O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 16 de março de 2013

A ameaça de Pinto da Costa.

Avatar
 ●  25 comentários  ● 

"Desejo ao Vitória de Setúbal que se concentre naquilo a que tem direito a jogar para que não possa ser surpreendido como foi ainda à dias com o Vitória de Guimarães."

Uma Federação Portugesa de Futebol séria, com um presidente sério, ordenaria de imediato a instauração de um processo de averiguações às declarações de Pinto da Costa.

Tratou-se de uma ameaça clara ao clube do Sado, depois da demonstação de força que PC deu com a permanência do FC Porto na Taça da Liga.

Que futebol podre este.

Jornada fundamental - Guimarães e Marítimo

 ●  11 comentários  ● 
Chegamos á ponta final do campeonato e á jornada que para mim tem tudo para se afigurar como decisiva na decisão do campeonato.
Porto e Benfica vão defrontar respectivamente Marítimo e Vitória de Guimarães. Duas das poucas equipas com capacidade de causar surpresas num campeonato composto por clubes estourados financeiramente e preenchido com jogadores de qualidade sofrível.

Os Corruptos vão jogar contra um clube que não morre de amores por eles e com a moral em baixo depois da eliminação da Liga dos Campeões aos pés do colosso europeu que é o Málaga. Tiveram mais um dia de descanso que o Benfica mas perderam Moutinho que estourou fisicamente.
Ou seja um jogo de alto risco em que a única coisa que têm a seu favor é um árbitro amigo - João Capela - como tem sido hábito esta época.

O Benfica vai ao Norte, e logo por isso já é uma deslocação de alto risco. O Vitória de Guimarães tem um treinador que conseguiu pegar nos cacos do Guimarães e de um bando de miudos construir uma equipa bastante certinha e com capacidade de surpreender. Sendo composta por uma maioria de jogadores muito jovens tanto podem entrar em campo e desmoronar sobre a pressão ou estarem totalmente intratáveis e galvanizarem-se psicológicamente - são imprevisíveis, mas aviso já que em Guimarães incute-se nos jogadores a mentalidade que jogam num grande... Junte-se a isso um estádio que é hostil a qualquer equipa visitante e temos receita para o desastre.
Convém não esquecer que na época passada o descalabro após os cinco pontos de avanço começou em Guimarães para a estrutura técnica ter que se mentalizar que este jogo pode definir o campeonato.

Além disto depois do jogo em Bordéus muitos dos habituais titulares estão com sobrecarga de jogos e por arames:

  • Matic e Enzo Pérez fizeram os 90 minutos contra os franceses e o sérvio fez o jogo inteiro com o Gil Vicente. 
  • Luisão não recuperará a tempo do jogo e Jardel fez uma exibição desastrada contra o Jardel que esperemos que não o afecte psicológicamente.
  • Sálvio é o terceiro jogador com mais minutos nas pernas no plantel e está a ser puxado ao limite, enquanto que Gaitán e Ola John também fizeram um jogo de desgaste contra os franceses.

Devido a isto as palavras de Vieira (desta vez mostrou humildade para variar) assumem particular importância. Não é o momento para pensar que o pior já passou. Chegamos foi ao momento crucial da época e os jogadores têm que deixar a pele em campo neste domingo para saírem de Guimarães com os três pontos.


FUNDAMENTAL, Presidente. Aprendeu...

 ●  4 comentários  ● 

«O caminho que vamos ter de enfrentar até ao fim do Campeonato não é fácil. Nunca o foi! Mas estou convencido que se tivermos humildade, se formos fortes no apoio à equipa, se nos concentramos apenas em nós, podemos cumprir os nossos objetivos. Não se ganhou nada até agora, a não ser o respeito dos nossos adversários e a certeza de que temos capacidades para atingir aquilo que todos nós aspiramos», afirmou o presidente dos encarnados, no discurso que proferiu na inauguração das novas instalações da Casa do Benfica no Montijo. 

«O tempo continua a ser de trabalho, de dedicação, de empenho. Não é tempo de distrações, nem de euforias. Longe disso, é tempo de nos mantermos concentrados no nosso trabalho, seja no futebol, nas modalidades ou nos nossos escalões de formação», apontou
in A Bola

Intervenção FUNDAMENTAL do Presidente. Palavras certíssimas no momento certo.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Mais um golpe na verdade desportiva.

Avatar
 ●  16 comentários  ● 

"O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) decidiu esta sexta-feira manter a decisão do Conselho de Disciplina (CD), que considerou que o FC Porto não utilizou irregularmente jogadores na Taça da Liga.

O Vitória de Setúbal e a Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga de clubes tinham recorrido da decisão inicial do CD, que absolveu o FC Porto e os futebolistas Fabiano, Seba e Abdoulaye, por alegada utilização irregular de jogadores. Os três futebolistas alinharam na terceira jornada da Taça da Liga, com o Vitória de Setúbal, menos de 72 horas depois de terem alinhado pela equipa B, na II Liga.

A 13 de fevereiro, o CD entendeu que o artigo 13 do anexo V do regulamento de competições, sobre a utilização de jogadores nas equipas B e principais, não se pode aplicar à Taça da Liga. O artigo diz "qualquer jogador apenas poderá ser utilizado pela equipa principal ou equipa "B", decorridas que sejam 72 horas após o final do jogo em que tenha representado qualquer uma das equipas, contadas entre o final do primeiro jogo e o início do segundo".

Na avaliação do CD, e fundamentação da improcedência, é tido em conta que a base da acusação era o artigo 13.º e que o mesmo está inserido no "regulamento de inscrição e participação de equipas B na II Liga por clubes da I Liga".
O FC Porto vai receber o Rio Ave nas meias-finais da Taça da Liga." - in Record.

A justiça desportiva hoje sofreu mais um golpe. 
Em especial depois do desaire perante o fraco Málaga, havia que assegurar que o FC Porto possa pelo menos disputar um troféu.

Os corpos sociais e orgãos em funções na FPF estão ao serviço do FC Porto.
É uma vergonha que o Benfica não assuma a ruptura com o apoio que deu a um sócio do FC Porto.

Sport Lisboa e Benfica - Newcastle United

Avatar
 ●  2 comentários  ● 
A fibra do treinador e plantel vai estar à prova nesta eliminatória.

O objectivo é vencer o primeiro jogo. E depois vencer o outro.

Vencer a Liga Europa será um objectivo no dia em que estivermos qualificados para a Final.

Um jogo de cada vez!

Força Sport Lisboa e Benfica!!!

Caro Jorge Jesus

 ●  20 comentários  ● 

Os apurados para os quartos de final são: Newcastle (Inglaterra), Fenerbahçe (Turquia), Lazio (Itália), Chelsea (Inglaterra), Tottenham (Inglaterra), Basileia (Suíça), Rubin Kazan (Rússia).

Dito isto, penso ter chegado a hora (a dois adversários - quatro jogos) da final europeia "prometida" por Luis Filipe Vieira. Ou seja, chegados aos quartos de final não deveremos continuar a insistir no discurso que a prioridade é apenas o campeonato ou que apontamos apenas ao campeonato.

Não! A nossa prioridade passou a ser a conquista do Campeonato, a final da Liga Europa e a reconquista perdida há muito da Taça de Portugal.

Temos plantel e treinador. TEM AMBIÇÃO, JJ...

As 11.00 todos os portugueses juntos

 ●  3 comentários  ● 
... A ver o sorteio das equipas portuguesas nas competições europeias!!

Ah espera! É só o Benfica.

Fumo vermelho na chaminé em Bordéus!

Avatar
 ●  4 comentários  ● 


quinta-feira, 14 de março de 2013

Esta eliminatória tinha que ser nossa!

Avatar
 ●  59 comentários  ● 

Um Benfica que demonstrou estar bem acima do Bordéus quer em qualidade de jogo, quer em qualidade individual.

Jardel no melhor e no pior, mas era sozinho a fazer de central. Roderick não existiu. Valeu também a ajuda preciosa de André Almeida.

JJ surpreendeu, não com Rodrigo, mas ao colocar Matic, Enzo, Salvio e Ola John a titulares. 

E um jogo que poderia parecer complicado tornou-se mais simples de controlar.

Mesmo nos golos do Bordéus, o Benfica através de Cardozo, que hoje esteve intratável, nunca deixou os franceses terem ilusões.

Olhando para as equipas que estão em prova, a Liga Europa está ao alcance do Benfica.
Um troféu europeu para esfregar na tumba do Bella Gutman e o mandar para o inferno.

Parabéns JJ! Parabéns jogadores! Parabéns aos milhares de benfiquistas que estavam em Bordéus! Parabéns ao Sport Lisboa e Benfica!!!

Amor e preconceito

 ●  20 comentários  ● 


Portugal, 14 de Março de 2013



Todos nós, sócios ou não sócios, gostamos do Benfica. Uns com mais romantismo, outros com mais racionalidade, mas seguramente todos queremos o melhor para o clube. Como fazemos, como nos dedicamos, como queremos que seja o Benfica, isso é que nos divide. O que é natural. Somos um clube democrático, há diversidade de opiniões. E quando maior se é, mais diversidade existe. Nem todos a compreendem, mas as coisas são assim mesmo.


Vem isto a propósito dos modelos de jogo, ou melhor dizendo, dos preconceitos existentes na história do Benfica sobre alguns aspectos da forma de jogar do Benfica. Peguei na última entrevista que Mozer deu ao jornal Benfica (edição de 8 de Março) e tirei algumas conclusões. Mozer jogou no Benfica em dois períodos distintos: entre 1987 e 89 e mais tarde entre 92 e 95. Ao todo 5 épocas de águia ao peito. Ganhou 1 campeonato e 1 Taça de Portugal. Foi um dos grandes defesas centrais que jogou no Benfica, mas vejamos como ele traduz o pensamento benfiquista que faz escola na nossa cultura:


“Enquanto não marcássemos golo não parávamos, não sei se jogávamos bem, mas enquanto não marcávamos golo o adversário nunca respirava”


“Os jogadores sempre me disseram “aqui nós temos de começar a ganhar nos primeiros 15 mn, se não estivermos a ganhar em 15 mn está tudo estragado”. Eram os 15 mn à Benfica”.


Mozer dixit. Mas que ganhou Mozer no Benfica com os 15 mn à Benfica e o não parávamos enquanto não marcávamos um golo? Em 5 épocas, ganhou 1 campeonato e 1 Taça. Ou seja, pouco mais que zero numa altura em que a arbitragem não estava tão controlada como passou a estar depois da Liga sedeada no Porto, passar a organizar a principal prova do nosso calendário.


Se há exemplo que reflecte bem o profundo erro em que assenta a visão dos benfiquistas espalhados pelo mundo fora, e reflectidas nas análises que fazem nos mídia ou em espaços de opinião na Internet, aqui está um dos exemplos mais paradigmáticos. E se pensarmos bem o futebol como ele é, e não como já foi, com facilidade concluímos que quem joga 15 mn à Benfica, nos tempos que correm, sujeita-se a levar com 1 golo e a ter de correr atrás do prejuízo.


Os 15 mn à Benfica fizeram história nas campanhas europeias de 61 e 62, onde aproveitando-nos do factor surpresa (ninguém dava nada pelo Benfica) e da pouca cotação que o futebol português tinha no panorama europeu, um conjunto de dirigentes, técnicos e jogadores, dando o máximo que sabiam e com base no valor do conjunto (e pluribus unum), souberam tirar partido do favoritismo dos adversários para ganhar alguns (não todos) os jogos, com essa entrada de rompante. De que o jogo com o Nuremberga é fiel exemplo.

Mas nas finais com Barcelona e Real Madrid, não houve 15 mn à Benfica! Ninguém reparou, mas ganhamos! O mito dos 15 mn ficou e ainda hoje pagamos factura (na opinião), por esse facto. Que como referi aconteceu num contexto muito particular. Desde que o Benfica ganhou títulos e passou a ser favorito, acabaram-se os grandes títulos europeus. E quando assim acontece, há-de vir um José Augusto qualquer a dizer “bem, no meu tempo com os 15 mn à Benfica, era difícil parar-nos”. Tretas...


Devemos combater estes preconceitos se quisermos voltar à ribalta europeia. Porque temos equipa para andar pelo alto, mas para ganhar falta-nos saber ter paciência e esperar pelo erro do adversário.


Tal como o Benfica em casa do Shalke04, há 2 anos, ou em casa do Liverpool há 3 anos, onde entramos de rompante querendo recuperar a velha teoria dos 15 mn à Benfica (e saindo vergados a derrotas algo dolorosas), parece que o FCP ontem quis fazer o mesmo, a fazer fé nos relatos de alguns mídia: “Depois de 25 minutos muito fortes, o FC Porto baixou o bloco (fisicamente não havia outra solução)” – BOLA online 14-03, “A equipa de Manuel Pellegrini nem parecia que estava a jogar em casa ao ser totalmente dominada pelo conjunto de Vítor Pereira nos primeiros 15 minutos de jogo” – SAPO Desporto.


O resultado para o FCP foi exactamente o mesmo que o Benfica alcançou nesses 2 jogos: derrota. Com a diferença que tendo jogadores de muito menor valia técnica, acabou subjugado, individual e colectivamente, ao poder do adversário. 


Se gostamos do Benfica, devemos fazer tudo que pudermos para ajudar o futebol a ser melhor. E para isso, defender os 15 mn à Benfica é dar um tiro no pé.

«Fomos condicionados pela arbitragem»

 ●  7 comentários  ● 

Então ninguém explicou ao Vitor Pereira que nos jogos da UEFA o FCPorto não tem todos os árbitros instruídos? Como é óbvio que se ninguém lhe explica, o homem se sente prejudicado, pois o homem não estava a espera que fosse diferente das arbitragens em Portugal e ver golos em fora de jogo não serem validados e os jogadores quando fazem faltas para expulsão poderem mesmo ser expulsos!

Andava eu a falar na estrutura do FCPorto e eles cometem esta falha de comunicação grave com o treinador.

Entretanto, oh Vitor Pereira, quando descobrires o adversário do SLBenfica, aproveita e tenta saber também quem é o do FCPorto é que eu andei a procura para o sorteio e também não encontrei.



Que equipa para Bordéus?

Avatar
 ●  12 comentários  ● 
Guarda-redes: Artur, Paulo Lopes e Bruno Varela. 

Defesas: Miguel Vítor, Roderick, Maxi Pereira, Jardel e Melgarejo. 


Médios: Pablo Aimar, Enzo Perez, André Gomes, Nico Gaitán, Matic, Salvio, André Almeida, Ola John e Carlos Martins. 


Avançados: Lima, Cardozo e Rodrigo.


Depois da questão dos centrais, as verdadeiras intenções de JJ quanto ao resultado final desta eliminatória ver-se-ão no meio campo que apresentar a titular.

Após a eliminação do FC Porto das competições europeias, e seguindo o raciocínio que JJ tem deixado bem claro nas suas conferências de imprensa, duvido que o treinador do Benfica queira continuar em prova.
Espero estar errado.

Olhando às opções disponíveis, apostaria neste onze:
Artur, André Almeida, Jardel, Miguel Vítor, Melgarejo, Matic, Enzo Perez, Ola John, Salvio, Aimar e Lima.

Tudo indica que JJ apostará novamente em Roderick.

Espero que o Benfica não defraude a sua história e os milhares de benfiquistas que se deslocam a Bordéus. 

quarta-feira, 13 de março de 2013

Última hora!

Avatar
 ●  17 comentários  ● 

Sem fruta, são banais.

Avatar
 ●  29 comentários  ● 

«Queremos ficar na história do FC Porto e da Champions» - Vítor Pereira

João Moutinho e Alex Sandro, os papa-quilómetros dos relvados portugueses lá fora falta-lhes a poção do druida Povoix.
Já a Mangala e a Otamendi falta a fruta que apoie o seu jogo faltoso.
Vítor Pereira tem a lata de se queixar do árbitro, quando o Málaga tem um golo limpinho anulado. 

Sem isso, até um Málaga brilha. Eu torci pelos portugueses Eliseu, Duda e Antunes. Mas principalmente pelo Saviola!

A diferença

 ●  16 comentários  ● 
Em Málaga, Maicon está em claro fora-de-jogo. Lance a papel químico do roubo na Luz.
Parecendo que não, na Europa é mais difícil...

Eu não estive lá...

 ●  4 comentários  ● 


Portugal, 13 de Março de 2013



Ao contrário do jogo com o Bordéus de 1986, desta vez eu não estive lá a apoiar a equipa. Desta vez não estavam 100 mil de pé ao frio a puxar pelo Benfica, desta vez eram pouco mais de 36 mil comodamente refastelados em boas cadeiras e abrigados da chuva que eventualmente pudesse cair. 


Sinais dos tempos, ou novo exemplo de que quantas mais comodidades se dão aos adeptos, mais os adeptos exigem. Por isso tenho simpatia pelo Barcelona e basta comparar a qualidade e comodidade dos dois estádios para perceber o que é ser adepto de um clube. Em Barcelona chove em 4/5 do campo, os acessos são feios, as galerias interiores idem e labirínticas, o elevador parece saído de uma mina, mas costumam estar 80 mil a apoiar o Barcelona. E o Barcelona é o que é, e o Benfica também. Nós trabalhamos para pagar as comodidades aos Bancos, o Barcelona apostou numa equipa de futebol e não deve nem metade do que nós devemos aos Bancos. E mesmo assim acham muito...


O Benfica sempre foi um clube de visionários, uns com bons propósitos, como Cosme Damião outros como se tem visto, nem tanto. Os milhões das comissões são um apelo irresistível para muita gente medíocre...

Ora o Benfica venceu 1-0, ao contrário de 1986, e as perspectivas de apuramento para a fase seguinte da prova são também muito maiores do que as que tinha nessa altura de Magnussons, Álvaros, Bentos, etc. 


O jogo ficou contudo marcado, para a comunicação social, por uns quantos assobios que aquela minoria exigente e ranhosa que marca sempre presença (e pagam como os outros, é certo) brindou a equipa no final do jogo. Em vez de vermos sublinhado na comunicação social, a vitória sem sofrer golos e o acerto da gestão feita pelo treinador que poupou algumas unidades (excepto Matic que estava castigado) para o exigente calendário que temos pela frente (só saímos da Taça da Liga, em Braga e nas grandes penalidades), não! Fomos confrontados com notícias e dezenas de opiniões dos tais analistas sobre a reacção de uma minoria de adeptos. Ruidosa, mas claramente minoritária. 


A comunicação social tem este poder de colocar minorias à frente das maiorias. De destacar a minudência e ocultar a magnificência. E com isso dar corpo e importância a quem não o tem! Mas vamos ao jogo.

Foi um jogo que, para quem está atento, foi difícil como se esperava. Para a minoria dos assobios contudo devíamos ter ganho por “uns quantos” a zero. Somos Benfica. Como em 1986.


A ideia de JJ de colocar Roderick e Carlos Martins no meio campo, ladeados por Ola Jonh e Gaitan, no já habitual 4-4-2 em losango, estava condenada ao insucesso (pela falta de rotinas de conjunto e pela falta de aptidões individuais, tal como se havia visto na 1ª parte de Braga) pelo que foi muito positivo conseguirmos marcar um golo sem sofrer nenhum. JJ teve alguma “estrelinha” mas como diz o outro, a sorte dá muito trabalho. 

O jogo feito pelo Bordéus foi marcado pela maciça presença de jogadores no meio campo, onde tiveram quase sempre superioridade numérica, não por falta de trabalho do nosso lado mas pelas características tácticas do modelo de jogo. O nosso privilegia 2 avançados, o dos adversários normalmente prima por apenas um avançado e médios ala muito rápidos que apoiam bem o seu ataque. Assim o adversário tem sempre no mínimo mais uma unidade no meio campo (já falei disso no resumo dos jogos contra o FCP, por isso estou a repetir-me).


A dificuldade do nosso jogo contra o Bordéus, também já é característica. Ao longo dos anos vi muitas exibições deste género, com mais ou com menos adaptações, porque o problema maior é a táctica do 4-4-2. É uma táctica que funciona com equipas pequenas, mas ao nível de competições europeias, contra equipas muito mais experientes e caras, normalmente dá nisto que vimos. E que já havíamos visto no tal jogo de 1992 com o Arsenal (1-1), em 1994 com o Bayer Leverkusen (1-1) ou em 1996 com o Bayern de Munique (1-3). Entre outros.


Amanhã será apenas mais do mesmo, mais um jogo onde temos de trabalhar muito e onde a comunicação social, fazendo o seu papel habitual, já mandou vários recados... para o adversário. Quer a BOLA quer o RECORD de hoje, falam do esquema de jogo do Benfica que poderá alterar-se para o 4-2-3-1 com Rodrigo como único avançado. Curiosamente a imprensa de Lisboa não conseguiu fazer algo de semelhante para o FCP e seu esquema de jogo para Málaga. Não é por acaso...


Como também não é por acaso que não tenham reparado nos assobios que parte do público do FCP, brindou a equipa após o empate com o Olhanense.



Se não é o cansaço, são lesões. Pena que JJ não as tenha na língua.

Avatar
 ●  37 comentários  ● 

Depois da lesão mistério de André Gomes, que permitiu a opção de colocar Roderick a jogar no meio campo, sem que nada o indicasse, primeiro Luisão e agora Garay estão fora da 2ª mão da Liga Europa.

Pergunto: é um simples e infeliz acaso, ou estamos a prosseguir nessa campanha de sacrificar tudo para apostar unicamente no campeonato? Sendo um infeliz acaso, estamos a piorar, pois em vez de simples cansaço, estamos com uma onda de lesões. Luisão, por exemplo, tem muito menos jogos nas pernas que os outros.
Tenho muitas dúvidas. 
De quem é a culpa? É de quem usa todas as conferências de imprensa para dizer que a prioridade é o campeonato.

E já agora, porque raio JJ aceita comentar um jogo do FC Porto na Champions para a 'Marca'? E aceitando, porque tem tantos problemas em levantar 'polémicas' com o adversário? Porque JJ se recusa sempre a atacar o FC Porto?

E que tal acabarem também os passeios no Parque Eduardo VII?

Avatar
 ●  11 comentários  ● 

"Ao contrário do que é tradição em dia de jogo europeu, a comitiva do FC Porto optou por não efetuar, esta manhã, um passeio pelas ruas de Málaga.


O frio e o vento forte que se fazem sentir na cidade andaluz, associados à presença de muitos adeptos da equipa local nas imediações da unidade hoteleira onde os azuis e brancos se encontram instalados, terão concorrido para a permanência da comitiva no recato do hotel.

Recorde-se que alguns adeptos do Málaga conseguiram ontem furar a segurança no início do treino do FC Porto no La Rosaleda, dirigindo impropérios aos jogadores da equipa portuguesa.

A saída da comitiva para o estádio deverá ter lugar duas horas e meia antes do pontapé de saída do decisivo jogo com o Málaga, aprazado para as 19.45 horas." - in Pasquim do Serpa.


Em Lisboa devia acontecer o mesmo. Nada de violência física ou confrontos

Mas presença de adeptos do Benfica de tal forma que os jogadores portistas não passem do hall de entrada  do Altis, pertencente a esse grande benfiquista ao nível de Roquette chamado Fernando Martins. Que fiquem lá dentro até saírem para o jogo.

Não será a altura de mostrar aos portistas que os passeios a Lisboa acabaram?

Um homem íntegro e um homem vendido.

Avatar
 ●  3 comentários  ● 

Retirado do 'Em Defesa do Benfica'. Um post a ler por todos.

--------------------------------------------------

Retirado do 'NDRANGHETA', que tira a máscara ao Serpa.

"Hoje, na versão online do pasquim do Serpa, pode ler-se "Maré Vermelha chega a Bordéus" (entre 2 a 3 mil).

Há uns anos, escrevia o Serpa, no seu pasquim, por ocasião da gloriosa deslocação a Manchester, sobre "uns míseros 3 mil benfiquistas": 


Como pode Jesus mudar a história

Por Vítor Serpa, em Manchester

O Benfica está de regresso ao teatro dos sonhos. Desde o tempo da velhinha Taça dos Clubes Campeões Europeus à neoliberal Liga dos Campeões, os encarnados subiram ao palco de Manchester três vezes e dele saíram sempre derrotados. 
Mas depois de um demasiado longo período de afastamento das luzes dos grandes jogos do futebol mundial já o Benfica, em 2005, conseguiu, com notável escândalo, afastar o enorme clube inglês dos oitavos-de-final da competição; no ano seguinte, foi a vez de o Manchester United se vingar, ganhando os dois jogos. A maior curiosidade está em saber como será agora e até pode muito bem acontecer que, independentemente do resultado do jogo de hoje, se qualifiquem as duas equipas.



Onde o Benfica nunca ganhou
A verdade é que o Benfica nunca ganhou neste palco imenso que faz parte da história do futebol. Nem no consulado da «velha senhora» Taça, nem no reinado da novinha «Champions». Será, então, uma missão impossível, aquela que, ao fim da tarde de hoje, que promete, aliás, ser fria e chuvosa, terá pela frente o Benfica de Jorge Jesus? 
Aqui, na grande mancha urbana que ganhou espaço para mais de 3,5 milhões de habitantes, divididos entre o United e o City, ninguém acredita que este Jesus seja capaz de mudar a história.
Resta, apesar de tudo, a esperança de uns míseros três mil benfiquistas, que mal se deverão ouvir na imensidade de Old Trafford, para acreditar no milagre de Jesus. E resta a natural fé de jogadores e técnicos que sabem bem - ou deviam saber - que têm muito mais a ganhar num jogo assim do que a perder".



(o link fica aqui - http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=300069 -, mas o texto já desapareceu. Eu, no entanto, já havia guardado a prosa para memória futura)."

A importância da "jogada" da BenficaTV

 ●  29 comentários  ● 

Sim eu sei... de repente todos descobriram que são do Real Madrid e a Liga Espanhola é que é. Bullshit!

A maior parte dos que se colam à televisão a ver os jogos do Real, são os mesmos que viam os do Chelsea, os Inter e antes ainda os do Manchester United. Acima de tudo por Cristiano Ronaldo e José Mourinho... os expoentes máximos da paixão tuga.

Se Mourinho voltar a Inglaterra na próxima temporada, os aficionados do Real Madrid em boa parte vão voltar a ser "do Chelsea desde pequeninos" (aparentemente essa é a escolha mais provável do José Mourinho segundo a imprensa).

Se juntarmos a isso a "loucura" que seduziu Manchester com o nosso CR7 e acreditarmos numa possível loucura de Malcom Glazer para levar Ronaldo de volta para a "casa da partida", teremos um campeonato inglês repleto de portugueses e "portugueses" que muito dizem aos adeptos de futebol em Portugal: Mourinho, Ronaldo, Villas Boas, David Luiz, Ramires, Nani, etc. etc. etc.

As atenções dos espectadores para esta Liga, que já são muito elevadas, ganham um expoente maior ainda. O potencial de retorno publicitário aumenta e o potencial de assinantes aumenta drasticamente com os conteudos do SLBenfica em casa e da Liga Inglesa... e nada impede o SLBenfica de adquirir a alguns clubes nacionais os direitos dos jogos do SLBenfica fora em alguns estádios, nomeadamente clubes cujos contratos leoninos com a Olivedesportos estejam em renovação.

Feitas as contas de merceeiro, com 200.000 assinantes (a Sporttv tem 660.000) a 8€ cada assinante, teremos um retorno só de subscrição no valor de 1.6M€... mês, qualquer coisa como 19.2M€/ano aos quais temos que acrescentar a venda de publicidade no canal, a publicidade estática no campo nos jogos, os direitos de revenda de diferidos e spots/resumos a outros canais... e os subscritores do mercado internacional: Angola, Moçambique, Estados Unidos, Brasil, Luxemburgo.

Penso que é perfeitamente aceitável que neste contexto consigamos obter 30M€ anuais em receitas.

A "jogada" da BenficaTV de investir 2.6M€ nos direitos da Premier League foi brilhante! O José Eduardo Moniz, como suspeito, foi mais uma vez o principal dinamizar da mudança de paradigma da televisão em Portugal (tal como já acontecera na RTP e mais ainda depois na TVI).

... Se o Quinzinho tiver o azar de o Mourinho e o Ronaldo voltarem à Premier League então... será o princípio do fim do império de financiamento da corrupção no futebol português.

terça-feira, 12 de março de 2013

Contas...

Avatar
 ●  17 comentários  ● 
Pois é, invariavelmente quando chega esta altura do campeonato faço sempre este exercício. Acho que todos inconscientemente o fazemos, mas eu dou-me ao trabalho de imaginar os diferentes se's que os últimos 8 jogos desta liga proporcionam...

Todo o santo ano eu imagino o fcp a escorregar neste ou naquele jogo e imagino uma série genial de vitórias consecutivas que nos levem ao Marquês!
Todo o santo ano eu imagino que "ninguém pára o Benfica", principalmente quando temos reais hipóteses de ser campeões!
Todo o santo ano as contas saem furadas... Quer a nosso favor, quer contra.
Definitivamente não tenho vocação para bruxo!

De qualquer forma, este ano, e aproveitando o facto de escrever aqui no NGB, vou alargar este meu exercício a quem quiser participar. Ora aqui vai:


Jornada 23:
Tanto o Glorioso como os corruptos vão ter dois jogos difíceis. Talvez o do fcp seja mais do que o do Benfica, mas o Vitória é equipa que nunca subestimo. É boa jornada para termos aquela pontinha de sorte em que tudo corre bem e que nos permita distanciar com nova escorregadela dos tripeiros.

Jornada 24:
Partindo do princípio de que não há jogos fáceis, nesta jornada não são de esperar surpresas. O Glorioso joga em casa e o fcp também...

Jornada 25:
Mais uma jornada complicada para ambos os candidatos ao título. O Benfica passou à rasquinha da última vez que visitou Olhão, e o Braga pode eventualmente causar algum problema aos corruptos (visão optimista e ingénua... ). Tudo depende de como estiverem as relações fcp-scb e da classificação do Braga na altura. O salvador deve querer ir à Champions...

Jornada 26:
Clássico é classico. É sempre um jogo diferente, quer seja contra a equipa A ou B dos lagartos. É também mais complicado jogar contra eles quando têm o orgulho ferido. 
Os corruptos vão passear a Moreira de Cónegos. 
Jornada muito perigosa para o Glorioso.

Jornada 27:
Mais uma jornada mais complicada para o Benfica do que para o fcp. Se os corruptos vão ter um autêntico passeio, nós vamos ter que suar... e bem, na Madeira. Vai ser uma verdadeira prova de determinação.

Jornada 28:
Jornada que, tal com a anterior, é das mais decisivas na definição do Campeão 2012/13. É a jornada que antecede o fcp-SLB. É a jornada que poderá levar-nos à tão desejada vingança no Estádio do Ladrão, ou à humilhação de voltar a vê-los a festejar um título num jogo contra o Glorioso. 
Não consigo ter opinião bem definida sobre o Nacional-fcp. Ainda não percebi se o Nacional é ou não mais um clube satélite do fcp... Trafulha é, mas em benefício próprio ou dos de lá de cima?

Jornada 29:
fcp-Benfica! Partilho da mesma opinião do JJ. Acho que nesta altura já as coisas estarão quase definidas. Ou festejamos no Ladrão, ou somos os bobos da corte. É a altura ideal de ajustar contas.

Jornada 30:
Não acredito que nesta altura o Paços esteja ainda na mó de cima. No entanto, se ainda houver algo a conquistar da parte deles, é bem possível uma pequena surpresa. Mas sinceramente... duvido. Nesta jornada acho que já estará encontrado o Campeão.

Conclusão: acho que até em termos de calendário isto está mais ou menos empatado. Resta esperar que a amarelinha se esgote lá para os lados da inbicta, e que os nossos se mantenham em alta...
Mas confesso que o que mais gostava era de ir ao Estádio do Ladrão com 4 pontos de vantagem. 
Basta ganhar todos os jogos até lá e o fcp empatar apenas uma vez... :) 
Neste cenário, seria BRUTAL empatar lá o jogo com um golo aos 94'! 


PS: Excelente este cartoon do Sapo.pt:


eheheh

O futebol dos assobios e dos estádios vazios

Avatar
 ●  40 comentários  ● 

Ponto 1. Sou completamente contra os assobios à nossa equipa durante o jogo. Sou contra porque não ajuda, sou contra porque só prejudica, sou contra porque serve para galvanizar o adversário, sou contra porque é um atitude egoísta e que resulta da frustração pessoal. 

E quero neste contexto, relembrar um caso paradigmático de um jogador do Benfica a quem a arte do assobio assassinou, e que tornou a sua presença no clube totalmente insustentável. Esse jogador chamava-se Abel Xavier, e se muitos se recordam, simplesmente não podia tocar na bola sem ser imediatamente cilindrado pelo pelotão de fuzilamento do terceiro anel. Poderão alguns dizer, Abel Xavier era um mau jogador. Mas de facto não era, e a prova disso é que depois de ser escorraçado do Benfica pelos próprios sócios e adeptos, este “tosco” prosseguiu carreira em clubes como Bari, Oviedo, PSV Heindhoven, Everton, Liverpool, Galatasaray, Hannover, Roma, Middlesbrough e Los Angeles Galaxy, o que prova que o “tosco” não era tão tosco assim. 

Admito também que nos finais dos jogos também nunca assobiei o meu Benfica mas, acho esse tipo de assobio muito mais legitimo. Aliás, ao contrário do que alguns dizem, em Inglaterra também se assobia no fim. Mas em Inglaterra também acontece o oposto, os adeptos aplaudirem de pé a sua equipa que perde contra um adversário que foi melhor desde que deixe a pele em campo. 

Agora, o que eu acho é que o problema do assobio é bem mais profundo do que alguns querem fazer crer. O problema é que não se pode dissociar a arte do assobio do facto dos estádios em Portugal estarem cada vez mais vazios. 

Há um argumento que diz que os estádios só enchem quando a equipa vai na frente. Ora, como vemos, o Benfica vai em primeiro lugar, e nem por isso o nosso estádio tem estado sequer perto do máximo da sua lotação; 

Há um outro argumento que diz que os estádios estão vazios por causa do preço dos bilhetes. Este argumento explica, claro, parte da coisa mas, não explica tudo. Aliás, eu sou daqueles que acredita que mesmo que os bilhetes fossem de borla, nenhum estádio em Portugal lotaria, salvo num ou noutro jogo mais importante. 

Importa portanto escalpelizar as razões pelas quais os estádios não enchem. E na minha opinião, entre outras razões, a principal é que os espetáculos são pobres, os oponentes são fracos, os artistas têm mais pinta de carpinteiros, a vitória não está em causa, ninguém espera um jogo renhido, Benfica e Porto têm os jogos resolvidos aos 20 minutos e o resto do tempo é apenas gerir. 

Em resumo, o adepto que vai à Luz ver o Bordéus até percebe o contexto atual e até percebe o desgaste desta altura da época. Percebe a necessidade da rotação do plantel e o poupar de energias para as próximas batalhas. O adepto percebe isso tudo mas, não aceita, porque o adepto paga bilhete para assistir a um espetáculo, e quando paga o seu bilhete tem o direito de exigir um espetáculo digno, em que os jogadores corram e se esforcem, não quer pagar 20 euros para passar 90 minutos a ver 11 jogadores a trocar a bola em ritmo de treino. 

É o mesmo que pagar 50 euros para ir ver um concerto dos U2 mas, nesse dia, em vez de 25 só tocam 13 músicas, porque a digressão tem sido longa e no dia seguinte há um concerto importante que vai ser gravado para DVD. Em suma, eu aceito que em certos jogos o Benfica vai correr menos, mas o Benfica vai ter de aceitar que nesse dia eu vou escolher ficar em casa. 

Algumas notas breves: 
1. Certos espetáculos não justificam o preço do bilhete, tal como certos espetáculos da Broadway estão vazios exatamente pela mesma razão. O público é sempre soberano; 

2. Eu também adoro cinema mas não gasto dinheiro para ir ver um mau filme; 

3. Eu adoro espetáculos musicais ao vivo, mas só vou ver as bandas que me agradam e que me garantam um retorno emocional que justifique o meu investimento; 

4. Quantas vezes, mesmo em casa a ver um jogo de futebol do campeonato português, não dou comigo a bocejar e a ter de ir buscar uma cerveja ao frigorifico para que consiga aguentar o martírio até ao fim; 

5. Alguns dirão: Então tu és um mau adepto. Discordo. Eu sou adepto de muitas coisas na vida, e posso escolher gastar os meus 20 euros num jogo de futebol no estádio, posso gastá-los numa ida ao cinema, posso gastá-los num concerto de uma banda que gosto, posso gastá-los a comprar um livro, ou posso gastá-los numa noite de borga com os meus amigos a ver o mesmo jogo de futebol de borla num tasco qualquer. 

O que falta então para que os estádios voltem a encher? 
1. Jogos ao Sábado ou Domingo à tarde era importante. 

2. Mais dinheiro no bolso dos portugueses também ajudava. 

3. Mas fundamentalmente faltam bons espetáculos com emoção. E para haver emoção é necessário que haja equilíbrio, que haja incerteza no resultado, que hajam artistas, que hajam adversários que nos façam arregaçar as mangas e correr até ao último minuto, que hajam Sportings, Boavistas, Guimarães, Marítimos, Belenenses e Farenses como havia no passado. 

O adepto paga bilhete para gritar golo, para berrar, para roer as unhas, para quase morrer de ataque cardíaco, para dar cabo de um maço de cigarros em hora e meia, para libertar as angústias do dia a dia, para se deliciar com uma onda num estádio cheio, para sentir adrenalina, para celebrar golos aos pulos no último minuto abraçado a um qualquer desconhecido. 

O que se vê hoje em Portugal? Uns vão ao estádio e acreditam que os árbitros estão comprados e que é tudo uma farsa; uns vão aos estádios e aborrecem-se; outros vão ao estádio e assobiam para ver se não adormecem; outros acham que a maioria dos espetáculos que se vêm não valem o dinheiro que pedem e preferem ver o mesmo jogo no conforto do sofá ou no tasco do sítio. 

Assobios no futebol? O problema é bem mais profundo que isso.

segunda-feira, 11 de março de 2013

Jesus e o GB...

 ●  17 comentários  ● 
Há dias escrevi o tópico A importância da escolha do treinador onde falava sobre a importância da "Estrutura" de suporte ao futebol profissional. Todos os grandes Clubes a têm, umas mais permeáveis que outras e isso tem feito a diferença na contabilidade dos títulos pela Europa e pelo Mundo fora.

Claro que há treinadores capazes de "fazer" essa estrutura por onde quer que passam, pela capacidade que têm de ser "directores de comunicação", treinadores, "managers", directores gerais, responsáveis técnicos, coordenadores de formação, etc... tudo num só.

Quem é que o faz? Que eu conheça, apenas José Mourinho.

Mas hoje Jorge Jesus resolveu "mandar um recado" ao GB e dizer-me que não há um, mas sim dois. Diz o Jorge Jesus que «Se querem um treinador para a estrutura não sou eu».

EMBRULHA, GB! Que é para não continuares a dizer que o SLBenfica precisa de uma estrutura que proteja o JJ e o ajude a superar as lacunas, porque o homem não é perfeito nem "vai a todas"...


Pelos vistos eu estava enganado e o Jesus, de toda a sua experiência de negociar com presidentes de grandes clubes, diz que "Quando negoceio com um presidente pergunto logo: Querem um treinador para a estrutura ou um treinador que pense a estrutura? É que se pretendem um que se encaixe no primeiro caso, então não sou eu!".

E mai nada! Foi assim no Felgueiras, no Estrela, no Leiria, no Belenenses, no Braga e... no SLBenfica.

Pois claro, Jesus! Em todos este casos é mais ou menos a mesma coisa... sem tirar nem por.

Não sei o que me assusta mais: Se tu "acarditares" que realmente tens toda essa capacidade para gerir diferentes dimensões do futebol, no clube mais mediático de Portugal e um dos mais mediáticos do Mundo; Ou se é o facto de haver no SLBenfica quem, como tu, "acardite" nisso e te permita viver assim para te segurar.

Voltamos a escolher o caminho certo, da forma errada...

Jesus é um excelente treinador. Entre os portugueses, será porventura o melhor depois de Mourinho. Mas esta sua soberba de acreditar que é mais do que aquilo onde realmente é um excelente treinador, é o que "rebenta" com ele.

O Presidente que caia nesta tentação e em menos de nada, nem Jesus... nem titulos.

À margem disto, além de uma (porventura sonhadora) alfinetada no GB, este discurso cheira a provovação ao FCPorto e a indício de que Jorge Jesus, como disse o Viriato, já terá renovado com o SLBenfica, o que é uma excelente notícia.

Dê nota a estes jogadores:

Avatar
 ●  55 comentários  ● 
De 0 a 20:

Cardozo
Melgarejo
Bryan Garcia
Luciano Teixeira
Luisinho
Carlos Martins
Lima
Rodrigo
Urreta
Roderick
Miguel Rosa
André Gomes
Kardec
André Almeida
Sidnei
Miguel Vitor
Gaitán.



Oh companheiros...

 ●  20 comentários  ● 

domingo, 10 de março de 2013

Golear para reconciliar

 ●  18 comentários  ● 
Depois do arrufo entre adeptos e equipa no fim do jogo com o Bordéus era importante ver se se reconciliavam uns com os outros.
E o facto é que desta vez lá se viu de novo a equipa que tem dominado esta temporada.
O Gil Vicente revelou-se o adversário ideal, sem apertar a equipa, com imensas fragilidades defensivas (ai ai Luís Martins...) e um ataque relativamente inócuo.

Desta vez Jorge Jesus meteu a carne toda no assador, cumprindo a promessa de dar prioridade á conquista do campeonato sobre todas as outras competições. Apesar de ter aqui companheiros que discordam dessa postura e da menorização de outras competições de prestígio (ex. o jogo com o Bordéus) eu apoio a 100% esta gestão. Para quem se queixava nos anos anteriores que o Benfica chegava a Janeiro/Fevereiro estoirado, este ano estamos a ver a equipa fresca físicamente, a gerir melhor os momentos dos jogos em termos de desgaste físico e pronta para a ponta final da época.

Notou-se logo a diferença no meio-campo quando este é composto por Matic e Enzo Pérez. Nunca imaginei que estes dois jogadores pudessem fazer esquecer Javi Garcia e Witsel. Não só conseguiram como formam uma dupla de meio-campo ainda mais forte. Mérito dos jogadores e de Jorge Jesus que viu dois diamantes onde muita gente só via calhaus (e isso inclui-me a mim). Ola John também fez um grande jogo (pena que já não pertença ao Benfica...) tendo assistido para os terceiro e quarto golos assim como Sálvio do outro lado. Gostei bastante de ver as combinações com Lima e Cardozo - parecia um dez na forma como colocou a bola em Sálvio e Ola John nesses golos.
Apesar de a equipa ter jogo a um ritmo lento, o facto é que foi um ritmo que permitiu fazer gestão física dos jogadores, controlar o desgaste e com umas sete ou oito acelerações de ritmo lá se resolveu o jogo.

Finalmente, uma ressalva para Aimar e Gaitán que entraram muito bem no jogo e demonstraram que podem (e devem) ser considerados como fortes candidatos para o onze em Bordéus.
Esta semana que começa vai ser decisiva tanto para o campeonato como para as aspirações na Europa. O Guimarães é uma das boas equipas do Campeonato, com um estádio com ambiente de Grande e uma equipa jovem que pode-se lembrar de fazer uma graçinha. Para ganhar nesse jogo o Benfica vai ter que se apresentar na máxima força (até para prevenir uma possível má arbitragem) logo contra o Bordéus na minha opinião devia fazer rodar Matic ou Enzo Pérez apostando em André Gomes para o meio-campo além dos referidos Aimar e Gaitán. No ataque, nova aposta em Rodrigo em detrimento de Lima ou Cardozo.



O Terceiro Anel tem sempre razão

 ●  15 comentários  ● 
Sem comentários

A grandeza faz-de de valores, bem mais do que de vitrinas e latão

Avatar
 ●  12 comentários  ● 
Moro em Inglaterra, país do futebol puro. Torço pelo Arsenal de Londres, essencialmente por duas razões: 

Em primeiro lugar porque me apaixonei pelo Arsenal de Wenger, com Hleb, Flamini, Nasri, Fabregas e Van Persie, uma equipa de miúdos que jogava um futebol fabuloso.

Em segundo porque achei que não tinha piada vir para Inglaterra torcer pelo Manchester United, o clube da maioria.

Na verdade, o meu clube do coração é e sempre será o Benfica, e admito que em Inglaterra sou um pouco troca tintas. Quando Mourinho cá estava torcia pelo Chelsea; esta época por exemplo tenho uma costela do Tottenham, fruto da presença de Vilas Boas.

E se há alturas em que gostava de sentir em Inglaterra um clube como meu para dar mais calor à coisa, outras há em que agradeço essa bênção, já que há algo de muito saudável em apreciar apenas futebol, e analisar tudo com alguma distância e fair play.

Dito isto, aqui há uns meses estive em Manchester e tinha, claro, de ir a Old Trafford, a casa do United. Um estádio magnifico, com uma atmosfera extraordinária. E fiquei rendido à grandeza de tão incrível clube. Paguei 25 libras para ir numa excursão e visitar aquele templo, e admito que me senti pequeno lá dentro. Estive no balneário que parecia um santuário, estive sentado nas cadeiras almofadadas do banco de suplentes, fiz o percurso desde o balneário até ao relvado ao som do hino do clube, um hino que relembra conquistas antigas e que toca ali mesmo sempre em dias de jogo, apenas naquele túnel que dá acesso ao teatro dos sonhos, hino esse que serve para inspirar os jogadores da casa e intimidar logo ali os adversários.

Eu já estive no Louvre em Paris ou no Museu da História Natural em Nova Iorque. Já vi a Mona Lisa, já estive em Notre Dame, já visitei a Casa da Ópera em Sidney. Já fui a alguns sítios de visita e tive de “consumir cultura”, porque achava quase criminoso estar nas cidades e não visitar alguns sítios pitorescos e de passagem obrigatória em todos os roteiros turísticos. Mas entre estar duas horas na fila para tirar uma fotografia àquela merda da pintura da Mona Lisa ou visitar o museu do United, eu sei o que prefiro.

Do que eu gosto mesmo é de ver a camisola do Roy keane, da gola alta do Cantona, do cheiro do George Best, das chuteiras do Ronaldo ou das luvas do Schmeichel. Gostei de ver as Taças dos Campeões Europeus (exceto aquela conquistada contra o meu Benfica), gostei do respeito e veneração com que os guias da excursão falavam de Ryan Giggs, gostei de ouvir falar dos rituais dos jogadores, gostei dos vídeos gloriosos nos ecrãs, gostei da homenagem aos jogadores falecidos na Tragédia de Munique de 1958, gostei do clube que se ergueu das cinzas, gostei do orgulho na história e da glória que se respira por entre aquelas paredes, gostei do respeito pelos seus adeptos. Gostei dos cabelos brancos e das rugas daquele treinador escocês, história em movimento, vejo nele a mística e os valores que sempre me lembram de Bobby Robson, o único “lagarto” que me fez ir a Alvalade só para tirar uma fotografia com ele.

A receção que Ronaldo teve esta semana em Manchester é algo que só pode acontecer num clube extraordinário onde os valores que fazem parte do seu ADN estão sempre presentes, quer se ganhe ou se perca. Adeptos que cantaram o nome de Mourinho nas bancadas, apesar dos títulos que este lhes roubou ao serviço do Chelsea. Ryan Giggs que fez o seu milésimo jogo com a camisola Red Devil aos 39 anos, nos quartos de final da Liga dos Campeões frente ao poderosíssimo Real Madrid. O mesmo Giggs que foi ao balneário do Real Madrid no fim do jogo, para levar a sua camisola no milésimo jogo, assinada por todo o plantel, para oferecer a Cristiano Ronaldo... Isto é o futebol em todo o seu esplendor...

Como sempre disse, e tal como a grandeza dos homens não se reflete na sua conta bancária, também a dos clubes não se faz apenas de vitrinas e latão, mas de gestos e de valores. E nesse aspeto, o exemplo do United transporta-me ao meu Benfica, que esta semana teve mais um gesto que mostra que, em matéria de valores, também estamos e temos de estar sempre na linha da frente.

Para recordar o gesto magnífico que o meu clube teve para com Fábio Faria... Para recordar a Fundação Benfica, a solidariedade imediata após a tragédia da Madeira... Para recordar o esforço feito na construção do novo museu para que o passado seja sempre lembrado com a grandeza que merece... Para recordar o falecimento de Fehér, e o comportamento extraordinário do presidente do meu clube que lidou com aquela perda como se de um filho se tratasse... Para recordar Mantorras, a quem a sorte atraiçoou em tenra idade mas a quem o meu clube nunca deixou cair... Para recordar a gala do Eusébio, que teve uma homenagem em vida que a todos dignificou...


Estas não são conquistas com direito a taça mas, são momentos que nos engrandecem e que honram o amor que sinto por tão magnífico clube... E eis um Presidente que em diferentes ocasiões, mostrou saber honrar a nossa história e não esquecer nunca as nossas raízes.



E Pluribus Unum...


Moutinho e Mangala...lesões à Semedo?.

Avatar
 ●  9 comentários  ● 

Dizem as más línguas que Moutinho e Mangala andaram a a fazer uma limpeza, depois de vários jogos fulgurantes em que correram com a mesma intensidade durante 90 minutos, resultado de doses massivas de poção do druida Povoix.

"No creo en brujas, pero que las hay, las hay”.

ranking