmo.

INSUPORTÁVEL!

Avatar
 ●  + 56 comentários  ● 

"É isso que importa e cada vez mais isto está a ficar insuportável, já se está a passar o limite do respeito pelas pessoas. Está-se a entrar em vocabulário e insultos que não é bom para ninguém."
Palavras do treinador do FC Porto, Sérgio Conceição.

Isto seria muito bonito de dizer e fazer se, como no caso do FC Porto, a realidade não funcionasse como um balde de merda para cima do próprio Sérgio Conceição.



Insuportável é o ambiente de guerrilha que o banco do FCP causa em todos os jogos. Invariavelmente 6, 7 ou mais elementos em pé pressionando e desestabilizando.




Insuportável é o FCP entrar invariavelmente atrasado em campo e à revelia do respeito pelos adeptos, pelos adversários e pela equipa de arbitragem.

Insuportável é assistirmos vezes sem conta a benefícios aos mesmos semana após semana e em especial quando esses não estão a corresponder em campo.

Insuportável é olhar para a folha de jogo do SL Benfica - FC Porto e ver que um dos delegados da LIGA é sobrinho de Reinaldo Teles.

Insuportável é ver que árbitros ameaçados como Soares Dias ou Tiago Martins continuam em funções sem que qualquer detenção ou responsabilização tenha sido aplicada.

Insuportável...é ver Sérgio Conceição vir dar lições de moral seja a quem for. 

Mas a realidade é que para os adeptos de futebol isto está mesmo a ficar insuportável.
Os principais responsáveis? Os dirigentes!

Os mesmos que pagam por opinião como ficou evidente hoje com o caso Pedro Henriques e que sabemos está longe de ser caso único. Ou vamos ignorar as encomendas que todos os dias defendem o indefensável, só porque é do seu clube?

Os dirigentes do nosso futebol são os principais interessados nestas guerras, nesta ambiente de latrina que afasta do nosso futebol o seu bem mais importante: os adeptos.


Alguém acredita na sinceridade ou honestidade dos dirigentes dos nossos clubes quando NEM UM DELES responsabiliza ou pede responsabilidades e medidas ao PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL?

PORQUE NINGUÉM QUESTIONA DIRECTAMENTE FERNANDO GOMES?

Alguém acredita na capacidade de Fontelas Gomes após quase 2 anos de uma incompetência neandertal? 

ENTÃO SE NÃO ACREDITAM PORQUE NINGUÉM EXIGE A DEMISSÃO DE FONTELAS GOMES? PORQUE NINGUÉM FALA EM PAULO COSTA?

A realidade é que Luis Filipe Vieira, Pinto da Costa e Frederico Varandas andam a brincar com os adeptos.

Isto está insuportável para todos nós mas não para eles, com os seus teatrinhos de indignação sem qualquer consequência prática.

O que mereciam? ESTÁDIOS VAZIOS.

Avençados para influenciar fora de campo, mas também os há lá dentro!

Avatar
 ●  + 59 comentários  ● 

António Salvador denunciou... e Varandas foi logo a correr fazer de puritano e cancelar a avença. Portanto, quer esse rapazola fazer-nos acreditar que não sabia porque pagam ao homem e que não estava bem ciente dos beneficios desse pagamento? Então saem pagamentos da SAD e não sabe porquê? "ah e tal já era assim..." TRETAS!!!!

Pedro Henriques é APENAS UM dos muitos avençados para estar em programas de televisão, como supostos isentos, a influenciar a opinião publica.

Mas desenganem-se os que pensam que isto só acontece nas televisões! Estas avenças ocorrerão a muitos agentes desportivos.

Não admira que queiram fazer um caso de ofertas de camisolas e bilhetes a gente que não influencia resultados, aliás segundo se provou na justiça não influenciam absolutamente nada... tal como não influenciavam resultados os agentes do SEF que recebiam camisolas e bilhetes do FCPorto para serem mais rapidos e fazerem menos perguntas na hora de legalizar jogadores do FCPorto.

Vergonha de futebol...
Só lamento que não haja mais gente com a coragem do António Salvador e que mais destas vergonhas não sejam denunciadas.

Lembrança e respeito

Avatar
 ●  + 18 comentários  ● 


ESCÂNDALO: Francisco J. Marques chamou de "CORJA" ao Benfica!

Avatar
 ●  + 32 comentários  ● 




Parabéns à página do Twitter "O Polvo das Antas" que de uma forma muito fácil desmascarou por completo o Director de Comunicação Francisco J. Marques, que já é arguido pela prática de vários crimes contra o Benfica!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

O carrossel não pára

Avatar
 ●  + 89 comentários  ● 

- 24/01: Vasco Paciência vindo do Boavista

- 24/01: Pedro Henrique vindo do Leixões

- 24/01: Bernardo vindo do Leixões

- 23/01: Leo Kokubo vindo do Kashiwa Reysol

- 17/01: Aleksandr Isailovic vindo do Valladolid

- 16/01: Matias Lacava, dispensado pela Lazio

- 18/12: Adrian Bajrami vindo do Young Boys

JOGADORES DE QUALIDADE INTERNACIONAL PARA REFORÇAREM A EQUIPA PRINCIPAL? ZERO.

O Penta não foi prioridade para Luis Filipe Vieira e ganhar este campeonato também não é, pelo visto.



Nota final: Um grande abraço ao Valdemar Duarte que, na BTV, chamou ao FC Porto CORJA.

Ora, como a foto acima demonstra, CORJA é o mínimo que se pode dizer. Ou será que esqueceram que, por exemplo, o senhor de barrete atrás do agente da autoridade, e que escoltava Pinto da Costa, era Bruno Pidá entretanto condenado a 24 anos de prisão por homicídio.

O "braço armado do anti-Benfica" (link) continua bem vivo.

Valdemar Duarte, pela imparcialidade e coragem que sempre demonstrou, já tinha sido agredido no Dragão no exercício da sua profissão. Ele sabe bem porque lhes chamou CORJA.

O teatrinho dos presidentes para enganar os adeptos

Avatar
 ●  + 75 comentários  ● 
Falta de vergonha na cara
Desde o presidente do SL Benfica, passando pelos presidentes do Sporting e do Braga, e acabando no presidente do FCP e da "sua ironia do costume", todos eles andam a gozar com os adeptos do futebol em Portugal.

O trio anti-Benfica
O VAR é um falhanço e apenas tornou possível que um roubo possa ser efectuado também pelos juízes sentados em frente a um ecran.

Mas não é de agora. Desde o princípio da temporada passada que o VAR é isto!

O que mudou desde então? NADA!

O que fizeram estes presidentes para reformar o futebol em Portugal? NADA!

O chico esperto e o trolha
É evidente para todos no futebol que Fontelas Gomes é um fantoche. Paulo Costa é o verdadeiro presidente do Conselho de Arbitragem.

Fernando Gomes e Tiago "Cachecol do Porto" Craveiro são os gestores do futebol português.

QUANTAS VEZES É QUE OS SENHORES PRESIDENTES EXIGIRAM MEDIDAS A QUEM MANDA?

É a atacar os árbitros que se vai conseguir mudar alguma coisa? Claro que não.

O problema está em quem dirige. 

E estes senhores presidentes são todos uns hipócritas pois contribuem para o problema e não para a solução.

Quem tivesse interesse em resolver os problemas ía à Cidade do Futebol, com toda a publicidade pública possível, exigir medidas. 

Mas não. Preferem vir agir como adeptos fanáticos e sem responsabilidades, safar o próprio couro e apontar sempre o dedo ao inimigo de amarelo.

Hipócritas.

ranking

recentes

Mensagens populares