Sol na eira e chuva no nabal...
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


quarta-feira, 20 de março de 2013

Sol na eira e chuva no nabal...

 ●  + 25 comentários  ● 


Portugal, 20 de Março de 2013



Aqui na minha terra quando queremos ilustrar duas situações impossíveis de realizar em simultâneo, dizemos “queres sol na eira e chuva no nabal”. De facto, o sol fazia falta no verão, quando se batia o trigo nas eiras para depois transformar em farinha nos antigos moinhos, a chuva faz falta no Outono e Inverno quando o naval dos tubérculos dos nabos cresce para originar os saborosos grelos que acompanham os enchidos grelhados que se fazem por aqui.


Vem isto a propósito da actual situação desportiva da equipa de futebol, onde a propósito dos 4 pontos de avanço (algo que era impensável para muitos teóricos do nosso futebol, incluindo bloguistas), já se desenvolvem algumas teses sobre como escalar a equipa daqui em diante, de modo a maximizar a colheita, ou seja, de modo a ganhar todas as competições em que ainda estamos envolvidos.


Vou ilustrar esta questão, e uma vez mais, com José Augusto que na Benfica TV já disse como é que Jesus tem de fazer. Não foi bem assim, mas ao concordar efusivamente com Jesus quando este afirmou “meter a carne toda no assador”, José Augusto comprometeu-se com a opção de meter sempre o que é considerado o melhor 11 base da equipa. 


Deixem-me abrir um parêntesis para explicar que nada me move contra Jose Augusto, bem pelo contrário. Mais do que ser uma velha glória do Benfica, símbolo vivo de outros tempos gloriosos a nível europeu, José Augusto apoiou, tal como eu, a candidatura de João Vale e Azevedo na derrota de Novembro de 2000. Foi corajoso e coerente com o que sabia do clube e do que valia a lista rival. Hoje foi cooptado para transmitir a mística desses tempos, e eu acho bem, todos somos poucos para construir um Benfica melhor.


A minha insistência com o seu nome, quando faço certas criticas a uma certa forma de ver futebol, prende-se com o facto de ele ser uma referência e porque está sempre na Benfica TV nos pós jogos. Se fosse outro, certamente falaria de outra pessoa, caso essa pessoa pensasse de forma igual (já não cito o Pedro Valido, e não é por acaso).


Ora porque razão estou aqui a falar de sol na eira e chuva no nabal? Porque nesta fase crítica da época desportiva, tenho lido muita gente a defender que Jesus está a fazer má gestão, quando ganha sem nota artística (casos recentes de Aveiro e Bordéus na Luz), e tenho lido também muita gente a defender a utilização sistemática do onze base que melhores espectáculos tem garantido, com vitórias seguras (por regra) e com alguma nota artística (casos recentes de Gil Vicente na Luz, Bordéus e Guimarães fora de portas).


Vamos por partes. No ano passado, por estas alturas o Benfica estava a perder 5 pontos em Guimarães e Coimbra, para logo de seguida perdia mais 3 no confronto directo com o FCP. De uma situação de + 5 pontos, passamos para uma situação de – 3 pontos. Qual foi a leitura que os teóricos amnésicos fizeram na altura, para explicar essa “súbita” queda de produção? Lembram-se? Eu lembro: 1) Jesus arrasa com os jogadores nos treinos, 2) o modelo de jogo de Jesus obriga a um vaivém permanente o que desgasta os jogadores, facto acentuado com o progredir da época, 3) Jesus não sabe gerir o plantel.


Mais coisa, menos coisa, andava à volta disto.


Ora passado um simples aninho, e quando vemos JJ dar mais minutos a alguns jogadores, sempre na perspectiva de minimizar os minutos jogados até final da época, o que vemos? “Ah e tal, a equipa não está a jogar nada”. Ou seja, agora que vamos ganhando, o que conta é a nota artística. No ano passado que tivemos nota artística, pelo menos em Coimbra (massacre total) e em casa com o FCP, já o problema era de falta de gestão.


Isto também defendeu José Augusto nos pós jogos do Benfica, nessa época, ao passo que esta época defende a utilização do mesmo onze base nas três frentes que estamos a disputar. José Augusto não é uma pessoa qualquer, por isso para mim, vejo através dele, uma situação grave de falta de cultura desportiva. E de falta de memória, que só agrava ainda mais o problema da falta de cultura.


Vamos ser francos. JJ utiliza os mesmos modelos de jogo que utilizou no ano passado. O 4-4-2 em losango nos jogos em casa e na maior parte dos jogos fora. O 4-2-3-1 em alguns jogos mais difíceis como foram os jogos da Champions (Celtic fora e Barcelona duas vezes) e na Liga Europa (Leverkusen duas vezes, Bordéus fora). Os treinos seguramente serão dados da mesma maneira. O desgaste dos jogadores será pois o mesmo.


Mas esta época em alguns jogos, JJ quis proteger alguns jogadores, a equipa perdeu nota artística mas ganhamos. E que vimos? Criticas e assobios. 

Há alguma coisa de errado aqui. E seguramente não sou eu. Nem JJ.

25 comentários blogger

  1. Águia Preocupada20 março, 2013 19:09

    Meu caro EAGLE, permita-me que o rectifique: O ditado popular é "Sol na eira e chuva no nabal". Ainda pensei ser erro, mas afinal não!
    Bom, feita a rectificação, acho que tem alguma razão. O ano passado perdemos e roubaram-nos pontos. Não podemos assumir essa questão como perda apenas nossa... Fomos espoliados, roubados, de forma vergonhosa. Tivesse havido lisura e verdade desportiva e teriamos sido campeões.
    Quanto aos comentários de José Augusto e de muitos de nós, estão na linha dos pergaminhos do clube. Ele sabe muito bem o que era o Benfica e o que deve ser o Benfica. Ele é um benfiquista exigente à moda antiga, como o deveríamos ser todos.
    Mas claro, é preciso precavermo-nos dos espinhos que nos vão aparecer na caminhada. E por isso, confesso que me agrada a gestão que JJ tem feito esta época. Prefiro ganhar sem nota artística mas também não gosto de ganhar "à rasquinha". Há que encontrar o equilibrio que nos leve a bom porto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado. Tive duvidas entre o "b" e o "v" mas pareceu-me que seria o "v". Enfim, caso para dizer que troquei os "bês" pelos "vês" :)

      Quanto ao resto respeito. Mas o que é isso de ser exigente? Só nós é que ganhamos e os outros acomodam-se? Toda gente quer ganhar, nós não somos excepção. Simplesmente vejo o Benfica ganhar, como no ano passado, e vêm criticar o treinador porque não soube gerir. Este ano que está a gerir (com mais prejuízo na Liga Europa, parece-me), aqui del rei que tem de por os melhores.

      De facto, concordo consigo, o Benfica no ano passado perdeu o campeonato por causa de vários erros grosseiros de arbitragem. Mas os teóricos amnésicos dizem que não, que foi JJ que errou porque a equipa estava rebentada. Agora são eles próprios a defender que JJ deve rebentar com a equipa.

      Onde quero chegar é a um certo anedotário de certos críticos de bancada. E nesse aspecto não somos melhores nem piores do que os nossos adversários. E eu achava que devíamos ser ...

      Somos grandes não é? Tem de ser em tudo ...

      Eliminar
  2. "Porque nesta fase crítica da época desportiva, tenho lido muita gente a defender que Jesus está a fazer má gestão, quando ganha sem nota artística (casos recentes de Aveiro e Bordéus na Luz)" - aqui, espalhas-te ao comprido. Completo despiste. O que se critica não é a falta de nota artística; é, sim, a total FALTA DE CONTROLO nesses jogos, em que não perdemos pontos por mero acaso, principalmente contra o BM. O BM tem 3 ou 4 ou 5 excelentes oportunidades para marcar, e só não marcou ou por azelhice, ou por azar, ou porque temos lá o Artur. Passámos o jogo inteiro com o credo na boca porque a equipa não soube agarrar e controlar o jogo. Acusas os outros de falta de cultura desportiva, mas depois fazes ainda pior.

    Então essa do "4-4-2 losango nos jogos em casa" revela-te em todo o teu esplendor. Losango? Só mesmo na tua cabeça.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chama-lhe o que quiseres. Falta de controlo, má gestão, falta de nota artística ... Falta de controlo porque os jogadores da gestão, não tendo rotinas perdem-se em alguns processo de jogo. Como deves ter reparados, quando joga o tal melhor onze base, não há falta de controlo, porque não há gestão. Jogam aqueles 11 e mais nada.

      O 4-4-2 em losango, assim chamado pelos analistas desportivos, caracteriza-se por um 4-1-3-2 em termos tácticos. Não sei se é só na minha cabeça, mas é assim que muita gente vê o futebol do Benfica com 2 avançados. Se calhar tu é que achas que reparas mas não reparas ...

      Quanto ao BM, e por falta de ocntrolo ou por gestão, chama-lhe o que quiseres, a melhor situação de golo do BM nasceu de um canto que era pontapé de baliza a favor do Benfica, aos 80 mn. No resto mais 2 penaltys por assinalar sobre Lima.

      Credo na boca? Sim, com o árbitro... pensei que marcava 1 penalty contra o Benfica fora da área ...

      Eliminar
  3. Daniel Oliveira20 março, 2013 19:28

    E porque é que seguramente não és tu?

    O que eu vejo constantemente em quem fala de futebol é o oportunismo e a manipulação. Muitos falam quando convém, ficam calados tempos indetermináveis e depois quando surge oportunidade falam de boca cheia gabando-se das sua razões.
    Os que agora apoiam incondicionalmente a gestão do treinador também o fariam caso tivéssemos tido algum azar em alguns dos últimos jogos ou caso não tivéssemos tido aquela sorte que protege os campeões? E muito dos que mandavam vir com o treinador também o faziam antes quando a equipa jogava bem e ganhava (por exemplo no primeiro ano dele no clube)?

    Depois há a manipulação. Manipular opiniões, manipular acontecimentos, manipular declarações para formar toda uma teoria para provar a razão que nós queremos.

    Eu sou adepto da coerencia, sou adepto da análise do futebol sem fanatismos e com uma linha de pensamento fundamentada. A opinião pode ir mudando, as pessoas vão aprendendo, mas essa mudança é feito de um modo lógico, explicado e que em nada corta relações com opiniões passadas. Podemos ter uma opinião e estar certos mesmo que os resultados imediatos não o comprovem, e não é por isso que temos de nos calar ou até mesmo mudar de barricada.

    É verdade que as equipas de JJ apresentam maiores desgastes fisicos no ultimo terço de campeonato? É. Mas isto acontece em todos os clubes. No Benfica aconteceu mais nos últimos anos do que o normal porque o treinador exagerava na procura pelo golo, no futebol de pressão e na utilização constante dos jogadores que mais lhe davam garantias.

    Isso de no ano passado termos perdido o campeonato devido ao cansaço não passa de um minuto.
    O Benfica vai a Guimarães com 5pts de vantagem, vindo de resultados e exibições bastante positivas. Em Guimarães, um terreno historicamente complicado, o treinador decide ter um dos seus momentos de génio "Bora lá surpreender todos e mostrar que eu é que percebo disto". Em vez do usual 4 2 3 1 foi aberto num 4 1 3 2. Claro está, a equipa apresentou-se sem identidade, permeável e perdeu o jogo.
    Depois recebemos o Porto e não foi cansaço, nem pela arbitragem que perdemos. Esse jogo foi um desastre táctico, um desastre exibicional, um desastre para treinadores e jogadores. Perdas de bolas infantis, substituições inexplicáveis, expulsão displicente, posicionamento dos jogadores suicida.
    Ainda houve o jogo em Vila do Conde. O Benfica começa a perder. Melhora e vira o jogo quase no intervalo. E o que faz a ego-mania do treinador encarnado? "Virámos o jogo e agora vamos golear!" ao intervalo sai o trinco, Matic, e entra um avançado. E pimba! o Benfica não cheirou, perdeu o meio-campo, eles empataram e o treinador foi a correr colocar o Javi para emendar a mer** que tinha feito.

    A rotação é essencial para um clube que joga para ganhar várias competições. Mas o entrosamento e rotinas são igualmente importantes. Foi esta gestão que o treinador do Benfica não soube fazer este ano.
    Movido pelo medo do Mito do estoiro fisico, optou por uma rotatividade descabida que mais não fez do que quebrar o entrosamento da equipa.
    Estamos em 1º mas ainda não acabou. Ninguém pode ignorar que apesar de termos ganho, em vários desses jogos jogámos pouco e valeu-nos uma pitada de sorte juntamente com a maior qualidade dos jogadores, e não a qualidade táctica e colectiva da equipa. É bom ninguém se esquecer disto pois faltam 7 jogos do campeonato, não ganhámos nada e convém melhorar para o azar não nos bater à porta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daniel Oliveira20 março, 2013 22:21

      *Isso de no ano passado termos perdido o campeonato devido ao cansaço não passa de um Mito.

      Eliminar
    2. Não sei como te responder. Primeiro eu escreve aqui e no blogue basta2002 há pelo menos dois anos, e digo sempre o mesmo sobre JJ e sobre os modelos de jogo. Manipular para dizer que tenho razão? Não sei aonde ...

      Meteres o jogo do Rio Ave no saco do FCP e do Guimarães, é ridículo. O campeonato estava perdido, podiam-se fazer experiências. Mas óbviamente que deu para perceber que para ti não há arbitragens, logo não reparaste na arbitragem de Benquerença.

      Por isso desculpa, mas não dou para o teu peditório. Tens o melhor treinador dos últimos não sei quantos anos, e consegues criticá-lo.

      Tu não és ninguém para criticar um treinador. Este ou outro. Porque tu não consegues fazer melhor. Percebes? Em Portugal está banalizada essa moda lisboeta de toda a gente falar do que sabe do que não sabe. Depois dá nisto: as pessoas só falam do que falta fazer, mas não do trabalho que deu fazer o que está feito. É um problema cultural que passa do futebol para o país.

      Porque estavas seguramente distraído, o modelo USUAL do Benfica de JJ SEMPRE FOI o 4-1-3-2, ou seja, dois avançados mais ou menos móveis: Cardozo e Saviola na 1ª época, idem na 2ª época, com introdução de Rodrigo e Nélson Oliveira, Cardozo e Rodrigo na 3ª época, com Nélson Oliveira às vezes, e este ano com Lima e Rodrigo na parte inicial da Champions, depois Cardozo e Lima ou Cardozo e Rodrigo.

      Em Guimarães de facto justificava-se que tivesse jogado no 4-2-3-1 que passou a utilizar apenas ESSA época. Não nas duas anteriores onde jogou SEMPRE em 4-1-3-2! Mas foi só por isso que perdeu? Então o Xistra não te diz nada? Claro que não diz, tu és do que acha que a conversa da fruta e favores na arbitragem não tem qualquer reflexo no campo. Não dou para esse peditório, desculpa lá...

      Eliminar
    3. Daniel Oliveira21 março, 2013 14:03

      Primeiro, eu não sou ninguém para criticar mas quem és tu para elogiar? Pois.

      Quando não temos o que dizer é facil recorremos: Ah e tal quem és tu? ;)

      Meto no saco dos pontos perdidos. Tinhamos 5 de vantagem, nos dois jogos que referi perdemos 6, ptt a partir daí só se pode falar de jogos que não tiveram influencia.

      A táctica usual era o 4-1-3-2? Então nem vale continuar esta conversa, para quê discutir com alguém um assunto sobre o qual essa pessoa não faz ideia do que fala?

      E sobre a manipulação, concretamente no teu texto, referia-me à situação dos assobios.

      Mas quando nos vemos encostados à parede começamos a disparar para todos os lados, atitude simplista de quem fala sem saber realmente o que diz.

      Bem haja

      Eliminar
    4. Daniel Oliveira21 março, 2013 14:21

      Ah e sobre o jogo com o Porto. As perdas de bola do Gáitan não interessam, certo? A infantilidade do Emerson não interessa, certo? As opções tácticas descabidas do JJ não interessam, certo? A fantástica subst ao minuto 89 não interessa, certo? O possível penalty causado pelo Cardozo não interessa certo?

      Para mentes fracas, o que interessa é resumir o jogo todo a um erro de arbitragem. Isto não é ver nem gostar do desporto, isto é fazer parte de um clã fanático que de olhos fechados segue o vermelho sem ter o mínimo interesse no que se passa. Querem apoiar o clube assim? Então vão fazê-lo e modalidades mais insignificantes, não estraguem o Futebol.

      Sobre o Penalty escandaloso marcado a favor do Benfica no jogo da Luz contra o Maritimo não vejo ninguém insurgir-se... Ah como é a favor do Benfica fechamos os olhos e se alguém disser alguma coisa falamos no penalty sobre o Lisandro no Dragão. Tristes mentes.

      Eliminar
  4. Daniel Oliveira20 março, 2013 19:28

    Depois é preciso esclarecer a injustiça com que certos comentários são feitos, comentários que manipulam acontecimentos e distorcem totalmente a realidade.
    "a equipa perdeu nota artística mas ganhamos. E que vimos? Criticas e assobios." Esta frase é a maior indecência que li nos ultimos tempos.
    Os adeptos do Benfica têm sido incasáveis no apoio à equipa. O Benfica tem jogado sempre em "casa", os adeptos vão com a equipa a todo o lado e apoiam a equipa o jogo todo. Porque num jogo desta época, num único jogo, em que depois do término desse os adeptos decidiram assobiar os jogadores pela sua falta de entrega e luta durante os 90 minutos, vem esta tese que o trabalho da equipa e do treinador anda a ser recompensado com criticas e assobios.
    Infelizmente quem inventa esta teoria convence-se mesmo que ela é verdade e convence muita gente disso também. Infelizmente iremos levar com esta mentira durante uns meses.
    Afirmação mesmo muito triste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha Oliveira, indecente era a tua tia e casou-se ... pachorra tem limite. Má educação também. O Benfica foi criticado mesmo no pós jogo da Benfica TV após jogo de Aveiro. Foi criticado nas páginas dos jornais, rádios e televisões. E foi particularmente evidente que a equipa foi ASSOBIADA após ter ganho 1-0 ao Bordéus. Esse assunto deu azo a N partidos de jornais, jornalistas, analistas e afins.

      Os sócios e adeptos do Benfica apoiaram a equipa mas há sempre uma minoria muito inteligente, na qual te incluis, que entende assobiar porque não gostou da comida. Uma minoria que faz ruído, mas não deixa de ser minoria. E não deixa de assobiar. Olha e comenta o exemplo do Bordéus. Perderam e não assobiaram a sua equipa.

      Eu quero e defendo a unanimidade no apoio à equipa.

      Eliminar
    2. Daniel Oliveira21 março, 2013 14:15

      Bem falas em educação e limites. Como foste o primeiro a atirar a pedra já posso responder à letra.

      Quando a burrice é muita nem damos conta da merd.. que nos sai da boca, neste caso dos dedos.

      Dizer que os adeptos respondem à época da equipa com assobios quando isso aconteceu uma vez depois de nos jogos anteriores e posteriores e nesse inclusive terem apoiado incondicionalmente, é algo que só o mais ignorante dos adeptos pode afirmar.
      E a burrice é tanta que nem consegues encarar esta realidade. A ignorancia é tanta que, tal como JJ, não consegues perceber que os assobios foram dirigidos à exibição e não ao resultado, foram dirigidos à entrega e esforço dos jogadores.

      Em Aveiro o Benfica não jogou nada, nada, nada e nada. Ganhámos com sorte e não merecemos a vitória. Mas claro está, tu como muitos outros sempre que o Benfica ganha, empata ou perde afirmam dezenas de lances de arbitragem onde nos roubaram. Por jogo é uma lista fantástica de erros, inventados, contra o Benfica. É sempre mais fácil assim.
      Quando uma equipa joga mal quem analisa os jogos vai dizer bem? Se para ti faz sentido. Aliás pelos vistos para ti o mundo só roda se a equipa do Benfica só puder ser elogiada, e tiver de ser elogiada e ninguém puder sequer apontar o dedo a A e a B. O Clube não cresce assim, fica do tamanho da tua mentalidade, muito pequenino.

      Falas em minoria? Mais uma vez falas por falar e só sai merd*. Podes manipular os factos para chegares à razão que queres. Partes da tua razão para construires os argumentos. Um dia tenta partir dos argumentos para chegares a uma razão, vais ver que o Mundo vai deixar de ser esse sitio tão estranho.

      Unanimidade no apoio à equipa... pelo menos sabes o que isso é? Apoiar, gostar, torcer e ajudar alguém é o quê? Dizer só bem? Afirmar que esse alguém está sempre correcto? Elogiar elogiar e elogiar? Se para ti é isto tenho pena de quem te rodeia.
      Já dizia alguém: Um amigo não te elogia e defende com a mentira, ofende-te coma verdade por muito que essa te fira.

      Boa sorte com isso, comentador de bancada ;)

      Eliminar
  5. em absoluto acordo!
    não é de agora que digo, Jorge Jesus é o melhor treinador português de todos os tempos.
    penso que assim que esteja garantida a final da taça de Portugal o Benfica deve renovar com o técnico mestre.
    quanto à falta de cultura futebolística do nosso povo, enfim, já são tantos anos a ver futebol que... digo que a massa humana em coletivo é estúpida e perigosa até, portanto...
    Viva o Benfica!
    e pluribus unum

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela compreensão. JJ já devia ter renovado porque é o melhor treinador da actualidade. Porque é melhor? Porque colocou o Benfica 4 vezes consecutivas nos quartos de final de uma prova europeia! E eu não me lembro de nada semelhante. Muito pelo contrário. Lembro-me das campanhas dos anos 80, que à excepção de Eriksson, 2 vezes, nunca davam em nada. Só eliminações se não era na 1ª eliminatória, era na 2ª.

      JJ ganha pouco cá dentro? Mas essa é que é a questão! As arbitragens não permitem mais, embora uma enorme facção dos adeptos apenas querem conviver com a perfeição. E portanto inventam defeitos por isto e por aquilo, o que é fácil, pois pelo mesmo critério o Ferguson já não era treinador do MU há anos .. e o Wenger? Nem se fala...

      Há questões de cultura, ou falta dela, nesta problemática. A mim interessa-me tocar em todos os pontos, sem me preocupar em agradar a ninguém. Só vejo os interesses do Benfica...

      Eliminar
  6. http://www.youtube.com/watch?v=b2-kn_oN0SE&feature=youtu.be

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És o unico que não posso comentar porque aqui no local do trabalho o youtube está bloqueado. Mas logo mais vejo e se for tema que demonstra que fazes questão, venho comentar.

      Eliminar
  7. Obviamente um campo de nabos não é "naval", mas sim "nabal".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imperdoável sem dúvida .. para mais de um tipo que em miúdo andava no campo e pegava nas abóboras, no milho, etc ... de facto passaram-se muitos anos e esqueci do "b" ...

      Eliminar
  8. Naval?
    Acho que é Nabal, onde se plantam os nabos, as nabiças etc.

    Mas do resto tens razão!

    PS: Nesta altura na Naval não "chove" há algum tempo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado. De facto aquilo lá para a Figueira da Foz anda muito "$eco" ...

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Quererias dizer "CHUVA" .. já corrigi, obrigado a todos.

      Eliminar
  10. Certíssimo!
    Mais, a ideia da "exigência" assume, por vezes, contornos descabidos. Pode ser-se ambicioso e exigir alguma coisa, mas criticar sempre, querer sempre mais, quando o mais é o impossível, enfim...
    Como sempre defendi, JJ deve ficar, ganhe ou não. Este é o caminho. Não ganhámos muito com ele? Foi pouco para o nosso grande Benfica, queremos mais e mais campeonatos, mas estamos ou não muito melhr do que antes dele?
    Gostem ou não, é um pouco como o Cardozo, os números falam por si!
    Carrega Benfica!

    ResponderEliminar
  11. Totalmente de acordo com o post...arranjam maneira de criticar sempre o Jesus...ele é mesmo muito mau treinador...desde a primeira passagem de Eriksson gostava que me indicassem um que fez melhor?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daniel Oliveira22 março, 2013 17:31

      Quem teve um vigésimo das condições dele?

      Não tenho qualquer problema em reconhecer os méritos do JJ, não tenho qualquer problema em fazer uma análise comparativa com outros treinadores.
      Mas não se pode cair na tentação fácil, como é tipico dos adeptos do futebol, de criarem frases e repetirem-nas até se tornarem verdades absolutas, frases que em nada se baseiam a fundo na realidade.

      Podemos analisar o trabalho do JJ e os seus méritos, podemos compará-lo com outros treinadores mas nunca podemos esquecer os contextos e condições e é isso que toda a massa associativa e imprensa têm feito.

      Eliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares