O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

A mentira sobre a falta de segurança no Jamor.

Avatar
 ●  5 comentários  ● 

Têm-se repetido os 'recados' por parte de Fernando Gomes e Alexandre Mestre nos últimos tempos sobre a possibilidade de a final da Taça de Portugal não se disputar no Jamor.
As razões invocadas prendem-se em especial com as condições de segurança.
Não podia discordar mais disto.

Para quem conhece mais a fundo o Estádio Nacional e as suas actividades, sabe que nos últimos anos têm sido diversos os eventos aí realizados durante o ano, desde concertos, eventos empresariais, realização de anúncios e até eventos religiosos.
E em muitas dessas ocasiões o Estádio lotou. Não há relato de problemas de segurança.

Quais as virtudes do Estádio Nacional, no que toca à segurança?
Bem, permite ao contrário do que acontece em quase todos os estádios(mesmo os novos) portugueses, a entrada por sectores completamente separados por barreiras naturais das claques e adeptos.

A entrada Sul tem(esquerda na foto) tem uma entrada completamente autónoma, com muito estacionamento e que permite a separação completa dos restantes dos adeptos.

A entrada para a bancada central(com acesso também através dos outros sectores do estádio) faz-se por uma entrada autónoma, com alguns lugares de estacionamento que costuma ser utilizado para Parque VIP, bem como a entrada já referida. 
Dessa forma, todos os espectadores com bilhete para a central têm de entrar pela Praça da Maratona ou pela entrada Sul.

A bancada Norte é a única que não possui entrada autónoma. Todos os espectadores com bilhete para essa zona têm que utilizar as outras entradas do estádio. Mas a fluidez devido à configuração do recinto é mais que suficiente para entrar ou sair.

A entrada que a maioria procura é a da Praça da Maratona.
É a mais ampla, e com o espaço de estacionamento com maior capacidade de todo o complexo do Jamor.

Todos os lugares têm um assento individual, que já é de 2ªgeração, devido ao primeiro bloco de assentos provocar alergias aos utilizadores(deve ter sido comprado para fazer o jeitinho a alguém).

Em termos de controle por parte das autoridades, o Estádio tem um posto onde se controlam as câmaras de vigilância, bem como oferece grande visibilidade para todo o recinto.

Olhando à maioria dos estádios em Portugal, encontram-se muito poucos com as acessibilidades e fluidez de evacuação que o Estádio Nacional e a zona do Jamor oferece.
Em especial os clubes mais pequenos, que recebem uma ou duas vezes por ano enchentes, têm os seus recintos situados no meio de cidades ou vilas, não assegurando qualquer fluidez na evacuação de pessoas em caso de emergência.


Quais as principais deficiências do Estádio Nacional?

A falta de investimento na manutenção do piso provoca que aqui e ali existam alguns pequenos buracos no caminho para as bancadas. 
É inexistente a sinalização a avisar desses problemas, bem como não existem zonas preparadas especificamente para espectadores com problemas/impossibilidade de locomoção.

Embora muitos apontem a mata que circunda o estádio como um problema de segurança, na realidade está tudo vedado e com um pequeno efectivo de homens toda a vigilância dessas zonas pode ser efectuada.

Falta também um sistema de entradas mais eficiente que os torniquetes antiquados que permanecem no Estádio Nacional. Isso permitiria que o processo de revista dos adeptos fosse mais célere e principalmente eficiente.

A falta de cobertura não me parece que seja um problema para a final da Taça.

A lotação do Estádio, cerca de 37.000 lugares, não oferece problemas para que as forças de segurança não estejam já preparadas para enfrentar, por formação.
O Estádio Nacional é um recinto que pode e deve ser melhorado, sem qualquer dúvida. 
As deficiências que apontei podem ser reparadas em muito pouco tempo e a baixo custo.

Como é sabido, a FPF não tem problemas de tesouraria que a impeçam de realizar de forma imediata estas reparações, que trarão desde já uma melhoria substancial nas condições oferecidas aos espectadores. 

O que impede então Fernando Gomes de tomar estas medidas? O que impediu Gilberto Madaíl de fazer o mesmo?
De onde têm vindo as únicas vozes que sempre têm atacado a realização da final da Taça de Portugal no Estádio Nacional?

Sempre do mesmo sítio. FC Porto. Em nome do ódio que Pinto da Costa e Pedroto resolveram semear em Portugal desde que tomaram conta do clube azul.
Ódio contra Lisboa, contra o Sul, contra tudo que não sirva os seus interesses. 
Eu acrescento: ódio contra o fair-play, contra a verdade desportiva, contra a sã convivência entre rivais, como seria o ideal.

Fernando Gomes, com o seu jeitinho de bom menino que não faz mal a ninguém, com uma vozinha quase de menina, continua a demonstrar claramente a quem serve. 

5 comentários blogger

  1. Num post lá para trás, manifestei a minha duvida sobre a realização da final da taça no EN, caso o Benfica fosse finalista.

    Pelos vistos confirmam-se as minhas duvidas.

    É que a questão da segurança do EN tinha sido levantada em pequena noticia atirada sem alarido para um cantinho da imprensa, e agora vem em parangonas.

    Decerto que os sempre atentos, desta vez falharam na antevisão. Talvez por culpa do JJ e do LFV.

    xico caçador

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente não é assunto novo, nós já tivemos de jogar nas antas!
    Esperemos que nao se concretize este disparate, e que todos os agentes envolvidos se insurjam contra. E todos nós também!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi a vitória mais saborosa de toda a história, que obtivemos contra os corruptos.

      O Padre das Antas a ameaçar que não comparecia a essa missa...não comparecia...não comparecia no Estádio de Oeiras...não vinha nem morto ao estádio de Oeiras... (não se lembrou de dizer Estadio da Cruz Quebrada que era mais correcto) a coisa foi resolvida indo lá às ANTAS (que foi inaugurado numa data festiva do Estado Novo)

      GOLAÇO DE CARLOS MANUEL resolveu o peido que o peidoso-mor e corrupto, tinha entalado nos neurónios...

      Eliminar
  3. Grande, enormíssimo post. Boa análise, boa argumentação, sem extremismos.

    Muitos parabéns,
    Calantrão

    ResponderEliminar

  4. Só o clube corrupto não gosta do EN e por isso espero que sejam travados os instintos do corrupto -mor e seus apendices.

    O Estádio do Algarve esgotava sempre com a final da Taça da Liga coisa que ultimamente não tem acontecido em Coimbra e no futuro acontecer em maior proporção com a TP se estes esbirros levarem a deles avante porque pelos vistos são mais importantes os caprichos inconfessáveis de alguns mafiosos do que a rentabilidade e a tradição destes eventos desportivos.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking