O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


terça-feira, 31 de janeiro de 2017

TESTE: Quem é capaz de ser árbitro de futebol?

Avatar
 ●  + 25 comentários  ● 
Acho que mais tarde ou mais cedo, quando o vídeo árbitro tiver sido implantado e depois retirado do jogo por todos perceberem que estava a matar o futebol dentro das quatro linhas, e que fora delas a polémica e a contestação continuava a existir (e como eu prevejo, até a piorar), todos vão ter de perguntar a si próprios se:

1. Aceitam o erro arbitral como parte do jogo, aceitam que numas semanas beneficia uns e em outras prejudica os mesmos, acreditam na honestidade de quem dirige os jogos (mesmo quando prejudica os seus clubes), e aí sim vale a pena continuarem a gostar do jogo e a dedicar-lhe tanto da sua paixão;

2. Ou então, se não confiam, se de tudo desconfiam e em tudo vêm erros intencionais, o melhor é dedicarem a sua paixão a outro hobby qualquer, porque se torna difícil perceber o que é que retiram do jogo que seja benéfico para si;


A verdade é que o erro arbitral é parte integrante do jogo, daí ser se calhar o único desporto com regras tão subjetivas, que fazem com que o juízo de cada lance seja QUASE sempre fruto do CRITÉRIO de interpretação de quem apita.

A grande maioria dos MUITOS programas televisivos de debate de bola existem porque jogam (e ganham a vida) nesta zona cinzenta provocada por esta subjetividade, porque esta zona cinzenta potencia o debate e a intriga, e porque as regras do jogo permitem que um lance visto na TV de 10 ângulos diferentes e em camera lenta, tenha ainda assim 3 comentadeiros sentados à mesma mesa quase a andar à chapada e a dar diferentes juízos ao mesmo lance.

Como já aqui escrevi, por pouco tempo mas já andei dentro dos campos de futebol de 11 de apito na boca. Isto não faz de mim um “expert” na matéria em termos de interpretação dessa zona cinzenta de cada lance, mas faz de mim um conhecedor das dificuldades do ofício e da impossibilidade de em muitos lances haver um juízo correto.

Para quem tem a mania de ver só em cada erro arbitral (especialmente nos foras-de-jogo, como por exemplo o golo anulado ao Sporting contra o Marítimo), intencionalidade ou incompetência (em vez da impossibilidade de um juízo 100% correto fruto das limitações humanas como eu aqui tantas vezes defendo), eu sugeria um pequeno exercício:

Será que no Ténis, nos grandes torneios, aqueles árbitros que passam o jogo TODO a olhar APENAS e só para uma linha estática desenhada no court, com a ÚNICA função de ver se a bola bate dentro ou fora do campo, também são incompetentes ou “vendidos” de cada vez que vem o Olho de Falcão provar que tantas vezes os seus juízos são errados? Esses também são comprados pelo Federer ou pelo Nadal?!  

Pensem nisso companheiros, porque se no Ténis é assim com linhas estáticas, imaginem o quanto mais difícil é num jogo de futebol com 22 pessoas em constante movimento e sem linhas fisicamente desenhadas no campo que facilitem a interpretação de alguns lances.

Os debates televisivos de futebol existem por causa desta palhaçada da zona cinzenta. No dia em que não houvesse erros para apimentar a coisa, alguém iria perder tempo a ver este programas para falar da jogada bonita do Aimar ou daqueles excelente desenho tático do Rui Vitória?! Mas alguém tem interesse em discutir o FUTEBOL depois do jogo acabar e dos pontos do jogo estarem atribuídos?!

Em resumo, sim, mantenho-me no primeiro grupo, no grupo que acredita na honestidade de quem apita (nos dias de hoje), no grupo que acredita que ao longo do campeonato, com erros a favor e erros contra as contas no fim ficam mais ou menos bem saldadas, no grupo que acredita que a maior parte das vezes que um clube fala de árbitros é para escamotear culpas próprias, e no grupo que acredita que os árbitros são humanos, e que para “ajudar” à sua já se si dificílima missão, têm ainda de lidar com a pressão gigantesca das massas adeptas e de jogadores no próprio campo sempre à espera da primeira oportunidade para os enganar.

A juntar a isto, temos um futebol que se transformou no futebol dos “Prolongamentos”, dos “Play Offs” e dos “Dias Seguintes”, com advogados, engenheiros, feirantes, comentadeiros e até jovens prodígios do Damaiense, a querer serem eles os “entendidos” definidores dos critérios de análise desses lances cinzentos, fazendo com que muitos árbitros comecem a apitar, não como vêm os lances no relvado mas sim como os mesmos serão vistos quando estes futeboleiros de pacotilha os analisarem na TV, esta gente que nunca deu um chute na bola ou que eram os gordos que iam sempre à baliza, e que não sabem sequer que o contacto no futebol sempre foi permitido (até certo ponto) e que futebol nunca foi Ballet.

Para acabar, e porque estou farto desta conversa de árbitros, semana após semana apenas para desculpar erros próprios dos clubes, sugiro que vejam o vídeo deste post e me digam em quantos lances destes acertam e quantos de vocês eram capazes de ser árbitros, daqueles que nunca erram, que é o que nós exigimos aos outros.

NOTA: Compreendam no vídeo a dificuldade de no campo analisar um fora de jogo a ter de olhar para a bola a partir ao mesmo tempo, sem TVs nem repetições.




25 comentários blogger

  1. Curiosamente em 25, acertei 20 :)
    Mas fica a dúvida e se calhar até consegues a tirar, o arbitro deve olhar para o avançado ou para o defesa? Nos primeiros clipes de um para um, eu segui o avançado, mas depois com dois defesas ficava muito mais difícil.
    Em relação ao tópico, gostei de saber o que alguém, digamos, está do lado da arbitragem "imparcial" pensa.
    Mas fica outra pergunta, se calhar este video fica difícil, para nós leitores e seguidores deste blogue, mas os arbitros não treinam? Não são os profissionais? São eles que erram (sempre para o mesmo lado).
    Ahh e se sem treino acerto 20, com treinos era maior arbitro português!

    Contra tudo e contra todos, Rumo ao Tetra ! Já pensaram no gosto que é se ganharmos este campeonato? Qual taça dos correios, qual arbitragem, qual setúbal, o Benfica elevasse a isso tudo neste momento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O fiscal de linha nunca segue o avançado. Segue sempre o penúltimo defesa (considerando que o Guarda Redes também é defesa, ou seja, o primeiro defesa a seguir ao Guarda-Redes (quando o guarda-Redes está na baliza e é o último).

      20 em 25 não é mau. Mas é mau o suficiente para amanhã no Prolongamento da TVI te espancarem de alto abaixo e te deixarem em muito mau estado :))))

      Eliminar
    2. A questão é que hoje em dia um árbitro pode ter 1000 decisões certas ao longo do jogo, se falhar 1 e se tiver influência no resultado, vai ser um vendido e um ladrão. Agora imagina essas 5 que falhaste :)

      ND

      Eliminar
    3. E não só. Como vês estes videos são dificilimos de analisar e estás a ver um fiscal de linha BEM POSICIONADO e no enfiamento da jogada. Em muitíssimos casos durante o jogo, fruto da velocidade do mesmo, movimentações dos defesas e avançados, etc, o fiscal de linha não está bem posicionado.

      E quando assim é, pois, pode ter uma noção do lance mas com uma margem de erro enorme, e em muitos casos até limita-se a adivinhar.

      Eliminar
    4. E eu também falhei 6 em 25, mas para ser sincero a partir do 10° lance só considerei fora-de-jogo 3 lances, ou seja assumi que o padrão era não ser fora-de-jogo e só quando tive a certeza é que o considerei, logo condicionei a minha análise.

      Eliminar
    5. Sim, isso também é verdade. Neste video o arbitro já está em posição para ver um fora de jogo e nós sabemos com imprevisível é o futebol, ressaltos e afins...
      Imaginem um fiscal de linha, que está do outro lado do campo a tentar ver um fora de jogo do Rafa e este vem "embalado". Epah O fiscal de linha só acerta se é fora de jogo se adivinhar, porque não tem velocidade para o acompanhar o Rafa, ou neste caso a linha defensiva.
      Ahh e vou estar atento ao Prolongamento! :P

      Eliminar
  2. "
    A grande maioria dos MUITOS programas televisivos de debate de bola existem porque jogam (e ganham a vida) nesta zona cinzenta provocada por esta subjetividade, porque esta zona cinzenta potencia o debate e a intriga, e porque as regras do jogo permitem que um lance visto na TV de 10 ângulos diferentes e em camera lenta, tenha ainda assim 3 comentadeiros sentados à mesma mesa quase a andar à chapada e a dar diferentes juízos ao mesmo lance.
    "

    Parabéns!

    O problema do futebol é mesmo a quantidade de CS que temos para viver disto. Ao que se em inglaterra os árbitros falham...mas se alguém comenta leva nas orelhas.

    ResponderEliminar
  3. " daqueles excelente desenho tático do Rui Vitória?!"

    Obviamente que ninguém vai perder tempo com uma coisa que não existe...

    ResponderEliminar
  4. Eu sou capaz de ser arbitro, mas só arbitro jogos à porta fechada. KKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderEliminar
  5. Para mim o é muito dificil de ajuizar, falhei uns qtos , acertei outros, mas não estou habituado, nem treinado para tal, apesar disso reconheço que é bastante complicado ajuizar na altura, se nós estamos a ver aqui sem pressão nenhuma, sem ninguém que nos chateie erramos, imaginem com adeptos e jogadores na altura e nos dias seguintes com toda a gente a apontar falhas e ser apelidados de ladrões, mediocres, etc..é mto complicado, mas é nestes casos, também reconheço que há outros casos em que se vê que existiu má fé por parte da equipa de arbitragem.

    ResponderEliminar
  6. Epa, já parecemos os tristes dos lagartos a falar da arbitragem todos os dias. Deixem lá isso.

    http://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/benfica/detalhe/oficial-benitez-emprestado-por-epoca-e-meia.html

    Este aqui, veio passar umas férias a Portugal? 4 milhões para emprestar por um ano e meio.

    ResponderEliminar
  7. Em tese, todos concordamos com o escrito, sobretudo nos foras-de-jogo por centímetros. O problema é quando as coisas, outras coisas do jogo, são tão evidentes (sem repetições televisivas, lá do alto do 3º anel, etc.) e não se percebe como 3 seres vendo não quiseram ver. Ontem, em Setúbal, foi o caso, no penalty (uma das outras coisas do jogo) sobre o Carrillo. Ou não? E concordo: o video-árbitro não resolve nada e matará o futebol.

    ResponderEliminar
  8. Águia Preocupada31 janeiro, 2017 20:26

    Sou frontalmente contra o vídeo árbitro. Só para confirmar se a bola entrou ou não!
    Se hoje, depois de se verem as imagens de vários ângulos e em diversas velocidades, a polémica mantém-se, é lógico que o vídeo árbitro não vem resolver nada, antes vem matar o futebol.
    Comparar esta questão com o que se passa no ténis, não me parece honesto. Porquê? Porque no ténis, os árbitros são internacionais... Ou seja, são profissionais e não arbitram jogos em que participem jogadores dos seus países. Pelo menos é o que penso!?
    Já um campeonato nacional é arbitrado por árbitros desses países.
    O mal, a génese, desta desconfiança, desta polémica generalizada está no facto de ter existido um "Apito Dourado" com provas evidentes de que os árbitros não são sérios. Desde que no futebol apareceu um peidoso corrupto que nunca mais houve paz.
    A complicar a questão, vem a justiça ou falta dela que assobia para o lado e a tudo fecha os olhos... Pelo menos para alguns!
    E para compor o ramalhete, está a profusão de opinadores "profissionais" mas desonestos, que opinam, opinam, mas sempre a tentar desculpar e branquear os erros dos seus.
    O Árbitro é humano, logo erra. Mas não houvessem os antecedentes tenebrosos e refilava-se um dia e no dia seguinte tudo estava esquecido.
    Quem vai ao futebol como eu vou, percebe bem quando se trata de erro e quando é malandrice!

    ResponderEliminar
  9. O problema não é errar. O erro vai existir sempre.
    O problema é errar sempre para o mesmo lado. E isso tem sido sintomático desde o Boavista. Mostrem-me erros a favorecer o Benfica, por favor.

    Ou a apreciação estatística de números como 12 expulsões a adversários do Porto. 0 expulsões a adversários do Benfica. Demais, não?

    ResponderEliminar
  10. o que gosta de bola31 janeiro, 2017 21:33

    um post tão assertivo, inteligente e bem intencionado é logo estragado pela malta da cassete, do extremismo e da mania de perseguição.
    há malta que se não existissem essas polémicas, deixava de ter assunto para escrever em blogs.
    parabéns.
    de um portista

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Magnifico ! O post como o clip apenso ! Devia ser de estudo obrigatório , não para os árbitros ( já o
      é , e não é por isso que passaram a ser infalíveis ) mas para os candidatos a " jornalismo " futeboleiro e sobretudo a papagaios painelistas...
      De facto , aos primeiros ainda consigo dar o benefício da dúvida , por muito evidente que me pareça terem feito uma má decisão ( ex. ÓBVIO , o lance de ontem sobre o Carrillo , independentemente de o SLB
      ter jogado bem ou não - é daqueles que dispensam repetição , slow-motion , outro plano de camara ,etc ,
      vê-se à vista desarmada e em velocidade real ! Quem não vê aquilo não vê nada , logo não pode arbitrar!
      Já os segundos , que nos entram pela casa dentro a branquear consoante a sua cor clubistica , depois de
      já terem visionado os lances n vezes de todas as maneiras possíveis , e perfeitamente conscientes de quenos estão a manipular ( e a chamar estúpidos , by the way ) uma palavra apenas : ASCO !!!
      Tolerancia zero !

      Eliminar
  11. Vamos então ver se no próximo clássico não vai haver um festival de cartões para o lado da equipa visitante e o penalty da praxe para o Messi...
    este post é de um querer acreditar no "Pai Natal" que eu já não julgava ser possível existir...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não será certamente necessário ...é um encontro cordial entre confrades imbuidos da mesma " afinidade electiva " - o ódio ao Benfica !
      Se fosse a sério , dado o arsenal de armas quimicas e o poder devastador de fogo de cada um , seria caso para recomendar capuz anti-escarro a um e máscara de gás anti-bufas a outro...

      Eliminar
  12. Excelente post.
    Devia ser obrigatórios mostrar aos "entendidos" das segundas feiras è noite.

    ResponderEliminar
  13. Há tecnologia(s) para determinar se existe fora de jogo ou não de maneira imediata e não é assim tão cara. Só não implementam porque não querem, provavelmente para que se possa permanecer nessa chamada zona cinzenta.

    E como já muitos sugeriram, quanto a grandes penalidades, ou até casos de agressão ou faltas passiveis de expulsão, cada equipa teria direito a pedir a revisão de 3 lances por jogo (digo 3 como outro valor qualquer, o importante é o sistema). Isto não invalida que o árbitro possa assinalar grande penalidade sem ninguém pedir, depois fica ao critério da equipa que provocou a suposta falta pedir confirmação ou não, sabendo que se pede, deduz-se do total de 3. As faltas seriam analisadas por um ou mais árbitros numa cabine.De resto o jogo permanece tal e qual só acrescentando a tecnologia do chamado "olho de falcão".

    Não vejo onde é que este simples sistema perturbaria minimamente o decorrer do jogo. De resto, o de só contar tempo de jogo real nos últimos 10-15 minutos também seria interessante. Reduziria em muito a vaga de lesões e arrastamento de pés na reposição de bola em jogo que se observa numa infinidade de jogos ;)

    AM

    ResponderEliminar
  14. Todos criticam a arbitragem mas depois quando se diz, então vá vc apitar ninguém vai. Basta ver quando um arbitro falha um jogo, estao todos mortinhos para o insultar, mas se nao aparecer arbitro ninguem tem coragem para pegar no apito e ir para la mostrar todos os seus conhecimentos das lei de bancada.
    Imaginem o que é estarem sentados num escritorio com tarefas para desempenhar e de repente os vossos colegas de trabalho rodearem-vos e começarem a insultar "anda lá ohh burro, nao ves que ja tens o documento pronto para imprimir, estas a dormir?", "esqueceste-te de responder aquele email palhaço", ao fim de uns minutos voces levantavam-se da cadeira e explodiam. Agora imaginem isso num jogo (principalmente em locais fechados-pavilhao, onde tudo se ouve) e ter de tomar decisoes.

    ResponderEliminar
  15. Há coisas e coisas...

    Concordo com a actual formulação de se benficiar o atacante em caso de dúvida. Mesmo que isso me obrigue a, por princípio, não criticar golos do Maicon. Pior é o contrário, quando se anulam golos por fdj que não o são.

    Mas na questão do golo em fdj o vídeo-árbitro pode ser útil. Se não como juíz absoluto, por permitir uma decisão mais informada, nem que essa decisão seja "há dúvida, valide-se".

    BF

    ResponderEliminar
  16. Quem já jogou futebol, mesmo fora da Damaia, sabe que os árbitros apitam não ao que vêem, mas ao que pensam ver.
    É impossível ao olho humano cobrir um campo de futebol, e ao cérebro processar informação contínua de 22 senhores a correr aleatoriamente, enquanto perseguem um objecto esférico. Basta o ângulo de visão para um lance ser diferente para a percepção do mesmo se alterar.
    Ponham 50 pessoas a seguir um determinado acontecimento, e no fim peçam para descrever o que viram. Não vão obter uma resposta, longe disso.

    ResponderEliminar
  17. Já se sabe a enorme dificuldade que os fiscais-de-linha têm para analisar os fora-de-jogo. Uns mais do que outros evidentemente. Tem havido lapsos por demais evidentes.
    A questão toca a todos mas só se agudizou com as exaustivas repetições televisivas que nem sempre não conclusivas acrescidas de opiniões dos numerosos 'experts' que por aí aindam...
    Tenho no entanto para mim que o JotaPê deveria ser nomeado oficialmente instrutor de árbitros porque dado os seus profundos conhecimentos na matéria, certamente deveria ser uma preciosa ajuda. Sobretudo em jogos onde participasse o Benfica...

    ResponderEliminar
  18. Bem falhei "só" 5. Mas apesar de parecerem poucas vezes ainda é um erro de 20%. Em fora de jogo era tão fácil ter tecnologia que nem sei porque não se faz mais força para a implementar. Além de ser fácil, abrangia das situações mais decisivas do jogo.

    Infelizmente eu entro no grupo de pessoas que acha que os árbitros erram demais, não por desconfiar da sua idoneidade mas por ter a certeza que são incompetentes, e como homens que são influenciáveis a pressões externas, mesmo que inconscientemente.

    ResponderEliminar

Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.
Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado.

recentes

ranking

Em Defesa do Benfica