O NOVO BLOG GERAÇÃO BENFICA é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade.

Translate

Quem tem a responsabilidade da derrota frente ao Zenit?

sábado, 20 de Setembro de 2014

Essa é a gente... a gente que sente o Benfica!

Lamento que haja gente que não saiba o que é "levantar o rabo da cama" para ir ao Caixa Futebol Campus ver os miúdos a jogar, não porque é um jogo que se vai vencer, mas porque são miúdos que jogam pelo Benfica no mais puro estado de entrega, dedicação e paixão.

Chamem-lhe "culto"! É isso, ver aqueles miúdos é uma espécie de "culto", uma lavagem de alma de quem ama o clube e ali vê o benfiquismo em estado puro.

É mais fácil compreender isto depois de ter usado o símbolo do Benfica ao peito e saber que não éramos nós que vencíamos, era... o Benfica. Porque sim! Eu tive essa felicidade.

É mais fácil perceber isto depois de ter acompanhado familiares nesse percurso da formação. Depois de ter visto a felicidade nos olhos de uma criança, de um adolescente que simplesmente já estava a ganhar porque tinha vestido a camisola e feito o grito.

Tenho algumas dificuldades em argumentar com quem não sabe o que isto é... simplesmente porque gostar de formação, para mim é gostar do Benfica e não de jogadores. Gostar de formação não é gostar do Nelson Oliveira ou Bernardo Silva... é gostar hoje desses, amanhã do Gonçalo Guedes, daqui a dois anos do Renato Sanches e do Guga, etc. Gostar de formação é gostar de quem sente o Benfica porque tem sonhos, ambições e porque joga com aquela camisola porque faz parte da sua pele.

Não percebo nem vou perceber essa teoria absurda que liga directamente a aposta na formação à não aposta em jovens de elevado potencial oriundos do futebol internacional. Não creio que alguma vez isso tivesse sequer sido dito.

Não percebo nem vou perceber essa teoria lunática que diz que apostar na formação é... abdicar de vencer títulos e ter resultados desportivos. Porquê? Humm... porque sim! Porque... coiso! Porque "algo diz" que se o Bernardo Silva estivesse a jogar no lugar do Talisca não tinhamos vencido em Setúbal ou empatado com o Sporting... eram duas derrotas. Porque alguem convencionou que o Nelson Oliveira não poderia ter sido opção na vez do Derley e do Jara, pois isso teria resultado em pior resultado desportivo. Porque o Ola John é que foi decisivo para encararmos este campeonato no pelotão da frente, algo que com Ivan Cavaleiro não teria sido possível.... Querem que continue?

NÃO! Lamento se não permito que vejam a formação como uma política binária em que ou se aposta na formação e são 5 ou 6 titulares ou não se aposta e então venham os Taliscas, os Derleys, os Ola John, os Benitos e todos os outros...!

NÃO! A formação complementa a estratégia não é nem pode ser a estratégia. A estratégia, como o BenficaEagle referiu e muito bem, é tem que ser: "apostar na potenciação de jovens talentos de nível mundial", Markovic, DiMaria, Ramires, Rodrigo, Oblak, Javi Garcia, Cristante, etc...

NÃO! Esses jogadores não estão a tirar lugar a ninguém da formação... esses jogadores são a estratégia do Benfica, mas o Benfica não consegue formar um plantel com 25 jogadores destes. O SLBenfica tem que ter também jogadores experientes como o Luisão e o Maxi e tem que ter pilares de classe como o Salvio, Gaitan, Aimar, Saviola ou Enzo.

E também tem que ter jogadores de potencial, que "nascem" na Luz e completam este "quadro", que avançam quando estão preparados e que são especiais para o Clube, para o treinador e para os adeptos. Especiais não porque têm que ter algo que não mereçam, mas porque o desenvolvimento destes dará mais ao clube em campo e nas finanças.

Está tudo bem até aqui... Ou seja, esta parte é aquela em que vemos depois chegarem jogadores como os 31 que chegarem nestes últimos 5/6 anos e que nada deram ao clube... e o que deram foi negativo. São esses e que estão errados! São essas ideias que não se percebem e que tapam o espaço dos jogadores da formação...

Nunca foi o Cardozo, nem o Rodrigo ou Lima que tiraram o lugar ao Nelson Oliveira. Foi o Funes Mori, o Jara, o Derley ou mesmo o Kardec quem nunca deu nada de relevante e tapou o espaço de continuidade ao Nelson. Haverá coragem para dizer que algum deles é melhor que jogador formado na Luz?

Não é o Enzo Perez ou Cristante, nem mesmo o Talisca (apesar de este ser inferior) que tiram o lugar ao Bernardo Silva... é, por exemplo o Pizzi por quem o Benfica deu 6M€ por 50%. Entre este e o Talisca estão 10M€ que não dão mais qualidade ao Benfica e tiraram o espaço a um jogador de tremenda qualidade como o Bernardo.

Não é o Gaitan, nem o Salvio que tiram o espaço ao Ivan Cavaleiro ou ao Guedes... é o Ola John ou o Bebé que duvido que com aquela camisola alguma vez façam melhor que o nosso miúdo - e logo esse que nem é nada de extraordinário. Mas se eu falar no Guedes, então parece-me inquestionável que aos 17 anos já é superior a qualquer alternativa que o Benfica tem ao Salvio ou ao Gaitan.

São apenas alguns exemplos. Não vale a pena recuar mais atrás por desonestidade, porque é a partir de 2011 que apareceram as gerações que começaram a dar frutos do investimento no Caixa Futebol Campus.

Levar as discussões para conversar esotéricas e falaciosas não leva a nada e só transformam esta discussão numa temática estúpida como se defender a formação signifique não defender uma política de aposta em jovens jogadores de potencial mundial. Como se defender a formação signifique que os jogadores mais experientes não têm lugar no clube.

Defender a formação é defender o SLBenfica...

E como há gente que até conhece bem as terras de Sua Majestade, essa gente há-de explicar-me porque o "berço do futebol" entende este novo modelo de adepto que acha que por ele até podem ser 11 chineses desde que se ganhe está então a estragar o futebol e a empobrecer/endividar os clubes - sim, até o Benfica! Porque será que Inglaterra, que está tomada por oligarcas multimilionários que fazem "rodar a economia" quer agora impor limites aos estrangeiros e obrigar as equipas a apostar, imagine-se... na formação!

É tudo parvo, só pode! Então os "pais do futebol" vão estragar a melhor Liga do Mundo? Como diria o outro, "olhe que não Sr. Dr, olhe que não".

Se eu terminasse aqui, eu diria que "há gente" que talvez quisesse finalmente perceber o papel que a formação pode ter na sustentabilidade do SLBenfica e do futebol português.

Porém, não posso terminar sem responder a algumas pessoas sobre a hipocrisia que sustentam os argumentos que defendem e fazem compreender que Jesus não aposte no Nelson Oliveira, num momento em que é óbvio que é um sector com efectivas carências.

Há gente que não percebe o que diz quando refere que "Jorge Jesus está no Benfica para defender os interesses da equipa, e não para defender os interesses do jogador A ou B".

NADA DE MAIS ERRADO! Jorge Jesus (ou qualquer outro) está no Benfica para defender os interesses... DO BENFICA, não dá equipa. A equipa é e será o que defender os interesses e objectivos não dele, não daquele grupo de jogadores, mas do Benfica e dos benfiquistas.

Não pode Jesus ficar refém da sua opinião sobre Nelson Oliveira ou qualquer outro?
NÃO SÓ PODE, COMO TEM QUE FICAR!


Não fui eu que disse isto: "Ainda tem muito para aprender, mas isso só se consegue com trabalho, mesmo sem bola, comigo" ou isto "Vai ser o futuro da selecção. Isso não tenho dúvida. Pode ser já ou não, mas não tenho dúvida que vai ser ele". Podem recordar melhor o contexto aqui: E este, Jesus? Vale Milhões... ou não te sentes capaz?

A Jorge Jesus não se lhe poderá pedir que fique refém disto, no dia em que disser... o contrário disto! No dia em que disser que quatro meses depois destas frases dispensou o Nelson Oliveira para o pior clube da primeira Liga Espanhola e depois para um clube de meio da tabela em França porque afinal o Nelson não tem qualidade para mais que isso...

No dia que Jorge Jesus tiver a coragem de dizer que o tempo de Nelson Oliveira passou, que o jogador não treina com a qualidade que deveria, que Derley, Funes Mori ou Jara são superiores ao jogador que, outrora ele classificou como acima, ou no dia que explicar o que mudou naqueles 4 meses que fizeram o Jesus descer o Nelson Oliveira do Olímpo ao... Inferno.

Nessa altura, todos seremos obrigados a calar-nos para sempre!

No dia em que se perceber como alguém passa do futuro (SEM DUVIDA) da selecção e do Benfica para um jogador dispensado em 4 meses... então seguramente que Jorge Jesus não poderá ser refém do que diz.

Bem sei que a opinião de muitos - eu não sei porque o Jesus tem medo de abrir os treinos (mas pelos vistos há muitos que sobrevoam de drone e sabem tudo - é que o Nelson Oliveira não se aplica nos treinos, que é maniento, que isto e mais aquilo... Mas eu pergunto:

O Nelson Oliveira ficou assim entre Abril a Maio de 2012? De Junho a Março/Abril foi um atleta dedicado e trabalhador, mas depois em três/quatro meses foi tão mau e tão oposto ao que Jesus dissera que... foi dispensado durante dois anos?

Algo não bate certo nesta história... e sim, a Jesus devem-lhe ser cobradas essas e muitas outras palavras, pelo menos até ao dia que o contrário do que ele dissera possa ser compreendido como mais que um capricho, teimosia ou embirração do treinador do Benfica, o mesmo que dispensara Ola John para integrar Ivan Cavaleiro e que seis meses depois faz o seu inverso sem o português tivesse estado abaixo do desejado ou o holandês feito uma boa época na Alemanha.

Já agora, para quem quiser perceber mais este exemplo de incoerência, o Jesus quando fez a primeira aposta no Ivan Cavaleiro disse: "apostei nele porque vi qualidade para apostar nele". Então? Será que depois fechou os olhos ou, tal como o Nelson, perdeu qualidades em dois meses?

Olha, eu não sou nem nunca serei treinador nem ninguém com responsabilidades no Benfica e até a mim me são cobradas as opiniões. Porque não hão-de ser ao treinador que eu (será que essa gente também?) ajudo a pagar com as minhas quotas e RedPass???



Será que Jorge Jesus não pode ficar refém do que diz? PODE E DEVE!...

sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Coisas que Jorge Jesus me pediu para dizer aqui

Há gente para quem, MUITO de quando em vez, aquilo que Luís Filipe Vieira sugere como politica desportiva do clube é a politica acertada, especialmente quando se fala em aposta na formação. O que faz sentido, até porque LFV tem já no seu curriculum 14 anos de sucessos desportivos inquestionáveis, que atestam do seu profundo conhecimento em matéria de futebol e que credibilizam qualquer caminho que sugira... 

Há gente que jura até já ter já ouvido LFV dizer publicamente  que ele próprio assumirá as responsabilidades de qualquer fracasso desportivo fruto da  OBRIGATORIEDADE na aposta na prata da casa, e o treinador estará sempre a salvo de qualquer despedimento se os resultados não forem o que os adeptos idealizam.

Há gente que gosta de pegar e de fazer disso lei (mas só quando dá jeito) naquilo que em certo momento Jorge Jesus disse... Coisas tipo, Jorge Jesus ter de gerir o Benfica refém de ter um dia dito que Nélson Oliveira era o futuro do Benfica... Como se algum dia JJ pudesse, mesmo que achasse o contro﷽﷽﷽﷽﷽﷽﷽﷽s tem de se tornar escravo dessa afirmaçjJesus . E quem lhe d (e nguse, ter dito que Oliveira era um engano e com ele ário, ter dito que Oliveira era um engano e que com ele só havia passado...

Há gente que pensa, que como um dia se disse que o Nélson era o futuro, Jorge Jesus tem de se tornar escravo dessa afirmação, e que então, por orgulho e casmurrice, se disponha até a prejudicar os interesses da equipa que dirige, apostando no Nélson só porque sim, só porque tem de provar ao mundo que sabe ensinar um maneta a tocar guitarra (e não estou a chamar  maneta ao Nélson), mesmo em detrimento de outros elementos que também treinam no duro, têm mais qualidade, são mais comprometidos e solidários, e fazem por merecer bem mais oportunidades.

Há gente que não percebe que cada elemento que chega ao Benfica pela mão de Jorge Jesus, chega porque em certo momento o treinador lhes viu futuro... Está implícito, não precisa de se dizer! E que o futuro do Nélson não tem prioridade em relação ao futuro de nenhum outro.

Há gente que não percebe que Jorge Jesus se engana, como até o Deus Mourinho se enganou em “artigos” bem mais dispendiosos como Shevshenko, Shaun Wright Philips, Malouda ou Quaresma!

Há gente que não questiona como é que o Deus da formação e da potenciação – o Mourinho – não conseguiu formar o Quaresma no Inter, o David Luís e Lukaku no Chelsea, ou como dispensou do Chelsea um jogador como Robben para ir buscar um Malouda! Há gente que não percebe como é que o Deus da formação – o Mourinho – fez do melhor jogador do Liverpool (Sturridge) um dispensado seu.

Há gente que não percebe que no Benfica têm de jogar os melhores, independentemente das origens. O que não invalida eu próprio reconhecer que já vi erros de casting graves, e que se calhar há na formação jogadores bem melhores do que outros que têm chegado e partido sem nos dar tempo sequer de decorar o nome.

Há gente que não percebe que o mundo se está cagando se formação é pegar em jogadores de 18 anos que vêm de dentro ou de jogadores de 18 anos que vêm de fora.

Gente que se está cagando se formar é ser capaz de ensinar um maneta com ares de vedeta a tocar guitarra, ou tornar um guitarrista mais talentoso, mais empenhado mas a precisar de um Mestre que o ajude a dar o último passo, num guitarrista de classe mundial.

Gente que se está cagando se André Gomes e André Almeida contam como formação ou se não contam, e gente que se está cagando para quem ache que formar só conta se for ir buscar à equipa B, jogadores que tenham chegado à B provenientes da equipa C ou da Z.

Há gente que não percebeu ainda que Jorge Jesus é responsável pela equipa principal do Benfica. Não é responsável pela preparação ou falta dela, com que os miúdos da formação chegam ao seu patamar de ação, talvez prontos ou talvez não, a corresponder às exigências que o futebol principal do Benfica exige.

Há gente que acha que tem muito olho para a coisa, e que sei lá, só porque sim, acha ser capaz de ver talento onde mais ninguém vê... Gente que vê talento em David Simões, Mários Ruis, Miguéis Rosas, Miguéis Vítors, Luís Martins, gente até que imagine-se, numa hora defende o Nélson Oliveira, numa outra diz que o Cardozo não presta, e numa outra ainda também exige (e tantas foram as prosas a pedi-lo) a contratação do coxo do Éder pelo Benfica! Justiça seja feita, que desde o mundial passado não houve mais coragem para a insistência e o nome Éder desapareceu miraculosamente deste blogue.

Há gente para quem há 3 anos atrás Tiago não servia para o Benfica porque estava velho, porque o Benfica não precisava (tanto não precisava que uma semana depois foi buscar Witsel, um Tiago mais refinado) e agora tem a gente de gramá-lo em grande forma, 3 anos mais velho, e ainda assim vê-lo jogar com a classe e maturidade que só escapa aos mais desatentos! Que grande contratação teria sido, numa altura em que ele quase implorava para voltar a Portugal!

Há gente que vê os jogos todos, todas as equipas do Benfica desde o berço até à terceira idade, e não tem pejo em classificar uma série de nomes, os com potencial, os com muito potencial, os de semi potencial e os potencialmente perigosos, uma pena porém que, apesar de tanto jogo visto e de tanto abrir de olhos quanto ao mexilhão que vem do viveiro da Luz, só tenham começado a classificar João Teixeira na hierarquia deste viveiro, no dia em que Jorge Jesus o levou à equipa A. Mas também é normal que tenha escapado, afinal o João Teixeira só está no Benfica desde 2005!

Há gente que não percebe que Jorge Jesus está no Benfica para defender os interesses da equipa, e não para defender os interesses do jogador A ou B, ou pela missão de fazer do Nélson Oliveira um jogador de futebol.

Há gente que não percebe que no dia em que LFV não estiver contente, só tem de “mandar” o treinador embora. Não há que inventar guerras que não existem, até porque provavelmente LFV já terá percebido, que o Benfica precisa muito mais de Jorge Jesus neste momento, do que Jorge Jesus precisa do Benfica!

Mesmo que não o fosse no plano desportivo, sê-lo-ia sempre no plano financeiro.

EXCLUSIVO: Facturação da Benfica SAD aumentou 270% em 10 anos.

Fonte: Relatórios e Contas da Benfica SAD (2010-2014)
 
 
A Benfica SAD passou de uma facturação anual de 50M€ para 185M€, nos últimos 10 anos.
 
A facturação da Benfica SAD cresceu 270%, nos últimos 10 Anos.
 
A Benfica SAD neste momento factura mais do que a Porto SAD e a Sporting SAD juntas.
 
Desde a época passada (2013-2014), o Benfica assume-se, de forma inequívoca, como o clube mais forte em Portugal a nível financeiro.


Durante o "reinado" de Director Desportivo de Luís Filipe Vieira e de José Veiga o Benfica não apostava na potenciação de jogadores, e apresentava fracas performances nacionais e europeias. Como conclusão, os resultados financeiros eram também medianos.

Há cerca de 7 anos comecei a manifestei-me contra a política desportiva que era seguida, e que foi invertida aquando do surgimento do Benfica Stars Fund e da entrada de Rui Costa como Director Desportivo e de Jorge Jesus como Treinador Principal, e desde então o Benfica começou a apostar na potenciação de jovens talentos de nível mundial, e tudo mudou:
- os resultados financeiros dispararam (crescimento de 270% em 10 épocas)
- os resultados desportivos nacionais melhoraram (8 títulos nas últimas 5 épocas)
- os resultados desportivos europeus melhoraram (TOP5 do Ranking da UEFA e 2 finais europeias nas últimas 5 épocas).

 É sempre bom relembrar a história recente do Sport Lisboa e Benfica.

A eterna questão que Jesus terá de responder, mas não a Mourinho... A LFVieira!


A propósito dos jovens das selecções nacionais jovens portuguesas não serem titulares e aproveitados nos clubes portugueses, o Mourinho aproveitou para disparar mais uma vez sobre o Jorge Jesus, como aqui escrevi ontem: "Aqueles que dizem que encontram jogadores no Chiado, e em Chelas, e que fazem deles os melhores do mundo, que agarrem nestes miúdos e façam deles os grandes craques."

É incompreensível que os jovens de valor portugueses não tenham oportunidades, mas é mais ainda que um Clube que tem nas suas fileiras João Cancelo, Bernardo Silva, Ivan Cavaleiro, Gonçalo Guedes e Nelson Oliveira e não tem, neste momento, nenhum deles como opção válida para a equipa principal... mas foi capaz de "entregar" ao futebol europeu jogadores que chegaram como desconhecidos e até "sem futebol" sequer para o Benfica no primeiro (ou primeiros) anos em Portugal.

Podemos discutir sobre os prismas e vectores que quisermos a qualidade de qualquer um destes atletas! Porventura, podemos até concluir que nenhum deles tem qualidade para o SLBenfica (sim, haverá obtusos firmes o suficiente para o dizer), mas há algo que é indesmentível:

- NUNCA JORGE JESUS "agarrou nestes miúdos"... e menos ainda quis incorporara a missão de "fazer deles os grandes craques."

Podemos apontar o dedo ao Mourinho, podemos justificar que estarão emprestados e que voltam para o Jesus apostar "agarrar neles", podemos fugir à questão e dizer que o Guedes ainda vai a tempo, podemos dar como exemplo muitos outros que não apostam também, podemos até dizer que quem aposta não ganha...

... Encontrem as desculpas que quiserem! Mas Jorge Jesus só poderá reclamar verdadeiramente para si o sucesso de potenciar jogadores (ou potencializar, como ele diz) quando não precisar de jogadores que lhe aparecem já catalogados com o potencial e até a rodagem necessária, precisando sim de um treinador que tenha uma brilhante capacidade táctica para todas as suas qualidades sejam exploradas com a dimensão que temos visto em jogadores que agora evoluem na Europa do futebol.

Formar jogadores é isso!
... O resto é ter, como José Mourinho diz, uma prospecção de classe mundial como tem o Benfica, capaz de descobrir os melhores (porém desconhecidos) jogadores e depois "dar-lhes um banho de táctica também de classe mundial!

Jesus nunca deslocará da sua classificação de grande treinador que faz jogar fantásticas equipas mas com jogadores de muita qualidade que lhe são entregues "já prontos" para a última etapa, aquela em que Jesus é "mestre".

NUNCA DESCOLARÁ DISSO, ENQUANTO NÃO O VIRMOS TENTAR E LUTAR PELOS NOSSOS JOGADORES NASCIDOS NO BENFICA, PELOS JOGADORES À BENFICA E DO BENFICA!

Jesus nunca lutou por estes e todos sabemos que nunca lutará por outros. O Guedes, porventura, terá um dia algumas oportunidades, mas se for capaz sozinho de chegar à tal última etapa em que aí sim o Jesus pegará nele e o fará integrar uma equipa que joga muito e onde ele poderá jogar muito... mas se lá chegar a jogar muito.

APOSTAR NA FORMAÇÃO NÃO É "FAZER CRISTIANOS RONALDOS"! Apostar na formação é "fazer" jogadores que serão titulares uns (poucos, porventura), opções outros e apenas alternativas outros ainda. Isto é apostar na formação!

Bem sei que é cómodo dizer que não se aposta na formação porque não temos ali 11 titulares ou que quem sai dali não pode ser titular do Benfica... dá jeito! É um argumento universal! Esquecem-se é das "apostas" que são feitas em jogadores que, não tendo qualidade continuam a jogar no Benfica e outros que ainda não terão essa qualidade e vão jogando para a ter... Isso é matar qualquer aposta na formação, escondidos atrás de um pseudo-argumento que a formação não tem jogadores preparados, que a exigência na equipa principal é grande (como se quem vem de fora andasse a mostrar mais que eles).

Métodos à FC Porto.



"Carlos Martins já não é jogador do Benfica, tendo rescindido o vínculo contratual que o ligava às águias até 2015/16 na última terça-feira, ou seja, no dia em que a equipa da Luz recebeu e perdeu com o Zenit, a contar para a primeira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões.

A SAD liderada por Luís Filipe Vieira acaba de resolver um dossiê que se encontrava pendente há largos meses, dado que o médio português não fazia parte dos planos de Jorge Jesus e estava a treinar-se com o grupo de trabalho do Benfica B. O processo que culminou com a rescisão do contrato de Carlos Martins foi mediado pelo Sindicato dos Jogadores. Após diversas rondas negociais, a situação conheceu finalmente fumo branco esta semana." - Record.

A direcção chegou a acordo e fez bem. 
Lamento é que existam pessoas que continuam a ter muita admiração pelos métodos à "FCP" quando se trata de resolver casos bicudos. A vandalização da casa do Carlos Martins demonstra isso. 
Quem fez isto são benfiquistas? Não. São atrasados mentais.

As Finanças dos 3 Grandes (2013 a 2015)

No actual exercício económico, até Junho de 2015, os 3 Grandes devem vender os seguintes jogadores:
O Benfica deve vender o Enzo Perez e os 3 jovens da formação (Bernardo, Cavaleiro e Cancelo).
O Sporting deve vender William Carvalho.
O Porto deve vender Jackson Martinez.
 
Atendendo a estas possíveis vendas, de 2013 a 2015 (2 épocas consideradas) os Proveitos totais e Custos totais das SAD's dos 3 Grandes poderão ser os seguintes:
 
----------------- SLB ---- FCP ---- SCP--
Proveitos --- 380M€ / 255M€ / 135M€
Custos ------ 335M€ / 300M€ / 125M€
Saldo ------- +45M€ / -45M€ / +10M€
 
- A Benfica SAD poderá facturar praticamente o mesmo que as SAD's do Porto e do Sporting juntas, no somatório das 2 épocas consideradas.
 
- A Benfica SAD poderá ter em 2 épocas uma diferença de 90M€ face à Porto SAD ao nível dos resultados económicos (lucros/prejuízos), e uma diferença de 35M€ face à Sporting SAD.
 
A Porto SAD, neste momento, é a única SAD dos 3 Grandes a viver acima das suas possibilidades, e devido aos prejuízos acumulados terá de transferir 50% do Estádio para a SAD para não ficar afastada da Champions League em 2015/2016, como já tinha sido adiantado neste Blog. Essa operação irá decorrer através de um aumento de capital de 37,5M€ da Porto SAD, por via da "aquisição/incorporação" de 50% da EuroAntas SA.


Nota: Além das SAD's, no somatório de 2 épocas, existem cerca de 40M€ a 50M€ de proveitos e de custos nos R&C individuais dos clubes.

Entrevista a DSO: "Somos os primeiros acima dos 200 milhões de euros"

Após divulgar à CMVM um resumo das contas anuais de 2013/14 com resultado positivo de 14,2 milhões de euros, o dirigente sublinha o crescimento das receitas apesar do aumento de custos.

Soares de Oliveira adopta discurso tranquilo quanto à situação económico-financeira do Benfica.

Um exercício positivo após cinco negativos é fulcral para cumprimento das regras de fair-play financeiro?
Não nos passa pela cabeça não cumprir esses critérios, mesmo nos dois anos passados em que tivemos resultados ligeiramente abaixo do breakeven. O destaque nas contas do ano passado é que o Benfica é o primeiro clube português a passar a barreira dos 200 milhões de euros em termos de proveitos consolidados. Para nós representa um crescimento muito significativo e, graças a isso, mesmo com o crescimento dos custos, conseguimos o resultado de 14,2 milhões de euros. Daqui em diante é de esperar que os proveitos continuem a ter uma relevância muito significativa mesmo em termos europeus e que o Benfica continue a cumprir os critérios de fair-play financeiro. 

Nos dados divulgados não estão as estruturas de receitas, gastos, situação da dívida financeira, empréstimos obrigacionistas, entre outros. Como estão esses itens?
Os resultados foram apresentados de modo mais resumido, no caso do universo da SAD, porque o Benfica tem a sua assembleia geral de aprovação de contas no próximo dia 26 e, para esse acto, foram apresentados os resultados não só do Benfica como clube, mas também como detentor da maior parte do capital das várias participadas. Do ponto de vista prático temos de incorporar no Sport Lisboa e Benfica o método de equivalência patrimonial em relação a cada uma das empresas participadas. Logo não faz sentido os resultados da SAD valerem X no clube sem divulgar alguma informação. No final do mês de Outubro, altura da aprovação de contas da SAD, será feito o relatório detalhado. O destaque vai para o crescimento de receitas acima dos 50 milhões, passando de 156 milhões de proveitos consolidados para um valor próximo dos 204 milhões. Aqui o papel das receitas televisivas foi muito importante com um salto de 255% face aos proveitos tradicionais e as outras rubricas, excepto na venda de jogadores, não há variações significativas. 

E os custos?
Mantiveram-se sem grandes variações com excepção de salários do plantel, pois existe grande variação na massa salarial associada aos ganhos desportivos: vencer todas as competições menos a Liga Europa leva a que, da equipa técnica aos jogadores, haja aumento dos gastos com pessoal no exercício. Mas há uma correlação interessante que, por hábito, se pensa ser o inverso: prova-se que é possível conjugar bons resultados desportivos e económicos. 

Os empréstimos obrigacionistas que estão a vencer vão ser renovados?
Depende daquilo que seja o diálogo com as entidades gestoras desses fundos. Até aqui tem havido interesse no chamado ‘revolving', pois os detentores das obrigações ganham dinheiro e para o Benfica é uma fonte de financiamento. Como é sabido há alterações na estrutura de gestão do Novo Banco, nos próximos dias por certo iremos conversar, mas não temos qualquer preocupação sobre esse assunto - se a entidade mantiver a ideia de que é um investimento interessante estaremos disponíveis para o ‘revolving'; caso contrário liquidaremos esses obrigacionistas.

O Espírito Santo Liquidez tem linhas de obrigações do Benfica, no valor de 67,7 milhões, a vencer em Outubro e Dezembro: como vai amortizar esses casos?
Temos posição de caixa confortável, porque o conjunto de vendas do ano passado permite posição forte de tesouraria e olhar para o ano em curso de forma equilibrada, não há necessidades adicionais de financiamento, gerimos bem as coisas com os intercalares da parte da banca portuguesa. Se for preciso um reembolso em Outubro será feito; caso se considere um novo mecanismo de financiamento não há problema. Há em curso investimentos como o papel comercial que tem corrido muito bem: abrimos há alguns anos com 30 milhões, neste momento é de 20, mantém-se a tendência de reembolso e tem havido vontade das partes em renovar porque é vantajoso para todos. 

Há dados novos sobre o empréstimo à SGPS?
Não, nem nos preocupa de forma excessiva. Integra-se na gestão corrente, em certo momento será necessário tomar decisões, mas ainda não chegámos lá.

O ‘project finance' está assegurado?
Não temos qualquer incumprimento em relação aos últimos 12 anos, desde que o estádio está construído. Essa é uma grande vantagem do Benfica quando dialoga com entidades financeiras nacionais ou estrangeiras, ou seja, não representamos uma só imparidade. Como nos dizem, o Benfica não é uma imparidade, mas um tema mediático. Notícias que têm saído são falsas, não há problema com o ‘project finance', o papel comercial mantém-se, os empréstimos obrigacionistas são reembolsados nos prazos, fazemos ‘revolving' de forma natural, temos entidades financeiras a trabalhar com o Benfica no plano nacional e internacional...

Mas aumenta o endividamento...
Sim, mas os proveitos crescem mais depressa. Entende-se que o modelo de desenvolvimento do Benfica necessita de investimento constante na compra de jogadores, isto é, deixámos o cimento (estádio, academia e Benfica TV) e passámos para as pernas, algo que tem de ser renovado. Muitas vezes olha-se para as contas dos clubes e, como no caso do Benfica, diz-se que o passivo aumentou, mas ninguém refere que o activo cresceu muito mais. Procuram-se ‘sound bytes' e nunca ouvi um comentador falar em activos, seja do Benfica ou de outros clubes. Isso tem de mudar, pois as pessoas devem perceber que esta é uma indústria séria com temas sérios e só assim se justifica que, num país em crise, numa Europa em crise, este clube passasse da facturação de 40 milhões, em termos consolidados, há 10 anos para superar este ano os 200 milhões. Somos um dos 20 maiores clubes da Europa, estamos nos cinco melhores do ponto de vista desportivo e não conheço outra empresa que, com resultados destes, seja tratada como um negócio menos sério. 

A dívida financeira era de 296 milhões no terceiro trimestre, sendo 64% de curto prazo. Esse dado não pressiona as necessidades de financiamento?
Não, pois não é uma situação nova. O facto de trabalharmos com instrumentos financeiros com renovação em prazos de seis meses a um ano leva a que analisemos a dívida como sendo de curto prazo, mesmo que não na totalidade. 

Qual é o nível do rácio de gastos com pessoal/amortização de passes face ao volume de negócios?
Está no habitual para o Benfica. Pretende-se que seja entre os 50 e 70% do volume de negócios. Se olharmos do lado da SAD está mais perto da barreira de cima; se for olhado do universo consolidado está muito abaixo dos 50%. 

Os fluxos de caixa têm sido insuficientes para pagar juros. O Benfica está a mudar nesse sentido?
Os fluxos de caixa dependem muito do que são as transacções com jogadores. Em 2012/13, face à decisão de não alienar os jogadores principais, isso representou esforço adicional do ponto de vista de caixa, mas essa situação vai ser invertida com as vendas feitas agora e, mesmo que não quiséssemos, seria preciso por causa do fair-play financeiro. No caso de clubes ricos como PSG e City as multas são só mais um custo, mas para os clubes portugueses não há espaço para esse incumprimento. 

Fechar o Benfica Stars Fund era inevitável?
Termina a 30 de Setembro e havia vários cenários: renovação (fomos cautelosos pois não entendemos até onde irá o ataque aos fundos por parte da UEFA e não controlamos o que aí vem) ou não prolongar, podendo voltar a fazê-lo, pois deve ser visto como diversificação de financiamento. Podíamos deixá-lo chegar ao fim sem renovação e os diversos detentores de unidades de participação ficavam com activos do fundo - jogadores e posição de caixa - e não quisemos que passes como o de Gaitán estivessem repartido por nós e sete ou oito entidades, não seria gerível. Restava a opção de comprar as unidades de participação por preços razoáveis e, ao pagar 28 milhões, não significa que estejamos a valorizar os passes nesse montante. Os passes correspondem a oito milhões e tudo o resto é liquidez e contas a receber que o Fundo tem. Foi um projecto interessante, é um instrumento que bem gerido, com regras claras e informação prestada à CMVM e unidade de participação sempre ajustada, é um sistema equilibrado.

A cedência de jovens formados na Academia é uma estratégia para aposta posterior?
O grande debate para qualquer clube formador gira em torno da transição do futebol jovem para o profissional, mas outro desafio se coloca no patamar de exigência num clube como o Benfica. Em alguns casos, o jogador deve permanecer e fazer mais um ano na equipa B e outros em que não será o sítio certo para os desenvolver, rodando em Portugal ou fora em equipas de topo. São estes os casos de Cavaleiro, Bernardo e Cancelo. Esperamos que essa passagem dê frutos para todos, sobretudo para os jogadores.

Há um ano admitiu a saída de um jogador até final do exercício. Saíram dois e, depois, Oblak, Garay, Markovic, Cardozo. Alguma razão forçou tantas saídas?
Impacto nas contas de 2013/14 há que separar as transacções até 30 de Junho e as posteriores. São razões de mercado: os clubes portugueses dependem da sua capacidade de realizar mais-valias com venda de jogadores e procuramos a optimização do momento máixmo de valorização. Casos de Rodrigo e André Gomes já estavam muito próximos dessa questão e saíram no momento certo. Quanto aos cedidos no Verão é diferente, pois há casos de final de processo de desenvolvimento de carreira (Cardozo), procurando-se refrescar o plantel com sangue novo e valorização significativa nos próximos anos; outras são casos de bom negócio e, na maior parte dos casos deste Verão, a execução de cláusulas de rescisão, sendo obrigatório respeitá-las.

A saída de Garay pelo preço que foi teve a ver com um compromisso em Janeiro que foi adiado?
Havia interesse em mantê-lo (e creio que não existia compromisso para saída em Janeiro), bem como aos principais activos, decisão tomada no Verão do ano passado, no sentido de alcançar vitórias não conseguidas em 2013. Foi uma decisão de risco controlado, mas Garay estava no último ano de contrato e, entre mantê-lo contra a sua vontade, não realizar qualquer mais-valia ou deixá-lo sair pelo valor possível, o assunto está feito e encerrado.

Entende que os adeptos tenham ficado com a ideia de que o Benfica tinha ‘obrigação' de ganhar a Liga Europa?
O Benfica tudo fez para ganhar a final. Se nos lembrarmos das equipas que ficaram para trás e do dramatismo do jogo com a Juventus, 15 dias antes da final, podia dizer-se que, da mesma forma que o Benfica tinha ‘obrigação' de ganhar a final, a Juventus tinha ‘obrigação' de ganhar ao Benfica que acabou com nove. Mas o futebol é incerteza e, não estando felizes, cá estaremos para voltar a finais e ter mais condições a ganhar troféus.

A BTV teve receitas brutas de 28,1 milhões. Os custos estão perto dos nove milhões como há um ano?
Não houve grandes variações. A estrutura de custos tem a ver com pessoal e compra de conteúdos, pois a produção de jogos, mesmo com imagens de helicóptero, não custa mais de 20 mil euros. A estrutura de pessoal não se modificou, mesmo o lançamento do segundo canal fez-se sem mais pessoal e não houve compra de conteúdos adicionais. Perdemos o Brasileirão, mas talvez venhamos a ter outros conteúdos internacionais interessantes. Logo no primeiro ano, a BTV teve resultados que esperávamos, batendo a proposta da PPTV/Olivedesportos. Não queremos fazer concorrência, mas ir buscar conteúdos que nos permitam pagar com receita adicional que só pode vir por maisassinaturas ou aumento do valor, algo que não está previsto.

Qual é o número de assinantes?
Estamos outra vez perto dos 300 mil, também por acção do Benfica-Sporting no começo. O pico mais baixo foi cerca de 200 mil.

Expansão para outros mercados?
Já temos acordos para 120 países. No caso da BTV foram definidos 12 países no âmbito da Lusofonia e está, por exemplo, em Angola, Moçambique, França, Luxemburgo, Brasil, EUA.


Era escusado este "bate-boca" (parte II - a formação)

Como se não bastasse o que é referido no tópico anterior Era escusado este "bate-boca", o Mourinho ainda foi mais longe e desferiu mais um duro golpe abaixo da cintura de Jorge Jesus com a formação.

O treinador do Benfica, pelos vistos, encontrou ali um inimigo de estimação, e vai daí sobre a selecção José Mourinho sai-se com isto:

Lembro-me de uma coisa que no outro dia discutimos durante o estágio, com os nossos jogadores brasileiros, em especial com o Oscar, que jogou a final do Mundial sub-20 contra Portugal. Eu perguntava-lhe: quantos brasileiros dessa equipa é que já foram internacionais A? Ele começou a contar e chegou aos oito, mais dois ou três, como o Neymar, que tinham idade para estar no Mundial mas já estavam na seleção principal. Portanto, estamos a falar de dez ou onze jogadores para a seleção A. Depois fiz a mesma pergunta ao Rui e ao Silvino: quantos portugueses chegaram à seleção A. E o Oscar perguntava: onde é que anda aquele rapaz muito rápido que jogava lá na frente, o Oliveira? E eu nem lhe soube responder onde é que andava o Oliveira... Só lhe soube dizer que esteve no Europeu há dois anos, e que agora não sei onde anda


Aqueles que dizem que encontram jogadores no Chiado, e em Chelas, e que fazem deles os melhores do mundo, que agarrem nestes miúdos e façam deles os grandes craques. Porque, principalmente para quem está fora, é triste ver Portugal, neste momento, a não conseguir ganhar à Albânia

Saem mais dois ferros curtos para o Jesus!

Eu discordo em absoluto deste bate boca! Não percebo, como fui o primeiro a referir, o motivo pelo qual o Mourinho lançou este ataque em direcção ao Jesus.

Agora, neste tema em concreto, não posso discordar do treinador do Chelsea! Há efectivamente muito valor no futebol de formação em Portugal, contudo, quando chegam às equipas principais não há coragem para apostar neles e o Mourinho até está à vontade para falar disso porque, como refere e bem, foi formar a equipa dele com jogadores do Setubal, Leiria, Belenenses, Salgueiros, Alverca, Boavista....

quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Era escusado este "bate-boca".


"José Mourinho respondeu esta quinta-feira a Jorge Jesus, que disse que o treinador do Chelsea conhecia tanto Talisca como ele próprio conhecia o d`Artagnan.

«O Benfica, vou ser mais explicito para os menos inteligentes perceberem claramente
Tem boa estrutura de observação, com gente que conheço bem, tem um presidente ´chapeau´, por ter essa capacidade de dar ao treinador bons plantéis e bons jogadores. Não gostei de um colega de profissão ter duvidado das minhas palavras. Mas fico contente por perceber que ele lê Alexander Dumas, ao contrário de mim. Limito-me a ler, quando posso, a gramática portuguesa, para um dia não me acusarem de andar aos pontapés com ela. Parece que é íntimo com o D´Artagnan, ele anda a ler Dumas. Eu limito-me à minha identidade. Não leio Dumas. Tenho uma vida diferente, um nível cultural diferente, procuro educar-me e procuro um dia não ser acusado de andar aos pontapés ou de andar a agredir a pobre da gramática», afirmou em entrevista à TVI.

Mourinho diz que o Chelsea já segue Talisca há dois anos e que o Benfica ficou bem servido com o médio brasileiro:

«O Chelsea desde 2012 que seguia dois jogadores: o Talisca e o Mario Pasalic. E como nós o Benfica e de certeza muitos outros clubes. O Benfica conseguiu contratar um excelente jogador. Ótimo para o Benfica, para o futebol português e para o rapaz, que foi para um clube gigante»." - A Bola.

Sinceramente era escusado JJ ter provocado esta troca de palavras. Aliás, JJ anda a provocar desde a entrevista ao SOL no final da temporada, quando o confrontaram com as suas palavras sobre quem era o melhor. Basta olhar para os currículos de cada um. 

Mourinho também não perdeu a oportunidade de ainda alfinetar mais JJ quando se refere aos treinadores convidados a participar nos foruns de Elite da UEFA. Uns estão lá porque têm no currículo troféus europeus e campeonatos ganhos por essa europa fora, ao mais alto nível, e outros estão porque treinam clubes de elite porque currículo...não têm.

Resumidamente, era escusado tudo isto mas a basófia de Jorge Jesus face a Mourinho algum dia teria que dar em "bate-boca". Espero que tenha servido de lição.

Benfica SAD com lucro superior a 14M€ em 2013/2014

 

 
Atendendo aos resultados parciais comunicados à CMVM, verifica-se uma boa evolução da Benfica SAD, com aumento de 45% dos Rendimentos Operacionais (com jogadores) no espaço de 2 épocas, e lucros superiores a 14M€ em 2013/2014.
 
A BTV no 1º ano de canal "premium" teve mais de 28M€ de facturação e lucro a rondar os 20M€.
Atendendo a estes valores, no 2º ano é provável que a facturação se aproxime dos 40M€ e lucro a rondar os 30M€.
 
Destaque importante também para o facto de a Benfica SAD ter facturado 185M€ numa época.
Somando a facturação do Benfica Clube, pela primeira vez um clube português supera os 200M€ de facturação numa época.

Quanto à evolução do Passivo em relação à facturação anual da Benfica SAD:
- Em 2012 eram necessários 3,3 anos de actividade para a facturação cobrir o Passivo.
- Em 2014 são necessários 2,4 anos de actividade para a facturação cobrir o Passivo.

artigos recentes