O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 29 de dezembro de 2012

Michael Manniche merecia muito mais.

Avatar
 ●  12 comentários  ● 
  


Fiquei muito desiludido com a qualidade da entrevista feita a um dos mais marcantes jogadores do passado mais recente do Benfica.

A jornalista que conduziu a conversa tem mostrado capacidade e qualidade habitualmente na BTV, mas esta não era tarefa para si.

Um inglês pavoroso, cheio de erros gramaticais e nas expressões utilizadas(fazendo uma tradução literal do português para o inglês, um erro básico que qualquer professor de inglês recrimina).

Mas mais que isso. Demonstrou um desconhecimento muito grande de quem foi Manniche e do que significou e significa para os benfiquistas que o viram jogar.

Muitas perguntas cheias de lugares-comuns, por vezes roçando o ridículo, como quando insiste que Manniche diga quais são as suas principais qualidades e defeitos como homem, quando ele de forma elegante tinha respondido que a esse tipo de perguntas outros devem responder, e não o próprio.

Mesmo ao falar no que trouxe Manniche a Portugal, uma acção sobre a Diabetes(doença que afecta a sua filha), com o patrocínio entre outros da Novo Nordisk, multinacional dinamarquesa líder mundial no tratamento desta doença, a jornalista demonstrou pouca habilidade para abordar este tipo de assuntos com a cautela e reserva que merecem.

Aprecio o trabalho da jornalista, mas não neste registo. Já chega a Claúdia Lopes na TVI.

Manniche merecia um entrevistador com outra bagagem, e a BTV tem que rapidamente subir de nível qualitativo. Tem a palavra(segundo dizem) José Eduardo Moniz.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

"Desviar Jogadores": A galinha dos ovos de Ouro de Pinto da Costa

 ●  23 comentários  ● 
Sinceramente já mete nojo a guerra absurda que os jornais patrocinam em torno dos supostos "desvios" de jogadores do SLBenfica para o outro clube... Jardel, Lisandro, Falcão, James, Alvaro Pereira, Cissoko, Mangala, Reyes, Rodriguez, Danilo, Alex Sandro, etc...

Recuemos na história. Jardel e Lisandro terão sido dois jogadores "descobertos" pelo SLBenfica, mas cujo momento financeiro não nos permitiu concretizar as operações e com isso fez com que fosses ultrapassados na recta final (ou nem isso, pois em ambos os casos já tínhamos "entregue as armas").

Esses dois processos rapidamente despertaram no Papa um novo filão de oportunidade: Os sócios portistas cegavam de entusiasmo quando o outro clube pretensamente "roubava" um jogador ao SLBenfica e, em mesma ou mais larga escala, os sócios do SLBenfica cegavam de raiva dos dirigentes do SLBenfica, com constantes desafios à sua competência. É o crime perfeito, pois o enquadramento da operação gerava tantas ondas emocionais que ninguém se preocupava com dinheiro, condições, etc.

Ora, ao Papa interessa ganhar, mas não só. Há que angariar dinheiro para "pagar" o Sistema que lhes permite precisamente essas vitórias que valorizam até os jogadores mais banais.

Ora, depois de muitos milhões em comissões na última operação com Danilo e Alexandro - cerca de 5M€ - juntam-se agora mais 3M€ em comissões pagas pelo outro clube no negócio de Reyes (3M€ relativos a 8M€ de transferência, ou seja, quase 40% do valor base da transferência).

Na verdade neste folhetim das transferências os jornais, mais uma vez e como habitualmente, são peões na mão do Sistema corrupto que move influências no futebol português com vista a financiar toda uma operação de dependência dos árbitros, dirigentes dos organismos de poder (Liga e FPF) e ainda Clubes de segunda linha.

As redacções estão cheias de jornalistas amedrontados pelas perseguições levadas a cabo pelo Papa e sua corja, ou outros mais astutos que acabam por também eles ganhar dinheiro neste Sistema, os chamados avençados.

O esquema é fácil de perceber:

- Colocam-se elementos-sombra em torno dos prospectores do SLBenfica que acompanham os seus movimentos e intervêm localmente nesses países para "atacar" os processos onde o SLBenfica demonstra interesse em concretizar operações.

- Rapidamente se faz chegar esse interesse (o do SLBenfica, claro) às redacções e durante duas/três semanas alimenta-se um folhetim de contração que está quase, quase, quase... mas que tem sempre um qualquer novo entrave fabulosamente descoberto por esses jornalistas de cu sentado na cadeira em Portugal.

- Ao cabo dessas três semanas, aparece o interesse do outro clube, que passou as últimas semanas a interagir com os dirigentes locais para fazer subir a parada e, acima de tudo, fazer subir 

- Rapidamente o negócio vira, o SLBenfica sai de cena nas palavras dos jornalistas (ou serão jornaleiros?) e o outro clube aparece triunfante a fechar uma transferência por "cerca de" um determinado valor.

- Dá-se a explosão de raiva dos benfiquistas.

- Segue-se a explosão de glória dos do outro clube.

- Sucedem-se as crónicas de jornais a apontar "mais um desviado".

- E no finalzinho na novela, só passado uma ou duas semanas, lá aparece então o valor real e final da transferência, pouco ou nada comentado pelo outro clube, e que já inclui as chorudas comissões pagas a "não identificados"... obviamente que é aqui que se aplica a tal máxima que "quem parte e reparte, fica com a melhor parte", mas sempre numa perspectiva de "dividir para reinar".

Daqui para a frente já todos sabem... seguem-se semanas e semanas e semanas de elogios a exibições medíocres e inconstantes, destaques a pequenos feitos e honras de primeira página sempre que há um jogo mais bem conseguido.

Passo seguinte: colocar a órbita de valorização europeia a funcionar e repetir a operação, com valorização financeira, mas desta vez com um dos colossos endinheirados a pagar as ditas comissões aos mesmos e ainda a deixar nos adeptos a tal ideia que o outro clube se enche de dinheiro nestas operações. NADA DE MAIS FALSO!

Ricardinho, não é só no futsal que isso acontece, amigo!

 ●  45 comentários  ● 

Vários meses se passaram desde a saída de Ricardinho do Benfica, mas a mágoa, essa, continua presente. O jogador, em entrevista ao SAPO Desporto, diz ter abdicado de «14 mil euros» para poder regressar ao clube que o lançou na ribalta do futsal, mas depressa percebeu que este já não era o mesmo balneário de onde tinha saído campeão Europeu. 

«Perdi 14 mil euros por mês para ir para o Benfica porque pensei que ia treinar duas vezes por dia, ia ser profissional e ia encontrar um grupo em condições, mas não encontrei infelizmente. Alguns jogadores ainda se servem do Benfica e foi por isso que saí no final do ano», começou por explicar. 

Para Ricardinho, atualmente, existem jogadores que não sabem o que é a mística do clube, nem têm dentro do clube quem os faça sentir isso. «Nos anos em que estive no Benfica aprendi a mística do clube, a obrigação de ter de ganhar em qualquer lado. Hoje em dia, os jogadores que lá estão não percebem isso. São pessoas que se servem do Benfica e não servem o clube» adiantou. 

Ricardinho recua uns anos para tentar demonstrar a diferença existente entre o passado e o presente: «Hoje em dia os capitães do Benfica não conseguem passar a mensagem porque não o viveram. Eu tive a meu lado jogadores como o André Lima, o Arnaldo, o Pedro Costa, jogadores que viviam o Benfica e não vivem do Benfica»

O jogador continua sem querer apontar nomes por respeito à instituição e ao clube que diz ser «o do seu coração» e para não destabilizar a equipa, nesta altura. O Benfica ocupa o segundo lugar do campeonato com 27 pontos, a seis do líder Sporting. Na próxima jornada, as duas formações irão defrontar-se na casa dos leões.




quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Vem aí um dos momentos favoritos dos adeptos

 ●  14 comentários  ● 
... A reabertura do mercado de transferências. Já aqui o disse e repito: para mim deveria haver um e só um período de transferências no Mundo inteiro ao mesmo tempo, com as mesmas datas para acabar com a palhaçada e parasitagem que reina no futebol em 4 ou 5 meses do ano, quase tantos como passamos em competição.


Os benfiquistas já andam com a "tesão do mijo" com o tal Fariña ou Centurion enquanto ainda lamentam o Reyes. O Novo Blog GeraçãoBenfica é talvez o blog mais lido da blogsfera benfiquista e um dos mais lidos entre os afectos aos clubes de futebol e sou gajo para apostar em não consigo reunir 1% dos nossos leitores que conhecesse qualquer um desses três jogadores antes de serem falados pelos jornais...

... Mas "guess what", são estrelas se vierem e serão lamentos se "desviados" para o FCPorto que continua a apostar mais numa boa relação com os nossos prospectores e emissários à América do Sul do que propriamente em ter a sua própria rede de prospecção e detecção de talentos.

Da minha parte não faço ideia quem são, nem sequer o que jogam. Ouvi dizer que o Reyes era central e espero vivamente que para justificar as linhas nos jornais seja melhor que o Miguel Victor, o que não é fácil. O Centurion parece ser um médio ala que o SLBenfica realmente não precisa seja no plantel principal seja na equipa B onde temos vários bons jogadores do Rosa ao Nolito, passando pelo Gaitan, Ola John, Salvio, etc.. nada que justifique 7, 8 ou 10M€. Sobre o tal Fariña (ou "Farinha" em português) que é médio centro para onde o SLBenfica tem o Bruno Cesar, o Gaitan, o Aimar, o Martins, etc. etc. etc.

Da minha parte não dou para esse peditório. De uma vez por todas ou que venha alguém de topo "um Witsel" que pegue de estaca sem balelas das adaptações e outras parvoíces que tais, ou nem vale a pena perderem tempo a ler jornais.

Se querem ter no que pensar, pensem sim sobre o impacto da negociata mais que conhecida há muito entre a PT e a Sportinvest vai afectar o SLBenfica e respectivos direitos televisivos... e até que ponto o SLBenfica já não sabia disto (que não se faz de um dia para o outro e já se falava há muito) quando foi anunciada a teoria dos direitos na BenficaTV...

Excelente notícia a fechar 2012.

Avatar
 ●  5 comentários  ● 

Bem vindos de volta, rapazes!!!!!!!!!!!

Descubram as diferenças ou Quando não há vergonha na cara e custa admitir a realidade.

Avatar
 ●  13 comentários  ● 



Reparem na ordenação dos clubes em cada um deles.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

A internacionalização do Glorioso.

Avatar
 ●  6 comentários  ● 
Abaixo transcrevo um artigo profundo e brilhante de um dos melhores bloggers do universo benfiquista, de seu nick B Cool, escriba do 'Ontem vi-te no Estádio da Luz'. É mais um contributo da blogoesfera benfiquista, tão desprezada entre as vozes oficiais do clube, mas que insiste em demonstrar que pensa pela sua cabeça e que coloca o interesse do Benfica acima de tudo.


Aconselho vivamente a leitura integral deste post.

"Repetidamente afirmei que a internacionalização é o único caminho para o Benfica crescer, isto é apostar no crescimento no exterior em detrimento de Portugal. No entanto, vezes sem conta fui alertado para que o mercado português ainda tem potencial de crescimento, nomeadamente através do naming do estádio bem como do aumento das receitas inerentes à renegociação de contratos com os patrocinadores e a exploração dos direitos televisivos. Recorde-se que a este propósito foi recusada uma proposta de 22 milhões/ano da Olivedesportos/PPTV.

Vamos por partes então. Eu não nego que existem possibilidades adicionais de receitas em Portugal, porém o limite de crescimento é notório. O mercado português, seja no território continental e ilhas, seja junto das comunidades portuguesas é ínfimo quando comparado com o mercado global. Admitindo por absurdo, porque duvido do número, os 14 milhões de adeptos, espero que não queiram comparar com o Manchester United que só na China tem mais de 100 milhões de adeptos e que no mundo inteiro terá um valor estimado em 659 milhões, ou seja quase 50 vezes mais que o Benfica.

Se não acreditam nestes números, então deveriam saber que a GM acredita e com base nisso, firmou um contrato de patrocínio, através da sua marca Chevrolet, a entrar em vigor em 2014/15 até 2020/21 que renderá cerca de 60 milhões de euros anuais, basicamente o dobro do que o Barcelona recebe hoje em dia da Qatar Foundation. Actualmente o Barcelona lidera a tabela, seguido de Manchester United e Liverpool com 25 milhões e Real Madrid e Bayern com 23 milhões de euros (o Bayern subirá para 30 em 2013/14). E o Benfica ? O Benfica entre Adidas, PT e Central de Cervejas conseguiu cobrar 12 milhões em 2011/12.

Nada mau pensarão vocês, mais que metade do que o Real e o Bayern cobram e quase metade dos Ingleses. Estão enganados se assim pensam, pois aqueles valores não incluem os patrocínios das marcas desportivas, visto que nesse caso devemos então considerar mais Real Madrid 38 milhões, Barcelona 33 milhões, Manchester United 31,5 milhões, Liverpool 31 milhões e Bayern 20 milhões. Ou seja os 12,3 milhões do Benfica comparam-se a 63 do Barcelona, 61 do Real, 56,5 do Manchester, 56 do Liverpool e 43 do Bayern.

Como facilmente podem entender, além de já existir uma grande diferença em termos de Patrocínios e Publicidade, não vale a pena sequer contabilizar diferenças de naming rights, os direitos televisivos irão cavar ainda um fosso maior entre o Benfica e os grandes europeus. E isso acontece não só porque os mercados internos desses países são muito maiores que o português, mas essencialmente porque a comercialização dos direitos das Ligas europeias para o mundo inteiro representam uma fatia cada vez maior dos proveitos que os operadores retiram desses direitos de transmissão.

Num post anterior, invocava-se o caso da Sky e como sendo monopolista que seria benéfico para os clubes. Tal não é verdade e apenas reflecte o desconhecimento da realidade. A Sky em Inglaterra tinha o direito de transmissão dos jogos principais cabendo à ESPN os jogos menos interessantes e ligas menores. Porém, a BT, ficou com os direitos de transmissão das Ligas Italiana, Francesa, Americana e o Brasileirão e Paulistão para Inglaterra, bem como 18 first picks (primeiras escolhas nos jogos onde intervenham os 6 primeiros da época anterior) da Premier League de um total de 38 jogos por época, nas 3 épocas entre 2013 e 2016 além da Rugby Premiership. Com a entrada da BT no mercado inglês de transmissões televisivas, através do canal BT Sports, a Sky perderá parte da sua posição dominante, mas antes não havia em Inglaterra apenas um player como acontece por cá.

A incapacidade dos clubes em manter estratégias coerentes e consistentes de internacionalização, em vez dos habituais fogachos que depois se perdem (nos departamentos comerciais em que trabalhei sempre ouvi dizer aos clientes que quem não aparece esquece) por um lado e um operador que é manifestamente incompetente na internacionalização dos direitos de transmissão da nossa Liga, e até ao final da corrente temporada detinha os direitos de todos os clubes, por outro levam a que a nossa Liga, apesar de criar equipas desportivamente competentes, sejam incapazes de gerar os proveitos televisivos correspondentes a essa competência.

Aliás, o operador dos direitos nunca se preocupou com a necessidade de encher os estádios, o que é bem patente nos horários que são praticados e que têm contribuído para o afastamento dos espectadores. E nunca o fez, porque com a falta de visão estratégica que caracteriza os gestores portugueses, sempre se preocupou apenas com o mercado interno e não com a internacionalização do produto que dispunha. Como dizem os nossos irmãos brasileiros, se nem os adeptos locais têm interesse em ver o jogo e isso comprova-se pelas bancadas permanentemente vazias, como poderão os estrangeiros mostrar interesse.

Fazia falta que clubes e operador(es) entendessem de uma vez por todas que a exportação da Liga Portuguesa só poderá ter interesse para os estrangeiros se os estádios em Portugal estiverem bem compostos, com público entusiasta. Ainda recentemente o grande Aimar falou que na Argentina não conhecessem o campeonato português, apesar de exportarem tantos jogadores para cá.

A existência de uma regra de Market-pool baseada na defesa dos clubes do países grandes em detrimento de uma regra de solidariedade para com os países de menores mercados, faz com que a UEFA promova na Champions League um agravar ainda maior das distâncias entre clubes de países ricos e países pobres através da distribuição dos prémios que só poderá ser atenuada através da competência desportiva.

Além da UEFA já proteger os clubes da federações mais fortes, vêm agora o Platini da FIFA com as tretas de abolir a participação dos fundos de investimento nos direitos económicos dos jogadores. O Benfica que conseguiu uns históricos 22,4 milhões de euros em prémios da UEFA ficou atrás da verba recebida pelo Manchester United, que deixou pelo caminho, 36,4 milhões de euros (sendo que 1,2 milhões de euros foram da Europa League), Real Madrid 38,4 e Barcelona 40,6 (estes em relação ao Benfica apenas tiveram um prémio de desempenho adicional de 4,2 milhões de euros por atingirem as meias-finais) e Bayern Munique 41,7 milhões de euros (teve prémios de desempenho desportivo 9,8 milhões de euros devido a chegarem à final). O colosso Liverpool, de tão bem gerido que é, nem para a as competições europeias se apurou.

Sendo o Liverpool um clube tão mal gerido, qual é o sentido que tenha patrocínios tão grandes. Num estudo de mercado realizado sobre a sua base de adeptos na Europa foram identificados 1,3 milhões na Polónia, 1,9 milhões na Rússia ou 2,2 milhões na Alemanha. Além disso, há muitos anos que os clubes da Premier League apostaram nos mercados asiáticos - China, Japão, Coreia do Sul, etc. e conseguiram criar grandes comunidades de adeptos, independentemente dos seus sucessos. Quando empresas potencialmente interessadas em patrocinar clubes com uma grande base de adeptos recorrem a consultoras internacionais que lhes transmitem estes dados, é natural que os grandes investimentos se concentrem nestes clubes com maior notoriedade.

Se juntarmos a essa intenção a entrada em vigor das regras de Fair-play Financeiro que contribuirão para um abaixamento da quantidade e volume de transferências, bem como um mercado brasileiro com maior poder de compra que não liberta os seus craques por valores baixos, o modelo adoptado com relativo sucesso pelos clubes portugueses, em especial Porto e Benfica, e não tão bem pelo Sporting, poderá conduzir à ruptura total do modelo de gestão, agravando ainda mais os prejuízos caso não exista um forte ajustamento da componente salarial. Este ajustamento afastará definitivamente qualquer jogador top de Portugal levando a que jogadores de média-valia comecem a ser comuns nos plantéis.

A solução para o futebol português é igual à do país. Reduzir custos, cortar despesas e centrarmo-nos nos mercados externos em detrimento do mercado interno. Com um mercado dos audiovisuais em crise, com empresas descapitalizadas e a reduzirem os investimentos em marketing/patrocínios/publicidade, com a procura interna verdadeiramente deprimida, as receitas internas irão inevitavelmente reduzir-se, por muito que os clubes sejam autistas e tentem subir os preços para manter a receita (será pior a emenda que o soneto pois conduzirão a maiores quebras), sendo os mercados externos a única salvação para o equilíbrio das contas.

Numa primeira fase o caminho terá que ser a alienação de activos, isto é, a transacção dos passes dos jogadores mais promissores. Se começar a ser feito um trabalho de base coerente e consistente por parte dos clubes, e nisso o Godinho Lopes tem seguido o caminho correcto procurando estabelecer parcerias e associações nos mercados internacionais, e espero que a viagem aos Emirados do Benfica não tenha sido só mais um fogacho, tipo Wang Gang/Yu Dabao, com vista ao alargamento da base dos adeptos dos clubes portugueses no mundo e da maior notoriedade da Liga Portuguesa, é possível que no futuro os clubes portugueses consigam capturar um pouco do mercado mundial.

A verdade é que com pouco, os clubes portugueses já mostraram por várias vezes serem capazes de fazer muito ao contrário de clubes que têm orçamentos muito superiores e a protecção dos organismos internacionais."

Fontes: Sportingintelligence, Globoesporte, Sport + Markt, R&C Benfica SAD época 2011/12, UEFA

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

E agora, Nandinho das Facturas?

Avatar
 ●  12 comentários  ● 
"As imagens não mostram o Raul a cuspir no árbitro. Neste momento delicado e difícil para ele, queria manifestar todo o apreço e solidariedade, quer em meu nome próprio, quer da FPF, para o defender no limite das nossas competências, atestando o seu caráter"." Nandinho das Facturas in Record.
E agora Nandinho? Como vais tentar safar um dos teus?
Fernando Gomes na FPF: inequivocamente um erro.
(Quem viu o 'Dia Seguinte' na semana passada assistiu às palavras claras de Rui Gomes da Silva quando afirmou que se criticasse a actuação de Fernando Gomes na FPF, o presidente do Benfica ficaria chateado. Porquê, Senhor Presidente do Benfica? Porquê este portista, director financeiro do FCP durante o período do Apito Dourado, continua a merecer o seu apoio cego?)   

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

O desejo dos escribas do blogue NGB.

Avatar
 ●  13 comentários  ● 

Geração Benfica, Vermelhusco, Eagle01, Master Groove, Shadows, Benfiquista de Braga, Paulo Marcos, Redmoon e Snortinho Senum desejam que todos, comendo mais ou menos doces, estando sós ou acompanhados, estejam numa fase boa ou menos boa da vida, festejando ou não esta quadra, consigam (não apenas num único dia do ano mas em todos eles) sentir o afecto dos seus amigos e familiares e ser muito mas muuuuito felizes!!

Ah! E já agora, que o Benfica seja parte dessa felicidade!  

Benfica B no Canal Corrupto!

Avatar
 ●  16 comentários  ● 
Desculpem lá...!
Não esqueçam.. depois tomem um banho!



Uma preocupante conclusão:
A transmissão de jogos neste execrável Canal, pouco difere da RTP, TVI ou da SportTV!


ranking