O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade.

Nós não tememos... VAMOS VENCER!

Nós não tememos... VAMOS VENCER!

Translate

O título deve-se a:

quinta-feira, 24 de Abril de 2014

A evolução de Jesus

Num jogo lançado a semana passada por Pirlo com algo que "diz que é uma espécie de mind game", Jesus jogava hoje uma cartada importante no lançamento do jogo...

... Ou entrava a pés juntos e se dava mal

... Ou assumia uma postura superior e metia os italianos em sentido.

O Jesus dos últimos 4 anos não tenho duvidas que optaria pela primeira opção, mas o JJ desta temporada, não!

Jesus apareceu numa postura segura, altiva e confiante... Sem nunca desvalorizar o adversário... Mas também sem nunca o valorizar mais do que a medida devida... Sem nunca menosprezar a nossa equipa.

Entraremos o jogo a ganhar 1-0! O primeiro golo foi hoje marcado por Jorge Jesus... Vamos confirmar isto campo!

CARREGA BENFICA!



quarta-feira, 23 de Abril de 2014

O trigésimo quarto...



Portugal 23 de Abril de 2014

O trigésimo terceiro título de campeão, comemorado no dia de Páscoa, algo inédito na história do Benfica (e do futebol português), coincidindo com a idade que Jesus Cristo teria quando foi crucificado (33 anos) já deu motivo para alguns escritos de analistas desportivos sempre atentos às particularidades. Falar ou dissertar sobre pormenores sempre foi mais fácil e de fácil assimilação pelos receptores, do que analisar a substância das coisas, dos acontecimentos, dos feitos que ficam para a história.
Em bom rigor este não deveria ser o 33º título de campeão, mas sim o 34º título, se os erros direccionados de arbitragem da época passada (fora as outras) não tivessem intervido – simultaneamente - a favor do FCP e contra o Benfica. E nesta perspectiva, com o 34º título alcançado, não haveria motivos para brincar com a Páscoa.
Mas vendo a coisa também pelo prisma da presente época, foram os “erros” dos homens que organizam e promovem o actual futebol a favor do FCP (14 títulos de campeão nas últimas 20 épocas) que levaram o Benfica a ser campeão no dia de Páscoa. Uma coincidência pouco divina e um cúmulo metafórico de como os planos da manipulação da arbitragem a “régua e esquadro”, podem funcionar de forma muito distinta do previsto.
Obviamente que também houve muita competência própria para saber aproveitar esses erros dos homens “maus”. Competência do treinador, primeiro responsável de todas as decisões e suas consequências. Competência dos jogadores que tudo deram para colocar em campo o seu talento formatado pelas ideias do treinador. E houve também o amor e paixão dos adeptos, sempre fiéis, que nas horas más apoiaram e nas horas boas recompensaram. E foram recompensados. Esta época tem sido um exemplo quase perfeito do círculo virtuoso: os adeptos puxam pela equipa e a equipa puxa pelos adeptos!
Houve também mérito na Direcção, ou do Presidente, quando decidiu renovar com Jorge Jesus apesar das 3 finais perdidas (nas duas finais nacionais os árbitros não nos deixaram ganhar, mas para ele e os críticos é tudo igual). Apenas nisso teve mérito, porque tudo que podia ter feito para dificultar o sucesso da equipa, fez: silenciar críticas perante erros grosseiros de arbitragem e venda de Matic em Janeiro quando a equipa recuperava na classificação!
Felizmente temos Jesus que inventa, adapta, trabalha e melhora as qualidades dos jogadores que tem ao seu dispor, e tivemos algo mais, isto sim difícil de explicar: em 2 ou 3 jogos existiram erros de arbitragem inéditos contra o FCP, que nunca tinham acontecido nas épocas anteriores, como seja no Estoril, 1ª volta, Benfica e SCP na 2ª volta (note-se que também existiram erros a favor do FCP nos jogos do Estoril e Benfica). E tivemos algo ainda mais difícil de explicar: 3 penaltys contra o FCP em situações de jogo de incerteza, duas com 0-0 e uma com 0-1 a favor do FCP. Nestes jogos, Estoril 1ª volta, Marítimo e Estoril na 2ª volta, o FCP perdeu 8 pontos! Quem defende os árbitros que por regra não marcam penaltys a favor do Benfica, ou contra o FCP, porque “um penalty não é sinónimo de golo”, tem aqui a prova “matemática” que não é assim.
Fomos campeões à 28ª jornada, com 86,9% de pontos conquistados, o que é a mesma percentagem que tínhamos na mesma jornada da época passada. Portanto não é correcto afirmar-se que Jesus corrigiu erros passados, porque como se constata, Jesus manteve o nível pontual! A diferença é que o FCP foi menos ajudado pela arbitragem do que na época passada! Nesse ano o FCP apenas sofreu 1 penalty e quando ganhava 3-0. Se tivesse sofrido mais penaltys (como este ano), quando teve dois “guarda-redes”, obviamente que agora estávamos a celebrar agora o 34º título.
Por último, este ano fomos campeões com o número de golos marcados mais baixo da era de Jorge Jesus: 56! Será sempre a pior marca já que não chegaremos aos 66 golos marcados na época 2010/2011, até agora o seu pior registo. Contudo tivemos a melhor defesa das suas 5 épocas: 15 golos! Menos que os 20 golos sofridos em 30 jogos, no ano do último título e época passada! Neste aspecto há alguma razão para se confirmar que os jogos se ganham no ataque, mas os campeonatos ganham-se na defesa!
O Benfica foi finalmente campeão. A festa foi bonita e foi só nossa. Não foi uma festa contra ninguém como é apanágio da nossa cultura. Contudo, tenho um sentimento agridoce uma vez que o “foguetório” e o “forró” patrocinado pela Direcção são mais do mesmo que já temos visto: demagogia e oportunismo. Não perceberam porque razão Pedro Proença foi nomeado para a meia-final da Taça de Portugal, nem perceberam porque razão foi nomeado Marco Ferreira (da derrota na 1ª mão da Taça de Portugal com o FCP) para a Taça da Liga. A burrice da Direcção já é uma imagem da “marca” Benfica. Com ou sem “foguetório”...



Aos senhores deputados benfiquistas:




Ontem apareceram a dar a cara neste momento de festa da nação benfiquista.

Mas por onde têm andado nestes últimos anos? 

Onde estiveram aquando das alterações legislativas que permitiram as restrições às escutas telefónicas?

Onde estiveram aquando da votação de projectos-lei sobre a corrupção em Portugal? Em que votaram?

Onde estiveram durante o processo Apito Dourado? 

Onde estiveram quando os poderes ligados ao 'sistema' manipularam como quiseram os resultados finais da investigação do Apito Dourado?

Onde estiveram quando alguém condenado por corrupção (e que aparece vergonhosamente nas escutas a manipular tudo e todos) visita em triunfo a Casa da Democracia? Onde estavam nesse dia? 

Porque não deram a cara nesse dia a demonstrar o vosso repúdio? Na mesma Casa que expulsa quem se manifesta por ver as suas pensões e vencimentos obliterados?

Fizeram alguma petição à Comissão Permanente da Assembleia da República ou aos seus próprios Grupos Parlamentares a repudiar essa visita? Deram a cara aos jornalistas repudiando essa visita?

Algum de vós já pediu esclarecimentos ao ministro da Administração Interna sobre a falta de actuação das forças da autoridade no Porto no passado fim de semana na Av.dos Aliados? Sobre a impunidade que um grupo de maricas goza no Porto?

O presidente do Sport Lisboa e Benfica esteve bem em promover o jantar, especialmente para honrar a memória do Manuel Seabra, um grande benfiquista.

Mas os deputados benfiquistas têm muito em que pensar sobre o seu comportamento. 
Aparecem quando é para festejar mas esquecem o seu clube e a luta pela justiça quando estão nas suas funções. 



terça-feira, 22 de Abril de 2014

Ele merecia voltar a sentir o carinho dos adeptos

Felizmente engano-me... E engano-me muitas vezes... Engano-me quando adivinho o melhor e acabo em sofrimento... Engano-me quando espero o pior e a alegria do fim é imensa...

E de facto previ o pior para esta época... O folhetim Cardozo foi caricato, a contratação de Cortês uma comédia, e os traumas do final da época passada um fantasma que pairou na Luz demasiado tempo...

Bem sei que hoje isso não interessa para nada, mas a fronteira entre o sucesso e o insucesso ao mais alto nível é uma linha muito ténue... Esta época tinha tudo para correr mal, mas também tinha tudo para correr bem se tivermos em conta que os intervenientes eram praticamente os mesmos, muitos deles de qualidade indiscutível...

Mas numa altura de balanços, não podemos esquecer que as coisas estiveram negras, que a pré época mostrou um Benfica amorfo incapaz de derrotar um Sporting ou um São Paulo numa Eusébio Cup...

Não podemos esquecer que arrancámos com uma derrota no Funchal, que na segunda jornada perdíamos com o Gil Vicente em casa aos 90 minutos de jogo, e que na terceira empatámos com o Sporting. Não podemos esquecer que à terceira jornada o FCP já ia 5 pontos à frente, vantagem que raramente perde, e que as exibições do Benfica não convenciam ninguém...

Não podemos esquecer que numa época que se adivinhava difícil e com o treinador de futebol com mais azar que conheço, aconteceu o cúmulo dos azares, a lesão prolongada de Sálvio, aquele que se adivinhava o jogador mais importante da época e que em nada ajudou ao folhetim...

Mas felizmente as coisas da bola são muitas vezes imprevisíveis, e tudo muda quando menos se espera: O FCP foi menos competente do que habitualmente e permitiu-nos sonhar, e o Benfica, mesmo sem deslumbrar soube encontrar quase sempre o caminho para a conquista dos 3 pontos...

A viragem dá-se na minha opinião com a morte de Eusébio... A morte do King foi uma demonstração de mística e Benfiquismo como há muito não se via... A morte do King permitiu a alguns recém chegados perceber finalmente a importância da camisola que envergavam... A morte do King uniu tudo e todos em volta de um ideal e fez a todos crer que a emoção e a fé podiam mover montanhas...


E o jogo seguinte, era em casa com o FCP... E nesse jogo especial, nesse jogo que tínhamos forçosamente de vencer, vencemos e convencemos, e a equipa pareceu libertar-se finalmente das teias da descrença que a fustigavam nos últimos meses...

A partir daí a equipa percebeu que era a melhor... Que não havia razão para receios... Percebeu que o FCP fraquejava... Percebeu que os adeptos voltaram a acreditar e o estádio voltou a encher... Percebeu que vencidos os fantasmas da última época, tínhamos do nosso lado o talento e que o destino só podia ser vencer... Bastava acreditar...

Da minha parte, a venda de Matic fez-me desconfiar da sorte... Mas mais uma vez Jorge Jesus foi magnífico... Ninguém notou, essa é que é a verdade... Só um treinador magnífico permite que saia Javi e Witsel e não se note, que saia Matic e ninguém repare... Que entre Fejsa e a equipa fique ainda mais forte... E que num festival de lesões venha ainda Rúben Amorim, André Almeida e André Gomes e a dinâmica da equipa nunca se altere... Bem sei que há aqueles que acreditam em coincidências e obras do divino, mas isto só é possível com um grande, grande treinador.

Ganhámos porque fomos os melhores. Indiscutivelmente. Porque temos os melhores jogadores, o melhor treinador, porque a direção apostou forte e deu condições para ganhar, porque soubemos rentabilizar a qualidade que tínhamos...

Ganhámos também porque finalmente, ao fim de 4 anos, fomos excelentes no confronto direto com os adversários mais diretos: 4 pontos conquistados ao Sporting, 6 ao Estoril, 6 ao Braga, e 3 em 3 ao FCP (falta ainda o segundo jogo).  Não custa pois perceber que o nosso saldo francamente negativo nos confrontos diretos com o FCP, nos impediu por exemplo de conquistar os dois últimos campeonatos... Era decisivo melhorar neste aspeto... e melhorámos.

Falar nos destaques da época seria difícil, porque são muitos... Mas é impossível não falar em Luisão (fantástico), Garay, Oblak (que tão poucos golos sofreu), Enzo (que coração!), Gaitan (parece outro jogador), Markovic ou Rodrigo...

Mas eu destacaria dois a quem não previ nada de bom (também aqui me enganei) e que foram fundamentais ao longo da época: Sílvio e Rúben Amorim. Simplesmente excelentes sempre que chamados à equipa, portugueses e Benfiquistas de coração, e dois que espero que fiquem no plantel para a próxima época... Assim como Siqueira, porque bons laterais são coisa rara, e o Benfica já mostrou por diversas vezes que aquela é uma posição para a qual nunca acerta à primeira...

Jorge Jesus ressuscitou num Domingo de Páscoa, e confesso que rejubilei com tão feliz coincidência. Ele merecia... Jorge Jesus merecia esta vitória... Jorge Jesus merecia que o azar o largasse por momentos... Ele merecia voltar a sentir o carinho dos adeptos...

Na noite da festa do povo, Jesus mostrou que é o povo... Não sei quantos treinadores do mundo aceitariam expor-se de tal maneira reforçando a ligação umbilical às cores de um clube, mais mascarado que qualquer chefe de claque, podendo até comprometer projetos futuros...

Gostei de ver os jogadores atirá-lo ao ar, gostei de ver o abraço de Rui Costa, gostei de ver o policia quase meter o Jesus na choldra, sinal de que Jesus também tem momentos em que desce à terra e não esconde as suas raízes...

Este título é de muita gente mas é sobretudo dele... Por ter sabido ganhar, mais uma vez, sem nunca abdicar das ideias em que acredita.



Já chega de festa...por enquanto.


Foi uma festa como nenhuma outra. As imagens na TV, embora fantásticas como aquela do drone da SIC, não se aproximam da emoção que foi estar lá, a viver a festa.

Recordo um episódio com 6 adeptos do Barcelona, 3 casais já perto dos sessentas, que completamente surpreendidos pela festa gigantesca se perguntavam o que aconteceria se o Benfica vencesse a Champions? Mais curioso ainda foi ver esses 6 cidadãos seniores, a saltar e a gritar 'campeões' quando passa o autocarro do Benfica! Priceless! :)

Mas já passou. O Sport Lisboa e Benfica é campeão, merecido. 
A análise à performance de Jorge Jesus como treinador no campeonato sairá por um destes próximos dias. 

O que posso desde já adiantar é que nada mudou. Por enquanto. Jorge Jesus continua sem provar ao mais alto nível que aquela qualidade que demonstra em muitos aspectos do jogo, do treino, se sobrepõe às suas limitações e curtas ambições.

O treinador do Benfica continua sem provar que perante adversários realmente complicados consegue vencer. Mas não teremos que esperar muito para ver se também isso está a mudar. Quainta-feira é já uma dessas oportunidades frente à Juventus.

Ter este plantel, ter todas as condições que o Sport Lisboa e Benfica oferece aos seus profissionais tem que ter mais resultados. 
Vencer o campeonato é muito bom. Vencer a Taça de Portugal ainda tornará mais saborosa esta temporada. Juntar-lhe a Taça da Liga será um fantástico epílogo.

Mas, caro Jorge Jesus, falta-lhe mostrar que consegue vencer alguns dos melhores. 
Ainda esta temporada os resultados na Champions, com este mesmo plantel, foram decepcionantes. E só apanhamos um dos melhores, o PSG.

E para nos entitularmos os melhores, temos que vencer os melhores. Quando se fala em meias finais de competições europeias, nesses 'records' do Benfica hodierno, com Jorge Jesus estamos sempre a referir-nos à Liga Europa. Uma competição onde até o Braga já foi finalista. É preciso mais que isso.

Quinta-feira frente à Juventus Jorge Jesus terá uma chance de demonstrar que finalmente está a dar aquele salto qualitativo. Fazer justiça à qualidade deste plantel será vencer a Juventus de Pirlo e companhia, num ano em que a final desta competição é no seu estádio. Isso sim será uma demonstração de força e qualidade.

Fazer justiça à tão elogiada competência de Jorge Jesus será dar um banho táctico a uma equipa de topo italiana. 

A festa fica em pausa. Até que chegue a próxima oportunidade.



Eis o treinador do Benfica em 2015/16

Têm a palavra os nossos leitores. Quem gostariam que fosse o treinador do Benfica no final do contrato de Jesus com o Benfica?

Jorge Jesus?
Outro?

Porquê?

Mais do que uma simples sondagem que pode ser manipulada, gostaria de desafiar a que "calçassem os sapatos" do Presidente e anunciassem a vossa decisão para 2015/16 para o cargo de treinador do SLBenfica. Justifiquem, por favor.



Será que o Marquês muda um jogador?


No Domingo, Lazar Markovic foi dos mais entusiasmados em todo o percurso do autocarro. Cantava interagia com os benfiquistas, etc. O vídeo dele a cantar com o Sulejmani "Glorioso SLB" correu as redes sociais, pois ele não diz uma palavra em português e mal fala inglês, mas cantava essa e o "Campeão Voltou" num português perfeito.

A foto acima, tirada à saída do Estádio, mostra que a loucura tomou conta dele... Ja depois da festa.

Pergunta: Será que o Marquês muda um jogador?



segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Uma vergonha para as autoridades do Porto.


Eu se vivesse na cidade do Porto tinha vergonha que isto se passasse na minha cidade. 
As autoridades que patrulham e 'garantem' a ordem no Porto deviam pintar a cara com porcaria e esconder-se com vergonha.

Era de prever que os cobardes que se apelidam de Super Dragays tentassem condicionar a festa dos benfiquistas. 

Considero muito grave que, mediante o que já era esperado, as autoridades na cidade do Porto não tenham dado ordem para dispersar a quem estava presente para agredir. Não tenham dado voz de prisão a desordeiros cobardolas que parecem viver na impunidade dentro de uma Palermo à portuguesa.

A cidade do Porto não merece autoridades cobardes que não sabem ou não querem agir por antecipação. 
É uma vergonha que os milhares de benfiquistas do Porto não possam livremente festejar, como a meia dúzia de portistas de Lisboa festeja em frente à casa do FC Porto na Av. da República.

Claro que uma cidade que tem como presidente de câmara alguém que nega as evidências expostas pelas escutas do Apito Dourado nunca poderá ser um local de liberdade. É pena.

Adeptos do Benfica agredidos no Porto


A Frase da noite de ontem! Arriscas contra esta?

À chegada ao Marquês o João Martins da BenficaTV entrevistava o Luisão quando é abandonado pelo jogador e diz:

"Esperem! O Luisão deixou-me e está a querer sair do autocarro e a chamar os jogadores para irem festejar com os adeptos. Algo nunca antes visto"



Não! Não foi o FCPorto que perdeu... FOMOS NÓS QUE GANHÁMOS!


Já se espalha em alguma comunicação social que o FCPorto está a ter a pior época dos últimos 10 anos (outros já falam em 30), numa tentativa absurda de transformar este título do Benfica numa derrota do FCPorto. Ou seja, tentam criar aquela teoria de que o o Benfica não ganhou nada... o FCPorto é que o perdeu.

Bom... por essa ordem de ideias, é caso para dizer que há dois anos que andava a acontecer o inverso, que não era o FCPorto a ganhar, mas sim o SLBenfica a perder.

Mas nem vou por aí. Vou antes por outra perspectiva... a que nos prova que o SLBenfica nos últimos três anos conseguiu impor-se ao FCPorto e à arbitragem movida por interesses financeiros e desportivos. Contudo, nas últimas duas épocas, depois de o conseguirmos claudicámos por soberba - por acharmos que bastava estar na frente para ganhar - e nesta temporada limitámo-nos a ser campeões depois de conquistarmos o campeonato. Comportámo-nos como campeões.

Ou seja, Não! Não foi o FCPorto que perdeu... FOMOS NÓS QUE GANHÁMOS! E mais: Este Benfica desta temporada, estaria a festejar o TRI se tivessemos sido este Benfica nas duas últimas épocas.

Como bem lembra o José Marinho na sua página do Facebook, o SLBenfica tem "apenas":
"Nos últimos 15 jogos, 14 vitórias e um empate"

O Sistema não está morto, nem morreu ontem. É o tal Sistema que anda a tentar demonstrar que eles perderam o campeonato e que o que se passou ontem é algo de anormal. Um TRI do Benfica nas próximas temporadas é que vai afundar o Sistema... porque é na seca de títulos que eles vão morrer por falta de oxigénio (leia-se, Euros).

Aquilo que registo com mais agrado foi ver os nossos jogadores e dirigentes, ainda durante a festa, a recordarem e recordarem-se que há mais para ganhar já este ano e nos próximos, que esta foi "apenas" a primeira conquista de outras que se mantêm como objectivo a que não queremos nem vamos deixar de lutar.

Quinta-feira há que deixar a pele em campo e VENCER! Temos e queremos VENCER a Juventus na Luz e dar um passo importante para chegar à Final da Liga Europa.
... Pelo caminho, teremos o Ivan Cavaleiro, o Bernardo Silva, o Ruben Pinto, o Djuricic, o Jardel, o Artur, o Cardozo, o Amorim, etc para DERROTAR o FCPorto para atingirmos também a final da Taça da Liga.



artigos recentes