O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


terça-feira, 9 de novembro de 2010

Encontrado o bode espiatório

 ●  8 comentários  ● 
O presidente está como quer: Anda a passear em Angola e os jornais estão os três a "fazer barulho" de volta do bode espiatório favorito desta direcção na última decada: os treinadores.

O Jogo, do Joaquim Oliveira tão prontamente defendido pelo Benfica quando foi atacado verbalmente pelos DV, é o que vai mais longe e chama à primeira pagina "a encomenda" do dia. Afinal não há atrasos de prémios, nem de salários, nem de nada! Antes pelo contrário, havia 500.000€ para dar pela vitória no Dragão. LOL!

A Bola, reconhecida pelos serviços prestados pelo Serpa e o Delgado para ganhar o lugar de ouro na Gala do Benfica, vem dizer que esta direcção é tão implacável, tão implacável que decidiu "Tolerância Zero para Jesus". Lindo!

No Record, de repente ficou tudo "pelos cabelos com Jesus" e parece que o tal treinador que os metia a todos a jogar, afinal é um merdas que não percebe nada disto e já ninguém o atura. Fantástico!

Pelo caminho, o Vieira vai-se espraiar para Angola outra vez, onde vai juntar mais uns milhões às movimentações com o BIG, Sonangol e Sagres. Já tem bode espiatório para usar a tal memória curta que ele tanto fala e conhece que os sócios têm. Nuns casos ele não gosta que o benfiquistas se esqueçam, mas noutros dá jeito que tenham boa memória. Não nos podemos aborrecer com isso, fomos nós que deixamos que ele tomasse conta disto.

um blog muito interessante sobre o momento actual do Benfica:
http://bola7inc.wordpress.com/2010/11/08/parabens-lfv/
Concordo com tudo e o ultimo link é muito importante.

8 comentários blogger

  1. http://www.youtube.com/watch?v=WINDtlPXmmE

    CHEGA!

    ResponderEliminar
  2. Concordo que o Jesus não pode ser despedido pois isso seria um erro grave.
    Quanto ao resto é o bláblá beiguista do costume agora com publicidade a outros blogs beiguistas.
    Enfim mais do mesmo, mas desta vez por uma boa causa: Jesus é para ficar.

    ResponderEliminar
  3. Devias querer dizer BIC e não BIG. São bancos diferentes.

    ResponderEliminar
  4. Bode expiatório ou não, a verdade é que JJ não admitiu, até hoje, que abordou mal o jogo. É sobranceria a mais, mas o que é que se esperava do auto-denominado «catedrático da táctica»?

    ResponderEliminar
  5. A FEIRA DAS VAIDADES CONTINUA:




    A comitiva do Benfica não proferiu qualquer declaração à saída de Lisboa mas aceitou falar na chegada a Angola. Jorge Jesus garantiu aos benfiquistas que o clube «ainda tem muito a ganhar esta época» enquanto Mantorras diz que o amigável de quarta-feira em terras angolanas «não será de certeza» o seu «último jogo» com a camisola encarnada.

    Jorge Jesus, tal como toda a comitiva do Benfica, optou por manter o silêncio na partida de Lisboa para Angola mas, à chegada ao país africano, aceitou falar aos jornalistas. Para o técnico encarnado, pese a goleada que sofreu no Dragão, nada está perdido. «No futebol não há certezas, ninguém é campeão à 10.ª jornada. O Benfica ainda tem muito para ganhar esta época. Estamos no Campeonato, na Taça de Portugal, na Taça da Liga e na Liga dos Campeões», lembra o líder das águias.

    Novamente questionado sobre as suas opções na derrota com o FC Porto, Jorge Jesus voltou a repetir a ideia que o fez mudar o onze habitualmente utilizado. «Optei pelo David Luiz porque ele já conhecia bem a posição de lateral esquerdo, jogou ali durante uma temporada. Num jogo entre FC Porto e Benfica qualquer equipa pode ganhar, não vamos estar agora a dizer se foi ou não a opção certa. Não foi o David Luiz que perdeu, foi a equipa. E não foi por aí que perdemos», apontou o treinador.

    Em relação à viagem a Angola, a meio do campeonato e sem ser em data de paragem de selecções, Jesus minimizou as críticas. «É importante podermos estar aqui a celebrar o 35.º aniversário da independência de Angola. E este jogo não colide em nada com o da Naval, porque é na quarta-feira e há tempo para recuperar até domingo», avalizou.

    Nuno Gomes também proferiu algumas palavras em terras angolanas relativamente à sua continuidade no Benfica. «Não estamos aqui para falar da minha carreira. Estou no último ano de contrato com o Benfica mas ainda tenho muito tempo para pensar e decidir. Já disse que gostaria de ficar ligado ao Benfica e ao futebol, vamos ver o que vai acontecer mais para a frente», esclareceu o capitão encarnado.

    Quem também falou aos jornalistas foi Mantorras, levantando mais algumas dúvidas quanto ao seu futuro próximo. «Aqui em Angola poderá ser o meu último jogo e será, por isso, uma sensação muito diferente. Mas com a camisola do Benfica não será de certeza o último. Sei que não estou inscrito pelo Benfica e quando vim a Angola com o presidente disse que nesta altura revelaria qual seria o meu futuro. Ainda não o posso fazer», assumiu o número 9.

    In zerozero

    ResponderEliminar
  6. Continua a feira das vaidades:


    A comitiva do Benfica não proferiu qualquer declaração à saída de Lisboa mas aceitou falar na chegada a Angola. Jorge Jesus garantiu aos benfiquistas que o clube «ainda tem muito a ganhar esta época» enquanto Mantorras diz que o amigável de quarta-feira em terras angolanas «não será de certeza» o seu «último jogo» com a camisola encarnada.

    Jorge Jesus, tal como toda a comitiva do Benfica, optou por manter o silêncio na partida de Lisboa para Angola mas, à chegada ao país africano, aceitou falar aos jornalistas. Para o técnico encarnado, pese a goleada que sofreu no Dragão, nada está perdido. «No futebol não há certezas, ninguém é campeão à 10.ª jornada. O Benfica ainda tem muito para ganhar esta época. Estamos no Campeonato, na Taça de Portugal, na Taça da Liga e na Liga dos Campeões», lembra o líder das águias.

    Novamente questionado sobre as suas opções na derrota com o FC Porto, Jorge Jesus voltou a repetir a ideia que o fez mudar o onze habitualmente utilizado. «Optei pelo David Luiz porque ele já conhecia bem a posição de lateral esquerdo, jogou ali durante uma temporada. Num jogo entre FC Porto e Benfica qualquer equipa pode ganhar, não vamos estar agora a dizer se foi ou não a opção certa. Não foi o David Luiz que perdeu, foi a equipa. E não foi por aí que perdemos», apontou o treinador.

    Em relação à viagem a Angola, a meio do campeonato e sem ser em data de paragem de selecções, Jesus minimizou as críticas. «É importante podermos estar aqui a celebrar o 35.º aniversário da independência de Angola. E este jogo não colide em nada com o da Naval, porque é na quarta-feira e há tempo para recuperar até domingo», avalizou.

    Nuno Gomes também proferiu algumas palavras em terras angolanas relativamente à sua continuidade no Benfica. «Não estamos aqui para falar da minha carreira. Estou no último ano de contrato com o Benfica mas ainda tenho muito tempo para pensar e decidir. Já disse que gostaria de ficar ligado ao Benfica e ao futebol, vamos ver o que vai acontecer mais para a frente», esclareceu o capitão encarnado.

    Quem também falou aos jornalistas foi Mantorras, levantando mais algumas dúvidas quanto ao seu futuro próximo. «Aqui em Angola poderá ser o meu último jogo e será, por isso, uma sensação muito diferente. Mas com a camisola do Benfica não será de certeza o último. Sei que não estou inscrito pelo Benfica e quando vim a Angola com o presidente disse que nesta altura revelaria qual seria o meu futuro. Ainda não o posso fazer», assumiu o número 9.

    in zero zero

    ResponderEliminar
  7. CONTINUA A FEIRA DAS VAIDADES:


    A comitiva do Benfica não proferiu qualquer declaração à saída de Lisboa mas aceitou falar na chegada a Angola. Jorge Jesus garantiu aos benfiquistas que o clube «ainda tem muito a ganhar esta época» enquanto Mantorras diz que o amigável de quarta-feira em terras angolanas «não será de certeza» o seu «último jogo» com a camisola encarnada.

    Em relação à viagem a Angola, a meio do campeonato e sem ser em data de paragem de selecções, Jesus minimizou as críticas. «É importante podermos estar aqui a celebrar o 35.º aniversário da independência de Angola. E este jogo não colide em nada com o da Naval, porque é na quarta-feira e há tempo para recuperar até domingo», avalizou.

    Nuno Gomes também proferiu algumas palavras em terras angolanas relativamente à sua continuidade no Benfica. «Não estamos aqui para falar da minha carreira. Estou no último ano de contrato com o Benfica mas ainda tenho muito tempo para pensar e decidir. Já disse que gostaria de ficar ligado ao Benfica e ao futebol, vamos ver o que vai acontecer mais para a frente», esclareceu o capitão encarnado.

    Quem também falou aos jornalistas foi Mantorras, levantando mais algumas dúvidas quanto ao seu futuro próximo. «Aqui em Angola poderá ser o meu último jogo e será, por isso, uma sensação muito diferente. Mas com a camisola do Benfica não será de certeza o último. Sei que não estou inscrito pelo Benfica e quando vim a Angola com o presidente disse que nesta altura revelaria qual seria o meu futuro. Ainda não o posso fazer», assumiu o número 9.

    ResponderEliminar
  8. Para estas capas já o Vieira se mexe bem...

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking