Marítimo: um "case study" (Mais uma pergunta)
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Marítimo: um "case study" (Mais uma pergunta)

 ●  + 7 comentários  ● 
Carlos Pereira, presidente dos insulares, "botou faladura" de novo, acusando o FCP de desestabilização. Desta vez os alvos são Pedro Martins, o treinador e Baba, o melhor marcador. Há uns tempos havia sido Danilo. Na temporada passada, Djalma e Kléber. Nesta guerra de palavras, o Marítimo tem-se assumido uma força de oposição ao poder "andrupto", ao mesmo tempo que tem batalhado na frente madeirense, com o Nacional (vide o caso dos bilhetes para o derby). Aliás, o clube de Rui Alves, um aliado do FCP, tem sido um bom amigo, sempre pronto a alfinetar o Benfica. E para mais os nacionalistas com um treinador claramente "system friendly". E no derby? Como será?
Perante esta batalha, como deve o Benfica posicionar-se estrategicamente? Fazer algo ou deixar os maritimistas "à sua sorte"? Quanto a mim, parece-me que é nestes alinhamentos de bastidores que se joga muito do futebol português! Por isso, deverá o Benfica "forçar" alguma coisa na justiça por causa destes assédios ou deve manter-se à margem de tudo?
PS: afinal como está o processo de Maxi? Ontem, bloggers afirmaram que a renovação estava efectivada, mas parece que não! Como estamos?
PS2: Honestamente, creio que o Benfica deveria processar o MaisFutebol só por terem insinuado que Sepsi estaria de volta ao clube!

7 comentários blogger

  1. uM POST RISOTA. MAIS UM.

    Com que então, "deve o Benfica forçar a justiça"

    Esta`é de mestre.

    ....................

    O Benfica tem mais que fazer que desmentir pasquins.

    ResponderEliminar
  2. Penso que é um pouco difícil adoptar uma estratégia da SAD nestas situações, quando sabemos que quem se alia a nós, como pontualmente o Guimarães no caso da corrupção do FCP, a seguir acontecem-lhe coisas "estranhas" e desce de divisão. Além de que acho que a melhor estratégia é manter relações cordiais com todos os clubes, embora com mais insistência nos que assumem algum tipo de animosidade contra o "sistema".

    Há um poder gigantesco no nosso futebol, que não pode nem deve ser ignorado. Passa pelo controlo da arbitragem e passa pelo controlo da mensagem. Um é desempenhado pelos árbitros. Outro pela comunicação social. Um é condicionado pela teia de interesses que o FCP estabeleceu Há anos. Outro é condicionado pelo poder do Sr.º Joaquim. Quem se quiser intrometer nisto sem avaliar bem o campo, está "quilhado".

    Porque os árbitros roubam e a comunicação social branqueia. Ou porque acham que as fortíssimas razões de queixa que o Benfica tem tido das arbitragens, são transformadas pela comunicação social em "mas têm a obrigação de jogar mais"? Porque não vemos esse comportamento quando um desgraçado de um árbitro tem o azar de cometer um erro não previsto, que acaba por ter influência no resultado final de jogos de FCP e SCP?

    Ainda hoje apanhei um adepto do SCP a falar-me do João Ferreira e do golo com a mão do Paços de Ferreira, quando este árbitro ofereceu o ano passado a Supertaça ao FCP (penalty e sanção disciplinar a Sapunaru quando empurrou e pisou Coentrão dentro da área, com 0-1, repetindo depois em rasteira a Coentrão já com 0-2, no fim errou a nosso favor nos cartões amarelos e vermelhos) e foi o mesmo que deu a vitória 3-0 a0 Boavista na 1ª jornada de 2006/2007! Esqueceu de amarelar o Ricardo Nascimento que agarrou Nuno Gomes à entrada da área (RN já tinha um cartão) quando o Boavista ganhava 1-0. NO final do jogo expulsou - mal - o Petit e o Manu. Mas disto os adeptos do SCP não se lembram porque a comunicação social se "esquece" de ir lembrando. Ao contrário do que fazem com esse jogo do SCP-Paços.

    Portanto isto é complicado e deve ser gerido com base n a definição de risco e de probabilidades. Por outro lado, o Benfica tem ao longo dos anos uma tradição de se fechar dentro de si próprio. Acho que na AF Lisboa ninguém nos passa cartucho. Acho que só pagamos as contribuiçoes e mais nada.

    O que interessa no Benfica, e parece haver tradição nisso, é contratar jogadores. Menos nos anos 60 e 70, muitos nos anos 90 década 10 do novo século. Acham que assim se consegue encontrar a fórmula mágica que permite passar por cima dos erros direccionados dos árbitros ... não aprendem ...

    ResponderEliminar
  3. Então qual a alternativa? Sofrer em silêncio? N me parece...

    ResponderEliminar
  4. Maritimo = Case Study ?

    Mas o que é o Benfica tem a ver com as tricas entre o Maritimo e o FCP ?

    Mas por alma de quem, é que o Benfica tem que alinhar com A, B, ou C para se "situar" estratégicamente no futebol tuga, quando sabemos que os esquemas passam inevitávelmente por gabinetes e corredores inacessíveis à maioria daqueles que mandam postas de pescada,sendo certo que a maioria delas não tem qualquer suporte credível!

    Study-case meu caro, é algo completamente diferente do que nos pretendeste impingir com os
    últimos sound bites !

    ResponderEliminar
  5. Uma palavrinha aos comentadores que só dizem palavrões e atacam os comentadores: se não gostam do que aqui se escreve façam o favor de fechar a página no vosso browser em vez de mostrarem o vosso nível de educação e civismo na maneira como tratam outros benfiquistas.

    ResponderEliminar
  6. Quem tem imaginação, mas não tem cultura, possui asas, mas não tem pés.

    J.Joubert

    ResponderEliminar
  7. funny, very funny!

    acusam o pinto da costa de corrupto... mas entretanto há um, digamos, interesse em alguma tomada de posição (entenda-se, mexer uns cordelinhos), no que toca a assuntos que nada tem a ver com o slb?

    mas então, em que ficamos?

    não eram os benfiquistas abominadores de tudo o que for corrupção e tráfico de influências? não são a "verdade desportiva"?

    tá certo...


    João Pedro

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking