O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 17 de setembro de 2011

Será que o Benfica tem espinha dorsal?

 ●  3 comentários  ● 
São em jogos como os de amanhã é que poderemos ver se os jogadores, treinador e dirigentes têm a coluna vertebral bem hirta ou se são de um nível mais manuel machadiano. O treinador da Académica, promovido a nova star do sistema corrupto português, disse que qualquer um podia ganhar na Luz! Frases como estas, se fossem proferidas contra o CRAC seriam logo mote para uma guerrinha de jornais! E o bálsamo do balneário tripeiro, disfarçando assim o típico cheiro a álcool que por lá grassa!

É óbvio que Pedro Emanuel nem merece uma resposta, via conferência de imprensa. É demasiado... douradinho para isso! E nem tão pouco é alguém no futebol português. Apenas mais um da longa linha de bárbaros defesas do CRAC, promovido agora a treinador por conivência "briosa"! Nada mais...

Se para os jogadores do SLB ganhar amanhã já seria um dever por forma a caminharem de encontro ao que mais devem aspirar, o título de campeão de Portugal, aliado ao gostinho sempre especial de vencer um clube... azulado, agora é uma questão de honra. De coluna vertebral! De ler palavras como estas e sentir que é preciso aplicar um fortíssimo correctivo nestes estudantes da corrupção por forma a aprenderem que não podem, nem devem repetir tamanha graça! No fundo, trata-se de zelar pela normalidade das coisas.

Amanhã, meus amigos, não existe outro resultado admissível que não a vitória com direito a golos vários e nota artística! Outro cenário é indesculpável! Por isso, nem me venham falar na "importância de ganhar à Trappatoni", "que o 1-0, nesta fase, chega"! Chega, o c*ralho! O mínimo que eu peço é 3-0! E é a fazer a coisa por baixo porque o que eu gostava mesmo era de uma manita!

Aos dirigentes, os supostos verdadeiros benfiquistas, cabe a tarefa de espicaçar os jogadores para este cenário se concretizar: o massacre estudantil!


PS: E já que mencionámos a podridão típica nas Antas e imediações, fui descobrir noutro blogue mais uma prova o quão fétido é tudo o que se relaciona com aquele grémio frutado! Leiam aqui.

Afinal sempre se convocam dois defesas esquerdos...

 ●  20 comentários  ● 
Jorge Jesus é de uma incoerência atroz! São estes detalhes que destroem balneários, mas infelizmente parece que ninguém se preocupa com isso, gozando ele de uma imunidade impensável.

Há uma semana era assim: «Conto com ele, faz parte do plantel. É um jogador que chegou atrasado em relação ao Emerson. Joga numa posição, em que normalmente ou são titulares ou não os levo para o banco, a não ser que joguem em várias posições. A primeira opção tem sido Emerson e Capdevila só vai entrar se acontecer qualquer coisa ao Emerson».

Agora é assim:
Guarda-redes: Artur Moraes, Eduardo;
Defesas: Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Garay, Capdevila e Emerson;
Médios: Ruben Amorim, Javi García, Matic, Witsel, Bruno César, Pablo Aimar, Nicolás Gaitán e Nolito;
Avançados: Cardozo, Rodrigo e Saviola.

PS- Mais uma vez David Simão de fora! Já nem vale a pena comentar.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

A Luz será sempre a tua casa, capitão

Avatar
 ●  18 comentários  ● 
Vivo em Inglaterra, e por isso este último Benfica X Man Utd (Night para Jorge Jesus), era mais do que um jogo de Champions League para mim.

Era um jogo de honra, já que convenhamos, por estes lados o futebol inglês é rei, toda a gente é do Manchester, do Chelsea, do Arsenal ou do Tottenham, e falar-se do Benfica ou do Porto ou do futebol português é falar do desconhecido. Só se lembram do futebol português quando algum jogador do nosso campeonato aterra em Inglaterra, que é então quando me vêm perguntar quem é David Luís, Ramirez ou Vilas Boas

Por isso, eles julgavam realmente que o Benfica era o Bolton e que iria ser acima de chapa 5, e eu lá andei a semana toda a levar com eles e a dizer-lhes que talvez tivessem uma surpresa.

E tiveram essa surpresa. Não uma surpresa completa porque essa seria a vitória mas, pelo menos nestes últimos dias sinto o respeito dos ingleses que parecem admirados por o Benfica ter uma equipa que tem bons jogadores e que sabe jogar à bola.

Sim, já tinham algum conhecimento de anos anteriores, do massacre que o Everton sofreu há dois anos nas nossas mãos numa eliminatória da Liga Europa, eliminatória essa que preferi ver na televisão inglesa em vez de na portuguesa e onde ouvi os comentadores referirem-se ao Benfica como a equipa mais parecida ao Barcelona em termos de futebol jogado mas, convenhamos, é diferente medir forças com o Everton ou com um colosso como o United.

E à parte a exibição, que sem ser brilhante meteu o United em sentido, gostei como tanta gente me veio perguntar nos últimos dias quem era aquele “pretinho” que jogava na nossa defesa e que tinha metido o Rooney no bolso. E eu respondi-lhes cheio de orgulho: “Ah esse esqueçam, se pelo David Luís pagaram 25, pelo "pretinho" têm de pagar pelo menos 35!”

E este post é por isso mas não só, a minha homenagem a Luisão, não apenas pelo jogo grandioso que fez na última quarta feira mas, por tudo o que tem feito ao serviço do nosso clube nas últimas oito épocas.

Luisão é um defesa central fabuloso, a quem muitos de nós não mostramos o devido reconhecimento, porque olhamos para ele quase como prata da casa, como um dado adquirido. É mais fácil idolatrarmos outros, Di Marias e David Luíses por exemplo, porque sentimos que, esses sim, nos podem fugir, aliás, como fugiram.

Mas o capitão Luisão tem forçosamente de figurar no grupo restrito dos notáveis jogadores que passaram pelo Benfica ao longo da sua história. Alguns têm pelo Luisão um misto de sentimentos. Não lhe perdoam algumas declarações, alguns momentos em que mostrou vontade de sair.

Pois sinceramente aqui digo: Luisão é daqueles que porventura teria merecido pisar outros palcos ao longo da sua carreira. Eu, se fosse o Luisão, das duas uma: ou ficava realmente melindrado e perguntava se era por ser preto; ou então só me restava rir da situação. É que eu não tenho a mínima dúvida em afirmar que o Luisão é bem mais jogador do que o David Luís e o David é que vai para o Chelsea; tal como não tenho dúvida que o Luisão é bem mais jogador do que o Garay e o argentino é que veio do Real Madrid.

Em oito anos de Benfica a verdade mantém-se: O parceiro vai mudando mas, o patrão, a trave mestre todos sabem quem é e tem um só nome: Luisão.

E é por isso que no devido contexto compreendo algumas das declarações menos felizes do brasileiro. É que Luisão não chegou ao Benfica por ser do Benfica desde pequenino. Chegou ao Benfica como chegaria ao Porto ou a Londres, aprendeu a gostar do clube mas sem esquecer a ambição que legitimamente tinha de ir o mais longe possível na sua carreira.

O tal salto que se calhar merecia ter dado não aconteceu, e a recente renovação de contrato mostra que preferiu a estabilidade e o tornar-se num dos símbolos do clube encarnado, a troco de um salto mais pequeno para um clube que pouco ou nada acrescentaria à sua carreira. Luisão ganha bem? Pois ganha mas merece-o. Merece-o bem mais do que quase todos os outros. Estes não sao tempos de pagar amor com palavras bonitas. Luisão é profissional de futebol e merece que o Benfica, ao não o deixar sair, se aproxime pelo menos dos valores que outros clubes se propõe a pagar-lhe.

E por tudo isso aqui deixo o meu “Obrigado Luisão”. Eu próprio me esqueço por vezes que vestes a nossa camisola há oito épocas, e muitas mais vezes me esqueço de elogiar o que fazes, preferindo elogiar outros que fazem menos que tu, se calhar por saber que és daqueles que estás sempre lá e, surpresa surpresa é quando não cumpres.

Ainda a época passada, com a defesa do Benfica a meter água por todos os lados nos jogos de pré-época, com um David Luis à deriva e toda a gente a desculpar-se com o mundial e a falta de férias, pois tu chegaste, fizeste dois treinos e pegaste de estaca, sem desculpas de presenças em mundiais, falta de férias nem falta de pré-época. Sem desculpas, como é timbre daqueles que nao fogem às responsabilidades.

Quando justificaste há poucos dias atrás as tuas declarações menos felizes do último defeso com algum descontentamento que sentiste no final da última época, acredita que te entendo. Porque tu foste daqueles que na final da taça da liga do ano passado foste à bancada entregar a tua camisola aos adeptos no final do jogo, e essa mesma camisola te foi humilhantemente devolvida, juntamente com os piropos de que eras uma vergonha.

Luisão, uma vergonha?!

Tu, meu caro, da minha parte, todo o respeito do mundo. Grande jogador e grande homem. A Luz será sempre a tua casa.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Nicolas Gaitan: a grande vitima do sistema de Jorge Jesus

Avatar
 ●  13 comentários  ● 
Este não é um post contra ninguém. Nem contra aqueles que em Jorge Jesus só vêm defeitos, nem em favor daqueles que só lhe reconhecem qualidades. Mal seria que num blogue de discussão benfiquista, não houvesse espaço nem legitimidade para discutir as nossas ideias de treinador de bancada.

Mas confesso no entanto que muitas das criticas ultimamente aqui postadas em relação a Jorge Jesus me pareceram um pouco injustas, não significando isso evidentemente que JJ só tenha virtudes e que não cometa, como todos nós, aqui e ali, qualquer erro.

Jorge Jesus tem defeitos seguramente, parece casmurro por vezes, de ideias fixas (o que pode ser defeito ou qualidade), com um discurso provinciano adornado com fanfarronice que em nada o beneficia. No entanto, as virtudes são também muitas, começando na inegável constatação de que o Benfica de Jorge Jesus (um Benfica com cerca de 28 meses), não tem rigorosamente nada a ver com o Benfica que o precedeu. Nem em títulos conquistados, nem em jogadores valorizados, nem em futebol jogado, nem em exigência de resultados que antes não passavam de pura utopia.

Jorge Jesus é o melhor treinador do mundo? Seguramente que não. Tal como Cardozo também não é seguramente o melhor ponta de lança do mundo mas, se calhar por 10 ou 15 milhões será difícil arranjar alguém que marque mais golos que ele. Se me derem o Aguero ou o Luis Suarez, eu não me importo que vendam já o Cardozo. Mas se é para venderem o Cardozo e irem buscar o Kléber, então meus amigos, para mim o Cardozo renova já contrato.

Da mesma forma, se é para sair o Jorge Jesus e ir buscar o Mourinho ou o Ferguson, por mim é já. Mas se 'e para despedir o JJ e ir buscar o Quique ou o Rui Vitória só porque é benfiquista e está na moda e teve um bom ano numa equipa pequena que praticava um futebol vistoso, por mim digo que mantenho o que tenho e não arrisco em aventuras. Faria Rui Vitória ou algum outro melhor que JJ? Talvez sim, talvez não. O que sei é que nos últimos 20 anos foram camiões de treinadores que passaram pelo banco do Benfica, uns em épocas melhores outros em épocas piores, e só o fracasso foi comum a todos.

Duma coisa não tenho dúvidas: JJ sabe bem mais de futebol do que qualquer um de nós, o que não invalida que se possa discordar das suas opções ou achar que no lugar dele tomaríamos opções diferentes e melhores.

Porem, há algo que o tempo tem vindo a mostrar e que parece apontar para o acerto de muitas das decisões recentes de Jorge Jesus:

1. Emerson tem merecido quanto a mim a aposta do treinador. Tem crescido como jogador, tem tudo para continuar a crescer, está mais confiante e espero que não venha a cair sobre ele o típico assobio da bancada, o estigma daqueles que quando olham para o relvado não vêm o Emerson que lá está mas sim o Capdevilla que não está, como se o brasileiro tenha culpa da decisão do treinador.

2.
A exclusão de Capdevilla da Liga dos Campeões. Sinceramente estranhei a decisão porque pensava que Cap era um grande reforço mas, sinceramente também, digo que não gostei nada do espanhol contra o Feirense, da mesma forma que dado o problema do excesso de estrangeiros, e sendo obrigado a excluir um estrangeiro do grupo Matic, Bruno César, Rodrigo ou Capdevila, a escolha me parece legítima. Não tenho dúvidas em afirmar que Matic irá ter o seu espaço e será um jogador importantíssimo na gestão da época.

3. A dispensa de Carlos Martins. Custou-me. Reconheço nele talento e coração. Mas aceito plenamente a justificação de JJ quando disse que o Benfica precisava de um meio campo com outro tipo de jogadores, com mais músculo para que pudesse crescer como equipa. Ainda assim, se C. Martins fosse craque, não haveria melhor que o Granada a mostrar interesse nos seus serviços?

4. Urreta. Mais uma vez reconheço neste jogador qualidade e enorme potencial mas, importa também perguntar a razão pela qual o uruguaio não se tem imposto em clubes piores em dois anos de empréstimo?

5. Empréstimo de Jara. Para mim totalmente acertado. Um jogador que perde a quantidade absurda de bolas que ele perde por jogo, precisa necessariamente de crescer numa equipa em que os seus erros não nos custem pontos, para além do seu empréstimo abrir as portas da equipa a Rodrigo e Nélson Oliveira.

6.
Pelos vistos JJ não critica apenas Nolito ou Capdevilla por não serem os "seus” jogadores. Pelos vistos também critica Witsel (seu jogador), e pelos vistos também o sabe deixar no banco. Em oposto também sabe elogiar, Cardozo e Ruben Amorim por exemplo.

7. Pelos vistos não era embirração do treinador e, ao contrário da excitação inicial, e à parte os golos marcados, Nolito não é um jogador feito e está ainda longe de ser um super jogador com presença garantida no 11. Falta-lhe consistência e aprender a jogar sem ser em correrias de 200Km/h.


Feitos os elogios àquilo que me parece ter sido bem feito, fica agora a minha crítica àquilo que na minha opinião tem sido muito mal gerido esta época:

E Gaitan é para mim a grande vítima do sistema táctico de Jorge Jesus. Para mim, das duas uma: ou o argentino joga sobre a esquerda ou substitui Saviola ao lado de Cardozo. Não há outro lugar para ele. Nolito ou Bruno César não têm feito este ano na esquerda melhor do que Gaitan o ano passado. Os cruzamentos letais de Gaitan da esquerda para Cardozo deixaram de existir (que passe o de ontem!!), e Gaitan à direita pura e simplesmente desaparece do jogo.

Gaitan tem talento de sobra para ser talvez o jogador mais influente, mais desequilibrador e mais brilhante do actual Benfica, e parece-me que está a ser ele o sacrificado para que outras peças menos talentosas mantenham o seu lugar na equipa. Acho mesmo que Jorge Jesus talvez esteja a ser neste momento uma espécie de empecilho na evolução de Gaitan.

Talvez Jorge Jesus desespere pela explosão de Enzo Péres para colocar o argentino noutras funções mas, de momento, apesar de alguns bons jogos realizados pelo Benfica, este parece-me mais uma vez um Benfica sem asas, com a pouca profundidade que existe a vir não da acção dos extremos mas sim da dos laterais. É um Benfica sem extremos capazes de ir à linha e sacar um cruzamento com conta, peso e medida, para um Cardozo que já mostrou ser capaz de fazer golos quando bem servido.

Se me perguntarem o que faria eu no lugar de Jorge Jesus enquanto Enzo Peres não aparece, aqui fica a minha sugestão: Gaitan ou Aimar no lugar de Saviola, Bruno César ou Nolito na esquerda e... Rodrigo na direita. Bem sei que Rodrigo é um avançado e dos bons mas, jogou pelo Bolton a extremo quase sempre na época passada, e era um extremo voluntarioso, que atacava e defendia, e que, inclusive fez um jogo brilhante contra o Chelsea na missão de acompanhar as subidas de Ashley Cole.

Vale o que vale mas, é a minha opinião, sobre um Benfica com enorme potencial, com alguns momentos de puro génio, mas que precisa ainda de alguns acertos para ser de facto uma grande equipa.

De volta ao pântano.

 ●  8 comentários  ● 
Depois do grande jogo europeu de ontem á noite, na competição que deve ser o habitat natural do Benfica pelos seus pergaminhos é bom que tanto os adeptos como principalmente a Direcção, equipa técnica e jogadores aterrem e se preparam para o pântano que é o Campeonato Português.

Como alertei antes do começo do campeonato, o Benfica tinha o calendário inicial mais complicado dos três grandes, apanhando nas primeiras 6 jornadas 4 clubes que venceram o Benfica na época passada, incluindo os Corruptos.
Tirando a escorregadela com o Gil Vicente a equipa até se desenvencilhou bem das outras equipas.

Não sei se alguém da Direcção reparou mas os merdias avençados e os comentadores de outras cores têm estado a preparar terreno para um roubo colossal no próximo jogo. E a notícia de que Duarte Gomes vai para a jarra por marcar três penálties na Luz apenas demonstra que quem manda na arbitragem da Liga não quer deixar este assunto morrer.

Um aviso: o árbitro do próximo jogo é uma besta chamado Vasco Santos. Um senhor da Associação do Porto que já prejudicou o Benfica bastantes vezes. O jogo vai ser contra os Corruptos C, treinados por um ex-jogador dos Corruptos.

Este próximo jogo é de uma importância fulcral para o campeonato: é obrigatório ganhar este jogo para não permitir que se aumente a distância para os corruptos antes do jogo no Antro da Corrupção sob pena de estes adquirirem uma vantagem pontual confortável após as próximas duas jornadas.
Por isso exige-se muita atenção ás arbitragens e não se pode deixar que os comentadores e avençados do costume usem as tácticas do costume para condicionar as arbitragens.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Bom resultado!!!

 ●  29 comentários  ● 
No jogo desta noite estava tudo preparado á espera de uma noite de descalabro do Benfica, afinal o Manchester tem estado imparável na Liga Inglesa com vitórias expressivas e avassaladoras, como por exemplo os oito a dois ao Arsenal ou os três a zero sobre o Tottenham.

O que acabou por acontecer, para desespero de muitos, foi um Benfica pragmático, inteligente e de grande qualidade. A forma como o Benfica defendeu foi excelente, a paciência da equipa em esperar pelo momento certo para atacar a baliza do United foi muito boa. Viu-se em campo uma equipa coesa e consistente e não foi por acaso que o Tacuara fez o primeiro golo do jogo, um excelente golo por sinal. O United pouco ou nenhum perigo criava e só uma excelente jogada individual do enorme Giggs é que permitiu ao United chegar ao golo, aliás, golo não, um golaço.

Na segunda parte o United entrou mais forte, mais agressivo e mais rápido, fazendo recuar o Benfica para zonas mais perigosas mas o Benfica aguentou bem essa pressão e aos poucos retomou o controlo do jogo. O United mantinha muita possa de bola mas era o Benfica que criava as situações mais perigosas.

No final o empate deixou ambas as equipas satisfeitas. O Benfica somou um importante ponto frente a um dos principais candidatos a vencer a Champions. Se alguma equipa tivesse que vencer, o mais justo vencedor seria o Benfica. Foi a equipa mais rematadora e aquela que teve mais e melhores situações de golo.

Uma nota para a arbitragem simplesmente asquerosa no aspecto técnico. Ficaram algumas faltas por marcar a favor do Benfica junto á grande área que dariam livres perigosos para a baliza do United.

Continuo a achar que no 4x2x3x1x Aimar tem menos bola, o que é uma pena para o futebol do Benfica.

Para terminar, cumprimentos ao Gang do Assobio ao Cardozo. Mais uma vez o Tacuara mandou-vos para um sitio mal cheiroso que devem saber qual é. Ainda alguém duvida das qualidades goleadoras de Cardozo?


Benfica vs. Manchester United

 ●  9 comentários  ● 
Apesar de saber que JJ irá jogar em 4x2x3x1, eu apostaria num 4x3x3. Continuo a acreditar que com um meio campo composto por Javi, Aimar e Witsel, seria uma meio campo de luxo, seria um meio campo que nos garantia consistência defensiva, agressividade defensiva, capacidade de pressão, capacidade de posse de bola e criatividade no ataque. Um meio campo destes estaria ao  nível dos melhores da Europa.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Isto também diferencia o benfiquista...

 ●  5 comentários  ● 
... a capacidade de elogiar o nosso adversário, até mesmo o CRAC. Não a equipa ou o clube, mas um ponto em particular: James Rodriguez.A jogada do 2º golo do CRAC é de... craque! Olho para ele e penso que ele podia/devia ter sido nosso! Iria JJ apostar nele? Pois... E olho para Urreta e penso que, se fosse trabalhado com os melhores, também poderia estar aquele nível!

Para os burros

 ●  19 comentários  ● 
Este post é dedicado aos burros corruptos e submissos que andam desde sábado com orgasmos mentais e verbais em relação aos penaltis do Benfica. Eu sei que é tramado ver serem marcados penaltis a favor do Benfica quando estão habituados a que tal não aconteça. Se isto vos dói, ponham vaselina nisso que passa, senão aguentem que estas coisas são como o eclipse solar, só acontecem de tempos a tempos.

"futebol
(inglês foot-ball)
s. m.
1. [Desporto]  Desporto em que 22 jogadores, divididos em dois campos, se esforçam por introduzir uma bola na baliza do campo adversário, sem intervenção das mãos, durante uma partida dividida em dois meios tempos durante 45 minutos cada um."

"andebol
(inglês handball)
s. m.
[Desporto]  Desporto de equipa que se joga com uma bola redonda e apenas com as mãos."
Podem confirmar aqui: http://www.priberam.pt/
Penso que aqui estaremos todos de acordo, futebol sem mãos, andebol com mãos.

Mas como os burros são mesmo burros vamos lá ver ver com quanto guarda-redes se pode jogar:
"O jogo será disputado por duas equipas compostas por um máximo de 11 jogadores em cada uma, dos quais um será o guarda-redes. Nenhum jogo pode começar se uma das equipas dispuser de menos de sete jogadores;" Aqui: http://www.lpfp.pt/futebol/leisjogo/lei3.aspx
Portanto, só pode haver um guarda-redes.

"Tocar a bola com as mãos

Tocar a bola com as mãos implica um acto deliberado em que o jogador toma contacto com a bola com as mãos ou com os braços. O árbitro deve ter em consideração os seguintes critérios:
  • o movimento da mão na direcção da bola (e não a bola na direcção da mão);
  • a distância entre o adversário e a bola (bola inesperada);
  • a posição da mão não pressupõe necessariamente uma infracção;
  • o facto do contacto com a bola ser feito com um objecto que tem na mão (peça de vestuário, caneleira, etc.), não deixa de constituir infracção.
  • o contacto com a bola ser feito através de um objecto lançado com as mãos (bota, caneleira, etc.) também constitui infracção." Aqui: http://www.lpfp.pt/futebol/leisjogo/lei12.aspx


Acho muito estranho mesmo, ou talvez não, que aqueles adeptos corruptos e submissos não mencionem este lance aos 26 minutos com o jogo empatado a zero e que se fosse marcada a respectiva grande penalidade o Alex viria para a rua pois teria de ver o segundo amarelo. Portanto, aos 26 minutos o Benfica poderia estar a ganhar um a zero e o Guimarães a jogar com menos um jogador durante 64 minutos.









 Esta imagem é do 3.º penalti, aquele que levanta mais dúvidas. A bola efectivamente bate na cabeça do jogador mas antes disso parece que bate também no braço, o movimento do braço é claramente em direcção á bola. Penso que esta imagem poderá ser esclarecedora da justiça da marcação do penalti.







Resumindo: Como dizia o Paulo Bento: "Futebol, pé. Andebol mão". O Benfica não tem culpa se o treinador do Guimarães mandou a equipa a jogar com mais um ou dois guarda-redes, coisa ilegal como podem confirmar acima. O único clube em que um jogador, sem ser o guarda-redes, mais concretamente o Rolando, pode jogar com a mãos é aquele clube em que o presidente recebe árbitros em casa.

Espero ter elucidado os burros corruptos e submissos. Mais que isto é impossível!!!!

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O futebol inglês!

 ●  6 comentários  ● 
Aquela que, para mim, é a melhor liga do Mundo vive um escândalo de doping e cocaína. É uma facada para os amantes do "belo jogo". Mas não é para isso que deixo esta "postadela". É para dar um "lamiré" acerca do Manchester United. Observando o último jogo dos "red devils" para Liga reparo num pormenor interessante: 6 ingleses como titulares no campeão inglês! Dois deles da formação. Phil Jones, 19 anos; Rio Ferdinand, 32 anos; Johnny Evans, 23 anos (formação); Ashley Young, 26 anos; Tom Cleverley, 23 anos (formação) e Wayne Rooney, 26 anos. Contra o Arsenal estiveram 7 ingleses! Smalling e Wellbeck, este último da formação. Se alguém pensa que Evans, Cleverley e Wellbeck são já grandes craques e titulares indiscutíveis, desengane-se. Mas são recorrentes apostas de Sir Alex Ferguson. E, a par de Phil Jones, de apenas 19 anos, estão a ser moldados paulatinamente. E se o escocês tem a coragem de lançá-los numa equipa com tamanhas responsabilidades, porque não adoptar um modelo similar no Benfica? Estes miúdos, ao treinarem e jogarem com craques feitos, como Rooney ou Ferdinand, crescem e amadurecem! Tornam-se melhores! E Portugal é fértil em jovens jogadores... Pena é não terem espaço...

Ainda o jogo com o Guimarães...

 ●  6 comentários  ● 
Emílio Macedo diz que vai analisar os erros de arbitragem do jogo de Sábado. E faz muito bem! Creio que é por aqui que se constrói verdade desportiva! E digo-o sem ponta de ironia! E devia fazê-lo chamando Vítor Pereira, questionando-o o porquê de tantas (supostas) falhas, ou então mostrando publicamente as conclusões chegadas! Mas Emílio Macedo deve também referir a grande penalidade não assinalada ainda na 1ª parte a nosso favor! E já agora questione também Vítor Pereira acerca da arbitragem do Vitória x Benfica do ano passado! E que compareça também LFV e ambos analisem esses dois jogos! É pena a frontalidade confinar-se ao papel e às intenções! É mesmo... Ainda me lembro do enorme senhor que é Trapatoni a dizer o caminho a seguir: faça-se um DVD com os lances mais polémicos para vermos quem sai sempre mais beneficiado! Alguém o ouviu? Já agora, também para Emílio Macedo, o que irá ser feito em relação às acusações de Manuel Machado, esse treinador cheio de espinha dorsal?


Agora para LFV: uma vez que temos um presidente que gosta tanto de interferir na área do futebol, para quando um aperto sério de calos a JJ? É que a equipa tem de apresentar mais futebol, o plantel não tem apenas 12/13 jogadores e não podemos persistir em elementos com rendimento abaixo do mínimo. Não é, senhor Gaitán?

domingo, 11 de setembro de 2011

O «problema» Jorge Jesus

 ●  28 comentários  ● 
Este post é para falarmos de bola e da forma como cada um de nós, treinador de bancada catedrático, vê o futebol do Benfica. A parte boa do futebol é isso mesmo: olhamos dois para o mesmo jogo e conseguimos ver coisas totalmente diferentes.

Eu continuo a achar que o Jorge Jesus está a mostrar que não tem unhas para este autocarro. Costuma dizer-se que conseguir algo grandioso uma vez, qualquer um que tenha cérebro consegue. O pior é conseguir repetidamente esse sucesso... e isso Jorge Jesus já mostrou ser pouco capaz, na minha opinião.

Ontem curiosamente esteve no outro banco alguém que reconheço competência e capacidade de comunicação e, acima de tudo, construção para vir a ser treinador do Benfica no futuro, assim haja essa astúcia nos nossos dirigentes.

Mas voltando a Jorge Jesus, será que ele não percebeu que aquela táctica suicida que Ramires e DiMaria disfarçavam pela sua competência táctica e repentismo/velocidade respectivamente, é absolutamente destrutível para o Benfica num campeonato que está longe de ser coerente e honesto?

Ontem voltou a errar e, pior que isso, persistir no erro, voltando aquela táctica estúpida do 4-4-2 que lhe valeu um campeonato à rasquinha há dois anos, às costas de Ramires e DiMaria... e agora parece que quer fazer o mesmo com Witsel e Aimar.

Ontem o belga já não podia com as pernas antes de começar o jogo (viu-se no aquecimento a necessidade constante de fazer alongamentos) e mesmo assim ainda arrancou mais uma exibição de grande entrega, correndo atrás, à frente, à esquerda e à direita. Para rebentar com um jogador a meio do campeonato é óptimo. E quando Witsel fazia de 10... era ver outra vez o Javi Garcia às aranhas como nos anos anteriores.

Com Saviola fora de jogo durante 90', com Gaitan com dificuldades na direita e, especialmente, a defender e com Cardozo a durar apenas os primeiros quinze minutos com mobilidade e a valer apenas pelos dois penalties concretizados... Jesus tardou (e nunca conseguiu) perceber como goleava um Guimarães muito frágil em qualidade... mas ontem muito bem orientado, disfarçando tudo isso com competência, como nos tem habituado Rui Vitória.

O primeiro erro, na minha opinião, passou pela utilização de Witsel de início em vez de Aimar. O belga jogou pela selecção dois jogos em altíssima rotação e estava visivelmente cansado. No ideal teriam ficado os dois no banco para 4a-feira e entrado na 2a parte, mas se ele quisesse optar por um deles em campo... teria que ter sido o Aimar. O meio campo poderia ter sido formado por Javi, Matic e Aimar ou mesmo Javi, Matic e Gaitan com Bruno César na direita (já que ele não tem coragem para apostar no David Simão).

A ausência de Aimar jamais poderia significado o regresso ao suicídio do 4-4-2, mas sim a entrada de Bruno César ou Gaitan para esse lugar. Cardozo na frente, depois de uma ronda internacional com golos era inevitável, mas foi absurdo não o retirar quando estava já esgotado e a perder lances sucessivos, quando tinha um motivadíssimo Rodrigo no banco.

Num momento em que o Rui Vitória tentava o golo, refrescar o ataque com um jogador rápido teria sido a sentença final sobre o Guimarães carregado de amarelos e balanceado na frente. Mais uma vez... não foi capaz.

Uma última nota para o azar que teve Jorge Jesus em dizer antes do jogo que Capdevila só jogará quando Emerson não puder. Logo ontem o Emerson teve uma exibição muito infeliz com culpa evidente no golo do Guimarães...

Na minha opinião continuo a considerar que o que nos tem impedido de ter maior dinâmica no campeonato e exibições mais seguras, são a teimosia de Jesus e a sua persistência em erros, que se junta de forma aberrante a uma falta de capacidade para impor rotatividade num plantel de mais de 27 jogadores.

Claro que esta teoria de «treinador de bancada» vale zero nem é para valer nada, mas não deixa de ser a minha opinião.

