O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 22 de setembro de 2012

“Ordem” de combate ao passivo

 ●  22 comentários  ● 

O Diário de Notícias on-line, um dos múltiplos braços do grupo Controlinveste que, diariamente, defende os interesses dos nossos rivais azuis, titulava, em 20.09.2012; “PROVEITOS AUMENTAM 10% PARA HISTÓRICOS 91,1 ME, referindo a Lusa como fonte e a participação de Nuno Fernandes. Surpreendido e desconfiado com tão lisonjeira referência, verifiquei que tal crónica resulta do comunicado da Benfica SAD à CMVM, no qual atribui o aumento de receitas à participação do clube nas competições europeias em 2010/2011 e em 2011/2012, em especial na Liga dos Campeões, que terá rendido 22,4 ME em prémios - em 2011/2012 -, resultado histórico, representando um aumento de 60 % face à época de 2010/2011.

Por sua vez, refere que, pelo 2º ano consecutivo o resultado operacional foi positivo, com um valor superior a 5,1 ME na época 2011/2012, incluindo a venda de atletas, à exceção de Javi Garcia e Axel Witsel.

O pior veio depois, ao anunciar um resultado líquido negativo de, aproximadamente, 11,7 ME e um capital próprio negativo de 14,2 ME, resultante do aumento do ativo para 411,9 ME e do aumento do passivo para 426,1 ME. Contudo, As vendas de Javi e Witsel permitirão, no primeiro trimestre - julho, agosto e setembro de 2012 -, o regresso do capital próprio a valor positivo.

Por sua vez, o Correio da Manhã de hoje - 2012.09.22 -, refere um passivo total de 539,5 ME, considerando os resultados do exercício do clube em 2011/2012, em que as receitas atingiram os 28,6 ME - queda de 1,3 ME face à época anterior - e as despesas se cifraram em 41,6 ME - aumento de 6,2 ME face à época anterior -, resultando num prejuízo do clube de 12,9 ME que, somado ao prejuízo da SAD de 11,7 ME, totaliza 24,6 ME, ascendendo o passivo acumulado do clube aos 111,8 ME.

Foi pois com alívio que ouvi o Presidente do Benfica referir em Almada, a necessidade de “vender, baixar a massa salarial, ganhar com o talento, a entrega e o empenho dos jogadores que estão no plantel e confiar na capacidade de Jorge Jesus”.  Não chega! Espero que anuncie em breve; quanto vai a SAD amortizar ao passivo já esta época, quando estará pago o Estádio - inicialmente previsto para este ano - bem como um plano plurianual de amortização do passivo, com objetivos bem definidos.

A necessidade de redução de custos operacionais e de estrutura é imperiosa desde há muito e, embora seja aceitável a “derrapagem marginal orçamental” face à necessidade - pontual - de maximizar a probabilidade de sucesso desportivo - como defende Fernando Tavares - tal não deve converter-se numa prática corrente sob pena da insustentabilidade de todo o projeto Benfica. Sugiro mesmo que sejam avaliados os ganhos de fusão entre as empresas do grupo, pelas sinergias resultantes do aumento de eficiência global.

Por outro lado, é evidente para todos nós, desde há muito, a necessidade de redução dos custos operacionais, libertando a SAD de encargos que não geram contrapartidas financeiras ou desportivas, apostando mais na formação interna - tal como anunciou o Presidente -, recorrendo à contratação externa com assertividade decorrente de maior competência na prospeção, bem como a necessidade de aumentar os proveitos da venda de direitos desportivos do clube para valores consentâneos com a sua valia comercial, alocando parte dessa receita à amortização do passivo, sem esquecer o afastamento de toda a entidade do grupo Oliveira como parceira de qualquer sociedade do grupo Benfica, indispensável à sua liberdade, sem a qual não haverá verdadeiro Benfica.

Parece-me também, que deve considerar-se maior aproximação da SAD à Liga, já que me parecem boas algumas das propostas que defende, nomeadamente; o fim dos empréstimos de atletas a clubes do mesmo escalão, quanto a mim, uma das fontes de corrupção; a autonomia financeira dos clubes profissionais, outra das fontes de corrupção associada à anterior e o fim do monopólio da Olivedesportos na exploração dos direitos desportivos dos clubes, condição necessária ao fomento da competitividade do futebol, quer pelo aumento de receitas próprias dos clubes, quer pela redução da influência do grupo Oliveira em todos os agentes do desporto em geral, da qual apenas um dos contendores tira proveito, destruindo a credibilidade e rentabilidade do desporto nacional. Poderia ainda, conquistar o apoio da maioria dos clubes ditos “pequenos”, necessários para travar as ameaças provenientes da Federação, que muito têm contribuído para o afastamento do Benfica dos títulos e para a descredibilização do futebol.

Relevo ainda a necessidade de preparar medidas suficientemente dissuasoras da estratégia que tão bons frutos tem dado ao clube azul e que consiste em dificultar o fortalecimento competitivo das equipas do Benfica, agravando os respetivos custos operacionais e desviando para as suas “trincheiras” atletas influentes, irónicamente, muitos deles, "descobertos" pelo departamento de prospeção do nosso clube, os quais, a par com os “erros grosseiros”  de arbitragem que todos conhecemos, lhe tem proporcionado superioridade desportiva há décadas, hipocritamente, cobardemente, enaltecida pela generalidade dos comentadores desportivos e algumas figuras públicas.

Perante este cenário, é revoltante assistir “à engorda” obscena dos empresários, à “chantagem” frequente dos atletas junto dos seus clubes, à indiferença das superestruturas desportivas, à incompetência do sistema judicial e ao silêncio ensurdecedor das tutelas governativas.
 
Afinal, sem clubes não há futebol!

AB

Umas perguntas ao Sr. Vieira

 ●  9 comentários  ● 
Após o discurso de Vieira tenho de lhe colocar aqui algumas questões:

  1. Porque foi comprar Ola John quando se poderia ter apostado em Yartey, entretanto vendido, e Urreta que desconheço o seu paradeiro?
  2. Porque se foi comprar Lima quando tinhamos Mora, Nelson Oliveira, Michel, Kardec e Vieira? Nenhum destes serve?
  3. Porque não se apostou em Wass, jovem internacional Dinamarquês, quando não temos um lateral concorrente a Máxi? Como muitos já devem ter percebido, Cancelo não é a segunda opção porque simplesmente está mesmo muito verde.
  4. Porque não se reintregou Airton ou Nuno Coelho sabendo o Presidente que se teria de vender e que Javi foi o tal a ser vendido? Conhece a palavra antecipação?
  5. Que raio de empréstimo foi aquele de Ruben Amorim ao Braga? Não faria agora falta?
  6. Se a aposta agora é na formação e no "comprar menos", porque se foi comprar para lugares que estavam devidamente acautelados e onde tínhamos alternativas dentro do próprio clube?
  7. Para o ano quem irá ser chamado para a equipa principal para suprir a mais que provável saída de Aimar? Será David Simão, Miguel Rosa ou iremos comprar um puto estrangeiro?
  8. Se vamos apostar na formação isso significa que para o ano teremos novo treinador? É que este aposta em tudo menos na formação do Benfica!!! 
  9. Como quero acreditar que o Sr. Presidente já sabia a situação financeira do clube, porque não começou já este ano a implementar o que disse no seu discurso, evitando as situações que atrás referi?
Se as palavras de aposta na formação forem mesmo verdadeiras, espero que não façam como o Sporting, nem tudo o que é da formação tem capacidade e qualidade para jogar no Benfica. Nem 8, nem 80, há que encontrar um meio termo.

E já agora, quando venderem o Gaitan não comprem ninguém, é que há um puto na B chamado Ivan Cavaleiro que tem um potencial do tamanho do Mundo, desde que haja coragem para aposter nele.
 

Algumas vozes da Blogoesfera Benfiquista sobre LFV e o seu discurso

Avatar
 ●  3 comentários  ● 
"É o passivo que aumenta ano após ano, é o infindável entreposto de jogadores, é o constante desequilíbrio da equipa de futebol, é a ausência de títulos importantes, é a promessa de mandatos de "sucesso desportivo" quando isso nem devia ser promessa e sim ideia intrínseca, são os erros novos, os velhos, os repetidos e os que ainda estão para vir. 

É a ausência de estratégia, é a má estratégia, é o copiar da estratégia. É o desrespeito para com os sócios, é a morte da democracia, é a morte da discussão, é o navegar à vista, é a incompetência e é o pior, a falta de amor à causa.

São as muitas promessas do passado chegadas à realidade de um presente por um caminho que nos trouxe exactamente ao mesmo lugar de onde partimos.


São mais quatro anos disto e isto nunca vai ser mais do que isto pois, isto, é uma promessa que se repete muitas vezes, tantas vezes quanto se adia. E o Benfica não tem tempo, e o teu tempo também já não devia ser aqui.
" - Retirado DAQUI

----------------------------------------------------

"Não sei se Sofia Carvalho já se lembrou, mas a verdade é que poderia convidar o empresário de sucesso (e presidente do Benfica nas horas vagas) Luís Filipe Vieira e a sua trupe de amigalhaços decoradores (Domingos Soares Oliveira, Paulo Gonçalves, Jorge Gomes) que pinta de verde e azul a SAD endividada do Benfica para fazer uma edição especial do programa transmitido na SIC Mulher.
 
Nos últimos dias, Vieira inaugurou e remodelou as casas de Serpa, Lagos, Vila Real de Santo António e, hoje, a de Almada, na qual não conseguiu controlar a habitual logorreia que o caracteriza, proferindo as seguintes declarações:

[...] Portanto, não nos resta outra alternativa que não seja seguir o caminho da credibilidade e da responsabilidade. Quem não o fizer por opção, dentro de pouco tempo vai ter de o fazer por obrigação. Quem pensa que pode continuar a viver como até alguns anos atrás está redondamente enganado. Quem persistir nesse erro vai acabar mal. [...] Vender, comprar menos e formar mais. Vender e baixar a massa salarial, mesmo que isso signifique sacrificar a nossa competitividade. Que fique aqui bem claro: temos de garantir a nossa sustentabilidade, temos de competir e ganhar com o talento, a entrega e o empenho dos que cá ficam e confiar na capacidade do nosso treinador.

Isto já não é areia para a cara dos adeptos. Já estamos no campo dos sacos de fezes. O caminho da credibilidade e da responsabilidade consiste no aumento do passivo em 47 milhões de euros no espaço de um ano e na inversão de capitais próprios positivos para negativos? 
 
Consiste em dois campeonatos ganhos em nove anos de presidência? E por que motivo vivemos dessa forma há uns anos atrás? 
 
E por que raio se continua a gastar rios de dinheiro em jogadores desnecessários como Ola John ou Lima quando há excesso de extremos ou jogadores da formação, sim, da formação que no discurso é elogiada mas que depois é desprezada ao deixar sair Nélson Oliveira para Espanha? 
 
Que formação é essa que empresta os melhores jogadores que de lá têm saído nos últimos anos? Vender e baixar a massa salarial depois de andar em renovações loucas com jogadores a ganharem acima dos 200 mil euros e de recusar supostamente 90 milhões de euros do Anzhi? 
 
Sacrificar a competitividade quando se promete um mandato desportivo? Tem a lata para falar em sustentabilidade quando desde a sua vinda o passivo quintuplicou? Portanto, resumindo, é vender tudo e fazer figas para que resulte, confiando no treinador incompetente. Lata suprema.

Há falta de títulos, inauguram-se casas. E para enganar os tolos, o demagogo usa um discurso supostamente sério que é apenas e só a contradição de todo o trabalho que tem feito ao longo dos anos. Venham mais quatro anos de Bob, o Construtor." - Retirado DAQUI.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Deves estar a dar voltas no mausoléu com o que estão a fazer ao Benfica...

Avatar
 ●  3 comentários  ● 

Pé direito, pé esquerdo

 ●  15 comentários  ● 

Portugal, 21 de Setembro de 2012

Concluída a 1ª jornada da Champions League (e também da Liga Europa), arrancamos um empate a zero em Glasgow, o que na minha opinião significou uma entrada de pé direito na prova, uma vez que tínhamos perdido todos os jogos lá disputados, quer para a antiga Taça dos Campeões Europeus (com Eusébio e Artur Jorge) e já no actual figurino da Champions League.

Ao contrário do que é habitual, a exibição do Benfica teve 1ªs páginas simpáticas em todos os jornais desportivos, embora nas interiores os analistas se dividissem entre os que acharam o empate positivo e os que acharam que o Benfica devia ter arriscado mais, pelo que consideraram que o empate soube a pouco. Nos blogues benfiquistas, infelizmente também houve uma percentagem significativa de opiniões que foram atrás do “soube a pouco”.

Penso que o empate é positivo não só por termos quebrada uma malapata histórica (que FCP e SCP ainda não quebraram) mas também porque tiramos 2 pontos a um adversário directo. Dir-me-ão: mas o Benfica também perdeu 2 pontos, correcto? Sim, mas.... Sim, perdemos 2 pontos mas se vencermos o Celtic em casa, recuperamos a vantagem. Aplicando o mesmo raciocínio ao Spartak, teremos forte probabilidade de voltar a passar aos oitavos de final, independentemente dos resultados que os 3 outsiders Benfica, Celtic e Spartak, fizerem com o super favorito Barcelona, porque não acredito que o Barcelona perca 2 jogos com um só dos seus adversários (tal situação só já pode acontecer com Benfica e Celtic).

Ou seja, mais vale 1 ponto na mão do que 3 a voar para o adversário, teorema do futebol que infelizmente muita gente com responsabilidades continua a ignorar. Uns por má formação desportiva, outros por soberba intelectual, outros por autismo futebolístico, o que é certo é que vemos demasiadas opiniões defendendo que “com uma equipa mais ofensiva, este adversário podia ser derrotado”. Ora perdemos 1-0 na última vez que lá jogamos em 2007/08, e o que escrevia o insuspeito jornal a BOLA, no seu online? “O Benfica começou melhor a partida, a criar várias ocasiões para marcar. O Celtica equilibrou o jogo e acaba por marcar em cima do intervalo. O Benfica não merecia estar a perder”.

Também podia dar o exemplo da equipa que empatou com o “acessível” (segundo os do costume) Espanyol 0-0, quartos de final da Liga Europa em 2006/2007, onde atacamos com Nuno Gomes e Miccoli... Adiantou o quê? Muito ataque, muito remate, tudo em circunstâncias difíceis, sempre com muita gente na área adversária, e no final os “media” falaram de 1 penalty não assinalado contra nós, por falta de Léo, que poderia ter resultado em derrota ...

Quanto à avaliação da qualidade do adversário, é frequente confundir-se o valor real deste com o valor que lhe é atribuído. Por vezes vai uma enorme distância. Lembro por exemplo, o FC Copenhaguen que defrontamos nessa época 2007/2008. No 1º jogo da fase de grupos empatamos lá 0-0. Os do costume, ou seja, os que agora lamentam a pouca audácia do treinador e da equipa, também disseram que o Benfica tinha perdido 2 pontos com a “pior equipa do grupo”. Depois quando o FC Copenhaguen venceu o Celtic e o Manchester, ambos por 1-0, não voltei a ouvir esses entendidos. E o Benfica acabou por se apurar para a Liga Europa graças ao tal empate com a “pior equipa” do grupo ...
Por ultimo se mais exemplos fossem precisos, ontem ficamos a saber que os empates 0-0 podem ser muito diferentes. É diferente empatar em casa de uns verdes, onde nunca tínhamos pontuado, do que os verdes empatarem em casa com uma equipa a quem tinham ganho sempre. É ou não?
Mudando de tema, onde continuamos com entradas de pé esquerdo é nas contas do clube/SAD. Mais um ano de prejuízo apesar de se ter batido o recorde de receitas! E porquê tudo isto? Porque os 20 milhões que tivemos de pagar de juros aos Bancos inverteram os lucros para prejuízos.
Os adeptos do “fala-barato” presidente do Benfica, continuam a não perceber que uma coisa é o Benfica e seus interesses. Outra bem distinta é o Sr.º Vieira e a admiração que podem sentir pela sua liderança. Tal como os empates 0-0 que atrás referi, estas são duas coisas bem distintas, embora não pareçam. O Sr.º Vieira lidera um projecto de clube/SAD que tem como primeiro vector estratégico, por os benfiquistas a pagar aos Bancos e os prejuízos dos ruinosos contratos de direitos televisivos, negociados em 2003 por 8 milhões anuais para 12 épocas, quando Vale e Azevedo tinha facturado 6,125 milhões em 2000, ou seja, 3 anos antes. Está no prospecto da SAD, Maio de 2001!

As 2 fases do declínio - Benfica

Avatar
 ●  21 comentários  ● 
Os mais recentes números da SAD, bem como os fracos resultados desportivos do futebol nos últimos 10 anos, deixam o nosso Benfica à beira das 2 fases do declínio: a 'Sportinguização' e a 'Belemnização'.

A actual direcção teve nas vitórias em 2005 e em 2010 duas oportunidades de ouro para tirar o clube desse caminho para  o abismo.
No caso do Benfica, sucessos desportivos resultam sempre em sucesso financeiro, devido à enorme massa que são os benfiquistas.

Em ambos os casos, o caminho seguido não foi o de consolidação dessa dinâmica de vitória.
Nem se aproveitaram esses triunfos para dar um golpe fatal no sistema corrupto.

