O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Canal público oferece tempo de antena a um dos maiores devedores do país, que já custou 200M€ a todos nós

Avatar
 ●  + 75 comentários  ● 
"Luís Filipe Vieira participou no Trio D'Ataque claramente na qualidade de candidato à presidência do Benfica. Por isso, e ainda para mais tratando-se de um canal público, é imperativo que a RTP faça o mesmo convite aos restantes candidatos nas próximas edições do programa. Já seguiu pergunta para o provedor da RTP"
(Militância Benfiquista).

Luis Filipe Vieira recebeu o que os outros candidatos não têm: tempo de antena no canal público.

Aqui ficam os tópicos que o Record resumiu:

Jorge Jesus e as eleições 

"Não foi contratado para eu ganhar as eleições, até porque o Jorge Jesus é um nome controverso no mundo benfiquista. Há um ano ninguém sabia que ia haver uma pandemia... Numa conversa em casa dele há um ano disse-lhe que se houvesse uma alteração no Benfica ele seria o próximo treinador do Benfica. Estava o Bruno Lage. Ele foi em maio ou junho para o Brasil, esta conversa foi em março."

Uma das primeiras mentiras de LFV. Sabe muito bem que JJ só não veio muito antes porque LFV não conseguiu fechar essa operação. E JJ não é controverso. JJ é um miserável pelo que ele fez e disse quando esteve no Sporting.

Benfiquistas já perdoaram Jesus?

"Ele foi muito claro na apresentação e no que disse, qualquer benfiquista deve estar feliz, ele é o nosso treinador e todos queremos que o Benfica ganhe."

Não se trata de perdão, mas sim de que JJ nunca mais deveria ter entrada na Luz como colaborador do clube. 

Investimento no plantel
"Acho que benfiquistas não devem estar preocupados. Primeiro titulo que Benfica adquiriu foi credibilidade. Nunca o Benfica comprava o Everton por 20 milhões o ano passado. Waldschmidt igual. Darwin será uma referencia do futebol mundial. Jogadores que alem de termos retorno desportivo bastante alto, vamos ter desportivo também. No tempo que vivemos hoje, não é o Benfica Sporting ou Porto, qualquer empresa vai passar dificuldades. E Benfica tem de estar preparado para ela. Posso dizer que há jogadores destes comprados a 5 anos sem juros. Quando se tem credibilidade conseguem-se coisas diabólicas e é nas crises que devemos investir. Benfica será fácil recuperar 100 ou 150 milhões de euros."

Esperemos que a auditoria que será pedida após as eleições seja pública. As operações financeiras que andam a suportar as contratações estão a colocar em causa o futuro do clube. Ou é mentira que todas são a pagar além do próximo mandato?

António Costa na Comissão de Honra
"Tenho sido sempre homem coerente. O António foi meu apoiante em 2012, 2016 e já como primeiro-ministro, mas como cidadão e sócio do Benfica. Agora foi na mesma condição. O que se passou desta vez? Isso é que me está a intrigar? Foi o mesmo primeiro-ministro e o mesmo cidadão… Nas anteriores não perturbou tanto porquê? Entendi que ele não podia estar a sofrer nada comigo. Nem ele nem nenhum político, então entendi tirá-los todos de lá. E a situação do presidente da CM Lisboa igual."

Nada a dizer. Cada um apoia quem quiser. 

Ataques à campanha?
"A minha campanha é limpa. Não vou atacar ninguém. A minha vida é limpa, tenho resposta para toda a gente. Outros se calhar podem não ter."

Pedro Guerra e o Marinho ainda não conseguiram parar de rir...

Defesa-central pretendido por Jesus
"Uma coisa é o que jornalistas escrevem, outra é o que conheço do Jorge Jesus. Podem dizer que ele ambiciona ter um determinado jogador. Mas até dezembro… até posso já nem ser eu o presidente. Jesus é treinador do Benfica, tem grande relação com administração, com Tiago Pinto e comigo. Nós somos amigos. Jorge é hoje a cara do Benfica. As vezes dizemos ‘eu quero’ e não é bem assim. Vinícius saiu por empréstimo e ele não quis nenhum avançado, foi buscar Gonçalo Ramos e já renovámos com ele."

Todos somos estúpidos e não percebemos o que JJ disse mais que uma vez sobre os defesas centrais.

Rui Costa sucessor
"É o meu ultimo mandato. Só podia abdicar para ganhar um penta, mas isso é outra coisa… Dizem que aquilo é monarquia. Dentro do Benfica há gente qualificada para dar continuidade ao projeto. Quem vota são os sócios. O que eu disse foi ‘Eu sou o presente e tu, Rui, és o futuro’."

Acredita quem quer. Eu não. Não acredito que LFV saia a não ser preso ou falecido. Nem acredito que Rui Costa tenha capacidade para ser presidente do SL Benfica.

Último mandato
"Há um tempo para tudo na vida. Eu tenho família também. Sei quantos dias tive de férias no Benfica nestes anos. Fazer o que se fez em 20 anos não é para todos. Benfica era caso de estudo para saber como foi possível tornar isto tudo assim e este projeto, que é empresarial com amor popular."

Pensava que seria nesta parte que as lágrimas apareciam. 

Ambição
"Prioridade é onde entrar ganhar todos os jogos e no fim fazemos as contas. É uma aposta firme minha ganhar um título europeu. Nestes 4 anos vou lá chegar. Uma jura que fiz ao meu pai e só falta cumprir esta. Hei-de conseguir."

Já cá faltava. Quem foi o único que passou os últimos 2 anos a dizer que o SL Benfica tinha que lutar por uma Liga dos Campeões? Que o disse ainda no passado dia 16/10? 

Resposta a Varandas
"O presidente de um clube dizia ontem que o Benfica e o Porto... Ele se calhar nem viu o Benfica-Farense, para ver o que é o segundo golo. É falta e foi golo. No Benfica não há lobby com ninguém. Há trabalho e credibilidade."

Fernando Gomes e Fontelas Gomes ainda não conseguiram parar de rir...

O Benfica a 100 por cento
"A minha vida é Benfica, empresa e casa. Até dizem que sou um bocado bicho do mato. Não tenho nem conheço maioria das pessoas que estão no poder. Não tenho poder com ninguém. Tenho boa relação com presidente da federação. É proibido dizer que sou amigo do António Costa? Fez-me algum favor? Não lhe pedi nenhum favor."

Um dia falamos sobre Londres.

Relação com Rangel
"(Risos) Primeiro não lhe ofereci nada. A justiça funciona neste país. Nunca vou ser julgado por jornal nem televisão. Se não fosse presidente do Benfica não estava metido naquilo. Há escuta e gravação que eu digo ‘Rui se quiseres eu vou contigo ao tribunal’. Não era eu que devia ao Estado, era o Estado a mim. O que se devia dizer é como é que o Estado português demora tanto a pagar. O que é que eu tinha de pedir ao Rui Rangel? Ajuda-me aqui ou ali em quê? O que fiz qualquer um fazia."

Ainda assim, o Estado demora menos a pagar que os devedores do BES ou NovoBanco. E faltou falar na escuta em que LFV oferece um lugar no Benfica a Rangel...

Rede de influência (caso dos emails)
"Há quanto tempo dura os emails? Já deviam ter apresentado alguma coisa. Nos últimos anos o Benfica não tinha os melhores planteis em Portugal? Ganhámos 4 campeonatos seguidos. Acham que era preciso andar a pedir favores árbitros? Nomes deviam ser investigados em que ajudaram o Benfica. Caso acaba por prejudicar o Benfica, lógico. Sofri 12 anos com o caso Mantorras. Passado esse tempo foi arquivado. Tenho consciência completamente tranquila. Meus filhos e mulher poder ter orgulho no pai e marido que têm. Os meus amigos também. Vou ter de lutar pelo meu nome. Puseram muitas noticias cá fora. Já me viraram ao contrário 10 vezes seguidas e continuo em pé."

Sobre os emails, a única coisa que espero é que o SL Benfica nunca seja prejudicado. Agora vir falar no caso Mantorras é de uma lata tal...

Vilarinho e proteção
"Benfica nunca me protegeu em nada, pelo contrário. Prejudicou e continua a prejudicar. A inveja neste país é uma coisa… Se eu não tenho aparecido no Benfica não havia estádio, não havia nada. E há testemunhas disto. Se doutor Fonseca Santos abrir o véu pode-se saber o que se passou naquela altura. Vilarinho falou comigo, em prol do Benfica desisti de concorrer. Foi um alívio naquela altura. Isto em outubro. Em maio recebo telefonema a dizer que tinha de ir para o Benfica. Vilarinho sabe quem o ajudou a revolucionar o Benfica."

Nem o Estádio dependeu de LFV, nem Vilarinho ligou a ninguém. Ricardo Salgado sim.

Cavani
"Tivemos dois advogados a tratara disso. Benfica fez proposta que podia fazer. Há altura em que eu digo para meterem proposta por escrito e era o dobro. Então mandamos email a dizer que não queríamos. Houve interesse. E se me tivesse encontrado com ele tínhamos assinado."

Então porque não se encontrou?

Debates
"Eu vi debates do Sporting e não quero que o meu clube tenha debates como aqueles, aquela palhaçada, que foram o riso total. No Benfica há um candidato que apareceu agora e veio de um grupo de Whatsapp. E nem era para ser ele o candidato. Piadas têm aumentado. Se vou para debate para ofender e criticar, não vou. Depois de dia 30 tem de haver Benfica unido e não quero criar roturas que possam ser irreversíveis. Ainda não ouvi nenhum candidato dizer o que quer fazer de novo no Benfica. BTV nunca interferiu em nenhuma campanha. Tem de estar à parte. Porque diriam sempre que era eu a beneficiar."

A Democracia nunca dá vontade de rir a ninguém. Só a ditadores, a cobardes ou a mentirosos que nem para defenderem o seu próprio projecto são capazes de dar a cara. Não cabe aos candidatos opinar sobre a qualidade dos debates mas sim defender a realização dos mesmos.
Só quem não quer ser confrontado é que foge dos debates.

Ficamos a saber que a BTV não vai dar qualquer minuto aos candidatos. 

Paulo Gonçalves
"Não tem negócios com o Benfica. Falo com ele, sou amigo dele e falo com ele quando me apetecer. Quando for julgado as pessoas vão saber. Marginalizá-lo? Parece que não pode ter vida normal nem pode ganhar dinheiro normal."

Deixemos passar dia 30. Depois falamos.

Pedro Proença
"Disse-me que estava farto e que se ia embora da Liga. Se não sair mentiu. A carta que fez não podia fazer sem autorização dos clubes, pelo menos dos três grandes."

E então foi por isso que voltou atrás no pedido de demissão de Pedro Proença...? Que lata...

Futuro
"Era muito mau sair do Benfica neste momento e sou a pessoa mais bem preparada para estabilizar o Benfica. Quando cheguei foi o maior desafio que tive. Nem as pedras da calçada eram do Benfica."

Momento Vintage. As pedras da calçada. O SL Benfica não é você.

Pinto da Costa
"Houve um encontro testemunhado por António Salvador, Júlio Mendes, Soares de Oliveira e Antero Henrique. Disse-lhe que a resolução do futebol português passava por nos dois mas a Liga tinha de ser liderada por alguém que não podia ser Benfica nem Porto. Eu falei no Luís Duque e ele disse para lhe telefonar. Andámos numa paz e numa relação normal. O que cortou esta relação? Um dia Pedro Proença entra no meu gabinete, vem despedir-se da arbitragem e entrega-me camisola, a dizer que se queria candidatar a presidente da Liga. E disse que tinha apoio do FC Porto. A partir daí nunca mais."

Não foram as décadas de ataques ao SL Benfica nem sequer os roubos em campo de que o nosso clube foi vítima. Não foi isso que fez LFV azedar com PdC.

Comforme alguns se lembrarão, batalhamos no NGB a denunciar o conluio de LFV com PdC para dinamitar a direcção da LPFP e colocar lá alguém mais conveniente ao FCP. Como é óbvio, não seria Luis Duque essa pessoa e muito menos Pedro Proença.

Mas LFV tem que tentar passar a narrativa de que estava de boa fé e que foi "enganado" por PdC. Só que, caro LFV, só vai na sua cantiga quem quer.

domingo, 18 de outubro de 2020

Rio Ave - SL Benfica

Avatar
 ●  + 87 comentários  ● 
ONZE DO SL BENFICA: Odysseas, André Almeida, Otamendi, Vertonghen, Grimaldo, Gabriel, Pizzi, Rafa, Everton, Waldschmidt e Darwin.

SUPLENTES: Helton Leite, Gilberto, Jardel, Nuno Tavares, Weigl, Chiquinho, Pedrinho, Seferovic e Gonçalo Ramos.

Onze do Rio Ave: Kieszek, Ivo Pinto, Borevkovic, Aderllan Santos, Nélson Monte, Filipe Augusto, Tarantini, Carlos Mané, Piazon, Francisco Geraldes e Bruno Moreira.

Suplentes: Leo Vieira, Pedro Amaral, Pelé, Diego Lopes, Ronan David, Jambor, Meshino, Gabrielzinho e Gelson Dala.


Noronha Lopes entrega apoiantes a Vieira em "bandeja dourada"

Avatar
 ●  + 14 comentários  ● 
Salvo se for uma estratégia "especial" levada a cabo pelos muitos miudos que se viu na reportagem da SIC... salvo se for um "azar do Kralj", uma infelicidade do Adão ou do Ricardo Araujo Pereira... a entrevista ao jornal que mais tenta denegrir a imagem do SLBenfica, no exacto mesmo dia em que assue que "ou votam nem agora ou não contem mais com ele"... foi um entregar de votos a Vieira em bandeja dourada.

Têm-se esforçado muito por essas redes sociais fora de desmistificar a teoria do "Abilio dos tempos modernos" associada a Noronha Lopes.... bom, quando precisam de a desmistificar... está bom de ver que tenta sacudir os factos.

Não sei se esta ideia absurda de dizer que não se candidata mais vez nenhuma é dos mesmos autores e  gajos do humor que lhe têm dito para insistir que não tem nada a ver com interesses de grupos empresariais, que não representa elites ou que não é "Abilio"...

... mas uma coisa é certa: como um bom "Abilio dos tempos modernos", fazer uma reta final repleta de erros que não escapam aos eleitores com mais votos é uma bela estratégia quando queres ser Abilio... admitindo que isso é apenas uma coincidência, não resta outra definição e constatação que não seja a de INCOMPETÊNCIA!

Vai lá explicar aos putos as asneiras... ou diz-lhes que foi "um azar do kralj.

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Duas listas, a mesma estratégia: Parte II

Avatar
 ●  + 124 comentários  ● 

 


Ainda sobre o tema do post anterior, aqui está o esclarecimento. Alguém acredita que Rui Costa vai abdicar do vencimento?

Ou que Pedro Adão e Silva vai trabalhar para o Benfica à borla? Afinal, ser presidente ou vice-presidente não significa na mesma que não terá vencimento?

Portanto, só podemos concluir que não estão a ser transparentes com os benfiquistas. 

Mas vamos à segunda parte.

José Theotónio, Pedro Cardigos, Jorge Mattamouros, Diogo Leote, Seara Cardoso e o próprio João Noronha Lopes, entre outros, e a dias de se apresentarem como "concorrentes" às eleições do SL Benfica, acharam por bem reunir-se com alguns dos vice-presidentes do SL Benfica num almoço privado. Uma espécie de "Conselho Leonino", fechado à ralé, bem à imagem da elite arrogante que representam.

Uma nota a realçar: Luis Filipe Vieira só não esteve presente também porque entretanto teve que ir resolver a contratação de Jorge Jesus. Se assim não tem acontecido, também estaria ali. Curioso não é?

Mas no caso de João Noronha Lopes, também não era preciso. Já se sabe que dias antes tinha almoçado em privado com Luis Filipe Vieira, no conforto do gabinete do ainda presidente do SL Benfica. Dizem que Luis Filipe Vieira ofereceu o lugar de vice a João Noronha Lopes. Acredita quem quiser. Todos sabem que se Luis Filipe Vieira estivesse interessado em cooptar João Noronha Lopes bastava oferecer um lugar bem remunerado na SAD e ele iria (ou irá) a correr. (Lembrem-se disto daqui a uns tempos). 

Só mesmo no País das Maravilhas é que alguém acha que isto são acasos e que o núcleo duro da candidatura de Noronha Lopes se desdobrou em contactos com Luis Filipe Vieira e o seu staff por coincidências, a dias de se lançarem como "concorrentes".

Como tem sido evidente, estes senhores representam o esforço de um grupo de interesses muito forte em manter ou ganhar mais controlo do SL Benfica.

Basta olhar para a Lista de João Noronha Lopes e perceber que se mudassem a cor para verde e lá colocassem aquela história do esforço, dedicação e devoção (já que a glória já lá meteram), facilmente qualquer um de nós diria que era uma Lista de Candidatura ao Sporting.

Gente que tem horror ao caracter popular do SL Benfica e para quem um jogo na Luz é uma oportunidade de estar no Camarote Corporate pago pela empresa e lá entreter clientes e futuros parceiros de negócios. 

Por isso é que o próprio João Noronha Lopes só tem para apresentar, em 20 anos, a ida ao Jamor em 2017. Nem lugar cativo, nem grandes idas à Luz. Nem uma declaração, uma ideia, ou um pensamento sobre o SL Benfica.

É um benfiquista genuíno? Claro que é. Não está em causa. Mas também o são os 17 mil que estiveram no Jamor em 2017 e não é por isso que servem para presidir ao SL Benfica.

Os benfiquistas do norte ou do sul, que moram a dezenas ou mais kms da Luz também são benfiquistas genuínos. Só que muitos deles não têm fortuna pessoal, não têm empregos de administrador de multinacionais e regalias de acordo, e mesmo assim fazem um esforço financeiro enorme para ter o seu lugar cativo. Ou não tendo, para ir uma ou mais vezes por mês à Luz, gastando centenas de euros com deslocações, bilhetes e outros custos associados.

O SL Benfica não é o Sporting CP, clube de elites e para elites. 

A lista apresentada por João Noronha Lopes é uma lista de elites para servir... elites. Uma lista de gente dos fundos, dos interesses em coisas tão distintas como as futuras obras no Estádio da Luz ou na exploração de projectos como os "Hotéis Benfica", a "Rádio Benfica" ou ainda para tomar conta da BTV. 

Tudo que em nada vai contribuir para o crescimento desportivo do SL Benfica, mas que permitirá a esta elite encher os quadros do SL Benfica e da SL Benfica SAD de primas, primos, afilhados, amigos e cunhados, como a elite que tomou conta do Sporting com José Roquette o fez e que deixou o clube dos lagartos na posição que está. 

É uma Lista adequada para o Sporting CP e não para o SL Benfica. 

É um conjunto de interesses para quem um acordo com Luis Filipe Vieira é bem mais proveitoso que ser transparente com os benfiquistas.

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Duas listas, a mesma estratégia

Avatar
 ●  + 85 comentários  ● 

 Caso 1:




Como os Estatutos impedem que os Orgãos Sociais sejam remunerados, Rui Costa vai abdicar do vencimento milionário na SAD?

Caso 2:



Ou Pedro Adão e Silva entretanto ganhou o Euromilhões ou então alguém anda a enganar os benfiquistas.

Não é possível pensar-se o que lemos acima, dito pelo próprio no passado mês de Abril, e agora ser candidato numa lista.

O que se prepara então?

É evidente que qualquer destas listas irá tentar aprovar a Remuneração dos Orgãos Sociais se forem eleitos. Ou mais que isso: permitir que exerçam funções, por exemplo, na SAD e sejam remunerados por isso, sem sequer terem dedicação a 100%.

Vão querer replicar a realidade do Sporting em que todos são principescamente pagos para os resultados que estão à vista de todos. O clube passará a ser um centro de emprego e as listas uma espécie de resposta a um anúncio.

Querer remunerar Orgãos Sociais transformará o clube numa empresa qualquer desprovida de paixão e só de amor ao vencimento.

É o assalto final dos interesses financeiros ao Sport Lisboa e Benfica.

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Entrevista de Rui Gomes da Silva ao ZERO ZERO

Avatar
 ●  + 76 comentários  ● 
"Os que os outros querem é: não dizer mal da Olivedesportos... Querem que a gente nunca se pronuncie sobre isso, para não ser tema de campanha." (...) "O que os sócios têm que pensar é: há algum candidato aqui que seja contra os "interesses" que mais prejudicaram o Benfica nos últimos anos." - Rui Gomes da Silva - minuto 49:00




terça-feira, 13 de outubro de 2020

Manuel Boto avança e assume voto em Rui Gomes da Silva

Avatar
 ●  + 44 comentários  ● 

Em vésperas de eleições para a presidência do Benfica, porventura as mais importan-tes desde que Vilarinho derrotou Vale e Azevedo, os benfi-quistas são confrontados entre o Projeto de LFV e um ou vários projetos alternativos.

Depois de cerca de 17 anos de mandato presidencial, com inequívocos sucessos financeiros e desportivos numa primeira fase que durou sensivelmente até à queda do BES – que muito apoiou na reconstrução de um Benfica depauperado pela gestão de Vale e Azevedo –, os últimos anos de LFV foram caracterizados por um notório declínio desportivo que culminou esta época num total desastre.

Instado pela pressão de obtenção de urgentes resultados, LFV inverteu todas as políticas seguidas nestes últimos anos, nomeadamente a aposta no alfobre do Seixal, optando por recontratar Jesus, que exige jogadores de qualidade para substituir uma equipa que claramente não estava ao nível das exigências da história ganhadora do clube.

Em época de incertezas macroeconómicas, LFV faz investimentos avultados, claramente em contraciclo económico, notoriamente para ganhar créditos junto dos sócios, ou seja, para ganhar eleições. As apostas que deveriam ter sido feitas nestes anos em que as receitas do futebol profissional eram previsíveis, inclusive para marcar a diferença junto dos rivais que enfrentam desde há anos graves problemas económicos e de liquidez, surgem agora, desfasadas no tempo e na realidade que nos rodeia.

Em suma, na minha opinião, o mandato de LFV chegou ao fim. Desgastado pelos resultados, urge rejuvenescer o clube/SAD, trazer novas ideias, alicerçadas num benfiquismo militante, num amor ao clube/SAD que perpasse todo o universo benfiquista.

Alguém que, sentindo o Benfica e sócio desde que nasceu, possa trazer a paixão que nutre pelo Benfica a todos os sócios.

Alguém que olhe os sócios enquanto tal e não como “clientes” de uma marca poderosa.

Alguém que conheça por dentro as Casas do Benfica e as olhe como motor de benfiquismo e não como centros de faturação.

Alguém que tendo praticado uma modalidade amadora (hóquei em patins) pelo clube, puxe pelas amadoras e, como presidente, assista aos jogos com frequência.

Alguém que lute pelas vitórias desportivas e sofra com as derrotas.

Alguém que perceba minima-mente o futebol para, de forma coerente, investir por forma a voltarmos à hegemonia do fu-tebol português.

Alguém que defenda sempre o interesse do Benfica sem olhar aos desejos de colocação de jogadores por empresários ditos “amigos” como se o negócio destes não fosse exclusivamente a compra e venda de jogadores.

Alguém que conheça profundamente os meandros bem complicados do futebol profissional para o Benfica não perder tempo com aprendizagens que normalmente significam derrotas.

Alguém que tenha ambições europeias e procure dotar a equipa principal de futebol de jogadores que sejam mais valias internacionais, em detrimento do negócio da compra e venda de jogadores que tanto lesaram a imagem internacional do Benfica nestes anos recentes.

Alguém que pugne pelo futebol feminino, onde iremos tentar a hegemonia e indiscutivelmente poderemos ter uma palavra a dizer nos torneios internacionais.

Alguém que não tenha uma linguagem tecnocrática muito dirigida a elites, porque o Benfica é e será sempre um clube popular.

Por isso, esse alguém em que irei votar será Rui Gomes da Silva!

in Record

Bagão Félix anuncia Voto em João Noronha Lopes

Avatar
 ●  + 33 comentários  ● 
Dever de Gratidão e Desejo de Renovação 

1. Estamos a pouco mais de duas semanas das eleições para os órgãos sociais do Sport Lisboa e Benfica. Por isso, escrevo sobre este importante momento associativo. Faço-o livremente, sem dependências ou favores, sejam de que natureza forem. Sou, tão-só, com 72 anos de idade, o sócio nº 6102. 

 Escrevo sem qualquer carácter proselitista. Opino sem qualquer sentido divisionista. Analiso sem qualquer maniqueísmo redutor. Decido sem qualquer pretensão de infalibilidade. Apenas como expressão do meu dever de associado. Neste caso, optar é o exercício livre de uma escolha entre candidatos que, em boa hora, tiveram a coragem de se apresentar ao universo benfiquista. 

Em tese, uma candidatura abarca um líder, uma equipa, um ideário, uma ética, um contexto, um programa. Vou-me deter apenas no candidato incumbente, Luis Filipe Vieira e no candidato João Noronha Lopes. Não desconsidero a candidatura de Rui Gomes da Silva, mas reside naqueles a derradeira triagem que fiz. 

2. Como sócio, estou muitíssimo grato a Luis Filipe Vieira pelos seus 17 anos de presidência do SLB. Foi, em primeiro lugar, o principal (embora não único) rosto da salvação do clube que, no princípio do século, estava desportiva, financeira e institucionalmente em acelerado risco de colapso. 

Com ele, e nos últimos 10 anos, voltámos à normalidade dos sucessos desportivos, enquanto código genético deste grande clube, seja no futebol, seja nas modalidades que muito significam para o benfiquismo ecléctico. Com ele, o clube passou a ser solvente e patrimonialmente valorizado. Com ele, o clube passou a ter o melhor estádio e das melhores estruturas mundiais de apoio às actividades desportivas e de acompanhamento dos atletas. Com ele, relançou-se a formação, com notórios resultados desportivos e financeiros. Com ele, potenciaram-se receitas sustentadas de merchandising e aumentou a atractividade do nome do clube (agora diz-se “marca” bem sei, mas não gosto da expressão, tal qual detesto uma outra, a de “cliente”). Com ele, lançaram-se e revitalizaram-se parcerias estratégicas nacionais e internacionais. Com ele, foi criada uma estrutura funcional muito profissionalizada, longe do modo artesanal em que o SLB se enredava. Com ele, o clube deixou de ficar hiper-dependente ou mesmo refém do sistema bancário. Com ele, conquistámos o tão desejado tetra no futebol (ainda que, para o penta, a sobranceria tenha sido fatal). Com ele, alcançámos duas finais na Europa (o que já não acontecia desde 1990) e três na Youth League (em apenas 7 edições). Com ele, o desporto feminino foi generalizado e valorizado. Com ele, foi lançada com sucesso a BTV. Com ele, se respeitaram a memória e a história do clube através de um incomparável Museu. Com ele, se espraiaram, por todo o país e na diáspora, Casas do Benfica, assim se reforçando o associativismo além da sede. Com ele, a Fundação Benfica é uma forma de olhar solidário para quem mais precisa do Benfica. 

“Votarei em Noronha Lopes porque as eleições, tendo embora presente a força do passado, dizem respeito aos desafios do futuro” 

Apreciei o seu discurso de anúncio da candidatura. Foi sensato, foi humilde, reconhecendo erros, alguns que se revelaram nocivos, foi desafiante para os próximos tempos, foi sonhador sem que tenha sido fantasioso. Curiosamente, neste seu discurso L. F. Vieira foi o que, algumas vezes, não conseguiu ser nestes quase vinte anos, em que se deixou seduzir por uma certa soberba para dentro e para fora, em que teve dificuldades em assumir erros que fazem parte da vida de qualquer decisor por mais competente que seja, e em que, por vezes, o seu entusiasmo se perdeu em ziguezagues inconsequentes, caprichos e utopias irrealistas. Mas que fique claro: a minha gratidão de benfiquista afasta-me da visão cínica de ver o copo meio-vazio, ainda por cima depois da miséria encontrada de um copo sem água. 

Vieira disse também que este será ou seria o seu último mandato de quatro anos. Disse-o e repetiu-o de um modo tão peremptório, que eu não quero sequer duvidar da sua genuinidade e propósito. Aplaudo este seu anúncio. Nada tem de negativo, antes é uma sensata constatação de que os cargos são sempre temporários e não se devem eternizar, quaisquer que sejam as áreas e contextos. É quase sempre mais difícil sair do que entrar. Sair no tempo certo é um acto de lucidez e sabedoria. 

3. Ora aqui chegado, passo para a candidatura de João Noronha Lopes. Trata-se de um benfiquista integral e íntegro, foi vice-presidente de M. Vilarinho e creio que contemporâneo de Vieira no futebol, tem uma intensa experiência de gestão em ambiente global da economia, é uma pessoa eticamente respeitável e está na idade certa para conjugar maturidade, experiência, iniciativa e vitalidade. É, pois, um candidato, não para ter uns momentos fugazes de glória mediática, não guiado por um qualquer aventureirismo de ocasião, mas para poder ser vencedor agora, ou no próximo futuro. Li que Vieira e Noronha se encontraram e que o actual presidente terá convidado o agora seu concorrente para fazer parte da sua lista como putativo sucessor. Sabemos como, ao longo dos anos, Vieira tem sido um hábil negociador de expectativas, o que explica a incorporação nas suas equipas de sucessivos e, em alguns casos, incisivos ex-opositores. Entre outros, José Eduardo Moniz, João Fernandes Varandas, Fernando Tavares. Não vejo mal nisso, desde que não seja uma forma de unanimismo maquilhado, mas antes potencie uma mais sã convergência através da diferença. 

4. Li, com atenção, todos os programas apresentados. Analise-os à luz de aspectos que considero essenciais para o Benfica do futuro e que, aqui, apenas exemplifico: alteração estatutária que limite, com razoabilidade, os mandatos, que imponha exigências de natureza deontológica ao seu exercício e que impeça quaisquer conflitos de interesses directos ou indirectos; garantia de uma segura transparência e escrutínio na gestão e fiscalização do clube; estabilidade da estrutura accionista da SAD, garantindo sempre a maioria do capital e evitando aventureirismos incompatíveis com os interesses superiores do SLB; estabelecimento de regras que limitem actos de gestão que envolvam importantes consequências para além do mandato sufragado (por exemplo, receitas antecipadas); solidez financeira e patrimonial que, com racionalidade estratégica, imunize o mais possível o risco de eventos negativos; política desportiva que optimize o binómio investimento na formação/sucesso desportivo (por outras palavras, que não faça da formação um dogma acima de tudo o resto, ou que, ao invés, a secundarize em favor de planteis de compra-e-venda); compatibilização de presidencialismo e de colegialidade, isto é, nem um presidencialismo excessivo e castrador, nem uma excessiva colegialidade inibidora da decisão no momento e modo certos, numa actividade em que o tempo é uma variável decisiva; racionalização e emagrecimento da estrutura operacional, baseada na meritocracia e sem amiguismos; política de comunicação social e externa que seja estável, rigorosa, pedagógica e exemplar; e uma BTV ao serviço dos sócios e não de dirigentes de cada momento. 

5. Tenho bons amigos nas diferentes listas. Amigos a quem louvo a coragem e o modo como servem ou desejam servir abnegadamente o SLB, e que me dão garantias de excelentes desempenhos. Gostaria de votar juntando o dever de gratidão e o desejo de renovação. Sendo que tal não é possível, votarei em Noronha Lopes porque as eleições, tendo embora presente a força do passado, dizem respeito aos desafios do futuro. 

Para esta minha opção, não nego que também tenho presente os danos reputacionais com que o meu clube se tem deparado por situações do foro judicial, ainda que não fazendo qualquer juízo sobre a sua justiça ou injustiça. Mas, espero, com sinceridade e amizade, que o actual presidente saia incólume das pendências (bem como o clube). 

6. Por fim, há um ponto que também me influenciou. Pode parecer um pormenor, mas, enquanto sócio e pagante da BTV, acho insuportável a sua ausência na cobertura das eleições. Como acho que o actual presidente deveria dar-se ao debate de ideias, em vez de monólogos em canais externos. Não caio na ingenuidade de conceber esta orientação como alheia aos actuais dirigentes. Chegou-se ao inenarrável ponto de só vermos a apresentação de candidaturas em outros canais, enquanto a BTV, à mesma hora, reproduz um qualquer joguinho de infantis numa qualquer modalidade. O interesse superior do clube mandaria que o seu canal desse a conhecer, em condições de igualdade, os propósitos dos protagonistas do mais importante acto estatutário. Até porque sendo o actual presidente candidato, é sempre inevitável que o candidato que é presidente continue a ser notícia na BTV. Lamentável é, ainda, que, embora não havendo cobertura eleitoral, tenha havido uns (felizmente poucos) comentadores residentes que não se coibiram de fazer indirectamente campanha pelo candidato que lhes vem pagando as avenças e os honorários. 

António Bagão Félix 

O CONTADOR DA LUZ, 13 Outubro 2020
in A Bola

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Análise aos Candidatos: O que eu vejo de Noronha Lopes!

Avatar
 ●  + 76 comentários  ● 

Aqui muitas vezes acusado ora de ser cartilheiro de Vieira ora de ser apoiante de Rui Gomes da Silva, ao não ser nem uma coisa nem outra, partilho-vos hoje a minha perspectiva sobre o candidato que tem recolhido a atenção dos jornais e das redes sociais: João Noronha Lopes. Amanhã, se tiver tempo, escreverei sobre Rui Gomes da Silva e terminarei com Luis Filipe Vieira, isto sem descurar o respeito e que darei também a Francisco Benitez e sua equipa. Quem espera que seja um apoio a algum deles, pode ficar já por este parágrafo: Tratam-se de constatar a minha desilusão e tristeza pela pelo vejo e pelo que falta ainda fazer para as eleições.


Sobre João Noronha Lopes, muitos acusam-me de não lhe dar uma oportunidade! Pois ao contrario de vários benfiquistas, já estive em duas casas do SLBenfica para o ouvir... e quanto mais o oiço mais certezas tenho: A candidatura à presidência do SLBenfica não se faz com tiques de vedetismo, nem com a sobranceria de quem acredita ser a única solução viável.

Não sou ninguém para medir o benfiquismo seja de quem for, mas a atitude e programa de Noronha Lopes, na minha opinião, permitam-me a analogia para que possamos antecipar o futuro, representa o pior de Luis Filipe Vieira no SLBenfica, com a mentalidade de Bruno de Carvalho (pelo alheamento da realidade) e as relações de José Bettencourt (que lhe suportam apoios que no futuro serão cobrados)... todos sabemos os danos que tudo isso fez no SLBenfica e no SportingCP.

O SLBenfica necessita de um candidato forte, que seja capaz de começar a sua liderança no reconhecimento da necessidade de união, não impondo a sua liderança, mas construindo-a sobre o que de bom foi feito e evitando os erros do passado.

Não sei quem são os autores do blog Benfica Livre, mas tenho que reconhecer que são ali expostos FACTOS irrefutáveis que demonstram que sustentam a narrativa de João Gabriel quando se refere a elites e grupos de sócios e interesses que decidiu "criar" um candidato. Aí vão 17 posts assustadores face ao futuro do SLBenfica.

Não me cabe, como benfiquista, julgar ninguém que apoie este tipo de liderança, como não julgo quem considera que a liderança de Luis Filipe Vieira não devesse ser renovada. A estes últimos devo dizer que me sinto bastante mais próximo de Luis Filipe Vieira do que de Noronha Lopes... e não haverão muitos benfiquistas a ter votado em branco nas últimas duas eleições por questões de princípio contra as atitudes do Presidente. Nunca contra ninguém. Sempre pelo Benfica! Estas linhas são como sempre a minha opinião pessoal

As duas vezes que fui ouvir Noronha Lopes (e posso dizer-vos que não fui ainda a nenhuma outra visita de candidatura de Vieira, Rui Gomes da Silva ou Benitez. Ainda)... fiquei sempre com a sensação de ter ali alguém que opta pelo caminho oposto ao de Luis Filipe Vieira quando chegou ao SLBenfica, mas apoiado nos mesmos princípios de sobranceria e controlo total (algo que sou totalmente CONTRA!).

Noronha Lopes assume uma postura de futuro cor-de-rosa, de futuro brilhante sob a sua liderança, de um brilhante gestor desportivo que nunca geriu nada desportivo... ao contrário de Vieira que optava pela "política do medo": Ou eu ou o caos, diz aVieira!!! Noronha escolhe "comigo é o céu azul e a prosperidade".

Quem se desloca a uma casa do SLBenfica para ouvir Noronha Lopes chegar vê chegar uma "entourage"... o discurso e respostas do candidato não deixam nada ao acaso e todas as palavras são cuidadosamente escolhidas "para agradar a gregos e troianos"... o que é o primeiro motivo de desconfiança: Ninguém pode agradar a todos! Mas os discursos de Noronha, sim...

... e pior que isso, passeando pelas redes sociais dos candidatos, repara-se que não só tem opinião e solução para tudo... como ainda tem uma "tropa de elite" a atacar cada post nas redes sociais, principalmente por parte de Rui Gomes da Silva. É um exercício giro de ver... percebem facilmente quem comenta num sitio e noutro e o tipo de comentários. Aconselho!

Estamos fartos de salvadores da pátria e de gente que sabe tudo. Tem sido essa a sua postura! Já por muitas vezes foi "apanhado" a mentir no seu discurso - sendo a mais gritante a do custo da campanha (100.000€, grande parte dos quais do seu bolso). Qualquer pessoa que trabalhe em comunicação sabe que está a enganar-nos e que o valor é pelo menos o triplo e já muitos blogs "descascaram" os custos da sua campanha que, espero, não tenha como custos directos 100.000€, para depois ter 2 ou 3x mais em custos pagos por empresários, amigos e grupos elitistas que querem fazer de si o novo Vilarinho.

Todos nos lembramos que até ao dia anterior de avançar, Vilarinho não só não queria avançar, como avançou com os "amigos" a dizer-lhe: "vai que nós tratamos de tudo" - isto não fui eu que disse, foi o próprio... e o João Noronha Lopes - como diz - estava lá (ainda que por muito pouco tempo) deve saber disso.

Também o apanhámos a omitir, tendo depois de tentar vir justificar-se quando foi dado a conhecer o seu almoço com o Vieira que V. Exa tentou justificar de forma que só a sua máquina de campanha acredita... mas deixando "no esquecimento" os almoços com a "entourage" de Vieira e também com a de Jorge Mendes. Por certo esqueceu-se de justificar também esta parte... sorte a sua que os demais candidatos não exploram isso... pois fosse isto o Benfica de há umas decadas e o meu caro consócio não teria cara para sair de casa.

E esperemos pelos apoios que anunciará esta semana e na próxima para vermos as suas proximidades a gente que todos sabemos que não interessam ao SLBenfica! Esperemos, pois!

Outra coisa que me preocupa é que ver alavancar muito o seu discurso na encenação dos debates, fazendo lembrar aquele maluco que se atirou ao rio Tejo e dizia "tirem-me daqui senão eu bebo isto tudo"... só não bebeu, porque o tiraram... ou fazendo lembrar ainda mais o actual Presidente quando dizia que se não seguissem o seu rumo ele saia da Presidência, com o objectivo de nos manter a todos calados. Noronha Lopes insiste nessa questão porque sabe que Vieira nunca irá a debates e isso permite-lhe explorar uma narrativa encenada que o eleva como ser moralmente superior. É pena! Porque se há coisa que aprendemos com Vieira é que não queremos mais ninguém que seja superior a nós!

De mentiras, omissões e encenações já estamos fartos!!! Eu pelo menos estou!!! Das duas vezes saí das duas casas do Benfica sem uma dúvida esclarecida, por em ambas as vezes fugiu à questão levando a resposta para outro caminho:

PORQUE JOÃO NORONHA LOPES NÃO QUER UMA LISTA UNICA?
Uma lista única contra o actual Presidente daria aos sócios duas vias possíveis: O melhor que um caminho alternativo tivesse para dar... ou a continuidade. 

Mas para uma lista única Noronha Lopes (e os outros) teriam que ceder e "abrir o jogo". O que impede este candidato de o fazer? Será que há certos apoios que constituem "almoços que não são gratis" e jamais poderiam ser levados a cabo numa lista com RGS e Benitez?

A pergunta que se impõe aos candidatos é: Querem "apenas" ser o Presidente do SLBenfica? Ou quer realmente "libertar" o SLBenfica de uma gestão que tendo tipo muitos méritos, aburguesou-se e precisa ser renovada / refrescada?

Ouvindo Noronha Lopes (e nos próximos dias falarei dos demais), não pude deixar de concordar com as palavras do meu pai, de quem aprendi tudo no SLBenfica: "Este quer é ser Presidente, não pensa primeiro no Benfica senão não dizia certas coisas". Pois é meus caros... são muitas e muitas décadas e presidentes e a conclusão foi esta.

Sabem que mais? Por muitas críticas que isso me possa valer (e a primeira é do meu pai), eu até sou a favor de o próprio Luis Filipe Vieira se sentar com os três candidatos e propor a união do SLBenfica, num formato em que ele se posicione como Chairman/Presidente do Clube, mas sem funções executivas nem na SAD, nem no clube... Mas pelo perfil do Presidente actual isso é inviável, apesar de eu achar que, como fizeram grande lideres na história, o afastamento de funções executivas e passar a ser um gestor não executivo na vida do Clube e dar espaço a quem traz novas ideias.

Com o que tenho ouvido, porém creio que João Noronha Lopes poderia ter um papel importantíssimo como líder de gestão de marca e toda a estratégia comercial e de expansão da marca SLBenfica. Será esse o plano que Vieira lhe propôs no almoço? Percebendo que quer ser remunerado, estará em condições de afirmar que não integrará a SAD de Vieira, perdendo as eleições?

O Programa que li e sobre o qual ouvi está repleto de algumas boas ideias e outras copiadas como já assumiu e por isso quis ser o último a arrancar. Isso tratou-se de uma postura digna de ser "Abilio Rodrigues dos tempos modernos. É pena...

... tivesse o João Noronha Lopes a humildade de apregoar a união em vez da soberba... e talvez algum dos outros dois candidatos lhe explicassem a quantidade de boas ideias que ali tem que ficam muito bem ao "povão", mas que ou é intelectualmente desonesto ou vive alheado da realidade, para saber que não são exequíveis umas e outras o meu caro não poderá controlar a sua execução pelo que sabe que não poderá assumi-las.

Lamento que a sua candidatura seja uma maquina de comunicação... O último caso destes que conhecemos era também de um adepto ferrenho de um clube, mas que se provou altamente impreparado: Bruno de Carvalho, no SportingCP. João Gabriel sabe bem que uma máquina de comunicação apenas promove um lider e o protege... não pode navegar a vida de uma das empresas e clubes mais difíceis de gerir.

Fica o meu apelo a cerca de 3 semanas das eleições. Largue a demagogia e a máquina de campanha que faz com que os seus "emissários" estejam incessantemente a responder (por si) no Twitter e Facebook e cheguem às casas do SLBenfica consigo... largue as mentiras, omissões, copias e encenações... aproveite o que de bom que tem para dar, reconhecendo onde o João não tem e outros terão... e opte pela União! Se acha realmente o que o SLBenfica tem que mudar: Sente-se à mesa com os demais candidatos não para os convencer a abdicar em favor do caminho e amizades do João Noronha (o que agradeceria Luis Filipe Vieira), mas para encontrarem o melhor caminho JUNTOS para o SLBenfica...

Chega do culto do líder!
Chega de lideranças de empresas de comunicações!
Chega de debates de redes sociais! 
Chega de ver o futuro no nome de um Homem, seja ele quem for... nem Luis, nem Rui, nem João:

TODOS PELO SPORT LISBOA E BENFICA!

Ser ou não ser Abílio: eis a questão!

Avatar
 ●  + 89 comentários  ● 

 


Há por aí uma confusão sobre o que é "ser Abílio" numas eleições do Sport Lisboa e Benfica.

Provavelmente, essa confusão é feita por gente que em 1997 ainda limpava o "ranho" do nariz com as mãos e comia "os macacos" que dele saiam. Gente sem noção ou gente... desonesta.

Abílio Rodrigues candidatou-se sob a capa de um "projecto" e de um "benfiquismo" superiores. 

Era benfiquista? Claro que sim. 

Mas na verdade, Abílio Rodrigues candidatou-se para retirar votos a Luis Tadeu (e a Rui Gomes da Silva) e dessa forma enfraquecer a frente de combate a João Vale e Azevedo, pois tinha um acordo com ele quanto a ocupar uma posição de vice-presidente após as eleições.

Por isso, Abílio Rodrigues rejeitou convergências ou acordos com Luís Tadeu, quando tal foi colocado em cima da mesa. Recusou estar do lado certo da história.

Ora, como a história comprovou, Abílio Rodrigues cumpriu o seu papel. Enfraqueceu a oposição a João Vale e Azevedo vestindo pele de cordeiro. Só que Vale e Azevedo "cagou" para o acordo secreto e virou-lhe as costas.

Portanto, ser "Abílio" nada tem a ver com a ordem de entrada ou anúncio às eleições do SL Benfica.

Ser "Abílio" é ter um propósito de enfraquecer a frente de combate a um "mal" que corrói o SL Benfica com vista a num futuro próximo ter a promessa de sucessão.

Mas hoje em dia está mais em causa que apenas escolher nomes: é preciso escolher que futuro queremos para o SL Benfica.

Ser "Abílio" é também contrariar o debate de ideias no SL Benfica, livre e sem tabus, como o foi durante décadas. É fazer o mesmo jogo que Vieira tem feito, de fuga ao debate e ao contraditório.

domingo, 11 de outubro de 2020

Senhor Ângelo Martins: obrigado!

Avatar
 ●  + 38 comentários  ● 

Uma lenda que está na história da melhor equipa de sempre do Sport Lisboa e Benfica.

Obrigado por tudo o que deu em campo e fora dele pelo nosso clube.

Até sempre!

sábado, 10 de outubro de 2020

Alberto Miguéns assume voto em Rui Gomes da Silva

Avatar
 ●  + 138 comentários  ● 

Chamo para aqui este apoio, não pelo candidato que escolhe, mas pela importância de quem emite ao apoio. Não por ser "apenas" um apoio... mas um apoio inequívoco de alguém que conhece o SLBenfica e conhece pessoas em todas as candidaturas mas, acima de tudo, que conhece os quatro candidatos... que todos eles - sem excepção - quiseram e lutaram pelo seu apoio.


Alberto Miguéns é um benfiquista inequívoco, dos que vive o SLBenfica para lá de ir ao futebol ou às modalidades. É um estudioso do SLBenfica e que deu voz, na BenficaTV ao programa que deu nome ao seu blog: Em Defesa do Benfica. Essa é a sua principal motivação; Defender o nosso Clube.


Diz no seu blog, no momento da sua criação e em linha com o que fez no programa que terminou em 2011 que:

Por isso desmascararemos intrujices e embustes veiculados por terceiros.
Por isso denunciaremos quem se esteja a servir indevidamente do Clube.
Por isso ridicularizaremos a desfaçatez, insolência e aldrabices dos impostores.
Por isso colocaremos as declarações, insinuações e participações no sítio certo.
Por isso comentaremos a grandeza do Clube, dos seus dirigentes, associados, equipas, atletas e individualidades


Foi assim que sempre conheci Alberto Miguéns, a quem não consigo entender como não foi entregue o papel de curador e director do Museu do SLBenfica.

Alberto Miguéns assumiu que iria ouvir todos os candidatos e assumiu também que divulgaria o seu apoio e motivos... e assim o fez no tópico: Voto Rui Gomes da Silva onde refere que "Penso que Rui Gomes da Silva será a melhor escolha" e que se trata de uma escolha inequívoca.

Seguramente, depois de falar com cada candidato (alguns mais que uma vez) saberá mais do que eu - pelo menos - para poder fazer uma escolha inequívoca, que eu neste momento não sou capaz de fazer... mas não posso deixar de me sentir intrigado e querer conhecer mais do apoio do Alberto Miguéns e ser, eu próprio, esclarecido em muitas dúvidas que (ainda) tenho. 

Lido o tópico do blog, constatamos que é - acima de tudo - apoiado em factos que na opinião de Alberto Miguéns têm valor suficiente para constituir a sua escolha. 

Perdoem-me pessoas como Simão Sabrosa, Akwá (ehehehe), António Costa, Pedro Adão e Silva, Ricardo Araujo Pereira, etc... mas perante todos estes, Alberto Miguéns está num patamar de credibilidade intocável, ainda que todos mereçam o meu respeito.

Não votarei ao lado de Alberto Miguéns porque ele disse... Mas quis entender os detalhes do apoio do Alberto Miguéns e mantenho a minha intenção de visitar uma casa do SLBenfica aquando da presença de cada candidato, sabendo porém que Vieira vai às casas não conversar com os sócios mas falar para os sócios o que, honestamente, pouco me interessa ouvir... interessa-me sim poder perguntar, ouvir as perguntas de outros benfiquistas e, com isso, ouvir todas as respostas e não discursos, segundo sei é esse o formato que adoptam João Noronha Lopes e Rui Gomes da Silva.

Tal como Alberto Miguéns refere, ele fez a sua reflexão sustentada e fez a sua escolha. Eu farei também a minha e, se for o melhor para o SLBenfica, se tiver em condições de o assumir antes das eleições assim o farei apesar de me sentir inclinado para não o fazer de modo a não influenciar outras decisões.

Cada um tem a responsabilidade de reflectir, mas não o façam "contra ninguém". Não escolham um candidato "contra" outro(s). Por favor, NÃO!!!

Não votem desinformados para apenas porque querem fazer cair o actual presidente ou porque querem evitar a ascensão de algum candidato em particular. Isso é O PIOR QUE PODE FAZER ao nosso SLBenfica.

Os programas estão todos disponíveis:

Primeiro anunciou Rui Gomes da Silva: https://www.ruigomesdasilva2020.pt/programa

Depois o Movimento Servir o Benfica, de Francisco Benitez: https://www.servirobenfica.pt/programa.html

Seguiu-se João Noronha Lopes: https://voamaisalto.com/visao

E o último programa a ser conhecido foi o de Luis Filipe Vieira: https://static1.squarespace.com/static/5f77423ae733aa3c76eab744/t/5f7f01652c1737355da68f51/1602159016031/MANIFESTO+LFV2020.pdf

Procurem informar-se adequadamente e, como aconselha Alberto Miguéns, reflitam bem porque segundo ele - e muito bem: "As Eleições do Benfica são sempre importantes, mas estas extravasam a importância interna. O Benfica tem de assumir e conseguir meios nos próximos tempos, para ser uma carruagem do comboio de alta velocidade do futebol mundial ou contentar-se em continuar a ser um vagão de mercadorias que abastece as carruagens desse comboio."

Termino com as palavras do Alberto Miguéns que todos, seja qual for a escolha e motivos, devemos tentar seguir:

"Eu fiz a minha escolha, mas cada um terá que fazer a sua. Expliquei os motivos. São esses. Não me preocupei com outros aspectos por os considerar menos relevantes, mas aceito que cada um valorize umas situações em detrimento de outras"

Mas não se esqueçam que são quatro candidatos e não apenas dois, como pelos vistos acontece com o Jornal Record que cobre todas as visitas de Luis Filipe Vieira (7 noticias) e João Noronha Lopes (6 noticias) e ignora as acções de campanha de Rui Gomes da Silva (zero notícias) e Francisco Benitez (zero notícias):



Eleições do SLBenfica: O espelho dos poderes instalados no futebol português

Avatar
 ●  + 36 comentários  ● 


 
A 20 dias das eleições do SLBenfica, o panorama é desolador!

- Um Presidente que se recandidata com soberba e truques ditatoriais

- Um candidato "apoiado pela máquina" e que representa a defesa dos poderes instalados, caso Vieira caia

- Um candidato com ideias, conhecimento e capacidade, mas "sem máquina" e com discurso muito truculento.

- Um candidato "da bancada" com boas ideias mas sem expressão.

Talvez por isto, há vários dias aqui assumi a vitória de Luis Filipe Vieira, tal como ontem o BenficaEagle ontem aqui vos deixou também na opinião dele.

Os benfiquistas deixaram de ser exigentes! Deixaram de ser militantes e devotos ao clube! Deixaram de colocar o clube acima dos presidentes! A narrativa de Luis Filipe Vieira ficou encrustada na nação benfiquista e hoje em dia impera o espirito dos "salvadores da pátria".

Perdoem-me os mais sensíveis e os apoiantes de João Noronha Lopes, mas na minha opinião esta candidatura mais não é do que a garantia dada ao Sistema de que será impossível fazer cair Luis Filipe Vieira. Talvez por isso seja tão fácil dar-lhe apoios financeiros, visibilidade na comunicação social e ampliação dos seus soundbytes.

Só isso justifica muitos dos tiques de ditador e de "ser superior" desse candidato que, ainda ontem, atacava Vieira de uma forma reles e rasteira ao ponto de o gozar por falhas gramaticais. Vergonhoso! 

Este candidato não concretiza nada... Compromete-se com ideias e conceitos que jamais poderá levar a cabo e muitas outras que defende sem saber dizer na realidade como as vai realizar...

O objectivo desta candidatura é "secar" Rui Gomes da Silva e o objectivo está a ser concretizado. O candidato praticamente não tem voz além do que consegue controlar individualmente e sem ter empresas a meter-lhe mais de um quarto de milhão de euros para a sua campanha.

Dir-me-ão "mas é porque não tem apoios, ou é porque Noronha consegue ter apoios"... é de facto isso, não fora isso representativo de apoios de empresas e empresários que só querem assegurar que haverão coisas que nunca mudarão no SLBenfica e que terão que permanecer para lá das candidaturas.

Rui Gomes da Silva representa a cisão com isso... mas uma cisão sem expressão! Sem voz além dos espaços que controla... por outro lado falta-lhe também acessoramento de comunicação! Falta liderar a narrativa positiva levando a discussão para as ideias positivas que tem no seu programa.

Não chega a este candidato ter um bom programa... precisa de assegurar que está na ordem do dia. É preciso saber discutir as ideias claras do programa como fez com a parceria com a fintech... que deveria continuar a ser alavancada, mas tem também que ir mais longe e falar do futebol, dar nomes e factos às suas ideias, porque não são vagas nem etéreas.

Noronha Lopes assumiu na entrevista ao Benfica Independente que copiou ideias dos programas dos outros candidatos. Assumiu que teve em conta os outros programas na hora de criar o seu. Isso não tem nada de mau... mas apenas confirma que está na corrida para proteger Luis Filipe Vieira.

Noronha Lopes sabe que Vieira não vai a debates e não irá... e por isso faz dessa narrativa uma batalha que sabe que nunca irá perder. Ele até queria... só que o Vieira...

Mas porque não debate ele com o Rui Gomes da Silva? Diz ele que beneficia o Vieira... nada mais errado! Prejudica-o, pois não lhe permite dizer o que fará na sua presidência... mas se Noronha quiser ir para um debate apenas para atacar Rui Gomes da Silva ou vice versa... de facto não vale a pena.

O debate teria que ser para entender as ideias dos candidatos e perceber quem o enfoca melhor... porque nas diferenças face a Vieira, essas estão claras e também nós as temos. Mas isso não interessa a Noronha. 

A incapacidade dos candidatos se unirem PELO BENFICA só mostra que não vão a votos PELO BENFICA, mas sim com agendas próprias.

De Noronha já sabemos que vai a almoços apenas para dizer que não... por isso juntou-se a Benitez e Rui Gomes da Silva (que tomaram a iniciativa, segundo dizem as noticias) apenas para lhes esfregar na cara a sua agenda pessoal e impossibilitar a derrota de Luis Filipe Vieira.

Alguém que admite ter copiado as ideias dos outros candidatos e não quer uma fusão de programas é alguém que tem uma agenda própria. Mas alguém que tem ideias e não é capaz de liderar a agenda e a narrativa de comunicação também não fará a escalada a Presidente.

Noronha quer e precisa ser remunerado! Não pode ser Presidente do SLBenfica (clube)! Rui Gomes da Silva não tem a máquina de comunicação de defesa... porque não aceita Noronha incorporar a SAD de Rui Gomes da Silva (onde poderia ser remunerado como quer) e ajudar a colocar em prática o que entende ser capaz, liderando a Comunicação, Marketing e Comercial do SLBenfica - onde tem larga experiencia e Rui Gomes da Silva não tem?

Porque não assume Rui Gomes da Silva o convite a Rui Costa (é funcionário da SAD, pode perfeitamente ficar apesar de ter um percurso com Luis Filipe Vieira) ou José Boto (sería a minha escolha) para liderar o futebol do SLBenfica?

Um nucleo duro formado por Rui Gomes da Silva na Presidência, João Noronha Lopes a liderar a estratégia comercial (onde tem vasta experiencia) e José Boto a liderar o futebol do SLBenfica, com os três a percorrerem o país nestes últimos 15 dias... a quem eu juntaria Lourenço Coelho como substituto de Rui Costa, caso não pretenda ser o Presidente da SAD.


Obviamente que tudo o resto relacionado com as modalidades e demais sao elementos muito importantes que deveriam ser tidos em conta, mas estes serão os pilares mais importantes do futuro do SLBenfica:


Chairman da SAD e Presidente do Clube: Rui Gomes da Silva
Presidente da SAD: Lourenço Pereira Coelho (aceito a alternativa Rui Costa aceitar o convite e mudar a postura passiva e assuma responsabilidades e liderança)
Director para o Futebol Profissional e de Formação e de Scouting: José Boto (com uma remuneração e projecto que justique o regresso e com autonomia para criar uma equipa nos três pilares.
Vice Presidente do Clube e Nº2 da SAD: João Noronha Lopes responsável pela Estratégia Comercial Marketing e Operações que poderia desafiar o seu apoiante Pedro Ribeiro para Coordenador da BenficaTV e toda a estratégia de Media do SLBenfica.

Convidaría também Humberto Coelho para sair da FPF para Vice Presidente do SLBenfica com o pelouro do Futebol. 


Querem nomes e compromissos? AQUI TÈM!

Abram este tipo de discussões e talvez haja eleições, caso contrário: Parabéns Luis Filipe Vieira pela reeleição

RIP Kulkov

Avatar
 ●  + 29 comentários  ● 

Um jogador de classe e que participou em alguns dos jogos épicos das últimas décadas.

Obrigado Kulkov.

sexta-feira, 9 de outubro de 2020

Fusão de listas sem efeito: candidatos à presidência do Benfica não se entendem!

Avatar
 ●  + 51 comentários  ● 


 

Fusão de listas sem efeito: candidatos à presidência do Benfica não se entendem (In Jornal Record)

Francisco Benitez, Rui Gomes da Silva e João Noronha Lopes juntaram-se à mesa.

 


Além de Jorge Jesus e dos 100M€ em contratações, enfrenta uma oposição dividida

Parabéns Luís Filipe Vieira, pela reeleição.

Gedson, Dantas e Vinicius, fez sentido? Desportivamente, duvido

Avatar
 ●  + 32 comentários  ● 
A realidade é o que é e não há como lhe fugir... Dos 23 jogadores que integraram a convocatória da Seleção Nacional para o jogo da última quarta feira contra a Espanha, apenas três jogam em Portugal.

É hora de aceitarmos que não adianta andarmos sempre com conversinhas da treta de cada vez que vislumbramos um qualquer talento nas camadas jovens dos nossos clubes, sonhos de futuro cor-de-rosa e de conquistas gloriosas aos ombros destes meninos em quem o Benfica corre nas veias, quando a realidade é que na cabeça de TODOS estes jovens, o sonho é conquistar a Europa do futebol o mais cedo possível.

Podemos falar que sair de Portugal é quase sempre uma questão de dinheiro, mas é hora de assumirmos também que é ao mesmo tempo uma questão de estatuto... Sair é o prémio e o percurso natural para aqueles em quem a Europa confia, permanecer é o castigo daqueles que ficaram a meio do caminho.

Dos 3 que jogam em Portugal, o único titular contra a Espanha foi Pepe com uma grande carreira construída lá fora, e os dois não utilizados foram Sequeira do Braga e Rafa do Benfica que chega aos 27 anos ainda com estatuto de miúdo que ninguém sabe muito bem ainda aquilo que pode dar.

Portugal tem hoje uma seleção de topo mundial que premeia o excelente trabalho que os clubes em Portugal têm feito ao nível da formação. Mas também tem de se dizer que esse trabalho que tem proporcionado aos clubes uma excelente forma de financiamento e de equilíbrio das suas contas, tem tido (e continuará a ter não duvidem) um impacto reduzidíssimo na performance desportiva dos clubes onde foram formados...

Um miúdo talentoso que aos 18 ou 19 anos não é já primeira escolha do Benfica já acha que está a ficar para trás no seu planeamento de carreira, numa altura em que já pode dar dinheiro a ganhar a muita gente...

E se um treinador ou um Presidente for sugerir a um Dantas ou a um Bernardo irem rodar num Estoril ou num Famalicão para ganharem jogos nas pernas, aquilo que vão ouvir como resposta é: "Então nesse caso deixa-me ir já para o Mónaco ou para o Bayern? É que lá também não me garantem que vá jogar mas pelo sim pelo não garanto a minha independência financeira desde já." E vão!

E é pois assim que se emprestavende um Bernardo ao Mónaco, que se emprestavende um Dantas ao Bayern, ou que depois um Jota da vida já aceita ser emprestado a um clubezeco como o Valladolid porque entretanto os colossos como o Arsenal que nem há dois anos atrás lhe faziam a cabeça andar à roda já o esqueceram depois de terem assistido aos dois anos perdidos que passou na Luz, quando ter andado por um Paços de Ferreira a jogar e a crescer lhe teria feito muito melhor.

Por isso, já não adianta um gajo vir aqui criticar certas decisões dos clubes a nível desportivo, porque a grande maioria destas decisões dos dias de hoje já têm muito pouco de desportivo. Tem muito mais de decisões financeiras e de quem ganha o quê, onde acabam por ter muito mais peso as vontades de jogadores e empresários, do que a vontade dos clubes com quem têm contrato.

Confesso pois que não entendo este empréstimo de Dantas ao Bayern com cláusula de compra de 8 milhões com o Benfica a reter 25% ou 30% do passe... Alguns já dizem que ah e tal, nem no Benfica B era titular... Mas então se não era, se o puto não tem potencial nenhum, o Bayern ia interessar-se?!?!

Ou seja, o puto sai para o Bayern e mesmo que não jogue (como é provável que aconteça) já ganhou a estabilidade financeira. O Bayern também não tem nada a perder... Se o puto mostrar capacidades fica pela bagatela de 8 milhões e no mesmo dia que assinar pelo Bayern já fica a valer 40! Se o puto for flop o Benfica recebe-o de volta para no ano seguinte o juntar ao Jota no Valladolid num empréstimo mais modesto!

E o Benfica ganha o quê? Bom, a meu ver não ganha nada... Se o puto for realmente bom fica na Alemanha por 8 milhões e esqueçam lá os 30% da futura venda porque craques do Bayern ficam lá a vida toda. Se for mau volta à Luz depois de um ano perdido em que terá jogado muito pouco ou nada, quando nestas idades o mais importante é jogar.

Podia juntar ao Dantas a decisão de emprestar Gedson (um em quem eu acreditava) ao Tottenham por ano e meio, Gedson em Inglaterra com estatuto de ator secundário que este ano nem para a Liga Europa foi inscrito. A sério que se vive na Luz a ilusão de que jogadores que no Benfica não são capazes de se afirmar no nosso “riquíssimo” plantel serão capazes depois de se afirmar em outro que competitivamente está num patamar bem mais acima?!

E no próximo ano faremos o quê, quando o Gedson tiver regressado depois de um ano e meio perdido em Inglaterra, quando melhor estaria se estivesse estado um ano e meio emprestado a um Wolves ou outro clube mais modesto e pudesse de facto ter acumulado os jogos nas pernas que lhe faltavam na Luz? Vamos depois emprestá-lo também ao Valladolid para recuperar o tempo perdido?

E o mesmo com Vinicius, o tal por quem segundo Vieira o Benfica já recusou ofertas de 60 milhões! Então e um “craque” de 60 milhões é emprestado ao Tottenham para ser suplente do Harry Kane? Se o objetivo era valorizar Vinicius não era importante que o fizesse num clube onde chegasse com estatuto de ator principal, mesmo que num clube mais pequeno?! Ou será que um jogador de 25 anos que chegando ao Tottenham jogue pouco como é provável que aconteça alguma vez voltará a valer os tais 90 milhões que Vieira acha que vale?!

E é isto meus amigos... Talvez o engano seja continuarmos a querer analisar tudo aos olhos do que faz ou não sentido para os clubes desportivamente, numa era em que interesses bem mais altos se levantam!

Algumas notas sobre o relatório e contas da Benfica SAD

 ●  + 52 comentários  ● 

Já muito se escreveu sobre o relatório e contas da Benfica SAD referente ao exercício de 2019/2020. Vou aqui tentar não repetir o óbvio, que, por esse mesmo motivo, já foi diversas vezes referido por essa blogosfera fora … e não só. 

Este é um texto essencialmente técnico que incide sobre a temática do relato financeiro. Vou, contudo, tentar apresentá-lo de forma compreensível para todos os leitores (incluindo para o presidente do nosso Benfica). Vou ainda tentar não me alongar muito no texto, pois sei (em grande medida por experiência própria) que textos longos perdem interesse. 

Podemos fazer várias leituras do mais recente relatório e contas da Benfica SAD. A leitura que aqui partilho convosco incide sobre as verdades que não são ditas, mas que transparecem da informação financeira relatada… porque “the trouth is out there”. 

Começo pelo seguinte parágrafo que se encontra na mensagem do presidente na página 7 do relatório e contas da Benfica SAD. 

“Um caminho assente no respeito dos nossos compromissos, na credibilidade da nossa palavra ou na sustentabilidade do nosso negócio, tudo sinónimos de mais de uma década de desenvolvimento que conjuga o rigor, a paixão pelo futebol, a solidez financeira e a obtenção de resultados.” 

Sr. Presidente, está a gozar com os sócios e adeptos do Benfica? Tudo o que vou falar neste texto é mencionado neste parágrafo… mas ao contrário! 

1- Conjugação de solidez financeira com obtenção de resultados (presume-se que desportivos) 

A conjugação das 2 coisas pressupõe que essas 2 coisas se verificam em simultâneo. Ou seja, a solidez financeira (aqui medida pelos capitais próprios) evidencia uma tendência crescente e o desempenho desportivo (aqui medido pela posição no ranking da UEFA) também evidencia uma tendência positiva. Ora o gráfico seguinte não deixa dúvidas quanto à magnitude da inverdade subjacente a esta afirmação do presidente do Benfica.



De facto, o capital próprio da SAD tem vindo a aumentar consistentemente desde 2013, mas também tem aumentado a posição do Benfica no ranking da UEFA (e aqui o aumento é negativo). Ou seja, ao contrário do que o atual presidente e a atual liderança do clube e da SAD têm tentado transmitir, a consolidação financeira da SAD tem sido feita à custa do sucesso desportivo do Benfica onde verdadeiramente interessa e onde o Benfica se tornou grande: na Europa! O melhor desempenho do Benfica em termos de ranking da UEFA ocorreu precisamente quando a solidez financeira foi mais afetada. 

Senhor presidente, tenha a decência de assumir perante os sócios e adeptos do Benfica que não consegue conjugar a solidez financeira com o sucesso desportivo. Outros há que o conseguem fazer. Os sócios devem ter conhecimento disso e devem ter a possibilidade de dar a oportunidade aos que conseguem verdadeiramente conjugar o sucesso em ambas as vertentes... ou então, tenha a decência de assumir perante os sócios e adeptos do Benfica que, para si e para a atual liderança, o verdadeiro objetivo do futebol do Benfica não é o sucesso desportivo. 

2- Sustentabilidade do negócio 

Senhor presidente, aqui está mesmo a gozar connosco! Está a gozar tanto connosco, que isto já roça o sadismo. 

Desde quando é sustentável um modelo de negócio em que os rendimentos operacionais (de direitos de TV, comerciais e de bilhética e afins) representam 81% dos gastos operacionais (essencialmente custos fixos)? Então os rendimentos da venda dos nossos produtos/serviços não chegam para cobrir os custos fixos da atividade e isto é um modelo sustentável? … e estamos a olhar para números que beneficiam do forte contributo da Liga dos Campeões, algo que, infelizmente, não vai acontecer na presente época. 

Esperem… temos lucro! Isso é que interessa. O “bottom line” não mente! Afinal, parece que o negócio é sustentável. Mas como surgiu esse lucro? Esse lucro surgiu com a venda de passes de atletas, de onde resulta um contributo líquido de 125,7 milhões de euros para o resultado do exercício de 2019/2020. Então isso leva-nos a concluir que a sustentabilidade do modelo de negócio da SAD assenta na alienação dos seus melhores ativos. 

Mas que raio de gestão é esta? Isto é um hino à gestão de curto prazo e revela uma profunda miopia estratégica por parte do presidente do Benfica e da atual liderança. Está-se a sacrificar o desempenho futuro à custa de resultados imediatos. Um claro exercício de destruição do valor dos acionistas da SAD e, sobretudo, do potencial de sucesso desportivo do futebol do Benfica. 

Em primeiro lugar, todos sabemos que transações como a verificada no exercício de 2019/2020 (João Félix) não surgem todos os anos. Tivemos esta em 2019, houve mais algumas com ocorrência esporádica nos últimos anos … e não tivemos outra desta magnitude já na presente época, porque o nosso presidente não quis vender o passe do Vinicius por muitas dezenas de milhões de euros e, dessa forma garantir a competitividade desportiva do plantel … do Tottenham. 

Em segundo lugar, quando delapidamos o nosso plantel com a venda do passe dos principais atletas, estamos a comprometer o sucesso desportivo e, dessa forma, a pôr em causa uma importante fonte de rendimentos (as receitas da Liga dos Campeões), como aliás já percebemos este ano. Por outro lado, sem os principais atletas, a qualidade do futebol praticado diminui, o que afasta o interesse dos adeptos do futebol em geral com consequências nefastas ao nível de outra fonte de rendimentos muito importante: patrocínios. Aliás, o insucesso desportivo referido atrás não se faz sentir unicamente ao nível das receitas associadas à participação nas competições da UEFA. Como é referido no primeiro parágrafo da página 28 do relatório e contas, ficar aquém dos objetivos desportivos acordados com os patrocinadores também resulta em menores rendimentos associados a patrocínios. 

Em terceiro lugar, sem os principais atletas no plantel, com uma qualidade de jogo mais pobre e sem sucesso desportivo consentâneo com o que os sócios e adeptos do Benfica esperam e merecem, é de esperar menos público no estádio (quando tal for possível) e, consequentemente, também menos receitas de bilheteira e afins. 

Em quarto lugar, com a saída do plantel dos principais atletas e com o consequente insucesso desportivo associado, a visibilidade da equipa e de outros atletas com potencial existentes no plantel diminui substancialmente, o que prejudica a própria fonte da alegada sustentabilidade do negócio: a venda de passes de atletas. Uma incoerência do próprio modelo de negócio subjacente à tão propalada consolidação financeira e desportiva… já de si cheia de incoerências. 

Uma última nota sobre a sustentabilidade do negócio. Muito mais havia a dizer sobre as verdades escondidas no relatório e contas relacionadas com este tópico, mas, para não me alongar em demasia, quero apenas fazer referência à variação observada na rubrica de gastos com o pessoal. De acordo com a demonstração dos resultados, esta rubrica diminuiu de 88,3 milhões de euros no exercício de 2018/2019 para 85,6 milhões de euros no exercício de 2019/2020. Finalmente, boas notícias … ou não! 

Vamos então perceber um pouco melhor o que se passa nesta rubrica e, para isso, vamos fazer uma breve incursão pela nota 19 (página 132 do relatório e contas). De acordo com a informação que se encontra nesta nota, afinal os salários até subiram (remunerações fixas). Houve um aumento de 13% na folha salarial da SAD (sendo que o número de atletas sob contrato até baixou significativamente). Ou seja, continuamos a engordar a estrutura e a cavalgar nesse aumento inexorável dos salários que se paga sem que isso se traduza em sucesso desportivo… mais uma ode à brilhante gestão do futebol do Benfica! 

Mas se a folha salarial aumentou, porque motivo diminuíram os gastos com o pessoal? Essa diminuição deve-se essencialmente à redução nas remunerações variáveis. Uma redução de 9,5 milhões de euros que se percebe pelo facto de o futebol do Benfica ter falhado em toda a linha na época desportiva de 2019/2020. O que não se percebe muito bem é como ainda assim foram incorridos gastos com remunerações variáveis no montante de 7,3 milhões de euros. Certamente tem a ver com a conquista da supertaça ou com o brilhante segundo lugar alcançado na fortíssima liga portuguesa. Fomos os primeiros de entre todos os perdedores… É, mais uma vez, a apologia da mediocridade. É a falta de cultura de vitória que crassa no nosso clube e uma imagem pálida do Benfica que os nossos pais e avós deixaram e que, pelas vicissitudes da vida, acabou nas mãos desta liderança que não sente e não respeita a gloriosa herança do Benfica. 

3- Rigor 

Estou a ficar sem adjetivos para a vocação que o nosso presidente demonstra ter para essa tão nobre arte de “zombar” com os outros (neste caso sócios e adeptos do Benfica). Vamos ver alguns exemplos desse rigor (ou da falta dele) ao nível do relato financeiro da Benfica SAD. 

Primeiro exemplo: No exercício de 2019/2020 a rubrica de gastos com fornecimentos e serviços externos ascendeu a 72,7 milhões de euros. Excede claramente o total agregado das receitas de bilheteira e com atividades comerciais. A composição desta rubrica é apresentada na nota 18, onde podemos constatar que os trabalhos especializados ascendem a 11,4 milhões de euros. Mas a que respeitam estes trabalhos especializados? A administração da SAD responde da seguinte forma na página 131 do relatório em contas: 

A rubrica de trabalhos especializados inclui diversos fornecimentos e serviços prestados por terceiros, sendo de destacar os gastos com consultores e de assistência técnica. 

Ficaram elucidados? Eu também não. Um esclarecimento lacónico que revela uma grande parcimónia nas palavras. Afinal, há que poupar em alguma coisa… 

Na mesma nota e em relação à mesma rubrica, constata-se que os outros fornecimentos e serviços ascendem a 7,9 milhões de euros. “Outros” devia corresponder a um montante residual no contexto da rubrica em causa, mas não. É simplesmente o terceiro componente com mais peso nesta rubrica e sobre o mesmo nada é dito. Vê-se um claro aperfeiçoamento na arte de poupar em explicações sobre temas “complicados”. 

Em suma, nada é dito sobre o que representam 19,3 milhões de euros de gastos com fornecimentos e serviços externos. Não sou eu que estou a ser demasiado exigente com as explicações que a administração devia dar no relatório e contas. São as normas internacionais de relato financeiro que especificamente o exigem (alínea c) do parágrafo 112 da IAS 1). Normas estas que a administração da SAD diz, no primeiro parágrafo da nota 2.2 (página 95 do relatório e contas), ter seguido. Ninguém explica, assim, como foi gasto este dinheiro, o qual daria, por exemplo, para pagar o salário ao Cavani durante 2 épocas. 

Segundo exemplo: Na página 40 do relatório e contas é dito que a dívida líquida (empréstimos bancários acrescidos dos empréstimos obrigacionistas e deduzidos de caixa e equivalentes) diminuiu quase 30%. Parece ser um bom indicador. Mas como se explica o aumento dos gastos financeiros de 15,6 milhões de euros para 16,8 milhões? Não era suposto pagarmos menos juros quando diminui a dívida remunerada? Este aparente paradoxo não é explicado no relatório e contas. Aliás, na página 126 do relatório e contas é referido que a taxa de juro média dos empréstimos no exercício de 2019/2020 foi 3,86%. Como se chega e esta taxa e como se relaciona a mesma com os gastos financeiros indicados na demonstração dos resultados? Ficamos sem resposta para estas dúvidas legítimas. Mais, esta divulgação da taxa média de juro está incompleta, pois devia incluir o comparativo do ano anterior, conforme requerido pelo parágrafo 38 da IAS 1 que a administração afirma ter adotado da preparação das demonstrações financeiras. 

Este aumento dos gastos financeiros pode ter várias explicações. Há, contudo, pelo menos uma que me preocupa bastante. Tem a ver com o desconto das receitas da Nós. Em primeiro lugar, este desconto das receitas futuras da Nós é um empréstimo obtido (garantido com os créditos sobre a Nós). Como tal, devia, por respeito ao dever de transparência que a administração da SAD tem (para com os sócios, adeptos, investidores, regulador, …) e atendendo à caraterística qualitativa da informação financeira útil da representação fidedigna, prevista na estrutura concetual das normas internacionais de relato financeiro que a administração diz adotar, ter sido apresentado como um empréstimo obtido e não na rubrica de outros passivos. “Outros” tem sempre uma conotação de menor importância e, para além disso, esta classificação faz com que este financiamento obtido não seja sujeito aos requisitos de informação que se aplicam à rubrica de empréstimos obtidos. Não é, assim, dada qualquer informação sobre as condições deste financiamento, incluindo sobre taxa de juro do mesmo. Não é, desta forma, possível confirmar se este financiamento tem associada uma taxa de juro tão elevada, que tenha contribuído de forma decisiva para o aumento observado nos gastos financeiros. 

Terceiro exemplo: Na página 147 do relatório e contas é feita referência aos processos judiciais que envolvem a SAD e os seus representantes. Mais uma vez, a arte da parcimónia nas explicações no seu melhor! Explicações lacónicas sobre os processos judiciais que envolvem a SAD, que não permitem perceber, entre outros, qual a verdadeira natureza dos mesmos e quais os efeitos financeiros associados, divulgação requerida pelo parágrafo 86 da IAS 37 (norma que a administração diz ter adotado). Este é um assunto sempre delicado, mas os sócios, adeptos e interessados em geral têm o direito de saber quais as consequências financeiras e desportivas que a SAD enfrenta decorrentes destes processos… mas neste particular, o tão propalado rigor não dá para mais. 

Quarto exemplo: No último parágrafo da página 97 do relatório e contas (nota 2.4) é referido que os prémios de assinatura pagos aos jogadores são considerados como parte integrante do custo de aquisição do correspondente passe, o qual é classificado como um ativo intangível a amortizar durante o período do contrato. Ora, este tratamento não se afigura como estando correto, uma vez que o pagamento é efetuado ao atleta. Uma vez que o atleta tem um vínculo laboral com a SAD, tais pagamentos devem ser classificados como gastos com o pessoal (são em substância salários). Este entendimento é preconizado também na página 6 da publicação da PwC “Accounting for Typical Transactions in the Football Industry”, de outubro de 2018. Curiosamente, a PwC é quem audita as demonstrações financeiras da SAD. Alguém anda distraído… 

Quinto exemplo: No primeiro parágrafo da página 104 do relatório e contas é referido o seguinte: “o rédito corresponde ao justo valor do montante recebido ou a receber relativo a serviços prestados”. Na página anterior é ainda referido que o rédito é reconhecido de acordo com as disposições da norma IFRS 15. Ora, de acordo com o parágrafo 46 desta norma, o rédito corresponde ao preço da transação, o qual consiste na contrapartida a que a entidade tem direito ao transferir o controlo sobre os bens ou serviços para o cliente (parágrafo 47 da mesma norma). Ou seja, a base de medição do rédito (componente tão importante do desempenho) referida pela administração no relatório e contas não está de acordo com a norma que a mesma administração diz ter aplicado. Mais um exemplo do rigor a que a atual liderança do Benfica nos tem habituado. 

Existem mais verdades “ocultas” no relatório e contas da Benfica SAD que ficam para uma próxima ocasião. Urge debater o tema da qualidade do relato financeiro, uma vez que a grandeza de uma instituição também se mede pela transparência da sua comunicação, muito em particular do seu relato financeiro… e a transparência é um dos pilares em que se alicerça o nosso sonho de transformarmos o BENFICA NO MAIOR E MELHOR CLUBE DO MUNDO

ranking