Campeonato da fraude - T18 parte III
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


quinta-feira, 3 de maio de 2012

Campeonato da fraude - T18 parte III

 ●  + 15 comentários  ● 

Portugal, 3 de Maio de 2012

Indubitavelmente o aumento do sucesso futebolístico do FCP está associado à transferência da organização dos campeonatos para a Liga de Clubes, e a concentração dos interesses em torno da arbitragem, num único clube beneficiário: o FCP.

A arbitragem é a explicação para o sucesso do FCP e insucesso do Benfica (e SCP também), embora uma larga maioria de adeptos discorde sem perceber que em nenhum clube do mundo há um treinador que seja perfeito e não cometa erros. E sem perceber que falar de treinadores e jogadores no Benfica é uma boa estratégia da comunicação social para não se falar dos erros de arbitragem que valem pontos. Critério diferente quando acontecem a FCP e SCP.

Erros de árbitros sempre existiram e irão existir. Não é destes erros associados à limitação humana ou contingência dos lances, que estou a falar. Estamos a falar dos erros direccionados de acordo com uma lógica. Uma lógica de poder: favorecer quem manda, prejudicar quem pode disputar o sucesso de quem manda. Favorecer o FCP. Prejudicar o Benfica. E isto pode ser feito de muitas maneiras, no próprio jogo, e em muitos patamares distintos, envolvendo interesses de outras equipas.

Alguém se lembra da última vez que o FCP sofreu um golo em fora de jogo? Alguém se lembra da última vez que um jogador do FCP fez 2 faltas e foi expulso com 2 cartões amarelos? Alguém se lembra da última vez que o Benfica marcou 1 golo em fora de jogo de metro ao FCP? E no Benfica ?

O controlo da arbitragem foi um objectivo de sempre da estratégia de Pinto da Costa e José Maria Pedroto. Consta-se que Pedroto esteve para assinar pelo SCP de João Rocha e foi travado por uma exigência de última hora: exigiu dinheiro para comprar árbitros. Na altura o presidente do FCP não alinhava com Pedroto e Pinto da Costa estava “exilado” em Guimarães como Director Desportivo...

Passando à frente deste período que levou o FCP ao controlo da organização das provas, a Liga de Clubes, a prova que eles levam isto a sério foi quando Manuel Damásio, como presidente (figura decorativa) da Liga de Clubes, introduziu o sorteio dos árbitros para terminar com as suspeitas. Ora que fez de imediato Guilherme Aguiar, como Director Executivo da Liga? Um regulamento de sorteio que acabou por matar o sorteio ao fim de 2 ou 3 épocas, já que as regras eram tantas e restritivas, que em muitos jogos acabava por existir apenas 1 árbitro para ser sorteado. E voltou-se às nomeações. Tinham ganho outra vez...

Mas não foi só isto. Tudo isto (sorteio ou nomeações) era tão bem feito que Paulo Paraty arbitrou os 4 últimos jogos que o Chaves fez com o Benfica em sua casa: 2 por sorteio e 2 por nomeação! (e lembro-me bem como vencemos lá 1-0 em 1995 terminando o jogo com 9). Já na Luz pelo menos os últimos 2 jogos foram arbitrados por João Mesquita, curiosamente também árbitro da AF Porto! 

Nada disto acontecia por acaso assim como quando Laureano Gonçalves se demitiu da presidência da Comissão de Arbitragem, as gentes da AF Porto ficaram em relativo alvoroço, como deram conta no JN. Diziam eles que “não queriam perder o que tinha dado tanto trabalho a alcançar”.
 
Assim enquanto as gentes de Lisboa se afundavam na teoria dos “erros próprios”, mudando de treinadores, de jogadores e até de Presidentes, as gentes do Porto burilavam o seu sistema de controlo da arbitragem até roçar um nível de perfeição. Como na actualidade!

Hoje o FCP controla por via directa ou indirecta, todo o aparelho que começa no presidente da Comissão de Arbitragem, os seus 2 vogais, o gabinete de apoio técnico, os observadores dos árbitros. O controlo é quase TOTAL...

Este controlo permite que se criem circuitos de procedimentos entre todos estes “agentes”, de modo a que as leis de jogo sejam “re-interpretadas” conforme os interesses a proteger. Assim surgem as regras do “manual de arbitragem” que tanto tenho referido, que não sendo um documento escrito e de distribuição (não deixar provas é uma táctica defensiva), mas que vemos em praticamente todos os jogos e que se baseiam na dualidade de critérios...

15 comentários blogger

  1. Uma primeira nota para corrigir, o que também já fiz nos 2 textos anteriores, o mandato da Liga na organização dos campeonatos. São 18 anos e não 17. O FCP venceu 13 e não 12. Tinha-me esquecido de incluir o 1º ano

    ResponderEliminar
  2. Cabe-nos então a nós Benfiquistas agir de outra forma, não? Aparecer ocasionalmente o presidente, o treinador ou qualquer outra figura não basta, eles continuam a reinar como querem, são pequenos beliscões apenas em toda esta estrutura.
    Duvido que o nosso clube tome uma real posiçao de força como seria não comparecer num jogo ou abandonar o campo no momento em que é escandalosamente prejudicado. Podemos nós contestar sem parar, fazer marchas de protesto, escolher o preto para faixas e cartazes denunciantes. Ou apelo mesmo a quem foi tão expedito a pintar a nossa catedral e estádios alheios que o faça na liga, na federação, nas casas dos árbitros.
    Preferia não pensar que este sistema podre só "abanaria" se em vez de uns dentes partidos a acção fosse mais grave!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que devemos utilizar a cabeça e ser menos sentimentais quando se tratar de reagir. Eu não defendo manifestações de rua, boicotes, etc. Defendo a criação de um movimento de adeptos, com estrutura juridica, que possa chamar a si algum protagonismo mediático, passando a palavra e a mensagem que em dado momento for util ao Benfica e aos benfiquistas. Devemos utilizar a comunicação social da mesma forma que eles fazem para branquear esta porcaria toda que vamos vendo ano após ano ...

      Eliminar
  3. e enquanto este sistema continuar só mesmo super equipas do Benfica é que vão ganhar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É minha convicção que nem Mourinho conseguiria ganhar aqui. Porque há sempre um "mas" que impede. E ainda não relacionei os erros direccionados de arbitragem com a comunicação social. Esta mistura ainda torna mais poderoso o efeito da dualidade da arbitragem, pois branqueia nuns casos, pressiona noutros. Um escândalo de incoerência por vezes ...

      Eliminar
  4. Este Post diz tudo... Podemos mudar de treinador, ter os melhores jogadores do mundo, que os Vitós e os Vilas Boas nos vão continuar a ganhar campeonatos... Jesus errou sim na gestão que não fez do plantel e na teimosia sobre Emerson, mas não tenhamos memória curta, um treinador como Jesus no Benfica já há muito que não se via... Até Mourinho perderia o Campeonato para o Vitó...SLB até Morrer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Básicamente estamos de acordo. E não foi pelo Emerson que empatamos em Vila do Conde, ou que sofremos 1 penalty em Alvalade. Mas curiosamente foi com Emerson que fizemos a melhor Champions dos ultimos não sei quantos anos. Se a arbitragem em Portugal fosse decente, ganhavamos o titulo e ninguém falava do Emerson ...

      Eliminar
  5. Temos de correr com LFV do Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro, vai ser dificil dada a situação financeira que ele e os que assaltaram pela via democrática esta nobre e respeitável instituição que é o nosso SLB, programaram. Programaram para prolongar o mais tempo possível a sua estada à frente do Benfica, para manter esta estado de submissão aos poderes que económicamente e desportivamente mandam no futebol português.

      Eliminar
  6. com o devido respeito esta tese nao tem pés nem cabeça... entao todas as acçoes contra o porco(condenaçao 6 pts pelo apito dourado, providencia para a uefa para nao participar na champions, condenaçao do hulk + sapunaru,etc) foram todas da iniciativa da liga e depois revogadas na FEDERAÇAO! estas a ver mal o problema que está nas instªâncias superiores...

    Carrega benfica,
    filipe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Liga pontualmente tem dirigentes que o FCP não conseguiu evitar (não sei explicar porquê, mas repçara que conseguiram eleger Vitor Pereira com este Herminio, ou seja, não tinham os lugares todos, mas tinham o da Arbitragem, pois VP está controlado como já aqui expliquei antes). Porque razão apareceu Herminio com Ricardo Costa na CD da Liga? Estes 3 anos deram 2 titulos ao FCP e 1 ao Benfica. que falhou com Quique Flores e Camacho.

      Ora foi Ricardo Costa quem castigou os jogadores do FCP, mas curiosamente tirou 6 pontos ao FCP numa época em que o FCP entrou a ganhar 8 seguidas. Com o devido respeito pelo Ricardo Costa, achei estranho.

      Hoje a FPF é dominada pelo FCP, já que as Associaçoes perderam votos, e a Liga ganhou votos. Aumentou a influência do BES e do Joaquim, perderam alguma, as Associações.

      Eliminar
  7. Bom post este; e incontestavelmente verdadeiro. Até que enfim que alguém apresenta uma analise com toda a lucidez sobre as verdadeiras causas do sucesso de um clube torcionário e o insucesso de outro que apenas pretende a verdade. E não venham com subterfúgios de outra ordem porque o motivo é apenas esse que foi aqui apontado. O resto só ganharia razão de ser se este não existisse.

    ResponderEliminar
  8. Retirado do excelente blogue Vedeta da Bola:

    "Não são os únicos lances que penalizaram os encarnados ao longo da época. Basta recordarmos o penálti de Braga, os golos mal anulados a Cardozo ainda na primeira volta (Paços e Olhanense), o penálti de Jorge Sousa a favor do Nacional, ou o golo fora-de-jogo de Maicon na Luz.

    21 penáltis por assinalar (17 DOS QUAIS A PARTIR DO MOMENTO EM QUE O BENFICA SE VIU COM A VANTAGEM DE 5 PONTOS) constituem, porém, um número demasiado grave para ser ignorado.

    Outro dado curioso é que o Benfica sofreu, neste Campeonato, tantos golos de penálti como aqueles que marcou (quatro), o que não deixa de ser estranho para um candidato ao título, para mais reconhecido pelo seu futebol bastante ofensivo".


    As provas são mais do que muitas e só não vê quem não quer ver. Como os árbitros corruptos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quanto a penaltys estamos assim: FCP 9 a favor e 3 contra, Benfica 7 a favor e 4 contra, SCP 9 a favor e 2 contra. A diferença é que o Benfica teve penaltys a favor em 5 jogos, o FCP em 8 jogos e o SCP em 9 jogos! Isto faz muita diferença como se percebe.

      Os penaltys são apenas um indicador mais ou menos objectivo, porque têm grande probabilidade de originar golo. Mas há mais: os foras de jogo (o FCP não sofre golos de fora de jogo e no ataque raramente é penalizado com foras de jogo mal assinalados, uns 4 a 6 por época, tantos como o Benfica em meia dúzia de jogos), já o Benfica sofre e até sofre no jogo do titulo que deu 3 pontos ao adversário que foi campeão. E ainda há as faltas. Se reparem bem, normalmente quando cai um jogador do FCP é assinalada falta. Critério diferente quando é o jogador do FCP a fazer falta, que nem sempre se assinalada, ou quando é o Benfica onde como vimos em Vila do CONde até dentro da área podem ser atropelados pois não há falta (seria penalty)

      Eliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários.
Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.
Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado.
Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares