O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


segunda-feira, 25 de novembro de 2013

1.10

 ●  4 comentários  ● 


Portugal, 25 de Novembro de 2013

Numa jornada em que os 3 primeiros classificados marcaram 1 golo, Benfica e SCP aproximaram-se do 1º lugar, estando agora a 1 ponto e tudo porque o FCP sofreu 1 golo.
Uma jornada que decorreu sob o signo do 1, pelo menos para os três clubes “grandes”.
Mudando a agulha para a análise técnica (permitam-me a presunção), a exibição do Benfica foi marcada pela organização caótica do seu jogo! Tacticamente a presença de 1 ponta de lança indicaria que iríamos jogar num equilibrado 4-2-3-1, mas, por causa das características dos jogadores escolhidos ou por causa das orientações dadas a esses jogadores, o que é certo que quando tínhamos a posse da bola, a táctica mais parecia um desequilibrado 4-2-4.
Quando da 1ª bola que levamos no ferro, podem-se ver 4 defesas do Benfica a tentar contrariar o contra ataque do Braga mas nenhum centro campista! Nem Matic que há tempos atrás foi utilizado num estéril debate se deve jogar a 8, como JJ este ano em alguns jogos o colocou, ou a 6 como a critica, analistas e pseudo entendidos de bancada defendiam, de modo a resgatar a qualidade exibicional da época passada (não perceberam a importância de Sálvio nessa outra “máquina”).
Sempre que tínhamos a bola, via-se muitas vezes Lima descair para o lado esquerdo, Djuricic cair para o lado direito, o que a somar a Gaitan e Markovic faziam uma linha de 4 avançados, os quais, pela tese da aproximação de linhas posicionais, “puxavam” os médios e estes “puxavam” os defesas. Ou seja, devido às características dos jogadores ou das instruções que tinham, a equipa assumiu uma dinâmica de pressão alta, a tal que estamos fartos de criticar por não dar em nada. E deste modo, a maior parte da nossa posse de bola foi no meio campo defensivo do Braga, que por sua vez e de forma natural, se “encostou” atrás, à espera de um erro do Benfica. Foram as bolas nos postes que noutras situações poderiam ter dado golo e agora estávamos aqui a “desancar” no Raul José...
Deste jogo resultou a lição que os nomes não jogam, se a organização que produzem ou que lhes dizem para produzir, não for uma organização de jogo adequada, com equilíbrio posicional e distribuição equitativa ao longo do campo, entre balizas. Todos lá à frente, está provado que não dá. Todos atrás não vai com o nosso ADN. A solução é o equilíbrio ao longo do terreno de jogo.
Daí a importância de Cardozo na disciplina dessa organização, porque se trata de um jogador posicional de amplitude de movimentos relativamente reduzida, que capta a marcação de 1 ou 2 defesas adversários e dessa forma – por redução dos efectivos da defesa - contribui para que os nossos “médios ala” tenham o seu espaço de actuação perfeitamente definido. E como uma equipa é um conjunto, também os “centro campistas” têm o seu domínio mais bem definido, em posições mais recuadas no terreno de jogo, o que traz a vantagem de obrigar o adversário a subir um pouco as suas linhas, para pressionaram o erro do nossos centro campistas.
Dito isto, sobre a importância de Cardozo no futebol do Benfica (que muitos não percebem), está-se a ver a minha confiança num bom resultado em casa do Anderlecht se, como tudo indica, Cardozo não jogar...
Por último, atingiu-se a jornada 10, que faz um terço do campeonato. Analisando a posição classificativa, verificamos que conseguimos obter 76,7% de pontos, o que não dando para o primeiro lugar, ainda assim deu para muitas equipas serem campeãs nacionais antes de Fernando Gomes chegar à Liga e FPF. Estamos aquém dos 85,6% da fantástica época passada, mas como a nossa pré temporada apenas começou aos 60 mn do jogo em Alvalade, quando entrou Cardozo, as minhas expectativas é que a percentagem de pontos vai subir, embora seja muito difícil alcançar os 85,6%.
Quanto ao goal-average, e voltando à referência Cardozo, verificamos que até aos 60 mn do 3º jogo do campeonato (em Alvalade), tínhamos 4 golos encaixados. Depois dos 60 mn deste 3º jogo e até ao 10º jogo, apenas sofremos 3 golos, 1 dos quais, quase 3 metros em fora de jogo (Belenenses). O que é que um avançado tem que ver com os processo defensivos de uma equipa? Se calhar tem... é só puxarmos um pouco pela cabeça que iremos descobrir.
Nos golos marcados e tomando como referência esses tais 60 mn do 3º jogo, constatamos que até aí tínhamos 3 golos marcados e depois desse momento, nos restantes 7 jogos e mais 30 mn, marcamos mais 14 golos. O total vai em 17 golos, atrás do FCP com 20 (com mais 3 penaltys do que nós) e a 7 golos do SCP (também com mais 3 penaltys). No capítulo dos golos marcados, curiosamente a entrada de Cardozo no se tornou tão rentável como no capítulo dos golos sofridos.

Próximo balanço? Final da 1ª volta, quando todos tiverem jogado contra todos.

4 comentários blogger

  1. O Benfica continua a ter dificuldades pois ainda não formou uma equipa tipo,os jogadores que se esperavam ser os indiscutíveis titulares djuricic ainda não acordou do sonho,markovic está perdido entre a direita e o centro do terreno,gaitan é o bom e o mau no mesmo jogo indeciso entre a esquerda e o centro do terreno ola john está como as tulipas no inverno murchas qualquer decisão de de jogada opta pela mais complicada,matic parece voltar à forma de outrora e é o que nos tem valido no meio campo. Na frente as coisas não jan muito bem
    a falta de Cardozo nota-se à distância e qualquer que seja a alternativa nunca tem resultado nem Lima nem Rodrigo será que Mori faz melhor?
    Na defesa Luisão e Garay parecem estar de pedra e cal e de momento não vejo melhor no plantel,nas laterais Silvio é o mesmo que o outro só que com o cabelo mais curto,André Almeida parece estar cada vez mais entrosado na equipa não comete tantas faltas como maxi.
    Resumindo não é um plantel perfeito,as lesões não tem facilitado as coisas,as táticas do treinador também dificultam um pouco à instabilidade ou é 4.4.2 ou é 4.3.1.2 ou 4.4.1.1 ou 4.3.3 fogo decidam-se! Mesmo com isto tudo por organizar e sem favores conseguimos estar em segundo lugar a um ponto dos corruptos.
    Onde estaríamos nós se tudo estivesse perfeito!?

    ResponderEliminar
  2. Muito bom Eagle01 ! Assertivo como sempre!

    Aqueles q criticam o Cardozo realmente nao percebem o quanto importante ele é na nossa dinamica de jogo, e claro garantia de golos! Aqueles que acham que Cardozo devieria ser vendido e rendido por um N.Oliveira ou Ederzito deviam ter juizo....

    ResponderEliminar
  3. Assertivo como quase sempre. Boa análise.

    ResponderEliminar
  4. Continuas q cair na asneira de que a vantagem do Cardozo é prender jogadores. A quantidade de jogo que ele distribui vai contra a tua tese. O SLB defendeu em 433 e atacou em 442 às vezes. O problema foi o jogo fraco do lima e a falta de entrosamento do djuricic no 433.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking