O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 5 de janeiro de 2013

A coerência de um assessor.

Avatar
 ●  16 comentários  ● 
A 22 de Outubro de 2012, coloquei um post com o tema 'Coerência tipo 'Varandas' por Tiago Pinto'.

Foi um post com alguma polémica, por envolver questões de 'coluna vertebral'. Escrevi no fim do mesmo que só não estava claro o que o então escriba convidado do NGB tinha visto para mudar tão radicalmente de posição.

Pois bem, após muitas informações dos últimos dias, algumas delas disponíveis no Cabelo do Aimar ou no 'Ontem vi-te no Estádio da Luz', quer nos posts, quer depois nos comentários, descobriu-se o mistério.

O referido escriba reformado da blogoesfera(encerrou o seu blogue e retirou-se depois das eleições) parece estar a exercer o cargo de assessor do Gabinete da Presidência do Sport Lisboa e Benfica.
Digo parece porque ainda não vi o seu gabinete na Luz. Mas hei-de pedir uma reunião. :)

Já li que a blogoesfera não tem grande peso quer junto dos benfiquistas, quer junto da direcção do Benfica. Que o resultado das eleições mostra que os blogues não pesam nada.
Os factos mostram o contrário.

Tem sido a blogoesfera a revelar muitos planos obscuros dos inimigos do Benfica e da verdade desportiva.
Tem sido a blogoesfera a ser a primeira defesa do Benfica em tantos assuntos incómodos para algumas amizades suspeitas.
E pelo visto, afrontar a direcção do Benfica publicamente na blogoesfera é também algo que incomoda, e muito.

Da parte do NGB, não há qualquer interesse em afrontar seja quem for no clube. Desde que os interesses do Benfica sejam sempre acautelados.
Quando tal não acontece, não contem com silêncios comprometedores ou com paninhos quentes.

Quem se vende por um prato de lentilhas terá o que merece.

Nota: Alguém sabe explicar quais os pelouros de Varandas Fernandes?

Estávamos pior que o Sporting - parte II

 ●  6 comentários  ● 

Na parte I, recuperei partes do discurso de Vilarinho e Vieira antes da época começar. Vejamos o que eles diziam durante e parte final do campeonato:

“DURANTE O CAMPEONATO”


PRESIDENTE LANÇA ALERTA EM POMBAL 
Vilarinho: «Somos muitos mas há outros tantos contra nós»· (claro que quando Vale e Azevedo era presidente, nada disto acontecia. Eram todos nossos amigos: o FCP, o SCP, a Liga, o António Costa, o Mário Mendes, o Paulo Costa, a RTP, a Sporttv, o Joaquim, o BES, etc.)



O presidente encarnado confirmou que o Centro de Estágio do Seixal vai mesmo avançar (sim, 3 anos depois). Por outro lado, Luís Filipe Vieira prognosticou o título e contrariou adversários: “Apesar das bicadas, vamos com certeza ser campeões” (Vieira como se vê, é incorrigível. Vive da permanente fuga para a frente. Os sócios parecem gostar...)

MANUEL Vilarinho disse ontem que apesar de os benfiquistas serem muitos, existem outros tantos contra o clube a que preside (para quem disse na campanha eleitoral que ia ensinar Vale e Azevedo a ganhar no futebol, digamos que teve aqui um momento de verdade. Dos raros...). Em Pombal, durante os festejos do 15º aniversário da Casa do Benfica local, o presidente encarnado apelou à união e ouviu o gestor do futebol, Luís Filipe Vieira, prognosticar a vitória do campeonato, dar um voto de confiança à equipa técnica e voltar a falar em “reajustamentos” no plantel.

Foi Vieira o primeiro a discursar perante os benfiquistas de Pombal: “Cabe-me a mim a tarefa de criar ambição de concretizar o sonho de sermos campeões (falou verdade sem se referir à “pesada herança”. Mas em 12 anos apenas fomos campeões 2 vezes, com endividamento de mais de 230 milhões. Se um treinador não ganha, é despedido. Quem é que está a segurar Vieira no Benfica, se não os interesses poderosos do BES e do Sr.º Joaquim? Os resultados desportivos, não são de certeza...). Desde a equipa técnica, à equipa médica e aos jogadores temos de pensar que somos sempre os melhores (o resultado deste pensamento “à Vieira” começou por serem as duas piores classificações dos últimos 60 anos, um sexto e um quarto lugar). A equipa técnica e o plantel dão garantias mais do que suficientes para sermos campeões.” (então não deram? 4º lugar com menos 2 pontos do que o pior Souness e dos “toscos” ingleses)

Autor: ANTÓNIO JOSÉ OLIVEIRA
Data: Sábado, 1 de Dezembro de 2001


O DEPOIS”



Manuel Vilarinho garante
 «Participação na UEFA não é fundamental» (só era importante quando Vale e Azevedo era presidente)


O presidente "encarnado", revelou ontem que «a Taça UEFA é importante até porque motiva os adeptos e proporciona dividendos financeiros, mas não será por isso que, não atingido esse objectivo, o Benfica deixará de cumprir o projecto idealizado», assegurou (aqui se vê que o projecto idealizado não eram os títulos desportivos, como se exigiu a Vale e Azevedo, mas sim, abrir caminho para a entrada de outras forças para dentro do Benfica. A construção do estádio foi o 1º passo).


Sobre o próximo "derby" em Alvalade sublinhou: «Claro que confio na equipa. Aliás, os benfiquistas, tal como os sportinguistas, acreditam sempre nas vitórias. Tratando de um Benfica - Sporting, o resultado é sempre incerto. É uma incógnita mais uma vez». (é uma incógnita, como diria La Palisse. Aconteceu empate 1-1 com o golo do SCP a surgir aos 94 mn num penalty inventado pelo árbitro assistente de Martins dos Santos. A “credibilidade” do novo Benfica resultava em roubos de arbitragem, maiores do que a “falta de credibilidade” de Vale e Azevedo).

«Este pode nem ser um jogo decisivo para o título ou para o lugar na UEFA. Para nós, todos são importantes. Temos é que aproveitar os deslizes do FC Porto...», finalizou Manuel Vilarinho. (ao fim destes anos todos, com o FCP dominador nos órgãos da Liga e FPF, com apoio deste Benfica de Vieira, sim, ganhamos um título porque o FCP deslizou em demasia, e ganhamos outro porque fomos anormalmente bons, com jogadores que logo de seguida o Sr.º Vieira se encarregou de vender – Di Maria e Ramires)

(Retirado do site da Infodesporto em data que não fixei)

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Estávamos pior que o Sporting - parte I

 ●  20 comentários  ● 

Fiquei bastante incomodado com a entrevista que o Sr.º Filipe Vieira, deu ao jornal a BOLA no dia 2 de Janeiro. Continua a pavonear uma arrogância incompreensível, a revelar uma falta de memória atroz e a mostrar um carácter que desqualifica a nobre função do Presidente do SL Benfica. Vieira continua a falar como se as suas palavras fossem sagradas, como se fossemos uma cambada de “cepos”, como se a história do Benfica tivesse começado em Novembro de 2000.
Mas as coisas não são bem assim. A memória das coisas esclarece o presente. Vejamos o que se passou na época 2001/2002, a tal que Vieira apelidou de “a primeira da nossa inteira responsabilidade”, quando da apresentação da equipa aos sócios, algures em princípios de Agosto de 2001.
Os comentários em itálico são da minha autoria. Tive de decompor o texto em duas partes, porque é demasiado extenso para este formato de blogue. O texto original foi publicado por mim, eagle01, em 2002-05-14 no Fórum dos Adeptos do Benfica (Delphi).


“ANTES DA ÉPOCA COMEÇAR”

RESPONSÁVEL CONTA COM A UNIÃO DOS BENFIQUISTAS 
Luís Filipe Vieira: «Arrasaremos pela Europa» 

NO FINAL da apresentação, o gestor do futebol, Luís Filipe Vieira, fez uma declaração à Imprensa onde, falando sempre na primeira pessoa, confirmou que a vinda de Simão e Júlio César para o Benfica não é uma miragem, mostrando grande crença no projecto do Benfica e salientando que o clube será um dos grandes do futebol europeu "dentro de dois anos". (ontem tal como hoje, Luís Filipe Vieira vive da demagogia e promessa barata. Vá lá, não se lembrou de dizer que a herança era pesada, isso foi só 10 anos mais tarde)

"Sei que sou um homem do protagonismo, mas não quero ser protagonista" (11 anos depois continua a ser um homem do protagonismo e continua a ser o único protagonista. Estamos a caminho do Sport Vieira e Benfica), afirmou o gestor para o futebol da SAD do Benfica, que reforçou, com ênfase: "Quero acordar definitivamente o Benfica." (e dar cartas na Europa daqui a uns anos, quando se lembrar que afinal não pôde fazê-lo porque o Benfica estava "pior" do que o SCP de 2012/13)

Para o final das declarações, Luís Filipe Vieira guardou a melhor parte: "Quero que o Benfica seja definitivamente líder na Europa do futebol. Se os benfiquistas ficarem unidos e derem a cara por este projecto, arrasaremos pela Europa fora, dentro de dois anos". (os benfiquistas deram-lhe sempre vitórias com mais de 90%, não pode falar de falta de união. Onde estão as vitórias europeias de 2004, 2 anos depois?) É caso para dizer que a confiança está em alta para os lados da Luz (confiança é uma palavra simpática. A demagogia estava em alta e assentou arraiais até hoje...).



Autor: RUI MATOS PEREIRA (RECORD)
Data: Sábado, 7 de Julho de 2001·



Aí está o arranque a sério da temporada benfiquista. A primeira etapa joga-se na Póvoa do Varzim. A estratégia está definida e é válida... não só para este jogo, mas para toda a longa maratona que é o campeonato. Toni, treinador do Benfica, é um homem optimista, confiante, mas também cauteloso, prudente, com frieza: «Toda a gente tem dito que somos campeões da pré-época (na altura, tal como hoje, parece ser uma sina das equipas benfiquistas do Sr.º Vieira), mas isso não existe. Em cada jogo que efectuarmos não podemos estar a menos de 100 por cento sob pena de não conseguirmos os nossos objectivos.»
Toni afiança que «o Benfica vai lutar até ao fim pelo título», garantindo que pretende que a sua equipa deixe de ser «um candidato histórico e passe a ser um candidato real» (caro Toni, o candidato “histórico” ao tempo de Vale e Azevedo, com os tostões e ingleses, fez mais 2 pontos que o teu candidato “real” dos milhões do Mantorras, Simão, jogadores e treinadores da casa, no final da época 2001/2002).

(Retirado do site da Infodesporto, Agosto 2001)

A comunicação de LFV

 ●  11 comentários  ● 

Esta época desportiva, várias vezes o Presidente Luís Filipe Vieira nas suas declarações públicas, mandou umas "bicadas" ao vizinho ( e coloquei vizinho porque rival já o deixou de o ser ) Sporting.
Começou em Setembro na inauguração da Casa do Benfica de Lagos, devido à dispensa de vários treinadores e colaboradores da estrutura de futebol de formação.
Voltou logo depois da vitória sobre o Sporting, em pleno estádio de Alvalade, ( com a moral em alta é fácil ) enviando uma indirecta sobre o carácter de Godinho Lopes, comparando-o a João Vale e Azevedo.
Ontem no Jornal A Bola volta a falar sobre a situação actual do Sporting comparando-a com a do nosso clube há uns anos atrás. ( Não menciono o nome do ex Presidente da altura porque já basta as vezes que o actual Presidente menciona o seu nome, e os tribunais portugueses )

Luís Filipe Vieira tem o "dom" de vir a terreiro dar entrevistas, todas elas apesar de tudo, bem espremidas com pouco sumo, sempre que o futebol do Benfica está na liderança no Campeonato.
Quem não se recorda da entrevista feita no ano passado em Fevereiro quando liderávamos isolados ? Mas veio a hecatombe na classificação e o Presidente escondeu-se. Claro que sim, a imagem da "foto" tem mais brilho quando as coisas correm bem...

Neste tópico na caixa de comentários, na altura escrevi que gostava de ter um Presidente resguardado, com nível e não um "peixeiro". Não digo que LFV seja "peixeiro" e até o podia ser para defender os interesses do clube na FPF, Liga, APAF etc, mas poderia e deveria resguardar-se mais.
Até porque já vimos este filme anteriormente. Se dia 13 "a coisa" correr mal, lá irá meter a "viola no saco"...

Hoje é noticiada a saída da "Voz do Dono", a.k.a. João Gabriel. Acho bem a sua saída.
Com Ricardo Lemos como Director da Comunicação do Benfica SAD e Ricardo Sampaio Maia como Director de Comunicação de todo o grupo Benfica, acho muito bem que o Presidente comece a cortar nos assessores, dando o exemplo nos cortes da despesa "gorda" do clube

Esperem lá...Terá cortado mesmo nos assessores ?!

PS - Peço desculpa aos meus colegas escribas e a quem nos lê, a minha falta de assiduidade ultimamente no NGB. Motivos pessoais e familiares, levaram-me a tal. Penitenciei-me passando todos os dias na "BêCêIe" ( VCI ) passando ao lado do estádio dos Murcões. Como já me dava vómitos...Voltei a escrever.


João Gabriel: One Out (much) more to go

 ●  15 comentários  ● 
João Gabriel deixou o Benfica, onde ocupava o cargo de diretor do departamento de comunicação.

"O único comentário que quero fazer é agradecer ao presidente Luís Filipe Vieira por me ter permitido servir o Benfica durante quase cinco anos", disse ontem João Gabriel ao Correio da Manhã.

"Aos benfiquistas, queria garantir que o clube está em boas mãos", acrescentou.

Contactado pelo CM, Luís Filipe Vieira não quis fazer qualquer comentário sobre a saída de João Gabriel.

O antigo jornalista da TSF e da SIC, de 47 anos, que passou ainda pela presidência da República, onde foi assessor de Jorge Sampaio (1996-2006), chegou ao Benfica em 2008.
in Correio da Manhã

***********
Um já foi, faltam muitos outros. Voltamos a repetir, não está em causa a capacidade profissional ou os valores pessoais e humanos. Está em causa o benefício para o SLBenfica da sua inclusão na equipa de gestão.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Todos ao Estádio da Luz!

 ●  Sem comentários  ● 

O Estádio da Luz recebe, no próximo dia 13 de Janeiro, domingo, o FC Porto, num clássico marcado para as 20h15.
(Bilhetes aqui)



14ª jornada

12/01:
Vitória de Guimarães-Marítimo (18h)
Nacional-Sporting de Braga (20h30)

13/01:
Vitória de Setúbal-Moreirense (16h)
Paços de Ferreira-Académica (16h)
Gil Vicente-Rio Ave (16h)
Olhanense-Sporting (18h)
Benfica-FC Porto (20h15)

14/01:
Beira-Mar-Estoril (20h15)

A gestão de imagem e comunicação do treinador do Benfica(E do Benfica).

Avatar
 ●  31 comentários  ● 





"Foi nesta altura que o treinador surpreendeu, quando lhe perguntaram, na última questão da conferência de imprensa, se os problemas de Gaitán eram apenas físicos. «Isso não sei, não sei se tem problemas sexuais, isso não sei», atirou." - in Maisfutebol.

Seja uma graçola ou um deslize, é de muito mau gosto. 
Demonstra total ausência de bom senso e noção do que é aceitável um líder dizer em público. Deixa o jogador exposto a piadolas dos adversários, por exemplo, em campo.

Além disso, não estás a treinar o Felgueiras, JJ. Parece que te esqueces facilmente disso. Ganhas uns jogos e soltas logo a língua. 

As conferências de imprensa não são o 'The Jorge Jesus Show'.

O único show que queremos de ti é em títulos. E então podes dizer todas as asneiras que quiseres.
 

A data do V. Setúbal-FC Porto: um presente de Natal?

Avatar
 ●  8 comentários  ● 
"1. O calendário de uma competição tem um valor acrescido para o seu regular desenrolar. Num momento em que o tempo rareia para a realização de jogos, a instituição de regras quanto ao calendário revela-se fundamental e cada situação patológica deve merecer resposta precisa.
 
Compreende-se, com facilidade, que o Regulamento de Competições da Liga aborde este tema com profundidade e de forma minuciosa, oferecendo respostas para situações que não são normais. É que qualquer alteração à data de realização de um jogo não só afecta os intervenientes como se projecta nos outros participantes na competição e ainda nas outras competições que decorrem em paralelo.

O que não se concebe, em vista das normas que existem e dos múltiplos interesses envolvidos, é que a Liga decida marcar um jogo violando as suas próprias normas. É o que ocorre com o jogo a realizar, a 23 de Janeiro de 2013, entre o V. Setúbal e o FC Porto.

2. Como é do domínio público, o jogo encontrava-se agendado para o passado dia 14. Porém, não se veio a realizar devido às condições do estado do terreno.
Na imprensa recolheram-se alguns dados. Para os presidentes dos dois clubes, "em princípio", o jogo seria "agendado para 23 de Janeiro". Por outro lado, uma notícia na página do FC Porto dava conta de que os clubes acordaram apresentar, no dia 17, nova data.
Deste cenário é pelo menos possível duvidar que os delegados ao jogo tenham, no respectivo Boletim do Encontro, assentado, desde logo, a data de 23 de Janeiro.

3. O tempo passou e, por bem discreta informação da LPFP (de 18), constata-se que o jogo foi mesmo marcado para esse dia, o que é manifestamente irregular.
Com efeito, resulta "clarinho" que os jogos adiados no decurso da primeira volta têm de ser realizados obrigatoriamente no decurso das quatro semanas que se seguirem à data inicialmente fixada para o jogo, salvo casos de força maior devidamente comprovados e reconhecidos por deliberação da Comissão Executiva (artigo 19.º, n.º 2 do RCLPFP). Ora, não se vislumbra nenhum "caso de força maior", nem ele é invocado na decisão da Liga. O leitor chegará à conclusão de que a data de 23 de Janeiro excede o prazo referido.

4. A questão, todavia, pode não se quedar por esta irregularidade e, nesse caso, as consequências são bem gravosas. Advirta-se que vamos entrar num melindroso domínio de análise, mas que não afasta a validade das dúvidas.

5. No RCLPFP, quando ocorra uma situação como a do dia 14, existe uma regra clara: o jogo realiza-se, no mesmo estádio, dentro das 30 horas seguintes (artigo 22.º, n.º 1).
Esta regra comporta duas excepções. Uma, a da realização de um jogo das competições da UEFA na semana seguinte, que não tem aplicação no caso concreto. A outra exige que os delegados dos clubes declarem, no Boletim do Encontro, o seu acordo para a realização em outra data. Isto é, naquele momento, naquele documento oficial, tem que constar, desde logo, a data concreta, não sendo regulamentarmente possível deixar a marcação dessa data para momento posterior.
Partindo do pressuposto de que, nesse boletim, não existe nenhuma data estabelecida, a regra adquire a sua força natural.Ou seja, abreviando, o jogo em causa deveria ter sido realizado nas 30 horas seguintes.

6. Aqui chegados, as consequências para os dois clubes podem ser gravosas, sempre a analisar em procedimento disciplinar, não sendo de descurar a necessidade de examinar uma eventual falta de comparência.

7. Pois é, isto do desporto profissional, das competições profissionais, exige acrescidas cautelas e os erros podem custar caro. Muito caro. josemeirim@gmail.com" - retirado daqui.

Sem espinhas e com todos a 'molharem a sopa'!

Avatar
 ●  4 comentários  ● 

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Luis Filipe Vieira não aprende?

Avatar
 ●  38 comentários  ● 
"«A atual crise do Sporting? O Benfica estava bem pior...» 
- LF Vieira
  
 
O presidente do Benfica Luís Filipe Vieira, em entrevista ao jornal A BOLA, lembrou a situação do seu clube em 2000 quando Vilarinho chegou ao poder.

A crise desportiva e financeira que está a assolar o Sporting é má para a indústria do futebol, no seu todo?
- O Sporting faz falta com certeza, mas as crises podem ser oportunidades, depende da vontade e da capacidade de quem enfrenta as crises. Veja o caso do Benfica quando Manuel Vilarinho aqui chegou. Esse Benfica pós Vale e Azevedo, do ano 2000, não tem comparação com este Sporting. Estava bem pior e, no entanto, conseguimos recuperar a grandeza, a credibilidade, as infraestruturas, as finanças….Lá está, fizemos de um gravíssimo problema uma oportunidade. A solução está sempre nas mãos de quem dirige.

- Os clubes, especialmente os que têm mais adeptos, não deviam encontrar mais plataformas de entendimento, para bem de todos?
- Ficaria surpreendido se lhe dissesse a quantidade de reuniões que os responsáveis dos clubes, nomeadamente o Sporting, o FC Porto e o Benfica têm, de coordenação, em matérias específicas. As estruturas profissionais dos clubes trabalham em conjunto, independentemente desse trabalho não chegar ao vosso conhecimento."
 
Caro Luis Filipe Vieira: 
 
- Com o Benfica em primeiro lugar voltam as entrevistas triunfantes?
- Não acha que já enjoa ser incapaz de abrir a boca sem falar no Vale e Azevedo, que já todos sabemos quem foi e o que fez?
- Compare o serviço de dívida actual do Sporting e o do Benfica quando o Sr. entrou no Glorioso. Compare o acesso ao crédito que havia na altura e a facilidade com que ainda hoje, apesar da crise, se concedem linhas de crédito, contas correntes e livranças à empresas.
Compare a actual dívida do Benfica com a do Sporting.
Acha que tem alguma comparação?
- Que reuniões são essas com o Sporting e em especial FCP? São ao nível da Liga de Clubes? Ou são fora desse âmbito? Se fora da esfera da Liga de Clubes, quem autorizou o Sr. a reunir-se com um clube com quem o Benfica tem oficialmente relações cortadas?
Porque não respondeu que o Benfica não se reúne com clubes que não agem de forma limpa e honesta?
 
Espero que não tenha elogiado os árbitros no resto desta conversa com o Pasquim do Serpa. O mesmo Pasquim que censurou outros que lá escreviam mas que não se importa de dar guarida aos Moreiras e Tavares.  

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

É tudo à grande.

Avatar
 ●  6 comentários  ● 
"O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor Baía ao BPN. A dívida resulta da concessão de créditos pelo banco, quando era liderado por José Oliveira e Costa, às sociedades Sunderel - Gestão Imobiliária, e Cleal - Investimentos Imobiliários, que foi gerida por António Manuel Esteves, o ex-sócio a quem Vítor Baía acusou de burla."

"A transferência da dívida destas firmas para a Parvalorem não é um caso único: desde o final de 2011, essa sociedade pública já comprou ao BIC créditos malparados no valor total de quase 4,2 mil milhões de euros.
O CM tentou falar, por telemóvel, com Vítor Baía, mas sem sucesso. Foram enviados SMS com o assunto em causa, mas o ex-guarda-redes não respondeu. Vítor Baía realizou, nos últimos anos, investimentos imobiliários: um deles foi o Hotel Évora Machede, no Alentejo." - in Correio Manhoso.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Tão transparente como a carne de porco

 ●  39 comentários  ● 

Portugal 30 de Dezembro de 2012

O fim do ano aproxima-se. Confesso que nestes últimos tempos tenho andado confuso com vários tipos de acontecimentos que resumem este ano a um conjunto de equívocos. Equívocos que perpassam por vários dos últimos anos da nossa vida. Basicamente nada muda. Somos como somos, erramos como erramos.
Não pretendo fazer um balanço do ano, mas aproveito o momento para escrever sobre coisas que se passaram e passam. Pegando na última edição do jornal Benfica, fiquei estupefacto com o título do artigo de opinião de Pragal Colaço: “algum dia em 2013 poderemos afirmar que foi transparente?”. Não foi este um dos que mais contestou a alegada “falta de transparência” (fora o resto, eu sei) da gestão do Dr. Vale e Azevedo? Afinal, ao fim destes anos todos, concluo que a transparência não qualifica a nossa vida, porque muita gente recorre à falta dela para atingir os seus objectivos. E outros entendem-na consoante as necessidades.
Neste âmbito poderei abordar as contratações de Sálvio, Lima e Ola Jonh, contratações sem motivação transparente, incompreensível para quem gosta do clube. Não compreendi que se contratassem 2 médios ala, despendendo cerca de 13 milhões de euros (num só temos 20%), quando na época anterior, os jogadores dessas posições, Nolito, Bruno César e Gaitan, tinham cumprido com satisfação, marcando golos, fazendo assistências e sendo, jogadores que, reconhecidamente, não interferiram na perda do campeonato. Ou se troque Saviola por Lima, dando a Lima maior salário que a Cardozo.
E como estas opções não são transparentes, compreendo que a comunicação social, com os órgãos do Benfica em particular, não se cansem de promover os desempenhos dos novos recrutas, de forma por vezes patética. É o Lima “isto”, o Sálvio “aquilo”, o Ola Jonh “mais aquilo”, etc. Há que justificar, pela opinião, a má decisão da contratação (os golos e assistências dos novos jogadores não suplantam o dos outros que ficaram “tapados”) mas a boa decisão para os amigos do “sistema”: o Braga recebeu 5 milhões por um jogador que em Janeiro ficava livre, o FCP recebeu o dinheiro que o Atlético de Madrid devia. Do Ola Jonh não percebi porque razão tendo apenas 20% do seu passe, se aposta nele para tapar jogadores cujos passes nos pertencem a 100%.
O responsável maior por estas decisões, Luís Filipe Vieira, entretanto publicou um livro intitulado “Missão Benfica”. Escreve como se nada disto fosse com ele, nada dos milhões de prejuízo que causou no imediato (o preço que se pagou pelos jogadores em causa, e a desvalorização dos que cá estavam a jogar bem) e nada do prejuízo desportivo que já provocou (eliminação da Champions e primeiro empate na Taça da Liga, desde há 4 anos, com 1 penalty falhado por Lima). A máquina de propaganda que está por trás de Vieira, por vezes dá a sensação que o pretende equiparar, pelo “mérito e génio empresarial”, a uma espécie de Steve Jobs do futebol. Estamos a falar do mesmo Luís Filipe Vieira que no Alverca, desceu de divisão. Como a propaganda tudo faz esquecer …
Esse livro de facto tem um título errado, pois devia chamar-se “Missão BES - endividar para existir”. Não compreendo que seja escrito ao fim de 11 anos como gestor do futebol e presidente do Benfica, e com várias ameaças de saída pelo meio. Quando se tem como missão reerguer o clube que amamos, como ele diz, não esperamos 11 anos para escrevermos que é isso que andamos a fazer. Nem fazemos ameaças pelo meio. Quando há uma estratégia, ela tem que se impor pela qualidade. E pela clareza dos seus objectivos.
Estupefacto também fiquei com a sugestão, no SAPO online, de que a derrota do SCP em Vila do Conde, ainda permitia alimentar algumas hipóteses de qualificação. Matemáticas, eu sei, mas mesmo assim há coisas que a matemática também prova: caso o Paços não vencesse o Marítimo, o SCP precisaria de fazer um daqueles resultados que ainda não fez esta época, para se poder apurar. Portanto…
E por falar em SCP, aqui se vê o exemplo de um clube que por mudar muito quando não ganha, se arrisca a cair no abismo. No futebol, tal como às vezes na vida, deve procurar-se a solução na “contra lógica”, nas opções que fogem aos lugares comuns: no bom senso de verificar se era possível fazer melhor, com os outros treinadores e respectivos plantéis. Ou seja, se tivessem o bom senso, a sageza e a coragem de ficar como estavam, seguramente agora estariam melhor. Um tema à atenção de alguns adeptos do Benfica que mudavam de jogadores e treinador todas as semanas…
Falta de transparência foi coisa que não faltou na eleição de Pedro Proença como “figura do ano” para o jornal A BOLA. Qual o critério: ter sido escolhido para apitar a final da Champions League, ou ter oferecido o título de campeão ao FCP? Se fosse por mérito desportivo, teria de ser escolhida a equipa que ganhou a 1ª medalha (de prata) de sempre, para Portugal, nas provas de remo dos Jogos Olímpicos. Se o critério foi a acção continuada, esta eleição de Proença sugere conivência entre o jornal A BOLA, patrocinador - no campo da opinião - da actual Direcção do SLB, e o “sistema” de arbitragens que dá títulos ao FCP.
Porque no futebol tudo se liga, ouvimos Maradona elogiar Mourinho, quando da eleição de “melhor treinador do Mundo” (e não ganhou a Champions, que faria se tivesse ganho). Seria sem dúvida um elogio inocente, se não fossem ambos representados por Jorge Mendes. Mas também ouvimos Mourinho elogiar Luís Filipe Vieira antes das eleições e ouvimos Pepe e Bruno Alves defenderem Meireles no caso da expulsão na Turquia. Onde há Jorge Mendes, as coisas nunca acontecem por acaso.
Bom ano para todos e muitas vitórias do Benfica em 2013.

domingo, 30 de dezembro de 2012

Que jogo enervante!!!!!

Avatar
 ●  5 comentários  ● 




Chiça pah!! Que jogo enervante!!
Tudo ainda com jet-lag, e com o Moreirense a aproveitar o quê? O duelo no meio campo. Raras foram as bolas que foram ganhas pelo Benfica.
Os cantos continuam a ser marcados ou em balão(e demasiado previsíveis) ou para a pequena área e assim oferecidos ao guarda-redes.
Lima(mal no penalty) a ser o 10 da equipa, mostrando que sem Aimar ou Carlos Martins estamos bem tramados!!
E a táctica do 4-4-2 contra uma equipa bem organizada....enfim.

Talvez tenha sido o bacalhau que estava salgado.

Veremos como corre o jogo da Taça de Portugal.

Nota: Como estou muito bem disposto, estou curioso para ouvir as desculpas do Rui Oliveira e Costa hoje.

ranking