-->
O NOVO BLOG GERAÇÃO BENFICA é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade.

Translate

Os jovens da formação estão a ter as oportunidades adequadas ao seu crescimento?

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Benfica - Braga sem Salvio.


"Salvio foi operado esta manhã [segunda-feira] «a fratura do cubito do antebraço esquerdo, no Hospital da Luz», informou o Benfica, através do seu site oficial. A cirurgia foi conduzida pelo ortopedista, Dr. António Martins.

Recorde-se que o jogador encarnado caiu num lance, durante a primeira partedo jogo com o Olhanense, e ficou queixoso. O argentino acabaria por não regressar para a segunda parte.

Esta lesão afasta Salvio dos jogos que restam da temporada - do campeonato, Liga Europa, Taça de Portugal e Taça da Liga." - 21/04/2014 - MF.

---------------

"Salvio submetido a intervenção cirúrgica ao braço esquerdo
O Sport Lisboa e Benfica informa o boletim clínico referente ao futebolista da equipa profissional de Futebol, Salvio:
O atleta foi submetido a intervenção cirúrgica a fractura diafisária do cúbito esquerdo, proximal a placa de osteossíntese. A cirurgia decorreu na passada terça-feira, dia 16 de Dezembro, no Hospital da Luz, e foi conduzida pelo médico ortopedista Dr. António Martins." - 18/12/2014 SL Benfica.

---------------

"Azar" a coincidência de ser uma lesão na mesma zona. Espero que as coisas corram melhor desta vez e que não te tornes um "crónico" lesionado. Já bastou o Mantorras.

(O Fejsa já treina?)

Gonçalo Guedes e o papel das equipas B

Diz o Record de hoje que Gonçalo Guedes vai ser emprestado já em Janeiro, e que o Belenenses e Gil Vicente se afiguram como destinos mais prováveis.

Se assim é, é uma decisão que colhe o meu apoio. O Gonçalo Guedes precisa de jogar, precisa de crescer num ambiente competitivo superior à Segunda Liga.

Mas aqui, e aqui apenas entra a minha opinião, eu acho que era assim que deveria acontecer com TODOS os jogadores em quem o Benfica vê como GRANDES apostas para o futuro.

Confesso que não sou grande adepto das equipas B, equipas B que já existiram em Portugal há vários anos atrás, depois deixaram de existir, agora voltaram, e eu duvido que durem muito mais tempo.


E baseio e minha opinião em quê?

     1. No exemplo Gonçalo Guedes, e no entendimento óbvio que a Segunda Liga não é o espaço ideal para o seu crescimento. Se não é para ele porque raio há-de ser para os outros? É porque são mais fracos? Se são mais fracos é porque se sabe desde já que não servem.

     2. No meu entendimento que se a Primeira Liga já tem um nível competitivo globalmente muito baixo, a Segunda Liga ainda mais baixo terá, pelo que não creio ser o espaço ideal de desenvolvimento a um jogador que quer um dia afirmar-se como jogador de topo no Sport Lisboa e Benfica.

     3. Nos próprios custos financeiros da participação num campeonato de segunda liga, como acontece com o Benfica B, uma competição a nível nacional, e quanto a mim com pouco retorno no que diz respeito à promoção de jogadores desse Benfica B ao Benfica A.


Daquilo que eu vejo:

     A. Continuarão a ser, hoje e no futuro, poucos os jogadores da equipa B que encontrarão o seu espaço na equipa A;

     B. Daquilo que eu vejo, há MUITOS jogadores na equipa B do Benfica sem futuro nenhum dentro do Benfica;

     C. Daquilo que eu vejo haverá 4 ou 5 jovens na equipa B com possível futuro na equipa A, mas que, e tal como se reconhece ao Gonçalo Guedes, deveriam completar esta etapa do seu crescimento num nível mais exigente, numa primeira liga e não na segunda;

     D. Daquilo que eu vejo, e tal como sempre entendi a situação, jogador que se queira afirmar na equipa A do Benfica, tem de ser capaz de se afirmar num Belenenses ou Gil Vicente. Afirmar-se num Benfica B não é um verdadeiro teste, na minha opinião.

      E. Não compreendo também que bem jogar num Benfica B fará a jogadores como Jara ou Steven Vitória por exemplo, já que a motivação deve ser bem escassa, e a equipa B parece por vezes bem mais um contentor para onde se envia o refugo do plantel principal do que o espaço de crescimento de jovens que se quer fazer crer que é.

     F. Se a equipa B não serve para fazer jogar jogadores menos rodados como Cristante ou Nélson Oliveira por exemplo, torna-se difícil, para mim pelo menos, entender o real papel das equipas B num clube como o Benfica.

     G. Aqueles jogadores medianos, com poucas possibilidades de chegarem ao Benfica A, mas ainda assim a quem o Benfica reconhece algumas possibilidades de darem um salto qualitativo a curto prazo e que o Benfica não quer perder desde logo, poderiam  continuar a ser emprestados a equipas da segunda liga nacional, e encontrarem aí o espaço competitivo que encontram atualmente na equipa B. A desculpa do poderem crescer na Luz dentro de um sistema de jogo específico, para mim não tem grande sentido, já que um dia sairá Jorge Jesus e de repente muda tudo.

     H. Se a equipa B, por exemplo em relação ao Gonçalo Guedes, só serviu para ele dar os primeiros passos, e escassos meses depois já se acha que não é o espaço indicado ao seu desenvolvimento e tem de sair para jogar a um nível mais alto (o que eu concordo), será então que as equipas B terão um papel assim tão decisivo no crescimento destes elementos? Os benefícios justificam os custos que têm?

     I. Entendo que a não existência das equipas B, obrigaria o Benfica a ser muito mais seleto e criterioso quanto aos jogadores que quer manter nos seus quadros, em vez da quase total anarquia que existe hoje, uma catrefada de elementos que chega todos os dias para tomar parte no Laboratório das Experiências, a maioria deles, sabemos nós, sem futuro nenhum na Luz, e com custos elevadíssimos.



As equipas B também têm vantagens? Sem dúvida nenhuma. Mas os benefícios, na minha opinião, não justificam os custos. E cá estaremos para ver por quantos mais anos, numa hora em que todos os clubes apertam o cinto, esta história das equipas B vai durar nos grandes clubes. O Sporting já ameaça sair, e nestas coisas, normalmente o resto vem por arrasto.



Finanças: Autoridade da Concorrência confirma Benfica Eagle sobre os Direitos Televisivos

"A empresa de Joaquim Oliveira fez, assim, a sua proposta que agora é submetida a consulta pública pela Autoridade da Concorrência. As observações aos compromissos podem ser enviadas durante os próximos 20 dias úteis.
 
A proposta prevê alterações nos futuros contratos, mas também nos acordos que estão, ainda, em vigor. 
 
Uma das principais mudanças pode, mesmo, ser a de os clubes de futebol com contratos em vigor - mas que não tenham sido adaptados às novas regras propostas - poderem cessar a relação contratual, denunciando o contrato por carta registada até 30 de Novembro de 2015. Os efeitos seriam produzidos a partir do final da época 2015/16, ou seja, a partir da época 2016/17.
 
Além desta possibilidade, os acordos em vigor deixarão de ter, de acordo com a proposta, direito de preferência, que permitia à Controlinveste uma situação de benefício quando o contrato terminasse. É que os clubes ao darem à Controlinveste o direito de preferência garantem, assim, que a empresa tenha uma posição privilegiada para prolongar a duração do contrato. 
 
Joaquim Oliveira admite, também, ceder aos clubes o direito de revogação das cláusulas de suspensão. Mas o que é a cláusula de suspensão? Nos actuais contratos prevê-se que, no caso de um clube descer de escalão, o contrato fica suspenso até que o clube volte à divisão inicial. (...)
 
Estas três alterações são propostas para os actuais contratos, mas Joaquim Oliveira admite que nos futuros acordos deixe de haver o direito de preferência e a cláusula de suspensão, mas também admite desistir da cláusula de exclusividade de mais de três anos. "

Fonte: Jornal de Negócios (17-12-2014)



Se os leitores tiverem memória, podem lembrar-se de um excerto que escrevi em 1ª mão a 22-10-2014 no Post "Finanças: Liga , Benfica TV, Sport TV: O que está em causa":

"Perante este aparente acordo entre as duas "facções" mais poderosas do futebol português, o que é que está em causa em termos práticos?
 
- A Benfica TV vai poder continuar a gerir os seus direitos televisivos, evitando a centralização (da transmissão) de direitos televisivos na Liga, o que colocaria em risco a viabilidade do canal do clube.
 
- A SportTV (próxima do FCPorto) evita males maiores, atendendo às queixas da Liga junto da Autoridade da Concorrência, que têm colocado em causa o seu quase monopólio. Mas para evitar males maiores a SportTV teve de apresentar nos últimos dias a iniciativa de alterar algumas clausulas dos actuais contratos com os clubes, removendo clausulas abusivas e anti-concorrenciais."
 
 
Confirmou-se esta semana o que eu tinha anunciado a 20 de Outubro neste Blog. Escrevi esse texto 1 mês ANTES da proposta apresentada por Joaquim Oliveira à Autoridade da Concorrência, que apenas foi submetida a 28 de Novembro de 2014, como se comprova no seguinte link. (LINK da Autoridade da Concorrência). Com esse acordo, durante os próximos 3 anos e meio Joaquim Oliveira e o canal SportTV ficam viabilizados.
 
Com esse acordo junto da Autoridade da Concorrência, também se compreende algo que tenho afirmado: Nos próximos 3 anos e meio será difícil existir centralização da negociação na Liga, e mesmo que isso aconteça em 2018 terá de existir mais do que 1 pack de jogos nacionais a ser comercializados e transmitidos por diferentes operadores, tal como acontece nos países mais desenvolvidos.
 
Apesar de muitas teorias alternativas que foram escritas e comentadas em muitos locais, mais uma vez, os factos que adiantei em 1ª mão acabam por se confirmar!
 
 
Relativamente à Benfica TV, se nos próximos meses o Benfica lançar a BTV3 (3º canal da Benfica TV) e anunciar novos conteúdos desportivos, comprova-se então que a viabilidade da BTV ficará assegurada para os próximos anos, tal como acontecerá com a SportTV, e pelo menos durante esse período o Benfica continuará a gerir os seus direitos televisivos (como tinha anunciado).
 
Mesmo que exista centralização da negociação de conteúdos nacionais em 2018, a BTV poderá licitar packs de jogos nacionais, e continuar a adquirir conteúdos internacionais. Seja qual for o modelo implementado a partir de 2018, o Benfica tem de assegurar o MÁXIMO de receitas possíveis para o clube, e a BTV terá de continuar como um canal pay-per-view forte e competitivo!

Outro facto importante é que o "CONTROLO" de influência e de domínio que Joaquim Oliveira tinha sobre os clubes termina, na medida em que em 2016 alguns clubes, e em 2018 qualquer clube pode abandonar os contratos com Joaquim Oliveira sem qualquer limitação. Basta receber uma proposta superior à que for apresentada pelo actual detentor da maioria dos direitos televisivos do futebol português.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Festa de Natal no Norte, Parte II



No DragãoCaixa parecem ter-se habituado a inchar... Já estivemos a ganhar... 0-2 (LOL) e acabámos de fechar o jogo a vencer por... 3-7 (SETE!).

Brilhante jogo da nossa equipa, com óbvio destaque para o Nicolia pelos golos marcados!

CARREGA BENFICA!!!

Tó Neves... mete gelo!

O Senhor que se segue?

O mês de janeiro aproxima-se, e como sabemos, Janeiro para o Benfica é mês de roer as unhas. Janeiro é mês de mercado, e mercado no Benfica é coisa que nunca acaba. 

De 1 de Fevereiro a 31 de Maio anunciam-se os jogadores que vão sair no Verão, os que não saem no Verão começam a ser anunciados que afinal vão sair é em Janeiro, e quem não sair em janeiro tem saída garantida para o próximo Verão, enfim, questões de grandeza de que só alguns clubes se podem gabar.

E nisto de saídas em Janeiro, e tal como aqui critiquei a saída de Matic em Janeiro do ano passado, criticarei de novo qualquer venda que se efetue neste momento em que ganhámos avanço no campeonato, avanço esse que é preciso manter, com os melhores jogadores, claro.

Toda a gente sabe que o Benfica precisa de vender, mas também é claro para mim que eu não vejo os grandes clubes europeus que ambicionam lutar por todas as competições até final, vender os seus melhores jogadores em Janeiro. Não. Janeiro é mês de retoques no plantel que nos tornem mais fortes, e no Verão sim, com pré-epocas, Verão e outra capacidade de planeamento, tomam-se então as medidas de fundo.

Acho que com Matic, e isto é especulativo obviamente, a Liga Europa não nos tinha escapado o ano passado. Tivemos de vender? Acredito que sim. Mas há algo de muito contraditório a meu ver nestas vendas em Janeiro em clubes em que menos do que chegar em primeiro é derrota. Ora queremos ganhar competições ora queremos vender em Janeiro. Conciliar as duas coisas é que acho que é quase uma impossibilidade.

Ora nós, segundo consta, temos este ano o plantel mais fraco dos últimos seis anos, e ainda assim, e segundo se anuncia Enzo poderá fazer amanhã o seu último jogo na Luz, já que no próximo fim de semana estará castigado. Vai fazer falta? Evidentemente que sim.

De Gaitan fala-se que poderá ser vendido agora mas que só sairá no final da época (assim como se fez com Rodrigo e André Gomes o ano passado), coisa que nos parece que não causa mossa, mas que causa muita mossa no mês de Julho, quando a equipa retoma o trabalho desfalcada das suas melhores peças, as vendidas agora, mais as que não deixarão de ser vendidas no próximo Verão.

É tudo especulação de momento? Evidentemente que sim, e mantenho a esperança obviamente, que não saia ninguém.

Mas verdade se diga, que no Benfica é preciso vender e que a sua politica de sustentabilidade é bem simples: valorizar ativos e vendê-los quando o seu valor está no alto. Não há outra solução, por muito que nos doa.

E Enzo tem 28 anos, e se não sair agora não sei se voltará a sair por altos números, Gaitan tem 26 e está na idade que corresponde ao seu pico, e Sálvio, com 24 ainda é a estrela da companhia que poderá dar para aguentar mais um bocadinho, mas não muito. E nesse aspeto, mesmo não concordando no plano desportivo, terei de aceitar a venda de Enzo, porque são 25 ou 30 milhões que ou se fazem agora ou ficarão muito poucas possibilidades de os realizar.

O que sei, é que para Vieira, vender Enzo com o Benfica na frente levantará muito menos celeuma do que vendê-lo com o Benfica atrás no campeonato. Mas nem por isso este plantel deixa de ser bem mais fracos do que de outros anos, e a liderança de 6 pontos é um engano. O Benfica ganhou no Dragão (com total mérito mas também com a sorte do jogo), mas nada impede o Porto de ganhar na Luz, por isso, a nível de campeonato está tudo muitíssimo longe de estar decidido.

Enzo é um dos últimos Moicanos da Luz, um jogador com uma alma que contagia e vence jogos, e não acredito sinceramente que alguma vez Rúben Amorim ou Fejsa sejam jogadores para o substituir, jogadores com quem contar a nível alto por mais do que três ou quatro jogos consecutivos, já que as lesões fazem parte do seu historial.

A surpresa, e isto se o Benfica não tiver capacidade de ir ao mercado, pode ser... Pizzi, o coelho a sair da cartola de Jorge Jesus, e que no jogo contra o Leverkussen mostrou que há trabalho de casa que está a ser feito.

A vitória do último Domingo no Dragão foi maravilhosa, mas as avaliações ao rendimento da equipa devem ser feitas ao longo de um maior número de jogos. A verdade é que continuamos a ser uma equipa com dificuldades mesmo contra equipas mais pequenas, e a fronteira entre sermos bestas e bestiais é este ano bem mais ténue do que noutros anos.

Amanhã, frente ao Braga joga-se um jogo que pode ser decisivo esta época. Ganhando-o e vencendo no fim de semana o Gil Vicente, este será um natal de ouro para todos nós, que pode servir de élan ao resto da época, tal como aconteceu o ano passado, e dará aos nossos maiores rivais um Natal bem azedo e com muita desconfiança a fermentar no estômago.

Mas o Braga é o Braga, uma equipa que sabe jogar à bola, com excelentes jogadores, e uma equipa capaz de nos tornar de novo bestas num ápice e levantar imediatamente todas as dúvidas.

Um jogo que terá Enzo com toda a certeza, e se não for pedir muito: Que amanhã não seja o jogo da despedida, porque este homem vai seguramente fazer muita falta.



Comunicado AdC sobre Direitos Televisivos. Começa a ficar claro!

Resultante da queixa da Liga de Clubes, num combate levado a cabo por Mário Figueiredo, que lhe valeu o seu isolamento por parte dos clubes, a AdC pronunciou-se hoje sobre este tema no comunicado abaixo transcrito.

Tal como Vale Azevedo alegara desde o primeiro dia no SLBenfica, a AdC considera os contratos actuais da Olivedesportos "não compativeis com as regras da concorrência".

Em Outubro, ficou claro para a Olivedesportos, na Apreciação Preliminar, que ou as coisas mudavam, ou era uma questão de tempo até todos os contratos sejam legalmente resolvidos de forma unilateral, ficando a Olivedesportos "a ver navios".

Como resultado, optou por se comprometer a que os novos contratos não terão mais que três anos, não terão direito de preferência na renovação e não cessam com a descida de divisão,

Quanto aos actuais contratos que contenham estas clausulas, até Novembro de 2015 os clubes pode denunciar os respectivos contratos, a Olivedesportos compromete-se a renunciar ao direito de preferência,

Porém, já foram actualizados os seguintes contratos:
Associação Académica de Coimbra,
Futebol Clube de Arouca,
Os Belenenses
Sporting Clube de Braga
Estoril Praia
Vitória Sport Clube
Marítimo da Madeira
Moreirense Futebol Clube
Clube Desportivo Nacional
Futebol Clube de Paços Ferreira
Futebol Clube do Porto
Rio Ave
Vitória Futebol Clube

13 de 18 clubes. De fora apenas SportingCP, SLBenfica, Boavista, Penafiel e Gil Vicente.

Já repararam? Benfica e Sporting de fora da actualização dos contratos...
... fica claro que um destes teria que "entrar on board" no novo modelo da Liga, porque os dois juntos poderiam criar um modelo de contágio dos demais e evitar o que a Olivedesportos já conseguiu: evitar a rescisão unilateral dos clubes da primeira Liga.

Começam a perceber-se várias questões relacionadas com a união/acordo/negociação/aliança (como se sentirem mais confortáveis) do motivo pelo qual o SLBenfica foi aliciado para entrar "on board" na viabilização da Liga. É que se o Benfica e Sporting criassem uma cisão e a partir da próxima época a Sporttv perdesse também o Sporting e eventualmente até outros clubes em efeito de contágio (Marítimo, por exemplo)... começava a ficar muito complicada a vida para Olivedesportos.

Ora, tendo em conta que estão todos alinhados para novos contratos e que estão todos alinhados na Liga para a centralização, adivinhem lá quem vai sair reforçado disto, quando na verdade entrou de gatas?

Alguém quer arriscar o motivo pelo qual os clubes, que defendem a centralização do Luis Duque, não optaram antes por ficar com os seus direitos já no final da próxima época e avançar já para a centralização e autonomia do Oliveira? Seria óbvio não?

Para terminar apenas uma nota que me possa estar a escapar: Não percebo, o que refere o comunicado quando diz que o SLBenfica tem um um contrato de direitos televisivos com a PPTV em vigor: "Encontram-se nas condições da alínea B. do ponto anterior os contratos em vigor entre a PPTV e os seguintes clubes: (i) da Primeira Liga, Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD"

O Benfica encontra-se com algum contrato em vigor???

Fica o comunicado:

1. Em 11 de abril de 2013, a Autoridade da Concorrência (AdC) abriu um processo de contraordenação contra a Controlinveste Media, SGPS, S.A. (CIM), incluindo as suas subsidiárias PPTV – Publicidade de Portugal e Televisão, S.A. (PPTV) e Olivedesportos – Publicidade, Televisão e Media, S.A. (Olivedesportos), e contra as empresas Sport TV Portugal, S.A. e Sportinveste Multimédia, SGPS, S.A., por alegadas práticas restritivas da concorrência na comercialização dos direitos de transmissão televisiva e multimédia e dos direitos de publicidade dos jogos respeitantes aos campeonatos da Primeira e Segunda Ligas nacionais de futebol.
2. A AdC concluiu que o regime contratual que rege a cedência dos referidos direitos entre os clubes de futebol e o grupo CIM comporta um risco de encerramento do mercado e, consequentemente, poderá não ser compatível com as regras da concorrência.
3. O risco de encerramento do mercado decorre essencialmente dos seguintes fatores:
a) Duração da exclusividade: os contratos são celebrados em regime de exclusividade cuja duração pode ser considerada excessiva e impedir a entrada no mercado de operadores concorrentes;
b) Direito de preferência: os clubes cedem à PPTV o direito de preferência na negociação de um novo contrato, o que permite prolongar a duração da relação contratual;
c) Mecanismo de suspensão: no caso de determinado clube de futebol descer de escalão, o contrato suspende-se, retomando os seus efeitos no momento em que o clube voltar ao escalão inicial, o que permite prolongar a duração dos contratos.

4. Em 10 de outubro de 2014, a AdC notificou o grupo CIM da sua Apreciação Preliminar dos factos, nos termos do n.º 2 do artigo 23.º da Lei n.º 19/2012, de 8 de maio (Lei da Concorrência).
5. Em 28 de novembro de 2014, o grupo CIM apresentou o seguinte conjunto de compromissos, com o objetivo de responder às preocupações jusconcorrenciais manifestadas pela AdC:
A. Em relação a contratos futuros, o grupo CIM obriga-se a não celebrar novos contratos com clubes da Primeira e Segunda Ligas de futebol: 
(i) Com cláusulas de exclusividade com duração superior a três anos; 
(ii) Com cláusulas que lhe confiram um direito de preferência na contratação de épocas desportivas ulteriores ao termo do contrato; 
(iii) Com cláusulas idênticas às atuais cláusulas de suspensão que prolonguem a duração do contrato para além de três anos.
B. Em relação aos contratos atualmente em vigor, que contenham as cláusulas restritivas identificadas, o grupo CIM obriga-se a: 
(i) Conceder aos clubes de futebol o direito de denúncia dos contratos em vigor, sem qualquer penalidade ou compensação, com efeitos a partir do fim da época de 2015/2016, desde que o façam por carta registada até 30 de novembro de 2015;
(ii) Renunciar ao direito de preferência;
(iii) Ceder aos clubes de futebol o direito de revogação das cláusulas de suspensão.
(cf. Anexo I para consulta da versão integral dos compromissos apresentados).

6. Encontram-se nas condições da alínea B. do ponto anterior os contratos em vigor entre a PPTV e os seguintes clubes: (i) da Primeira Liga, Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD, Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD, Gil Vicente FC – Futebol SDUQ Lda., Futebol Clube de Penafiel – SDUQ, Lda., Boavista FC – Futebol, SAD; (ii) da Segunda Liga, Sporting Clube Olhanense, Futebol, SAD, CD Feirense – Futebol SDUQ, Lda., Grupo Desportivo de Chaves – Futebol, SAD, Leixões Sport Clube – Futebol, SAD, Portimonense Futebol, SAD, Atlético Clube de Portugal - Futebol, SAD, Clube Desportivo das Aves – Futebol SDUQ, Lda., Santa Clara Açores – Futebol, SAD, CF União – Futebol, SAD (Madeira), CD Trofense – Futebol SDUQ, Lda., SC Covilhã – Futebol SDUQ, Lda., Académico de Viseu FC, SDUQ Lda., CD Tondela – Futebol, SDUQ Lda., União Desportiva Oliveirense – Futebol SDUQ, Lda., SC Beira-Mar – Futebol, SAD; e (iii) das divisões inferiores, Naval, Futebol, SAD, União Desportiva de Leiria – Futebol, SAD.
7. Desde a notificação a que se refere o ponto 4 supra, a CIM já procedeu à adaptação aos compromissos acima descritos dos contratos em vigor entre a PPTV e os seguintes clubes: da Primeira Liga, Associação Académica de Coimbra, Futebol Clube de Arouca, Os Belenenses – Sociedade Desportiva de Futebol, SAD, Sporting Clube de Braga – Futebol, SAD, Estoril Praia – Futebol, SAD, Vitória Sport Clube – Futebol, SAD, Marítimo da Madeira – Futebol, SAD, Moreirense Futebol Clube – Futebol, SAD, Clube Desportivo Nacional – Futebol, SAD, Futebol Clube de Paços Ferreira – SDUQ, Lda., Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD, Rio Ave Futebol Clube – Futebol SDUQ, Lda. e Vitória Futebol Clube, SAD..
8. Nos termos do n.º 1 do artigo 23.º da Lei da Concorrência, a AdC poderá aceitar compromissos propostos pelos visados que se revelem adequados a eliminar os efeitos sobre a concorrência decorrentes das práticas em causa, arquivando o processo mediante imposição de condições. 
9. Para esse efeito, e nos termos do n.º 4 do artigo 23.º da Lei da Concorrência, submete-se a consulta pública os compromissos apresentados pelo grupo CIM.
10. Quaisquer terceiros interessados podem enviar à AdC observações sobre os compromissos em causa, no prazo de 20 dias úteis contados da presente publicação, indicando a referência PRC/2013/2, para o seguinte endereço eletrónico: adc@concorrencia.pt, ou para o endereço postal: Avenida de Berna, n.º 19, 1050-037 Lisboa.
11. As observações devem obrigatoriamente identificar o interessado, o respetivo endereço postal, o e-mail, números de telefone e de fax, bem como ser acompanhadas de versão não confidencial e respetiva fundamentação da confidencialidade, sob pena de serem tornadas públicas. (cf. Anexo II para instruções quanto à identificação das confidencialidades).

Diz-me com quem andas (visitas)


Ódio e guerra.


A propósito do post do companheiro de blogue Redmoon, "A hora de pegar nas armas?", resolvi escrever umas palavras sobre o que o texto afirma e aponta. 

O Redmoon dá como exemplo o conflito da Irlanda do Norte, uma guerra sangrenta que marcou gerações e ainda marca. É um tema que o Redmoon conhece mas também todos os que já passamos a casa dos 30 anos. Em especial os que temos memória dos anos 80 em que esse conflito tinha sinais mais visíveis e em que o IRA estava activo.
Comparar uma guerra, um conflito com dezenas e dezenas de mortos com um 2 clubes de futebol é uma ideia infeliz. O futebol nunca terá essa importância moral, ou pelo menos não deveria.

O que está em causa entre SL Benfica e FC Porto é algo tão simples como....a honestidade.

Aliás, fico surpreendido com esta mais recente posição do Redmoon quando me recordo do que ele escreveu a 23/11/2011 no post "O Senhor dos Apitos", que transcrevo:


"Por isso, eu tiro o meu chapéu a Pinto da Costa, porque o homem é de facto um génio e criou uma máquina imbatível. O homem percebe inquestionavelmente muitíssimo de futebol e, realmente, o Porto tem sempre excelentes equipas e mentalidade ganhadora. 
Mas o FCPorto não é só futebol. 

O FCPorto é também as alianças estratégicas e os homens certos nos lugares certos, o Porto é imprensa favorável e cargos directivos, o Porto é politica de empréstimos, quinhentinhos, casas de putas, apitos dourados e viagens ao Brasil. Nada é feito ao acaso

O Porto ganha porque tem grandes equipas mas, o Porto ganha também porque há sempre uma mãozinha amiga nas tardes azaradas em que a bola não quer entrar na baliza como acontece com todos os clubes do mundo. No Porto não há a pressão dos maus resultados." - Redmoon dixit.

---------------------------------------------------------------------------------

Pois é. Foi o mesmo Redmoon que escreveu isto.

A Aliança que é negada numa linha do post de ontem é depois invocada noutra linha como justificação para o clima pacífico em que decorreu o FCP-SLB! Em que ficamos?

Meu caro Redmoon, o que mudou em Pinto da Costa e no FC Porto desde 2011 para agora achares que este caminho de entendimento com o clube comprovadamente corrupto é o caminho certo?

O que terá mudado em Pinto da Costa para acharmos que não vai fazer o mesmo que fez a Damásio ou Roquette? Que não vai fazer o mesmo que fez via Joaquim Oliveira? Que fez com tantos clubes pequenos como o Alverca, o Salgueiros ou o Felgueiras?

Vamos acreditar que Pinto da Costa agora criou "bom senso"?

Será que temos de acreditar porque agora quem negoceia com ele é alguém "da sua confiança"?
Será que Pinto da Costa cujas mentiras ficaram expostas com o Apito Dourado é agora um homem diferente?

Será que sonhei com o golo do Maicon fora de jogo que lhes valeu um campeonato? 
Será que imaginei 30 anos de roubos? 

Esqueces que nesses 1% que fomentam a violência no futebol estão exactamente Pinto da Costa e a sua trupe. FIzeram disso o seu discurso oficial anos a fio. E agora tu metes todos no mesmo saco?

Se nunca foste às antigas Antas e te viste encurralado entre a polícia e os SD, como armadilha pensada e executada com malvadez, pergunta aos milhares de benfiquistas que soubemos o que isso foi tantas vezes.

Se nunca foste ao Dragão e te viste enxovalhado e empurrado como um animal pelas forças de segurança e impedido de entrar a horas apenas para te provocar, então pergunta aos milhares de benfiquistas que soubemos e sabemos o que isso é.

A mim, meu caro Redmoon, como benfiquista interessa-me a verdade no futebol. Interessam-me bons espectáculos sem viciação. Interessa-me que qualquer cidadão que queira ver um jogo ao vivo o possa fazer em total paz e liberdade.

No que toca à política do Benfica, como escreverei depois noutro post, recuso quaisquer entendimentos com o FC Porto, seja a que nível for. Enquanto o FC Porto for o FCP de Pinto da Costa.

Aliás, esse silêncio selectivo de Luis Filipe Vieira sobre o tema prende-se com isso mesmo. Se Vieira algum dia afirmar publicamente que realizou um acordo com o FC Porto, verá mesmo alguns dos seus mais fanáticos defensores afastarem-se.

Fazer a paz no futebol português, meu caro Redmoon, não é guerrear com ninguém. É sim sufocar quem chegou a 2014 sobrevivendo apenas da guerra e do ódio.
Esse é o legado de Pinto da Costa. Ódio e guerra. 

Nota: No teu post, só faltou algo: agradeceres aos Super Dragões por terem sido uns bons anfitriões.





Finanças: Bruno de Carvalho prepara queixa à Liga por causa do NovoBanco e do BCP

 
COMUNICADO DA SPORTING SAD


"Em cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248º, nº1 al. a) do Código dos Valores Mobiliários, a SPORTING CLUBE DE PORTUGAL - FUTEBOL, SAD (Sporting SAD) informa o seguinte:

Na presente data, a Sociedade procedeu à emissão de 80.000.000 (oitenta milhões) de Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis em acções da sociedade ("VMOC"), escriturais e nominativos, ao valor nominal de 1 Euro cada, com prazo de 12 anos e com preço de subscrição de 1 Euro cada, totalizando o montante de Euro 80.000.000,00 (oitenta milhões de euros).

Os VMOC são obrigatoriamente convertíveis em acções ordinárias (Categoria B) da Sporting SAD a um preço de conversão de 1 Euro cada, com taxa de juro anual bruta condicionada de 4%, devida quando existam resultados distribuíveis pela Sporting SAD no exercício económico findo anterior à data de pagamento de juros.

A emissão foi efectuada mediante subscrição privada com realização em espécie, consistindo na conversão de créditos detidos sobre a Sporting SAD, pelo Novo Banco SA, no montante de Euro 24.000.000,00 (vinte e quatro milhões de euros) e pelo Banco Comercial Português, S.A., no montante de Euro 56.000.000,00 (cinquenta e seis milhões de euros).

A identificada emissão de VMOC conclui o processo de reestruturação financeira e societária do Grupo Sporting, nos termos informados ao mercado, designadamente por comunicados de 14 e 21 de Novembro de 2014.

 
Lisboa, 16 de Dezembro de 2014
O Conselho de Administração"

Fonte: CMVM


O Sporting emitiu 80M€ de VMOC's (obrigações que serão convertidas em acções, em 2026), subscritas pelo Novo Banco e pelo BCP, e apenas pagará uma taxa de juro de 4% SE a Sporting SAD apresentar lucros!
 
Na prática os VMOC's são uma empréstimo em que, no caso de não ser pago daqui a 12 anos, os Bancos ficam "donos" da Sporting SAD, pelo facto de ficarem com a maioria das acções nessa altura. Tal situação foi imposta devido à situação de "falência" da Sporting SAD.
 
O destaque nesta operação de financiamento vai para a taxa de juro de apenas 4%/Ano que o Sporting terá de pagar, apenas no caso de apresentar lucros. No caso de apresentar prejuízos, paga ZERO!
 
É preciso lembrar que o Benfica e o Porto, nos financiamentos obtidos junto da Banca, pagam taxas de juro a rondar os 7%/Ano, quer apresentem lucros ou prejuízos.
 
Com esta operação o Sporting é financiado em 80M€ e pode conseguir um PERDÃO DE JUROS a rondar a soma de 60M€, durante os próximos 12 anos, com referência a "taxas de juro normais". Falta saber como ficará a taxa de juro do Sporting nos restantes financiamentos (empréstimos bancários, obrigacionistas, etc).
 
Perante tal desigualdade de tratamento entre Sporting, Benfica e Porto, por parte da Banca, Bruno de Carvalho está a ponderar seriamente fazer uma "queixa" à Liga por causa da postura do NovoBanco e do BCP, questionando a "VERDADE DESPORTIVA" deste tipo de situações.
 
Aguardemos os próximos desenvolvimentos!

Senta-te e Aprende...

É isto que a voz da minha consciência me diz para fazer às lições de vida e benfiquismo a que tenho assistido nas últimas semanas neste espaço.

Aliás, acho que não deveria ser só eu a fazê-lo e convido o Shadows e todos os que andaram nesta luta fratricida, pelos vistos obtusa, de combate ao sistema a fazerem o mesmo...

Isto afinal era só uma questão de conversa entre dois amigos desavindos e de repente tudo caminha para um futebol português carregado de verdade desportiva, de equidade e de sentido de justiça.

Até há seis meses atrás, a cada crítica que alguém não concordava, era ver a nota de que o "inimigo" (palavra que sempre achei excessiva) estava a Norte e que era lá que tudo se fazia para humilhar, desprezar e espezinhar o Benfica. Afinal não era assim, estavam todos enganados, ainda não tinha era havido oportunidade para dois adultos conversarem.

Quase 15 anos volvidos dos mais agressivos e combativos ataques e tentativas de levar o outro até à prisão, afinal bastou a carinhosa defesa do futebol português para, em duas semanas, tudo se resolver (deviam ser problemas graves, porque o Benfica leva mais de 10 anos mas pelos vistos a Liga resolveu-se em 10 dias).

Sinceramente, deve ser por conhecer mal a história da Irlanda do Norte ou por não perceber o alcance benemérito da caridade que o dono da Sporttv tem tudo para com os clubes portugueses, eu ainda não consegui perceber o que ganha o Benfica com tudo isto.

E não! Não estamos a falar de manter as mesmas diferenças e opinioes e optar sim por dar o exemplo na forma como as expõe. NÃO! O que está em causa é , de um momento para o outro, quem era (pela boca de ambos) indigno sequer de merecer respeito, passou não só a merecer, como a ser parte de um desígnio comum estratégico. 

Duvido que alguma vez alguém tenha confundido o que estava em causa (corrupção, influências, aliciamentos, agressões, impunidades, etc) com o que todos desejamos que seja um clima de um mínimo de saber estar. Duvido que alguém alguma vez tenha dito que lá porque o homem deve ser preso, se deve dar-lhe um tiro. Mas pelos vistos da jeito confundir as coisas para defender as teses. 

Uma coisa é certa, se nestas novas relações não há interesses nem dinheiro, já estou como o outro, deve ser amor.

Mas não vou discutir mais isto! Nem sequer vou tentar perceber a história da Irlanda do Norte ou como o Benfica pode ganhar alguma coisa com tudo isto. Não vou sequer voltar a tentar entender porque não se aposta na formação ou determinadas escolhas que são e foram feitas. Vou continuar a considerar normal a venda acumulativa de jogadores num mesmo período fiscal até atingir verbas astronómicas e vou continuar a não questionar porque o treinador tem que ser penalizado com responsabilidades que não são suas.

Não vou ficar à espera que passe o efeito anestesiaste, típico do futebol, de uma vitoria ao rival e de 6 pontes de avanco porque quero é que 6 passem a 8, 10, 15... 

Agora vou sim é aproveitar a lição, há quem diga que é sinal de inteligência e eu vou fingir sou inteligente e aproveitar estas lições de humildade e conhecimento para aprender. Vou esperar e "sair de cena" (nestes assuntos!!!) e deixar a democracia falar... não que este blog seja ou deva ser um espaço democrático, mas vou deixar que os próximos dias, semanas e meses sejas brindados - além das vitórias do nosso Benfica - pela evolução da actualidade e respectivo comentário de que tanto nos pode ensinar sobre isso.

Com sinceridade, e estou mesmo a falar a sério, não quero MESMO voltar a estes temas um dia para dizer "eu avisei". Juro que não quero... Antes pelo contrário, espero que pela primeira vez eu possa vir celebrar a vitória do romantismo, já que a última vez que fiz uma destas, o romântico passado uns meses perdeu a veia. 

Aguenta o barco, companheiro. 
(Nestes assuntos, repito!)

artigos recentes