O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 16 de outubro de 2010

A dimensão de um "bom negócio"

 ●  5 comentários  ● 
O futebol é acima de tudo paixão (do lado dos adeptos)! O copo nunca está meio cheio, nem meio vazio... há sempre opiniões distintas para um mesmo facto, uma mesma ocasião, até um mesmo lance de um mesmo jogo. Também por isso, quando o "negócio DiMaria" vem à baila, curiosamente quando se noticia a aquisição de mais um ou dois argentinos por valores na ordem dos 10/12M€, achei pertinente dar novamente a minha opinião porque 25, 30 ou 36M€ por DiMaria são não são um bom negócio, não podendo obviamente considerar-se mau.

Sustentam uns, lá está a parte do copo meio cheio - a dos que se contentam que algo tenha corrido bem em vez de querer que tivesse sido melhor ainda, que no final do primeiro ano de águia ao peito, o jogador então de 19 anos era visto por muitos como "despachável".

No que me diz respeito, sempre olhei para DiMaria como um jogador que aproveitava muito mal o seu potencial e que, como tal, cabia ao clube ter capacidade para "moldar" e formar o jogador. Ou tínhamos arte e capacidade para o fazer... ou desperdiçaríamos muito potencial desportivo e financeiro. O tempo deu-me razão, com Jorge Jesus a "história" foi outra e DiMaria ganhou a "consequência" que lhe faltava para apoiar a defender e para ser consequente no último terço do terreno.

Posto isto, Jorge Jesus diz hoje que DiMaria é o melhor ou dos melhores DO MUNDO na sua posição, algo que acredito que a generalidade dos benfiquistas concordam - ainda para mais se pensarem na falta que ele nos tem feito.

A realidade - e voltamos ao copo meio cheio e meio vazio - é que DiMaria não foi vendido quando ainda estava "em potencial", quando ainda tinha tudo para aprender (além da sua fantasia), mas foi sim vendido depois de o SLBenfica e Jorge Jesus o colocarem na ribalta e cotado entre os melhores do Mundo na sua posição.

O facto de em tempos ele não ter valido o que vale hoje, não pode ser atenuante para o SLBenfica ser condescendente na negociação de um dos melhores do Mundo. DiMaria possivelmente queria sair, ao seu lado tem um dos mais influentes empresários do Mundo (Jorge Mendes) e estava na rota de todos os grandes clubes do Mundo (se não tivesse "prometido" há muito ao Madrid).

São estes argumentos que sustentam que o SLBenfica deveria ter-se feito valer da sua intransigência e transmitir ao Jorge Mendes que nunca abaixo de 35M a pronto + 5M em objectivos ao máximo de um ano, sendo que o "bluff" deveria ser sempre explorado aos 40M. Um jogador desta qualidade nunca pode ser "prometido" ou "reservado" a um Clube, pois é na concorrência e no jogo da "oferta e procura" que o preço sobe.

E se não saísse?
Alguns dizem que não haveria outros interessados e o negócio ou se fazia assim... ou não se fazia e o SLBenfica precisava de dinheiro. Bom... Olhando para as contas da época, em que gastámos praticamente tanto como recebemos, sou forçado a concluir que financeiramente era perfeitamente aceitável que ele ficasse. Desportivamente, era tudo uma questão de lhe renovar o contrato e forçar a nota do plantel sobre a Champions para, ao cabo de uns jogos, ele estar motivadíssimo.

Isto é apenas a minha opinião! Não está certa nem errada... é a forma como vejo as coisas!

Isto num momento em que sabemos que Coentrão e David Luiz serão os "DiMaria" desta temporada, ou seja, que estão nos radares de todos os colossos mundiais, é importante não voltar a ter a tentação de "prometer" ou "antecipar" os jogadores a algum/alguns clubes.

E não me venham com as tretas que o Real Madrid "facilitou" Saviola e Javi Garcia, porque no caso desses dois e o mesmo se aplicou a Balboa, o SLBenfica foi apenas buscar jogadores que não contavam para o plantel e teriam que ser dispensas/vendas a solucionar. Rui Costa foi, sim, astuto e inteligente! São caso totalmente diferentes de vir ao SLBenfica buscar o jogador mais valioso da Liga, do Clube e um dos mais valiosos do Mundo.

Para terminar, é preciso lembrar que até ao momento DiMaria rendeu "apenas" ao SLBenfica 26,4M€ (já contando com estes 5M) e uma mais-valia de 18,4M (retirando o valor do custo) - recordo mais uma vez que estamos a falar de um jogador de TOP mundial. Sobre isto brevemente voltarei ao tema da (in)utilidade dos Fundos, até a propósito da (mais uma) manobra manhosa do FCPorto.

Por falar em negócios, a confirmar-se o interesse na contratação do Funes Mori por valores na ordem dos 10M, independentemente do valor do jogador, teremos de o juntar depois a Cardozo (11M), Saviola (5M), Jara (5,5M), Kardec (2,5M) e Rodrigo (6M), e devemos ainda considerar Nélson Oliveira e os potenciais dispensados do final da temporada Nuno Gomes, Weldon e Mantorras.

Ou seja, são cerca de 30M investidos em cinco jogadores de ataque, aos quais o Record afirma que o SLBenfica quer juntar mais um jogador por valores na ordem dos 10M€.

Se um das ideias for a venda do Cardozo, sugiro que a façam antes de anunciar a aquisição do Mori ou de qualquer outro jogador para o ataque, sob pena de perdermos capacidade negocial, dado que qualquer comprador vai perceber que queremos "despachar" jogadores.

Depois, fico curioso para ver o "destino" dado aos milhões investidos em Jara e Rodrigo (11,5M) num enquadramento destes e, especialmente, se isto vai significar mais um empréstimo do Nélson Oliveira.

Fica o desejo que seja uma especulação do Record...

Porque a Direcção não deve vender os bilhetes para o Dragão

 ●  5 comentários  ● 
Esta rabula dos bilhetes ja chateia! Se e para fazer boicote aos jogos todos isso inclui o jogo no Dragao. Os 2500 nas bancadas nao vao fazer diferenca no antro da Corrupcao.
Se e verdade que se pedem os bilhetes mas nao vao ser postos a venda concordo plenamente com essa medida. Mas acho que a Direccao do Benfica deve comparecer em peso no Dragao (os 100 bilhetes VIP) e lutar contra qualquer pouca vergonha que possa acontecer.

E caso seja preciso lembrar a Direccao a razao da indignacao dos adeptos e porque e que ficamos pior que estragados com esta atitude do "facas o que digo, nao facas o que eu faco" aqui vai um video bastante interessante do campeonato dos Corruptos ate agora:



E por isto que estamos indignados. E por isto que o BENFICA TEM QUE ASSUMIR UMA POLITICA DE TERRA QUEIMADA CONTRA ESTES CORRUPTOS TODOS.
Nada de hesitacoes.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

As Aparências Iludem

 ●  12 comentários  ● 
O Blog GeraçãoBenfica, como escreveu nos comentários o meu companheiro Vermelhusco, foi o primeiro a falar em Fernando Seara e na hipótese real de avançar para a liderança da FPF. Mais uma vez, este blog aparece na linha da frente e a mostrar que já não é uma questão individual do GB mas de uma equipa.

Ainda antes do tema Seara, e dar também eu o meu contributo depois do GB, DarthVader e este último do Vermelhusco, gostava de falar no tema do pedido dos bilhetes para o Dragão e na triste justificação arranjada pelo Benfica ao culpar a conduta de Villas Boas. Sobre isto não resisti à foto do Blog Chama Imensa.

Depois do comunicado do plenário dos Orgãos Sociais ter deixado uma ideia de ser apenas uma reacção populista, abriu-se uma esperança quando se apelou por carta à ausência dos sócios nos jogos fora. Contudo, menos de uma semana depois o Benfica dá o dito pelo não dito, inventa uma desculpa esfarrapada e lá pede os bilhetes. Já diz o ditado popular "Bem prega Frei Tomás, faz o que ele diz, não faças o que ele faz"

Eu não vou dar muita conversa a este assunto, mas somente gostava de perguntar aos iluminados responsáveis por estas infantilidades se acreditam mesmo que alguém leva o Benfica a sério quando quem lá está dentro mostra gerir o clube de fora para dentro. Eu já esperava que aquele comunicado não fosse para levar a sério, só não esperava que fosse para ser ridicularizado.


Quanto à pseudo-candidatura do Fernando Seara, neste aspecto não posso deixar de concordar com a perspectiva do GB. Fernando Seara não tem a fibra e astúcia para vergar os patrões do futebol nacional e além disso, a leitura que faço das suas palavras não são no sentido de estar disponível para desafiar Madaíl, mas sim para ser uma alternativa considerada credível.

A presença dos clubes de Lisboa ontem no jantar, não os coloca ao lado de Seara, só pensa isso quem não conhece o futebol nacional em que, na hora da verdade, eles votam ao lado de quem lhes prometer mais, de quem mostrar que (mesmo não prometendo) lhes vai mostrar mais liderança e controlo do futebol.

Apesar de discordar das escolhas do GB (Carlos Moia, Cunha Leal e João Rodrigues), mas de concordar que Seara não tem fibra para o cargo, também acho que bem ou mal é uma posição melhor do que a levada no passado com Fernando Gomes, mas é preciso colocar um ponto de ordem na situação e mostrar aos "patrões" que a candidatura vem para ficar, que é imune à concorrência e aposta, acima de tudo, na limpeza dos "alinhados" nos cargos de decisão no futebol nacional (Comissão Disciplinar; Conselho de Disciplina; etc.).

Clubes de Lisboa acordem para a vida!

 ●  21 comentários  ● 
É o que apetece dizer. Aperta-me o coração ver os clubes das cidades da Área Metropolitana de Lisboa e que pertencem á AF Lisboa definharem quando é nesta zona que se concentra o maior número de portugueses comparado com outras cidades. Quando é nesta zona que existem inúmeros projectos de futebol jovem espalhados por Oeiras, Lisboa, Estoril, Algés, Barreiro, Seixal, Alcochete, Amadora...
Este é um texto não apenas para benfiquistas mas para quem apoie um dos clubes da AF Lisboa incluindo os Sportinguistas.

Como é possível que clubes como Estoril-Praia, Estrela da Amadora, Oriental, Atlético, Barreirense, Belenenses e agora Sporting tenham entrado por uma trajectória de decadência tão acentuada desde os anos 80? Porque é que com tantos clubes ecléticos e que tanto representam na história do futebol português a AF Porto é maior que a de Lisboa? Querem saber porquê? Porque estavam divididos e não se souberam combater o domínio do futebol português pela parte de Corruptos, preferindo baixar a cabeça a alguém que alimenta um ódio de morte não apenas ao Benfica mas a tudo relacionado com Lisboa e o Sul.

Não tenham dúvidas que o declínio dos clubes de Lisboa está ligado ao domínio das esferas dirigentes do futebol português pela parte do Porto. Mesmo tendo em conta os problemas financeiros por que muitos destes clubes passaram o neglicenciar de ter alguém que zelasse por um futebol equilibrado em que não fossem prejudicados só contribuiu para agravar esses problemas e impedir que houvessem soluções para esses problemas. Pois quando as coisas não resultam em campo (e nunca resultam com jogos viciados) muito dificilmente os dirigentes conseguirão resolver os problemas do lado de fora.

Como tal é com bastante alívio que vejo que finalmente estes clubes acordaram para a vida!
Tal como é óptimo ver que o Fernando Seara aglutina o apoio de mais de 70 clubes da região de Lisboa. Isto comprova que a candidatura de Fernando Seara à FPF é uma realidade! E o que vai agora dizer e fazer o Presidente da AFLisboa? Vai defender os seus associados e apoiar esta candidatura ou vai continuar subserviente a um Sistema podre?

Mas parece que o Seara decidiu e os clubes de Lisboa pretenderam responder directamente ao GB. Especialmente quando ele diz isto:

«Os meus pressupostos mantêm-se. A decisão depende da alteração dos estatutos da FPF e da sua conformação com o regime desportivo; e ainda da disponibilidade a revelar por Gilberto Madaíl. A minha eventual candidatura não dependerá do seu avanço, obviamente. Mas gostaria apenas de saber se realmente se candidata, ou não.»
Ou seja, Seara será candidato independentemente do avanço de Madail. Esta é notoriamente uma candidatura que está a ser preparada meticulosamente á algum tempo, pois preparar uma manifestação de força de 70 clubes incluindo os Presidentes de alguns dos clubes mais representativos da AF Lisboa a seguir a Sporting e Benfica não se faz de um dia para o outro.

Agora será que Madaíl se vai candidatar? Este Presidente não impediu a implosão da estrutura directiva da FPF durante este mandato como comprova a Demissão em bloco do Conselho de Justiça. Já ninguém está com Madaíl, incluindo o CJ corrupto que ilibou o Hulk. Este indivíduo cometeu a proeza de acabar o mandato com a FPF fora-da-lei, com uma rábula á volta do seleccionador e com a qualificação para o próximo Europeu seriamente comprometida.

E quanto ao Sporting e aos sportinguistas que tenham lido este texto e duvidem da isenção do Fernando Seara - alguém que como o Darth Vader tão bem fundamenta é uma pessoa com uma ética inatacável, experiência no Associativismo Desportivo e que garantirá isenção no futebol e a regeneração que o nosso Futebol tanto necessita - vejam quem é o braço direito dele.
O Luís Duque. Aquele, que para mim é um dos melhores dirigentes desportivos do nosso País e um visionário (e que eu muito admiro apesar de ser sportinguista - imaginem se o Mourinho tivesse ido para o Sporting como ele queria?), conseguiu criar uma equipa de sonho nos lagartos e quebrar a hegemonia da Corrupção no ínicio desta década. Aquele que garantiu ao Sporting os seus últimos campeonatos. Alguém duvida do sportinguismo dele ou da sua competência?
Aqui está o que ele disse:

«Esta candidatura vai assentar num projecto de mudança para o futebol português. Os problemas dos clubes são iguais para todos, independentemente da divisão em que jogam. Neste jantar os clubes disseram que não são ouvidos pela FPF e é isso que tem de mudar»

Quem é que o Sporting apoiará? O apoio do Sporting carrega peso e o melhor dirigente que passou naquela casa nos últimos 20 anos apoia o Seara.
Só posso elogiar o trabalho que está a ser feito neste momento pela Direcção do Benfica apesar dos tiros no pé no ínicio do campeonato. E independentemente de haver uma candidatura ligada aos corruptos (mesmo que não oficialmente) esta candidatura deve avançar e eu acho que tem condições para isso. Existem muitas Associações e clubes deste País que foram neglicenciados e prejudicados pela domínio da Corrupção, está na hora de aglutinar esses clubes e garantir o equilíbrio necessário no nosso futebol.
Por isso é que alguém com um background tão sólido como Seara é a resposta á podridão.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Contras e prós de Fernando Seara

 ●  12 comentários  ● 
Desde que ouvi o nome deste homem como hipótese para candidato à presidência da FPF foi uma ideia que me agradou, é uma pessoa séria, ISENTA e congregadora.

Do que se tem falado da hipótese Seara, ouvi muitas críticas, entre as quais:

- O homem é um fraco na defesa do Benfica no programa Prolongamento da TVI24, demasiado cordial.

- Ele é político, queremos homens do futebol a mandar no futebol.

- Ele já tem um cargo público, dividir-se entre cargos não auguraria uma boa gestão da FPF.

- Não fez declaração clara de candidatura devido a vários pressupostos como se as eleições para a FPF serão sob um novo regime jurídico segundo que se encontra na constituição sobre federações desportivas, ou sob um regime jurídico em não conformidade, ou porque estará à espera das movimentações de Gilberto Madaíl se avança para candidatura ou não.

Ora. no meu ver, a parte da questão da espera devido ao tabú da candidatura ou não de Gilberto Madaíl (que realmente acho uma amostra de fraqueza e receio, ele devia avançar fossem quais fossem os candidatos, se o objectivo é ganhar...) todos os pontos são rebatíveis.

1º - Fernando Seara sempre foi um "gentleman" e soube manter a sua postura mesmo quando no programa prolongamento os outros dois comentadores residentes destilavam visivelmente um ódio rudimentar ao Benfica, sempre a rebater com argumentos sólidos e com a educação que se exige num programa de televisão. As vezes que o vi, não mudaria em nada a actuação dele.

2º - Quem diz que políticos no futebol não, são os acólitos do sistema que já apoiaram Hermínio Loureiro, político, para a presidência da Liga, e isso nunca mostrou ser entrave nas suas capacidades de gestor desportivo. Além disso, Fernando Seara já tem muita experiência a nível de gestão desportiva, não a nível de programas de futebol claro, mas a nível de Associativismo desportivo e também presidiu ao Conselho Superior do Desporto.

3º - Não faltam exemplos de pessoas que dividiram-se em vários cargos e nunca se ouviu levantar nenhuma palavra em contra. O caso mais a vista é Valentim Loureiro. Na altura em que foi presidente da Liga, era ao mesmo tempo presidente da Câmara Municipal de Gondomar, Presidente da Metro do Porto e ainda Presidente da Associação de Municípios do Porto...mais uma vez este ponto foi levantado por acólitos do sistema que para os mais atentos só enchem a boca de merda de cada vez que falam.

4º - Aqui está uma amostra de como alguém credível e isento se deve pronunciar, ao manifestar que haver eleições numa instituição com regime jurídico ILEGAL é como ser eleito para presidir a um gang de tráfico de droga. Fernando Seara fez muito bem em lembrar este "pequeno" pormenor, principalmente à pessoa de Laurentino Dias, que já faz muito tempo devia ter posto o assunto em mãos e alterado o regime jurídico da FPF de forma a legalizá-la aos olhos da lei, e depois sim, convocarem-se eleições...

Se Fernando Seara avançar e o Benfica o apoiar, eu serei um dos seus apoiantes até a sua eleição! Pessoas como ele são necessárias no futebol, isto se se quiser credibilizá-lo e limpá-lo de todas as suas "toxinas" que o envenenam. Espero que avance e que o Benfica rapidamente una esforços com ele para angariar uma equipa dirigente de muita qualidade e isenção.

Gente sem Tomates

 ●  12 comentários  ● 

É a expressão que melhor encontro para caracterizar o que vai no futebol português!!! Gente sem tomates! E pior considero as coisas quando vejo que os maiores clubes de Lisboa se estão a tornar cada vez mais pequenos, reféns de um conjunto de interesses instalados que os destroem por fora e por dentro.

No SLBenfica já disse tudo o que tinha a dizer no tópico O SLBenfica by GB, onde estão os que considero ser os temas e tópicos mais estruturantes que escrevi nos últimos meses.

Olhamos depois para o SportingCP, cuja instituição me merece muito respeito, tal como o Belenenses, Estrela da Amadora e Atlético... e estão todos a cair em desgraça. São clubes cada vez menores (os que ainda existem), cada vez com menos importância, cada vez com maiores dificuldades, cada vez com mais problemas internos.

Tudo isto porque a classe dirigente é composta por uma cambada de inúteis, incapazes de desafiar os poderes instalados e "sem tomates" para enfrentar os que mandam no futebol português, comandando-o conforme os seus interesses (e bolsos).

Ainda ontem ouvia o Vitor Baía, cuja missão neste momento é parecer ser o "Dom Sebastião" que o Sistema lança como credibilizador, afastado do Sistema, dizer uma verdade inquestionável... mas que nem ele tem interesse em ver alterada - caso contrário avançaria e exporia pessoas e interesses.

O "Chicken" Seara só avança sem o Madaíl não avançar, mas esse já tem o Laranjo para recomendar aos que o apoiam, caso não avance. O Sistema não gosta da ideia e quer o Baía... enfim. Um novelo que fica sempre igual.

Se os Presidentes do Estrela, Belenenses, Atlético e até Sporting pode ter uma justificação para a sua incompetência e incapacidade, nomeadamente a falta de dimensão e capacidade de aglutinação dos clubes que presidem... já o Presidente do Sport Lisboa e Benfica não tem qualquer justificação possível para manter o estado actual de subserviência para com os "patrões" do futebol nacional: Joaquim Oliveira, Fernando Gomes, Gilberto Madaíl e Pinto da Costa, secundado por "personagens" escolhidas a dedo para cargos "fora dos holofotes" que funcionam como peões absolutamente vitais nesta dinâmica, ocupando cargos na justiça desportiva, justiça civil, arbitragem, etc.

Não se entende e a cada dia que passa que se transfere para os sócios a responsabilidade de credibilizar o futebol português e se mantém a relação e o apoio a estes responsáveis pelo estado deplorável do futebol em Portugal, com acção directa sobre os clubes de Lisboa... será mais um dia perdido, será mais um dia que Luis Filipe Vieira não explica, nem demonstra o que o impede de agir, como explicou o CativoVermelho em Algumas Considerações

Porque será que o Sistema nunca quis fazer cair da cadeira Luis Filipe Vieira, como fez com o ex-Presidente do Sporting Dias da Dunha quando este arrancou com as acusações ao Sistema? Questões que o GB continua sem entender.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Algumas Considerações

 ●  7 comentários  ● 
O Presidente do Benfica dirigiu-se aos sócios (ter-se-á lembrado deles agora?) no espaço de duas semanas. O último comunicado diz respeito ao apelo para que os sócios não se dirigam aos jogos fora que o Benfica disputa no campeonato.

Diz o Presidente o seguinte: "Quando o Presidente do Clube escreve a todos os Sócios isso significa que considera o momento tão importante que justifica um contacto mais próximo com aqueles que, verdadeiramente, se interessam pela vida, pela imagem e pelo futuro do nosso Benfica." Ou seja, para o Presidente do Clube, os sócios são importantes, porque são aqueles que se interessam pela vida, pela imagem e pelo futuro do Benfica, mas só se dirige a eles quando os momentos o justificam. E qual é o momento?
O momento de "que o futebol português esteja, de novo, a ser armadilhado por jogadas de bastidores."

Luís Filipe Vieira não quer também que
"a delicadeza da situação impõe que se fale com clareza, sem que a verdade das palavras possa ser interpretada como justificação para uma época que não começou como todos desejaríamos, ou desculpa para culpas próprias que possam ter influenciado resultados abaixo das expectativas de um bom começo de época, que eram inteiramente legítimas tendo em conta o valor dos nossos profissionais."

E ainda que
"o prestígio do Benfica é um valor demasiado sério para que alguém se atreva a brincar com o interesse da instituição." e que "Compete aos Sócios e adeptos ajudar esta Direcção a lutar pela verdade e pela transparência no futebol português. Comparecer aos jogos fora significa pactuar com o actual estado do futebol português!"

As considerações são as seguintes:
- Não é pelo Presidente do meu clube querer falar agora em verdade desportiva, que me vai fazer a não ir ver os jogos do Benfica fora de casa
- O Presidente do Benfica deveria ter tido uma posição séria e digna, não apoiando quem agora está a criticar. Ganhava mais com isso, nomeadamente uma posição de como não apoiava esta Direcção da Liga que, segundo ele, nos está a prejudicar
- O Presidente do Benfica deveria ter deixado quem de direito preparar a pré-época convenientemente, para que não se viesse agora justificar do que tivesse acontecido
- O Presidente do Benfica pode falar em jogada de bastidores, pode falar em termos sido prejudicados (que fomos), mas não pode exigir tomadas de posição individuais aos sócios do Benfica
- O Presidente do Benfica não pode exigir aos sócios que o seu papel é o de NÃO apoiar o Benfica. Não tem sentido nenhum que sócios do clube que morem em Braga, no Porto, na Figueira da Foz, em Coimbra, na Madeira, no Algarve, que estão a mais de 200 kms de distância do Estádio da Luz e nos custos que isso acarreta, não possam ver um jogo do clube que amam, só porque ao irem ver o jogo, estão a pactuar com o actual sistema do futebol português, que segundo o Presidente, necessita de ser mais transparente

Pois bem, sr. Presidente, quer que o futebol português seja mais transparente? Pode começar com várias acções onde os sócios não sejam metidos ao barulho, como por ex.:
- A não renovação do contrato com a Olivedesportos. Mas essa não renovação comunicada à CMVM, às redacções dos jornais, às TV's e aos demais órgãos de comunicação social. Seria uma das primeiras medidas para o futebol português ser mais transparente
- Fazer com que as posições ocupadas na estrutura hierárquica da SAD sejam cumpridas: O Presidente para presidir, o Director Desportivo para gerir e o treinador para treinar. Verá que terá ainda melhores resultados dos que os que tem tido
- Apetrechar-se melhor na escolha dos candidatos a lugares-chave do futebol português (o apoio a Seara é ridículo), nomeadamente em lugares menos "visíveis"
- Apostar efectivamente na Formação de jogadores e implementar uma política de escalonamento progressivo de integração na equipa principal

Como vê, não é preciso meter os sócios ao barulho para regenerar o futebol português. Basta querer e não prometer...

Publicado também em Cativo Vermelho

Pequenos Gestos que nos Orgulham

 ●  Sem comentários  ● 
clique no LINK
Sem comentários

Uma lição para os eleitos e os profissionais que nada fazem para mudar o rumo das coisas. Nem pequenos e simples gestos como este.

“Titanic no Bidé” – Crónica de Zé Diogo Quintela

Avatar
 ●  3 comentários  ● 
No Trio d’Ataque de 3ª feira, depois da saída de Rui Moreira (que fez lembrar a fuga do árbitro Paulo Baptista das Antas, quando Pinto da Costa lhe quis oferecer “o jantar”), Rui Oliveira e Costa (ROC) disse que as escutas são uma forma de tortura. Disse também que não as discutia porque, cito, “não lavo a cara no bidé”, o que faz dele um dos mais completos comentadores desportivos do país: não só perora sobre futebol como, ao mesmo tempo, fornece informações sobre os seus hábitos de higiene. Gosto disso e vou copiar o modelo.

Eu (que não uso canetas Bic para limpar a cera dos ouvidos) também acho que as escutas são uma tortura. Mas para quem as ouve. Perceber que aquelas conversas foram descaradamente ignoradas pelo tribunal é um suplício para mim, (que não palito os dentes com a chave).

Debruço-me apenas sobre alguns segundos destas novas escutas, quando António Araújo fala com um funcionário do FCP e pergunta quem serão os bandeirinhas de Paraty no Gil Vicente – Sporting. Como depois não se aflora mais esse assunto, fui averiguar. Encontrei esta notícia no DN de 7 de Setembro de 2006:

O Sporting foi outra das equipas que terão sido prejudicadas pelas arbitragens, na época 2003/04 (…). No processo “Apito Dourado” há uma referência ao jogo Gil Vicente-Sporting (a 22 de Fevereiro de 2004), em que se descrevem movimentações antes da partida. (…)

O jogo foi arbitrado por Paulo Paraty e a Polícia Judiciária interceptou, dias antes da partida, contactos entre o empresário António Araújo, que mantém negócios com o FC Porto, e um dos auxiliares que fazia equipa com o árbitro do Porto, Devesa Neto. “Eu depois de amanhã ligo-lhe, que eu precisava de, eu precisava de falar com o Paulo(…) que preciso de lhe dar uma palavrinha, está bem?”, disse Araújo a Devesa Neto. Neste mesmo dia, Paraty fala com Devesa Neto ao telefone e, pela conversa, o outro árbitro assistente do jogo, Serafim Nogueira, “iria beneficiar o Gil Vicente e um terceiro clube, o FC Porto”, segundo refere o Ministério Público de Gondomar no despacho de arquivamento.

“O Serafim vai vacinado, vai benzido(…) vai benzido pelo lado norte. Bruxo. Vai benzido por dois lados até(…) pelo Minho e pelo norte”. Foi esta a troca de palavras entre os dois que levantou suspeitas. Até porque, na mesma conversa, Devesa Neto disse: “Ele também nunca pode fazer muito, o jogo dá na televisão, percebes?”.

O jogo acabou empatado (1-1) e o MP afirma que, com este resultado, o Sporting perdeu dois pontos e atrasou-se na luta pelo título. No relatório da peritagem ao jogo, são elencados vários lances em que ficaram por punir faltas ao Gil Vicente que poderiam resultar na “possibilidade do Sporting marcar golo”.

Apesar de o jogo ter dado na TV, o Serafim até fez muito: o Gil Vicente marca o golo num penalty inventado. Lembro que isto se passou na mesma época em que António Araújo, o torturado, ofereceu fruta a Jacinto Paixão a mando de Pinto da Costa; a mesma época em que António Araújo, o mártir, combina a ida do árbitro Augusto Duarte a casa de Pinto da Costa; a mesma época em que António Araújo, o flagelado, diz ao presidente do Nacional que há que “trabalhar” o árbitro, ao que este responde “toca a andar”. E parece que andou mesmo.

Portanto, nessa época, quando este empresário se conluia com o bandeirinha dum jogo em que o Sporting viria a ser prejudicado, há comentadores sportinguistas que acham que ele é que é a vítima. É uma espécie de síndroma de Estocolmo, se Estocolmo fosse na Avenida Fernão de Magalhães, no Porto.

ROC diz que as escutas são tortura. Tortura é escutar ROC, que é capaz de passar uma hora a discutir se o árbitro errou ou não, a dizer que não se pronuncia quando se descobre a razão pela qual o árbitro errou. Ainda por cima sabendo que, à conta da trafulhice dessa época de 2003/04, fomos afastados da classificação favorita de ROC, o 2º lugar. E também da minha, o 1º lugar. Mas isso sou eu, que não me assoo à fralda da camisa.

***
No editorial em que responde aos comunicados do Sporting, Alexandre Pais (AP) diz que «“Record” reage assim com superioridade moral e distância aos recentes comunicados». Normalmente, sabe-se que alguém se guinda a uma posição de superioridade moral pelo tom que usa, pela forma como diz as coisas. Mas em AP a superioridade moral é dupla: não só é intuída, como o próprio assegura que a possui. É uma superioridade moral moralmente superior. Com esta sobranceria redundante, AP elevou a santimónia a um novo patamar. É um moralista num escadote.

Não me surpreende. Em Setembro de 2006, (quando surgiram notícias como a do DN aqui citada), respondi a um inquérito do Record. À pergunta “o que gostaria de ler amanhã no Record?”, respondi “uma notícia qualquer sobre escutas e corrupção, que não seja primeiro dada nos jornais generalistas.” Passados uns dias AP escreveu: “José Diogo Quintela disse, nestas colunas, que gostaria de ler amanhã no Record “uma notícia qualquer sobre escutas e corrupção que não seja primeiro dada nos jornais generalistas”. Trata-se de um desejo difícil de concretizar, pois quando o futebol perder de todo a credibilidade – traído por aqueles a quem dá de comer – aos generalistas não faltarão outros temas para exibir barba rija. Mas, morto o futebol, o Record perderá a razão de existir. Que mexam no lixo que os tribunais largaram. Nós pertencemos a um circo que vive de emoções – de golos e de erros, títulos e de frustrações. E não temos vergonha disso.”

Assim fiz. Continuei a mexer no lixo do Apito Dourado, enquanto AP continuou a pertencer ao “circo que vive de emoções”, não traindo quem lhe “dá de comer”. Sem vergonha, como o próprio admite. Mas com estupenda superioridade moral, claro.

Zé Diogo Quintela :: A Bola

terça-feira, 12 de outubro de 2010

O SLBenfica by GB

 ●  3 comentários  ● 
O GB tem tido, no último ano, uma postura que tem agradado a uns e desagradado a outros mais conservadores. Bem ou mal, demagógico ou assertivo, tenho tentado que as minhas críticas ou elogios estejam directamente relacionados com uma linha pensamento do que acredito ser o melhor caminho para o SLBenfica, ao mesmo tempo que procuro sempre sustentar as minhas opções e escolhas.

Quando escrevemos, por vezes acreditamos que certos temas são realmente relevantes para os leitores e que a nossa opinião os fará pensar sobre o tema em si, mesmo que sirva, por exemplo, para reforçar a sua própria opinião totalmente oposta à nossa.

Qual não é depois o nosso espanto quando muitos desses temas acabam por dar origem a muito interesse por parte dos benfiquistas, mas pouca profundidade e discussão. Ou seja, os temas que gostaríamos que fossem discutidos, debatidos e aprofundados acabam por ser dos mais lidos, mas pouco discutidos.

Sinceramente, acho que é isso que falta ao SLBenfica! Discussão, Oposição (no sentido de realizar contraditório dentro de casa), Pluralidade, enfim a necessidade de ser a força dos argumentos a sustentar as decisões e não a força dos ultimatos ou da teoria do caos.

Talvez por isso, quando olho para estes últimos dois ou três meses e vejo que aquilo que mais gosto me deu escrever foram exactamente esses temas que deveriam ser debatidos e sustentados, que deveriam ser alvo de análise e, preferencialmente, contraditório.

O primeiro de todos é o tópico Amor ao Benfica! Algo que reclamo há muito tempo e que entendo estar na base de algumas decisões que são tomadas, que estão à vista de todos que poderiam e deveria ser melhores. Falta Amor ao Benfica entre os que lideram os destinos do Clube.

O que nos leva ao outro tópico com o qual muito me identifico: Gestores Profissionais VS Presidentes de Clube. Criou-se esta ideia estranha que não é preciso amar o Clube, que qualquer excelente gestor de empresas se torna numa milagrosa solução para uma realidade que tem pouco de racional e que mexe acima de tudo com a emoção de milhares de pessoas.

Estas questões são para mim absolutamente centrais! É precisamente por isso que depois nos tornamos no que apelidei recentemente de Benfica: O Clube que não sabe ganhar, pois derivadas dessas faltas de compreensão do que é realmente o SLBenfica, o impacto que tem uma decisão errada, etc. acabamos por nos tornar demasiado pequenos e, com isso olhar cada vitória como uma conquista mundial e cada derrota como o fim... do Mundo.

Talvez por isso, por trazerem resultados pouco impactantes na "popularidade" dos dirigentes, a aposta na Formação, Tarda... e falha como em tempos escrevi. Falha redondamente como demonstrei ontem e no debate muito positivo com RedMoon, e nos tópicos anteriores.

Novamente, acabamos invariavelmente por desfocar a nossa atenção e Trocar o Essencial pelo Acessório, procurando consecutivamente esconder as ineficiências para debaixo do tapete e andar À procura do inimigo onde nós próprios deixamos espaço aberto para os inimigos nos ataquem.

A generalidade dos benfiquistas não gostam de conviver com essa realidade, talvez por isso vos disse um dia Se não gostam, não leiam, a propósito da promoção que as nossas ineficiências fazem de clubes de dimensão apenas regional ou treinadores de qualidade totalmente questionável.

Pelo caminho já deixámos passar as eleições na Liga e andamos agora a procura de novos caminhos nas Eleições para a FPF - O que está em causa é o futuro do futebol português. Mas é preciso coragem para avançar e para desafiar os poderes instalados. É preciso coragem para, como disse antes, Trocar o Essencial pelo Acessório e apontar aos verdadeiros culpados e aqueles que nos impedem de ir mais longe, mesmo que sejam patrocinadores como apresentou o SouBenfica em As camisolas do nosso embaraço.

Errar todos vamos errar e vamos todos ter que lidar com isso! Mas não podemos ser complacentes com atitudes amadoras de mau planeamento da actividade que constitui o motor, a mola real, do SLBenfica. Tal como afirmava em O Mundial ou Resquícios do Mau Planeamento?

Deixei-vos assim um conjunto de links, para quem os quiser recordar, que considero muito actuais e que para mim deveriam constituir uma grande reflexão desta Direcção do SLBenfica. Este e não outra, porque foi esta que foi eleita pelos sócios.

Foi só um desabafo, amigos.......

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Carta do SLBenfica: O tempo de assumir os nossos interesses

 ●  5 comentários  ● 
Estimado Consócio,

Quando o Presidente do Clube escreve a todos os Sócios isso significa que considera o momento tão importante que justifica um contacto mais próximo com aqueles que, verdadeiramente, se interessam pela vida, pela imagem e pelo futuro do nosso Benfica.

A delicadeza da situação impõe que se fale com clareza, sem que a verdade das palavras possa ser interpretada como justificação para uma época que não começou como todos desejaríamos, ou desculpa para culpas próprias que possam ter influenciado resultados abaixo das expectativas de um bom começo de época, que eram inteiramente legítimas tendo em conta o valor dos nossos profissionais.

A vitória no campeonato da época passada, as excelentes exibições e a valia da equipa causaram preocupação a muita gente. Acreditávamos que começavam a ser criadas condições para o regresso a um clima de boas práticas, em que os resultados desportivos fossem o espelho do valor das equipas e do desempenho no terreno de jogo. Mas, o que se passou neste início de campeonato faz-nos temer - ao contrário - que o futebol português esteja, de novo, a ser armadilhado por jogadas de bastidores.

Lamentavelmente, já se registaram atropelos demasiado graves e abusos demasiado evidentes para que possam passar sem uma reacção enérgica. O Director Desportivo, o Treinador e eu próprio, denunciámos o embuste que está a atraiçoar a prática desportiva e voltaremos a fazê-lo tantas vezes quantas as necessárias para que a mentira não seja a regra do nosso futebol e para que os seus autores e aliados sejam desmascarados. Porque é de mentiras que estamos a falar!
O prestígio do Benfica é um valor demasiado sério para que alguém se atreva a brincar com o interesse da instituição. O nosso protesto foi o adequado às circunstâncias e o convite que fizemos aos nossos adeptos, para não comparecerem nos estádios dos nossos adversários, é a medida justa para que sejam todos, e não apenas o Benfica, a reagir para pôr fim a uma situação insustentável. Movem-nos razões de legítima defesa.

Compete aos Sócios e adeptos ajudar esta Direcção a lutar pela verdade e pela transparência no futebol português. Comparecer aos jogos fora significa pactuar com o actual estado do futebol português!

Os dirigentes, a equipa técnica e os atletas não vacilam na vontade de contribuir para que a verdade desportiva prevaleça. Estamos determinados a fazer tudo o que seja necessário para que o clube não seja mais prejudicado. Acima de tudo, exigimos respeito!

Os meus votos são os de que este assunto não me obrigue a voltar a contactar os Sócios do clube, mas não hesitarei em faze-lo caso não se ponha um ponto final na sucessão de atropelos a que temos vindo a assistir.

Com as melhores saudações,

************************************************

PARABÉNS PRESIDENTE! Já só falta dar continuidade nos próximos jogos, encontrar soluções para "compensar os sócios" e apontar ao Joaquim Oliveira, Gilberto Madaíl e ao Fernando Gomes.

Formação ou... (de)formação?

 ●  11 comentários  ● 
Esta semana, a propósito dos dois golos pela selecção, a culminar um início de época muito interessante no Paços de Ferreira (nada de novo para mim), Rui Águas dizia no DN que Nélson Oliveira é "um produto inacabado" que "tem de ser bem trabalhado" para atingir o topo. Nada de novo, só mesmo quem possa não perceber patavina de formação pode esperar que os jovens cheguem dos juniores para "pegar de estaca" sem serem muito trabalhados primeiro. Desta regra, fazem excepção jogadores como Cristiano Ronaldo, Kaká, etc. e obviamente não é disso que estamos a falar.

O GB não se enganou quando no início de época "reclamava" para o plantel principal, em vez dos pesos mortos brasileiros que lá andam a encher os bolsos, jogadores como Nélson Oliveira, David Simão ou Miguel Rosa, Miguel Victor e Yartey. Basta olhar para as performances dos jovens nesta primeira metade da primeira volta para perceber que eu tenho razão... o que poderiam fazer se estivessem a ser trabalhados num grande?!

Ao invés, escolhemos antes manter no plantel jogadores que custam milhões, de qualidade duvidosa e que jamais confirmarão seja o valor que nos custam, sejam o potencial necessário para jogar no SLBenfica. SIM! Errar todos erram... mas se for para errar, então que seja em oportunidades dadas aos nossos jovens.

Senão... acontece o habitual. O Danilo Pereira já saiu para o Parma, antes disso o Tony Sá saiu na época passada para o Liverpool e hoje o Record dá conta do interesse do Arsenal e Chelsea no excelente Ruben Pinto.

When Money Talks.... Shit Walks!!! O Ruben, como o Danilo, tem o sonho de jogar no SLBenfica e não de andar emprestado ao Aves, depois ao Toreense, a seguir ao Carregado, e depois ao Fátima, etc.

Sim, os jovens devem "ganhar rodagem"! Mas isso não consiste qualquer regra! Há jogadores com maturidade e qualidade para integrarem directamente a equipa principal como alternativas aos titulares e outro há que os empréstimos só fazem sentido em clubes com determinadas características e enquadramentos. Os empréstimos também só fazem sentido quando no clube formador há depois melhores alternativas.

Continuo sem entender porque o Nélson Oliveira aos 19 anos é "tenrinho", mas o DiMaria não era! Ou melhor... era, mas como era estrangeiro e tinha custado uma "pipa de massa"... E dei-vos um exemplo extremo, agora olhem para as apostas em jogadores como Fillipe Bastos, Filipe Menezes, Weldon, Keirrison, Sidnei, Adu, Airton, Eder Luiz, etc etc etc...

Tudo jogadores que chegaram à Luz com "rótulo" de promissores, uns confirmaram mais que outros, mas todos com a noção entre os benfiquistas que teriamos que lhes dar tempo para crescerem, para se adaptarem, etc. Tempo esse que negamos aos nossos jovens pelos mesmos motivos... porque ainda não estão preparados, mas que como se vê aceitamos dar a jovens estrangeiros em condições semelhantes!!!

Isto tudo para dizer que o Ruben Pinto pode até ficar no SLBenfica, mas se o que tivermos para lhe dar for uma temporada no Fátima, seguida de outra no Paços de Ferreira e outra vá-se lá saber onde, enquanto à Luz continuam a chegar os brasileiros, argentinos, etc... possivelmente o Ruben vai preferir arriscar Inglaterra, mesmo sabendo que poderá acabar por passar ao lado do sonho e voltar a Portugal como voltaram o Amauri Bischoff, Rui Fonte ou outros. Mas é um risco que lhe valerá mais dinheiro e a hipótese de sonhar.

Do fim-de-semana chegam-nos dois tópicos que muito me orgulham enquanto fundador o Blog GeraçãoBenfica:

Da autoria do DarthVader Futebol isento e espectacular...Possível? - Com um conjunto de ideias ou sugestões que poderiam tornar o futebol português mais atractivo para investidores, patrocinadores e até para formar valores acabados com qualidade.

Da minha autoria Trocar o Essencial pelo Acessório - Com um apelo a que definitivamente os benfiquistas, mas principalmente os responsáveis do Clube apontem definitivamente aos alvos que terão real impacto na credibilização do futebol e na sustentabilidade do projecto desportivo do SLBenfica.

domingo, 10 de outubro de 2010

Futebol isento e espectacular...Possível?

 ●  9 comentários  ● 
Poderá haver um futebol que realmente entusiasme as massas além do fanatismo clubístico? Que concilie a vertente espectáculo sem descurar a modernidade da vertente negócio, ou seja, sem excesso de romantismo?

Neste post vou dar umas idéias que poderiam mudar o futebol como o conhece-mos para melhor, mas esta aberto o debate para mais sugestões ou mudanças.

As mudanças que vou sugerir aqui não são só para o futebol português, mas o futebol em geral.

Uma coisa temos de ter clara, não poderá haver um desporto espetacular e leal com corrupção, isso é um ponto fulcral. A sua eliminação para quem quer esse futebol deve ser o 1º objectivo.

Para que tal acontecesse teria de haver um compromisso não só das instituições desportivas mas também das políticas, tudo conseguido a partir de uma pressão pública pela fartura do futebol unicamente negócio.

Instituições como FIFA, UEFA e Federações Nacionais, deveriam para começar passar a ser instituições democráticas, ter eleições para eleger os órgãos administrativos num prazo não muito longo de tempo, para não haver acomodação ao poder, nem uma governação mais tipo máfia, onde a família continua o seu legado.

Deviam ser elaboradas novas leis para incorporar as ajudas tecnológicas no jogo, tal como tem o Rugby por exemplo (e isso nunca foi razão para o desporto perder entusiasmo nem adeptos).

Câmaras nas linhas de golo (para terminar com as duvidas de ser golo ou não) câmaras nas linhas laterais (para nunca haver enganos se a bola saiu de campo) câmaras nas linhas de fundo (idem) câmaras a seguir a linha de fora de jogo (e aqui haveria a importância de criar um programa informático que guia-se as câmaras e todos os jogadores em campo terem chips, no equipamento por exemplo, para o programa rastrear o posicionamento de cada jogador e localizar a linha de fora de jogo) câmara para seguir a jogada mais de perto (seguindo sempre a bola) 2 câmaras fixas sempre a cobrir cada metade do terreno (para poder desvendar algumas situações menos legais entre jogadores fora da zona da jogada) câmaras a seguir os bancos de suplentes (para monitorar o comportamento de equipa técnica e suplentes) tudo isto controlado pelo 4º árbitro que comunicaria directamente com o árbitro no terreno, não seriam necessários nem árbitros auxiliares nem árbitros de baliza.

Implementação de novas regras para as pontuações, de forma a favorecer quem ataca, marca golos e joga para ganhar:

4 pontos: vitória com diferença de 4 ou mais golos
3 pontos: vitória
2 pontos: empate com golos
1 ponto: empate a 0
0 pontos: derrota

Implementação de prémios para as equipas que mais favorecem o espectáculo:

Prémio por equipa mais concretizadora no final da época:
1º - +3 pontos
2º - + 1 ponto

Penalização igual para ultimo e penúltimo

Prémio por melhor marcador:
1º - +2 pontos
2º - +1 ponto

Penalização igual para último e penúltimo

Prémio por equipa menos faltosa:

1º - +3 pontos
2º - +1 ponto

Penalização igual para último e penúltimo

Prémio para equipa com menos golos encaixados:

1º - +2 pontos
2º - +1 ponto

penalização igual para último e penúltimo

Estes prémios por desempenho durante a época além dos pontos dispersarão a única importância dos pontos conquistados jogo a jogo e assim dissiduarão corrupção fora do terreno de jogo para levar de vencida a partida por métodos obscuros.

Implementação de limite de estrangeiros por equipa, para manter a identidade de cada equipa e a sua "mística":

-Cada equipa só pode ter até 10 estrangeiros comunitários e 3 extra comunitários, o que permitiria ter todas as equipas com pelo menos metade da equipa com jogadores nacionais.

-Utilização de jogadores estrangeiros nas selecções só permitida segundo uma "ligação de coração entre jogador e país" (casos de makukula, pepe, obikwelu) e não por uma "ligação de comum interesse" (Deco, Liedson)

Para protecção do contrato celebrado entre jogador e clube, desde que as duas partes cumpram os tramites do contrato, ele deve ser sempre respeitado e nunca pode haver negociações nem pressões para o jogador sair antes de 6 meses da expiração do contrato. Se o jogador por não querer permanecer mais, e o clube tendo cumprido as suas obrigações, ele terá de indeminizar o clube com 1/4 dos vencimentos que ele receberia até ao final do contrato.

Jogadores jovens formados no clube teriam protecção anti-transferência até completarem 18 anos e depois disso se fossem vendidos o clube vendedor teria direito de receber direitos de formação no valor de 1/5 do valor total da transferência ou direitos sobre 30% numa futura transferência, só deixaria de fazer efeito depois de o jogador completar 24 anos.

Regulação para os empresários, de maneira a não poderem andar livremente no mercado, e aqui deixo aberto o debate para opiniões sobre essas medidas que seriam as correctas.

Árbitros acompanhados no dia do jogo por agentes da entidade responsável pela competição, para evitar influências ou tentativas de suborno.

Equipas obrigadas a ter no seu plantel pelo menos 1 jogador no 1º ano de sénior, de maneira a garantir o futuro.

Proibidos empréstimos de mais de 1 jogador de um clube a outro, de maneira a evitar influências na capacidade competitiva da equipa que recebe os jogadores.

Proibição de cláusulas de não utilização de jogadores emprestados contra o clube com que têm contrato.

Os Clubes que favorecerem a formação de jovens talentos receberem um incentivo por parte do estado (benefícios fiscais, comparticipação de orçamento jovem)

Observadores de jogo acompanhados por delegados da instituição que gere a competição.

Medidas para regulamentar a compra de clubes por pessoas individuais ou empresas, além de terem de ser submetidas a voto dos sócios do clube em causa.

Liga dos campeões de novo só para os campeões, 1 equipa de cada país.

O regresso da taça dos vencedores das taças.

FIFA e UEFA com medidas para proteger os clubes de campeonatos mais fracos (mais protecções contra transferências massivas de jogadores para campeonatos mais fortes)

Imposição de tecto salarial nos clubes, de maneira a evitar a falências como se tem visto nestes últimos anos, como de situações desesperadas de sobrevivência.

Penso que estas medidas tornariam o futebol um desporto bem mais saudável e entusiasmante, fazendo lembrar os anos 60, 70 sem perder o futebol negócio da actualidade.

Como sempre se disse, o melhor é sempre o meio termo, se futebol so romântico não, então também não futebol só negocio.

Chamam vocês a isto utopia? Mas se todos lutassem pelo mesmo seria possivel mudar...basta ver o poder que tivemos no clube aquando do caso do patrocínio das camisolas.

Aqui seria necessário uma movimentação a nível Europeu ou global, para levar as instituições que gerem o futebol mundial a promover a mudança.

Se ficariamos a ganhar, porque não? Nós não lutamos sempre pelo que é melhor para nós?

Nada de resignações e dizer que simplesmente "o futebol é como é", o futebol pode ser como quisermos que seja!

Quem ainda não leu não deixe de ler o EXCELENTE tópico do GB, e quem sabe, até mais de uma vez... Trocar o essencial pelo acessório

ranking