ATENÇÃO: As aparências iludem

 ●  6 comentários  ● 
Um jogo onde, sem mácula, Duarte Gomes (e olha quem) apita três penaltys e dois deles quase de seguida tem tudo para deixar a ideia de "SLBenfica beneficiado pela arbitragem". Todos viram que foram bem assinalados, mas todos sabem que em condições normais, talvez não tivessem sido assinalados todos.

As aparências iludem e no futebol português nada é por acaso. Tem sido sempre assim e não se admirem se isto for tema de conversa para daqui a 15 dias, depois de um jogo com o FCPorto.

Muito pouco para quem quer ser campeão!

 ●  16 comentários  ● 
Antes de mais, gostaria de dizer que ontem estive na Luz e posso mesmo afirmar que me deixaram encantado as obras de arte no túnel que dá acesso ao estádio. Lindíssimo, digno do enorme clube que é o Sport Lisboa e Benfica!
O pior veio depois. Discordo do GB quando diz que foi uma vitória à Benfica do Trap. Foi uma vitória, sim. Mas manchada por uma arbitragem esquisita (ai se fosse no Dragão) e por um futebol pobre! Nas vitórias de Trap, a falta de qualidade era suplantada pela energia e querer que os jogadores colocavam em campo! As desta época, graças à enorme qualidade do plantel não podem ser constantemente sobre o signo do sofrimento! JJ, ao que parece, insiste nas suas ideias. E como são más! Primeiro: é preciso Capdevilla estar muito mal para não "sentar" Emerson! Segundo: Gaitán é uma nulidade. Esteve 80 minutos em campo em que não produziu nada! Todos sabemos que o argentino tem uns pés fabulosos! Mas ao treinador cabe rentabilizar esses pés, não andar mais de uma hora à espera que dali saia alguma coisa! E depois foi a sua confrangedora falta de vontade. Pura e simplesmente desistia dos lances! O que pensarão os jogadores no banco ao ver e ver que o treinador não lhes dá uma chance? Saviola. O "coelho" deve andar a querer ir para outra toca, só pode. Cardozo, fartou-se labutar é verdade e sem ninguém a ajudar é complicado, mas será que JJ não podia ter dado uma chance ao Rodrigo, nos últimos 10 minutinhos para o 7 perceber que o lugar não é só dele e para animar o espanhol? Aimar quando entrou ainda animou as águas, mas como o 10 é tão bom jogador, os demais paravam para apreciar o seu talento! Para mim, ontem só mesmo Luisão e Javi, Maxi a espaços, é que estiveram ao nível! O central é mesmo um líder, goste-se ou não! Até Garay estava "adormecido"... Em suma, quem sofre golos em todos os jogos (excepção com o Nacional) dificilmente pode almejar ao título! E num jogo esquisito, com 3 penalties a favor, a coisa tinha que ficar resolvida, o mais tardar, à uma hora de jogo! No entanto, acabamos com o credo na boca! Inadmissível! Ao menos o CRAC quando é ajudado arranca para cima do adversário! E por mais que doa, isto é a verdade! E imagine-se o que os bloggers encarnados escreveriam hoje se Duarte Gomes tivesse ido ao Dragão!
JJ insiste na gestão medrosa da equipa! Na mentalidade de equipa pequena! Tem um acervo de jogadores de luxo! E no entanto insiste em espartilhar a competitividade da equipa, insistindo nos mesmos jogadores! A equipa não carbura e não é capaz de jogar continuadamente ao ataque! Defende mal, porque não uma ligação eficaz entre a defesa e o meio campo e os alas são inexistentes! Insistir em Bruno César/Gaitán como alas a "full time" é um erro, pois sendo ambos belíssimos jogadores, estão fora do habitat! E isto é que me perturba! Tendo no nosso plantel elementos com tanta qualidade, o futebol apresentado desceu a níveis "leoninos" em certas alturas! Só mesmo as individualidades ajudam a disfarçar tão mau colectivo! E meus amigos, ou JJ põe a equipa a funcionar rapidamente ou então no espaço de um mês o CRAC dispara novamente rumo ao título! E por mim digo: JJ tem uma mentalidade pequena demais para estes jogadores!
Off Topic: O Correio da Manhã (vale o que vale) avança que o Benfica "veta" Fernando Gomes! A ser verdade são boas notícias! Mas LFV tem que dar a cara por esta acção e explicar porquê! Se o presidente do Sport Lisboa e Benfica conseguir impedir o golpe palaciano na FPF será uma enorme vitória pessoal, mas sobretudo contra o sistema!

ranking