O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


terça-feira, 29 de outubro de 2013

Cair na real...

 ●  Sem comentários  ● 


Portugal, 29 de Outubro de 2013

A derrota do SCP em casa do FCP parece que fez cair a comunicação social lisboeta, RECORD e BOLA, na dura realidade do exagero que patrocinaram, dias a fio, sobre a equipa que tinha ao melhor ataque da Europa, graças aos 8 golos marcados a uma equipa dos distritais, um deles em fora de jogo.
Não me parece que quem tenha caído na real, fosse a equipa do SCP, embora durante a semana, à boleia do tempo de antena que dispuseram, tivéssemos lido e ouvido umas quantas afirmações de “corajosos” jogadores, de que iam a casa do FCP jogar para ganhar.
Descontando o conteúdo “la palissiano” deste tipo de afirmações que fizeram várias manchetes de 1ª página a sul, (não conheço equipas que vão jogar a casa dos adversários para perder, ou para empatar), na realidade os maiores derrotados do jogo de anteontem, foi a enorme legião de painelistas, paineleiros, opinadores profissionais desbocados ou idiotas, que viam neste SCP algo que não podiam ver: um candidato ao título melhor colocado que os outros dois.
É certo que o SCP evoluiu em muitos aspectos, dos quais a organização da sua estrutura de futebol é exemplo evidente. Mas futebolisticamente falando, não fossem uns quantos erros de arbitragem, como o penalty tirado ao Benfica sobre Cardozo, ou o golo em fora de jogo em Olhão, mesmo que pelo meio exista um penalty a favor deles contra o Rio Ave, e este SCP iria jogar a casa do FCP em 3º lugar, não sendo muito entendível que o seu presidente pudesse afirmar que “se não fossem os erros de arbitragem, estávamos em 1º lugar”.
Na inversa temos o Benfica, que continua a ser apreciado por comparação com a perfeição, pela mesma legião de painelistas, paineleiros, opinadores desbocados e outros idiotas. Para a BOLA, “Triunfo justo do Benfica, mesmo que sem grande brilho ainda”, para o RECORD “a águia venceu bem, evitou o sofrimento que tem caracterizado a época e ainda apresentou momentos de alguma exaltação que serviram para pincelar uma exibição que, sem ter sido brilhante, foi serena, segura e consistente”. Para o CM a “coisa” deixou tantas dúvidas que fizeram um inquérito com a pergunta: “Gostou da exibição do Benfica?”.
Se eu perguntar quantas vezes as exibições de FCP e SCP, frente a adversários do calibre do Nacional, mereceram este tipo de avaliação em que a comparação é o “brilhantismo”, seguramente vão-me dizer que sim, que também foram avaliadas com esse grau de exigência. Não é essa a minha opinião...
Na real também devem ter caído os que dentro do Benfica, defenderam a saída de Cardozo após o incidente da final da Taça, em que fomos “espoliados” por um árbitro do Porto, “craque” nas matérias do fora de jogo e da dualidade de critérios na acção disciplinar. De acordo com as teorias reinantes na altura, e que faziam eco na comunicação social (não por acaso), Cardozo, pela idade, por “ser lento” e “desperdiçar” muitos golos, não tinha possibilidade de lutar com Lima e Rodrigo por uma vaga de ponta de lança....
Como já referi bastantes vezes, pela observação sistemática e sistematizada, já que nada sei de futebol teórico, percebe-se que Cardozo tem uma função posicional que prima mais pela componente táctica do que pela velocidade. É um jogador que não precisa de fazer muitos remates para marcar 1 golo e por força do seu jogo posicional é um “pivot” que faz tabelas como as que resultaram no 1º golo, quando não é ele próprio a criar linhas de passe para os médios de ataque, pela fixação de um ou dois defesas na sua zona de movimentação.
Em suma, é fundamental numa máquina de ataque como se pretende que seja a equipa do Benfica e não foi por acaso que as duas primeiras jornadas correram como correram (derrota n Funchal, vitória in extremis contra o Gil Vicente).
Por último, também caíram na real todos aqueles que ao longo dos anos têm colocado tudo que é adjectivo negativo às claques do Benfica, em particular aos No Name Boys, confundindo as atitudes de um numero reduzido de seus elementos que se contam pelos dedos de uma mão, com o comportamento da claque enquanto um todo. É que depois de vermos a forma organizada como a extrema-direita se embrenhou nas claques do SCP e do FCP, é caso para dizermos que as nossas claques ao pé desse tipo de gente são uns “santos”.
Muita gente caiu na real. Mas será que aprenderam alguma coisa? “À suivre”...

0 comentários blogger

Publicar um comentário

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking