O NOVO BLOG GERAÇÃO BENFICA é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade.

Translate

Quem prefere ver na posição 8?

sábado, 31 de janeiro de 2015

Dia de jogo.


"O técnico do Benfica, Jorge Jesus, classificou esta quarta-feira Nemanja Matic como "o melhor médio defensivo do Mundo" e considerou que será "impossível" contratar alguém igual ao futebolista sérvio, que se transferiu para o Chelsea.

Na formação para render o Matic? Só nascendo dez vezes, mas temos de encontrar soluções. Também acho que no mercado em nenhuma parte do Mundo seríamos capazes de encontrar um substituto para ele. Para mim o Matic é o melhor médio-defensivo do Mundo, é escusado ir à equipa A ou à equipa B, pois é algo que não existe”, referiu." 

"Chegaram há apenas um dia e já merecem os elogios de Jorge Jesus. Os uruguaios Jonathan Rodríguez e Elbio Álvarez são, segundo o treinador, “jovens que vêm acrescentar qualidade” à equipa.

“Em relação aos novos jogadores, um já treinou hoje connosco e o outro ainda não. São jogadores jovens, que vêm acrescentar quantidade e qualidade. Achamos que têm potencial mas vão ter que mostrar todas as suas qualidades. O Benfica tem tido uma formação que trabalha os jogadores que se têm valorizado desportiva e economicamente”, explicou em conferência de imprensa." - 

Para quem tinha dúvidas sobre a "alergia" de Jorge Jesus a tudo que não venha para o Benfica recomendado por si, aí está mais uma prova. Peixotos, Pizzis e Eliseus jogavam e jogam não importa o que façam. 

Os meus parabéns a quem eu não valorizei quando entrou no Benfica mas que afinal tem sido o grande potenciador da formação do Benfica: Hélder Cristóvão. Ele sim tem acreditado nos putos e tem sabido lidar com a razia que lhe têm feito nas suas equipas.

Quanto a Jesus, só espero que hoje não entre a achar que são favas contadas e que vença o jogo. É a sua obrigação. Nunca mais é final de temporada para o ver a milhas do SL Benfica...

O Mendes "explica" porque avança Figo

Uma completa estupidez”. É com estas palavras que Jorge Mendes classifica o fim da partilha de passes de jogadores decretado pela FIFA e o fair play financeiro da UEFA. Numa entrevista dada à agência Reuters em Singapura, o superagente português foi muito claro. “É completamente ilegal... Ambas as coisas são ilegais”, defende.


Para o empresário de 49 anos, “ninguém tem o direito de impedir um jogador de ter um emprego melhor”. Além disso, Mendes acredita que a partilha de passes com fundos de investimento “é um mecanismo de apoio aos clubes mais pequenos”. “Benfica e FC Porto não conseguem mais do que 18 milhões de euros por ano da TV, enquanto que em Inglaterra qualquer clube recebe 80 ou 90 milhões. Eles não têm o direito de melhorar?”, pergunta.


Estão a matar o futebol. (...) O que é que eles querem? Uma competição apenas com Real Madrid, Barcelona, Bayern e Manchester United?”, prossegue, mostrando-se esperançado que a partilha de passes seja novamente autorizada em breve e que o fair play financeiro termine: “Se forem para tribunal, perdem um milhão de vezes.”

In Record


Figo avança para defender o negócio obscuro do amigo. Mendes numa declaração explosiva arrola já dois defensores seus para quando isto começar a aquecer: Benfica e Porto.


Quero ver agora estes dois clubes que o Mendes habilidosa e unilateralmente comprometeu nas suas declarações, a virem depois defender o fim dos fundos...


Palhaçada! Se houvesse agora coragem, qualquer jornalista estaria já à procura de ouvir de Figo a opinião sobre o fim dos Fundos de Investimento. Mas como está tudo orquestrado... Ele vai chegar ao fim da campanha sem ter que responder a essa pergunta 

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Helder Cristovão entra na corrida com Jesus

Jesus abordou ainda as saídas de jogadores oriundos da formação, alegadamente sem serem opção no plantel principal. Uma ideia que se apressou a desmentir. «Foram contratados porque os viram jogar e não porque os viram nos treinos ou nos juniores.» 


O técnico dos encarnados lembrou que a realidade portuguesa passa por rentabilizar jogadores «desportivamente e financeiramente». «Outros vão embora mais cedo do que outros. O João Cancelo, o Bernardo [Silva] e o André Gomes são jogadores com qualidade. Portugal é um país vendedor, vai ser sempre assim. E ainda bem que o é», concluiu.


Aproveitando para "anunciar" o que a Bola traz hoje na capa de que o João Cancelo, tal como o Valência referira à chegada do jogador, já "foi embora", Jorge Jesus voltou à teoria (verdadeira) que não interessa mais do que rentabilizar os jogadores, porque em Portugal o projecto passa por aí.

Ora, é impossível discordar desta abordagem, concordamos? sim...

Porém, os três exemplos que o Jesus deu e que já valeram mais de 50M€ foram acima de tudo valorizados por Helder Cristovão, como fica implícito nas palavras de Jesus (se calhar sem ele querer). Recordo que o André Gomes na época que foi vendido levava 90min jogados em mais de 4 meses, o Cancelo e o Bernardo praticamente zero minutos. Onde tiveram maior dimensão de minutos foi na equipa B.

Já há umas semanas, o Helder Cristovão chamou a si grande mérito quando disse que «Rui Fonte é o melhor marcador da Liga 2, é um líder nato, quer em 4x4x2 ou em 4x2x3x1. Para mim é o melhor em Portugal. O nosso trabalho é fazer jogadores para a equipa A, por isso, se eles forem para a equipa A ficamos felizes»

Estou totalmente de acordo com o mister Jesus na "formatação" do futebol português e eu próprio tenho que começar a colocar de lado o "timing" em que são vendidos.

Para Jorge Jesus, os que vêem da formação e que todos conhecem podem andar por ali na equipa B e uns vão seguir a sua via em clubes nacionais ou internacionais de menor dimensão (como aconteceu com Ruben Pinto, Fábio Cardoso, Helder Costa e Ivan Cavaleiro) e haverá outros que saem daí directamente para grandes palcos como o Cancelo, Bernardo Silva e André Gomes, pelos vistos com mérito do Helder Cristovão na receita de mais de 50M€ aí obtida - acho que percebi bem o que disse o mister.

Na equipa A, salvo aqueles três minutos finais que vão dando para meter o Guedes (desculpem lá mas tive que interromper a linha de concordância com o Jesus só para meter esta farpa), o Jesus recebe jovens estrangeiros que ninguém conhece e que «vão ter de demonstrar a sua qualidade diariamente, com trabalho. A partir de agora é que os vou conhecer melhor».

Sobre o recém chegado Jonathan Rodriguez, há menos de uma semana Jesus já tinha dito que «Não é fácil um jogador jovem chegar aqui e afirmar-se. Acredito é que com o tempo, sim, isso pode acontecer. Foi nisso que acreditamos quando o trouxemos». Na mesma altura quando falou sobre Mukhtar, Jesus chegou onde eu já tinha suspeitado no tópico É protagonismo, Jesus?:

«Têm uma porta aberta, sim, para o plantel, que é a que eu lhes dou. Depois, é preciso trabalhar para conseguirem chegar à porta da primeira equipa. Se fizer uma retrospetiva nestes seis anos, vê que jogadores experientes fomos contratar: Júlio César, Saviola e Jonas. O resto é tudo desconhecidos, que vêm com muitas ideias de vencer no Benfica e têm o direito de sonhar. Muitos destes jovens chegam aqui e percebem que aqui é preciso ter muita pedalada»

Estão a ver o filme, não é? Desconhecidos, chegam e o mestre trabalha-os para sairem de cá conhecidos e a valer milhões... tal qual como o Helder Cristovão faz com os miudos da formação, é uma espécie de divisão de tarefas para maximização de receitas.

Os putos da formação não ocupam espaço no plantel, que tem assim "uma porta aberta para o plantel que é o Jesus que dá" aos tais desconhecidos que quando cá chegam é que percebem que afinal os primeiros 19 anos de vida foram a brincar! Agora com o mister é que vai ser... E depois é o que se vê Rodrigo, Matic, Enzo, Ramires, Markovic... tudo desconhecidos que com o "toque de Midas", o tal que diz que "tudo o que ele toca vira ouro!"... só que isto já vai "muita forte" e já temos dois toques de Midas, o do mister JJ e do Helder.

Bem vindos, rapazes.



Espero que venham trazer uma mais valia ao clube. Boa sorte!!!

Nota: A grande preocupação que para aí vai com um claro lapso de análise de um lance do jogo do Benfica na SIC Notícias.
Leio palavras como manipulação, conspiração ou ataque ao Benfica, escritas muitas vezes por quem é incapaz de pronunciar de forma séria a palavra imparcialidade ou profissionalismo.
Realmente, é fácil bater nos jornalistas ou nos árbitros. Muitas vezes merecem, mas não deixa de ser o que é mais fácil fazer.

Já atacar ou denunciar os verdadeiros manipuladores do futebol português, os verdadeiros inimigos do jornalismo sério, os verdadeiros corruptores da verdade desportiva, é só quando dá jeito.
Não leio grandes palavras de indignação quando se chamam essas pessoas de "amigos" ou se aceita sentar à mesa de negociações com essa escumalha corrupta. Isso sim deveria indignar todos os apreciadores da verdade no desporto.

A qualidade com a SIC Noticias e o Dia Seguinte brindam os seus telespectadores não me deixam dúvidas de que tudo não passou de um lapso. 

Venha agora é o próximo jogo do Benfica com uma vitória para que o grande derby do futebol português chegue depressa!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Queres ser campeão Jesus?

Depois de ultrapassar o SportingCP, o caminho será "a descer" a até meio de Março, com adversários - sem desrespeito - acessíveis ao SLBenfica, o que faz com que seja fundamental chegar ao final do jogo com o SportingCP com os mesmos 6 pontos de avanço sobre o FCPorto que temos hoje, pelo menos.

Dito isto, na minha perspectiva de sócio e observador externo da equipa, o que eu faria já, sem hesitar, como Boavista:

- Talisca e Eliseu estão claramente em défice de rendimento. É importante darem o seu lugar na equipa. Se na esquerda da defesa, o André Almeida mostrou que deve ser a opção, no caso da posição 8 (para onde espero que o Jesus desista de insistir no Talisca) optaria por João Teixeira. O jovem da B tem mostrado muito mais na B do que Talisca e Pizzi na equipa principal.

- A instabilidade do Ola John começa a ser desesperante, na lesão do Gaitan, não há que ter receio de apostar no Gonçalo Guedes. O míudo vai errar, mas será possível ser mais inconsequente do que o Ola John? Duvido...

- O pivot defensivo parece um peixe a nadar fora de água, ou seja, ele luta, mas na verdade aquele não é o habitat dele. O Samaris não está certo ali e o Cristante, sem deslumbrar e também com algumas más decisões pelo caminho, ainda assim já mostrou ser mais eficiente do que o grego na posição 6.

- Na frente, têm sido mais os jogos e sub rendimento do Lima, do que onde os seu rendimento é decisivo. Assim, penso que talvez fosse mais proveitoso apostar numa frente composta por Jonas, com Talisca ou Derley nas costas. Rui Fonte das duas uma: ou se aposta no rapaz para ser a opção rotativa que faz descansar Jonas, ou o vendam, dispensem, emprestem... qualquer coisa.

Em suma: André Almeida, Teixeira, Cristante e Guedes para os lugares de Eliseu, Lima, Samaris e Ola John... eu acredito que, pelo que vemos em campo, seriam alterações com resultados muito positivos.

Voltando à equipa B e à saída de jogadores, até ao momento é impossível discordar das saídas e Fábio Cardoso, Ruben Pinto e Helder Costa, pois a equipa B e a II Liga eram já demasiado "curtas" para estes jogadores, porém tenho muitas dúvidas que eles venham a demonstrar algo que justifique que venham a ser opções para equipa principal, talvez o Helder Costa, mas....

Portanto, seja como for, são jogadores que já não estavam a crescer na B e na II Liga e por isso, com vista à integração futura ou não (eu penso que não) sairam. A saída definitiva do João Amorim, que me faz sempre lembrar o Cardinal pelo seu portismo primário e que nunca deveria sequer ter entrado na B é totalmente justificada porque nem sequer para a B servia. Já a saída do Rochinha, penso que poderia ter sido contida, com o espaço aberto agora na B... porém há um sinal que temos que entender com as saídas de Djuricic, Bernardo Silva e agora Rochinha: um 10 no Benfica... NÃO!

Os valores que os benfiquistas têm que acompanhar com cuidado e carinho (além dos que acima referi Gonçalo e Teixeira) são: Renato Sanches e João Carvalho. Têm tudo para ser aposta a qualquer momento e só têm 17 aninhos.

Depois, claro que há jogadores como Lindelof e Nelson Semedo (este por mim já era suplente do Maxi e o Lindelof assumia a vaga do Lisandro que poderia ser emprestado/vendido). Mais adiante, Varela e João Nunes que claramente podem vir a ter um papel a desempenhar no futuro, mas as suas posições em campo requerem muita experiência de jogo, muita competência física e isso levará tempo a atingir. Aqui incluirei também o Romário Baldé quando ele puser o empresário na linha (é um grande jogador, sem dúvida) e também o Nuno Santos se depois da instabilidade e falta de minutos aproveitar como eu antecipo que seja possível, a vaga do Helder Costa.

Nos mais novos, Pedro Rodrigues é um médio defensivo de grande classe dos juniores do SLBenfica e o Guga também tem muita qualidade.

PS- Quem ainda não leu a entrevista do Bernardo Silva, que leia... custa ver tratar um dos nossos assim como ele refere, apesar de ser muito correcto na forma como o faz. Fica claro pelas palavras do Bernardo que o SLBenfica vendeu por 15M€ um jogador dispensado pelo treinador (negócio de luxo), o que é pena. Por outro lado vendeu-o sem sequer falar antes com o jogador que estava no Benfica desde os 7 anos, portanto há mais de 13 anos. É pena...

"Geração 1989 e 1991" - a aposta na formação resulta.



Entre as várias razões para a defesa da formação, lembro-me dos exemplos de 1989 e 1991 com os campeões do mundo de sub-20 em grande destaque.

Em especial o campeonato do mundo de 1991 cujo epílogo fantástico marcou mais um episódio inesquecível naquele que será sempre uma saudade imensa: o antigo Estádio da Luz.

Estes jogadores, juntamente com os campeões de 1989, justificaram as suas vitórias e a sua qualidade dando à selecção nacional um período de ouro nunca antes vivido com participações sucessivas nas grandes competições internacionais.
Foram correctamente apelidados de "Geração de Ouro".

Foi desta fornada que saíram nomes como:

Luis Figo, Rui Costa, João Vieira Pinto, Abel Xavier, Jorge Costa, Paulo Sousa ou Fernando Couto. Tudo jogadores de classe mundial.

Outros emergiram mas com percursos mais modestos. Estamos a falar de:

Brassard, Jorge Couto, Paulo Madeira, Hélio, Filipe, Folha, Amaral, Paulo Torres, Nelson, Capucho, Peixe ou Rui Bento.

Ainda outros que muito promissores acabaram por passar ao lado do estrelato como o Gil ou o Toni.

Não me recordo de ver os feitos dos miúdos serem tratados com o desdém e a desconsideração típica de novos-ricos como acontece hoje. Ontem eram vistos como o futuro, hoje são vistos com o carimbo imediato de "não tem qualidade" ou "prefiro um sul-americano".

Em especial em 1991, por a competição se ter realizado em Portugal, o país "explodiu" de alegria. 
Tudo parava para ver jogar Portugal.
Lisboa e o país saiu à rua para festejar como nunca antes. E quem viveu esses festejos nunca os vai esquecer.

Curiosamente, a contribuição do campeonato sub-20 de 1991 para o futebol mundial foi fantástica pois além dos craques portugueses emergiram grandes nomes como Pochettino, Pellegrino, Roberto Carlos, Elber, Patrik Andersson, Esnaider, Paolo Montero ou Andy Cole.

De lembrar também que foi nesse mundial que o jogador do Sporting Cherbakov se destacou tendo sido o bota de ouro do torneio.

Não deveria ser preciso lembrar as quase duas décadas que essa geração de grande qualidade e prestígio deu ao futebol português.

A aposta no estrangeiros, grande parte deles sem qualidade superior ao que já temos por cá, tem-se revelado trágica. 
Ou não serão os mesmos que se queixam da falta de qualidade da "matéria-prima" que fornece hoje a selecção nacional os mesmos que glorificam a aposta desenfreada no "jovem" estrangeiro?

Hoje em dia, os jovens portugueses não são o futuro do nosso futebol. São meros "activos financeiros" para negociar à primeira oportunidade, para depois se gastarem milhões na aquisição de estrangeiros sem qualidade e cujo único mérito é encherem os bolsos de empresários gulosos.

A Geração de 1989 e de 1991 deveria ter ensinado algo aos dirigentes do futebol português. 
Tinham a obrigação de se lembrarem de que o caminho do clube português não é o do investimento megalómano mas sim do investimento criterioso. 

E que Portugal é por excelência um viveiro de grande promessas do futebol! 
Só precisam de quem acredite neles e que lhes dê disciplina, orientação e atenção. Precisam de quem esteja disposto a gastar tempo em ensiná-los e em dar-lhes bases para o futuro. Como é o normal em tudo na vida.

Como fizeram Carlos Queirós e Nelo Vingada.

Haverá coragem para isso? Ou é preferível continuar a alimentar a máquina implacável das comissões e das transferências milionárias que deixam todos ricos menos os clubes?

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Figo candidata-se à presidência da FIFA.


"Preocupo-me com o futebol e o que não gosto do que vejo da FIFA, não apenas de agora, mas dos últimos anos. Se fizermos uma busca por FIFA na internet, a primeira palavra que surge associada é escândalo, o que não é positivo. O que nós temos de mudar primeiro e melhorar a imagem da FIFA. O futebol merece muito melhor do que isto", assumiu o antigo internacional português, dando exemplos concretos:

"Tenho falado com muitas pessoas importantes do futebol - jogadores, dirigentes, presidente de federações - e todos eles pensam que algo tem de ser feito. Estive no Brasil na altura do Mundial e vi a reação dos adeptos à imagem da FIFA e penso que algo tem que ser mudado. Mudança na liderança, na gestão, transparência e solidariedade, acho que é o momento certo para isso." - Luis Figo.

---------------------------------------------------------------

"O técnico do Southampton, o holandês Ronald Koeman, considerou, esta quarta-feira, a candidatura do português Luís Figo para a presidência da FIFA como uma oportunidade de mudança no organismo que tutela o futebol mundial.

«Vejo na candidatura de Luís Figo uma oportunidade de mudança para a FIFA. Conheço o Luís Figo, sei que foi uma decisão ponderada, assente numa visão reformadora e na necessidade de dar uma nova capacidade mobilizadora a uma instituição que durante os últimos anos sofreu um grande desgaste», reconheceu Koeman.

Recorde-se que Figo anunciou, esta quarta-feira, a candidatura à presidência da FIFA, juntando-se a Joseph Blatter, Michael van Praag, David Ginola, Jerome Champgne e ao príncipe Ali bin Al Hussein no lote de candidatos." - A Bola.


Actualização sobre Jonathan

Tal como eu tinha referido, o que vinha nos jornais não tinha qualquer sentido:

"A oferta neste momento é de 40% (por 2,2M€) com opção de compra dos restantes 60% em dois anos (...) propusemos alterações e o jogador não vai treinar pelo Benfica enquanto não assinar" - Rodolfo Catalino, tesoureiro do Peñarol.

Nem sequer dá para comentar

Créditos à página de Facebook "Sporting Comédia de Portuga"

Levam 5 do Sacavenense mas ainda assim estão em destaque com o impressionante registo de 14 vitórias em... 12 jogos!

Brilhante! Únicos no mundo... De tão ridículos que são.

O negócio Jonathan Rodriguez


Facto 1. O jogador tem historial de problemas físicos (chumbou nos exames médicos no SCBraga) e problemas de conduta fora de campo (reportado por um jornalista uruguaio que depois tentou emendar a mão de forma vergonhosa).

Facto 2. Diz quem o conhece que estamos perante um jogador de enormíssima qualidade. Eu não faço a mínima ideia. Nunca o vi! Nem sequer fui à procura de videos dele. Para mim é um perfeito desconhecido que, até que me demonstre em campo, deve estar atrás do Rui Fonte nas opções para o ataque.

Dito isto, sendo um negócio de risco, o SLBenfica tinha duas vias: abdicava de uma contratação com potencial de valorização (por agora é só mesmo isso, potencial) ou acautelava-se devidamente em termos contratuais.

Os jornais dizem que a forma escolhida pelo SLBenfica para isso foi transformar uma aquisição que se fala que está entre os 4 e os 6M€ num empréstimo com opção de compra durante 3 anos.

Ora, o que isto quer dizer é que o SLBenfica chegou ao Peñarol e disse: vocês assumem o risco das lesões e da possível má conduta do jogador, eu fico com ele em Portugal e se correr bem e eu o valorizar, pago os 4 ou 6M€ (seja lá o que for) e vendo a seguir com brutal mais valia.

Bom... isto para mim nem se estivesse a falar para surdos faria sentido. Os uruguaios nem fazem encaixe financeiro agora, nem sabem se o vão fazer no futuro... e ainda ganham zero a mais por esperar se o jogador efectivamente rende. Teriam que ser mesmo muito burros para aceitar isto...

É que 4M€ pagos agora (ainda que em tranches) ou pagos daqui a 3 anos... não são os mesmos 4M€, pois esse valor no vosso bolso agora, vale muito mais que no bolso de alguém durante três anos e depois ser vosso.

Ao final do dia de ontem, havia algumas informações que davam conta que o negócio poderia ser diferente e cheguei a ler isso algures que já não me lembro onde e que fez todo o sentido: O SLBenfica condicionava o pagamento do jogador à realização de um número relevante de jogos, de modo a garantir que a potencial lesão e a conduta do jogador não afectavam o seu rendimento e, com isso, desvalorizavam o investimento do SLBenfica.

Aqui seria win-win e parecia-me fazer todo o sentido: O Peñarol recebe o dinheiro logo que se prove que "a mercadoria" (perdoem-me a analogia comercial) está nas condições que eles prometem estar ao pedir uma soma tão avultada pela sua transferência. É uma espécie de "Try & Buy".

O cenário que os jornais referem só faz sentido se o SLBenfica tiver que pagar ao Peñarol uma % da mais-valia da transferência, senão penso ser muito forçado acreditar que os uruguaios têm em casa um jogador que vem com rótulo de jogador de grande potencial... e sujeitam-se a estar três anos a espera de um pagamento. Não acredito na carochinha...

artigos recentes