O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


Considera que Rui Vitória deve mudar de modelo táctico?

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

As idiossincrasias de um benfiquista

Avatar
 ●  + 34 comentários  ● 
O ano passado foi duro. Para mim foi duro e desgastante. Sofri como nunca tinha sofrido com os jogos de futebol do Benfica. Nem no auge do domínio corrupto azul eu sofri tanto como na época passada. Os picos de ansiedade e stress foram tais que sentia palpitações e tinha medo de me dar qualquer coisinha má. “Que estupidez” pensava eu na altura. “É só um jogo!” e “Isto não pode ser!” eram frases que repetia dentro de mim constantemente. Mas felizmente, ou infelizmente, a paixão pelo clube e pelo futebol é irracional. Incontrolável. Nunca me apelidei de “doente da bola”, ou fanático do Benfica, mas tive que admitir que aquilo eram reações mais próprias dessa condição.
Assim, no início desta época, dei por mim a pensar e a analisar as razões para tão grande stress:
1. Seria dos ataques constantes do Sporting? Sim, fazia sentido que fosse isso. Mas depois recordei os anos da fruta e pensei: “Mas os de lá de cima passaram anos a fio a destilar ódio contra o Benfica e inclusivamente contra Lisboa, e eu não me senti assim…”. Não, não era só isto.
2. Seria da mudança do JJ para o Sporting? Não. Isso de certeza que não era motivo. Eu nunca fui um defensor acérrimo de JJ, e Rui Vitória sempre foi uma das minhas preferências. Escrevi-o aqui no NGB naquele maldito verão em que perdemos tudo e LFV segurou (e bem) o treinador. Gostei da passagem do “mestre da tática” pelo Glorioso, mas estava realmente na hora de sair.
3. Seriam questões pessoais? Talvez fosse isso. A sucessão de alguns problemas de saúde (felizmente nada de grave) tornou-me algo vulnerável a ansiedade e a stress. Sim. Definitivamente isto ajudou.
4. Seria eu que, no meu papel de pai, tentava suprimir o que antes de ter filhos deitava cá para fora com berros e agitação? Agora controlo-me ao máximo e filtro as minhas emoções, com relativo sucesso, para não deixar passar este stress para os putos e acabo por pagar a fatura. Sim. Também faz sentido.
Tudo isto eu considerei e acabei por concluir que não era isto. Ou pelo menos não era só isto.
Tudo o que escrevi foram fatores importantes, mas pensado bem o que é que mudou em relação aos anos anteriores? O Sporting. Poder-me-ão dizer que estou a atribuir demasiada importância aos nossos rivais, mas a questão é precisamente essa. Eles são os nossos rivais. Os outros ganharam como toda a gente sabe, e não lhes atribuo grandes créditos pelas suas conquistas. Mas o Sporting no ano passado, se excluirmos os ataques cerrados fora de campo e nos cingirmos apenas ao que se passa dentro de campo, foi um verdadeiro rival. No entanto, e voltando a incluir tudo o que se passou fora das 4 linhas, foi um rival que se portou mal. Arruaceiro, venenoso, rasteiro e reles.
Num ano em que ambos os clubes batem os seus recordes de pontos no campeonato, e em que tanta coisa mudou nos dois lados, o ressurgimento de um verdadeiro rival mexeu comigo. Mas criou um sentimento misto. A rivalidade dentro de campo com o nosso único verdadeiro rival, coisa positiva, esbarrou com a postura desprezível desse mesmo rival fora de campo. Acho que nunca verdadeiramente sofri como sofri no ano passado. Nem mesmo naquele Benfica-Sporting em que o Luisão voou para tirar a bola ao Ricardo e metê-la lá dentro. Eu assisti a tudo isso na Catedral. Vivi aquele ambiente de euforia naquele dia, mas nem aí a ansiedade atingiu os níveis que atingiu no ano passado. E essa é a prova que não foi apenas por ser “o” rival Sporting. O que me realmente afetou foi um Sporting… reles.
Dei por mim a irritar-me, a ter sentimentos que, cultivados pelo constante bate boca, não são os mais corretos. Aquilo estava a puxar pelo meu ódio. Não podia deixar que isso acontecesse. E vir aqui desabafar também não era solução, pois corria o risco de fazer o que os “comentadeiros” televisivos de todas as cores fazem: responder com ódio ao ódio que recebem. Vai daí, afastei-me. Afastei-me para me proteger. Sim, admito a minha fraqueza. Afastei-me das conversas com sportinguistas, deixei de brincar/picar amigos no Facebook, parei de escrever no NGB. Mas nunca consegui fazê-lo totalmente. O ritual de ver as capas dos desportivos logo pela manhã, e de acompanhar os posts do NGB e restante blogosfera não consegui apagar. É-me impossível afastar da realidade do Benfica. Das notícias, do dia-a-dia.
Li algures na net que: “Idiossincrasia é uma característica de comportamento peculiar de um indivíduo ou de determinado grupo. O termo tem vários sentidos, variando de acordo com o contexto em que é empregado, sendo também possível ser aplicado para símbolos que significam algo para uma pessoa em particular.
A idiossincrasia é responsável pela criação de estereótipos no caso dos grupos sociais. Por exemplo, dizer que todos os brasileiros gostam de futebol e samba, como uma característica particular do povo, é uma idiossincrasia dos brasileiros. No entanto, existem brasileiros que não gostam de futebol ou samba e não deixam de ser considerados brasileiros por isso.”
Será que tudo o que senti é só “meu”, ou haverá quem se identifique com este texto?

PS: Ficam aqui as minhas desculpas ao Shadows, que me convidou para aqui escrever há já alguns anos, por não ter cumprido com o que ele me pediu. Tive para lhe dizer em privado tudo isto que escrevi, mas preferi transformar isto em post para perceber quantos benfiquistas há como eu… :)

34 comentários blogger

  1. Grande Ricardo! És benfiquista e esta casa também é tua! Escreves quando queres e te apetece. Grande abraço.

    ResponderEliminar
  2. Concordo que também deixei de discutir com a maioria dos sportinguistas, estão tão cegos com o BdC como qualquer fanático religioso (não confundir com extremista), mesmo aqui é esmorecedor que adeptos como o Shadows só venham escrever mal do que se faz na Luz e não reconheçam te se tem feito um óptimo trabalho, e os resultados têm-no provado.
    Acho especialmente ofensivo ler frases como "o professor de ginástica" ou "falta fio de jogo" ou Jonas e Pizzi não jogam nada depois dos resultados alcançados.
    Todos nós gostávamos de ganhar sempre, a jogar bonito e com o melhor plantel do mundo, depois existe a realidade e na realidade o Benfica passa de 68 no ranking uefa para 8 em 15 anos, tudo isto com o pior presidente de sempre. Haja paciência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que é engraçado ver agora é que muitos desses sportinguistas estão a abrir os olhos e têm agora a postura de alguma vergonha. Inclusivamente deixaram de comentar futebol comigo...

      Eliminar
  3. Podia ter sido eu a escrever este texto, e acho que isso responde á tua pergunta :D Saudações Benfiquistas

    ResponderEliminar
  4. Caro Ricardo, um texto sobre mim não seria muito diferente.
    Saudações benfiquistas,
    CP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelos comentários, já vi que somos alguns a sentir o mesmo... :)

      Eliminar
  5. Texto para ler e meditar. Pontos nos 'iis', descrição objectiva e certeira sem deixar nada por dizer.
    Todavia, para além desses méritos (o que já não é pouco), fica a elevação em que chamando as 'coisas' pelos nomes não é acintoso, o que devendo ser normal faz, infelizmente, parte de uma escassa minoria.
    É este o meu sentimento Ricardo. Espero agora que o faças regularmente.

    ResponderEliminar
  6. Também me revejo em vários aspectos ai =) Grande Abraço

    ResponderEliminar
  7. Sem margem de dúvida que me identifico!!! Foi a imagem do que vivi o ano passado.

    Este ano infelizmente já me está a causar náuseas só de ver o Apito Dourado 2.0, a levar um FCP táo fraquinho lá para cima. Tão pequenino faz-me lembrar a imagem dum miúdo a ser puxado pelas orelhas,e levantado, fica com os pés a dar a dar...

    Tenho pena do que está a acontecer este ano. Foi por isso que nas décadas de 90 e 00 deixei de ver futebol, isto revoltava-me tanto que me dava vontade de ir fazer uma espera ao palhaço do apito e dar-lhe uns mimos. Este ano já senti isso com o animal que apitou o jogo com o Boavista em casa com aquele sorriso de gozo...

    Enfim o ano passado foi dos títulos que celebrei mais. Espero que este ano não seja mais um para o manual das arbitragens corruptas, "como fabricar um campeão em Portugal".

    Bom fim-de-semana. Saudações Gloriosas!

    Paulo P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Paulo.
      Faltou-me escrever uma coisa que mencionaste: "o ano passado foi dos títulos que celebrei mais."
      Saudações Gloriosas! :)

      Eliminar
  8. Clap Clap Clap.
    Grande Post e revi-me no sentimento pelo MAIOR e por algo q começei a criar pelos personagens do lagarto(n confundir com o sporting) q qs beiravam ao ódio. Mas tb parei a tempo e deixei q apenas o meu amor ao Benfica me elevasse.
    E bora ao tetra?

    ResponderEliminar
  9. Parabéns pelos pensamentos aqui revelados, os quais partilho. O problema é que, para quem tem grandes amigos no outro lado da trincheira, mais tarde ou mais cedo a questão da idiossincrasia vai acabar por prejudicar a qualidade da relação, especialmente se há quem demonstre o seu anti-benfiquismo primário. Aí, é difícil segurar o coração. Pois, para o verdadeiro benfiquista.. Benfica é Vida e é Amor. Ser do Benfica é como ser de uma religião ou apoiar um líder mundial. Aliás, é mais do que isso. O Benfica é divino e é eterno. Nem mais nem menos. Quem é contra o Benfica é contra a Luz e o Bem. Benfica sempre. E PLURIBUS UNUM *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Dr Brüegel!
      Quanto aos anti-benfiquistas... é deixá-los a viver no seu mundo de inveja.

      Eliminar
  10. "Será que tudo o que senti é só “meu”, ou haverá quem se identifique com este texto?"

    Amigo basta olhar para as assistencias na Luz!

    As vezes que eu disse aqui que o ano passado era o campeonato mais importante na historia do Benfica. As vezes que eu agradeci aos labregos do Brunocas e ao Jorgeco pelas bocazitas reles e constantes.

    O Brunocas coitado de inteligente não tem nada, o idiota inventa que o Sporting tem 150 mil socios, pq o Benfica na cabeça dele tambem inventa, mas o Benfica está no livro do recordes do Guiness! o numero de socios do Benfica foram comprovados por terceiros! O idiota inventa que são 3.5 milhoes, pq na cabeça dele o BEnfica tambem inventa, quando os famosos 14 milhoes não foi ninguem do Benfica que o disse, foi um estudo de terceiros, o INE, a secretaria do Estado das comunidades e Voxpop! O idiota não percebe isto, o idiota fala em militância, porque na cabeça dele o Benfiquistas são militantes, nem depois de ver o que aconteceu o ano passado o idiota percebeu, transformar adeptos em militantes e meter-se como o Benfica não é boa politica.


    Quanto a falar de futebol com sportinguistas lol Só se for com o Vitor Espadinha, o resto não vale a pena, só se quiseres ficar mal disposto.

    #carregabruno
    #taquietomadeira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Só se for com o Vitor Espadinha" lol
      O homem deu-lhe forte e feio.

      Eliminar
  11. Bom post Ricardo.

    Na minha modesta opinião, esta questão não tem tanto a ver com Benfiquistas, ou tipos de Benfiquistas, mas mais com o ser-se civilizado e não um fanático. Muitos adeptos de outros clubes, incluindo Sportinguistas, sentem desconforto e são críticos da estratégia do presidente do SCP.

    No que toca à "guerra" a minha dúvida enquanto Benfiquista é mais existencial: não sei se publicamente deva exprimir os meus verdadeiros sentimentos, ou se deva ser apoiante de BdC no Sporting para o Benfica continuar a tirar dividendos disso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Mfd!
      Deixa lá o BdC. O tempo encarregar-se-á de dar-lhe o que merece. Assim como aos de lá de cima...

      Eliminar
  12. excelente texto. os meus parabéns. cada um sente o clube como quer.
    No Benfica o importante é o Benfica.
    Carrega Benfica, rumo ao 36, isto é o tetracampeonato.

    ResponderEliminar
  13. Ricardo o post que eu gostaria de ter escrito um dia embora me falte capacidade para tal,o que descreveste e precisamente aquilo que senti no campeonato passado ao ponto de dizer meu Deus sei que nao te metes nestas coisas mas gostava tanto que o Benfica fosse campeao este ano nao sou de vingancas os motivos ja o sabes porque tanto anceio ganhar este campeonato depois deste, descanso vou relaxar porque a idd ja nao vai dando para tanta emocao mas esqueci-me dum pormonor nunca ganhamos o tetra e ando tao ancioso ou mais que o ano passado ja agora meu Deus e so mais este please mas estou vendo as coisas tortas o corrupto mor voltou em grande forma e nao vai deixar mas um homem de fe como eu nao desiste da sua fe facilmente carrega Benfica e so mais este a partir dai podem ser intervalados tanto faz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Frank!
      Vamos esperar que as coisas corram bem até ao fim...

      Eliminar
  14. Também me revejo nesse post!

    ResponderEliminar
  15. Belo post, não me revejo a 100% mas identifico-me em grande parte.

    ResponderEliminar
  16. Excelente post, Ricardo!

    O ano passado também foi muito especial para mim. Quando comecei a ver futebol e me tornei benfiquista, o nosso rival ainda era o Sporting - sim, já tenho mais de 40 anos rsss. Era o tempo do Bento, Humberto Coelho, Shéu, Carlos Manuel, Chalana, Dimantino e Nené, do nosso lado, e do Damas, Manuel Fernandes e Jordão, do lado deles. Belos tempos...

    Depois, nas décadas de longa noite medieval que se seguiram, em que foi forjada a falsa grandeza de um pequeno clube regional e provinciano, obcecado com a capital, sempre desejei o regresso da ordem natural das coisas, com os dois grandes da capital e do país a disputarem o título.

    Por isso, soube-me muito bem o ano passado voltar a disputar o título com eles! Até porque, sendo eles o buraco negro trágico-cómico que são, o mais certo era os habituais tiros no pé e o inevitável falhanço na hora decisiva (derby em Alvade) ;)

    Claro que depois, houve nuances que tornaram esta narrativa mais confusa e ambivalente: tantos anos a desejar que o Fruta Corrupção Pancadaria fosse substituído pelo nosso rival de Lisboa, e agora que finalmente isso acontecia, o nosso rival de Lisboa comportava-se como o Fruta Corrupção Pancadaria!?!...

    Também a minha descrença no RV e a fúria com o nosso futebol indigente e as várias humilhações que sofremos, na primeira metade da época, e consequente baixar das minhas expectativas, contribuíram para tornar a narrativa da época passada tão complexa e especial, quando depois começámos a jogar melhor e a ganhar pontos à lagartagem...

    Enfim, foi um ano inesquecível, que agora invoco com particular nostalgia, dado tudo ter voltado ao normal das últimas 3 décadas: estamos a disputar o título com o Fruta Corrupção Pancadaria, a época lagarta acabou no Natal e o Apito Desesperado está em altas...

    ResponderEliminar

Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.
Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado.

recentes

ranking

Em Defesa do Benfica