O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


terça-feira, 30 de abril de 2013

Porque no te callas?!

 ●  + 66 comentários  ● 
Reduz-te ao nível de um bandalho... E serás derrotado pela sua experiência!

Percebo a importância de clarificar factos, discordo do timing e da forma. São opiniões, pelo que entendo perfeitamente que muitos de nós se revejam nestas posições.

SLBenfica: Conferência de Imprensa às 18.00

 ●  + 22 comentários  ● 

Está marcada para esta tarde, pelas 18 horas, uma conferência de imprensa no Estádio da Luz, que terá lugar na Sala de Imprensa.

Obviamente que na mente de todos está o anuncio da renovação de Jorge Jesus. Não sei se será ou não, mas a ser, parece-me que tendo sido decidida à algum tempo, aguardar pelo jogo da Madeira para o anunciar foi inteligente, como o foi no sentido de dar um factor extra de ânimo antes do importantíssimo jogo de quinta-feira.
Se assim for, a pergunta de ontem do Paulo Garcia ao Rui Gomes da Silva e a respectiva reacção do dirigente do SLBenfica não terão sido inocentes.

... Ou então é apenas um apelo à presença dos adeptos na quinta-feira, facto que tem tanta ou mais importância que a renovação de Jorge Jesus. Trata-se "apenas" da discussão de uma final europeia após a última em 1991.

O que acham que será?

Árbitro francês escolhido para o Benfica-Fenerbahçe. Não havia pior?

Avatar
 ●  + 14 comentários  ● 
"Lembram-se de mim?"
  
O árbitro francês Stephane Lannoy foi escolhido pela UEFA para dirigir a recepção do Benfica ao Fenerbahçe, numa partida a contar para a 2.ª mão das meias-finais da Liga Europa.

Este árbitro apitou o Alemanha-Portugal do Euro 2012, e apitou mais recentemente o Real Madrid-Galatasaray a contar para a Liga dos Campeões.

Preocupação? É francês. Compatriota de Platini e de Batta. Está tudo dito.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Quase...quase...sinto te tão perto...

 ●  + 5 comentários  ● 

Está mesmo ali...quase ao virar da esquina...

Agora acredito num Benfica campeão!!!

 ●  + 20 comentários  ● 
Haja coração!

Depois de uma semana exaustiva que levou aos limites a capacidade física e mental dos jogadores com viagem á Turquia para jogar num inferno seguido de outra viagem á Madeira para jogar contra um sempre difícil Marítimo

Para este jogo Jesus voltou a demonstrar nervos de aço e total crença nas suas convições ao apostar de novo na rotatividade da equipa. Deixou Gaitán em Lisboa, Melgarejo não jogou com André Almeida no seu lugar e Cardozo começou o jogo no banco.
Apesar da semana toda com pressões sobre o árbitro (e com um comentador nosso a adivinhar a nomeação com dias de antecedência) Manuel Mota não se coibiu de marcar um pénalti justissímo logo aos quatro minutos de jogo. Artur Soares Dias devia aprender com o seu colega. Lima demonstrou porque é um avançado de classe mundial e marcou o golo que todos os benfiquistas ansiavam.
Infelizmente, notou-se durante a primeira parte uma quebra da equipa e um Marítimo que se agigantou e soube discutir o jogo com o Benfica e causar imensos calafrios. Calafrios que começaram quase logo a seguir com um livre ao poste e que devem ter condicionado mentalmente a equipa para defender a vantagem. Depois seguiram-se imensos lances em que a defesa do Benfica e Artur tiveram que se aplicar mas em cima do intervalo chegou o balde de água fria que assustou toda a gente. Golo do Marítimo em cima do minuto 45.

Felizmente a equipa reencontrou-se durante o intervalo e fez das fraquezas forças. Nesta altura do campeonato já conta mais o coração que a cabeça e os jogadores demonstraram a ambição que deve definir todos os jogadores do Glorioso.
Lima em particular agigantou-se e teve um azar descomunal com duas bolas nos ferros, já para não contar os lances cortados por Igor Rossi a segurar o rolo compressor que definiu o Benfica desta época.
Jesus meteu a carne toda no assador e decidiu retirar Ola John ao minuto 60 para colocar Cardozo.
Para infelicidade do maritimista, o segundo golo do Benfica foi da sua autoria devido a um corte defeituoso. Infelicidade maritimista, lagarta e corrupta mas felicidade benfiquista!
Golo mais do que justo tendo em conta a entrada avassaladora na segunda parte e os pénalties na segunda parte que ficaram por marcar a favor do Benfica. Vamos ver se os lagartos e os corruptos vão chorar esta semana toda por causa da arbitragem. Vou esperar sentado.


Quando o árbitro apitou para o final notou-se bem que a declaração de Jesus a dizer que este jogo não era importante era só para retirar pressão sobre a equipa. Os festejos efusivos demonstram bem a importância que este jogo tinha para a decisão do Campeonato Nacional.
E o Benfica acabou de dobrar o seu Cabo das Tormentas e transformá-lo no Cabo da Boa Esperança.

Um apelo final para que todos os benfiquistas encham o estádio nos três jogos que faltam. A equipa precisa do Inferno da Luz para lhe dar forças. Temos que mostrar aos turcos o que é um INFERNO a sério!!
Temos que paralisar os jogadores do Estoril e Moreirense. Para o Benfica ser campeão é essencial uma maré vermelha!

Meias rotas?

 ●  + 14 comentários  ● 


Portugal 28 de Abril de 2013

Infelizmente a viagem à Turquia não correu bem e perdemos pela 1ª vez nesta Liga Europa. Ao cabo do 7º jogo na fase a eliminar, perdemos. E perdemos por 1-0 um dos piores resultados que nos podia ter acontecido, dando crédito à estatística.
Efectivamente desde a época 84/85 que não damos a volta a uma eliminatória, na qualidade de visitados, com derrota na 1ª mão por 1-0. A comunicação social não referiu, mas na qualidade de visitantes sim, conseguimos na época de 1999/2000. Depois de perdermos na Luz por 1-0 (“frango” de Encke), fomos à Roménia vencer o Dínamo de Bucareste por 2-0 (golos de Maniche e Chano). E com isso fomos a 1ª equipa portuguesa a conseguir eliminar um adversário, depois de derrotados em casa na 1ª mão.
Voltando ao jogo, parece-me que estamos a pagar o preço de estarmos envolvidos em várias frentes desportivas. O nível de desgaste físico e essencialmente mental, é muito forte. E o dos adversários não! Tanto Fenerbahce como Chelsea apenas lutam pelos lugares da Champions, tarefa que lhes está mais ou menos facilitada. Pelo que se podem concentrar mais na Liga Europa.
Esta questão do desgaste só encontra excepção no Bayern de Munique. O Borussia de Dortmund está como os nossos adversários da Liga Europa. O Barcelona e Real Madrid, mais os catalães, também lutam ou lutavam por 3 objectivos. Parece que a final está mais ou menos emparelhada, depois dos resultados da 1ª mão.
Posto isto, o que mais se pode dizer? A táctica do jogo para mim foi a correcta: 4-2-3-1. Devido à rotação de plantel, castigos e lesões, jogou Aimar na posição 8 e André Gomes na 6, um apoiando o avançado com o toque de criatividade que sempre espera dele, o “menino” colaborando na difícil tarefa de recuperar a bola e colocá-la jogável nos processos ofensivos.
Terá faltado apenas algum toque de qualidade ao futebol de Aimar, na medida em que fomos pouco acutilantes no ataque, na 1ª parte. Terá faltado também alguma qualidade defensiva aos nossos defesas laterais. Mas esta é uma velha questão que não se pode colocar de modo simples e linear, pois foi com estes dois defesas que chegamos a uma fase tão adiantada da prova. É verdade que também chegamos com o Emerson (mais defensivo) aos quartos de final da Champions. Mas bem sabemos como é difícil a um treinador optar por defesas laterais mais tácticos. E Emerson acabou por pagar – estupidamente - por isso.
Sobre a derrota, é lamentável que a comunicação social mantenha a mesma cretinice no abordar das bolas nos ferros, como tinha demonstrado na manipulação dos supostos erros de arbitragem do jogo com o SCP. Falaram muito da “sorte” do Benfica nesses lances, mas esqueceram de referir que o golo dos turcos nasceu de um canto que era um pontapé de baliza a favor do Benfica!
Claro que também podemos interpretar isto, não como uma forma cretina de ver o futebol, mas uma forma de “propagandear” este “futebolês” no qual os erros de arbitragem contra o Benfica não podem ser destacados! A favor, mesmo que suportados com repetições e ampliações de imagens que o árbitro não tem em campo, sim, aí sim, tem que se dar destaque. Muito destaque! Tudo funciona numa lógica de condicionar árbitros e observadores, e esta cretinice é a que melhor serve os interesses do “sistema” do “futebolês”.
E por isso quando FCP ou SCP são beneficiados por erros de arbitragens, nunca há “polémica” (o tal adjectivo que o jornalista “cola” na noticia, como quer e para quem quer, ou lhe mandam). Ainda ontem o FCP teve mais um penalty inexistente a favor, com 0-0 (do mesmo árbitro que em Coimbra assinalou 2 inexistentes contra o Benfica) e teve mais um penalty perdoado contra (reveja-se a posição do árbitro – de frente para o lance, perfeita leitura do mesmo), na altura em que ganhava apenas por 1-0. Que lemos hoje na cretina comunicação social acerca disso? Nada! Nada vezes nada. Prejudicar os adversários do FCP é uma forma de fazer futebol tão natural como o ar que respiramos. É essa a mensagem que a comunicação social quer que seja consumida pelo adepto, dirigentes, árbitros, etc., todos!
Voltando à meia-final da Liga Europa. Temos um desafio muito complicado pela frente, mesmo com 3 jogadores adversários impedidos (nós temos um, para já). O Fenerbahce apenas jogou uma vez fora, na 2ª mão. Foi contra a Lázio. E empatou a 1 golo! Nas duas outras eliminatórias jogou sempre fora na 1ª mão. Num caso empatou 0-0 no BATE Borisov, no outro venceu 1-0 no Vitoria Plekzen (que eliminara antes o Nápoles com agregado de 7-0!).
Jesus já bateu tantos recordes no Benfica. Espero que bata mais um e se torne no primeiro treinador, no intervalo de 28 anos, a vencer uma eliminatória europeia depois de ter perdido na 1ª mão por 1-0. Mas vai ser difícil...

Parabéns Zé do Petardo!

Avatar
 ●  + 5 comentários  ● 

"Por: Viriato de Viseu

Organismo que tutela o futebol europeu não perdoa os encarnados e aplica-lhe uma multa de 32 mil euros

Em causa estão os incidentes ocorridos com o arremesso de petardos, a 7 de março, dia em que os encarnados receberam o Bordéus na Luz na primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa.

Parabéns Zé do Petardo, estás a conseguir...com mais um bocadinho de esforço, ainda consegues um jogo europeu à porta fechada!!!

Em multas no campeonato tuga, o Benfica já gastou a módica quantia 133.814 euros, pelos teus relevantes serviços!!!

Se me disseres que é um bom Benfiquista, vou ali e já venho...o que tu és, és um grande filho da puta e cabrão !!!!!!!

Olha lá uma coisa?

Porque não experimentas numa próxima constipação, meteres um petardo com dose dupla de glicerina no sítio adequado, em vez do supositório???

Era um espectáculo digno de se ver, logo tu que adoras a pirotecnia!!!

E porque não nos teus cornos??? Avisa a malta com antecedência porque os Benfiquistas de gema gostariam de assistir a esse faustoso acontecimento!!!!!!!!!" in EDDG.

Esta noite sonhei que o Sporting tinha ganho com um golo irregular...

Avatar
 ●  + 8 comentários  ● 




...porque vendo as capas dos jornais não aconteceu.

domingo, 28 de abril de 2013

Este está a ser o símbolo do espírito benfiquista. Dá gosto ler a blogoesfera benfiquista!

Avatar
 ●  + 3 comentários  ● 


.

Nem todos são como a Cláudia Lopes!

Avatar
 ●  + 14 comentários  ● 

Depois de criticar alguma comunicação social
é com enorme satisfação constatar que,
felizmente, ainda há jornalistas ISENTOS!



Fruta da época
Domingo, 28 abril de 2013 | 01:19
Autor: JOÃO QUERIDO MANHA/JORNALISTA

O que o treinador do Porto temia confirmou-se na plenitude: lá ficou mais um penálti por marcar. O árbitro Carlos Xistra engrossou o seu longo cadastro de grandes penalidades negadas aos adversários dos dragões, resistindo estoicamente ao perigo de negar essa proeza de nível europeu de Helton realizar todo um campeonato sem ter de enfrentar qualquer penálti.


Obrigado ao grande Coluna d'Águias Gloriosas

As diferenças de tratamento de um jornal(ixo) chamado O JOGO.

Avatar
 ●  + 11 comentários  ● 




O jornal 'Record' parece que eliminou as intervenções menos dignas por parte de um ressabiado colaborador seu.
O 'Jogo' já não pode eliminar esta capa que ignora as 'Xistralhadas' de ontem.
Nem polémica, nem tribunal. Nada.

Resta ver o que o sistema desesperado fará até amanhã para continuar a tentar condicionar o resultado do Benfica e deste campeonato.

(Actuação do Xistra em detalhe e com imagens em 'Benficabook'.

sábado, 27 de abril de 2013

Jornal Record goza com o Benfica e JJ.

Avatar
 ●  + 30 comentários  ● 

Os comentários do Jornal Record ao andamento do jogo FC Porto - Setúbal.
Em especial nos minutos 68 e 87.
Jornalismo rasca.

(Obrigado ao nosso leitor André Sargento por ter trazido isto à nossa atenção.)

Isto é o sistema.

Avatar
 ●  + 19 comentários  ● 

Alguns jogadores do Setúbal curiosamente alheados do jogo nos lances chave dos golos do Porto, 3 lances polémicos para marcação de penalty....só o lance a favor do FC Porto foi marcado.

E ainda têm a lata de vir falar de arbitragens ou de verdade?

Atualização: Na conferência de imprensa de fim de jogo, nem um jornalista questiona Vítor Pereira sobre a arbitragem de Carlos Xistra ou sobre os lances polémicos do jogo.
A pergunta sobre arbitragem que surge mesmo no fim foi sobre o árbitro...do Marítimo-Benfica.

Jornalismo de esgoto.

O Capela afinal só fez o que lhe pediram!

 ●  + 7 comentários  ● 
Já aqui afirmei no tópico E agora, Fernando Gomes? que as arbitragens que têm como objectivo prejudicar ou beneficiar uma equipa não são escandalosas, são habilidosas. 30 anos de corrupção no futebol em Portugal foram mais que suficientes para o Sistema "saber fazê-las" -  quando há penaltis, foras de jogo e afins... é sempre de desconfiar.

A arbitragem do Capela, mais do que "enterrar" o próprio (por ter sido honesto na final da Taça da Liga e assim lhes tirar o único título da época), teve um propósito claro de criar a ideia de que o SLBenfica é beneficiado e só será campeão (se eles não conseguirem evitar de forma ilícita) porque fomos beneficiados pelas arbitragens, como é o exemplo do derby.

Mais uma vez o Sporting serve de "joguete" destes corruptos.

Portanto, para não se "enterrar" o dito Capela, qual é a solução? Dar-lhe uma boa nota, pois claro! No final da época é isso que fará a classificação do árbitro, a sua remuneração e ascensão internacional. Se esteve ou não na jarra ou um dois jogos, isso são factores colaterais.

Na prática, a nota que escandaliza o mundo do futebol, não é mais do que premiar o Capela pelos serviços prestados ao Sistema, ajudando às custas do Sporting (como sempre), a passar uma mensagem. Desta vez a mensagem é que o SLBenfica só foi campeão... porque foi ajudado pelas arbitragens.

Ridículo, não é? Enfim... é o futebol que temos.

Mas desenganem-se os que acham que fica por aqui! Nada disso, a estratégia não pode ficar só pelo campo, há toda uma "máquina" de propaganda que depois alimenta esta palhaçada, onde o "amigo" Quim Oliveirinha tem um papel importantíssimo a mexer cordelinhos.

Esta semana, foi interessante ver dois benfiquistas (porém isentos jornalistas profissionais) indignados com a mudança editorial de programas de comentário desportivo.


O primeiro a que assisti foi o "Grande Àrea" na RTP Informação, apresentado por Manuel Fernandes Silva e com Carlos Daniel e Bruno Prata como comentadores.

Perante imensas insistências do Manuel Fernandes Silva na escapelização da arbitragem do derby e concretamente na análise do favorecimento ao SLBenfica (e nem tanto aos lances em si que nem sequer foram passados), o Carlos Daniel teve que mostrar a sua indignação por duas vezes dando conta que "nunca fizemos aqui análises de arbitragens, não percebo porque estamos agora a fazê-lo".

Ontem, no programa MaisFutebol da TVI, parece que aconteceu algo semelhante. Esse programa não vi, mas como vem reportado no blog Encarnado Berrante (vêem, colegas bloggers... não custa nada nomear e linkar as fontes), aconteceu o mesmo com Pedro Ribeiro e a apresentadora Claudia Lopes,(ver aqui) com esta a ser muito concreta perante a afirmação de Pedro Ribeiro semelhante à de Carlos Daniel: "A isso nos obrigam", disse Claudia Lopes.

A questão que coloco para quem quiser responder é: Quem anda a obrigar os produtores e editores destes programas a insistir no tema da arbitragem do derby e a explorar a mensagem de que o SLBenfica foi beneficiado, quando na verdade NUNCA antes tal acontecerá nas INUMERAS vezes que FCPorto, SportingCP e mesmo o SLBenfica tiveram outros jogos com lances onde tiveram favorecimento ou sairam prejudicados em lances.

E agora, Fernando Gomes?

 ●  + 19 comentários  ● 

Ficou claro aos mais de 23.000 visitantes do blog ontem e aos mais de 3.000 que partilharam no Facebook que há gente que sabe antecipadamente - muito antecipadamente - as nomeações dos árbitros.

Ficou claro que as praticas corruptas de um passado não muito distante, com escutas que envolviam o próprio actual Presidente da FPF, tudo se mantém com estas "fugas" a permitirem que a fruta seja distribuída, que haja visitas domiciliares para os envelopes de conselhos matrimoniais, etc. etc. etc

O Sr Presidente Fernando Gomes, prometeu mudar o futebol, prometeu um futebol mais honesto e quis que o FCPorto fosse visto apenas como passado.

Ora, chegamos ao momento decisivo do campeonato e tudo continua na mesma. Continuam as jogadas de bastidores, as nomeações "especiais" de árbitros que interessam e cuja nomeação é libertada nos meandros internos do Sistema com antecedência.

E agora, Fernando Gomes?
Como vai ser possível justificar esta situação claramente obscura e limitadora da verdade desportiva?

Como vai ser possível provar que não acontece sempre em todos os jogos haver gente do Sistema que já sabe quem são os árbitros que lhes interessam e com isso pode mover as suas pressões?

E se na Madeira o SLBenfica for efectivamente prejudicado?

Se a imprensa tivesse dado eco real da situação, como não deu ao detalhe do livro do Casagrande onde são contados os detalhes do doping no FCPorto, eu até admitiria que não haveria gente a "mover-se na sombra" desta nomeação. Mas com um tema com esta expressão, com esta dimensão de suspeição, ver a imprensa a abafar a questão (escolhendo antes as lesões ou o cansaço do SLBenfica)... Fica claro que descobrimos uma brecha numa movimentação que visava prejudicar o SLBenfica e que continuará no futuro a prejudicar o Benfica e outros em prol dos interesses do Sistema Corrupto.

A imprensa, mais que conhecedora desta realidade, optou estrategicamente por falar das lesões (regressos ou não de lesionados) e do alegado cansaço de alguns jogadores, com destaque para Matic, pois desta forma se houver uma arbitragem habilidosa na Madeira... O problema foi o cansaço dos jogadores e/ou a falta de alguns.



NOTA: Arbitragem habilidosa não tem penaltis, nem foras de jogo escandalosos - essas são as arbitragens para queimar árbitros que não interessam ao Sistema às custas quase sempre do mesmo "bode expiatório", o Sporting, mais conhecidos como os "joguetes" do Sistema.

A arbitragem habilidosa é aquela em que, por oposição propositada à de Capela, se marcam todas as faltinhas de merda no meio campo, que cortam as jogadas de ataque, que facilitam a tarefa defensiva do adversário, que quando a bola começa a chegar perto da baliza, começa a ter o tal critério largo se a bola em nosso poder, ou um critério muito apertado se a bola no adversário. Vista bem a arbitragem, não tem realmente um caso ou casos a rever... Nem penaltis, nem foras de jogo, nem vermelhos... Simplesmente "matou" o jogo

sexta-feira, 26 de abril de 2013

(árbitro) Manuel Mota: "Vamos dizer Adeus ao Título na Madeira"

Avatar
 ●  + 90 comentários  ● 

vai prejudicar o Benfica

Por Redação
O Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol anunciou hoje as nomeações da 27.ª jornada do campeonato. Destaque para a nomeação de Manuel Mota para o Marítimo-Benfica, agendado para segunda-feira. Para o FC Porto-V. Setúbal, este sábado, foi nomeado Carlos Xistra, enquanto no Sporting-Nacional, no domingo, estará Jorge Ferreira.


Entretanto, há 2 dias um leitor avisava-nos...

RUI BENFIQUISTA - 24 Abril, 2013 17:55
Acabei de saber por um arbitro dos distritais e 3 divisões daqui do Porto, que o arbitro é um M M de Braga.  Ora M M DE BRAGA É O MANUEL MOTA, E QUE VAI PREJUDICAR O BENFICA, DIZ ELE QUE VAMOS DIZER ADEUS, NA MADEIRA, AO TITULO! COM TODA A SATISFAÇÃO! ORA TEMOS DE CONFIRMAR SE É VERDADE. E A SER, COMO É POSSÍVEL ELE SABER QUEM É O ARBITRO? POIS ELE TEM UM PADRINHO ARBITRO DA PRIMEIRA MAS NÃO ME DIZ QUEM É.

A Dança das Cadeiras na Liga Portuguesa

 ●  + 3 comentários  ● 

Muito se tem falado e especulado sobre Jorge Jesus. Apesar das fortes reservas dos mais bem informados (e sei do que falo), eu apostei há dias uma bela garrafa de Pera Manca em como o Jorge Jesus renova pelo SLBenfica... e mais que isso: Elevei a parada e alarguei a aposta para a garrafa e um jantar.

Mas o que em traz a este tópico são outras danças de cadeiras que poucos querem falar, vá lá saber-se porquê!

Em Braga, Peseiro tem os dias contados. A imprensa insiste em Paulo Fonseca, o "bafond" do NGB aponta antes Nuno Espírito Santo para o lugar. Vamos a isso, Record, toca a investigar.

No FCPorto só mesmo a imprensa insiste em Jesus, quando aparentemente o Leonardo Jardim já trabalha na sombra de Vitor Pereira há várias semanas.

Em Alvalade parece erguer-se uma campanha a favor do Jesualdo, mas este parece não estar pelo ajustes e disposto a uma perspectiva de fiquem lá com o Inácio... mas o Bruno-Garoto não confia nele para treinador.

Paulo Fonseca, depois desta brilhante época em Paços de Ferreira (anda esquecido de a agradecer ao Rui Vitória), tem a ambição de ir para Braga. Os jornais dizem que sim, o NGB diz que não... E mais, aproveitamos para lhe deixar o conselho que pense mais devagar no futuro. Uma época não é mais que isso... uma época. O passo para Braga seria interessante... mas não sendo possível, aconselha-se prudência para não queimar etapas.

Por falar em Rui Vitória... essa parece ser uma incógnita, que futuro para um dos melhores treinadores portugueses na nossa Liga? O nosso desejo é que seja diferente do de Vitor Pereira que, a julgar pelo caminho destinado aos relegados do FCPorto será um qualquer clube grego.

À atenção de Rui Gomes da Silva (pontos 1 e 3)

Avatar
 ●  + 6 comentários  ● 

troza 26 Abril, 2013 09:35

Poupando ou não, queria aqui dizer três pontos:

1 - O Benfica devia ter o campeonato na mão (as defesas do Alex Sandro, os penaltis da Académica e o golo mal anulado ao Cardozo) mesmo se tivéssemos perdido contra o Sporting. E isto é que ninguém vem dizer cá para fora para defender o Benfica. Era só preciso isto. Assim sendo, e eu que aposto num xistra para a Madeira, acho que o Benfica só tinha de poupar e aguentar-se o melhor possível. É um risco mas é o que todos os benfiquistas pediram o ano passado: prioridade para o campeonato.

2 - O Jorge Jesus tem poupado na liga europa sempre. Se não é nos jogadores, é no ritmo de jogo. Isso é um facto. 

3 - Voltando ao derby... tudo o que se tem passado tem dado a sensação de que vai acontecer o mesmo que se passou o ano passado quando começou o choradinho. Vamos apanhar com Xistra, Jorge Sousa, Pedro Proença e Benquerença... sendo que o Jorge Sousa vai ser no último jogo, proença no dragão e os outros, apesar de apostar em Xistra para a madeira, podem ainda trocar (o Benquerença é capaz de fazer bem o seu trabalho na mandeira e o Xistra expulsar uns quantos contra o Estoril, mas a pressão é para o Benfica perder na mandeira e por isso é que acho que vem já aí o Xistra).

(Comentário retirado do post 'Nada está perdido mas...')

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Nada está perdido mas...

Avatar
 ●  + 59 comentários  ● 



...mais uma vez as coisas não foram colocadas da melhor forma.
Não apostar em Aimar semanas a fio e colocá-lo hoje a titular com Cardozo(dupla que tão bons resultados NÃO deu ao longo dos últimos 3 anos) era aposta arriscada.

Os primeiros minutos até deram ar de um Benfica a surpreender mas assim que os turcos alinharam o esquema o Benfica foi ficando cada vez mais inofensivo.
A equipa deu ar de ter demasiada distância entre a defesa e o ataque. Um jogo não adequado às características de Cardozo por estar demasiado desacompanhado, um Ola John inconsequente e e demasiados rodriguinhos na defesa e meio campo que deram várias jogadas de perigo aos turcos.

A estrelinha de vencedor(esperemos) esteve do lado do Benfica quando por vezes na primeira parte quer de penalty quer de jogada corrida a bola foi aos ferros.

Quando se esperava que JJ corrigisse o que estava menos bem, o Benfica faz uma segunda parte mais fraca.

E o golo surge numa jogada infeliz, mas que se adivinhava.

Penso que a pressão dos adeptos não teve grande efeito nos nossos jogadores, mas sentiu-se um nervosismo crescente que se refletiu em maus passes(não aceitável neste nível), e cada vez menos clarividência no ataque.

Está claro a todos que esta equipa turca está ao alcance do Benfica.
Mas quando se diz que a carne vai estar toda no assador e não se coloca Lima e Gaitan de início, isso parece treta.
A impressão digital deste Benfica passa por marcar golos e não ter medo de atacar em qualquer lado.
Hoje isso falhou.

Estádio da Luz cheio para semana, para levarmos estes jogadores ao colo.

Cretinos e otários

 ●  + 10 comentários  ● 

Portugal, 25 de Abril de 2013

Por incrível que pareça, hoje em que o Benfica – única equipa portuguesa em provas europeias – começa a discutir a passagem à final da Liga Europa, hoje ainda se fala do “polémico” (o adjectivo é dos jornalistas) Benfica – SCP que se jogou há 4 dias!

Para os mais desatentos, recordo que o Benfica ganhou com 2 golos limpos, um deles na categoria de obra de arte, nenhum de penalty ou em fora de jogo. Igualmente o SCP não teve golos mal invalidados, o SCP não teve situações de impedimento por fora de jogo mal assinalado, o SCP não fez um remate digno desse nome à baliza do Benfica. Apenas cruzamentos e passes ao Artur Moraes.

Mas fala-se do “polémico” jogo. Qualquer semelhança com a final da Taça da Liga que os adeptos do SCP baptizaram de “Taça Lucílio Batista”, não é mera coincidência. A semelhança é o “modus operandi” de uma comunicação social cretina na forma e nos propósitos.

Olhanense0 - Benfica 0: “Queixou-se o Benfica da expulsão de Aimar como forma de explicar um nulo que pode deixar as águias mais distantes de um objetivo que encaravam ainda como palpável perante o encurtar da distância para o líder FC Porto, rival que poderiam ter ultrapassado ontem ainda que à condição. Contudo, faltou muito mais à equipa de Jorge Jesus para poder reclamar algo mais neste jogo” – JOGO 23-03-2012. À equipa de JJ “faltou algo mais” (branqueamento do erro do árbitro). E à do SCP não faltou nada?


“.. o que aconteceu foi quase impensável. Os encarnados não criaram uma única oportunidade de golo na primeira parte e, pior que isso, apenas fizeram um remate (cabeceamento de Jardel por cima) – BOLA 23-03-2012. “Impensável”? Mas afinal quantos remates fez o SCP à baliza do Benfica na 1ª parte?

Académica 0 – Benfica 0: O Benfica empatou, este sábado, na deslocação ao terreno da Académica (0-0). Este foi o terceiro jogo sem conseguir vencer e agora fica à mercê do FC Porto na liderança – BOLA 26-02-2012. Neste jogo já não houve “polémica” com os 2 penaltys tirados ao Benfica e vários foras de jogo mal assinalados ao Benfica. A “polémica” para os jornalistas é como o tempero da comida: põe-se quando e quanto se quiser.

Dúvidas em dois possíveis penáltis. Dois lances na área da Académica (aos 8' e 58') podiam ter dado penálti a favor do Benfica... ou não. Nem o painel de especialistas de O JOGO chegou a um consenso com recurso a imagens televisivas – JOGO 26-02-2012. Fantástico. Nos 2 lances, as imagens claríssimas não conseguiram unanimidade entre os paineleiros do JOGO. No último Benfica - SCP as mesmas imagens, que nada mostram nos lances da 1ª parte, já conseguiram unanimidade para lances de penalty.

Os cretinos voltaram a atacar, sob a capa da credibilidade que a comunicação social sempre merece para os incautos cidadãos e adeptos de futebol. Os agentes activos fizeram o seu papel de agitarem, branquearem, distorcerem conclusões e pressionarem a arbitragem para o decisivo jogo com o Marítimo. Os agentes passivos, os dirigentes do Benfica, também fizeram o seu papel habitual: calados, sem reacção, deixando que os adversários mintam e façam mal ao Benfica.

Assim pudemos ouvir o que pensa o presidente do SCP, pudemos ouvir o que pensa o presidente do FCP, o tal que há uns tempos dizia que só fala de arbitragem quem é parvo. Ouvimos ex-presidentes do SCP, ouvimos ex-jogadores do FCP pronunciarem-se sobre a arbitragem.

Mas... e o presidente do Benfica? Alguém ouviu o “faz-que-é” presidente do Benfica? Alguém o ouviu defender a verdade desportiva neste jogo? Alguém o ouviu dizer que o SCP está a apoiar-se em imagens de televisão para marcar os golos que não conseguiu marcar, não só neste jogo mas em todo campeonato. Alguém o ouviu dizer que o FCP não tem legitimidade moral para falar de arbitragens? Alguém o ouviu dizer que se os lances de penalty fossem assinalados como devem ser, o FCP estava a pelo menos 10 pontos de atraso do Benfica e estávamos a encomendar as faixas de campeão?

Ninguém ouviu! Desta vez o Sr.º Vieira não fez chegar aos jornalistas, através dos seus assessores de imprensa, a nota de que queria falar. Mas como reagiu este “faz-que-é” presidente do Benfica após o jogo de Olhão arbitrado por esta Capela?

Noticia RECORD, 24-03-2012: “Luís Filipe Vieira não poupou os jogadores do Benfica a um valente puxão de orelhas, que serviu também como um sinal de alerta para os jogos que se seguem ...”.

Roubados pelo árbitro e enxovalhados pelo que se supõe ser presidente do clube... Otários....

Se querem ver um jogo onde houve erros gravíssimos com influência no resultado, aqui têm. Até o jornalista da RTP ficou engasgado com algumas decisões do árbitro Duarte Gomes: 

Neste 25 de Abril...queremos o caminho para a final aberto!!

Avatar
 ●  + Sem comentários  ● 

O último obstáculo para a final - Fenerbahce

 ●  + 20 comentários  ● 

Ficou combinado entre os escribas do NGB, o Tosta Mister e Luís Freitas Lobo "wanabee" (isto foi ironia ) seria responsável de uma breve análise ao nosso adversário de hoje, o Fenerbahce.
E como estamos a falar de um jogo da Liga Europa, a análise foi feita ao jogo da última eliminatória, contra os italianos da Lázio de Roma.

O Fenerbahce apresentou-se em campo da seguinte forma


Ou seja, num 1x4x2x3x1.

O sua organização ofensiva, com saída em posse do seu último terço, o central esquerdo Korkmaz é a referência do guarda redes Demirel.
Sem pressão, geralmente tem duas opções, ou na ala esquerda para Ziegler, ou por dentro em Meireles, que troca posicionalmente com Topal. Se estiver pressionado, joga longo para Sow na esquerda, ou para o flanco contrário no lateral Gonul.
Na chamada zona de preparação, Cristian é a primeira referência e depois é Kuyt que procura sempre o espaço interior, criando superioridade numérica no corredor central e libertando o corredor direito para Gonul progredir.
Na frente de ataque, está Webó.
Se tem de sair a jogar mais longo, Korkmaz procura Sow, Cristian ou a profundidade de Webó.

E quanto a movimentações ?

Ambos os laterais projectam-se ofensivamente, os corredores laterais são da sua responsabilidade, pois Sow mas especialmente Kuyt, procuram sempre jogo interior. 
Entre os dois médios de contenção, Topal é o mais defensivo, sem grande liberdade para subir no terreno, ao contrário de Meireles que aproxima-se mais de Cristian. Webó joga fixo na frente, com diagonais quase sempre para a direita, aproveitando o facto de Kuyt deixar o espaço livre ao movimentar-se interiormente, enquanto Sow tenta ocupar o espaço do movimento de Webó.

E já que sabes tudo ó chico esperto, e a organização defensiva ?

Jogam num bloco médio, mas no momento de perda de bola, o bloco baixa. Não fazem pressão alta, tendo por vezes a linha mais avançada na linha do meio campo.
Mas é na transição ataque defesa dos turcos que estará o tesourinho do Benfica !!

E vais guardar para ti, ó Carlos Carvalhal do NGB, ou vais partilhar ?

Como os laterais são de propensão ofensiva e não fecham por dentro quando a bola está no flanco contrário ao seu, o Benfica poderá aproveitar esse facto, sendo fiel ao seu jogo de transições ofensivas rápidas pelos corredores laterais. Nenhum dos centrais é rápido no deslocamento, tal como Topal, e são duros de rins no 1 x 1. Kuyt ainda ajuda Gonul a fechar o flanco direito, mas no lado contrário Sow é pouco solidário com Ziegler e mesmo o austríaco é pouco rápido a recuperar a posição, levando Topal e por vezes mesmo o brasileiro Cristian a fechar o flanco esquerdo !

Já que estás feito em "Mourinho do NGB" vais nos dizer que equipa apresentarias ?

Claro que sim !! Esta seria a minha aposta para o jogo de hoje


Jogaria em duplo pivot para sustenter Webó, as movimentações de fora para dentro de Kuyt e Sow e o organizador Cristian. Aproveitar a velocidade de deslocamento de Sálvio para as subidas de Ziegler e de Ola John no caso de Gonul mas sobretudo a pouca rapidez no momento de perda, de recuperarem posições. Com 3 homens no meio campo, permite ao Benfica, no momento de recuperar a bola, de sair da zona de pressão, e colocar a bola jogável no flanco contrário, devido à fraca transição ataque / defesa dos turcos.
Apenas duas dúvidas...
André Almeida no lugar de Maxi para suster a velocidade de Sow que joga na esquerda mas é destro e vem para dentro ( ora aí está mais uma razão para o duplo pivot ), ou no lugar de André Gomes, não pela falta de talento, mas pela falta de ritmo.
E a utilização de Cardozo a titular em detrimento de Lima, para ir desgastando fisicamente a defesa turca e depois sim, colocar o avançado brasileiro.

Em jeito de conclusão, antes de ver o jogo, pensava que o nosso adversário poderia ser um osso duro de roer. Depois de o ver contra a Lázio, parece-me uma equipa com muitas dificuldades no último terço para criar espaço, mas sobretudo o desequilíbrio que cria defensivamente, parece-me a chave fulcral onde o nosso clube irá aproveitar para trazer um excelente resultado para o jogo do Estádio da Luz.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Excerto do Livro de Casagrande

 ●  + 23 comentários  ● 
Excerto do livro "Casagrande enviado para o nosso blog como excerto de um pdf, nas páginas  93-95:
  
No dia seguinte, Casagrande comunicou ao treinador que não jogaria mais pelo Corinthians.

Ficou apenas treinando, à espera de uma transferência. O preparador físico Gilberto Tim aindatentou dissuadi-lo, argumentando que a tempestade passaria logo e estimulando-o a entrar em campo. Não houve jeito. “Aquele seria mesmo meu último jogo. O Juan Figer comprou meu passe e me emprestou para o Porto.”

Com os 15% a que tinha direito sobre o valor total da negociação, Casagrande adquiriu dois apartamentos na Pompeia, um deles para seus pais. E se preparou para mergulhar num futuro desconhecido. “Fui para o Porto sem saber o que ia rolar, quase não chegava informação noBrasil sobre os clubes de Portugal. Mas tinha muita confiança em mim mesmo para triunfar na Europa.” Ele soube que seu destino seria o Porto apenas a dois dias da viagem. Quando Figer lhe disse que o clube português classificara-se para a Copa dos Campeões, principal campeonato europeu, o atacante topou a aventura.

Os dois viajaram juntos e assistiram à final da Supercopa de Portugal, entre Porto e Benfica, no estádio das Antas. A torcida o recepcionou com festa, e os dirigentes propuseram que ele vestisse a camisa e entrasse em campo para ser ovacionado. Ele não quis. “As arquibancadas estavam lotadas, e eu ainda me sentia meio tímido ali”, explica. “Nesse dia, percebi o quanto o time era forte. Contava com catorze jogadores de Seleção: a equipe de Portugal em peso, o goleiro polonês Józef Mlynarczyk, o argelino Madjer e eu.” Também havia três brasileiros no elenco: Celso Gavião (ex-zagueiro do Vasco), Elói (ex-meia de Santos, Vasco e Portuguesa) e Juary (ex-atacante do Santos). Os compatriotas lhe dariam suporte na adaptação.

Casão passou o Ano-Novo em Portugal sem a família. Para amenizar sua solidão, Celso e Elói foram encontrá-lo no hotel, onde permaneceram até dez minutos antes da meia-noite. Com a mesma preocupação, Juary sempre o convidava para churrascos na casa dele. O apoio dos brasileiros era mesmo preciso. Afinal, entre os atletas portugueses, fez uma única amizade: Paulo Futre, principal jogador do país na época e seu amigo até hoje. Os demais companheiros de time o tratavam friamente. Mais do que isso, o boicotavam, por puro ciúme. “Ficava isolado nos treinos e era difícil receber a bola. Com o tempo, isso foi melhorando...” O bom desempenho da equipe na Copa dos Campeões e as viagens para cenários diferentes de tudo o que já havia visto também o animavam. Depois de ter enfrentado o Brondby, da Dinamarca, no Porto, com vitória por 1 a 0 (gol de Madjer), pelas quartas de final, embarcou com a delegação para o jogo de volta cheio de expectativa. “Foi sensacional essa experiência. Chegamos a Copenhagen com um frio tremendo, naquele inverno rigoroso, e fomos passear. Encontramos o cais totalmente congelado. Um dinamarquês, num barco, falou para a gente: ‘Pode até pular aí, que o gelo não quebra’. Então andamos em cima do mar, enquanto avistávamos icebergs no horizonte. Muito louco! Algo que nunca havia imaginado.”

O que Casagrande também não imaginava era que ele próprio iria se quebrar num campo 
coberto pela neve. No empate em 1 a 1 com o Brondby, em uma jogada logo aos quinze minutos, fraturou a fíbula e rompeu os ligamentos do tornozelo esquerdo. Não poderia mais atuar naquela Copa dos Campeões, conquistada pelo seu clube. “Fizeram tudo para que eu me recuperasse até a final. O treinador queria me escalar na decisão, e eu fiz um teste na terçafeira à noite, véspera do jogo. Mas só conseguia correr em linha reta, não fazia curva de jeito nenhum. Aí acabei ficando no banco.”

Depois da conquista da Copa dos Campeões, com o time em férias, sua família veio visitar o Brasil, mas Casão ainda permaneceu algum tempo sozinho na cidade do Porto. Aproveitou para desbravar os “buracos” da noite e saciar uma antiga curiosidade: experimentou fumar e tomar heroína na veia. “O movimento dark estava muito forte e, na música, faziam sucesso The Cure,David Bowie, Simple Minds... Havia muitos pubs nessa linha. Comecei a passear pela cidade e encontrei uns barzinhos escuros, cubículos que pareciam cenário do filme CristianeF., aqueles lugares a que ela ia. Assim, acabei conhecendo umas pessoas e provando heroína.”

Esse episódio pode ser considerado uma exceção, um fato isolado durante o período em que Casagrande jogou na Europa. Determinado a obter êxito profissional no exterior, ele conseguiu se disciplinar e se manter distante das drogas para preservar a condição física. Ou, pelo menos,longe das chamadas drogas sociais.

Porque ele constatou que, diferentemente do que ocorria no Brasil, o uso de doping estava disseminado pelo futebol europeu. Lá, pela primeira vez na carreira, e a contragosto, se dopou para melhorar o rendimento.

Esse assunto é delicado. Apesar de ser fato, nenhum clube quer assumir esse passado obscuro, com receio de macular a imagem, empanar o brilho de conquistas ou, até mesmo, num limite extremo, correr o risco de ter títulos cassados pela Fifa ou por tribunais desportivos. Na década de 1980, o goleiro alemão Harald Schumacher, vice-campeão nas Copas de 1982 e 1986, resolveu revelar a verdade e o mundo caiu em sua cabeça. Ao publicar a autobiografia Anpfiff, confessou ter feito uso de doping em várias partidas, pois a prática era corriqueira no futebol alemão. Vários clubes e ex-colegas voltaram-se contra ele, porém o lateral e meia Paul Breitnerlhe deu razão e confirmou a denúncia.

Existe um pacto tácito pelo silêncio. O recente caso de Lance Armstrong, lenda do ciclismo mundial, mostra bem a desfaçatez que impera nesse campo minado. Sabia-se já havia algum tempo que o heptacampeão da Volta da França fazia uso de substâncias proibidas, o que ele negava veementemente, com indignação capaz de comover até inimigos. Jurava inocência e ameaçava processar quem lhe imputasse tal desonra. Por ter voltado a vencer a prova mais importante do ciclismo internacional depois de se recuperar de um câncer nos testículos, posou como herói até ser desmascarado. Somente quando surgiram provas materiais, incontestáveis, ele meteu a bicicleta no saco e se retirou de cena

Apesar dessa cortina de fumaça, Casagrande não pode se furtar a assumir uma passagem relevante em sua carreira. A intenção não é denunciar ninguém, nem difamar qualquer clube —até porque já se passou muito tempo, e a vida segue em frente. Depois de ter admitido tantos pecados publicamente, não faria sentido esconder a própria experiência com doping. Por precaução, para evitar qualquer viés acusatório, vamos omitir nomes e lugares. Afinal, o que importa são os fatos. Em todos os anos que atuou na Europa, Casagrande foi dopado para jogar quatro vezes. Nunca quis, foi sempre contra, mas aconteceu.


“Em geral, injetavam Pervitin no músculo. De imediato, a pulsação ficava acelerada, o corpo superquente, com alongamento máximo dos músculos. Podia-se levantar totalmente a perna, a gente virava bailarina... Isso realmente melhorava o desempenho, o jogador não desistia em nenhuma bola. Cansaço? Esquece... se fosse preciso, dava para jogar três partidas seguidas.”

Esse procedimento acontecia abertamente no vestiário, sem a menor preocupação de escondê-lo de qualquer integrante da agremiação. “Era uma coisa oficial: do treinador ao presidente do clube, todo mundo sabia.” Só havia o cuidado de acompanhar o atleta até a eliminação da droga pelo organismo, tanto para prestar socorro, caso alguém se sentisse mal ou tivesse algum efeito colateral, quanto para liquidar as provas, embora exames antidoping fossem raros naqueles tempos. “O clube não deixava a gente ir pra casa depois do jogo. Ficávamos concentrados e dormíamos no hotel. No dia seguinte, fazíamos sauna de manhã e dávamos uma corridinha ao redor do campo. Só depois disso nos dispensavam.”



O uso da substância não era exatamente opcional. Embora não houvesse um aviso formal de obrigatoriedade, isso estava implícito, e quase todo mundo seguia o script. “Estava sempre à nossa disposição, mas, nos jogos importantes, parecia obrigatório. Tomar ou não tomar poderia definir a escalação, pelo menos essa era a sensação geral.” Ele não se deparou com essa prática em outros clubes europeus nos quais jogou, é bom ressaltar, porém sabia ser algo comum pelas conversas com jogadores que atuavam em outros times. Além disso, chegou a constatar a troca de informações entre departamentos médicos de clubes de países diferentes, quando descobriram um estimulante mais avançado, que seria mais difícil de detectar num eventual exame antidoping.


A despeito de ter passado por essa experiência poucas vezes, o assunto traz desconforto a Casagrande até hoje. O uso de doping é totalmente contra seus princípios, por ferir a lisura esportiva. “Além de ser moralmente condenável, aquilo não me trouxe qualquer benefício, muito pelo contrário. Em um daqueles jogos, eu me machuquei e permaneci no campo por mais algum tempo, porque a droga mascarava a dor. Poderia ter agravado seriamente a lesão. Eu era jovem, não necessitava de aditivos para render bem fisicamente e ainda me expus a riscos desnecessários.”

Mas, deixando de lado as substâncias “oficiais”, e voltando à heroína, Casagrande 
simplesmente saciou, na cidade do Porto, a curiosidade de provar a droga que havia levado à morte vários de seus ídolos, como Janis Joplin e Jim Morrison. Depois voltou a andar na linha outra vez. 

Tinha consciência de que a substância, fortíssima, causava dependência em pouco tempo. Quando se transferiu para a Itália, ficou seis anos completamente limpo. O seu contrato com o Porto terminaria em julho de 1987, e o clube manifestou desejo de renová-lo. O apelo era grande: o time iria disputar o Mundial Interclubes no Japão, contra o Peñarol (Uruguai), e a Supercopa Europeia, diante do Ajax (Holanda), campeão da Recopa. Porém, àquela altura, ele já praticamente selara a transferência para a Itália, dona do campeonato mais badalado do mundo. “Portugal só tinha quatro times competitivos: além do próprio Porto, havia Benfica, Sporting e Vitória de Guimarães. E a minha meta sempre foi jogar o Italiano.”

 Quando quebrou a perna, ainda nas quartas de final da Copa dos Campeões, ele já estava com duas transferências engatilhadas: ou iria para o Torino, da Itália, ou para o Racing, de Paris. Até os valores já haviam sido acertados, e dirigentes de ambos os clubes encontravam-se em Copenhagen, dispostos a fechar o contrato naquele dia fatídico. Porém com a grave lesão sofrida, o panorama mudou. O austríaco Toni Polster, que estava acertado com o Ascoli, acabou indo no lugar de Casão para o Torino. E o atacante brasileiro foi para o Ascoli, onde a vaga ficara em aberto.

FIM DE CITAÇÃO DO LIVRO

Nota de pesquisa sobre a substância que Casagrande refere no livro:


Pervitin: Hitler's Multivitamin
Pervitin was a "multivitamin" that was widely distributed to German troops during WWII to give them an "energy boost". Fallschirmjaeger detachment "Granit" received vials of Pervitin just prior to embarking on the mission to capture fortress Eben Emael in Belgium in May 1940. This turned out to be one of the most celebrated air assault missions in history with German paratroops fighting like fanatics and defeating a force 15 times their size. German tankers and Luftwaffe fliers received Pervitin-laced chocolate rations (Panzerschokolade and Fliegerschokolade). 

Trouble is Pervitin was not a mutlivitamin but 100% crystal meth.

Hitler was on a steady diet of "Pervitin" which was prescribed to him by his personal doctor Morell. We'll never learn the effects the drug had on his body but it's clear that by the end of the war Hitler's health was ruined with Parkinson's-like shaking seen in meth abusers. He was also mentally unstable and had explosive temper.

German magazine Spiegel has a story: http://www.spiegel.de/international/...354606,00.html

Retirado daqui.

(Metanfetamina)
Remédio altamente estimulante, à base de anfetamina pura. 
Teve seu ápice na década de 50. Eram indicados inadequadamente para combater a depressão. Qualquer pessoa com 50 anos se lembra do Pervitin, vendido facilmente nas farmácias para quem desejava ou precisava passar noites em claro, dormir pouco ou reduzir o apetite. Foi retirado do mercado por seus graves efeitos colaterais: dependência física, alucinações, irritabilidade, taquicardia, ansiedade, forte diminuição dos reflexos.
A venda ainda se faz hoje sob a forma de pílulas ou injectável, sendo considerado doping pela UEFA.

ADENDA:
CONFIRMA-SE O ÁRBITRO MANUEL MOTA PARA A MADEIRA!

Curiosidades das meias finais da Champions.

Avatar
 ●  + 8 comentários  ● 
 


"Treinador dos bávaros, treinador do Bayern, equipa de Jupp Heynckes, o alemão..."
Mas tratá-lo como 'ex-treinador do Benfica' nem pensar.
Fosse ele um treinador da 'estrutura' e não faltariam referências à sua passagem por lá.

Outra curiosidade da Champions deste ano é o facto de nas meias finais estarem presentes 2 ex-treinadores do Benfica contratados por...Vale e Azevedo. 
Além de vigarices, será que o homem até percebia de futebol também? :)



terça-feira, 23 de abril de 2013

Barcelona bringt die volle Tasche!

Avatar
 ●  + 28 comentários  ● 


Farmácias em Barcelona têm cortizona, hormonas de crescimento e testosterona em falta.
Governo da Catalunha em sobressalto.
Druida Povoix e Sundays Gomes oferecem os seus préstimos.

Rui Gomes da Silva responde ao COBARDE!

Avatar
 ●  + 17 comentários  ● 

E é como diz o Coluna..
RGS, é o maior defensor de todos os tempos
do 'Sport Lisboa e Benfica' nas televisões.




Pinto da Costa sem vergonha na cara!



Resposta aos outros...



Nota: E sobre a confissão do Casagrande (já com legendas em inglês),
o (cobarde) presidente do FCPorto nada diz!?

Fair-play é uma treta

 ●  + 11 comentários  ● 


Portugal, 23 de Abril de 2013

O Benfica ganhou ao SCP, o jogo teve a matriz táctica esperada, a arbitragem voltou a ser a tábua de salvação do SCP, enfim, pouco ou nada mudou relativamente aos últimos derbys.

Já é quase fastidioso mencionar o nosso 4-4-2 como causa dos problemas de articulação e fluidez de jogo, em particular quando jogamos em casa. Foi assim contra o Bordéus, foi assim contra o Newcastle, enfim, volta e meia quando jogamos contra boas equipas que se apresentam apenas com 1 ponta de lança, temos este tipo de dificuldades de, organizar e sobrepor o nosso jogo ao do adversário que coloca mais unidades no meio campo.

Os sportinguistas e os muitos analistas sportinguistas da comunicação social, pensaram então que o SCP estava a dominar os primeiros 20 mn, quando o que se estava a passar na realidade, era um ajuste de jogo fruto da superioridade numérica do SCP no meio campo (tal como o Bordéus e o Newcastle já referidos). Aliás quando na 2ª parte JJ tirou Cardozo (avançado) para meter Ola Jonh (médio ala, derivando Gaitan para o corredor central), reequilibramos as forças, marcamos o 2º golo e o jogo acabou ali...
A matemática dos modelos tácticos ainda é o que era...

Quanto à arbitragem, parece começar a estar impregnada na cabeça dos adeptos que, sempre que o Benfica não for prejudicado por erros de arbitragem, é sinal que foi beneficiado! Isto acontece porque (1) há agentes activos – comunicação social, dirigentes de clubes adversários - a propagandear a existência de supostos erros de arbitragem que beneficiam o Benfica, ao mesmo tempo que branqueiam erros de arbitragem contra o Benfica, erros que de facto são erros, com argumentos de que “o árbitro tem de decidir em fracções de segundo e não tem as repetições das televisões para o ajudar a decidir”. (2) Porque há agentes passivos – responsáveis benfiquistas – que uma vez mais não reagem, quiçá cumprindo ordens da Direcção do Sr.º Vieira. Não é por acaso que o Sr.º Jesualdo quando era treinador do Benfica nunca protestou uma das várias roubalheiras que lhe haveriam de custar o lugar, tais como Póvoa de Varzim e FCP, e olhem só como o “pássaro agora já canta”...

O SCP fala em particular de um lance de Garay sobre WW onde houve um toque na perna de WW que lhe provoca desequilíbrio (só se vê na TV e de ângulo que julgo que o árbitro não tem). Contudo WW teve sempre o controlo da jogada e conseguiu rematar, coisa que ao longo do jogo e em melhor situação, teve mais dificuldade. Para além disso, e uma vez que criticam o critério largo, há falta de Rinaudo sobre Lima na jogada que antecede esse lance.

Falam também de uma alegada carga de Maxi sobre Capel, em que o que se vê é que Maxi não sabe quem está atrás de si, mas Capel sabe que tem Maxi à sua frente. Visto e revisto o vídeo que a SAPO online disponibilizou, não consegui ver quem rasteirou quem. O árbitro imagino que também deva ter ficado sem saber, tão rápido é o lance. Imprudência de Maxi? Excesso de crença de Capel?

Não vi os analistas sportinguistas tão assanhados quando Soares Dias, na época passada, derrotou o Benfica em Alvalade com 1 penalty duvidoso, sem que antes, aos 3 mn, não quis ver 1 penalty de Polga sobre Gaitan, assinalando um canto que não viu (e que de facto não foi). Mais a expulsão perdoada a Ínsua por entrada em tackle sobre Bruno César aos 5 mn e a expulsão de Luisão com 2 cartões amarelos em duas faltas inofensivas e não tipificadas como perigosas pelo Regulamento de Arbitragem.

O SCP agarra-se à arbitragem para explicar uma época péssima, com 2 presidentes, 4 treinadores e uma carrada de jogadores contratados! Em vez de elogiarem a sua prestação e os grandes golos do Benfica, não! Agarram-se à ilusão e ficção da arbitragem! O fair-play é mesmo uma treta....

Ultrapassado SCP, ultrapassada mais uma “etapa de montanha” de 1ª categoria, falta uma outra e última “etapa de montanha”, também de 1ª categoria, que é no Funchal. Uma vitória nesse jogo, quase garante o título embora tenhamos de estar preparados para as etapas seguintes, adequadas a “roladores”...

Sobre o tema “gestão dos jogadores”, a substituição de Luisão na parte final do jogo, por dores musculares, a somar às incertezas de Gaitán que esteve diminuído na semana anterior, vêm dar razão, em certa medida, ao que escrevi antes. Contra o Paços devia ter sido feita outro tipo de gestão com 3/4 dos jogadores mais utilizados. Isso não foi feito por razões que só JJ poderá assumir e que na minha leitura se prenderam com as pressões da “estrutura” do Benfica. As tais intromissões dos tipos da estrutura dirigente ou que gravitam na sua órbita, tipos que como treinadores nunca ganharam nada, mas têm opiniões sobre tudo.

Vamos ver. O que se viu é que SCP sem competir desde a jornada anterior, apresentou-se fisicamente melhor, contrariando as opiniões que defenderam que isso não iria acontecer por não terem tido competição durante demasiados dias...

Um dos segredos da corrupção.

Avatar
 ●  + 26 comentários  ● 

Anónimo 23 Abril, 2013 11:39

POIS EU TENHO O TESTEMUNHO DE UM GRANDE AMIGO MEU QUE JOGOU NO PORTO (MARCOU UM GOLO NUMA FINAL EUROPEIA E MAIS NAO POSSO DIZER) QUE ME CONTOU TIM TIM POR TIM TIM COMO ERA FEITO TODO O ESQUEMA.ex: NOS TREINOS EU CORRIA MAIS,SALTAVA MAIS ALTO E CANSAVA-ME MENOS QUE TODOS OS OUTROS,QUAL O MEU ESPANTO NOS JOGOS A DOER ERA VE-LOS A VOAR A CORRER COMO MOTOS,ETC. AO FIM DE VARIOS JOGOS INTERPLEI O MEU MASSAGISTA QUANTO AO QUE SE ESTAVA A PASSAR E EXIGI O MESMO TRATAMENTO QUE ERA DADO AOS MEUS COLEGAS,O QUE ME FOI CONCEDIDO...E MAIS NAO DIGO.TIREM AS VOSSAS CONCLUSOES... DOMINGOS VIEIRA

Obra Prima do Benfica corre Mundo!

Avatar
 ●  + Sem comentários  ● 

THE GUARDIAN
Benfica's amazing team goal: three passes, two seconds – video





Benfica secure a 2-0 victory over rivals Sporting Lisbon on Sunday with a spectacular team goal. Leading the game 1-0 with 75 minutes on the clock, the ball found it's way to Nicolas Gaitan who turned away from defenders on the edge of the box before playing a one-two, then crossing to Rodrigo Lima who volleyed the ball into the net.   From the Guardian


Mais títulos sobre o derbi..

Esporte Interativo (Brasil) - "Gaitán faz jogadaça e dá linda assistência para Lima marcar golaço de voleio pelo Benfica"

Esportes Terra (Brasil) - "Benfica faz golaços em clássico e coloca a mão no título português"

Spor X (Turquia) - "Fenerbahçe, cuidado com o novo Di María"

Blick (Suíça) - "Heróis do Benfica deixam Portugal em delírio"

TN.com.ar (Argentina) - "Jogada à Messi de Nico Gaitán e golaço do Benfica"

Sport (Roménia) - "Nem Messi, Iniesta e Xavi fizeram isto. A melhor jogada coletiva do ano"

Sport (Espanha) - "Os 'Benfica Globbetrotters'"

recentes

ranking

Em Defesa do Benfica