O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


11 de abril de 2014

Aposta em grande em atletas da formação

Avatar
 ●  21 comentários  ● 
Talvez vá surpreender algumas pessoas, mas na verdade não prefiro a integração de nenhum "miúdo" da equipa B na próxima época... Porque vão estagnar nesse formato.

Ou seja, para lançar jovens valores, é preciso "fazer-lhes a cama" ao invés de querer que eles a saibam fazer desde o momento zero. Contudo, no Benfica de Jesus não há espaço para quem não sabe fazer (ainda) a cama... E quando isso acontece vemos o homem aos gritos e impropérios, irritado com tudo e todos.

Para Jesus só pode jogar quem o pode fazer sempre em alto rendimento. 

Mas um jovem de 17, 18, 19 ou mesmo 20 anos não tem ainda a estrutura mental e até física para que isso aconteça. Além disso, não podem jogar "sobre brasas" a olhar por cima do ombro sempre que erram - e vão errar mais do que gostaríamos e que eles próprios gostariam.

Quer isto dizer que Jesus é mau treinador? Claro que não... Apenas que o seu foco é o máximo rendimento sempre é em todos os jogos - independentemente dos objectivos em jogo, da marcha do marcador, etc.

Para lançar jogadores da formação é preciso ter um plano para eles, é preciso prioritizar o trabalho neles em alguns momentos, tem que se seleccionar dois/três não mais de cada vez, é preciso sacrificar algumas vezes a perfeição em favor do incentivo aos miúdos e das oportunidades, é preciso levá-los para o banco não apenas para os últimos 4 min mas para os lançar sem medos logo que estejamos a ganhar por dois ou mais na segunda parte, etc...

... Nada disto é compatível com o tipo de trabalho que tem vindo a ser feito por Jesus - com os resultados desportivos (apesar de tudo) positivos que estão à vista.

Portanto, se queremos realmente apostar nestes miúdos e ao mesmo tempo continuar a exigir "este Benfica" de alto rendimento... Só vejo uma via:

Estabelecer uma parceria com "os clubes de Liga Europa" em Portugal como o Braga, Marítimo, Guimarães, Estoril e Nacional... É meter todos os anos dois/três miúdos a rodar nesses clubes, mas deixando que sejam os clubes a seleccionar quem querem de modo a que sejam eles a assumir que os querem em proveito próprio mas para jogarem com regularidade e com isso continuarem a crescer e a um ritmo competitivo.

Talvez seja essa a solução para o Bernardo Silva, Fábio Cardoso, João Cancelo, João Teixeira, Ivan Cavaleiro e Hélder Costa numa primeira "leva" que abrirá espaço na B para a subida dos magníficos que vimos hoje a evoluir em Nyon e a dizimar o Real Madrid.

Mas isto não poderia ser feito "em cima do joelho" teria que ser um trabalho de relação desportiva com esses clubes, não numa óptica de favorecimento ou de "caldinho" mas sim numa perspectiva de ganho mútuo desportivo - o clube tem o jogador e nos temos o desenvolvimento do atleta com vista a uma possível integração futura.

O que acham?

- Máximo Rendimento?
Ou
- Desenvolvimento de atletas em competição?

21 comentários blogger

  1. "Para Jesus só pode jogar quem o pode fazer sempre em alto rendimento. " - Não é só para Jorge Jesus. Para mim também é assim. Têm de jogar os melhores e no Benfica não há tempo para meter crianças a jogar que não estão preparadas para a alta competição. Se um jovem da formação do Benfica jogar no Benfica terá que ter qualidade para tal. É para isso que existe uma equipa B onde podem jogar com regularidade e crescer para serem mais tarde hipótese para a equipa principal.

    "Mas um jovem de 17, 18, 19 ou mesmo 20 anos não tem ainda a estrutura mental e até física para que isso aconteça. Além disso, não podem jogar "sobre brasas" a olhar por cima do ombro sempre que erram - e vão errar mais do que gostaríamos e que eles próprios gostariam." - Alguns têm essa capacidade, basta olhar para Markovic por exemplo. A questão é que a maioria não tem.

    Alguns poderão ser emprestados, outros irão ser colocados como o Luís Martins, outros continuarão na B na próxima época e talvez 1 ou 2 passem para a equipa principal.

    Em relação à pergunta final, respondo claramente máximo rendimento. É que nem há outra hipótese. Se um jogador de 19 anos tiver qualidade e capacidade jogará. Basta olhar para Markovic ou Rodrigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quantos anos tem o Markovic de 1ª divisão?

      Eliminar
    2. 1ª divisão de quê??? Sérvia???

      A nossa 2ª Liga dá 10-0 á 1ª divisão sérvia.

      Eliminar
    3. O que ia para dizer o Gandaia já disse.

      Eliminar
  2. Creio que uma vez que o Benfica passe a ganhar troféus com mais regularidade essa aposta já irá ser feita. O próprio Jorge Jesus não arrisca tanto como quereríamos porque, se correr mal e perdermos um jogo, irá ser crucificado pelos que foram contra a sua manutenção.

    No momento em que ganhar competições for um hábito essa aposta será feita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então vai ter que esperar muito, porque os putos terão de nascer no mínimo umas 10 vezes... Não, por falta de qualidade mas, por lacunas da estrutura e da planificação do Clube. Eu acredito que temos putos made in seixal capazes de entrarem para uma equipa B made in Benfica de muita qualidade e capazes de crescerem juntos ao ponto de entrarem para a equipa A sempre que necessário atendendo uma planificação competente e efectiva. Repito, temos jogadores de muito talento que se forem potenciados de forma competente e limarem as pequenas arestas, teremos jogadores para equipa principal em curto médio prazo. Reconheço que como não dão comissões e ainda há aquele tabu/mito de que os santos da casa não fazem milagres mas, eu acredito e sei que se forem bem trabalhados vão provar precisamente o contrário e provar o seu valor... De referir que sou contra os empréstimos não planificados e para os clubes que estão ao serviço do sistema principalmente pq não apostam e acabam por desaparecer com eles, ou noutros casos são transformados noutra coisa...

      Benvas dos Santos

      Eliminar
  3. Nestes escalões um ano de diferença é decisivo. E embora dois jogadores possam jogar na mesma equipe e escalão não se podem comparar se não tiverem a mesma idade. Dou como exemplo o Bernardo Silva. No promeiro ano de junior era um jogador banal. Acho mesmo que esteve para ser dispensado. No segundo ano, com mais traquejo nos juniores, "explodiu" e agora é o jogador que todos conhecem. Isto acontece também na equipa B. Ruben Pinto é outro exemplo. Era um jogador que prometia muito nos juniores. Na equipa B não tem confirmado o que prometia e com 22 anos é tempo de dar lugar aos mais novos e ser dispensado para poder seguir carreira noutro clube.
    Nascidos em 1992 e 1993 integrava na equipa A o Oblak, o Ivan Cavaleiro e o Lolo (acho um grande potencial a este jogador). Emprestava o o Bruno Gaspar e o João Amorim. Dispensava todos os outros.
    A equipa B da proxima época teria jogadores nascidos em 1994 e 1995 (os mais velhos da actual e espectacular equipa de juniores).
    Varela, Miguel Santos e Thierry Graça como guarda-redes.
    J.Cancelo,Rudinilson,Fabio Cardoso,Lindelof,Pedro Rebocho,João Nunes,Rafael Ramos, Alexandre Alfaiate,Rony Santos como defesas.
    João Teixeira,Bernardo Silva,Derlis,Raphael Guzzo,Valdomiro (Estrela), Diogo Rocha (Rochinha),Filipe Nascimento e Pawel Dawidowicz como médios.
    Helder Costa, João Gomes, Nuno Santos, Matheus Santos como avançados.
    Hildeberto Pereira,Gonçalo Guedes, Romário Baldé,nascidos em 1996 alternariam entre os juniores e a "B".
    É obvio que se houver uma boa gestão todos estes jogadores deveriam ter acesso à equipa A (e jogarem) para se irem acostumando a novas exigências.
    Não sou adepto nem penso ser possivel essa parceria com os clubes nacionais, até porque há o velho problema da utilização (ou não) desses jogadores nos jogos contra quem empresta.
    Mas sou a favor de uma parceria com clubes estrangeiros. Nelson, Pizzi, Lisandro entre outros são um exemplo. Porque não fazer uma parceria com esse tipo de clubes? Até seria bom para os jogadores obrigados a se adaptarem a novas responsabilidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei do trabalho de investigação e de teres justificado o teu raciocínio...

      Eliminar
  4. Gostei da ideia no seu aspecto geral!

    Creio que o que defendes é os juniores devem subir à equipa B, após um ou dois anos nesta (depende da evolução) devem ser emprestados a clubes da 1ª liga!

    Uns serão emprestados a clubes que lutam pela manutenção, outros a clubes que lutem pela Europa. Aqui defendes que deveria haver parceria com 1, 2, 3 clubes! Concordo mas isso não é fácil de acontecer na actual situação. A maioria dos clubes (os seus presidentes) são submissos aos corruptos!

    Penso que seria melhor termos 1,2,3 treinadores que gostassem de fazer evoluir os nossos jogadores, ao mesmo tempo que esses jogadores os ajudam a obter os sues objectivos classificativos!
    Veja-se o exemplo de Couceiro e o sporting! Estão-se a ajudar mutuamente!

    Infelizmente, até nos treinadores, estamos mal, visto a maioria ser constituída por ex-jogadores dos corruptos! Talvez o Rui Vitória pudesse escolher 1,2 jogadores do Benfica. Houve uma altura em que todos os anos ele tinha jogadores do glorioso ao seu serviço, o ultimo foi o Urreta já no Guimarães, mas nas 2 últimas épocas não quis ninguém! Não sei se foi sua opção ou se do clube! Também é verdade que à excepção do Urreta, todos os jogadores que pediu emprestados ao glorioso já tinham trabalhado consigo anteriormente.

    ResponderEliminar
  5. Equipas portuguesas nao acrescentam valor futebolistico. Benfica B ou equipas de topo da segunda divisao espanhola ou inglesa. Equipas de futebol positivo.

    ResponderEliminar
  6. Também assim penso, mas é um caso complicado. Mesmo emprestar jogadores, tem de ser muito bem analisada a filosofia de jogo e de objectivo da equipa para onde o jogador vai jogar, com que colegas ele vai evoluir e se tem valor para ser titular, porque se não tiver valor imediato para o ser, também vai jogar pouco..
    Talvez a melhor solução seja a equipa principal tentar resolver alguns jogos o mais rápido possível para depois se poder incorporar um destes jogadores através de substituições, mas isto é muito incerto porque nunca se sabe quando e em que jogos se pode fazer. Também se podem aproveitar os jogos das taças da liga e de Portugal, mas isso já é um trabalho que tem vindo a ser feito.

    ResponderEliminar
  7. Emprestar em Portugal é complicado.

    Se jogarem bem contra o Benfica e o Benfica não ganhar por um golo marcado por um deles, ou um corte que nega golo, etc., vai haver adeptos que nunca mais lhes perdoam.
    Se jogarem mal, se falharem um golo de baliza aberta, vão ser enxovalhados nos jornais, sempre apontados como o jogador que falhou contra o clube que o emprestou.
    se não jogarem é o Benfica que é bandido e não deixa os emprestados jogar.

    Vai dar sempre barraca.


    A solução para mim passará mais por empréstimos a clubes estrangeiros (não foi assim com o Rodrigo?), com três ressalvas:

    1) Trabalho de acompanhamento por parte do Benfica (não se pode mandar jogadores de 18-19 anos para longe e eles sentirem-se sozinhos e perdidos)=> Evitar a situação do Nelson Oliveira que num ano inteiro na Corunha nem uma chamada telefónica recebeu;

    2) Colocar uma cláusula no contrato de cedência que obrigue o clube que recebe os jogadores a coloca-los a jogar no mínimo 45 minutos em 10 jogos. Evitar a situação do Hugo Vieira que quase nem calçava no Sp.Gijon.

    3) Mandar os jogadores no mínimo aos pares. Além de se desenvolverem individualmente acabam por se entrosar com um possível futuro colega de equipa.

    ResponderEliminar
  8. Júlio César - O imperador da Luz12 abril, 2014 01:14

    Não concordo nada mais uma vez com o Benfica By Gb

    Vejamos o exemplo do Barcelona.É dos clubes mais fortes do Mundo , tem uma das melhores equipas da Europa e aposta todos os anos em "putos" da cantera e não é por isso que deixa de ganhar , muito pelo contrário.O que tem de existir é um acompanhamento dos jovens e trabalho específico (físico e mental) para que eles quando chamados estejam preparados para a 1ª divisão.O que se faz no Benfica é o oposto disto.Faz-se apostas esporádicas e lança-se o jogador aos "cães" passe a expressão sem antes se ter feito o trabalho de casa.Falta a tal estrutura que deve acompanhar os jovens formados no clube e dar-lhe as condições necessárias para triunfar e isso meus amigos não se faz nem nunca se fez desde que LFV entrou no clube.É muito bonito colocar o Ivan e o André Gomes na equipa principal , lançando-os às feras sem qualquer tipo de enturage por trás apoiar o jogador.Como nunca fazemos isso o que aconteceu , o jogador vai-se perdendo.É o caso destes dois.André Gomes nunca será craque.A falta da estrutura não lhe ensinou que não basta ter bons pés e que no futebol moderno um jogador que não tenha intensidade é comido e passa à história em três tempos e é o que aconteceu com André Gomes , é um jogador sem intensidade e um a menos quando joga.Quando é titular é sempre ou quase sempre o pior do Benfica por essa falta de intensidade.Ivan Cavaleiro é outro que a continuar sem acompanhamento específico vai desaparecer , a não ser que vá para outro clube e esse clube faça o devido acompanhamento.O Nélson Oliveira é outro caso desta falta de acompanhamento.Muitos atributos , mas não existiu ninguém que o acompanhasse devidamente.O que está acontecer está a passar ao lado de uma grande carreira.E quem fala destes fala de muitos outros jogadores que passaram no Benfica.Um jovem de 18 , 19 , 20 anos , a ganhar bem , a pensar que tem o mundo a seus pés se não tiver um acompanhamento específico de uma estrutura que o prepare para o futebol profissional , vai ser mais um que faz dois , 3 jogos bons e depois nunca mais se ouve falar dele.

    Olhem para os bons exemplos lá fora como , Barcelona , Bayerm de Munique ( muito da equipa que ganhou a CL foi feita nas escolas do Bayerm ) , Kroos é um desses exemplos , mas o que aconteceu foi que teve sempre um estrutura a acompanha-lo.Os nossos jogadores são emprestados e dizem que nem um telefonema recebem.A isto chama-se incompetência a gerir activos , neste caso activos humanos.

    Estes "putos" que ganharam agora se não tiveram um acompanhamento quase de certeza que não vão passar de promessas.

    Olhem po City.Clube que tem uma quantidade de vedetas , clube que é bem capaz de ganhar este ano o campeonato e mesmo assim mete putos a jogar , tais como o nosso Lopes que saí das nossas escolas para a deles.

    em entrevista o nosso Marco Lopes disse que a maior diferença entre o City e o Benfica é que no City os jogadores tinham programas individualizados para chegar à equipa principal.Que eram feitos planos para eles colmatarem as deficiências que apresentavam e adquirir os requisitos minimos para terem uma chance na equipa principal.Cm esses requisitos básicos depois se tivessem talento singrariam com muita mais facilidade.O Benfica faz isso com os seus jovens.NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOO.Deixa-os entregas a si próprios , logo a maioria deles eclipa-se.Pensem nisto sff

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É claro que para apostarem nos putos tem que haver uma planificação, que objectivo claro trabalhar os jogadores cada um e potenciar para chegar a profissional no sentido de adquirirem e desenvolverem as valências que os enquadrem dentro do padrão de jogadores para as posições específicas dentro das ambições do clube. Temos tido muita lacuna no futebol de cima a baixo no que tange ao jogo coletivo em si, no sentido de ter a posse, assumir as despesas do jogo com sustentação e equilíbrio sem entrar em loucuras(suicídios) e para isso além das noções táticas há pequenos pormenores que simplesmente são descurados, esquecidos ou simplesmente desvalorizados. Para que as nossas equipas tenham posse de bola efectiva é fundamental alem da ocupação dos espaços e boa movimentação nelas em função delas ou de sua criação, há ainda alguns pormenores como; a rapidez do controle e domínio da bola que permite ganhar segurança no próximo passe, tratamento da bola sempre redondinha o mais coladinha ao chão e aos pés, sua cobertura sabendo escondê-la do adversário inviabilizado interceptações ou roubos de bola. Trabalhar bem as recepções e subsequente controle o mais rápido possível e passar bem. Trabalhar a capacidade e qualidade de passe com apenas 1, 2 toques em espaços reduzidos para ter posse com qualidade nessas condições quando impostas pelos adversários. O equilíbrio com a bola e sem ela para conseguir as repentinas mudanças de velocidade e de direcção com e sem bola sempre equilibrados e dispostos a retroceder ou recuperar rapidamente sem ter que ir ao chão como acontece muito em todos os níveis do nosso futebol. Trabalhar bem os gestos ténicos de remates e de passes longos de forma a que a bola não ganhe velocidade e tb a sua recepção e controle com o intuito de ganhar sempre metros ao adversário. A rapidez com a bola coladinha aos pés com variações de direcções ou não ou mesmo de pés para manter a bola fora do alcance do oponente são pormenores que devem ser trabalhados bem sedo para que isso entre no DNA dos putos, bem como a sua capacidade de resposta em remate à primeira para finalizar jogadas de laboratório ou situações corriqueiras. Hoje em dia o futebol é treinado quase como o atletismo, onde é identificado as lacunas durante a fase de formação e não só e são trabalhadas pormenorizadamente para corrigir os pontos fracos e assim poder ter melhor disponibilidade do jogador executar os melhores gestos técnicos e passar de um mero bom jogador para um fora de série.

      Eliminar
    2. Cont.
      Hoje há treinos para tudo, desde condução de bola em suas diferentes variações, recepções das mais diversas em diferentes situações, com o peito e com os pés, treino de força para arrancar, mudar de velocidade, de direcção etc, desenvolvimento do sprinte, desenvolvimento da elevação para cabeceamentos, desenvolver a capacidade de bater os adversários nas desmarcações, velocidade com bola, remate na passada, remate fora de área com a força e precisão, equilíbrio nas movimentações com e sem bola, qualidade de passes de longo e curto alcance, cruzamentos após jogadas individuais, movimentações para fugir a marcação, trabalhar jogadas de bolas limpas de finalização, qualidade de finalização cultura de finalização efectiva(saber quando é que deve rematar para o primeiro ou 2º poste em resposta de um cruzamento, como comportar em finalizações de um, dois toques para a direita ou esquerda e tiro para qual lado, quando isolado como finalizar de melhor forma, velocidade e a disponibilidade física para que sobressaia a qualidade técnica individual, isso tudo é trabalhado para estar no DNA pq no momento não tem tempo para pensar e se pensar provavelmente perde o ângulo e talvez a bola, também é fundamental trabalhar bem os cruzamentos como as bolas paradas de forma que não se vêem as bolas para a área como balões facilitando o trabalho dos GR e tb dos defesas mas sem intensidade para remate, saber conhecer as zonas de ataque de cada jogador nesses lances e o que deve fazer os outros que ficam fora da zona da bola para saberem ou disponibilizarem para ganhar segundas bolas, trabalhar culturalmente como fazer em equipa para abrir espaço na equipa adversária quando bem organizada no terreno, como ter dinâmica ofensiva e ter intensidade de jogo com qualidade. São nestes pormenores que países que têm claramente menor recursos de recrutamento conseguem rentabilizar o pouco que têm e estarem ao nível dos com muito mais matéria prima de qualidade. Olha por exemplo o Thierry é muito bom entre os postes mas, se trabalhado bem a elevação e o bloqueio de bolas aéreas reconhecendo melhor as trajectórias e antecipar segurando nas alturas e assim evoluir nas saídas, ele se transformará num GR muito mais completo e um potencial profissional...Muitas características devem ser definidas bem jovens mas outras devem ser trabalhadas sistematicamente até no sector profissional para se atingir a excelência e eles é que fazem o colectivo aparecer forte e dele sobressair as individualidade e não o contrário... Eu sei que estamos crescendo na formação e isso é bom mas, temos muito que crescer ainda. Não se dêem por satisfeitos com resultados ou vitórias porque as verdadeiras vitórias da formação além dos títulos são os jogadores de qualidade inegável e o mais completos possíveis que conseguirem projectar para o futebol e principalmente para a sua equipa A e que eles sejam verdadeiras valias...

      Benvas

      Eliminar
  9. Não apostaria em clubes portugueses, pois estão demasiado corrompidos, talvez o único que poderia fazer uma parceria seria o Marítimo, mandava 2/3 jovens para a ilha e deixava-os crescer, de resto arranjava uma parceria com clubes de 1ªdivisão da Suiça, Espanha, França, Inglaterra, como de resto já está a acontecer de uma forma desorganizada,
    A 2ªLiga e a equipa B são já um grande passo evolutivo para o crescimento dos jovens dentro do próprio clube, para manter a organização existente.
    Existem sempre excepções e os jovens com 18/19/20 anos realmente bons deveriam trabalhar imediatamente com a equipa principal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não esquecer Bégica e Alemanha, precisamente em clubes que trabalham bem na potenciação de jovens. Nalguns casos até clubes italianos seriam boa opção...

      Benvas

      Eliminar
  10. Quando os adeptos deixarem de meter pressão desnecessária sobre a equipa, preferindo títulos arrancados a ferros sobre uma evolução lenta mas consistente, a integração desses miúdos será possível. Veja-se o caso do Ivan Cavaleiro. A pressão que foi feita para o meter à força e à pressa na equipa A. E depois acusam o treinador de o lançar aos cães? Em que é que ficamos? Se meterem os cavaleiros desta vida a jogar e isso comprometer os títulos, o que não dirão do treinador e estrutura...

    Não estamos hoje todos orgulhosos dos êxitos dos nossos putos nas diversas camadas, culminando com a vitória por 4-0 sobre o Real Madrid? Acham que isso foi feito do dia para a noite? O que está a ser feito na formação é um trabalho que leva anos. Os putos ainda não estão a chegar à equipa A mas hão de lá chegar.

    Vivemos um momento crucial na vida do clube. Estas duas últimas épocas, os novos valores a aparecerem na ribalta, a BenficaTV, os êxitos nas outras modalidades, os frutos do trabalho desenvolvido estão a aparecer. Os adeptos têm que, também eles, estar preparados mentalmente para dar alguns passos atrás por culpa própria ou por artimanhas de terceiros, para depois dar o dobro para a frente! O final da época passada só criou fantasmas nos mais débeis. Outros, como eu, viram uma época fantástica terminar em desilusão muito por culpa das rasteiras que nos passaram ao longo do ano, com algum azar à mistura e erros da nossa parte. O que foi feito a seguir pela direção, ao manter e apostar em Jorge Jesus, foi talvez um dos melhores atos de gestão de Luís Filipe Vieira. Teria sido mais fácil tê-lo afastado, já que era isso que muitos queriam (e ainda querem, vá lá saber-se porquê!). Essa época foi o tal passo atrás para agora estarmos a caminhar a passos largos para a frente. Muitos dos erros foram corrigidos e cá estamos novamente a lutar nas decisões. Não podemos interromper este processo se não recuaremos não uns passos, mas muitos metros.

    Eu compreendo que muitos de vós queiram mais e melhor, queiram a excelência, elevem alto a fasquia. Já pararam para pensar que foi o trabalho destes últimos 5/6 anos que vos levou a ser tão exigentes? Foi o atual Benfica que vos pôs num patamar superior. Tenho a certeza que há 10 anos atrás ninguém se atirava ao treinador por não ganharmos finais europeias porque simplesmente não chegávamos lá nem perto.

    Viva o BENFICA!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguem se atirou ao JJ por ele ter perdido uma final europeia, o Benfica fez um grande jogo, jogou bem contra uma equipa que era o campeão europeu e gasta fortunas, o Benfica perdeu a final por não ser eficaz e depois por erros proprios, nesse jogo JJ nada fez de errado a meu ver, temos razão de queixa nele noutros jogos mas nesse não.

      Eliminar
  11. Zé, este ano já lhe estão a exigir mais ambição, quando ele diz que a prioridade é a liga. Já acham obrigação do Benfica chegar às finais e vencê-las. Jorge Jesus habituou mal estes adeptos que estão constantemente contra ele. Eu não acho que ele é um deus, nem sou «vieirista» como pejorativamente chamam a alguns benfiquista neste espaço. Mas, objetivamente, acho que se está a fazer um bom trabalho no SLB. Podia fazer-se melhor? Sim, com crítica construtiva, não é com este constante ataque.

    ResponderEliminar
  12. "Estabelecer uma parceria com "os clubes de Liga Europa" em Portugal como o Braga, Marítimo, Guimarães, Estoril e Nacional... É meter todos os anos dois/três miúdos a rodar nesses clubes", Não concordo, aliás, sobre empréstimos entre sad´s não concordo nada com o panorama do futebol português. Não me digam que não ficaram cansados de ver o "sistema" controlar até os valores dos planteis;??;) Se recuarmos só um bocadinho, ainda poderia entender os empréstimos ( com limites), mas com a criação das equipes B já é abuso para este mundo sadico (sem acento no a:) endividado.
    O talento, tanto tem 19 anos num argentino como num Português, e nesta discussão vocês querem ver que o Ben10 ia jogar mal ao pé dos mais experientes??? O jogador à Benfica até pode ser emprestado ao Fafe, mas se ele tivesse sempre ligado ao Benfes ia ser Rui Costa à mesma:)
    O problema é quando determinadas sad´s andam com as calças dos outros nas ligas do topo e depois apoiam o desporto pelo lado contrário. Os votos da Liga actualmente é com os clubes participantes ;) e "quem tem unhas é que toca guitarra".
    Assim admitindo empréstimos, seria tipo "Erasmos".

    Nota:... o treinador apostar ou a sad apostar nos Jovens já é outra questão , mas pedagogicamente Há "o Made in Benfica" ;)

    B T T

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB.

ranking