O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Um quinto ...

 ●  2 comentários  ● 
Portugal, 29 de Setembro de 2011

Decorreu um quinto do campeonato, 6 jogos, e algumas comparações já são possíveis de fazer relativamente à época passada. Assim ao cabo de 6 jornadas temos mais 5 pontos (14 contra 9), fruto de mais 6 golos marcados (15 contra 9) e de mais 1 sofrido (7 contra 6, pasme-se). O FCP tem menos 4 pontos e com isso se explica que estejamos em 1º lugar. Houve uma melhoria do Benfica e houve um decréscimo do FCP. E isso também foi evidente no empate que fomos lá arrancar a “ferros”.

Se há pessoas que ainda não perceberam bem que os campeonatos se ganham com os pontos que nós fazemos e com os pontos que os adversários perdem, este está a ser um bom exemplo. Não me interessa detalhar as razões do pior momento do FCP. Porque o que se passou no ano passado foi uma vergonha, por tudo o que a arbitragem fez, e por tudo o que a Direcção do Benfica deixou que se fizesse até à jornada 4 de Guimarães, e depois da jornada 22 em Braga, onde o roubo de Xistra deu lugar à nossa “submissão” até ao fim do campeonato.

Fez-se um grande investimento na equipa, mais de 30 milhões de euros, tiveram de se vender alguns jogadores e ceder outros que fizeram uma época razoável e os números acabam por nos ser favoráveis essencialmente pela mudança de sistema de jogo: o histórico 4-4-2, embora na variante de losango deu lugar, quase sempre, ao 4-2-3-1. Uma das excepções foi em Barcelos, com a dupla Saviola e Jara no ataque, Javi a trinco, Aimar, Nolito e Gaitan no meio, e empatamos. Não houve milagres feitos por jogadores, há sim melhorias obtidas a partir da melhor organização de jogo.

Claro que no Benfica isto não se debate, isto não se discute, não se fazem comparações e até parece haver uma cultura de esbanjar dinheiro, como se o dinheiro caísse do céu. Mas não cai e o passivo aí está perto dos 500 milhões de euros, um grande feito do Sr.º Vieira e toda a tralha que o segue cegamente sem questionar, sem perguntar quando é que vamos sair deste buraco em que ele e os bancos nos meteram. É que o passivo remunerado subiu, como admite o relatório e contas, logo, os juros que pagamos são mais elevados. Quanto? Já ouvi falar em 10 milhões por ano (ordenado de craque mundial) ...

Viva o Benfica dos sócios portanto ...

Neste período também fizemos 2 jogos para a Champions (mais a pré-eliminatória e play-off) e embora tenhamos apenas mais 1 ponto, a diferença é significativa pois ganhamos – finalmente – em casa do adversário que sai do pote 4, aquele que estatisticamente é mais fraco. E também jogando em 4-2-3-1. As perspectivas de seguir para os oitavos da Champions melhoraram embora haja muito caminho pela frente.

Sobre os jogadores que saíram, tal como em casos anteriores, prova-se a velha máxima do futebol “só faz falta quem está”. Apesar de Coentrão ter sido vendido por questões de necessidade – como provam as Contas da SAD, tal como antes David Luiz e Di Maria, a realidade é que alguns dos que entram aproveitam a oportunidade para mostrar o seu talento, que de outra forma se esboroava no “banco”. Gaitán é o último desses que aproveitaram e de que maneira, as ausências dos que saem.

Já em relação a Roberto, pouco vou dizer porque não me interessa criar um assunto que não leva a nada, mas em Espanha – e tal como eu esperava – ele vai mostrando toda a sua enorme qualidade e talento, enquanto se por cá existe finalmente tranquilidade sobre essa posição, mas em minha opinião, é o modelo de jogo que impede de sofrermos mais golos. Contudo o que é bom para o Artur Moraes é bom para o Benfica e como tal para mim também.

Quanto às arbitragens, podem ter achado que o árbitro do FCP - Benfica fez um bom jogo, mas analisando a forma como inventou faltas contra o Benfica, eu mantenho-me na mesma: o sistema continua, o manual de arbitragem continua, talvez neste jogo e dada a previsível superioridade do FCP, em particular no plano psicológico depois da goleada do ano passado, as ordens para o árbitro, não incluíam a marcação de penaltys. Apenas livres. De tantos marcar algum poderia dar golo. E deu: o 1º golo do FCP ...

Mesmo assim, com o sistema bem organizado, parece que o FCP se apresta para dar um tombo desportivo. Vamos ver. Temos de ser pacientes. Faltam quatro quintos ...

2 comentários blogger

  1. Olá pessoal,

    Voltei de férias e de uma certa letargia inspiradora em que me encontrava.

    Não prometo muita coisa porque o meu trabalho nos últimos tempos complicou-se e não foi por culpa da "troika" :). São apenas fases ...

    A falta de tempo impede-me muitas vezes de comentar as opiniões dos que têm o trabalho de deixar comentários. Uma das razões é que não venho aos blogues muitas vezes porque no meu local de trabalho principal, das 9h às 18h, o acesso à blogosfera está impedido. No meu segundo local de trabalho das 18h às 22h tenho de render, porque estou na "minha hora" :)

    Sem querer ofender ninguém, é mais fácil para mim comentar as opiniões que publicam no outro blog www.basta2002.blogspot.com porque sendo o que eu criei, às vezes dou uma vista de olhos, já que sei que há pouco que ver e pouco tempo a despender. Neste do Novo geração Benfica, às vezes tenho receio de vir porque leio uma coisa e depois outra, comento aqui e ali, e passou-se o tempo e nada fiz para os meus clientes.

    Espero que compreendam o meu pedido e força para os novos administradores do blog. E claro, para nosso Benfica ...

    ResponderEliminar
  2. Conde de Vimioso30 setembro, 2011 00:02

    Pois, tambem eu me questiono sobre este amorfismo que hoje reina na massa adepta do Benfica e especialmente daqueles a quem um dia alguem chamou, "notaveis".

    Quando me lembro que o grande cavalo de batalha do Vilarinho foi o passivo que a altura se cifrava em 65M€, ja com provisoes fico perplexo perante a pasmaceira reinante perante uma cifra monstruosa de 500M€ e que nao para de crescer.

    Quero que o meu clube ganhe e isso pouco tem acontecido, mesmo assim tem-se permitido um esbanjamento desregrado, improficuo e preocupante.

    Quem o pagara?

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking