O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 30 de junho de 2012

Como vender melões III

 ●  9 comentários  ● 
Portugal, 30 de Junho de 2012

Continuando a sequência de textos anteriores, vou continuar a mostrar e concluir como é que a comunicação social conseguiu ajudar Jorge Mendes e o FCP a vender Bruno Alves. Depois de vermos como utilizaram Chygrynsky, único alvo do Barcelona para o eixo da defesa, e pelo qual pagaram 25 milhões de euros, vamos ver outras notícias que saíram durante o ano de 2009 e em 2010, quando finalmente conseguiram que o “peixe mordesse o isco”. Calhou ao Zenit ...

“«Bruno Alves tem uma cláusula de rescisão no contrato. Se surgir alguém disposto a pagar o valor previsto [30 milhões de euros], não há nada que possamos fazer. Mas se isso acontecer, eu próprio falarei com o jogador para ele não sair», afirmou Pinto da Costa, esta sexta-feira, à margem da visita à instituição ‘Coração da Cidade’ com a candidata do PS à presidência da câmara do Porto, Elisa Ferreira” - Pinto da Costa, BOLA online 19 de Julho 2009. (uma vez mais a táctica portista do fazerem-se caros para depois venderem por 22 milhões, abaixo da cláusula, e Pinto da Costa ainda ia pedir para ele não sair)
Título principal: “BRUNO ALVES: A BOMBA-RELÓGIO”, “o ‘quase’, tratando-se de Bruno Alves ficar ou partir, ganha uma expressão quase incontrolável para quem quer traçar estratégias e escolher caminhos. Esse é o grande problema de definição dos portistas. Enquanto não houver uma clarificação sobre a questão de Bruno Alves, nenhum avaliador será suficiente para se olhar com olhos de ver este novo dragão” – Vítor Queirós, BOLA online em 20 de Julho. (mas o Barcelona não tinha já tudo tratado com o FCP? O Mourinho não precisava de um defesa central para reforçar o Inter? O Terry não ia sair? Ah, a bomba não rebentou)

Bruno Alves é para segurar ao extremo. «Absolutamente», disse a A BOLA ontem em Isla Canela, um dos principais responsáveis do FC Porto, numa reacção glaciar à notícia que ontem publicámos, na qual se dava conta de uma oferta de 22 milhões de euros do Manchester City. Prontamente recusada - Vítor Queirós, BOLA online em 25 de Julho (curiosamente, no ano seguinte venderam por esse preço. Prontamente)

“Guardiola detectou logo no início da pré-temporada lacunas na área defensiva, apontou soluções e Bruno Alves ganhou cotação para entrar na equipa, mas os catalães continuam a considerar que o preço a pagar pelo capitão portista é excessivoCarlos Vara, BOLA online em 25 de Julho (mas deram 25 milhões por Chygrynsky que até já tinha feito a 1ª pré-eliminatória pelo Shacktar e não podia jogar pelo Barcelona na Champions)

“O pai de Bruno Alves, Washington, revelou que uma possível da transferência do seu filho para outro clube é apenas «especulação», em declarações à ‘Renascença’” – Washington, RR em 5 de Agosto (ou seja, Jorge Mendes lança a confusão de noticias e depois, com lógica, dizem que nada sabem).

“O «manager» do Manchester United, Alex Ferguson, sabe que o defesa-central Nemanja Vidic pretende sair no final da temporada e terá virado as atenções para o internacional português Bruno Alves, do FC Porto, segundo revela, esta terça-feira, a imprensa espanhola” – BOLA online, 29 de Dezembro 2009 (o Vidic continua no Manchester e por acaso, a noticia não saíu nem em Inglaterra nem Portugal, mas Espanha)

O alvo dos merengues está definido há muito: Bruno Alves. A ideia inicial do Real Madrid era mesmo contratar o jogador ao FC Porto para o ter na próxima temporada e, sabe A BOLA, as conversações até já tinham começado em Outubro. Só que a grave lesão de Pepe, que o afasta dos relvados pelo menos até Março, precipitou o interesse dos merengues, que nos últimos dias avançaram com as démarches necessárias para ter o futebolista já em Janeiro”Carlos Vara, BOLA online 27 de Dezembro 2009 (qual Janeiro? Mas aqui está outro truque, a lesão de um jogador)

Bruno Alves vai sair do FC Porto depois do Mundial. O central, fortemente assediado no Verão – o Barcelona ofereceu-lhe cinco anos de contrato, mas esbarrou numa cláusula de rescisão de 30 milhões fixada pelo FC Porto –, vê-se agora num processo de faz-que-anda-mas-não-anda. E já confessou no seu círculo de amizades que "a saída é inevitável", estando apenas à espera de propostas do estrangeiro, concretamente do Inter de Milão e do AC Milan, que já fizeram chegar ao jogador ecos de interesse” – Matilde Dias no CM 17 de Março de 2010 (os ecos do interesse eram do Milan e do Inter. Mas resultou).

“O Lyon, parceiro privilegiado de negócios com o FC Porto, o Lyon em crescimento imparável: chegou às meias-finais da Champions e, com tudo em aberto, refina nos sonhos de grandeza. Bruno Alves é um deles.”Carlos Vara, BOLA online em 24 de Abril de 2010 (tudo muito refinado para o jornal A BOLA).

“Ao que apurou o CM, o FC Porto admite negociar se o Lyon subir a parada até aos 18 milhões. E a venda do central é já um dado adquirido, visto que o clube não pretende renovar o contrato do central, válido até 2012. Recorde-se que, na época passada, no auge de forma do jogador, os portistas recusaram uma proposta de 20 milhões do Barcelona” - Matilde Dias no CM 11 de Junho de 2010 (contentavam-se com 18 e depois venderam por 22. Jorge Mendes pagou comissão a quem comprou?)
“Segundo a A Bola, Bruno Alves já não entra nas contas de André Villas Boas. Ainda sem se saber o clube, o capitão portista deverá rumar a umas das grandes ligas europeias, com Jorge Mendes a tratar do assunto”. – SAPO online 14 de Julho 2010
Título “Ingleses dizem que dragões querem vender Bruno Alves ao Man. Utd” – BOLA online 21 de Julho (outra vez?)
“A Rússia será o próximo destino de Bruno Alves, central do FC Porto. O Zenit S. Petersburgo deve pôr na mesa os vinte milhões de euros exigidos pelos dragões, quando se revela impossível que algum clube atinja os trinta milhões da cláusula de rescisão” – S.P.C. no CM 22 de Julho de 2010 (saiu por 22 quando o FCP aceitava 20. Haverá pagamentos por baixa da mesa? Não sei).
E assim se faz de um melão um grande jogador. Esteve entre o Inter, o Barcelona, o Lyon, o Manchester United, o Real Madrid, o City, etc. Notícias nunca confirmadas, como é óbvio. O FCP ganha dinheiro, Jorge Mendes idem. E o circuito continua a funcionar. Com apoio da comunicação social.


Apresentação Tiago Pinto

 ●  13 comentários  ● 
Não, não se trata de um novo jogador para o Benfica, trata-se apenas de mais um de vós que, no meio de uma vida - felizmente - agitada não para de pensar no Benfica. Um dia ouvi Fernando Tordo dizer que Benfica era uma ideia e, sendo ideia, era impossível sair-nos da cabeça enquanto não se realizar. E aí reside o adn do Benfica, realiza-se todos os dias, mas continua imperfeito, havendo sempre espaço para sermos mais e melhores. 

Agradeço aqui o convite que me foi feito e espero que este espaço, particularmente os meus post's, sejam um meio de agregação de Benfiquistas. Como sabem o Benfica já era uma democracia mesmo quando o país não o era e eu acho que temos a responsabilidade de nos juntarmos em torno de sugestões de melhoria para o Benfica. Acredito, mesmo, no altruísmo Benfiquista e sinto-me feliz por pertencer a uma enorme comunidade jovem Benfiquista, com sangue na guelra, que quer participar, sugerir, fazer coisas em prol do Clube. 

As derrotas (pelo pessimismo) e as vitórias (pela euforia) cegam-nos a mente e aquilo que vos proponho é que, através dos temas que for sugerindo, participem massivamente, apresentando ideias, sugestões e críticas que, posteriormente, poderíamos fazer chegar ao Benfica. Alguns podem considerar-me ingénuo, mas eu não me resigno aos modelos instalados e quero acreditar sempre que as pessoas que lideram o nosso Clube, tal como nós, querem o melhor para o Benfica. 

Nas aulas de liderança (no mestrado em economia e gestão de RH) aprendi algo para vida: 50% da culpa de um mau líder é dos liderados...e, assim sendo, malta, a nossa culpa vai ser reduzida através de uma participação educada, responsável e altruísta. 

Aceitam o desafio?

P.S: talvez seja útil esclarecer que sou o dono daquele pequeno estaminé chamado benficadependente.blogspot.com


sexta-feira, 29 de junho de 2012

Prémio Vitor Constâncio !!!

 ●  7 comentários  ● 
O Proença  apitar a final do Europeu, é um autentico enxovalho aos Benfiquistas e um Certificado de Propriedade da APAF, a favor dos altos interesses dos corruptos de Contomil.

Isto é o mesmo que VÍTOR CONSTÂNCIO II

Se cá erra, é premiado lá fora !!!
------------------------------------------------------------------------

P.S.
Uma ideia deixada por um leitor...

Aquilo que me leva a escrever este email, é o fato de poder-se aproveitar o EURO 2012, em proveito do BENFICA:
O principal causador da derrota Benfiquista, comprovou, no referido torneio, que não erra por incompetência, mas sim porque vem com esse fim. E isso já toda a gente sabe.
Deste modo, proponho, que como força mobilizadora de Benfiquistas, seja feita uma recepção ao Sr. Pedro Proença, no Aeroporto, de forma a aproveitar o mediatismo que isso possa causar a nível interno e a nível internacional.
Nota: Não estou a incitar à violência, mas sim ao protesto.
B.C.. (LINK)


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Como vender melões II

 ●  19 comentários  ● 

Portugal, 28 de Junho de 2012

Terminei o texto anterior referindo que para vender os seus jogadores (activos) por vários milhões acima das expectativas iniciais, a FCP SAD tem-se socorrido do empresário Jorge Mendes, agente que parece ter “descoberto” uma forma de trabalhar que se tem mostrado ser quase infalível.

Como faz nos bastidores, não sei nem creio que algum dia, alguém venha a saber. Se paga comissões aos cargos importantes dos clubes que lhe compram jogadores nunca saberemos. Mas o que sabemos é que para os seus jogadores, a comunicação social adopta padrões de informação (intoxicação) e contra-informação, que se tem revelado precioso auxiliar deste empresário, que assim mostra ser mestre na arte do jogo da sedução e da criação de expectativas, aos clubes certos, com as pessoas certas. Vejamos o caso do Bruno Alves (notícias de 2009):
Bruno Alves vai mesmo ser transferido e dois gigantes do futebol europeu lutam pelo defesa do FC Porto. Quem ganhará a corrida? Barcelona ou Inter? Com uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros e representado por Jorge Mendes, o futuro do internacional português pode juntá-lo a José Mourinho, técnico do Inter que procura um defesa central para reforçar o campeão italiano” – BOLA online, 5 de Junho (o nome de Mourinho dá credibilidade à notícia, mas é um nome de empréstimo, pois Mourinho não negará, por amizade, este interesse).

O defesa-central do FC Porto e da Selecção Nacional, Bruno Alves, procurou esta noite fugir à questão que lhe foi colocada sobre o futuro, mas deixou no ar a possibilidade de sair do Dragão. Bruno Alves está na lista do Inter e do Barcelona e, segundo a BOLA noticiou, deverá ser o próximo dragão a ser transferido” – BOLA online 6 de Junho (falharam os prognósticos, Cissohko foi o primeiro a sair, mas a BOLA noticiou sem confirmar, publicou o que lhes mandaram publicar)

“Em Inglaterra circula a notícia do alegado interesse do Aston Villa no internacional português. O assunto até poderá evoluir nos próximos tempos, no entanto, os dragões não parecem ter muita vontade de discutir qualquer proposta pelo jogador” – BOLA online 9 de Junho (o FCP faz-se sempre “difícil”. Não querem vender estando desesperadamente à espera do encaixe financeiro)

A imprensa italiana noticia esta terça-feira que FC Porto e Barcelona têm praticamente acertada a contratação de Bruno Alves, central português que também tem sido apontado ao Inter de José Mourinho” – BOLA online 9 de Junho.

“O Barcelona pode ser o destino de Bruno Alves. A negociação entre os catalães e o F. C. Porto estará bem adiantada. Os campeões da Europa já terão avançado com uma proposta de 22 milhões de euros” – JN online, Miguel Amorim, 10 de Junho.

Título principal: SAD TEM CONVITES EM CARTEIRA MAS AGUARDA PELA MELHOR PROPOSTA PARA TOMAR DECISÃO.O Barça está na dianteira da corrida por Bruno Alves. Um emissário dos catalães terá estado ontem na Invicta e a verdade é que o jogador, de férias no Algarve, decidiu regressar de imediato ao Norte, onde já deverá estar durante o dia de hoje” – DN online, 19 de Junho (se calhar veio para cima porque acabou as férias. Perguntaram-lhe?). 

Mas para mim (pai Washington) , agora é a hora certa de sair. Daqui a um ano, já não quero que ele saia!» Bruno Alves tem 27 anos e, para Washington, é agora ou nunca” – BOLA online 20 de Junho (por acaso até saiu .. no ano seguinte!). 

O central ucraniano do Shakhtar Donetsk recusou uma oferta feita pelos actuais campeões europeus. A ‘nega’ de Chygrynskiy deverá reforçar o interesse dos catalães em Bruno Alves” – BOLA 10 de Julho (mas afinal, não estava tudo acordado em 9 de Junho?). 

O central John Terry está a ser fortemente cobiçado pelo Manchester City e o Chelsea já procura substitutos para o caso de o internacional inglês deixar Stamford Bridge. De acordo com a imprensa inglesa, Bruno Alves é um dos pretendidos. Porém, o Chelsea terá de rivalizar com o Barcelona, já que os catalães têm sido apontados como o candidato mais forte a avançar para a contratação do internacional português” – Bola online, 12 de Julho (viu-se mesmo Terry a sair e o Barcelona a contratar Chindrinsky). 

“El consejero delegado del Shaktar Donetsk Sergiy Palkin aseguró que su club está negociando con el FC Barcelona por el defensa Chygrynsky y afirmó que si el Barça "desea" un jugador, "siempre consigue lo que quiere"” – Marca online 27 de Julho (afinal o que o Barça quer, consegue. Mas eles não queriam o Bruno Alves, segundo o jornal A BOLA?)
(continua)

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Como vender melões I

 ●  13 comentários  ● 

Portugal, 27 de Junho de 2012

Há pelo menos 8 anos que o FCP domina o panorama desportivo nacional no que respeita à venda de jogadores (agora também denominados “activos”) por valores acima das expectativas gerais, até dos próprios adeptos.

Poucos avançam com explicações para este sucesso, mas muitos rendem-se em elogios à organização portista. Estamos em Portugal, país de comentadores e não de fazedores, é normal.

Os mais “atrevidos” ainda vão dizendo que “o FCP sabe vender”, frase sem sentido se considerarmos que do outro lado deveria estar, um clube ou SAD que também devia saber comprar. Aparentemente não tem estado, na maior parte dos negócios.

Vejamos então outros lados deste sucesso, para tentar chegar a conclusões que permitam ao Benfica “copiar” o modelo, sempre e quando se justificar ou a oportunidade surgir.

O FCP vendeu, de 2004 para cá, Deco por 24 milhões ao Barcelona (comprando-lhes em troca Quaresma por 6 milhões), Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira e Bosingwa ao Chelsea respectivamente por 30, 20 e 20 milhões, Quaresma ao Inter por 24 milhões (comprando-lhes Pelé por 6 milhões), Raúl Meireles ao Liverpool por 14 milhões, Lisando Lopez e Cissohko ao Lyon por respectivamente, 23 e 15 milhões, Lucho Gonzalez ao Lyon por 18 milhões, Pepe ao Real Madrid por 30 milhões, Bruno Alves ao Zenit por 22 milhões, Falcao e Ruben Micael ao Atlético de Madrid por 40 e 5 milhões respectivamente. Tudo somado e descontando o investimento que a SAD FCP teve de fazer em compras associadas, venderam tudo grosso modo, por 273 milhões de euros. Em 8 anos.

Primeira conclusão: só as contratações pedidas pelo ex - treinador Mourinho renderam à FCP SAD um total de 118 milhões, ou seja, cerca de 43% do total das vendas! Cá está então uma primeira conclusão: ter “amigos” ex - funcionários, nos principais clubes europeus dá um enorme jeito. Copiar esta situação é contudo difícil para o Benfica, porque quem ganha os campeonatos é o FCP, e portanto até um Villas-Boas qualquer consegue adquirir curriculum, que lhe permite depois ser cobiçado por um grande clube europeu. Por azar, não aqueceu o lugar se não é possível que este defeso, o Givanildo (Hulk) estivesse de saída para lá, por mais umas dezenas de milhões.

Dos 13 jogadores acima listados, no mínimo 10 (77%) são representados por Jorge Mendes, o actual “dono” da Selecção Nacional, pois nem o seleccionador lhe escapa. Não tenho certezas quanto a Lizandro, Cissohko e Lucho. Daqui outra conclusão: para vender caro, os jogadores têm de ser representados por Jorge Mendes. Neste aspecto, já beneficiamos com este empresário (ligado ao FCP). Ajudou-nos a vender Di Maria, David Luiz e Fábio Coentrão, nos únicos negócios acima dos 30 milhões que a actual Direcção conseguiu fazer. 

De onde poderemos reter já outras conclusões indirectas: os méritos de Pinto da Costa e Filipe Vieira nestas transacções de milhões, como se pode constatar, são muito reduzidos. Deles, praticamente apenas conta a vontade de vender! O resto é feito por Jorge Mendes.

Mas como faz então Jorge Mendes para vender jogadores pelo preço que poucos conseguem vender? Penso que a sua estratégia vencedora assenta em dois vectores fundamentais: 1) paga uma comissão a quem compra, 2) comunicação social.

Relativamente ao ponto 1, obviamente nunca ninguém saberá se isto de facto acontece. Apenas poderemos estranhar muitas coisas como por exemplo, que Peter Kenyon, o dirigente do Chelsea que contratou vários jogadores ao FCP SAD através de Jorge Mendes, esteja hoje a trabalhar com... Jorge Mendes depois de despedido do Chelsea.
Quanto ao ponto 2, comunicação social, os factos falam por si. No próximo texto vou colar as noticias, rumores, alegados interesses de outros clubes na contratação de Bruno Alves, com datas, jornais, sítios onde foram publicadas e jornalistas que as subscrevem, para tirarmos a conclusão que se a comunicação social não trabalha para Jorge Mendes, pelo menos parece que trabalha.

terça-feira, 26 de junho de 2012

A entrevista de Fernando Tavares (FT) - Parte III

 ●  45 comentários  ● 
Intolerância:

Refere FT com toda a razão, que a intolerância prejudica o clube, atribuindo a responsabilidade desta atitude aos “não-Benfiquistas, sendo porém bem conhecida semelhante intolerância dos opositores aos Dirigentes atuais, não se coibindo muitos deles de recorrer à ofensa pessoal ao mais alto membro do clube. Esta é uma matéria onde não há inocentes, impondo-se uma urgente aproximação reconciliatória de todos em nome dos superiores interesses do Benfica.

José Veiga:

Folgo em saber do Benfiquismo, competência e dedicação de José Veiga atribuindo-lhe coresponsabilidade na penúltima vitória do campeonato. Desconhecendo as verdadeiras causas da sua saída, era óbvio que os seus problemas com o fisco tornaram-no um alvo fácil para os adversários e seus cúmplices, induzindo grande instabilidade em toda a organização do Benfica.

Terá que resolver em definitivo todos esses problemas antes de pensar no regresso. No entanto fico apreensivo com a convicção com que refere que, a continuar no clube, José Veiga teria, nesta altura, restituído ao Benfica a Hegemonia no futebol. Como se pára um Proença, um Olegário, um Batista, um Soares, um Elmano, etc.? Saberá José Veiga fazê-lo?

Comunicação:

As considerações de FT devem ser objeto de reflexão, embora as considere excessivas. Por outro lado é natural que os órgãos de comunicação do clube o defendam e evitem envolver-se com quem confunde crítica construtiva com insulto permanente. A idoneidade de quem critica é condição para a desejada disponibilidade para o debate. Discordo frontalmente das restantes considerações que FT faz sobre o tema. Não critico a estratégia de discrição assumida pela Direção nem concordo com a acusação de protagonismo ao Diretor de Comunicação, não me parece séria a acusação de controlo da Comunicação Social nem é séria a acusação ao Presidente de não ser ele próprio a escrever os seus discursos; é assim em todo o lado, dá as orientações, alguém escreve e ele confirma. Francamente, lá está o despeito novamente disparando implícito insulto.

O apoio a Fernando Gomes:

Surpreendentemente FT revela compreensão pela posição assumida pela Direção nesta matéria, não sem dar mais uma “bicada” nos alegados “conspiradores internos”. Virá alguma boa surpresa a caminho? Não tardaremos em sabê-lo. Direitos Televisivos: Com idêntica surpresa restringe o interesse desta temática ao valor em jogo, indicando como desejável a verba de 30 ME e ao direito de preferência da Olivedesportos! Discordo frontalmente; quero ver essa gente fora de vez! Simbolizam a subjugação do Benfica e dos Benfiquistas aos “bandidos” que destroem o futebol e ainda são elogiados!

Competência:

É aqui que Fernando Tavares se estatela estrondosamente! Ao atribuir a escassez de vitórias do clube exclusivamente ao desleixo e falta de competência, revela, mais uma vez, o profundo ressentimento que o domina! Ao contrário, é óbvio que o nível de competência global e setorial no Benfica tem aumentado gradualmente, sendo inegavelmente fundamental torna-la mais profunda e ampla, o mais rapidamente possível.

Por outro lado, a capacidade de investimento do outro clube resulta do “lugar cativo” que tem na Liga dos Campeões e da influência que exerce sobre as instituições desportivas, o que lhe permite alavancar o valor dos seus ativos humanos, sobrevalorizando-os e tornando ordinárias estas receitas.

Veja-se o exemplo da época em curso; o outro clube, tem um orçamento de 109 ME, tendo contabilizado 50 ME de receitas na venda de atletas! Tal só é possível pelo baixo grau de incerteza na prova, proporcionado pelos sistemáticos e fatais “erros” de arbitragem de que beneficia e pela influência que detém na FPF, na constituição da Seleção Nacional.

Como pode Fernando Tavares ignorar o suporte financeiro do outro clube, proporcionado pelas suas fortíssimas ligações à banca e aos maiores capitalistas de Portugal, que lhe tem permitido criar ao Benfica, as maiores dificuldades no aumento da sua capacidade competitiva global?

Ignorar a influência de toda a panóplia de “investimentos” que vieram a lume no processo do Apito Dourado, alegadamente, utilizados pelos dirigentes do outro clube, não é sério!

Nem é sério afirmar que o sistema sempre existiu!

Nem é sério considerar que a competência é suficiente para vencer a corrupção. Nem é sério ignorar o suporte político de que beneficia o outro clube!

Nem é sério afirmar que no outro clube se criou uma cultura de vitória, quando, pratica a intolerância, a violência, o condicionamento do desempenho dos vários agentes desportivos por múltiplos e repugnantes processos.

Nem é sério afirmar que foram as Direções mais recentes que conduziram o clube à “autodestruição”, quando se verificou precisamente o contrário.

Nem é sério afirmar o conformismo dos Benfiquistas com a falta de vitórias.

Nem é sério acusar a atual Direção de fomentar a propaganda! Pode exigir-se mais debate interno, mais participação de Benfiquistas nos órgãos do clube, maior competência, maior capacidade de intervenção externa, mas não é idóneo suscitar a anarquia, a indisciplina, o insulto e a divisão de Benfiquistas!

Nem é sério estabelecer qualquer tipo de paralelismo entre “o sistema” dos tempos de Eriksson e o atual! Não tem comparação possível!

Ao atribuir as vitórias do Benfica à ocorrência de mudanças de ciclo no outro clube, contradiz-se, revelando falta de sagacidade e o já referido ressentimento, na medida em que, reconheceu antes dever-se à competência, a última vitória do Benfica e ignora um facto óbvio; As vitórias de Benfica ocorreram quando o outro clube perdeu influência na Liga! É ou não é? Claro que é!

Da maior gravidade revestem-se estes pontos de vista proferidos por um “Embaixador da Ética no Desporto” colaborando com o “Plano Nacional de Ética no Desporto” a convite do Secretário de Estado do Desporto e Juventude, público admirador do outro clube e do seu presidente!

O que eu esperaria de um Benfiquista seria a recusa liminar da distinção ou a exigência de efetivas condições de restabelecimento da ética no desporto…mas não a “ética” do outro clube!

Espero pois que FT nos informe das condições que impôs ao Secretário de Estado para aceitar a distinção, sob pena de considerar este, como mais um gesto de cobertura aos métodos usados pelos dirigentes do outro clube, rejeitando reconhecer a FT autoridade moral para criticar os atuais Dirigentes do Benfica.


(Continua)

Platini disse. Estará decidido?

 ●  6 comentários  ● 
Concerteza que neste momento todos os portugueses têm no fundo da sua mente as declarações de Platini em que este disse que pretendia uma final Espanha-Alemanha.
Curiosamente hoje saiu a notícia de que os árbitros equacionados para a final são um inglês, um italiano e um português! Porque será que não há árbitros espanhóis e alemães na escolha final?

Se a final for decidida entre Espanha e Alemanha como é que a UEFA salvará a face contra as suspeições de que foi uma final cozinhada, quando o próprio Presidente da instituição não demonstra o mínimo nível de imparcialidade em público?
Se tal desfecho se confirmar, Platini acaba de contribuir mais uma vez para a descredibilização do futebol e desta vez ao mais alto nível, porque se já nem na UEFA se pode confiar para manter a imparcialidade então em quem é que se pode confiar?


Não sei porquê... mas eu acredito

Avatar
 ●  5 comentários  ● 
Hoje, nao vou venho falar do nosso Glorioso, que é uma das razões do meu respirar. Venho falar da, que era até há dias pelo menos, a minha seleção. Mas não, é a NOSSA SELEÇÃO!!
O português gosta da pluralidade, uns gostam de dizer mal dos portugueses que temos nos clubes, outros nao dão valor a seleção poruqe não temos portugueses, imaginem que até temos quem critique os clubes que tentam contratar jogadores da nossa seleção. Temos de respeitar, eu respeito.


No entanto, hoje, sinto os portugueses com esperança e vejo crescer um sentimento de união e de vontade em rebentar com os espanhois (apenas a seleção). Vejo pessoas que acham que CR7 vai fazer um jogo de tal forma que nem no Real o irão aceitar da mesma forma porque não poderão esquecer a maldade (eles são patriotas a fundo). Alguns acham que o Nani irá lançar um "petardo" quando eles estavam preocupados em defender o lado seu direito. Eu tenho a secreta esperança, que o puto Nelson vai aproveitar as brechas que os centrais espanhois de vez em quando deixam aberto.

Não importa, desde que tenha as quinas ao peito e acerte na baliza correcta, eu aceito, seja ele de que clube for, ele amanhã será do meu clube da minha seleção.

Até domingo o clube do meu coração é a minha seleção!!!

VEJAM O VIDEO do que os espanhois acham de nós

Abraço a TODOS os portugueses, juntos seremos mais fortes.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

A estrevista de Fernando Tavares - Parte II

 ●  22 comentários  ● 
Investimento marginal: Parece-me perfeitamente razoável assumir um deslizamento moderado num orçamento se tal permitir aumentar consideravelmente a probabilidade de sucesso. Os custos do insucesso serão sempre muito maiores. Já tivemos exemplos bem dolorosos desta realidade. 

Tomada de poder no clube e na SAD: É uma acusação gravíssima, com destinatários definidos que não deve ficar por aqui. Refere-se a altos funcionários não Benfiquistas que, assegura, têm agendas de boicote do clube e da SAD impedindo o crescimento da sua competitividade desportiva global, alegando que deveriam subordinar-se funcionalmente aos membros eleitos, devido à maior legitimidade e empenho destes. Esta afirmação carece de demonstração cabal e da consequente resposta dos visados, que têm todo o direito de se defender, e nós, o direito de ser esclarecidos, visto que se trata de um tema fraturante, que tem de acabar de uma vez por todas. Se por um lado compreendo o desconforto e a suspeita permanente que paira entre Benfiquistas sobre uma Direção que contrata para lugares-chave, profissionais adeptos de outros clubes, por outro lado, também compreendo que a emotividade do dirigente-adepto conduz frequentemente à irracionalidade e ao descalabro, tal como aconteceu com as Direções anteriores à atual. Por mim, considero absurda tal acusação, na medida que, qualquer projeto de tomada de poder num clube, só terá viabilidade se visar o sucesso do mesmo. O que me importa é saber se as pessoas em questão cumprem bem ou não a sua função. E é neste domínio que tal acusação tem que ser sustentada. 

Não esqueço o total descrédito e anarquia que se vivia no clube anteriormente, nem a “deriva” que frequentemente se apodera dos “notáveis” que se julgam “donos” e “fiéis depositários” do património cultural do clube, julgando-se legitimados para condicionar a gestão corrente ou estratégica do clube, acabando por a manietar, condenando-a irremediavelmente ao insucesso. Devolver ao Benfica a sua grandeza, na atual conjuntura e após o descalabro, é uma tarefa lenta e árdua, que exige o empenho de todos, cada um no seu posto. Para bem do clube, é imperativo eliminar esta desconfiança de uma vez por todas, reconciliando os Benfiquistas, sendo que, tal só será alcançável, com respeito mútuo. 

Autocrítica: Ao reconhecer que deveria ter envolvido mais o Presidente do clube na sua gestão, demonstra a sua honestidade, mas também levanta a ponta do véu! Fernando Tavares não gostou de ver reduzida a sua autonomia em benefício de “um membro não eleito” nem de perder influência junto do Presidente, opondo-se à cadeia hierárquica, indispensável ao sucesso de qualquer instituição. Naturalmente, tudo terá ocorrido em circunstâncias de grande tensão, desfavoráveis ao diálogo. Foi pena. 
  
Confronto de ideias: Sem o afirmar abertamente, FT dá a entender que o atual Presidente não estimula o debate de ideias, o que, a verificar-se, é grave, visto que, este, estimula os colaboradores a envolverem-se na identificação e resolução dos problemas com benefício da instituição. Dispensar este contributo é um mau ato de gestão que, porém, não pode pactuar nem com indisciplina ou com permissividade. 

Estruturas e formação nas modalidades: Aponta a falta de profissionalização destas estruturas como principal razão para o défice de vitórias nas modalidades, bem como falta de aposta na formação no caso do andebol, apesar do desinvestimento que se tem verificado nas equipas adversárias; afirmação que parece revestir-se de grande pertinência. Ainda hoje lamento a saída de Alexander Donner e lamento que FT, não o possa ter esclarecido, deixando no entanto claro que se tratou de algo muito grave! 

Medidas drásticas: A decisão que tomou de retirada do Benfica na Liga de Basquetebol que terá provocado a implosão desta e propiciado a ascensão do clube às vitórias nesta modalidade, é um exemplo do tipo de medidas que, defendo, devem ser tomadas noutras modalidades, incluindo o futebol sénior. Já quanto ao hóquei refere FT não ter tido apoio presidencial na implementação do projeto delineado com Carlos Dantas, que devolveria ao clube a hegemonia na modalidade, revelando-se surpreendido por algumas dessas ideias terem sido implementadas posteriormente. É possível que assim seja, porém, apesar do enorme respeito e gratidão que tenho por Carlos Dantas, percebi que o seu ciclo tinha terminado no Benfica, quando declarou publicamente não saber porque ganhava o outro clube, em vez de denunciar sem tibiezas as conhecidas “ más práticas da arte” em que é useiro e veseiro, para g´qudio geral. 

Incidentes no Basquete: Ao reconhecer não haver inocentes nos incidentes verificados no recinto do outro clube no jogo que decidiu o título, FT está a responsabilizar os Atletas, Técnicos e Dirigentes do Benfica, algo que repudio veementemente. Tal como me parece despeito, a censura que fez do discurso do Presidente, referindo que teria feito melhor. Aqui esteve mal FT, pois tratou-se de uma das raras ocasiões em que Filipe Vieira “pegou o toiro pelos cornos”, algo que deveria fazer com mais frequência.

Venezuelisação: Tal como FT reconhece, trata-se de uma expressão excessiva e infeliz, acrescento eu, por se tratar de uma referência deselegante ao Presidente de um clube onde, ao contrário do que insinua, os sócios exercem livremente a sua soberania nos atos eleitorais ordinários. Mais uma vez, o despeito ganha terreno ao bom senso. 

Estatutos: Partilho do ponto de vista expresso por FT e considero que as condicionantes introduzidas para admissão dos candidatos resultarão em graves prejuízos para o clube, embora reconheça a necessidade de prevenir o aventureirismo ou a infiltração de agentes adversários. Tal como refere, é um ultraje à tradição Democrática do clube.


ranking