Apoio a Fernando Gomes, boicote a uma candidatura da esfera do Benfica à FPF, convivência e conivência em decisões e orientações com elementos hostis ao Benfica.

Introdução nas estruturas do clube e gestão do futebol de elementos declaradamente anti-benfica num passado recente.

Política de comunicação e de imagem no mínimo ridícula.

Gestão amadora e incompetente do futebol. Incapacidade de antecipar problemas e soluções. Defesa dos atletas e estrutura de apoio medíocres.

Culto da figura do presidente, asfixiando a discussão crítica e democrática dentro do clube, como o golpe dos estatutos deixou bem claro. 

Falta de peso nas estruturas do futebol português, onde possa combater directamente a batotice que adultera os resultados desde há 30 anos.

Falta de envolvimento com clubes do nível de grandeza do Benfica e com as estruturas da UEFA, não tendo ninguém com prestígio que de forma permanente vinque a imagem do Benfica como um clube sem igual em Portugal. 
Até para vendermos jogadores, quem vai lá somos nós. Revelador.

Estamos, infelizmente, a entrar com os dois pés na 'Sportinguização'.

Negação da realidade financeira do clube, com uma constante fuga para a frente com consequências desastrosas para o grau de endividamento e respectiva componente de juros.

Refúgio em chavões como o 'ecletismo'(que será das modalidades sem o futebol a atrair gente ao clube?), na inauguração de Casas que se transformaram num momento de acção de propaganda, em vitórias morais e inócuas como o clube com mais sócios ou com mais fãs no Facebook.

Depressão da massa benfiquista, que se radicaliza e prefere apoiar caras a apoiar políticas.

O que se passa nos nossos vizinhos da Segunda Circular deve preocupar-nos e muito. É um espelho do que será o Benfica a breve prazo, caso nada mude.
Anos de rebaixamento aos interesses de terceiros tornou o Sporting(clube com um potencial enorme)  completamente incapaz e refém dos seus actos desastrosos.

E depois disto? Depois vem a 'Belemnização'.

O que é essa fase está à vista. Ruína e até descida de divisão.

Confesso que sou do tempo em que o Sporting era um rival do Benfica e em que quase todos simpatizávamos com o Belenenses.
Ainda hoje o jogo que mais gosto de assistir é sempre o Derby. Na Luz e em Alvalade, acompanhado de benfiquistas e sportinguistas que gostam de bola e de vitórias limpas.

Infelizmente, o ódio ao Benfica(alguns dirigentes do Sporting) e a pequenez e chico-espertice de alguns dirigentes do Belenenses levaram estes clubes a serem durante tempo demais fantoches do sistema, manobrados a acreditar que sairiam beneficiados.

O tempo mostrou como isso estava errado. O tempo demonstrou que o único caminho é o da confrontação com o sistema. 
    
Os benfiquistas, talvez demasiado massacrados pelos resultados fracos e insuficientes para um clube da grandeza do nosso, estão a tornar-se demasiado conformistas. Pouco exigentes.

Os benfiquistas caíram na armadilha do 'sem mim é o caos'.

É trágico que a tão pouco tempo das eleições, não tenhamos um nome para discutir esse sufrágio com LFV. Que obrigue o presidente do Benfica a tomar medidas e apresentar um caminho diferente, para melhor.

Que possibilite aos benfiquistas ESCOLHER.

Negar o declínio do Benfica é o mesmo que dar um pontapé a quem já está no chão.

Esse declínio não começou com LFV, mas os tiros fatais estão a ser dados pelo presidente do clube.

O benfiquismo hoje não significa nada para a liderança do clube.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Os "outros" numeros da SAD

 ●  5 comentários  ● 
No seguimento dos resultados SAD muitíssimo preocupantes hoje conhecidos, importa também olhar ao seguinte:

"No decorrer do 1º semestre de 2011/2012, as remunerações atribuídas aos membros dos órgãos sociais da Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD nas diversas empresas que compõem o Grupo Sport Lisboa e Benfica ascenderam ao valor global de 243.728 euros (31/12/2010: 249.661 euros), sendo distribuídas como segue:
Domingos Cunha Mota Soares de Oliveira: 116.146 €
Rui Manuel César Costa: 115.148€"


Portanto, adicionando impostos, foram 243.728€ pagos em 6 meses de actividade a dois administradores. Aos quais ainda irão acrescer simpáticos prémios de desempenho no último semestre, como temos visto nos RC anteriores - um deles destacados no blog Ndrangheta onde atesta uma renumeração total conforme abaixo em 2010/11:

. Domingos Cunha Mota Soares de Oliveira - 370.549 
. Rui Manuel César Costa - 243.966

- Consideram que estamos a premiar os maus resultados (desportivos e financeiros) com elevadas remunerações?
- Será possível jamais haver responsabilização desta forma?
- Sendo os títulos os objectivos de Clube Desportivo, deveriam os Administradores ser premiados em temporadas sem títulos conquistados?

Têm a opinião os nossos leitores.

As contas da SAD: Muitíssimo preocupante

 ●  47 comentários  ● 

Num ano onde as receitas da Champions bateram recordes (22M€) e as vendas de jogadores contabilizaram valores também muito elevados, como a de Coentrão (30M€)... o SLBenfica continua com um passivo galopante e, agora mais preocupante ainda, capitais próprio negativos em 14M€.

Eu não sei onde isto vai parar, mas sei que se continuar assim, qualquer dia Luis Filipe Vieira arrisca-se a ser o José Sócrates do SLBenfica: Foram só obras bonitas, poucos resultados no melhoramento da economia (titulos no caso do SLBenfica)... mas ao final do dia ficámos com um país em colapso financeiro.

Alex Sandro foi comprado a clube onde nunca jogou

 ●  4 comentários  ● 
A transferência de Alex Sandro do Uruguai para o Porto é um negócio "fantasma", como lhe chama o ministro do Desporto do Brasil. O atleta foi comprado a um clube do Uruguai que nunca representou. Juventus e Roma também contrataram jogadores nas mesmas condições, de acordo com um artigo da agência Bloomberg.

O brasileiro Alex Sandro foi contratado pelo Porto ao uruguaio Clube Deportivo Maldonado, pelo qual nunca vestiu a camisola, de acordo com uma investigação da agência Bloomberg.

Não é caso único. A Juventus e a Roma também têm nos seus plantéis atletas oriundos daquele emblema sul-americano. Quando chegou ao Porto, Hulk também vinha de um clube uruguaio que nunca representou.

A transferência de Alex Sandro de um clube uruguaio para o Porto é um dos negócios “fantasmas” que a agência de informação Bloomberg ontem noticiou. Quem lhes chamou assim foi o ministro brasileiro dos Desporto, Aldo Rebelo.

No caso especifico de Alex Sandro, a compra foi feita pelo Futebol Clube do Porto ao Clube Deportivo Maldonado, da segunda divisão do campeonato do Uruguai, mediante o pagamento de 9,6 milhões de euros, como apontava o comunicado enviado pela SAD portista à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a 23 de Julho de 2011. A questão é que Sandro não jogava naquele clube. Os direitos do seu passe é que pertenciam àquele emblema do Uruguai. O atleta vestia a camisola do Santos.

Além de Alex Sandro, Marcelo Estigarribia foi emprestado à Juventus por 500 mil euros, enquanto Ivan Piris passou para o AS Roma por 700 mil euros. Todos vindos do Maldonado, todos sem nunca terem jogado uma partida pelo colectivo uruguaio, segundo a agência de informação. Os seus direitos é que estavam no clube. Nenhuma equipa quis comentar o assunto à Bloomberg, excepto o Roma, que afirmou que não considerava "significativo" que os direitos estivessem na posse do Maldonado.

Até ao momento, ainda não foi possível entrar em contacto com o responsável pela comunicação do Futebol Clube do Porto.

FIFA não comenta casos específicos

Ao todo, Juventus, Roma e Porto pagaram 11,1 milhões de euros para comprarem jogadores do Club Deportivo Maldonado, de acordo com o artigo da agência noticiosa.

A Bloomberg refere que, segundo os próprios cálculos, o valor das transferências de jogadores com os direitos na posse de clubes uruguaios que passam para clubes europeus ascende a, pelo menos, 70 milhões de dólares (53,4 milhões de euros) desde 2000.

Os clubes sul-americanos e outros investidores ligados aos direitos associados aos passes dos jogadores colocam os registos dos jogadores em clubes uruguaios, de modo a reduzir o imposto a pagar sobre essas transacções (a Bloomberg refere, com base em informações do advogado Rodrigo Garcia, que a redução pode será para uma taxa de 5% face a uma de 20%).

Contactado pelo Negócios, o departamento de comunicação da FIFA, órgão de futebol internacional, não quis comentar por não falar "especificamente" de nenhum caso que "pode ou pode não estar sob investigação". A FIFA tem um sistema (o FIFA Transfer Matching System) que tenta identificar se há a influência de um terceiro interveniente numa transferência (além do clube e do jogador e seus representantes). Uma investigação é iniciada quando esse órgão considera que pode ter havido uma terceira influência.

A investigação a Hulk

Este não é a primeira vez em que estes negócios são noticiados. Também segundo uma investigação da Bloomberg, Hulk foi contratado pelo Porto ao uruguaio Clube Atlético Rentistas, sem que nunca tivesse jogado por ele. Nesta investigação, os jogadores envolvidos eram os agenciados por Juan Figer.

Hulk jogava pelo Tokyo Verdy antes de ir para o Porto. Mas a compra do passe foi ao Rentistas, clube pelo qual nunca jogou.

O negócio, defenderam os intervenientes, é legal, mas, nessa altura, a FIFA anunciou que iria abrir uma investigação para avaliar quaisquer ilegalidades.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Ponto ganho ou 2 pontos perdidos?

Avatar
 ●  10 comentários  ● 
Na perspectiva de um benfiquista daqueles que não se contenta com vitórias morais, 2 pontos perdidos.
Mas não posso deixar de afirmar que, a espaços, a exibição do Benfica foi bem melhor do que se esperava.

Boa opção de JJ ao colocar Enzo Perez no antigo papel de Witsel. Foi uma exibição agradável do antigo mal amado. Bastante promissora.

Menos boa escolha foi a de Gaitan. Mostrou como sempre bons pormenores, mas acaba por borrar a pintura com erros infantis. Sempre muito fução. E menos se percebeu porquê levou tanto tempo a sair de campo quando viu a placa com o seu número.
Mais um sinal de que o empate servia a JJ.

André Almeida. Gostei da sua postura, da forma como mostrou não se intimidar perante esta estreia de fogo. Mas caem por terra as conversas de JJ sobre o Cancelo como substituto do Maxi. Bem como a ilusão de Miguel Vítor de que pode ser opção com JJ.

Também bom jogo de Rodrigo e de Garay, bem como de Artur.

Uns furos abaixo do que se poderia esperar foi a exibição de Matic. Tem que fazer bem mais na posição que lhe é entregue. Aimar e Salvio também não estiveram nos seus dias.

Quanto aos restantes jogadores, todos se exibiram num plano regular, mas por vezes algo nervosos.

Quanto ao plano exibicional da equipa como um todo, fica marcada a pouca ambição de JJ. A equipa jogou claramente para o empate, para a contenção, deixando aos rasgos individuais a hipótese de mudar o marcador. 

As substituições foram acertadas, embora talvez as características de Lima tivessem mais a ver com o fio de jogo que o Benfica demonstrava. 

As bolas paradas(livres e cantos) continuam a ser um desperdício inacreditável. Demasiado para uma equipa da qualidade do Benfica, e para uma competição como a Champions. 

Duas ou três oportunidades de golo claras é muito pouco perante um Celtic bem organizado mas claramente inferior ao Benfica.

O futuro dirá se foi um ponto ganho ou 2 perdidos. 
Mas quem viu a forma com o Spartak se bateu em Barcelona, poderão ser 2 pontos que nos farão muita falta.

Resultado justo!!!

 ●  26 comentários  ● 
Gostei da atitude e da organização da equipa!!! Senti que poderíamos ter arriscado mais mas compreendo que JJ não o tenha feito!!!

Gostei de André Almeida, do Jardel, do Enzo e do Matic. Gostaria de ver o André Almeida a jogar no meio campo, seja com Matic e Aimar ou com Matic e Enzo. O Enzo demonstrou hoje que é um dos melhores jogadores que o Benfica tem. A cultura táctica dele é brutal!!! Mais uns joguitos na posição de Witsel e nunca mais nos lembramos do Belga.

Na próxima jornada se, no minimo, conseguissemos um empate com o Barça era excelente!!!

Para quem estava assustado com o horror que poderia aí vir, a equipa respondeu muito bem!!!

Uma palavra a JJ que desta vez acertou na equipa e nas substituições!!

Vamos ver como corre agora para o campeonato.

Benfica B 2 vs. Tondela 2

 ●  6 comentários  ● 
Primeira parte muito fraca do Benfica!!

  • Os dois centrais não se entendem, o que é normal face ao pouco tempo que jogam juntos;
  • Do trio do meio campo só Luciano esteve bem, tanto Pimenta, como Elvis nunca conseguiram pegar no jogo;
  • Não conheço muito bem Miguel Rosa mas pelo que li é um jogador de qualidade mas a minha dúvida é se ele é extremo ou se é médio ofensivo ou centro. É que na ala não ganhou um único lance, mas pode ter sido só um mau jogo. Será que a jogar no meio não renderá mais?
  • O Correa nem se viu mas muito mais por culpa da pouca construção de jogo por pate do meio campo do Benfica;
  • O Carole é um jogador que me nada é inferior a Melga ou a Lusinho;
  • O Cancelo fez uma primeira parte absolutamente horrenda!!! Realmente confirma-se aquilo que dizem dele, a atacar é muito bom mas a defender não dá uma para a caixa. É um puto novo e acredito que vai dar um enorme lateral quando aprender a defender bem.
  • O Ivan é jogador para o ano estar no equipa principal. Que jogador!!!

Segunda parte:

  • A coisa melhorou bastante porque a atitude mudou;
  • Sem dúvida que Miguel rosa tem de jogar no meio e ponto;
  • Cavaleiro é extremos direito e não rende o mesmo na esquerda, na esquerda metam lá o Helder Costa;
  • Cafu entrou bem no jogo marcando um golo;
  • Entrou um miúdo de nome Deyvisson, salvo erro, que teve três situações clarissimas de golo, o que me agradou é que o miúdo parece que adivinha onde a bola vai cair nos cruzamentos. A rever!!!
  • Na segunda parte os jogadores do Benfica mostraram muita ansiedade e por isso falharam-se golos e jogadas que poderiam dar golos.
  • Uma palavra para o Sidnei para que continue a sua recuperação porque é um grande central.
Quero deixar uma palavra para o Tondela no nosso Paneira que fez um excelente jogo, quebrando só depois da expulsão.

Ao Benfica faltou concentração e nervo na primeira parte, e na segunda houve alguma precipitação mas fiquei satisfeito porque há mesmo ali muitos jogadores que podem entrar na equipa principal quando for preciso. Aquele Luciano enche o meio campo defensivo mas por vezes é imprudente na forma como aborda os lances, penso que no final desta época poderá estar um senhor trinco.

A gestão de uma SAD: o mau exemplo do Benfica

 ●  18 comentários  ● 
Artigo de opinião de Alexandre Guerreiro no site do jornal Record:


Começo por subscrever a opinião de um cronista muito popular nos meios desportivos: de facto, «as SAD [Sociedades Anónimas Desportivas] têm os melhores accionistas do mundo» pois «nada exigem» e «têm muito amor à camisola e pouco ao dinheiro que investiram». Não há cobrança. Apenas uns desabafos, uns impropérios e pouco mais. Nada que um jogador ou treinador novos não ajudem a sarar.

Ser-se sócio de um clube, é mais do que ser-se mero adepto. Ser-se sócio de um clube de futebol é oficializar um amor e uma fé inabalável que não se tem por mais ninguém. É ser ainda mais masoquista por amor. Desde que me conheço por pessoa que vejo isto nos estádios portugueses, mais em especial no Estádio da Luz, do qual sou adepto. Entretanto, prometi a mim mesmo conservar o meu amor próprio. Cansei-me da prodigalidade em que vivia e decidi libertar-me da burla que durante anos tolerei: cada vez entregava mais dinheiro para ter menos resultados. Basicamente, pagava para ter desgostos ou para ter uma falsa sensação de estar saciado. É como ir a um bar de strip, pagar 100 euros a uma mulher para se sentar ao meu colo e dizer-me que eu sou o homem mais bonito que ela já viu até àquele momento e sair de lá apenas mais pobre do que entrei.

O Benfica habituou-me a esta sensação de pagar por prazer, mas o possível clímax vivido num ou noutro jogo não paga a desilusão de habituar-me a chegar ao fim e ver os outros a celebrarem. E, ao parar para reflectir sobre o que se passou para que tudo desse errado, o alvo imediato são sempre o treinador e os jogadores. São os mais frágeis por estarem mais expostos. Porém, ao colocar o coração de lado e reflectindo mais um pouco, concluo que o problema está no modelo de gestão, em particular no modelo de gestão de Luís Filipe Vieira. Constato que o Benfica vende bilhetes de época e impõe quotas de sócio a um preço consideravelmente maior que clubes como o Sporting e o Braga para chegar ao final da época e ganhar praticamente a mesma coisa que estes dois - ainda não posso considerar a Taça da Liga um troféu sério. Na verdade, o Benfica da época passada perdeu em troféus para a Académica, que venceu a Taça de Portugal com um orçamento bastante menor. Subitamente dou por mim a perguntar: afinal, porque raio exige o Benfica estes valores aos seus adeptos e sócios? Porque motivo cobra o Benfica bilhetes de 40 e 60 (ou mais) euros? Para onde vai tanto dinheiro? E eis que chego à conclusão óbvia: para brincar às transacções de passes de jogadores, como sucede com a actual direcção.

Com efeito, é possível verificar que Luís Filipe Vieira brinca às compras e vendas de jogadores, chegando ao cúmulo de pagar vários milhões de euros por jogadores que vestem a camisola em 3 ou 4 jogos. E se nesses jogos não marcarem, pelo menos, meia dúzia de golos, são praticamente dispensados e nunca mais voltam ao clube, terminando o contrato após serem emprestados a inúmeros clubes. Outro argumento que acho curioso e é frequentemente utilizado pelo clube é o de justificar o empréstimo de jogadores contratados com a falta de adaptação ao futebol português/europeu e, para ajudar à sua integração, acabam por emprestá-lo... a um clube do país de origem ou de outro continente.

Afinal, derretem-se milhões de euros obtidos com as vendas de bilheteira,merchandising, entre outros e que, se aplicados de forma racional, poderiam permitir ao clube segurar as principais estrelas da equipa. Olhemos para exemplos de gestão de Luís Filipe Vieira:

- Edcarlos (comprado ao São Paulo por 1.800.000€, em AGO07, e vendido ao Cruz Azul por 1.300.000€, em AGO10);

- Laszlo Sepsi (comprado ao Bistrita por 1.500.000€, em JAN08, e vendido por 2.500.000 ao Poli Timisoara, em JAN10);

- Gonzalo Bergessio (comprado ao Racing Avellaneda por 2.500.000€, em JUL07, e vendido por 1.800.000€, em FEV08);

- Ariza Makukula (comprado ao Marítimo por 400.000€, em JAN08, e vendido ao Marizaspor por 2.000.000€, em AGO10)

- Javier Balboa (comprado ao Real Madrid por 4.000.000€, em JUN08, e dispensado a custo zero para o Beira-Mar, em AGO11);

- Andrés Diaz (integrado num pacote com Di Maria por 6.000.000€, em JUL07, jogou 3 minutos e foi dispensado para nunca mais voltar);

- Sidnei (comprado ao Internacional por 7.000.000€, em JUL08, e tem sido sucessivamente emprestado);

- José Antonio Reyes (aquisição de 25% do seu passe ao Atlético Madrid por 2.650.000€, em AGO08);

- Patric Lalau (70% do passe comprado ao São Caetano por 2.000.000€, em MAI09 e vendido ao Atlético Mineiro por 1.000.000€, em DEZ10);

- Jose Shaffer (comprado ao Racing Club por 1.900.000€, em JUN09, e desconhece-se o seu paradeiro);

- Javier Saviola (comprado ao Real Madrid por 5.000.000€, em JUN09, e dispensado a custo zero para o Málaga no verão de 2012);


- Júlio César (comprado ao Belenenses por 500.000€, em JUL09, e treina com o plantel, ainda que sem jogar);

- César Peixoto (comprado ao SC Braga por 400.000€, em AGO09, e dispensado a custo zero para o Gil Vicente, em JAN12);

- Felipe Menezes (comprado ao Goiás por 1.500.000€, em AGO09, e está emprestado ao Sport Recife);

- Freddy Adu (comprado à Major League Soccer por 1.500.000€, em AGO07, e dispensado a custo zero para o Philadelphia Union, em AGO11);

- Alan Kardec (comprado ao Vasco da Gama por 2.500.000€, em DEZ09, e actualmente treina na equipa B);

- Airton (comprado ao Flamengo por 1.100.000€, em DEZ09, e, após alguns jogos, continua emprestado ao clube de origem);

- Moretto (comprado ao Vitória de Setúbal por 1.000.000€, em DEZ05, e dispensado a custo 0 em DEZ09, após sucessivos empréstimos);

- Éder Luís (comprado ao Atlético Mineiro por 3.500.000€, em DEZ09, e vendido ao Vasco da Gama por 1.500.000€, em JUN12);
- Franco Jara (comprado ao Arsenal FC por 5.500.000€, em JAN10, e vai agora no segundo empréstimo a um clube do seu país de origem);

- Fábio Faria (comprado ao Rio Ave por 2.000.000€, em MAI10, e tem sido emprestado a diversos clubes desde então);


- Roberto (comprado ao Atlético Madrid por 8.500.000€, em JUN10, e vendido ao Saragoça por 8.600.000€, em JUL11);

- José Fernandez (comprado ao Racing Club por 1.500.000€, em DEZ10, e, após 1 jogo na equipa principal e cedência temporária aos Estudiantes da Argentina, está emprestado ao Olhanense);

- Lionel Carole (comprado ao Nantes por 750.000€, em JAN11, e actualmente joga na equipa B);

- Emerson (comprado ao Lille por 2.500.000€, em JUL11, e vendido ao Trabzonspor por 1.700.000€, em AGO12);

- Leo Kanu (comprado ao Cruzeiro de Porto Alegre por 1.000.000€, em JUL11, foi emprestado ao Belenenses e agora ao Ponte Preta).

Estes são apenas alguns exemplos de jogadores contratados durante os mandatos de Luís Filipe Vieira e que, com excepção de Saviola no primeiro ano no clube, tiveram todos em comum a produtividade: 0 (zero). O total do valor despendido só nestas aquisições ronda os 60 milhões de euros. 60 milhões de euros que poderiam ter sido canalizados para reforçar o salário de uma pedra basilar da equipa ou para adquirir um jogador com grau de rendimento mais seguro. Importa ainda não esquecer que a estes valores ainda há que acrescentar os salários pagos a todos estes jogadores, o que inflaciona o valor investido pelo clube por activos que não o são. Neste sentido, só os salários auferidos por Makukula enquanto esteve no clube fazem disparar o seu passe para, pelo menos, mais 3 milhões de euros. E o que dizer dos salários de Reyes e David Suazo?

Porém, os adeptos são os grandes culpados, pois não cobram a quem deviam cobrar: à direcção. A falta de resultados no Benfica tem um rosto que tem a habilidade de passar entre os pingos da chuva: Luís Filipe Vieira. Já este ano, o caso mais flagrante do que é uma gestão deficiente foi Luís Filipe Vieira aceitar vender Javi Garcia sem garantir a continuação de Axel Witsel. Acabou por perder, provavelmente, os 2 melhores jogadores do clube e no final da época, se a estratégia correr mal, os lenços brancos vão para Jorge Jesus e as restantes culpas para os árbitros. De facto, as SAD têm os melhores accionistas do mundo.

Castigos de um "sistema" eficiente

 ●  5 comentários  ● 


Portugal, 19 de Setembro de 2012

Num curto espaço de tempo, o nosso clube foi castigado com duas aberrações jurídicas: (1) o treinador Jorge Jesus, foi punido com 15 de suspensão por ter afirmado após a última derrota com o FCP que “o árbitro assistente viu (o fora de jogo) e não assinalou porque não quis), (2) Luisão, esteio da nossa defesa e nosso capitão, foi suspenso por 2 meses por uma farsa encenada por um árbitro da 2ª divisão alemã, castigo esse estendido às competições internacionais, o que quer dizer que não joga 4 encontros da Champions, 1 da Taça de Portugal e 6 da Liga.

Deve também ser sublinhado que o processo de Jorge Jesus decorreu em ritmo “normal” e assim o CD da FPF pôde escolher o melhor timing para anunciar esse castigo. E escolheram um período em que não houve jogos oficiais. Surpresos? Não. Há que alimentar a tese, de há anos, que o Benfica manda na FPF, na Liga e em tudo que organize as provas de futebol. Tese que agrada ao sistema que assim tem uma máscara para apresentar aos adeptos do futebol, enquanto por debaixo da máscara vai fazendo e cozinhando os títulos para o FCP.

o processo de Luisão decorreu com carácter “urgente”, não se sabe bem porquê, tendo sido recebido o relatório do árbitro alemão em 17 de Agosto, e sido instaurado de imediato o processo disciplinar. O castigo foi anunciado em 14 de Setembro, o que convenhamos foi bastante mais rápido do que a habitual forma de trabalhar da CD da FPF. Podemos afirmar que este castigo foi calendarizado para esta fase da época? Parece-me que não. O que se pode afirmar é que a transformação de um encosto – conduta incorrecta – numa agressão, permitiu invocar os tais artigos dos Regulamentos da Liga que na melhor das hipóteses previam 2 meses de suspensão. E assim prejudicar o Benfica.

Para além da celeridade aplicada a Luisão, quiçá para mostrar à FIFA e UEFA que a FPF trabalha bem, e que podem continuar a requisitar árbitros portugueses, sempre dos que ajudam o sistema a funcionar, ficou evidente outra anormalidade, o voto contra do Dr.º Herculano Lima, o tal adepto do FCP que vai de cachecol assistir aos jogos do seu clube.

Voto contra que também exercera no caso de JJ. Estranho não? Para mim é estranho, pois recentemente no recurso do Benfica ao castigo a Aimar – este cavalheiro votou a favor da punição dos 2 jogos. Porque votou ele agora favor do Benfica, sabendo que perdia?

Para começar talvez por isso mesmo: porque não influenciava a decisão, ambas desfavoráveis ao Benfica. Mas apenas por isso? Vejo outra ligação. Como já aqui expliquei, o Benfica contratou o Sálvio não só para reforçar uma posição onde já tinha 3 bons jogadores e depois do Sr.º Vieira ter anunciado um 2012 menos gastador, mas também para que o Atlético de Madrid pudesse pagar ao FCP uma dívida. Será então que este voto vencido foi uma forma de mostrar simpatia pelo presidente do Benfica? Julgo que sim.

Tudo isto é muito estranho, tanto mais que, conforme noticiou a BOLA em 21 de Agosto, por palavras ditas pelo empresário de Luisão “a Direcção do Benfica tem transmitido a Luisão que o capitão «tem poucas chances de ser castigado» na sequência do episódio protagonizado com o árbitro do jogo com o Fortuna Dusseldorf”. Ora não seriam estas, informações que a Direcção do SLB recolhia de dentro do CD da FPF através do amigo Fernando Gomes?

Se o Benfica fizesse estas afirmações pela certeza da qualidade da nossa defesa, no processo então não se compreende o desfecho do caso. Fomos incompetentes a elaborar a defesa de Luisão? Não creio. O que acredito é que o Sr.º Vieira foi bem “mamado” pelos seus amigos do FCP... uma vez mais...
Não sei se por ter sido “mamado” ou porque o Dr.º Fernando Gomes não lhe deu qualquer indicação nesse sentido (como na ida à Alemanha pedir desculpas ou quando o instigou a criticar o árbitro do Chelsea - Benfica), o que é certo é que a Direcção do Benfica ainda não se pronunciou sobre a internacionalização do castigo a Luisão, a tal componente que alegadamente a CD da FPF não tinha pedido ...

“Confiem em mim” dizia ele quando anunciou que o Benfica apoiava Fernando Gomes ....

Jesus, olha que temos fé !!!

 ●  4 comentários  ● 

Para o jogo de logo na Escócia, vamos ter uma equipa com menos 4 ases.

Há coisa de 25 dias, todos nós pensávamos que para este jogo inicial da Champions, tínhamos a espinha dorsal afinada e praticamente completa.

Hoje sabemos que são 4 baixas de peso; Maxi (este já se sabia que não jogaria) Luisão,Javi e Witsel.


É muita fruta...a menos!!!

Reparem que na defesa composta por 4 elementos, só o Garay é que é o verdadeiro dono do lugar e o que nos dá garantias. Normalmente este Garay joga quase de boca fechada, porque mal se ouve em campo. Espero que logo à noite afine a sua garganta e, com a sua experiência, instrua e dê as melhores indicações os seus novos companheiros da defesa.

Não é que o Miguel Vitor, Jardel e Melga, não cumpram ou sejam coxos e pernetas, mas para um jogo desta natureza  e logo fora de casa, é um Deus me acuda para o adepto sofredor.


É que estão em jogo além dos 3 pontos, o prestígio do nosso ENORME, 500 mil euros no empate e 1 milhão para a vitória que se deseja.

Estou convencido que os nossos rapazes quando entrarem no terreno de jogo equipados com o Manto Sagrado, vão dar o litro e mostrar-nos a todos, com quantos paus se faz uma canoa.

CARREGA BENFICA !!!!

Witsel, bem escolhido! Luisão, tinham dúvidas?

Avatar
 ●  2 comentários  ● 
Witsel, ainda bem que escolheste um clube que dá cartas em todo o lado. E deixa vir o vento frio da Sibéria...
Confesso que ainda soube melhor por ser com um golo do Saviola, que já tinha atingido o seu fim no Glorioso, mas merece ser feliz pela primeira época que deu ao Benfica.

----------------------------------------------------------------------------------------------

Quem andava a fazer contas com o Luisão na Champions, deve viver no mundo do Baltasar...
Assim como quem julgava que o Luisão iria ser absolvido na FPF.

Três pedras angulares do Benfica desaparecem. Sem substitutos à altura.
Que mais provas da incompetência destes dirigentes são precisas? 

Nota: Sentido de justiça curioso daqueles que dizem que o Luisão não devia ser castigado, porque o Deco não foi castigado, porque o Beluschi não foi castigado...para exigirmos temos que mostrar ser diferentes. O Luisão nunca poderia ser inocentado neste caso. Pedir isso é querer o mesmo tipo de justiça pervertida que os corruptos. 
Não, obrigado!

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Museu Cosme Damião

 ●  19 comentários  ● 


Quem já teve oportunidade de visitar o Museu do FC Barcelona terá seguramente ficado impressionado com o conteúdo multimédia disponível e com a interactividade proporcionada aos visitantes - já para não falar nos possibilidade de pousar com réplicas da Champions e outras taças.

Em Portugal não há nada sequer parecido. Ou melhor, não havia! O SLBenfica nas próximas semanas apresentará o seu Museu Cosme Damião, que promete ser um passo à frente na dinâmica de interactividade e multimédia em... grande. Literalmente.

A Norte, aquela gentinha continua a espera que o Museu do SLBenfica abra portas para poder dar um passo no mesmo sentido e tentar fazer melhor (maior não vale a pena, senão fica muito vazio). É assim a vidinha triste de gente de merda que sobrevive com o síndroma da inferioridade.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Será o Benfica de hoje a imagem do pais? Acomodado, sem rumo e sem ideias?

 ●  17 comentários  ● 

A pouco mais de um mês das eleições do nosso clube preocupa-me este vazio eleitoral, a ausência de um programa alternativo, a ausência de um rosto capaz de criar entusiasmo e unanimismo em seu redor. Preocupa-me ainda mais porque este fim de mais um mandato de Luís Vieira não é propriamente um fim feliz, não é o fim de um mandato que tenha acrescentado muitas taças ao nosso museu, não é um fim sem dossiers muitíssimo importantes em aberto e a merecer um construtivo debate que provavelmente nunca irá acontecer (ex. Direitos Televisivos), não é o fim de um mandato imaculado em termos de erros, é até o fim de um mandato anunciado a seu tempo como o “Mandato dos Resultados Desportivos”, e que, muito claramente ficou aquém do desejado. E quando num contexto destes não aparece ninguém com vontade de dar a cara, preocupa-me realmente esta letargia a que chegou o meu clube, e que me leva a tirar uma de duas conclusões: 

1. Ou a grande maioria desses tais potenciais candidatos está feliz com o atual estado do clube e não vê qualquer razão para debates ou mudança, opção essa na qual sinceramente não acredito; 
2. Ou então sou obrigado a acreditar naquilo que muitos dos críticos da atual gestão foram apontando ao longo do tempo: que Luís Felipe Vieira tudo tem feito para se perpetuar no poder, através do apoio das Casas do Benfica e do tão polémico golpe dos estatutos, e qualquer potencial candidato sabe desde já que qualquer programa alternativo está derrotado à partida. 

A razão deste meu texto não é propriamente condenar antecipadamente Luís Felipe Vieira e exigir outro presidente. O que eu gostava é que este fosse um tempo de debate e reflexão e que cada sócio em consciência tivesse a possibilidade de decidir entre pelo menos dois programas alternativos. Daria força a quem quer que fosse eleito. 

Pessoalmente, não quero cair no erro de achar que LFV não tenha feito nada de bom pelo clube (fez, e muito ao longo de dez anos), mas entendo que Luís Felipe Vieira tem falhado redondamente nesta segunda parte do seu “reinado” – a parte em que terminou com sucesso a reestruturação do clube e anunciou que, agora sim, estavam reunidas as condições para se alcançar o sucesso desportivo. 

A verdade é que estes últimos 4 anos de LFV, os tais em que o plantel do Benfica foi inquestionavelmente valorizado em termos de qualidade e que se iniciou com Quique Flores, campeonatos nacionais conta-se apenas um, Taças de Portugal contam-se zero, e Taças da Liga não aquecem nem arrefecem o coração de nenhum Benfiquista. O mandato do sucesso desportivo falhou claramente e, pior do que o falhanço, é não se pode poder dizer que os erros da direção não contribuíram decisivamente para esse insucesso. 

Eu não creio sinceramente, que valha muito a pena falar do passado, falar por exemplo do segundo ano de Jorge Jesus no clube, no qual LFV veio justificar o seu insucesso com o mais puro amadorismo de terem passado demasiado tempo a festejar o título conquistado um ano antes. Ou falar do ano passado, quando, com o Benfica na frente com cinco pontos de avanço, LFV decide ser oportuno dar uma entrevista televisiva, entrevista essa totalmente fora de tempo, assim ao género de celebração antecipada de um título que nunca viria, para meter mais uma vez os pés pelas mãos ao anunciar que só voltaria a falar de arbitragem quando esta fosse profissional. A partir de aí foi comer e calar até ao descalabro final. 

Falemos pois do presente e, quando se espera que, caramba, que esta gente que tem como única missão pensar o clube a tempo inteiro, seja capaz de aprender com os erros e tomar decisões que nos valorizem, chegamos então ao início de uma nova época na qual os erros grosseiros foram ainda mais grossos e chegaram ainda mais cedo do que em épocas anteriores! 

A verdade nua e crua é que só um milagre de Jesus nos pode salvar. Se Jorge Jesus for campeão esta época será a prova inequívoca das suas capacidades, porque, independentemente dos defeitos que tem e dos erros que tem cometido, não foi Jorge Jesus que vendeu Coentrão, Di Maria, Ramirez, David Luís, Javi Garcia ou Witsel. 

Não me parece que tenha sido JJ a avançar para a compra de Olá John se não tivesse sido a direção a contar já com a venda de Gaitan. E também não me parece que tenha sido JJ a chegar ao último dia do mercado de transferências e a “vender” – Sim, Sr. Rui Gomes da Silva, vender, e não OBRIGADO a libertar pelo valor das cláusulas ter sido depositado por inteiro no banco - os dois jogadores que eram o coração da equipa, sem ter hipótese de os substituir minimamente. Mais, com Airton e Rúben Amorim emprestados a outros clubes, e que resolveriam só por si metade dos nossos problemas. Foram 70 milhões em vendas? 

Foram sim senhor e inquestionavelmente excelentes negócios. Mas num clube com esta grandeza não se pode ser apanhado descalço desta maneira. Isto é o mais puro amadorismo! Atirar com milhões aos olhos dos sócios, é como o governo anunciar reduções de deficit com pompa e circunstância quando os bolsos dos portugueses estão cada vez mais vazios! Os benfiquistas não querem milhões, querem títulos! Ou pelo menos querem milhões que sirvam para financiar uma estrutura de futebol competente e capaz de nos garantir esses títulos. 

A sensação com que fico, é que apesar de erros evidentes do nosso treinador, é Jorge Jesus que tem suportado com pinças a direção do clube. Em primeiro lugar com um título nacional logo na estreia, ainda por cima com excelente futebol, e que a todos fez acreditar que o Gigante tinha finalmente acordado. E em segundo com 170 milhões em vendas de 6 jogadores, 3 deles que antes de Jorge Jesus já cá andavam e não valiam tuta e meia. Continuou a falta de títulos mas vieram os milhões, muitos milhões mesmo, que têm no fundo suportado toda a máquina desportiva do clube e que nos permitiram competir finalmente com o FCP em alguma coisa – no campeonato dos Euros. 

Chegamos então a esta época com um médio defensivo no clube, Matic, que nem por si é extraordinário jogador, nem está imune às lesões numa época que tem mais de sessenta jogos! Talvez JJ opere um milagre e, como Benfiquista tenho de ter essa esperança e acreditar ser possível. Mas, infelizmente, acredito pouco ou nada, porque até no futebol os milagres são cada vez menos. E ainda que o milagre aconteça, terá sido, mais uma vez, um título esporádico, um coelho da cartola de Jorge Jesus, e não um título sustentado pelo acerto das decisões desportivas desta direção. 

Em breve estaremos novamente a falar de arbitragens para justiçar azares, das Direções da Liga e da mania da perseguição mas, a verdade nua e crua é que falhámos mais uma vez, e ao fim de tantas vezes, no nosso trabalho de casa. E é por isso que, neste contexto, me preocupa de facto esta falta de projetos alternativos em vésperas de mais um período eleitoral. Mas, caramba, será o Benfica de hoje a imagem do pais? Acomodado, sem rumo e sem ideias? 
by REDMOON

Porque é que o Benfica deve recorrer no caso Luisão?!

 ●  24 comentários  ● 
Não sou licenciado em direito, contudo pelo que sei existe um conceito em direito denominado "jurisprudência" e que, segundo a wikipedia, é: "o termo jurídico que designa o conjunto das decisões sobre interpretações das leis feita pelos tribunais de numa determinada jurisdição (...) em que predomina a regra do precedente, temperada pela aplicação do princípio da equidade"

Mesmo que procurem em sites mais credíveis no que ao direito diz respeito - como eu fiz - poderão ver que a definição cita sempre o "precedente" e o princípio da equidade.

Pois bem, o Benfica deve recorrer porque nos últimos 10 anos aconteceram casos - em Portugal, e em competições oficiais - muito parecidos e, para os quais também houve decisões. Essas decisões, no meu entender, são o precedente e, cabe ao departamento jurídico do Benfica, compreender o que será equidade face ao caso Luisão.

Em 2003 num jogo entre o boavista e o fcp o jogador deco atirou, de forma propositada e deliberada, uma chuteira contra o árbitro paulo paraty. Os meandros da história - as ameaças através do jornal o jogo - não interessam para o caso, o que interessa é que deco foi castigado com 3 jogos, o fcp recorreu e acabou com uma pena de 2 jogos.

Resumo: jogador atira, de forma deliberada e propositada, a chuteira contra o árbitro, agredindo-o, e apanha 2 jogos de castigo.

Na final da Taça da Liga no Algarve, Pedro Silva, no seguimento de um erro do árbitro e da consequente expulsão do jogador deu um encontrão em lucílio baptista, como se pode ver aqui, no segundo 40...




Resumo: jogador dá um encontrão/peitada no árbitro, de forma intencional e reclamando a justiça da decisão e, que eu me lembre, não apanhou 2 meses de suspensão, mais, foi penalizado com 3 jogos de castigo. 

Recentemente, num braga vs fcp o jogador Belluschi protesta com duarte gomes uma decisão e não tem pejo em encostar o peito no árbitro por 3 vezes. Uma poderia ter sido por acaso, mas forma 3 vezes, repetiu o gesto e tentou intimidar o árbitro. Talvez tenha sido feliz pelo facto de o árbitro não se ter atirado ao chão, mas a verdade é que nem sequer um jogo de castigo apanhou...




Meus caros, estão aqui 3 situações em que os jogadores agiram de forma propositada e deliberada, empurrando, dando peitadas, agredindo árbitros. Eram jogos oficiais e todos eles tiveram castigos reduzidos, o máximo 3 jogos. Como é possível que um jogador seja punido com 2 meses de suspensão num lance em que há, sem dúvida, um exagero do jogador no contacto com o árbitro, mas onde ficou claro que estávamos perante um homem mentiroso. O relatório da clínica desmentiu categoricamente o relatório do árbitro, como pode ser considerada a sua acusação coerente? Os argumentos de Luisão nada valeram? O facto de ter sido o próprio árbitro a iniciar esta confrontação física - empurrando Maxi - não conta nada?




Julgo que o Benfica deve recorrer partindo dos princípios que acima referia, reiterando a incoerência e atitude provocadora do árbitro e, acima de tudo, recordando às instituições que agora julgaram Luisão que anteriormente julgaram casos similares de forma distinta. E, creio eu, não será preciso recuar muito no tempo, caso seja, teremos pano para mangas...

Kostadinov agride fiscal de linha



Jogadores do fcp tentam travar amizade com o árbitro




Aqui há uns dias vi aqui neste espaço um texto do vice-Presidente do Benfica, Rui Gomes da Silva, como tal, espero que ele continue a ler este blog e que use este texto - por mais humilde que seja - para o reforçar com conceitos jurídicos que permitam ao Benfica reduzir a pena de Luisão.

Também acho que é o momento de nos centrarmos nestas questões e não divergirmos numa caça às bruxas dentro do próprio Clube.

Nota: post também publicado em benficadependente.blogspot.com

domingo, 16 de setembro de 2012

"Takeover" ao Sistema ou "Takover" do Sistema? É escolher...

 ●  13 comentários  ● 
Na crónica do João Querido Manha no Record, ele aponta e muito bem como a falta de capacidade de antecipação e péssimo aconselhamento do Presidente (e Direcção) do SLBenfica têm contribuido para muito do que nos tem acontecido na última década por parte do Sistema Corrupto que lidera o futebol português. Leitura recomendada.

João Querido Manha chama a atenção para a forma como ciclicamente são "bloqueados" jogadores chave do SLBenfica, dando como demonstração que nos últimos seis meses assistimos a castigos absurdos aplicados a Aimar, Jesus e agora Luisão, sem que o SLBenfica tenha sabido reagir à altura ou sequer previnir algumas acções claramente bem pensadas pelo Sistema Corrupto para nos atingir.

Curiosamente, como advoga João Querido Manha, e muitíssimo bem, o Sistema Corrupto limita-se a aproveitar-se da forma amadora como os profissionais do SLBenfica se "põem a jeito" para serem apanhados nestas manobras e, tão ou mais grave, como os dirigentes do SLBenfica demonstram uma incapacidade total para reagir às adversidades ou antecipar essas movimentações de quem domina os meandros obscuros do futebol, abrindo-lhes assim espaço para nos prejudicarem constantemente.

João Querido Manha, chama a este um "Benfica ingenuo, errático e em perigo de perder a identidade".

Perante isto, ou Luis Filipe Vieira muda de equipa e de estratégia ou efectivamente o SLBenfica daqui a menos de uma década será na realidade uma visão do passado, engulido pelas sucessivas estratégias de comunicação incompetentes e impreparadas ao que se junta uma total ausência de modelo estratégico desportivo que seja capaz de traçar um rumo de ele não se desviar. Como se percebe são dois pilares que podem até ser de relativizar nas formulas de Excel de gestão empresarial do Domingos Soares Oliveira ou na protecção de imagem do Presidente com que se preocupa a Comunicação do Benfica... mas seguramente que se trata de dois pilares FUNDAMENTAIS num clube de desportivo, que é o SLBenfica.

Mas mudar de equipa e de conselheiros não é apenas uma questão de manter o SLBenfica fiel à sua história, mas também fundamental para aproveitar (mais) um momento para fazer um "Takeover" aos corruptos e ao Sistema Corrupto. E porquê?

Há duas formas de os Corruptos acabarem! Sim, acabar...
1. O SLBenfica vencer dois títulos consecutivos. Sim, bastam dois...
2. Ter uma estrutura Desportiva e Comunicação de topo no futebol num momento de crise económica

O FCPorto tem uma estratégica assente nos pressupostos de circulação de dinheiro entre diversas entidades e pessoas para "financiar" a promoção e venda de jogadores com elevadas margens de lucro e com isso reiniciar o ciclo de circulação de dinheiro por essas mesmas entidades. Um modelo simples onde todos ganham... com as vitórias dos Corruptos.

Para isto são precisos três factores fundamentais: a) Títulos que dão projecção; b) Pessoas de confiança colocadas em cargos-chave na FPF e Liga; c) Haver capacidade financeira no mercado internacional.

Destes três factores, os Corruptos só não dominam um e é logo o que mais dinheiro faz entrar, pois a capacidade financeira dos clubes internacionais é, obviamente, condicionada pelos momentos financeiros e pela capacidade dos sistemas financeiros que, como sabemos, na Europa estão em grave crise.

A degradação deste último factor já se fez sentir nas duas últimas temporadas. Os Corruptos não conseguiram vender jogadores pelos valores pretendidos, ou diria antes, necessários. E inclusivamente não conseguiu sequer transferir alguns dos jogadores que necessitava (casos de Moutinho, Rolando ou Fernando).

Ora, com a entrada de dinheiro em baixa, os Corruptos agarram-se com unhas e dentes aos factores que tem capacidade de influenciar: Colocar as pessoas certas nos lugares certos que lhes permitam utilizar os regulamentos e os intervenientes nos processos de decisão (juizes dos Conselhos de Disciplina e Justiça, árbitros, etc.) para potenciar o primeiro factor: a conquista de titulos que valorizem os seus jogadores e lhes permitam ter capacidade negocial para fazer entrar dinheiro que volte a financiar todo o ciclo que não gravita apenas em torno da FPF e árbitros, mas também inclui empresários (vários), media (com a ajuda fundamental do "nosso amigo", mas não só), convocatórias da selecção, delegados, observadores, cargos na UEFA e FIFA, etc. etc. etc....

Como se percebe, é FUNDAMENTAL ter uma estrutura capaz de ANTECIPAR e REAGIR de forma mordaz e assertiva a TODOS os acontecimentos do desporto nacional, pois como é fácil demonstrar... os Corruptos têm a sua própria estrutura a mexer-se a vários níveis.

FÁCIL? Claro que não... ou melhor, não de um dia para outro, mas seguramente que o é em 10 anos de Presidência, disso não tenho dúvidas. Poderei concordar que 10 anos seriam talvez pouco tempo para "substituir" essas pessoas estrategicamente colocadas, mas bolas... até esses lugares mudaram nesta última década com várias opções para posicionarmos pessoas isentas e desligadas do Sistema Corrupto, com vontade de intervirem e mudar os Regulamentos que foram "arquitectados" de forma engenhosa para permitir tudo o que temos assistido nos últimos anos.

É absolutamente vital mudar o que está errado no SLBenfica e na Direcção do SLBenfica para ser possível fazer o Takeover ao Sistema aproveitando o momento económico frágil que afectará quem mais depende dele e não tem uma massa adepta gigantesca e fiel como tem o SLBenfica.

Se não o fizermos... haverá "Takeover" na mesma. Mas será o Sistema a impor-nos uma submissão para os próximos anos, fruto da renovação que estão a operar nos Corruptos, como dá conta a notícia do Correio da Manhã que demonstra como estão a ser afastadas as "pedras" que podem criar problemas e sujeitar os Corruptos a escrutínios que não têm interesse e ao mesmo tempo criam já um modelo de transição que permitirá, em caso de necessidade, que o Papa saia de cena sem que o castelo caia.

Lembram-se de uma das expressões que vos escrevi atrás? CAPACIDADE DE ANTECIPAÇÃO! Pois claro, eles sabem bem como isso se faz.

Penso que está claro para todos que estamos numa fase de "Matar ou Morrer" e quem Matar... criará condições para Reinar durante muitos anos, enquanto quem Morrer volte a ter capacidade de voltar a reagir.

Os últimos anos e os actuais dirigentes deixam-me pessimistas face a este momento de "Matar ou Morrer" que parece que poucos ainda perceberam que estamos a viver.

A 1 mês e 10 dias das eleições do SLBenfica, e conhecendo apenas os acontecimentos decorridos até ao momento, salvo alguma situação que não vislumbro realista, acredito que a melhor solução para o SLBenfica será a reeleição do Sr. Luis Filipe Vieira. Mas...

... Mas, com uma fortíssima remodelação na sua equipa de gestão, especialmente na SAD. A Direcção que vai a votos merecerá pequenos reajustes que não serão de grande relevo, pois infelizmente a Direcção do Clube tem nos dias que correm pouca relevância.

Mas na SAD, é preciso uma remodelação profunda que ponha fim às ineficiências (ou mesmo incompetências) em áreas como a Comunicação e a Gestão Desportiva que, de uma vez por todas, tem que assumir a liderança da SAD. Ou seja, o gestão empresarial e financeira têm que ser elementos de apoio à Gestão Desportiva e não o inverso. Não podemos continuar a ter a política desportiva refém das estratégias empresariais ou financeiras, por muito que isso custe a alguns credores ou implique maior flexibilidade no cumprimento de algumas obrigações financeiras.

Só desta forma será possível intervirmos no futebol português de formal "letal" para os Corruptos e para o futuro desse clube. Só dessa forma será possível dominarmos o Sistema Corrupto e impormos a Verdade Desportiva e a vitória pelo mérito. Só dessa forma será possível "limparmos" do futebol nacional e do dirigismo toda uma corja de parasitas que pugna pela corrupção. Só dessa forma será possível voltarmos aos títulos de forma sustentada. Só dessa forma... não perderemos a identidade centenária do nosso SLBenfica.

É preciso aproveitar o momento para os eliminar... senão poderemos ser eliminados.

A Oposição é fundamental
Uma nota final, antecipando o período eleitorial para a palavra "Oposição". Eu considero fundamental que, seja qual for a liderança, seja em que área for (países, clubes, etc...) deverá ter sempre uma oposição responsável e colaborativa. Ou seja, é importantíssimo que, tal como no país, apareça uma oposição disposta a ser parte da solução. Disposta a apresentar ideias e projectos que possam até ser adoptados pela Direcção em funções. Oposição responsável não é "pensar o contrário sem critério", mas antes apoiar as iniciativas válidas e criadoras de valor para o Clube e para os sócios e também propor alternativas a iniciativas e decisões que considerem não criar esse valor. É preciso mesmo transformar isto numa "guerra de pessoas e nomes"?

Mas os benfiquistas são pessoas de bem e saberão distinguir essa oposição responsável e desprovida de sede de poder ou de promoção pessoal, daqueles que pretendem apenas usar os momentos e as decisões menos boas para tirar proveito da pressão dos sócios para se elegerem, não tendo como preocupação fazer melhor, mas apenas tirar mais proveito.

ranking