O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


segunda-feira, 31 de maio de 2010

3M/ano até 2021 - Agora sim a opinião do GB

 ●  14 comentários  ● 
Dei, propositadamente, cerca de 24h para escrever algo de teor opinativo sobre o tópico de ontem: 3M/ano até 2021. Na realidade, se procurarem, eu não escrevi qualquer opinião sobre o tema em questão, ainda assim houve logo uns que saíram a terreiro a tentar demonstrar que eu estava contar o valor ou que estava a criticar fosse quem fosse.

Parabéns aqueles que têm vindo a dar largas à estratégia "antítese Al Sahaf". Ou seja, contrariamente ao famoso ministro iraquiano que advogava que ninguém os estava a atacar, no Benfica ao longo destes anos sem glória, instituiu-se o oposto: Coitadinho do Benfica que é sempre atacado, a não ser que se diga que está tudo bem.

LAMENTO! Sou do Benfica há anos a mais para alinhar por esse diapasão. Sei o que é o passado do SLBenfica, vivi uma parte dele. Vi como se conquistam as vitórias e se alcança a Glória... e não foi, seguramente, a fazer-mo-nos de coitadinhos. Antes pelo contrário.

Posto isto, vamos ao tema: Anualmente Adidas, Portugal Telecom e Sagres (por ordem de antiguidade dos contratos) deixam no SLBenfica estimadamente cerca de 15M€ em patrocínios. A esta verba junta-se o contrato de 7,5M€/ano da Olivedesportos e prefaz uma receita total de 22,5M€/ano. De destaque, mas muito mais moderado, apenas a parceria com a Sicasal e Coca Cola para o futebol de formação, cujo valor desconheço. Todos os contratos pressupõem EXCLUSIVIDADE!

A troco desta verba, o SLBenfica cede: Imagem das camisolas da equipa principal de futebol e das modalidades (PT, Sagres e Adidas), Camarotes (PT, Sagres, Adidas e Olivedesportos), Imagem estática da primeira linha do relvado (Olivedesportos), Fornecimento de Telecomunicações Clube e Casas (PT), Fornecimento de Bebidas Clube e Casas (Sagres/Centralcer), Naming das Bancadas (PT e Sagres; Coca-Cola mais 1,5M), Bilhetes para jogos (todos), Direitos Televisivos dos jogos do SLBenfica na Liga Sagres, Direitos de cedência e exploração do website oficial slbenfica.pt (Olivedesportos), Direitos de Transmissão e Distribuição da BenficaTV (PT), etc. etc. etc.

Onde, basicamente, pretendo chegar é ao facto de que efectivamente o valor global dos valores apurados é potencialmente baixo: Cerca de 22,5M€, aos quais ainda se deverá juntar o naming dos pavilhões (estimo em cerca de 2M€) num total de 25M€/ano aos quais deveremos ainda incluir o centro de estágio, totalizando então cerca de 26,5M€/ano.

Pragmaticamente é fácil dizer que tem que ser o Benfica a liderar o mercado (como diz o Mister D) e que não podemos continuar a falar dos erros do passado (como referenciou o TRAMONTANO). Na realidade, são efectivamente dois factores indissociáveis da conjuntura actual. Ambos são verdade, contudo...

Eu fiz de propósito ao isolar a PT da Sagres, e esta da totalidade dos valores. Mesmo a totalidade admito que possa chocar alguns leitores, quando sabemos que só em direitos televisivos o Real Madrid recebe 5x o valor dos nossos patrocínios e direitos todos...

Mas houve também, mais que um, que colocou a questão sobre quem paga ou pode pagar mais ao Benfica. Bom... esse já é um argumento que discordo! É sempre possível pagar mais, tal como é sempre possível exigir mais...

Em primeiro lugar penso que à dimensão do Benfica, apenas é possível fazerem-se acordos com as maiores empresas nacionais e que, necessariamente, tenham interesses internacionais: PT, BRISA, BES, BCP, GALP, PORTUCEL, VODAFONE, SONAE, etc...

Se olharem para o Real Madrid, ManUtd, etc... todos os grandes acordos são feitos com marcas que pretendem ter visibilidade Internacional. Se fizermos uma aposta num patrocinador que vá investir (bastante, é certo) para ter retorno apenas no mercado nacional... os valores serão sempre inferiores aos que poderemos ter com marcas internacionais (como é o caso da BWin com o Real Madrid ou da AIG - americana - com o ManUtd).

É, contudo, preciso não esquecer que Portugal não é Espanha e infelizmente só é falado e visto internacionalmente, regra geral pelos piores motivos: Da política à corrupção do FCPorto... Enfim! Tudo isso afasta investidores/patrocinadores multinacionais.

Depois, o factor-chave, mais uma vez! É absolutamente vital que os direitos televisivos atinjam uma relevância de 50% do valor das receitas obtidas através da alienação de direitos. O "valor mágico realista" para mim são os 20M€ sendo que deverá, depois, estabelecer-se um objectivo de outro tanto (22 a 25M€) para o restante dos contratos... actualmente está em cerca de 18,5M€ (Sagres e PT 9M + Adidas 6M + CFC 1,5M + Pavilhoes e Piscina 2M)...

Ou seja, penso que "no overall" estaremos apenas com 5 a 6M€/ano de subvalorização dos nossos contratos, o que não é um quadro tão penalizador como alguns traçaram, se olharmos também para a representatividade dos valores de patrocínio no orçamento anual das marcas que estão connosco. Talvez apenas a PT, Adidas e EDP tenham orçamento para pagar mais do que pagam.

Assim sendo: As palavras de ordem que gostava de trazer são CONCORRÊNCIA e ROADSHOW! O Benfica precisa urgentemente de sair em busca de parceiros internacionais que pretendam ter visibilidade em Portugal e ao mesmo tempo nos países da Europa e Africa. Este quadro vai aumentar o potencial de retorno dos patrocínios e trazer concorrência às marcas lusas, obrigando-as a pagar mais.

Porque não a Telefónica? A Sonangol? A BWin? A Mercedes? Enfim...

MAIS: Nem qualquer marca se pode associar ao SLBenfica, pois mesmo que não tenham exclusividade, torna-se de todo inviável a coexistência de certas marcas, seja por ligações accionistas, seja por concorrência ou pelo que for.

Para terminar, obrigado a todos aqueles que se precipitaram em conclusões a dizer que o objectivo do GB era malhar na Direcção, no Presidente ou em quem quer que seja. Foram, PREMEDITADAMENTE apanhados, pois nem pararam para olhar para trás e ver que este é um tema onde o GB elogia particularmente a atitude desta direcção.

PS- Há muito para corrigir, sim, mas na gestão de imagem. Ou seja, no que exigimos em termos de imagem face ao retorno que damos pelo que investem. É aqui que entra a exclusividade, as cores como o simbolo da TMN ou o retangulo da MEO, etc.

14 comentários blogger

  1. penso que no assunto da sagres, a chave e esta:

    3 milhoes sera pouco. talvez. mas ao serem quem permitiu o investimento para a epoca que passou, de charneira, os 3 milhoes sao na verdade muito, muito mais. o aumento da quotizacao e bilheteira vieram dessa equipa reforçada com a sagres como fiador...

    ResponderEliminar
  2. Não vamos embrulhar as coisas, caro Benfiquista Geração Benfica.

    Primeiro esclarecimento: não fiz juízos de valor sobre os valores contratuais apontados, duração do contrato, etc. E continuo a não o fazer aqui na praça pública. Nem desmenti os que A. da Ponte avançou. Questionei foi o conteúdo abrangente, aquele que lhe meteu dentro sem que, na minha opinião, estivesse contido nas premissas da entrevista.

    Segundo esclarecimento: Não neguei que A. da Ponte tivesse dito que o contrato englobava ..."a possibilidade de estar nas casas do Benfica" ... porque a afirmação foi clara. O que neguei foi a sua conclusão, não contida nas premissas, de que o valor declarado contemplava o valor de um potencial acordo com uma qualquer Casa do Benfica que deixasse de ser potencial para passar a ser actual. Uma coisa é um protocolo que concede o direito a estar em... Outra é o valor da efectivação da concretização desse estar em... Que uma Casa do Benfica não possa fazer acordo com outra cervejaria qualquer é uma coisa. Que o valor desse hipotético acordo já esteja contabilizado, é outra. Note que também não neguei o contrário, neguei igualmente que a conclusão estivesse nas premissas.

    Terceiro esclarecimento. Não neguei igualmente que A. da Ponte não tenha falado em garantia de empréstimo. O que neguei foi que ele tivesse pronunciado fiança. Eu conheço bem todas as garantias das obrigações. Conheço-as em pormenor, em todos os seus detalhes e consequências. Também aqui não neguei o contrário, isto é, que a garantia não possa ter sido a fiança. Mas duvido muito. Sabe por que razão? Porque é a garantia mais fraca de um empréstimo daquele valor. Vou mais para uma garantia real. Depois, devo dizer-lhe que a mim não me faz, nem pode fazer, qualquer problema a questão de uma garantia, seja ela fiança, penhor, hipoteca, consignação de rendimentos, etc, etc. É que antes de um devedor dar certos bens em garantia, já a lei lhos obrigou a dar logo que ele assume uma dívida. Isto é, não é pelo facto de se contratar uma garantia que se é obrigado a pagar, ou a pagar mais. Ou que os bens, por força da lei, já não constituam garantia do pagamento do que se deve. Uma garantia, quanto mais forte ela for, mais benefícios acarreta para o devedor. E também para o credor, aquele credor concreto, naturalmente.

    Por conseguinte, o que critiquei foram apenas conclusões suas que não estavam contidas nas premissas da conversa de A. da Ponte. Não que elas estivessem certas ou erradas. Estão erradas face às premissas de que partiu porque, enquanto não confirmadas, são apenas especulações.

    E continuo a afirmar. Ir mais fundo numa discussão destas questões, em público, por muito pertinente que seja, perde toda a sua razão porque a suprema razão da discussão, e não o negará, é (só pode ser) a suprema defesa do nosso Benfica.
    E não creio que os supremos interesses do nosso Benfica se defendam na praça pública. Ainda mais quando o segredo é a alma do negócio.

    Por último. A minha "confusão" sobre a, digamos, "direcção ondulada" que imprime ao seu blogue nada tem a ver com o seu "alinhamento" ou não com os dirigentes actuais do Benfica. Eu sou um defensor exigente da liberdade de opinião e o meu apoio seja a que dirigente for nunca é pessoal, mas institucional. O Benfica é que é o meu Reino, a minha Religião.
    Em público, defendo o Benfica e defendo os dirigentes que o representam, não por serem as pessoas que são mas por estarem a incarnar o nosso Glorioso Benfica.

    Numa tertúlia de apenas Benfiquistas, aceito trocar ideias, críticas de gestão, favoráveis ou desfavoráveis, perfis de pessoas para poderem bem desempenhar e representar a defesa do nosso Benfica.
    Em público, nunca! Em público, é apenas para defender o Benfica e todos os que o representem. Para além de atacar, defendendo o Benfica, todos os que o ousarem atacar.

    Saudações Benfiquistas

    ResponderEliminar
  3. Meu caro... ficou claro que o meu amigo leu o meu texto ao abrigo não do conteudo, mas do acordo ortográfico, ou seja, das expressões nele contidas... ehehehehe

    Estou a brincar, obviamente, pois sabe bem o respeito que me merece.

    O que basicamente nos divide é que o meu amigo sabe que tenho razão na generalidade dos temas, mas considera que devem ser resolvidos onde nada acontece e onde os assuntos se limitam a ser ratificados qual "Yes man"...

    Pois! Na impossibilidade de se lançarem temas fraturantes nas AG, sem o risco de sermos apelidados e papagaios e outros generos de aves, cada um opta pela forma que entende de partilhar entre os benfiquistas as suas preocupações.

    Sim, porque ser benfiquista é também saber dar a reprimenda quando é preciso... tal como os pais fazem aos filhos...

    ResponderEliminar
  4. Não, não, Caro Geração Benfica!
    As assembleias gerais serão aquilo que os Benfiquistas quiserem que elas seja. Tudo dentro da legalidade, naturalmente, e da sã troca de opiniões. sabendo ouvir e sabendo fazer-se ouvir.
    Mas não é só em assembleias gerais, como parece querer dizer, que eu defendo a troca de ideias. Pode ser numa tertúlia de apenas e só Benfiquistas. O que eu não aceito é que temas destes ou semelhantes sejam discutidos na praça pública para servirem de arma de arremesso aos nossos inimigos.
    A ratificação de assuntos em assembleia geral é, portanto, culpa apenas dos Benfiquistas.

    Aliás, creio que por meias palavras já lhe deixei intuído que gosto das questões que normalmente levanta porque, no fundo, eu sou como o caro. Não gosto do "yes man". Ainda que elogie, só o faço justificadamente, tal como quando critico.

    Não significa, obviamente, que concorde sempre com as suas ideias, o que é natural e salutar.
    Mas com o que não concordo mesmo nada é que assuntos do foro íntimo do Benfica e dos Benfiquistas possam ser discutidos na praça pública, perante os nossos inimigos.

    Aqui nestes fóruns é para atacar os nossos inimigos e defender o nosso Glorioso Benfica, contra tudo e contra todos os que lhe quiserem fazer mal. E defende-se o Benfica nestas questões públicas também defendendo os representantes do Benfica, enquanto incarnação representativa do mesmo Glorioso Benfica e não enquanto pessoas singulares.

    Saudações Benfiquistas

    PS: A questão dos "papagaios" só a vi atribuída a declarações públicas sobre questões do Benfica que deviam ser tratadas nos lugares adequados. Ou seja, em privado, apenas entre os Benfiquistas.

    ResponderEliminar
  5. cada um tem a sua razao, gil vivente e gb, n deveriamos saber o valor desses contractos mas tb o valor dos mesmos penso eu ser posivel na ordem dos 30M portanto sao 10M que se perdem quanto as transmiçoes televisivas deveria ser na benfica tv e a operadora da mesma obrigada a bater a proposta mais alta de 5 em 5 anos depois era acordar o preo de cada jogo em deterinimento do seu estatuto campeonato taça... marcas internas ou extrenas, todas a que pagar mais. clausulas de publicidade nenhumas o azul no manto sagrado da tmn fica mal, mas por ex se o patrocinador decidir usar qualquer tipo de cor sem ser vermelho e branco pagam 10€ por mm2 e se calhar 10 e pouco com o numaro de camisolas que nao se venderam.

    ResponderEliminar
  6. Com o GIL VICENTE por aqui, isto torna-se mais excitante.

    Estou a gostar...dos dois!!!

    ResponderEliminar
  7. Concodo em tudo o que dizes mas para chamar esses investidoes que queiram visibilidade intenacional tens de ter um facto do teu lado que só agora começou... VENCER TITULOS!!! Não é vencer esporádicamente, é vencer sistemáticamente e com grandes prestações internacionais. Quando o Benfica fez os contratos nem campeão nacional era... Cada coisa a seu tempo!!! Com um Benfica mais ganhador, teremos a possibilidade de atrair mais investidores e consequientemente mais dinheiroem caixa...

    Abraço!!!!

    ResponderEliminar
  8. hahaha, espero que nao me considere nos apanhados pois nao teci nenhum juizo de valor ao seu anterior post.

    Gostei deste seu post por falar dos valores que o Benfica recebe de cada empresa bem como do que pode vir a receber das transmissoes televisivas.

    Apenas lhe posso dizer que existe duas razoes muito simples para o Benfica nao assegurar patrocinios de grandes marcas internacionais:
    1 - O benfica e um clube de um pais pequeno e periferico sem dimensao interessante para grandes marcas internacionais. Ainda se Portugal fosse um pais com 15/20 milhoes de pessoas...
    2 - Infelizmente, o Benfica tem tido pouca visibilidade na Europa do futebol pois nao tem garantido presenca assidua na Liga dos Campeoes. Outra vez culpa do Pais. Se estivessemos integrados num campeonato de maior dimensao (digamos o espanhol) onde 3 clubes tem acesso directo a Liga dos Campeoes seria mais facil garantir patrocinios de grandes marcas. Ora esse nao e o caso.

    Como tal o Benfica esta limitado a conseguir o patrocinio de grandes empresas portuguesas ou entao de outras empresas estrangeiras com implementacao solida no nosso pais (e nao ha muitas) como a Repsol ou a BP ou a Vodafone entre outras.

    Agora quanto ao contrato televisivo acho que o Benfica pode tentar ir buscar um pouco mais por ano mas infelizmente as unicas empresas com capacidade de pagar o que o Benfica quer sao a Zon e a PT. E nao me parece que a PT va pagar 20/25 milhoes euros ao benfica por ano por uma simples razao: ainda e uma empresa publica e varias vozes se vao levantar sobre os gastos obscenos de uma empresa publica num clube de futebol...
    Tanto a TVI como a SIC nao tem capacidade para pagar o que o Benfica quer como ficou evidente nas ultimas negociacoes pelos direitos de transmissao dos jogos do campeonato em que a RTP ao oferecer 12 milhoes de euros por temporada esmagou a concorrencia.

    ResponderEliminar
  9. Li, com atenção, a "discussão" entre o GB e o GV e gostaria de deixar umas notas.
    Dá-me a sensação que o tom do post anterior, talvez propositadamente, levou a que os leitores saltassem para conclusões precipitadas sobre a opinião do GB relativamente a este assunto. Eu próprio fui levado a pensar que estaria ali uma crítica implícita. Daí até se criticar eventuais premissas erradas, porque se pressupõe um opinião, é um passo.
    Mas verdade seja dita, não houve, de facto, qualquer opinião. E a haver, como se pode ler neste post, até é contrária ao sentido que a maioria dos leitores assumiram. Uma brincadeira com os leitores GB? Se foi, tem todo o direito...
    Mas GV, a discussão, em praça pública, do Benfica, não só é inevitável como necessária. Os argumentos, louváveis e compreensíveis, pro-discussão interna, se instrumentalizados, são claramente perniciosos. Todos sabemos como funcionam as assembleias... Se a equipa de futebol ganha, é tudo aprovado, se uma claque decide que está contra uma direcção porque tenta-se-lhes obstruir o divertimento de lançar petardos, há confusão, se temos um presidente vigarista, há capangas que monitorizam os "rebeldes".
    A discussão em praça pública é antes um sinal de vitalidade do clube e garantia da sua preservação. O que precisamos é de ter uma direcção com competência de análise, capacidade de decisão e saber resguardar-se do "ruído". Na minha opinião, esta direcção reúne estas qualidades.


    Em relação à "opinião"... Estou de acordo. Penso que, na análise, embora implícito, deveria ser realçado os momentos da negociação de qualquer dos contratos referidos.
    Além do mais, para que a análise fosse mais completa, deveria haver uma comparação com contratos anteriores.
    No que respeita às modalidades, dado que no contrato com a Sagres existe a obrigatoriedade de uma percentagem do valor ir directo para elas, não tenho quaisquer dúvidas em afirmar que a direcção do LFV foi a primeira na história do Benfica a garantir a sustentabilidade das várias modalidades a médio prazo. E note-se que a exclusividade refere-se à parte de trás das camisolas. Se o Benfica tivesse um departamento de marketing vocacionado para mais do que o futebol apenas, provavelmente, além dos 10% de quotização, não seria necessário despender dinheiro nas modalidades.

    ResponderEliminar
  10. Caros pjsimoes e Vermelhusco,

    Antes de dizerem dessa impossibilidade de negociações com empresas internacionais, perguntem a si próprios: O QUE O BENFICA FEZ PARA GARANTIR O ENVOLVIMENTO COM ESSAS ENTIDADES?

    Resposta simples: Zero! Exploram a zona de conforto que são as empresas nacionais que vao bater à porta.

    Se algumas das coisas que escrevo fossem fáceis, estariam feitas.

    ResponderEliminar
  11. GB, eu n disse q é impossivel mas é mt mais dificil. Um Benfica forte e ganhador aqui e no estrangeiro tem um poder negocial diferente de um Benfica q ganha um campeonato de 5 em 5 anos e faz prestações fracas na europa. Ganhar, ganhar e ganhar é o segredo pra atrair investidores.

    ResponderEliminar
  12. pjsimoes, obviamente que não estás errado... mas penso que a tua analise peca por demasiado conservadora.

    O benfica é uma empresa e o investimento estrangeiro capta-se como o fazem as normais empresas: ROADSHOW!

    É o que faz o ManUtd e os resultados estão à vista.

    ResponderEliminar
  13. GB certamente que fazer roadshows pode ajudar a divulgar a marca Benfica para empresas internacionais e acho que dar a conhecer a popularidade do Benfica na diaspora portuguesa e luso-descendente tinha o potencial de aumentar o interesse de marcas estrangeiras. Tendo em conta os milhoes de emigrantes e seus filhos que vivem em paises desenvolvidos como Franca, Suica, EUA, Belgica, Alemanha, etc.

    E tem muito merito em apontar isso, sao propostas originais e que podem ter sucesso sem duvida. Longe de mim dizer que nao teriam sucesso a partida!
    Acho que a Direccao podia comecar a ponderar em fazer isso durante este ano ou quem sabe no proximo.

    Mas, para mim para haver um interesse genuino de grandes marcas internacionais em patrocinar o Benfica entao o Benfica tem que comecar a ganhar assiduamente o campeonato e a garantir presencas regulares e meritorias nas competicoes europeias. Ou seja passar as fases de grupos todos os anos e no caso de cair na LE chegar pelo menos aos quartos-de-final todos os anos.


    Outra coisa que o Benfica poderia fazer e procurar financiamento e patrocinios em Angola que tem uma grande comunidade de benfiquistas e garantir a transmissao da Benfica TV para Angola bem como fazer pelo menos um amigavel por ano naquele pais.

    ResponderEliminar
  14. quanto a investidores estrangeiros bastou ver no titulo nao o ganhavamos a quantos anos? vcs estao a brincar cmg ou que? vcs nao viram as imagems dos adeptos pelo mundo inteiro como eu vi? uma equipa ganhadora? os comerciais nao procuram so equipas vencedoras, se nao so tinham patrocinadores as equipas campeas de cada campeonato, porra o benfica tem 6milhoens so em portugal quantos mais tem no mundo? que sejam quatro, o que leva o vieira a pedir mais socios eu aquredito que nao seja apenas pelo valor das cotas mas para mostrar aos investidores a nossa força, o benfica deveria ser um dos clubes do mundo com maior valor dos patrocinadores, so nao o +e porque historicamente eles sabem que nos nos deixamos levar por migalhas, o guines entidade independente e reconhecida a nivel mundial creditou o benfica como o maior clube do mundo em termos de adeptos, os patrocinios estao directamente ligados ao numero de adepetos tanto ou mais do que a equipas vencedoras, a nossa mistica e inigualavel a nivel interno, e mesmo a nivel mundial. por isso nao contem so com os campeonatos.

    barrosao

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking