O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


terça-feira, 10 de setembro de 2013

As 7 vidas do Joaquim

Avatar
 ●  6 comentários  ● 

É como os gatos. Tem 7 vidas. Faliu a churrascaria em Luanda, abriu uma casa de alterne no Porto, 0 "Zimbo". Faliu o Zimbo, abriu uma queijaria em Alvalade. Faliu a queijaria e com a ajuda de João Rocha abriu a Olivedesportos para agenciar jogadores. A agência deu para o torto e entrou no mundo da publicidade aporveitando o nome da firma. Entrou na RTP e com a ajuda de amigos, (do alheio) abraçou os jogos em directo na RTP. Parecia um negócio florescente, mas em 2003 voltou a ameaça de falência. Gilberto Madaíl e os lobies calçaram-no novamente com a entrega de parte da organização do Euro 2004. Em 2005 por interferência de José Sócrates, o BCP empresta-lhe 300 milhões para comprar a lusomundo. Nunca pagou um tostão durante os últimos 7 anos. Acabou por perder a Controlinveste (antiga Lusomundo), perdeu os jogos do Benfica, mas alguém o há-de aparar novamente.
MARINHO NEVES 


Está praticamente desenhado, e deverá ser assinado esta terça-feira, o memorando de entendimento, entre os bancos BCP e BES e Joaquim Oliveira, para modificar a estrutura accionista do grupo Controlinveste, que controla o DN, JN, O Jogo e a rádio TSF. A informação é avançada hoje pelo Diário Económico, citando vários fontes.

Em cima da mesa está a transformação da dívida em capital e a entrada de dois novos accionistas: o angolano António Mosquito e, eventualmente, Luís Montez como o próprio confirmou ao Diário Económico. “ Disse que estava disponível para fazer parte de um solução para a Controlinveste mas é prematuro avançar com um acordo porque não tenho informação financeira disponível para tomar uma decisão”, justificou o empresário dono de várias rádios e da promotora Música no Coração.

Com este novo acordo, Joaquim Oliveira mantém os 25% de capital da Controlinveste, assumindo o BCP e o BES cerca de 30% das acções. Os empresários António Mosquito e Luís Montez deverão ficar com o restante e introduzir entre 15 a 20 milhões de euros no grupo.

Desta forma, refere o Diário Económico, a dívida da Controlinveste seria reduzida de forma substancial, passando dos actuais 230 milhões para cerca de 64 milhões de euros. Porém, e aqui reside a grande questão, tanto Mosquito como Montez consideram que este último valor é insustentável, exigindo uma redução a rondar os 40 milhões de euros.

Na próxima segunda-feira, dia 16, as partes deverão voltar a reunir, já com toda a informação financeira sobre o grupo de media disponível, para tomar uma decisão final. - daqui

6 comentários blogger

  1. Esse montez náo é genro do cavaco?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É !!!
      Comprou recentemente o pavilhão multiusos pela bagatela de 20 milhões (?)
      Má sorte a minha não ter arranjado um sogro rico. Só me quedei por um rico sogro...

      Eliminar
  2. Àqueles 300 milhões vindos do BCP Millénium, há a acrescentar mais 195,5 milhões de um empréstimo vindos da ZON a juros de amigos, que, ao que parece, também ainda não pagou nada.

    Qualquer dia aquela casa, vem abaixo!!!
    Cá estarei para os festejos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá estarás para pagar, assim como todos nós estamos com o "roubo do século", o do caso BPN.

      Eliminar
    2. sim, de facto estamos entregues à bicharada e todos nós vamos sofrer com estas e outras negociatas, quem quiser ficar mal disposto e revoltado aqui fica este link:

      http://apodrecetuga.blogspot.com/p/dos-crimes-de-corrupcao.html

      Eliminar
  3. Já agora, sabem quem foi o amiguinho "do alheio" quando entrou em negócios com a RTP? Nada mais, nada menos que o Eduardo Moniz... ide ver quem estava à frente da RTP nessa altura e que assentiu lesar o erário público em vários milhões de euros, numa altura em que a RTP comprava os direitos televisivos aos clubes directamente e por uma bagatela?

    Há pois é!! Comem todos no mesmo prato, por isso entende-se algumas protecções dos supostos "nossos" aos "outros" (leia-se presidente da FPF, muitos árbitros que nos prejudicam,...).

    Porquê? A pergunta deveria ser porque não? Será que o LFV e seus pares ganham menos desta maneira? Pelo que temos visto da lista dos mais ricos em Portugal, aparentemente, não!

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking