Contratações para a próxima época, Finanças e Fair-play financeiro
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Contratações para a próxima época, Finanças e Fair-play financeiro

 ●  + 11 comentários  ● 
Depois de ler os últimos posts pelo Soubenfica tenho que dizer que discordo absolutamente dele no que concerne á contratação de jogadores a custo zero. Na minha opinião, essas contratações são úteis quando integradas numa política de gestão do plantel bem delineada. Obviamente, que não espero que todos os jogadores contratados a custo zero tenham sucesso mas o Benfica, apesar de tudo é dos clubes com mais sucesso na contratação de jogadores a custo baixo sendo David Luiz, Yebda, Ruben Amorim alguns exemplos disso.


As contratações de nomes sonantes, a haverem terão que ser feitas antes do ínicio do próximo campeonato por várias razões ao contrário das de custo zero que têm que ser feitas por antecipação á concorrência:
1 - Apenas após se garantir dinheiro para essas contratações;
2 - Após a saída de jogadores importantes da equipa titular. Na minha opinião, no final da época saírão dois destes 3 jogadores: David Luiz, Coentrão e Cardozo;
3 - De modo a galvanizar os adeptos para uma nova época com nomes novos de qualidade.
4 - Jogadores de qualidade só serão negociáveis no final da época, após os campeonatos pararem e nenhum clube estiver a lutar por objectivos.

Como tal, acho injusto a crítica á Direcção pela contratação destes jogadores. Acho que estas contratações demonstram um planeamento adiantado da próxima época por parte da estrutura técnica do clube. O que é um óptimo sinal de que já houve uma reorganização interna após o descalabro causado pela soberba e arrogância nesta última pré-temporada.

Acho que é de elogiar que dos nomes mencionados pela comunicação social (sendo alguns dados como garantidos), tenham todos várias características que acho que faltaram nas contratações feitas a época passada:
1 - São TODOS jogadores que jogam na Europa (Nolito, Nuno Coelho, Wass, Wendt, Taiwo);
2 - Apesar de jovens, são todos jogadores com alguns anos de experiência de futebol sénior e não com uma ou no máximo duas épocas (Nolito, Nuno Coelho, Wass, Wendt, Taiwo);
3 - São todos jogadores com experiência de jogo em clubes grandes e com massa adepta exigente nos respectivos países (Barcelona, Brondby - grande da Dinamarca, FC Copenhaga, Marselha e FC Porto na formação no caso de Nuno Coelho);
4 - São jogadores com experiência internacional, nas competições europeias (casos de Taiwo ou Wendt na CL e Liga Europa) ou nas selecções jovens ou principais dos respectivos países (Nolito, Nuno Coelho e Wass).

Como tal, estas contratações a custo zero parecem-me ser contratações diferentes dos "refugos" habituais neste género de contratações pois são jogadores formados e/ou habituados a jogar em clubes de elite e competições internacionais. Acho que os nomes de Nuno Coelho, Nolito, Wass, Taiwo (tenho preferência por este) ou Wendt são contratações boas.
Contudo, o Benfica precisará sempre de garantir um ou dois nomes sonantes na pré-temporada para assegurar um plantel equilibrado (que precisará de mais dois ou três jogadores de qualidade excepcional).
Mas a mim parece-me que se voltou á política de contratações implementada por Rui Costa na época de Quique e na 1ª temporada de Jesus.


Agora, uma questão que se coloca é porque é que se nota uma mudança tão radical na política de gestão do plantel do Benfica da temporada passada para esta?

Existem várias razões, sendo uma das principais de ordem financeira.

Ao contrário do que é divulgado o Benfica não está pujante a nível financeiro. Não só por má gestão mas pela própria conjuntura actual que tem um impacto nas taxas de juro e consequentemente no que o Benfica tem que pagar aos bancos. Segundo o relatório de contas consolidado da SAD, esta tem empréstimos no valor de 220 milhões de euros e os juros dessas originam um pagamento elevado de juros. Ainda para mais 52 milhões dos empréstimos vencem até Junho de 2011!

Tendo em conta esta situação é óbvio que não se podem repetir loucuras como investir 8,5 milhões de euros num guarda-redes e que inevitavelmente irão sair no final da época pelo menos dois destes jogadores da equipa titular por terem o maior valor de mercado: Coentrão, David Luiz e Cardozo.
E obviamente, que se precisa de avançar para contratações a custo zero!!

Outra das razões é que as novas regras de fair-play financeiro da UEFA entram em vigor em 2013/2014 mas as contas dos clubes na próxima temporada já terão impacto na avaliação que a UEFA vai fazer de quem participa nas competições europeias.
Os valores das transferências irão inevitavelmente descer após a implementação destas regras e será necessário fazer negócios de venda antes de estas regras entrarem em vigor. 

A mim parece-me que tudo isto está a ser altamente ponderado pela estrutura do clube e estas mudanças implicam uma ruptura com o passado que terá um impacto imenso no futebol europeu! É uma oportunidade de ouro para o Benfica quebrar o domínio dos Corruptos que dependem imenso das receitas de transferências milionárias mas para isso será necessário que seja seguida uma política de contratações criteriosa.

A escolha criteriosa de jogadores promissores a preço baixo (como estas contratações a custo zero que são de elogiar) e a promoção dos jovens valores no clube (Urreta, Roderick, Nélson Oliveira, Miguel Vítor, Airton, Kardec, etc) serão conjugadas com a venda de pelo menos duas das pérolas do plantel.

No entanto, os meus elogios a estas contratações estão condicionados pelos jogadores que chegarão na pré-temporada de 11/12. Será essencial evitar cometer os erros desta última pré-temporada e saindo jogadores importantes da equipa titular será necessário assegurar jogadores de igual qualidade para a equipa ao contrário do que se fez nesta última pré-época em que as saídas não compensadas de Ramires e Di Maria foram cruciais para o desequilíbrio no ínicio do campeonato!

11 comentários blogger

  1. muito bom post, Vermelhusco.
    Por hora acho que a direcção poderá ter percebido que esta correria aos sul americanos tem que acabar. é um mercado como qualquer outro, não é o unico.

    apenas um reparo, indicas que isto demonstra atencipação face à proxima temporada. Bom... mais ou menos, o Jara também era uma antecipação e foi o que se viu. O Gaitan também era para preparar a saida do DiMaria e está à vista que não é ali que ele mais rende.

    Como dizes e muito bem, em termos de qualidade e estratégia, veremos...

    Quanto à questão as "origens" destas decisões, parece-me CLARAMENTE, que o problema não são as regras da UEFA, mas sim as dos bancos quando ligam a dizer "SEM DINHEIRO NÃO HÁ PALHAÇOS"

    ResponderEliminar
  2. Da´ter dito que uma das principais razões era de ordem financeira.

    Quanto á comparação destas (possíveis) contratações com as de Jara e Gaitán acho que estes nomes têm vantagens óbvias: conhecem o futebol europeu e não precisam de tempo de adaptação a ele e têm experiência internacional europeia além de não custarem dinheiro.

    O gaitán e o Jara têm outras vantagens e o primeiro parece-me já adaptado.

    ResponderEliminar
  3. Também sou levado a entender que a campanha do Clube para os 300.000 sócios tenha a ver com essa baixa nas verbas das vendas.
    Com esse número de sócios e com os direitos televisivos mais bem pagos, ficávamos com fontes de receita que a porkalhada e a submissagem não teria de maneira nenhuma.
    Restava-lhes ROUBAR nas arbitragens todas as épocas para irem à champions, como aliás tem feito até aqui.
    Se calhar os extras com fruta e chocolate, viagens etc é que tinha que ser do "lidel" e "low cost".

    ResponderEliminar
  4. lawrence, não te admires que receita televisiva dos corruptos seja muito próxima á do Benfica.

    ResponderEliminar
  5. Um grande guarda-redes que chegou ao Benfica a custo zero: Enke!

    ResponderEliminar
  6. Uma boa estratégia será mesmo as aquisições a custo zero e o investimento na descoberta de novos craques, quem sabe nacionais. Aqui voltamos à questão das camadas jovens e acho que não devem ser esquecidas, mas devemos olhar para outros jogadores que despontam no nosso campeonato a preços reduzidos. É preferível gastar 1M euros num jogador da Liga Sagres do que dar 4,5 e 6Milhoes por um Sul Americano que não vem fazer melhor e vai ser emprestado para se adaptar e posteriormente vendido!

    Quanto a jogadores já experenciados a nível europeu, penso ser a melhor estratégia.

    A questão dos sócios e transmissões, concordo plenamente com essa estratégia. Nessa vertente conseguimos demonstrar a nossa grandeza aos corruptos e submissos e acreditem, é ai que eles se sentem doentes, invejosos e frustrados. O Benfica sem negociatas sujas consegue fontes de rendimento limpas, devido ao grande clube que é!

    Cumprimentos,
    Rederx

    ResponderEliminar
  7. MEOs
    Olhem que os custos ZEROS estão caríssimos, então para o nosso Clube estão pela hora da morte, olhem o Balboa...lembram-se de um tal de THOMAS? aquele que jogava num raio de 15 metros? Também foi a custo zero.

    Embirro com os custos zeros....porque são sempre muitos à esquerda do cifrão.

    ResponderEliminar
  8. O Gaitan e o Jara são aquisições em que se pretendeu implementar o modelo "Di Maria", adquirir um jogador que ao fim de 2 anos possa trazer um bom retorno financeiro.
    O Gaitan pode vir a tornar-se uma mais valia, para a equipa e financeiro. Enquanto que o Jara precisa de jogar.

    Mas esse modelo apenas traz mais-valias a longo prazo. Para a equipa é sempre necessário fazer também aquisições que se reconheça logo o seu valor (o que não foi feito a época passada).

    Para adquirir jogadores que entrem logo no onze, ou se paga 8.5M€ por um jogador e é indiscutível que ele terá de jogar.
    Ou se faz uma aposta em jogadores sem valor credenciado, mas com potencial e experiencia.

    Este tipo de jogadores poderia ser feito a nível nacional (mas todos torcem o nariz a jogadores que jogam em clubes medianos). Enquanto que se trouxer um jogador estrangeiro será sempre dado algum crédito pelos adeptos.

    E precisamos de ir ao mercado, porque não temos sabido apostar na formação (ou não temos grandes jogadores em Portugal), prova disso é que temos vários jogadores que potencialmente podem entrar para o plantel principal, mas nenhum acaba por singrar no Benfica, ficando pelas equipas medianas (Tiago Gomes, José Soares, João Baião, Hélio Roque, ….)

    ResponderEliminar
  9. Redmoon, e lembras-te como saiu não lembras?

    ResponderEliminar
  10. Viriato o Balboa e um grande zero, mas nao veio a custo zero. Custou 4 milhoes de euros. Ainda se mencionasses o Zoro...

    ResponderEliminar
  11. Caríssimo Vermelhusco,

    Embora não participe activamente, não posso deixar de dizer que andas inspirado. Concordo a 1000% com os teus últimos posts, e principalmente com este.

    Foi uma lufada de ar fresco este post. Os meus PARABÉNS e obrigado!

    Ricardo Gomes

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários.
Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.
Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado.
Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares