O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


21 de dezembro de 2011

A Espada de Dâmocles

 ●  6 comentários  ● 
Os tempos são de austeridade e os clubes não lhe estão imunes. Filipe Vieira, numas das suas últimas intervenções, já aludiu à necessidade de refrear os investimentos, chamando a atenção para o caráter decisivo dos próximos tempos para o futuro do clube.

O investimento maciço em infra-estruturas associado ao investimento desportivo que se tem verificado, mais a desvantagem nos apoios públicos relativamente aos principais rivais e também o afastamento regular da Liga dos campeões, conduziram ao sobreendividamento do Benfica, traduzindo-se numa desvantagem desportiva face à principal concorrência.

Apesar de, nas contas consolidadas, o balanço apresentar o ativo superior ao passivo, tal não basta para nos sossegar. É necessário analisar em detalhe cada um dos items e, sobretudo, consultar os correspondentes anexos, para perceber qual a saúde financeira do Grupo Benfica.

As contas estão disponíveis no site do clube numa peça de, apenas, 212 páginas. É necessário arregaçar as mangas e dar corda aos neurónios, para levar a cabo tal tarefa.

Aos que dizem que o Benfica não é uma mercearia - falarei mais tarde sobre este tema -, respondo que, sem “o faz-me rir” não há pédibol! A não ser que regressemos ao futebol amador ou semi-amador, que, quanto a mim, é o inevitável destino de boa parte dos clubes da primeira e segunda ligas, graças às UEFAS, FIFAS e UE.

O caso é que, os custos financeiros - juros mais despesas correspondentes - dos clubes estão “a disparar” para níveis incomportáveis atingindo na época 2010/2011 os valores de 18,5ME, 7,4ME e 7,7ME, respectivamente para o Benfica, Porto e Sporting, representando, face à época anterior aumentos de, respectivamente, 58,9%, 37,2% e 135%. No primeiro trimestre desta época 2011/2012 o conjunto das três SAD registou um aumento de custos de 22,8%! (CM 12/12/2011). Acresce que, mercê da conjuntura, os bancos têm pouca liquidez disponível e o crédito é escassíssimo.

Os maiores encargos financeiros do Benfica traduzem-se numa desvantagem competitiva importante; mais cerca de 11 ME para os principais rivais! Portanto, menor poder de investimento desportivo, ajudando-nos a perceber as múltiplas ultrapassagens na contratação de atletas, pelos Dirigentes Portistas.

Reduzir, no curto prazo, os custos financeiros, sem prejuízo da competitividade desportiva, constitui, iniludivelmente, o grande desafio da gestão do nosso clube. É necessário comprar cada vez melhor, falhar menos nas aquisições, formar e promover melhor os atletas da nossa formação e reduzir custos, bem como maximizar as receitas, assumindo extrema importância a renegociação dos direitos desportivos do clube.

E é aqui que “temos levado na corneta”; a construção das nossas magníficas infra-estruturas exige maior esforço do nosso clube, devido, essencialmente, ao relativamente menor apoio público verificado. Por outro lado, o quadro competitivo da Liga dos Campeões, associado às tendências históricas do desempenho da generalidade dos Árbitros em benefício de um dos contendores, tem agravado a desvantagem competitiva do nosso Benfica, regularmente afastado desta prova e assim privado da valorização que proporciona aos atletas participantes, bem como das correspondentes receitas extraordinárias.

Face a este quadro, ninguém, mas mesmo ninguém, poderá escamotear os habituais erros grosseiros dos Árbitros, que definem campeões, branqueando o seu desempenho, na estafada justificação do erro humano e estúpida e prepotente ocultação da verdade a pretexto da não desacreditação do futebol. Sem dó nem piedade; Árbitro incompetente; rua com ele.

Por tudo isto, não posso deixar de achar graça à alegada intenção de Platini e da UEFA em analisar a aquisição dos passes dos jogadores pelos fundos de investimento, com o fim, dizem eles - não se riam por favor - de assegurar o fair-play! Á pano encharcado!

Um abraço a todos

6 comentários blogger

  1. Diz-se no texto: Agora é preciso "reduzir, no curto prazo, os custos financeiros".
    Afinal quando LFV vem repetidamente falar dos novos tempos difíceis, não é só por causa da crise. Os tempos são mais difíceis para o Benfica devido ao elevado nível de endividamento atinjido, comparativamente aos seus rivais, enquanto era ultrapassado em número de títulos.
    Estamos então numa situação muito semelhante à do país. Fecharam-nos a torneira, é preciso austeridade. E não haverá culpados?

    ResponderEliminar
  2. Qual é a base para afirmar que os apoios públicos ao Benfica são menores do que os atribuídos a Porto e Sporting?

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde...tenho uma duvida que não se refere directamente ao tema do post.

    Antes do upgrade para esta nova imagem do nosso site do SLBenfica, existia um documento onde falava, entre outros, de provas de como não poderiamos ser associados ao Clube do Regime, já procurei isso e não encontro. Podem ajudar?

    Cumprimentos
    Henrique Meneses

    ResponderEliminar
  4. Excelente (para variar). Mas apenas aplaudo o trabalho de levantamento da situação, por mim já denunciada há meses atrás (e que provocou alguma urticária num conjunto de adeptos que são mais vieiristas do que benfiquistas), do que algumas das suas conclusões. Que respeito, mas de que discordo.

    A SAD do Benfica tem empréstimos bancários de 160 milhões de euros, num conjunto de 240 milhões que o Consolidado Benfica deve. É pois evidente que a maior fatia da divida é respeitante ao futebol. E porque atingiu estes valores "astronómicos"?

    Porque o Benfica é comandado pelos interesses externos ao clube, por mais que o Sr.º Vieira diga que o clube é que manda na SAD. O que de acordo com a composição accionista é verdade. Mas quem manda no clube é o Sr.º Vieira e quem manda no Sr.º Vieira são os bancos. O BES é a génese do Grupo Empresarial, toda a "engenharia" financeira foi determinada a partir de critérios bancários e aos adeptos fica resumido o papel de pagar quotas e merchindising, fazendo de conta que até mandamos alguma coisa através do clube.

    Portanto quando assistimos à RUINOSA gestão futebolistica levada a cabo por Vilarinho, Vieira e seus apaniguados, uns mais liricos, outros mais convictos do que nunca se deram ao trabalho de saber, temos aí a explicação para a monstruosa divida que acumulamos e que nos obriga a pagar os 18 milhões de JUROS por ano.

    A explicação é relativamente simples e baseia-se no circulo virtuoso que Vilarinho defendeu na sua campanha eleitoral. Já lá vão 11 anos: tendo melhores equipas, temos melhor futebol, tendo melhor futebol, temos mais adeptos no estádio e a comprar produtos do clube, etc, tendo mais ligação consumidor/equipa de futebol, temos mais fundo de maneio para continuar a alimentar a equipa de futebol.

    Uma das razões que utilizamos para a Providência Cautelar na qual tentamos impugnar a construção do novo estádio, foi que as verbas deslocadas pagar os custos de construção do estádio, custos que eram superiores aos que a propaganda anunciava, eram necessárias para manter o futebol num elevado patamar de competitividade. Também alegamos violação estatutária, o que de facto ACONTECEU, mas acabamos por perder como se sabe.

    Chamo este exemplo para mostrar que muita gente há mais de 10 anos pensou na debácle que agora se verifica. O Benfica enterrou milhões e milhões em futebol, ganhou 2 títulos (se fosse o Vale e Azevedo era só negociatas e fraudes, assim está tudo bem, o BES empresta), e falhou como nós sabiamos que iria falhar.

    Porquê? porque a questão de ganhar títulos nunca foi de qualidade de praticantes, mas sim de igualdade de regras de competição. E essas iriam continuar a ser diferentes para o clube das riscas verticais. Mas os teóricos acharam que investindo em grandissimos jogadores, davamos a volta a isto. Desconhecendo que um bom jogador, através de uma campanha adequada de imprensa, pode passar a ser um "mau" jogador. E que batendo nos jogadores se pode continuar a não discutir, na comunicação social, a qualidade da arbitragem.

    Para ajudar à festa, se o presidente do Benfica assistir impávido e sereno à roubalheira, limitando-se a coçar o bigode e a pedir mais empenho aos jogadores, tanto melhor. Para eles que mandam no clube ...

    ResponderEliminar
  5. @ Bird. Vai a http://tinyurl.com/7jynvup, tens lá o que precisas. O PDF oficial do clube podes encontrá-lo no website oficial do clube ou em http://tinyurl.com/7cgdu6k.

    ResponderEliminar
  6. Obrigado pelos comentários.

    Responderei globalmente numa crónica que farei no desenvolvimento deste tema continuado, e muito bem, pelo Bolandas.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB.

ranking