O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 27 de maio de 2017

Zhora, Messi, Rui Vitória e Taça de Portugal.

Avatar
 ●  5 comentários  ● 
Artigo da autoria do benfiquista "Taça da Cerveja":

"No seguimento do post do Zhora, aproveito para tecer alguns comentários sobre como vi o que aconteceu esta época (que só termina no próximo Domingo).

Concordo com o Zhora quando refere que aquilo que Messi trás ao futebol não é igual ao que Ronaldo consegue, de forma inata, produzir. Acho, contudo, injusto que tal desvalorize, de certa forma, o que o Ronaldo faz (e no aspeto que pretendo focar, pode ser transposto para o Pep ou Mourinho).

Todos, e cada um de nós, temos as nossas qualidades, fraquezas, ponto forte e fracos... La Palice... o que penso que devemos aprender a fazer, o que no fim do dia devia importar, é a capacidade de cada um no aproveitamento do que tem de melhor, na melhoria do menos bom, na capacidade de se destacar, de forma justa, com as armas e fragilidades que cada um possui!

É neste sentido que acredito que o desporto deve ser vivido e sentido, sabendo que apenas um pode ganhar, conta muito o esforço e o trabalho que se consiga colocar em campo... também conta muito todas as capacidades inatas com que nascemos, sendo que Ronaldo e Messi serão excelentes exemplos... um apresenta maior genialidade outro maior rigor e capacidade de trabalho...o melhor dependerá dos olhos de quem os vê, da matriz de análise de cada um, sendo que o mais importante será reconhecer que ambos podem ser magnifícos exemplos.

Seguindo esta lógica, vi nesta época a confirmação de que a principal capacidade de Rui Vitória, pelo menos para mim, é a gestão do balneário. Esta será uma capacidade inata pois é de difícil aprendizagem. Penso também que há trabalho a realizar e esforço a empreender no sentido de melhorar os processos táticos da equipa... Equipa que corre o risco de ser substancialmente diferente na próxima época e como tal todos os aspetos a melhorar serão importantes.

Vi também, uma equipa que demonstrou uma capacidade de inter-ajuda sem igual e que, considero, ter grande responsabilidade no TETRA. Muitas vezes quando se refere que o campeonato nacional é dominado pelos três grandes não se reflete na real capacidade que qualquer equipa tem de fazer um jogão... não no sentido da qualidade que possam ter ou não ter mas no sentido de colocarem no campo todo o trabalho e esforço que são capazes... isso não é valorizado devidamente... o SLBenfica conseguiu mais uma vez uma excelente época com uma série de jogos extremamente difícies (por exemplo, Braga ou Rio Ave).

Essa inter-ajuda foi também responsável, na minha opinião, por jogos menos conseguidos em que a necessidade de reforço nalguma posição, desequilibra a capacidade da equipa de colocar os seus processos em campo... sobretudo quando o adversário consegue colocar mais pressão no meio campo e se nota a falta de um médio mais forte como, o Renato da época passada... Sem querer desvalorizar o trabalho do Pizzi que foi excelente

Custa-me imaginar uma equipa sem Ederson, Semedo e Grimaldo... ficando dois destes três, penso que tudo ficará bem...

Acredito que do lado dos corruptos, a principal razão do insucesso foi o curto plantel... e este nunca se ter tornado numa equipa. Já do lado do lumiar, foram tantos os erros, que nunca assustaram.

Espero que para o ano, o Rui consiga manter a união da equipa, que se reforce a posição 8 e que LFV pense com cuidado nas vendas... o sucesso na Liga dos Campeões tem valido quase 30 milhões / época + 40 de televisão + 20 de publicidade temos os custos fixos pagos pelo que não será necessário entrar na loucura de querer fazer tudo ao mesmo tempo... mais quando acredito que aos corruptos é impossível evitar a entrada no fair play financeiro, que deverá mais ou menos representar a apresentação de um plano de reestruturação mas sem grandes impactos na preparação da próxima época... acredito também que as mexidas nos bastidores serão imensas e para o ano teremos 34 jogos ao nível de um Braga ou Rio Ave.

Acima de tudo, espero que Domingo o Glorioso consiga colocar em campo todas as suas forças, capacidade de trabalho e genialidade e trazer a taça para casa. Se assim for, podemos depois discutir o que mais gostamos: se dos que colocaram mais esforço, se dos que apresentaram maior velocidade, se dos que conseguiram maior promenores técnicos, etc."

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Bernardo Silva.

Avatar
 ●  71 comentários  ● 


Bernardo Silva, o jogador que alguém entendeu que só merecia jogar um total de 8 minutos na Liga Portuguesa pelo Sport Lisboa e Benfica, que alguém achava que tinha que jogar a lateral esquerdo e que foi prematuramente vendido e por um valor baixo para o seu potencial(Jovic+Carrillo custaram o mesmo valor encaixado pelo SLB após a comissão para a Capital XXIII) assinou por um valor milionário com o Manchester City.

Ao Bernardo, benfiquista de bancada que não perde uma oportunidade de vir à Luz ver o Glorioso jogar e por quem tantas vezes nos batemos no NGB pelo seu valor e oportunidades, desejamos as maiores felicidades neste novo desafio.

Mereces, Bernardo.

Vídeo árbitro: o debate ( A propósito da Final da Taça) Questões do jornalista Paulo Garcia

Avatar
 ●  44 comentários  ● 
Fizeram-nos chegar ao email do blogue um artigo de opinião publicado pelo jornalista Paulo Garcia(moderador do "Dia Seguinte") sobre a questão do vídeo árbitro.

É extenso mas levanta questões muito profundas sobre a temática em que o Sport Lisboa e Benfica e o Vitória de Guimarães vão ser cobaias.

Leiam e partilhem a vossa opinião, p.f..




Ando há muito tempo a ser desafiado para dar opinião sobre o video-árbitro. Tenho tentado não o fazer porque, até por razões óbvias inerentes ao meu trabalho, tenho tentado perceber as respostas para poder fazer perguntas como é aliás a minha função. Porque elas tardam a ser esclarecidas vou tocar pela primeira vez nisto. Não sei se será a última... 

O vídeo-árbitro é um computador, uma aplicação informática que actua directamente na componente-jogo, sem interferência humana? 

Ou o vídeo-árbitro é humano, utiliza apoio tecnológico, julga, avisa, sugere, influencia as decisões do árbitro? 

Se é assim, quais os critérios utilizados para a sua nomeação? 

A entidade reguladora do vídeo-árbitro exigiu a existência, para memória futura, de uma gravação audio-vídeo, de tudo o que se passar dentro da sala ou centro de operações? 

Quem julga e classifica este video-arbitro? 

As imagens que podem influir na decisão do vídeo-árbitro, chegam a casa das pessoas através da transmissão em direto do jogo? 

Ou o publico no estádio (e telespectadores), podem ver uma decisão do jogo modificada, sem que percebam concretamente o porquê dessa decisão, por não terem acesso a essas mesmas imagens? 

Dessas imagens que fazem parte do dito protocolo, consideradas erros grosseiros, quantas seriam na prática corrigidas pelo vídeo-árbitro no tal conceito de erro grosseiro? 

É exequível e há a garantia da existência das mesmas condições tecnológicas em todos os estádios? Todos os estádios têm condições tecnológicas para as tais 18 câmaras? 

Como é que se oficializa algo de tão importante sem um único teste publico credível? 

Qual o critério de nomeação dos árbitros para a Primeira Liga? 

Refiro-me aos dois: de primeira e segunda categorias, já que os de 1ª categoria também terão, em simultâneo, o estatuto de video-árbitros. 

E há árbitros que cheguem? 

Tudo isto num critério que, a partir de agora, quase obriga a árbitros de 1ª categoria na 1ª Liga e os de 2ª categoria na 2ª Liga, porque o número de árbitros, em especial de 1ª categoria, são limitados? 

E para além destes, quem serão os outros vídeo-árbitros escolhidos e porquê? Seleccionados com que critério? 

Quem são (e de onde saem) os seus observadores? 

Que poder e conhecimentos têm deste tipo de intervenção? Quem os nomeia? O Conselho de Arbitragem? 

Qual é o critério seguido e é baseado em que permissas? E se passa a haver observadores para o vídeo-árbitro, para que é que servem os observadores tradicionais dos árbitros? 

Qual o critério para o conceito do que será o 'erro grosseiro'? 

Das 17 leis que consagram o futebol, 16 dependem do critério do árbitro. Quem julga e decide a partir de agora? 

Que sinais obtidos foram feitos, analisados e ratificados sobre a pressão alta da competição? Das experiências efectuadas até agora, quais delas ajudaram a que se considere estarmos na iminência do 'fim do erro'? Do dito grosseiro e dos outros...

O tal 'protocolo' sugere que os fiscais de linha continuem a ter a mesma conduta na questão do fora de jogo. A mesma postura... 

Então para a sua classificação nos jogos, vão continuar a contar as decisões acertadas e aquelas que não o são? Refiro-me aos lances de fora de jogo bem ou mal assinalados. 

Que sentido é que faz, com o vídeo-árbitro em acção, a regra do fora de jogo continuar a ser controlada e aplicada pelo árbitro auxiliar? 

Então se o 'protocolo' não quer mexidas no desempenho dos árbitros auxiliares, é justo que as equipas possam ser prejudicadas pelas precipitações do fiscal de linha? Não? Então a partir de agora o que é que os fiscais de linha lá estão a fazer? 

E o silêncio dos árbitros sobre tudo isto? Estão calados em nome dos benefícios ou dos prejuízos na sua acção enquanto juízes? 

Por fim, para mim, a pergunta mais pertinente de todas :

- Pode ou não o jogo ser controlado, não pelo árbitro mas pelo vídeo-árbitro? 

Mais claro ainda: 
- Pode ou não o vídeo-árbitro "arbitrar" o jogo desde a sala de operações, influenciando, controlando, interferindo, minuto a minuto e através da escuta, no trabalho do árbitro? Se pode para que é que o futebol precisa do árbitro?

Pensou-se nisto tudo? A evolução que tanto se deseja está nesta nova tecnologia? Era bom que sim. E acredito que seja essa a intenção...

Mas está a soar a: 
- "Metam lá isso e depois logo se vê.."

Ou essa dita evolução tecnológica faz sentido para ajudar, ou então, num efeito boomerangue, pode ser fatídico...

Para fechar gostava de perguntar aos maiores inimigos das novas tecnologias e refiro-me à FIFA e à UEFA, o que os fez passarem a ser defensores acérrimos daquilo que odiavam? 

Atirando para o buraco opiniões de especialistas, entre eles, intervenientes directos do espectáculo que apontavam para a necessidade de mais tempo para estudar a solução. 

Porque que é que a Alemanha recuou - depois de vários testes online - mesmo que muito pressionada para avançar? 

Porque é que quem decide viu no futebol português e holandês os palcos certos para a experiência? A quem serve a dita ligeireza nisto? 

Lembrei-me do enorme prejuízo financeiro de que se revestiu a aplicação da relva sintética em detrimento da relva natural nos estádios, dos milhões perdidos em empresas criadas alegadamente especializadas em relvas de plástico e subsidiadas pela própria FIFA e UEFA, representando um dos maiores rombos financeiros da história do futebol. 

Esperemos que esta ligeireza desta vez seja rentável...

Se assim não for, poderemos estar perante outro embuste. 

Seria o erro humano mais grosseiro da história do futebol.

Tinha (e acreditemos que tem) tudo, para com calma, sem antecipações precoces...dar certo.

Paulo Garcia

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Liga Salazar?!?! Ganhem vergonha, c?&%lho!!

Avatar
 ●  10 comentários  ● 
Se tivesse de escolher O MOMENTO do Campeonato deste ano, esse só pode na verdade ser este, o momento em que o FCPorto joga na Luz contra o Benfica, e que tendo a possibilidade de ao vencer passar para a frente, empata e fica atrás, deixa de depender de si para ser campeão, mas ainda assim encontra motivos para celebrar no final esse empate, com vários jogadores de punho fechado e sorriso rasgado, em contraste com os jogadores do Benfica, tristes e desapontados com o mesmo empate, que ainda assim os mantinha na liderança da Liga.

Os Benfiquistas, a quem o empate servia, ficaram desapontados. Os Portistas, a quem o empate não servia, encontraram motivos para celebrar! Os tempos mudaram realmente!

E é esta gente, que hoje tem a lata de chamar a esta Liga de Liga Salazar, esta gente que ainda nem há muito tempo teve a lata de criticar o Benfica por celebrar uma VITÓRIA na Madeira que deixava o Benfica DONO DO SEU DESTINO e com tudo para ser campeão (embora depois não tivesse sido capaz de vencer o Estoril em casa), vai à Luz a ter de ganhar, não ganha nem faz por isso, e celebra no fim porque, vá-se lá saber porquê, achava que seria capaz de ser Campeão, não à conta do seu mérito mas à conta dos pontos que o rival perderia aos pés de terceiros!

Àqueles Benfiquistas que andam pelas TVs a defender o Nuno Espírito Santo, convenhamos, eu até entendo, eu até entendo que aos Benfiquistas até interessava que o escrevinhador de blocos lá ficasse muitos anos, mas a verdade meus amigos, é que tivesse sido o Benfica a ir jogar ao Dragão, a precisar de vencer e a não conseguir e a não tentar sequer, e vê-los depois celebrar no final um empate que colocava o nosso sucesso irremediavelmente nas mãos de outros, e eu aqui estaria no dia seguinte a desancar em Rui Vitória de alto a baixo e a perguntar que raio de mentalidade é esta!

A verdade é que desde aí, desse "felicíssimo" (para o Porto) empate na Luz, que deixava os azuis a rezar a cada domingo para que um qualquer Moreirense fosse capaz de fazer ao Benfica aquilo que o "Grande Porto" não tinha sido capaz de fazer (com o "Grande Porto" a ter agora de ganhar sempre), esse GRANDÍSSIMO FCPorto, que só não ganhou o campeonato por causa do Salazar, nos 7 jogos desde o jogo da Luz só ganhou 3!

E que fez o Benfica nos mesmos 7 jogos? Em 7 ganhou 5, e os que não ganhou foi um empate em Alvalade (que era o resultado que nos interessava), e este último no Bessa que era já um jogo a feijões!

Eu se fosse Portista, sinceramente, borrava a cara de merda se depois de um vexame destes e de um festival de incompetência tão flagrante, ainda viesse para a praça pública dizer que só não ganhámos por causa do Salazar!

Fez o Benfica este ano um campeonato extraordinário, arrasador, de um futebol delicioso e com qualidade inquestionável?! Não, não fez, mas para ser campeão em Portugal também não tinha de o fazer!

Para ser campeão em Portugal, só tinha, na verdade, de ser melhor que os seus rivais portugueses, e aqui só alguém muito desatento ou em profundo estado de negação pode vir dizer que não foi.

Querem que o Benfica chegue ao penta no próximo ano a precisar de jogar mais do que jogou em alguns jogos deste campeonato?! Deem mais luta, é o que me apetece dizer...

O que vos devia preocupar verdadeiramente é como é que o Benfica, que assumidamente até foi exibicionalmente mediano em alguns momentos da época, foi capaz de vencer o Tetra com tanto conforto!


Liga Salazar?!?! Ganhem vergonha, c?&%lho!!

"Maior que Portugal" - artigo de opinião de Rui Gomes da Silva.

Avatar
 ●  64 comentários  ● 

O TETRA É NOSSO ... MAS ELES TAMBÉM SÃO TETRA

UM TETRA DE 14 MILHÕES

O tetra é nosso!
Já o tinha dito na semana passada.
E nunca será demais lembrá-lo, especialmente a quem - em conjunto, tipo "Romeu e Julieta" ... sem se saber bem, ainda, quem faz o papel de quem - tanto "fez" para que o não fossemos. 

Nosso, dos 14 milhões de adeptos, espalhados por todo o mundo.

Nosso, dos 32 jogadores!

Nosso, de Rui Vitória e de todos os que trabalharam com ele!

Nosso, do Presidente e da sua equipa!

Nosso, ... do Benfica!!!

OS TETRA PERDEDORES 
Mas, nesta hora de vitória, de alegria, de jubilo e de felicidade, não nos podemos nem devemos esquecer dos que tornaram essa vitória mais saborosa!

De quem, nos primeiros quatro anos à frente de "uns" (desde que tomou posse como presidente) e de quem, nos últimos quatro anos à frente de "outros" (o presidente "mais ... ninguém sabe o quê", ... mas todos sabemos "como") tudo fez para que não ganhássemos e ... perdeu!!!

Quatro anos - um e outro ... a ordem é arbitrária - em que inventaram, condicionaram, insultaram, resmungaram, enganaram, pressionaram ... para tentarem não deixar ganhar o Benfica!!!

Com a perfeição dessa junção de forças, de "amigos para sempre" na derrota, ter atingido o seu auge na época do nosso tetra!

Como poderemos exemplificar sem sermos exaustivos...
Eles tentaram inventar que nenhum dos pênaltis marcados a nosso favor existiu mas que a favor deles ficaram por marcar dezenas de castigos máximos ... e por isso não ganharam este campeonato!

Eles tentaram condicionar árbitros com ameaças aos próprios, às famílias, que teoricamente os tinham prejudicado (contra eles ninguém ganha com mérito) ... por causa de quem não ganharam este campeonato!

Eles inventaram novas designações para o campeonato que disputavam a partir do momento em que se sentiram impotentes para, no campo, inverter o sentido das coisas ... para, assim, poderem dizer que não ganharam, por razões alheias!

E - ridículo dos ridículos - foram só ponto de contestar a nomeação de uma delegada da Liga ... porque ela era - imagine-se o atrevimento - do Benfica!

Com saudades do tempo em que os observadores eram ex-dirigentes e os delegados eram ex-funcionários da formação ... deles!!!

Mas, para além disso, é preciso recordar-lhes - bem alto - que:

... na Liga está quem eles elegeram e não o candidato que o Benfica apoiou!

... na arbitragem já não está quem eles achavam ser a única razão para o Benfica ganhar!

... nos observadores já não manda quem eles achavam que tudo deixava passar para o Benfica poder vencer!

SÓ OS BURROS FALAM DE ARBITRAGEM 
Então, porque perderam "uns" e "outros"?

Por causa das arbitragens, pois claro, ... embora já ninguém se lembre da euforia sem limites de "uns" e dos elogios eufóricos de "outros" a essa mesma arbitragem e à sua qualidade ... quando empatámos em casa, na segunda jornada, com o Vitória de Setúbal.

Lembram-se os mais atentos ... mas aqui estamos para o recordar aos da memória seletiva anti Benfica!

Porque é bom que nos recordemos desses comunicados a congratularem-se pela melhoria visível da arbitragem portuguesa ... 

Ou pelas declarações de quem, também no rescaldo desse mesmo empate, nosso, contra o Vitória, veio afirmar do alto de um pedestal, usado e decadente (que já não impressiona ninguém), que se iría ouvir muito falar de arbitragens ... sempre que o Benfica não ganhasse!

Na verdade, o Benfica não ganhou algumas vezes.
Mas foi nas vezes que eles (uns" e "outros") não ganharam que mais se ouviu falar de arbitragens.

Ou - a acreditar no Presidente dos "outros" - ouvimos as vozes de burro desses dirigentes ... porque (lembram-se do que o homem dizia) ... "só os burros falam de arbitragem".

Os burros e os perdedores!

Ou - numa talvez feliz simbiose que não me atrevo a desmentir ... os ... "burros perdedores" ... ou os ... "perdedores burros"!!!

E sendo a ordem dos factores arbitrária, ... no que aqui nos interessa - em ambos os casos - tetra perdedores!

Tetra derrotados! Por isso o nosso tetra é também deles!

O presidente de "uns" perdeu-se na fanfarronice das mensagens (a que agora, infelizmente, pôs fim) convencido que, depois de ter perdido o campeonato por 2 pontos (embora - já todos o sabemos - a jogar o melhor futebol), este ano seria um passeio!

Enganou-se!

Embora - para não se ter enganado - bastasse olhar para a 2º época do senhor em causa do outro lado da 2ª circular!

O presidente dos "outros" terá - porventura - achado que quem ganha com o Canelas, ajuda qualquer equipa do mundo a ganhar!

Só que aqui não havia nem podía haver um Sport Clube Rio Tinto - a cujos dirigentes e atletas devemos um elogio público pela coragem e pela dignidade da atitude assumida (voltarei a isso um dia destes)!

E os outros clubes com quem o clube principal dos adeptos do Canelas, Futebol Clube ... do Porto, tinha que jogar ... não faltaram ... e os "dragões" empataram! Rima e foi verdade!

Empataram tanto que o culpado deixou de ser Salazar e passou a ser o Espírito Santo!

O que poderá consubstanciar um passo atrás nas relações entre o velho Papa (eram assim, não era, que ele era designado???) e o Francisco lá do sítio (que de santo ... não tem nada)!

Ou seja e em resumo: o nosso tetra também é o tetra deles!

Deles e de quem acredita - tenho muitos amigos que estão nesses grupos - que os homens, mesmo com a "nova aliança" - não são a solução ... nem, sequer, parte do problema!

Eles são o problema! Ainda bem que por lá continuam!

Porque se por cá continuarem a andar, o penta que não será nada fácil, ... fica um bocadinho mais perto!

Porque o ódio turva-lhes a lucidez!

Ou como li, um dia destes, num perfil do "Facebook" de alguém:
"Os que nos odeiam são nossos admiradores secretos! Que não entendem porque nos amam tanto!"

Viva o Benfica!

E AGORA ... A TAÇA!!!

Viva o Benfica ... com uma esperança - muito grande - de poder vencer a Taça de Portugal no domingo ... por todas as razões e mais uma!

Exactamente essa ... que nao repito porque todos sabem qual é!

Carrega Benfica ... rumo à dobradinha!!!"

-----------------------------------------------

- Artigo escrito por Rui Gomes da Silva e publicado no jornal "A Bola".

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Zhora vs. Shadows

Avatar
 ●  96 comentários  ● 
Hoje apetece-me embirrar com o Shadows. Mas antes disso, deixem-me enquadrar o post.

Há uns anos, uma troca de argumentos com outro escriba do NGB, acerca de Cardozo, trouxe-me até aqui, a convite do Shadows. Claramente, a lógica da minha argumentação convenceu-o e aqui estou eu (apesar da falta de assiduidade). Não me recordo de que lado da discussão ele estava, mas o que é certo é que após uma maratona negocial, assinei por este blog. :)

Vamos ao que interessa. Quero embirrar com ele, porque apesar da minha ausência da escrita, sigo todos os posts e comentários diariamente, e hoje decidi que era hora de pôr os pontos nos iis. O comentário dele no último post fez-me saltar a tampa:

Gosto do Ajax, prefiro o Liverpool em Inglaterra, mas ganha Mourinho para que se espumem todos os que atacam o treinador que ganha em qualquer país onde treine.

Mourinho? Melhor que quem? Que Guardiola?

Vamos lá ver se nos entendemos. Mourinho pode ganhar em todo o lado. Tem mérito pelo trabalho que faz/fez. Mas é bonito o futebol dele? Dá vómitos... É o futebol manhoso de quem acha que vale tudo para ganhar. Incluindo os tais mind-games que ele tão bem domina. Nem que tenha que inchar o ego dele até rebentar e humilhar o adversário. Um modelo de personalidade portanto...

Um grande mérito lhe reconheço: não há ninguém melhor que ele a trabalhar a parte psicológica dos jogadores. Ele mexeu com o futebol dessa forma. Mas foi só isso. É um “só” muito grande, reconheço, mas traduz-se num jogo enfadonho. Triste. Manhoso. Arrogante. A imagem dele próprio. Mas que o homem trabalha bem, lá isso trabalha. Eu é que... pronto... não gosto da pessoa, do treinador, do futebol.

Agora, Guardiola... Ora aí está um treinador que fez o que muito poucos (eu não me lembro de nenhum outro, mas admito que tenham existido) fizeram: mudou o futebol. Não mudou uma vertente do futebol. Mudou TODO o jogo.

Guardiola mudou o futebol do Barcelona. Consequência: títulos atrás de títulos. Efeito borboleta: Espanha campeã europeia e mundial! O homem criou um modelo que inteligentemente foi aproveitado na seleção com os resultados que se conhecem.

Guardiola levou o seu futebol para o Bayern. Consequência: títulos atrás de títulos. Efeito borboleta: Alemanha campeã mundial! Mais uma vez, como os alemães não são nada parvos, inteligentemente aproveitaram o trabalho feito por Guardiola no Bayern para terem proveito dele na seleção.

Sim, eu sei que se diz que o tiki-taka não foi inventado por ele. Mas o jogo de passes curtos não era eficiente. Não a estes níveis. O homem não se limitou a recriar um sistema de jogo. Criou um sistema de jogo eficiente e brutalmente dominador. Goste-se ou não do estilo, as estatísticas de cada jogo das suas equipas neste período não mentem. Pessoalmente, adoraria ver o Benfica dominar os seus adversários desta maneira. Sou um confesso admirador do tiki-taka de Guardiola e dos seus resultados. Sou admirador da GENIALIDADE de Guardiola. Se além disso juntarmos a classe que demonstra quando lida com a imprensa, então faz de Mourinho uma pessoa... pequenina. Deste tamanhinho, como dizia o outro.

E agora pergunta o Shadows: se ele é assim tão genial, porque não ganha em Inglaterra?
Talvez seja pela mesma razão pela qual Mourinho foi despedido no Chelsea...

E Shadows, digo-te mais: M-E-S-S-I! É, a anos-luz, melhor que CR7. Exatamente pelas mesmas razões que Guardiola vs. Mourinho: é GÉNIO!

CR7 pode ganhar tudo e mais um par de botas, como Mourinho. Para mim, NUNCA chegará aos calcanhares de Messi. CR7 trabalhou, e muito, para conseguir fazer tudo o que fez. Messi não. A Messi aquilo sai-lhe naturamente. O homem representa tudo aquilo que eu amo no futebol: é GÉNIO!

Cá em casa o orçamento familiar é limitado e a parte destinada ao desporto vai inteirinha para o Glorioso. Mas, fazendo um exercício meramente empírico, se tivesse que escolher onde gastar dinheiro para comprar uns quantos bilhetes para ver a bola, não seria certamente para ver um jogo de Mourinho, ou de CR7. Seria claramente para apreciar os génios Guardiola ou Messi. Sem a menor dúvida!

Mas Shadows, numa coisa concordamos: em Inglaterra, é Liverpool... :)


Novo ataque ao SL Benfica no Porto Canal.

Avatar
 ●  57 comentários  ● 

Francisco J.Marques, o lacaio de serviço no Porto Canal, usou ontem novamente o seu tempo de antena para atacar o Sport Lisboa e Benfica.

Primeiro por voltar com a desculpa das arbitragens para justificar a fraca época do FC Porto. Quando até mesmo na “Liga Real” de Rui Santos o Sport Lisboa e Benfica ganha em qualquer das metodologias usadas…está tudo dito.
Curioso que a FPF é controlada pelo SL Benfica mas FJM não diz uma palavra sobre Fernando Gomes, Tiago Craveiro, Fontelas Gomes ou Paulo Costa. Quem manda! Estranho não é?

O que FJM não explica é porque NES sai do FCP abdicando de receber aquilo a que tinha direito. Basta olhar para o post do Benfica Eagle para perceber onde pode estar a resposta.

Talvez também seja por isso que Sérgio Conceição não está com muita vontade de vir ganhar menos ou até ver o vencimento pago...quando calha.

Também mais uma vez FJM puxa um assunto da vida empresarial de LFV para justificar também não sei o quê. Eu, que tenho a alcunha de anti-Vieira, pouco me importa se é LFV, Oliveira e Costa ou qualquer outra figura pública a dever seja o que for no BPN. A justiça está a funcionar, mesmo que lenta, e quem tiver que pagar, pagará.

Já aquilo que todos nós contribuintes já pagamos e nunca veremos um cêntimo a compensar esse investimento é o Centro de Estágio do Olival em que os contribuintes investiram mais de 16 milhões de euros para o FCP andar a usar como se fosse sua casa por um preço simbólico.

Aliás, os últimos tempos têm sido de prendas ao FCP como escrevemos no post "FC Porto procura financiamento nos nossos impostos?".

Como já escrevi por estes dias, não é altura de relaxar ou achar que para o ano vai ser um passeio. 

Estes pulhas não vão facilitar...mas nós também não.

Nota: O que diriam os censores dos bens costumes se a BTV tivesse algum programa com o registo de FJM.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Liga Salazar.

Avatar
 ●  23 comentários  ● 

"Andreas Samaris levou quatro jogos de castigo na sequência do soco dado em Diego Ivo, numa partida da 28.ª jornada da Liga NOS entre Benfica e Moreirense, que terminou com a vitória dos encarnados por 1-0.

Dois dias depois da partida em questão em Moreira de Cónegos, o Conselho de Disciplina (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) abriu um processo disciplinar ao grego na sequência de uma queixa do Sporting. 

Na altura, os leões haviam também solicitado à Comissão de Instrutores (CI) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) a instauração de um processo sumário ao médio encarnado, mas a CI declarou-se "incompetente" para instaurá-lo, na medida em que Samaris tinha incorrido numa falta muito grave e uma eventual suspensão poderia ser igual ou superior a um mês (a moldura penal ia de 1 a 10 encontros de castigo). Algo que acabou mesmo por acontecer.

Os regulamentos preveem que Samaris cumpra castigo na competição nacional imediatamente a seguir, o que significa que o camisola 7 falhará a Taça de Portugal, a Supertaça e as duas primeiras jornadas da próxima edição do campeonato."- Record.


Samaris merecia ser castigado? Sim pois em qualquer situação não se justifica o que fez. Só que isto não deixa de ser uma palhaçada quer pela queixa que originou o processo quer pela postura do jogador do clube que o FC Porto quis salvar da descida. Vai lá saber porquê...

#obenficadominaistotudo

O novo treinador do FC Porto.

Avatar
 ●  32 comentários  ● 
Dos nomes que se falam, vejo com alta probabilidade Sérgio Conceição ou Marco Silva

Com menos chances, Luis Castro, Jorge Jesus ou mesmo o Paulo Sousa(embora fique livre).

Não entendo como é que 2 treinadores que estão a fazer boa figura lá fora arriscarão a carreira imediata vindo para o FCP num ano de claro desinvestimento por força do cumprimento do fair-play financeiro.

Também será difícil de explicar onde o FCP obterá financiamento para vencimentos elevados de treinadores e de jogadores como Maxi ou Casillas.

Daí que a escolha do FCP será um treinador que aceite trabalhar com pouco e que esteja disposto a vestir a "camisola". 

Se não estranho que Sérgio Conceição se submeta a essa cartilha de Francisco J.Marques, já Marco Silva deixar-me-á bem surpreendido ao aceitar fazer parte desse esquema de pressão às estruturas do futebol, árbitros incluídos. Aliás, foi por algo parecido que Marco Silva entrou em rotura com Bruno de Carvalho.

Ficarei satisfeito se for Sérgio Conceição e menos satisfeito se for Marco Silva, que como os que costumam ler o NGB sabem, defendi como opção para o SL Benfica desde 2014.

Luís Filipe Vieira: Os últimos remates têm ido todos ao ângulo

Avatar
 ●  27 comentários  ● 
Ah e tal, já sei que é de mau Benfiquista, mas confesso que torci pelo FCPorto de Mourinho na Europa em 2003 e 2004 quando conseguiu conquistar a Taça Uefa e a Liga dos Campeões Europeus. 

José Mourinho, que saiu do FCP para embarcar numa carreira fabulosa em clubes de topo europeu, conseguiu aí alguns feitos extraordinários mas, ainda assim, nada tão extraordinário como aquilo que foi feito no Porto desses dois anos, naquela que era uma equipa literalmente de tostões, de Derleys, Paulos Ferreiras, Nunos Valentes e afins.

Acontece que, embora tenha torcido pelo FCP europeu nesses anos, o que se seguiu a isso fez-me lamentar esse apoio. Porque a verdade é que não se tratou apenas de dois títulos europeus para um clube português. Foi também a valorização extraterrestre de um plantel de tostões que rendeu em vendas muitos milhões, e esses milhões que em abono da verdade foram bem aplicados na contratação de outros extraordinários jogadores que voltaram a ser valorizados e a render mais milhões e assim sucessivamente.

Foi contra este Porto que o Benfica teve de travar muitos anos uma luta desigual. O Porto ganhava, o Porto vendia, o Porto comprava bem e continuava a ganhar, e o Benfica, que não ganhava e vivia com a pressão de ter de ganhar, tinha bem menos margem de manobra na venda dos seus (poucos) grandes jogadores e, ao não vender, claro, não tinha dinheiro para grandes contratações nem bons plantéis, impedindo assim a consumação dos seus objetivos desportivos e financeiros. O Benfica corria sempre atrás...

Claro está, que o senso comum diz-nos que o que importa nos grandes clubes são títulos desportivos mas, queira-se ou não, os títulos desportivos são quase sempre a consequência de um bom ou mau desempenho no mercado e da política de transferências dos clubes... Obviamente é ótimo ganhar um campeonato nacional, mas a festa dura dois dias ou três e rapidamente o foco dos adeptos se transfere para a época seguinte, onde é fundamental continuar a sonhar.

E para sonhar, e para sonhar mais alto como se deseja, é preciso saber que se tem jogadores para vender e render 70 ou 80 milhões em cada final de época, e que existe know how para investir 30 desses 80 na contratação de três jogadores com grande potencial de valorização. A fórmula em Portugal tem de ser sempre esta, aliás, continua a ser esta mesmo nos dias de hoje, ao contrário desses famosos anúncios de que as contratações de 6 milhões iam acabar e agora tudo o que era reforço seria Made in Seixal.

A inversão do ciclo para o Benfica iniciou-se pois em 2008, quando o Benfica apostou literalmente tudo no ano de Quique Flores, onde se investiram muitos milhões em alguns jogadores de inegável talento e até com projeção internacional. Está certo que esse ano correu mal mas no ano seguinte, já com Jorge Jesus, o Benfica, não só ganhou desportivamente, como, ao fim de muitos anos sem presença no mercado de transferências, começou a vender também muito bem em cada final de época, dando-lhe assim a possibilidade de começar a recuperar terreno em relação ao FCPorto.

Contas feitas, e comparando 2004 com 2017, percebe-se hoje claramente que os papeis se inverteram e hoje é o Porto (e já não falo no Sporting) quem corre atrás do Benfica, aliás, bem atrás.

O ciclo Lopetegui, onde se vendeu o melhor que o Porto tinha para contratar jogadores medianos que não se valorizaram e não permitiram manter a roda a girar, quebraram a fórmula ganhadora do clube por completo. Indiscutivelmente, quatro anos sem ganhar (que podiam ser mais tivesse o Benfica sido mais feliz em alguns anos em que até merecia sê-lo), são também o reflexo de um plantel mediano.

Mas ao mesmo tempo, esses quatro anos sem ganhar num clube com a grandeza do Porto, tornam mais difícil justificar agora perante os adeptos a venda dos poucos grandes jogadores que tem, sendo no entanto evidente que o esforço gigantesco para manter esses jogadores numa tentativa desesperada de chegar ao título este ano tornaram a folha financeira insustentável, e nem assim os títulos voltaram.

Enquanto isto, o Benfica, embalado por um Tri encarou o ano do Tetra tranquilo sem alterar o rumo e a ser fiel à sua filosofia, a vender bem e a comprar bem, cuidando, ao que se julga, da sua saúde desportiva e financeira.

E isto foi o que transpareceu para mim da grande festa Benfiquista neste Tetra-Campeonato, para mim a festa mais bonita dos últimos quatro anos. Foi a festa de um grande clube e de um mar de adeptos, uma festa de uma felicidade extrema da parte dos jogadores (como tinha de ser) mas, ao mesmo tempo, de uma sobriedade a nível diretivo e de treinador que não vi nos últimos anos, e que me fez perceber que o hábito de ganhar se enraizou, trouxe maturidade e já muito pouca euforia.

Enquanto o Porto se depara com um defeso problemático, tentando conciliar a urgência de vender para equilibrar contas, pouco dinheiro para investir e a ter de recuperar o título desesperadamente; e um Sporting que apesar de algumas melhoras, continua a partir muito de trás, a sensação que passa é que a hegemonia do Benfica tem tudo para se manter nos próximos anos, assim não sejamos nós a cometer os erros que se verificaram no Dragão.

A juntar a isto, parece-me também que o Benfica conseguiu algo nestes últimos anos, que é, se assim lhe quisermos chamar, a parte positiva de algo que por vezes é negativo:

É que o Benfica assumiu-se claramente como um clube vendedor, um clube que aposta na juventude, um clube que projeta os seus jogadores e não lhes corta as pernas, e por isso a ponte perfeita para tanto grande jogador em potência que precisa de uma porta de entrada na Europa do futebol num clube que lhe permita jogar com regularidade.

Isto é algo que já perceberam os jogadores mas também os seus empresários e o mundo do futebol e, nos dias de hoje, e ao contrário do que acontecia há dez anos atrás, a escolha óbvia para qualquer James Rodriguez, Rafa ou Falcão é o Benfica e não o Porto.

Nestas coisas da bola, um remate que bate no poste e entra e outro que bate no poste e sai, é a diferença entre ser levado em ombros ou atirado lá de cima da escadaria do Jamor cá para baixo... E aqui também, é justo dizer, os últimos remates de Luís Filipe Vieira têm ido todos ao ângulo, e alguns deles eram remates de um ângulo quase impossível de darem golo...

E tem de ser para ele, evidentemente, que têm de ir todos os louros deste extraordinário momento que o Benfica tem vivido nos últimos anos.

ranking