Alex Sandro foi comprado a clube onde nunca jogou
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Alex Sandro foi comprado a clube onde nunca jogou

 ●  + 4 comentários  ● 
A transferência de Alex Sandro do Uruguai para o Porto é um negócio "fantasma", como lhe chama o ministro do Desporto do Brasil. O atleta foi comprado a um clube do Uruguai que nunca representou. Juventus e Roma também contrataram jogadores nas mesmas condições, de acordo com um artigo da agência Bloomberg.

O brasileiro Alex Sandro foi contratado pelo Porto ao uruguaio Clube Deportivo Maldonado, pelo qual nunca vestiu a camisola, de acordo com uma investigação da agência Bloomberg.

Não é caso único. A Juventus e a Roma também têm nos seus plantéis atletas oriundos daquele emblema sul-americano. Quando chegou ao Porto, Hulk também vinha de um clube uruguaio que nunca representou.

A transferência de Alex Sandro de um clube uruguaio para o Porto é um dos negócios “fantasmas” que a agência de informação Bloomberg ontem noticiou. Quem lhes chamou assim foi o ministro brasileiro dos Desporto, Aldo Rebelo.

No caso especifico de Alex Sandro, a compra foi feita pelo Futebol Clube do Porto ao Clube Deportivo Maldonado, da segunda divisão do campeonato do Uruguai, mediante o pagamento de 9,6 milhões de euros, como apontava o comunicado enviado pela SAD portista à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a 23 de Julho de 2011. A questão é que Sandro não jogava naquele clube. Os direitos do seu passe é que pertenciam àquele emblema do Uruguai. O atleta vestia a camisola do Santos.

Além de Alex Sandro, Marcelo Estigarribia foi emprestado à Juventus por 500 mil euros, enquanto Ivan Piris passou para o AS Roma por 700 mil euros. Todos vindos do Maldonado, todos sem nunca terem jogado uma partida pelo colectivo uruguaio, segundo a agência de informação. Os seus direitos é que estavam no clube. Nenhuma equipa quis comentar o assunto à Bloomberg, excepto o Roma, que afirmou que não considerava "significativo" que os direitos estivessem na posse do Maldonado.

Até ao momento, ainda não foi possível entrar em contacto com o responsável pela comunicação do Futebol Clube do Porto.

FIFA não comenta casos específicos

Ao todo, Juventus, Roma e Porto pagaram 11,1 milhões de euros para comprarem jogadores do Club Deportivo Maldonado, de acordo com o artigo da agência noticiosa.

A Bloomberg refere que, segundo os próprios cálculos, o valor das transferências de jogadores com os direitos na posse de clubes uruguaios que passam para clubes europeus ascende a, pelo menos, 70 milhões de dólares (53,4 milhões de euros) desde 2000.

Os clubes sul-americanos e outros investidores ligados aos direitos associados aos passes dos jogadores colocam os registos dos jogadores em clubes uruguaios, de modo a reduzir o imposto a pagar sobre essas transacções (a Bloomberg refere, com base em informações do advogado Rodrigo Garcia, que a redução pode será para uma taxa de 5% face a uma de 20%).

Contactado pelo Negócios, o departamento de comunicação da FIFA, órgão de futebol internacional, não quis comentar por não falar "especificamente" de nenhum caso que "pode ou pode não estar sob investigação". A FIFA tem um sistema (o FIFA Transfer Matching System) que tenta identificar se há a influência de um terceiro interveniente numa transferência (além do clube e do jogador e seus representantes). Uma investigação é iniciada quando esse órgão considera que pode ter havido uma terceira influência.

A investigação a Hulk

Este não é a primeira vez em que estes negócios são noticiados. Também segundo uma investigação da Bloomberg, Hulk foi contratado pelo Porto ao uruguaio Clube Atlético Rentistas, sem que nunca tivesse jogado por ele. Nesta investigação, os jogadores envolvidos eram os agenciados por Juan Figer.

Hulk jogava pelo Tokyo Verdy antes de ir para o Porto. Mas a compra do passe foi ao Rentistas, clube pelo qual nunca jogou.

O negócio, defenderam os intervenientes, é legal, mas, nessa altura, a FIFA anunciou que iria abrir uma investigação para avaliar quaisquer ilegalidades.

4 comentários blogger

  1. Foi pena não se ter comentado a astronómica compra do guarda redes ROBERTO.

    ResponderEliminar
  2. isso infelizmente é prática corrente em especial em países onde não há grandes obrigações de reporte e os espertos aproveitam para fazer as suas maningâncias ...

    ResponderEliminar
  3. O que eu não percebo é onde está a "notícia"?! É que está bem explícito no comunicado à CMVM a quem foi adquirido o passe.

    ResponderEliminar
  4. E estes casos nunca são analisados porque? No futebol, como na política, pode-se fazer tudo de ilegal, que ninguém vai preso

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares