O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


quarta-feira, 17 de março de 2021

A venda dos namings, a WME Sports, a Adidas e a Emirates

Avatar
 ●  42 comentários  ● 



A questão do Naming há muito que está na agenda do SLBenfica, desde 2009-20010 lembro-me eu de que se começou a falar nisso como modelo de angariação de receitas.

Há uns anos o CM inventou, como sempre, a notícia de uma venda do naming a 10 anos por 100 milhões. o SLBenfica rapidamente desmentiu e reforçou que basicamente isto era não ter qualquer noção da realidade deste tipo de negócios.

Bem sei que agora dá jeito aos tontinhos do twitter dizer que o Benfica disse que queria vender por 100M e vai acabar em saldo por 3,5M... isso mesmo já eu li hoje em vários dos criticos profissionais que, insisto, não fazem mais do que desviar as atenções dos assuntos essenciais.

Já aqui vos dei conta várias vezes que entrar nesta polarização de que ou és contra o Vieira ou és a favor, além de estupido é um favor que fazem ao homem. É a narrativa dele desde 2003, quando ele acredita que fundou o SLBenfica. Saibam discutir os assuntos sem os polarizar, aceitem as coisas boas, regozijem-se com as vitórias... e metam foco nas criticas ao que realmente merece ser criticado... e assim talvez o vejamos fora do SLBenfica mais cedo do que pensam.

Ora vamos lá olhar primeiro para o estudo feito pelo Jornal de Negocios em 2016: 

"O montante médio deste tipo de contratos, para as várias modalidades, ronda os 48,8 milhões de euros ao longo de uma média de 19 anos, segundo dados compilados por sites internacionais, recolhidos pelo Negócios. Contas feitas, por ano os clubes encaixam cerca de 2,5 milhões de euros, a nível global"

Ora... assim contas rápidas, à média mundial este tipo de acordos representam 25M a 10 anos.... Porém obviamente que isto é uma média e há clubes que conseguem valores mais elevados.

A Juventus vendeu o naming do Estadio por 103M por 10 anos e alargado ainda à Academia e aos equipamentos de treino e jogo do futebol feminino.

Portanto, liga italiana e uma das equipas mais famosas do mundo: 103M por tudo. 

O City ampliou o contrato com a Emirates que inclui o Estádio e as camisolas por 7 anos, salvo erro, por 110M... Falamos de Liga Inglesa, jogos em todo o mundo, um dos clubes mais falados do Mundo, etc... e é preciso ter em conta a ligação do clube ao lado do mundo de onde vem o dinheiro.

Achar que a Liga portuguesa, que todos conhecemos por ser das menos credíveis do Mundo e das que menos competitividade tem... jamais pode almejar a este tipo de contratos.

O Dortmund, por exemplo, tem um naming por 5M€/ano... e falamos de economias e ligas com publicos alvo muito superiores à portuguesa.

O naming do Estádio da Luz e do Caixa Campus tem que ser visto à luz do retorno que pode dar à marca. Uma marca que invista 50, 70, 100M em determinado prazo... isso tem que representar muito mais em lucros para eles, caso contrário não justifica o investimento.

Não pode ser, como com as marcas portuguesas, por uma questão de notoriedade, porque isso não permite contratos a longo prazo e temos o país que temos... 10M de pessoas, das quais cada vez menos vinculo têm ao futebol pelo contexto corrupto, polémico e sujo que o mesmo tem.

Neste contexto, o Domingos Soares Oliveira diz que tem tentado - dentro da sobranceria que caracteriza a actual direcção - vender os direitos directamernte... mas lá perceberam finalmente que o SLBenfica não tem dimensão mundial para oferecer às marcas a exposição que precisam, ou que justifica este caso.

A Allianz, por exemplo, que além de ter quase 10% do Bayern tem o naming do Allianz Arena onde jogam o Bayern e o Munique1860 ao patrocinar clubes como o Bayern e a Juventus "fala" para populações de 83 e 60 milhões de pessoas... contra os 10 milhões que temos por cá.

O SLBenfica assumiu, finalmente, a incapacidade de liderar um processo desta complexidade, porque a marca não tem a notoriedade que necessita dado o contexto em que está inserida... e não tem a ver com titulos e vitórias porque a menos que ganhassem 4 Champions em 6 anos... as vitórias cá na Liga basicamente interessam aos tugas. Perguntem aqui ao lado a um espanhol quem foi o campeão dos ultimos 3 anos e surpreendam-se com o desconhecimento... já nós sabemos os vencedores de todas as grandes ligas.

Isso deveria explicar-vos alguma coisa.

A WME é, efectivamente, um parceiro que potencialmente pode permitir elevar esta negociação para um patamar relevante, mas deixo o aviso:

- Na minha opinião, ou se muda o posicionamento da marca... ou nem a WME nem qualquer outro parceiro fará milagres. 

O SLBenfica tem que se virar para o Digital, para a relação com os fans, para a diferenciação, para as experiências, para a personalização e para eventos que tenham expressão fora de portas.

Por isso vos falei há dias de pensar num contexto de marcas como a RedBull (como esta há outras), cujo projecto é fazer com o SLBenfica o que clubes maiores a nivel europeu não podem ou não aceitam fazer - Tipo Liverpool, Real Madrid, etc...

Transformar o modelo de posicionamento da marca por completo... e associá-la aos valores da marca do naming sem perder a identidade do clube: PELO CONTRARIO.

Mais: O Benfica com os contraros da Emirates e Adidas em aberto, pode dar-se ao luxo de fazer um processo de "make over" total que inclua o Estadio, a Academia, as Camisolas... e com isso mudar completamente o posicionamento e a imagem.

Tem para oferecer uma "torcida" como dizem os brasileiros muito comprometida com o clube, uma expressão para lá de Portugal, ainda que muito "curta" face a outros paises. Pode aproveitar o contexto turistico do país e potenciar os eventos, o modelo digital e experiencias no Estádio, na Academia e até no contexto do branding dos equipamentos.

EXTREME MAKEOVER... é o que é preciso para podermos, em Portugal, ter sucesso com este tipo de namigs e ser bem pagos por isso.

Estarão os benfiquistas dispostos a isso? Pois... é uma questão que temos todos de pensar.

42 comentários blogger

  1. 1 - uma vez mais o Benfica recorre aos serviços de uma agencia internacional para vender o que resta ainda de valioso : a marca Benfica. Sabemos que estas agencias não trabalham de borla nem o farão pelos lindos olhos do Benfica. Cobrarão comissões de intermediação obscenas. É um pouco como aquela rapariga muito bonita que sonha com uma carreira na moda e é explorada pelo agente se quiser ver abrirem-se-lhe certas portas. Às vezes até a dignidade têm de hipotecar...

    2 - a "torcida" é fiel e doida pelo Benfica, é verdade. Mas todos sabemos que as paixões dos tugas são por norma baratinhas e implicam pouco ou mesmo nenhum investimento. O nº de camisolas oficiais por exemplo vendidas anualmente (merchandising) pelo Benfica é confrangedoramente baixo (nem às 20 mil chega). No top ten dos clubes europeus, vendem todos para cima de 1 milhão / ano.

    O Benfica está num beco sem saída e não tem outra alternativa se não a de se meter na boca do lobo, ou seja, nestas agências de promoção de imagem e marca, que levam o coro e o cabelo, muitas vezes a troco de...migalhas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só 20000 camisolas vendidas deve-se ao seguinte:

      - equipamento principal deste ano muito feio, o vermelho do Benfica é o vermelho da Ferrari e não o vermelho desta época
      - equipamentos secundários feios e quase sempre iguais. Ou são pretos ou são cinzentos
      - o xenofobismo a que os benfiquistas estão sujeitos quando andam na rua com a nossa camisola ocorrendo situações de maus tratos e até agressões

      Eliminar
    2. A analogia da top model é engraçada... mas o anónimo desvia-a, talvez por defeito de enviesamento na análise, imediatamente para a negativa.

      Há modelos abusadas por agentes mal intencionados, mal formados, até criminosos.
      Mas também há modelos que fizeram carreiras de sucesso, sem abusos. E que também tinham, porque a carreira assim o exige, agentes. Apenas tiveram “a sorte” de ter bons agentes.

      Ser agente não é nenhum crime.
      Como em tudo na vida, há bons e maus agentes.

      O trabalho dos bons agentes é bem pago. Como em tudo na vida, a qualidade paga-se.

      O Benfica pedir a um agente - reputado, credível - para intermediar o processo de naming do estádio não é nenhum erro. É um trabalho especializado, para o qual se contratam especialistas. Bem pagos, concerteza. E que conseguirão, concerteza, melhores acordos que o Benfica conseguiria obter sem eles.

      Voltando à sua analogia: não há raparigas bonitas que se tornam modelos de sucesso... sem agentes. São apenas raparigas bonitas.

      Eliminar
    3. Mas lá está esta história do "não trabalham de borla". Pois não, claro que não. Mas o Benfica, para defender os seus interesses tem que levar tudo o que está na mesa, é assim que funciona? Mas é que em lado nenhum. Para ganhares sustentavelmente tens que dar a ganhar. Mas diz lá, preferes receber 10M e pagar 1,5M de comissão ou receber 6 ou 7M sem comissão nenhuma? Mais dificil ainda, preferes receber 10M e pagar 1,5M de comissão ou receber 8,5M sem pagar comissão nenhuma?

      Eliminar
    4. Verdade! O 3° equipamento que é muito bonito ainda não o usaram na equipa principal. Porquê?!

      Eliminar
  2. qualquer negócio para ser bom, deve se-lo para todas as partes envolvidas e de preferência que não haja elos mais fracos, cuja fragilidade pode ser aproveitada negativamente.
    ora no contexto que vivemos e conhecemos, o Benfica é sem sombra de dúvida o elo mais fraco e que se apresenta nas negociações como uma necessidade louca de dinheiro fresco.

    ResponderEliminar
  3. O que o Benfica precisa é de Benfica: dominar cá dentro e ganhar lá fora. Mas, enquanto tivermos um ditador ignorante e antibenfiquista, não vamos a lado nenhum.

    anti-antis

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "O que o Benfica precisa é de Benfica: dominar cá dentro e ganhar lá fora."
      Isso e respeitar os ideais do Clube têm de ser sempre os principais objectivos.

      Eliminar
  4. Eu acho que se esta a dar demasiada importancia aos valores do naming.. 5 milhoes ano era EXCELENTE. Claro que uma coisa é o que o clube quer, outra coisa, o que lhe vao dar.. Mas nem que seja 4 milhoes ano.. Sem fazer nada, sem mexer uma palha, é mau?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Benfica não consegue 4M/ano. É muito acima do mercado

      Eliminar
    2. Seja o que for, conquanto seja uma marca reputada e alinhada com os valores do Benfica, o valor do naming que for decidido será sempre superior ao atual.

      Que, caso não tenham reparado, é zero.

      Eliminar
  5. hahaha ,vender o clube ,,,,, então aquela OPA do Vieira (que a CMVM chumbou ) estava certa !!!! hahaha que ridículo !

    ResponderEliminar
  6. Este post coloca algumas coisas interessantes.
    Sobre a transformação digital, parece-me óbvia a necessidade e posso dizer que o clube está a trabalhar nesse sentido, embora já vá tarde (está uns quantos anos atrasado e não 10 anos à frente). Por outro lado, acho que faltou também dizer o óbvio - por muito pequeno que seja o mercado, por muito irrelevante que seja o campeonato português no contexto internacional, sem vitórias no futebol a situação torna-se cada vez mais negativa a todos os níveis... ou alguém acha que "uma" Emirates voltará a investir no Benfica, chegando ao ponto de pintar um dos seus aviões com as cores do clube (como faz com os demais que patrocina) se as prestações nacionais e sobretudo internacionais continuarem a ser a miséria dos últimos anos?
    Por fim, devo dizer que o último parágrafo em desafio dos benfiquistas mete medo. Faz-me pensar, ou melhor, imaginar LFV a colocar a mesma questão num contexto de tentativa de venda da maioria do capital da SAD a uma entidade qualquer, provavelmente estrangeira. Já faltou mais.

    ResponderEliminar
  7. A força e a pujança de uma marca, advém do seu prestígio e sucesso, seja lá que actividade for.
    No caso do Benfica, é o futebol.
    E o futebol do Benfica é de fraca qualidade e com pouca ou mesmo nenhuma expressão internacional.
    Quem é que vai investir forte numa marca que atravessa uma crise profundíssima ?
    Que negócio pode alavancar a marca Benfica que justifique um forte investimento por parte de um sponsor prestigiado ?
    Pagar por exemplo 100 milhões por 10 anos ao Benfica, implicaria que o retorno fosse sensivelmente o dobro do que foi pago.
    O mercado português ou lusófono, não é particularmente endinheirado.
    Sabemos que poder de compra, não é propriamente o forte das pessoas habitantes no espaço lusófona.
    O Benfica nem camisolas consegue vender em nº que o aproxime dos gigantes europeus do merchandising, quanto mais outos bens/serviços de maior complexidade...
    A questão é que a marca Benfica, continua muito forte em termos afectivos, emotivos e sentimentais, principalmente no espaço lusófono, mas não gera negócio, números, precisamente porque perdeu há muito o comboio do sucesso desportivo internacional.
    Ganhar campeonatos nacionais, vale muito pouco. Em termos internacionais não tem peso nenhum.
    E quando somos chamados a participar em competições internacionais, por norma são bastante modestas, para não dizer mesmo humilhantes.

    Temos pois a equação da pescadinha de rabo na boca.
    Não temos sucesso desportivo internacional porque os recursos são escassos, ou seja, não temos dinheiro.
    E como não temos dinheiro, também não puxamos nem atraímos dinheiro.
    Vamos definhando gradualmente, embora sonhando que, seja lá porque golpe de mágica for, o futuro será melhor.
    Mas, como se sabe, não há almoços grátis e ninguém torrará no Benfica 1 cêntimo que seja sem contrapartidas generosas e atractivas.
    Tal como as coisas estão, só darão ao Benfica uma rodela de chouriço em troca de uma vara de porcos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah não tem nada a ver com o alcance da marca ??? Ta certo! Percebes muito disto tu

      Eliminar
    2. O comentário do anónimo esvai-se quando escreve “Uma crise profundíssima”.

      O Benfica não está bem. Mas o Benfica não está em nenhuma crise profundíssima.

      Eliminar
  8. Ok.
    Concordo com algumas coisas, especialmente a necessidade de digitalizar o Benfica em redes sociais e plataformas de conteúdo.
    No entanto, esquece, nunca vai acontecer com Vieira. A única vez que quiseram e tinham capacidade para internacionalizar foi quando foi para correr atras da inscrição de sócio.
    O Benfica está como Vieira quer. Jogos de bairro. Já imaginaram um Benfica digial e realmente internacional a publicar por esse mundo fora o mítico texto com os mil e um motivos para o falhanço da época que não a responsabilidade própria? Lol

    Quanto ao ser Vieira ou contra Vieira… discordo totalmente… e volto a afirmar, essa falta de capacidade para assumir que algo ou alguém pode realmente ser demasiado mau ao ponto de ter de ser rejeitado de todas as formas possíveis e imaginárias deu-vos mais 4 anos de Vieira, que na realidade é um mandato vitalício e o prego final no caixão do nosso Benfica.
    Se a esta altura vocês ainda não conseguem dizer que só há duas opções, ou Vieira na rua ou a aniquilação total, então vocês não estão aqui a fazer nada!!!


    Quanto ao naming… eu acho piada o não falar no ponto que realmente tem importância aqui.
    É lógico que o Benfica não pode ter os mesmos números de campões de Espanha ou Inglaterra. Itália já não concordo muito… Mas a questão não é essa.
    A questão, ou melhor, o problema, é o que o vosso amigo vai fazer com estes contratos. Eu já ando há algum tempo a pensar o desastre que vai ser a renegociação ou substituição da Adidas e da Fly Emirates. Estes contratos não se negoceiam na véspera e o Benfica vem há 3 anos a ser uma nulidade. Vem há 3 anos a chafurdar na lama para defender o nome do seu presidente na justiça. Este ano ainda teve a brilhante ideia de meter uma tshirt laranja com letras pretas, que retira a percetibilidade do patrocínio e… ainda temos covid. Este 3 contratos serão sempre em baixa, mas, ainda há o principal problema.
    … o principal problema é que vão ser mais 1 a 3 receitas adiantas por factoring com juros pelo meio. Se o Vieira achar que afinal não precisa de privatizar, vender e ser dono ou deixar um testa de ferro, se Vieira estiver não cheio que se ponha na alheta e nos devolta o clube DE LIVRE E ESPONTANEA VONTADE, vamos receber um clube sem contas pagas, sem jogadores, sem títulos, sem qualidade técnica, com empréstimos, passivo, jogadores a pagar a longo prazo e acima de tudo, sem receitas de TV, naming e camisolas a 7-20 anos.
    UM A DUAS DECADAS!

    Mas vocês continuem na vossa de que não podemos ter uma posição de a favor ou contra Vieira.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se vai ou não acontecer com o Vieira não sei. Eu faço a minha parte que é falar de soluções... não apenas criticar. Se todos o fizessem talvez todos os benfiquistas entendessem o imenso que está por fazer o Vieira já estivesse fora. Mas como acham todos que a solução é criticar por tudo e por nada

      Eliminar
  9. Parei de ler quando entraste em modo de palestra aos adeptos.
    Depois dos episodios recentes do pulha e patetas, veio agora o BGB dar licoes e conselhos.
    Ja deves ter percebido onde estou a sugerir que metas as palestras.
    Definitivamente nao te mancas.

    Prefiro dar os parabens e agradecer a alegria que as miudas do futebol do SLB me deram hoje ao ganharem a Taca da Liga.
    Depois de terem perdido com os lagartos no passado fim de semana fizeram uma grande exibicao enquanto estiveram com 11 jogadoras.
    Um exemplo para os homens seguirem no jogo em Braga.

    ResponderEliminar
  10. este pulha LFV quando veio para o Benfica, este bimbo de merda encontrou un clube honrado com um passado historico quando o Vieira pato-bravo for embora nem as pedras da calçada por 20 anos serao nossas é a bancarrota assegurada com este energume

    ResponderEliminar
  11. Pois é! Quando o Clube, apesar das miseráveis prestações europeias ia ganhando campeonatos e não se falava de covides poderia vender o "naming" por valores razoáveis não o fez, é agora num contexto de prestações desportivas miseráveis, dentro e fora, e com o covid a alterar e nivelar por baixo os valores que o desporto movia é que vai avançar com esse negócio?
    Muito mal devem estar as finanças do Clube!

    ResponderEliminar
  12. Os valores que se falam não são valores líquidos que entrarão nos cofres do Benfica.
    É como as transferências dos jogadores, que dizem ter sido vendidos por 50 milhões, mas deduzidas as comissões e demais alcavalas, fica em metade.
    Por aquilo que conheço resultante do que leio, não seria mau 4 milhões por ano - líquidos - para o Benfica.
    Valores superiores, é puro delírio.
    A marca Benfica vale bastante, principalmente no espaço lusófono, mas não tanto como querem fazer crer.

    ResponderEliminar
  13. vão-se os anéis, fiquem os dedos
    o pior é que os custos operacionais de um clube da dimensão do Benfica, são altíssimos e todo o dinheiro é pouco e não chega para as despesas

    ResponderEliminar
  14. Qual é o sponsor que quer ver associada a sua marca a um clube perdedor como o Benfica ?
    Os valores terão forçosamente que ser baixos, muito esmifrados.

    ResponderEliminar
  15. O Real de Madrid recebe da Adidas 1.100 milhões por dez anos (de 2020 a 2023)...
    Por aqui se pode ver bem o abismo que separa os colossos do futebol europeu dos mendigos e pés descalços que depois se esgadanham todos por umas reles e míseras migalhas.
    O Benfica, tal como muitos outros emblemas prestigiados do futebol europeu, perderam decididamente o comboio da elite.

    ResponderEliminar
  16. Tenham juizo e deixem-se de merdas, qualquer pessoa, individuo entidade nao deve perder a sua identidade. Ora com este pulha de presidente tudo podera acontecer, eu dou um sugestao Estádio Andrade complexo dragao 2, quem fala em namings ganhem juizo e digam em portugues que é para mudar o nome do Estadio da Luz. Realmente este pulha transformou o benfica num clubeco de bairro, levamos sempre na boca dos corruptos e ate o decimo primeiro da liga inglesa nos fez a folha na liga europa. Santa paciência com esta porca de direção com o mestre da treta e da bazófia, o que pouco resta do verdadeiro benfica. O estádio da luz e o rei Eusébio fazem parte da identidade da essência o que nos identifica dos demais ora o pulha vende tudo ate a própria mãe que nunca o devia ter parido essa é que é a realidade.

    Esta na hora de correr com estes cancros do benfica, qualquer dia nem as pedras da calçada serão do benfica, Rua Vieira e demais acólitos de merda da treta. Rui Costa, JJ soares domingos, Silvio Cervan como pizzis, grimaldos, rua com esta merda toda.

    Senao qualquer dia nao haver mais benfica, bem aqueles meninos de dao uns pontapes na bola, pouco ou nada valem está na altura de os socios ganharem coragem e correr com esta corja de mafiosos, mas os benfiquistas tem fraca memória ja se esqueceram que o palerma do labrego queria uma opa para o gajo dos frangos mas va lá nao foi aceite pelo cvm.

    Enfim os socios so tem a merda que merecem nao abrem a pestana mesmo.

    Fernando

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas que grande Benfiquista, que nem sabe que o Estádio da Luz não se chama Estádio da Luz, mas sim Estádio do Sport Lisboa e Benfica. Por isso, acho muito bem o naming do estádio. Assim como assim, para os verdadeiros adeptos, será sempre Estádio da Luz!

      Eliminar
    2. São comentários tristes como tu, que os sócios acreditam no labrego que é o maior presidente. O estádio da luz ou estádio sport Lisboa e Benfica, é o menos relevante desta questão. A única questão de fundo será sempre as negociatas do atrasado mental do Vieira e toda a Escumalha dos vieiristas não vêem um palmo a frente dos olhos. Vem para aqui debitar bitaites que nada acrescam esclarecimento nenhum.


      Benfiquistas tem o que merecem, não abram os olhos.


      Fernando

      Eliminar
    3. Caro Fernando, já cá venho responder-lhe. É só o tempo de colocar o seu texto no tradutor do Google...

      Eliminar
  17. Caro GB

    tudo o que escreveste está certo mas....

    Tendo em conta o parágrafo abaixo não devestes noção nenhuma da realidade atual do Benfica nem da estratégia digital em curso há pelo menos 5 anos.

    “ O SLBenfica tem que se virar para o Digital, para a relação com os fans, para a diferenciação, para as experiências, para a personalização e para eventos que tenham expressão fora de portas”

    ResponderEliminar
  18. Um extreme makeover exige-se incluindo um

    SIMBOLO NOVO

    Foi o que todos os clubes grandes fizeram na última década

    ResponderEliminar
  19. O que está aqui em causa é que a marca Benfica não é, nem de perto de nem de longe, suficientemente forte para justificar um investimento avultado seja sequem for.

    De uma vez por todas esqueçam essa ideia de que o Benfica é umaarva grande fora de Portugal, porque não o é. Há muitos anos.

    E demos as voltas que dermos estamos num país periférico, sem grande importância no contexto europeu.

    Já agora, além do naming, troquemos a águia por um dragão alagartado e troquemos a cor das camisolas por verde e azul. Já é pouco o que nos resta, vão vender o que falta ao desbarato para realizar dinheiro que, diziam eles, havia aos montes aqui há uns anos... Saúde financeira, na havia necessidade de vender, enfim as tangas já gastas...

    ResponderEliminar
  20. Visão pequena. Infelizmente aqui é terra queimada. São os 5oo milhões de espanhóis que fazem o Real e o Barcelona, ou é a visão mundial?!

    Não podemos começar por aí, é certo, mas se pensarmos em 10 milhões aqui, mais o Brasil e os países africanos, mais Paris, resto de França, Newwark e resto dos EUA, Suiça, Alemanha, resto da diáspora e talvez alguém na China, falávamos em 300 milhões facilmente.

    Seria mais fácil se fosse feito pela Liga e por todos. Mas como temos de ir sozinhos, demorava mais um pouco, mas ficávamos com tudo.

    Mas para isso é preciso ganhar e chegar às pessoas, com empatia. E por agora, nem uma coisa, nem outra.

    Sócio do SLB rumo ao 38 que não paga quotas

    ResponderEliminar
  21. Não há milagres caros amigos.
    Os contratos conseguidos pelo Benfica, espelham e espelharão sempre a miséria dos resultados desportivos da equipa de futebol profissional.
    Nunca serão grandes contratos, mais a mais estando ao leme um indivíduo que não tem nenhuma categoria.
    Os clubes portugueses, têm ainda uma gestão de cordel, levada a cabo por trolhas ou pouco mais.
    Talvez o Sporting tivesse iniciado uma nova fase da gestão moderna dos clubes de futebol.
    Mas não creio que o Varandas queira lá estar muito tempo.
    O Varandas tem vida própria - pessoal e profissional - coisa que os labregos do Porto, Benfica e Braga não têm.

    ResponderEliminar
  22. como em tudo, o contexto é decisivo
    tal como a EDP, a GALP e por exemplo a Teixeira & Duarte nunca serão portentos internacionais nas suas áreas de negócio por serem empresas portuguesas, também o Benfica estará sempre confinado à sua pequenez, ditada pela insignificância do país a que pertence.
    a gente olha para os valores cobrados pelos grandes do futebol europeu e depois olha para os valores que os nossos "grandes" recebem e até dá vontade de chorar, tal a diferença abismal
    são realidades tão diferentes que nem dá para comparar

    ResponderEliminar
  23. O Mackover é vender o Benfica..

    ResponderEliminar
  24. GB, contrato do City por acaso é com o maior concorrente da Emirates, a Etihad...

    ResponderEliminar
  25. não sei o que é que eles andavam a pedir pelo naming mas que tem andado a diminuir o valor tem, baixou para os 5M agora andam a pedir 3,5M e se não conseguirem ainda vão baixar mais o preço.

    como sempre disse duvido muito que consigam vender o nome porque temos um problema grave, para alem de outros, o actual estádio, como o anterior, tem um nome não oficial que não vai mudar mesmo que o estádio mude de nome e isso retira muito valor ao naming.

    alias basta ver que conseguimos ter naming para os pavilhões para o seixal, embora agora não temos, mas nunca tivemos para o estádio e isso não é apenas um problema de quem negocia.

    com isto tudo vamos ter mais custos, certos, e provavelmente dinheiro nem cheirar, nem menos de 3,5M sequer.
    mas isso os mercenários do iluminado não estão interessados andam mais preocupados com as historias da carochinha.

    ResponderEliminar
  26. O Benfica está como o País : apenas e tão somente de olhos postos nos milhões que podem vir salvar a miséria.
    Tal como Portugal não tem uma só ideia acerca de como pôr o País a "funcionar" e a economia a crescer, suplicando desesperadamente pelos milhões da bazuca, o Benfica vai rapando o tacho (já mais que rapado) para encontrar qualquer coisita que renda uns cobres e assim prolongar a agonia miserável em que se encontra mergulhado.

    ResponderEliminar
  27. Penso o seguinte:
    1 - A "marca Benfica" deixa-me desconfiado
    2 - Se isso for em frente agora são 5.000M? É que há poucos anos o número era 100.000M cem milhões)
    3 - Os associados deveriam ser ouvidos
    4 - Esta direcção não deveria meter-se em negócios e deixar os ossos para a próxima que vai ter muitos problemas para resolver, incluídos os financeiros, claro!
    5 - Creio que o Benfica viverá bem sem 5000 milhões (ou será que já não é rico e precisa mesmo desta "simbólica" quantia que assentava bem em 2 clubes que estou neste momento a pensar (nada de Braga), mas não ao Glorioso?
    6 - Para terminar, repito que esta direcção deve estar quietinha e para quem acabou de derreter 100M e quer exportar o seu modelo de gestão para Inglaterra "este dinheirito são esmolas". Será que os nossos ricos gestores estão já a remexer em todos os bolsos e gavetas à procura de rapar o que ainda pode? Pobre Benfica! Cada vez mais teso e os gestores, comissionistas, olheiros, etc cada vez mais ricos e a dormir na paz dos anjinhos!
    Parem com este lançar do barro à parede! Que estes gestores vão depressa para o clube deles e os benfiquistas que por lá andam que desapareçam de uma vez por todas!!!

    ResponderEliminar
  28. O autor do post claramente não estudou o tema, e apresenta as fontes convenientes para suportar a sua conclusão. Eu não estudei o tema, mas algumas rápidas pesquisas no Google permitem-me também suportar a argumentação para desmontar a narrativa do autor.
    A questão do naming do estádio existe há pelo menos 15 anos. DSO em 2016: “Desde que o estádio foi construído que o Benfica procura um naming”.
    Já deviamos saber que os desmentidos oficiais do Benfica valem pouco. Na notícia citada, o Benfica também desmente a contratação de Zivkovic e refere que Rafa não está nos planos.
    Os únicos clubes em Portugal que venderam o naming do estádio são Braga e Académica. O Braga vendeu o naming do estádio à AXA em 2007 por 1,5M€. O autor referiu-se a Portugal claramente sem conhecimento pois não mencionou estes dois clubes.
    Curiosamente, o autor suporta-se num suposto estudo do Jornal de Negócios em que a citação é falaciosa. Os tais 2,5M€ referem-se a várias modalidades! Que tal comparar o futebol com o... futebol? Que tal utilizar fontes especializadas e com “estudos” mais recentes?
    Ao consultar alguns artigos recentes da imprensa especializada, percebemos que na Turquia o naming dos estádios (de futebol!) do Besiktas e do Fenerbahce foram vendidos por 6,9M€ e 8M€, respetivamente:
    - https://www.marketingregistrado.com/de/futbol/2020/10/31692_naming-rights-cuales-son-los-equipos-que-mas-dinero-cobran-por-vender-los-nombres-de-sus-estadios/
    - https://financefootball.com/2020/10/02/top-5-stadia-naming-rights-in-european-football/
    Por último, sobre a Capristanada dos tontinhos das redes sociais, ou patetas se se preferir a terminologia do “senador” Silvio Cervan, esse grande vice-presidente com os pelouros juridicos e institucional desde há mais de 10 anos e que muito jeito deu ao Benfica nos últimos anos...
    Em 15 anos não houve competência para vender o naming. Em 15 anos não houve competência para identificar que é um tema tão complexo que é necessário um parceiro reconhecido. Claramente que a venda do naming nesta altura é um negócio desastroso, quer pela conjuntura da industria do futebol e económica mundial, quer pela performance fraca do Benfica. Não reconhecer que este é um negócio por necessidade, e que pelos fatores enunciados temos uma posição negociar frágil, é ser um iludido e negacionista.
    O Benfica soube vender o naming da academia do Seixal (Caixa Futebol Campus) à CGD durante 13 anos. O R&C não identifica o valor do contrato, mas aparentemente andará em 1,5-2M€/ano. Não faria sentido vender o naming do estádio durante todos estes anos ainda que por 3M€? 39M€ ao fim de 13 anos não dariam jeito? É como sermos proprietários de uma casa de férias que preferimos manter vazia a arrendar por um valor mais baixo do que o que pretendemos. Gestão danosa. Ponto.
    Assuntos essenciais? A incompetência reiterada desta direção deve ser um assunto essencial para qualquer Benfiquista.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking