O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Benfica 2 Estugarda 1 Dr.Jekyll e Mr. Hyde

 ●  5 comentários  ● 
Muitos jogadores do plantel do Benfica acordaram ontem para uma realidade que não conhecem e que estará por detrás da má campanha europeia do Benfica: em jogos europeus não se facilita independentemente da posição dos clubes adversários no respectivo campeonato.

O Benfica entrou para o jogo de ontem com a equipa-tipo titular desta época, em que apenas se verificou uma mudança de Saviola (suspenso) por Franco Jara. Devido á classificação do Estugarda no Campeonato Alemão a equipa o Benfica podia ser considerado o claro favorito para este jogo, pesando apenas contra este favoritismo o horrendo historial do nosso clube com adversários alemães.

Contudo, na 1ª parte o que se observou foi uma equipa do Estugarda muito bem montada e com a lição muito bem estudada tendo entrado em jogo como um bloco bastante compacto e que procurava defender o mais longe da baliza possível e sobrepovoando ao máximo o meio-campo para manietar o raio de acção de Aimar. Algo que foi conseguido com bastante sucesso!
O Benfica por seu lado entrou muito mal no jogo a falhar bastantes passes com os intervenientes do meio-campo e ataque francamente desinspirados e trapalhões. Uma exibição que fez lembrar os piores momentos desta época e que me levou a pensar que esta equipa é alérgica á Europa (seria o título da crónica se não fosse a segunda parte)...
O golo do Estugarda apenas contribuiu para aumentar ainda mais esta confusão e desconcentrar os jogadores do Benfica tendo surgido de um passe fantástico de Hajnal a desmarcar Harnik. Sidnei fica mal na fotografia pois deu demasiado espaço a Harnik o que facilitou imenso a desmarcação deste. Esta é, para mim, o grande defeito de Sidnei. Os últimos jogos permitiram-me ver potencial nele que não reconhecia mas tem que trabalhar esta lacuna pois esta foi a enésima vez que foi comido desta forma e se corrigir este erro tornar-se-á um defesa central de classe mundial.
Apesar de o golo ter sido marcado ao minuto 20 o Benfica apenas rematou duas vezes á baliza na 1ª parte ambas por Javi Garcia de longa distância, provavelmente porque não via em ninguém á sua frente capacidade para fazer melhor.
O Benfica foi para intervalo deixando uma má imagem nos adeptos, algo que se juntou á péssima arbitragem do árbitro holandês que parecia que tinha vindo á Luz para antagonizar o público e não para arbitrar! É inadmissível que não tenha apitado para pénalti o lance de Coentrão com Ulreich apesar de o vila-condense ter feito um pouco de teatro pois o contacto existiu.
Contudo é de admirar o apoio incansável dos adeptos á equipa apesar da péssima exibição! Apetece dizer que os jogadores se sentiram inspirados por aquele apoio fantástico do Inferno da Luz.

Felizmente, na segunda parte voltou-se a ver o Benfica rolo-compressor que tem entusiasmado os adeptos. Os jogadores entraram determinados, concentrados e desta vez encarando o Estugarda como um adversário que deve ser temido. O Benfica entrou em campo muito mais pressionante e remetendo os alemães á defesa. Javi Garcia cometeu a encher o meio-campo defensivo, Aimar acordou e começou a espalhar classe e Gaitán apareceu mais em jogo. Sálvio, Cardozo e Jara estavam trapalhões mas Coentrão e Maxi mostraram uma raça que compensou a menor inspiração de alguns elementos da frente e ajudaram a asfixiar o adversário.
O Benfica começou a rematar muito mais á baliza, e remates muito perigosos. Antes do golo de Cardozo, Ulreich fez defesas fabulosas a, por exemplo um remate de Coentrão e a um golo quase certo de Aimar...
Nesta altura toda a gente tinha percebido que a reviravolta no resultado era apenas uma questão de tempo e o golo de empate surgiu após um grande centro de Gaitán para a cabeça de Aimar que deixou a bola para um grande golo de Cardozo, que rematou de primeira sem hipótese de defesa para o inspirado guarda-redes alemão.
Após o golo o Estugarda tentou sacudir a pressão mas a equipa estava imparável e a reviravolta lá surgiu através de um golo que ainda estou para perceber se foi um grande momento cheio de intenção de Jara ou se foi uma bola que ganhou efeito estranho por ressalto num defesa do Estugarda. É um golo que acaba por ser um reflexo do jogador: uma trapalhada mas de belo efeito e surgindo como resultado de grande esforço e transpiração!
O jogo não acabou antes do Estugarda assustar com um remate ao poste e de o Benfica poder ter sentenciado a eliminatória não fosse Ulreich brilhar de novo aos pés de Menezes e Kardec e Cardozo terem falhado grandes oportunidades de golo.
Apesar do futebol pressionante e a espaços mais entusiasmante da segunda parte, esta acabou por ser uma vitória da transpiração mais que da classe que a equipa costuma passear nos relvados portugueses. Algo que se ajusta e acaba por ser um castigo pela entrada displicente no jogo.
Neste jogo viu-se o pior (Mr. Hyde) e o melhor deste Benfica (Dr. Jekyll).

Positivo: Atitude na 2ª parte. Exibição de Javi Garcia, Maxi Pereira. Regresso de Cardozo aos golos mesmo a tempo do jogo em Alvalade. Confirmação de Jara como uma alternativa viável para a frente de ataque apesar de ter estado um pouco trapalhão criou um golo do nada.

Negativo: Péssima postura da equipa na entrada para este jogo. Erro de Sidnei no golo, exibição desinspirada de Sálvio.

Agora há jogo na 2ª Feira contra o Artur Soares Dias e o Sporting. A equipa tem bastante tempo para recuperar e Saviola pode entrar fresco neste jogo. Nada de subestimar o Sporting como aconteceu com o Estugarda!

5 comentários blogger

  1. Erro de Sidney?

    Erro colectivo, isso sim, um jogador que recebe um lançamento lateral sem ninguém o pressionar e tem tempo para ler o jogo e meter a bola onde o marcador do golo a pediu, e tudo isto no meio-campo, nunca pode ser um erro individual!

    ResponderEliminar
  2. Vermelhusco, longe de mim ser um analista futebolístico, mas discordo na tua opinião sobre a culpa de sidnei no golo do Estugarda.

    A culpa maior pertence ao meio campo Benfiquista que não faz pressão sobre o jogador que faz o passe á vontade.

    O Sidnei está a cobrir á zona e o jogador que marca o golo faz uma excelente desmarcação, ora com a liberdade dada ao jogador que faz a assistência, o resultado foi o que se viu.

    Saudações Benfiquistas
    N. Quaresma

    ResponderEliminar
  3. Nao partilho em totalidade a tua opinião. Nao penso que o Benfica entrou fraco, mas que o Estugarda entrou muito forte dando o tudo por tudo tipo kamikaze. Por cada jogador do Benfica havia três do Estugarda impedindo todas as construções de jogo da nossa parte.
    Sidnei não tem culpa no golo. Foi simplesmente uma jogada perfeita por parte do adversário.
    Depois de marcarem entrou o autocarro em campo e foi preciso encontrar forma de furar a defesa e cansar o adversário.
    Penso também que se a Bola não fosse ao poste, Roberto defendia.
    Quanto ao resto, tens toda a razão.

    ResponderEliminar
  4. Concordo menos com o erro de Sidnei! Quem o vê partir desde trás é Coentrão e não foi atrás dele quando Sidnei se apercebe já o jogador vem embalado, nem David Luiz o agarrava! Deixem Sidnei jogar uma época inteira e não crussificar ao fim de meia duzia de jogos onde um passe a rasgar culminado com um grande chapéu manchem o homem! Os adversários também jogam não é só o Benfica!

    Sami

    ResponderEliminar
  5. Então ainda bem que temos todos direito a ter opiniões diferentes. :)
    Na minha opinião a culpa do golo foi do Sidnei mais do que do Coentrão pois aconteceu no seu raio de acção.

    O Benfica entrou mal porque não preveu que o Estugarda pudesse entrar tão forte. Subestimou-os. Foi uma conjugação destes dois factores.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking