O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Mário Dias relata factos graves.

Avatar
 ●  30 comentários  ● 

«É normal a cobertura ter uma chapa por baixo, outra por cima, e, no meio, uma manta térmica feita de lã de rocha, que é usada em todo o lado. Pelas informações que tenho, estava a ser feita a manutenção da cobertura, e essa manutenção demora sempre algum tempo, não se faz num dia. É provável que não estivessem colocados todos os rebites», começou por dizer, explicando em seguida, com mais pormenor, o que terá estado em causa.

«As chapas são fixadas em vários pontos, e se não estiverem fixados todos esses pontos, é normal que com o vento, sobretudo vindo de baixo, as chapas acabem por rasgar-se e a manta térmica de lã de rocha comece a soltar-se.»

Mário Dias concorda que o sucedido na Luz poderia ter assumido proporções bem piores caso o estádio não tivesse sido evacuado. «Felizmente, só a manta térmica é que começou a soltar-se enquanto a maioria das pessoas ainda estava nas bancadas, e que os pedaços de chapa da cobertura só começaram a cair depois dos adeptos saírem», sublinhou.

O antigo vice-presidente das águias fala na necessidade de «manutenção contínua» neste tipo de estruturas, embora sem querer colocar em causa a empresa responsável por essas intervenções. «Provavelmente, as chapas que se soltaram hoje não foram as mesmas que foram substituídas há um ano. As coisas têm de estar sempre a ser vistas porque o sol e a chuva corroem e enferrujam os materiais, podendo os parafusos soltar-se com ventos fortes, acima de 100 km/h. Volto a referir, porém, que, pelo que sei, não foi esse o caso, mas sim o facto de as obras de manutenção não estarem concluídas», analisou. - A Bola.

------------------------------------------------------

Ontem levantei algumas perguntas sobre o sucedido na Luz no post 'As perguntas para as quais se exigem respostas'.

Entre outras, perguntei se perante o alerta de mau tempo tinha sido feita alguma inspecção à luz dos acontecimentos recentes quanto à cobertura. Falei até nos rebites, para quem não tenha reparado.

Pois o que Mário Dias acima declara penso ser ainda mais grave. Se estavam a decorrer trabalhos e não estavam concluídos, que condições de segurança oferecia a Luz?

Se haviam chapas que não estavam ainda totalmente fixas à estrutura, como foi possível não fazer um esforço para concluir os trabalhos antes do temporal?

Porque agora se consegue resolver tudo em 24h, mas na sexta-feira, aquando do alerta de mau tempo, tais trabalhos não foram realizados? 

De quem é a responsabilidade do risco que correram os milhares de espectadores na Luz?

Estes factos enunciados por Mário Dias, a serem verdade, são gravíssimos. 

30 comentários blogger

  1. http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=459129

    ResponderEliminar
  2. É óbvio que se as placas se soltaram a culpa está nos parafusos que ou estavam soltos, partidos ou inexistentes. Não é preciso ser-se engenheiro nem técnico para perceber isso.
    A entrevista do Mário Dias vem ilibar totalmente a direcção do Benfica e quem tem de assacar as culpas é a empresa de manutenção. Se esta não tomou providências considerando o estado do tempo a culpa é exclusivamente sua. Ou será que os directores dos clubes de futebol, da Liga e da FPF têm de andar pendurados nos andaimes a verificar se as empresas de manutenção estão a cumprir e a fazer o seu trabalho?
    Aproveitem a onda e culpem também o Primeiro Ministro ou o Ministro da AI que devia ter dado ordens para que as indicações da PC fossem cumpridas.
    É só inteligentes.




    ResponderEliminar
  3. Não se deixem levar assim tão facilmente, mas vamos por pontos. Aquilo não era lã de rocha, era lã de vidro. O uso desta é mais barato e é ilegal. A Martifer usou-a na Luz e noutros estádios portugueses e brasileiros. A Somague, outra empresa do ramo, também. Com lã de rocha, aquilo muito dificilmente sucederia, é um material muito mais resistente. Porém, isto não implica que o trabalho de manutenção não devesse ter sido feito atempadamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
    2. Não faço a mínima ideia o que foi utilizado no estádio.
      Mas, garanto, a lã de rocha não é necessariamente mais resistente que a lã de vidro. Depende inteiramente da densidade que fôr escolhida.

      Eliminar
    3. Mas como é que o forro ia ter alguma influencia na falha da estrutura que o continha? Levar com pedaços de lã de vidro pode ser irritante mas o grave são as placas de metal que se soltaram.
      Agora se intrujaram o serviço e em vez de uma coisa colocaram outra é outra situação e a acontecer isso as empresas vigaristas e quem fez as vistorias devia ser processado mas como neste país de corruptos e aldrabões come tudo do mesmo e estão todos comprometidos nada se passa e nada é apurado que ponha em causa os grandes vigaristas.

      O que eu gostava que me explicassem é porque razão o presidente do SLB mostra-se mais uma vez incapaz de defender e limpar a imagem do clube e não exige esclarecimentos e responsabilidades aos responsáveis pela obra e manutencão da estrutura em questão. Mas a imagem do clube é denegrida desta maneira e nada se faz? Mas o seu compromisso é para com clube ou para com os seus amigalhaços de negociatas?

      Eliminar
  4. so falta saber o porquê que este individuo foi expulso do benfica, andando escondido agora por angola!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Paulo este senhor tinha uma secretária no Benfica, daquelas, sabes, que ganhava à volta de mil euros e andava de MERCEDES topo de gama e parece que tinha acesso ao cofre onde eram guardados bilhetes para os jogos entre outras coisas.

      Foi despedida com justa causa mas parece que recebeu a indemnização pela totalidade.

      Foi há uns anitos e como este houve muitos que sairam pelo ""soleno"" como tinoco faria e um outro senhor que até já faleceu.

      O mal é que como os episódios da telenovela são diários há muitos que só vêem a árvore.

      Vá lá que no tempo do JVA só havia um a ""gamar.""

      Eliminar
    2. Essa mesma senhora aquando da inauguração tentou a mim enquanto representante de uma casa do Benfica estorquir 5 euros por bilhete

      Eliminar
  5. Águia Preocupada10 fevereiro, 2014 20:34

    O senhor Mário Dias é um dos que talvez fizesse melhor estar calado! Depois de uma situação tão perigosa como a que se passou ontem, vir com declarações duvidosas só gera mais confusão e quiçá medo.
    Frases como estas, deveriam, nesta altura, ser evitadas:

    "Pelas informações que tenho, estava a ser feita a manutenção"
    "É provável que não estivessem colocados todos os rebites"
    "Provavelmente, as chapas que se soltaram hoje não foram as mesmas que foram substituídas há um ano"
    " Volto a referir, porém, que, pelo que sei, não foi esse o caso, mas sim o facto de as obras de manutenção não estarem concluídas"

    Afinal, sabe, ou não sabe o que se passa? Se sabe, diga o que se passa. Se não sabe, cale-se e não levante mais dúvidas e preocupações!
    Já não basta ao Benfica os adeptos estarem divididos, ainda vêm estes senhores com responsabilidades e muitas culpas no cartório lançar mais gasolina na fogueira!

    ResponderEliminar
  6. Vou ser linear ontem disse o que penso sobre a segurança e o que aconteceu, até o relatório sobre à ocorrência estar concluído não vou fazer exercícios de adivinhação, em poucas palavras Se estava em manutenção não estava com condições de segurança, se não estava seguro não se realizava o jogo num dia com condições adversas com recomendação em ficar em casa.

    Pode também a zona mais vulnerável do estádio cedeu às condições adversas que provinham do exterior sem nenhuma culpa dos responsáveis da manutenção... (isto poderia saber comparando edifícios ou árvores das zonas adjacentes ao estádio.)


    Ps: Se a martifer é assim com estádios e gruas com vai ser a fazer barcos?

    ResponderEliminar
  7. Boa noite.

    Todas as perguntas sao pertinentes , no entanto convem ir à teoria da coisa.
    Uma estrutura na zona de Lisboa é dimensionada à acçao do vento com um Valor base 0 de 27m/s ( pagina 152 de 166 do NP EN 1991-4-1 ) que dá cerca de 97,2 km/h! Tudo vai variar em funçao desse valor , nomeadamente rugosidade da estrutura , altura , material , direcçao do vento mais predominante e por ai fora!

    Se fossemos dimensionar estruturas para o pior vento que podia existir com um periodo de retorno de 100 anos ( tempo de vida da obra ) o estadio em vez de custar 80M tinha custado 500! Admito que possa ter sido um erro GRAVE esse das rebitas nao estarem totalmente fixadas , no entanto o maior erro , e apenas possivel na republica das bananas , foi ter-se deixado realizar um evento desportivo com um alerta vermelho.

    Nao estou a querer defender ninguem , apenas quero frisar que podia ter acontecido em qq estrutura , pois mesmo sobredimensionando , ventos com rajadas de 130km/h nao sao considerados na zona costeira portuguesa.

    daniel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois isso é tudo muito bonito só gostava de saber como a ponte 25 de Abril ainda não caiu se foi construida a pensar em ventos máximos de 100 Km/h... Engraçado é que o arquitecto já veio dizer que o estádio está projectado para suportar ventos na ordem dos 200 Km/h. Os responsáveis pela construção do revestimento ou pela sua manutenção falharam não há volta a dar, ainda mais grave é porque situação semelhante já tinha acontecido mas como foi em um jogo da equipa B pouco foi divulgado, faz-me mesmo muita confusão como se consegue achar que está tudo bem e que é tudo nomal.

      Eliminar
    2. Zé da Humildade10 fevereiro, 2014 23:03

      Finalmente alguém com conhecimentos, sensibilidade e bom senso. Ufa, que pensava que não havia ninguém assim!

      Eliminar
    3. Já agora essa interpretação não me parece de todo correcta os 27m/s é o valor básico de referencia que mesmo assim varia por determinados factores, de certeza que no topo do estádio o valor a usar é superior ao usado na base, esse valor tb não exclui a possibilidade de pontualmente a estrutura ter que lidar com ventos bem mais fortes, daí que dizer que na zona costeira portuguesa não se consideram ventos mais fortes do que 130km/h na construção soa a uma grande barbaridade!

      E depois ainda os Zés desta vida bebem dessa 'sabedoria' e aplaudem, isto está bonito está....

      Eliminar
    4. A interpretaçao está correcta de acordo com o Eurocodigo 8 para o dimensionamento de estruturas , Eurocodigo esse utilizado por todos os Engenheiros Europeus! No entando vamos lá ver uma coisa, 27m/s é o Valor Vbase,0 , isto é , é um valor utilizado para depois se calcular a velocidade base que varia em funçao da rugosidade e da direcçao do vento , posteriormente é calculada a pressao dinamica da estrutura com base nesses parametros , e apenas depois disso é calculado o sobredimensionamento para a acçao do vento.

      Respondendo à questao da ponte 25 de abril , ainda nao caiu pois tem a grelha perfurada que permite a passagem de vento por entre o tabuleiro , caso contrario , sim , neste momento estaria no chao! E também nao se pode comparar o dimensionamento duma ponte suspensa com a de um estádio!

      Respondendo ao arquitecto , por alguma razao é arquitecto e nao Engenheiro , pois caso o fosse nao diria tal barbaridade , a ESTRUTURA do estadio talvez aguente rajadas de 500km/h , a estrutura de cobertura , duvido !

      Respondendo directamente ao stress , sou Engenheiro Civil com mestrado em Construçao ( pois gosto de lidar com pessoas , e nao de ser um rato de laboratorio como os meus colegas das estruturas ) , no entanto as minhas notas mais elevadas foram na area das estruturas , nomeadamente Segurança Estrutural ( dimensionamento ao vento , neve e sismo ) , Analise de Estruturas e Dinamica ( vibraçoes , oscilaçoes e deformaçoes da estrutura ). Nada disto é para gabar ,nem serve para marcar um ponto , apenas para frisar que nao e' uma coisa dita sem conhecimento de causa! Como é obvio no topo do estádio os ventos sao muito mais elevados , dai utilizar-se no calculo da pressao dinamica um valor V(z) que tem em conta factores de pressao estatica , coeficientes de rugosidade e forma e Velocidade media a "z" altura! Pode parecer parvo , e talvez muito em breve o eurocodigo tenha que ser revisto para a area de Lisboa , na medida em que as condiçoes atmosfericas estao a alterar-se , mas , neste momento o valor base é mesmo 27m/s logo , supostamente nao se sobredimensionam para rajadas superiores a 130km/h! Se a estrutura resiste a esse valor maximo? Provavelmente ate resiste a mais. Agora umas chapas metalicas do tipo sandwich com buchas quimicas no topo de um estadio com o que? 20m de altura? mais? Duvido muito!

      Mais uma vez , nao quero desculpar ninguem , a martifer meteu agua , porque subcontratou um empresa nao especializada e aquilo deu buraco e podia ter dado mais. Mas nao podemos simplesmente mandar bitaites, nem ignorar o facto de se tentar realizar um jogo de futebol com um alerta vermelho.

      Grande abraço , Daniel

      Eliminar
    5. Então está a dizer que percebe mais do que o arquitecto responsável pela obra!? Está apresentado!

      É que está a argumentar que um valor médio de referencia, valor esse que é usado para calcular o desgaste que a estrutura tem que aguentar ao longo da sua vida é o valor máximo dos ventos que pode suportar e isso são coisas completamentes diferentes, além do mais sendo um valor de referencia médio é obvio que por vezes vai estar o vento bastante mais fraco assim como mais forte, daí que usar o documento em causa para dizer que não se consideram ventos de 130Km/h na construção de um edifício é sim uma barbaridade. Mais, segundo sua teoria era perfeitamente expectável cair a cobertura do estádio e muito mais por esse país fora porque os ventos estavam muito fortes para a mesma mas mesmo assim resolveu avançar tudo para o jogo... Ora diga lá em que planeta é que isto tem algum cabimento?!

      Depois tanta coisa e acaba por estar de acordo comigo no fundamental, a empresa responsável falhou e a direção do SLB falha se não os meter no sitio e imputar-lhes as responsabilidades que tenham que ser imputadas.

      E hoje é para vencer sem espinhas!

      Eliminar
  8. Para
    Pedro Ribeiro
    Que dados têm você para afirmar que aquilo não é lã de rocha mas sim de vidro. se têm esses dados porque não apresentar queixa no ministério. Publico.
    Olhe pareceu-me que aqueles pequenos pedaços eram mesmo lã de rocha.
    Senhor. Paulo deixe de ser pateta,esse Senhor Mário Dias nunca foi corrido dobenfica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hehehehe...há peixe fresco e a agua bate na rocha e quem se fode é o mexilhão ;)

      Que grande lã temos para aqui ...e não que não é lã virgem todos devem saber ;)

      B T T

      Eliminar
  9. Para todo universo benfiquista, acaba de se divulgado no site do clube que atingimos os 307000 na btv.
    Grande vitória dos benfiquistas e desta direcção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zé da Humildade10 fevereiro, 2014 23:04

      Mas aposto que este blogue e outros iguais ignoram isso. O importante é a discussão da "estrutura e a respectiva lã de rocha".

      Eliminar
  10. Vocês não aprendem, meninos. anda um gajo o dia inteiro fora e quando vem cá ler alguma coisa la vem mais um chorrilho de esterismos sempre contra o Benfica, sempre a apoucar o benfica. Vcs comem tudo meninos. Agora é o mario Dias, ium tipo que se encheu de dinheiro no tempo da expo e acabou o farnel com o novo estadio? E vcs comem. Comem pq tudo serve para apoucar o nosso Benfica, infelizmente. Depois v~em com tretas contra os comunicados do Sporting. Eu no vosso lugar vestia uma camisola às riscas e deixava crescer o bigode para parecerdes uns verdadeiros Viscondes.

    ResponderEliminar
  11. Shadows , os responsáveis pelo projecto do novo Estádio da Luz, sairam daqui...

    http://www.talprojecto.pt/index2.html ,

    Curiosamente até tem um portfólio bem interessante, basta clicares nas instalações desportivas e na bolsa de clientes....

    Aproveita, e tenta falar com o Arq.Tiago Abecassis, porque esse sim tem conhecimentos técnicos bastantes e não como as abéculas que tenho lido por aí a perorar sobre assuntos que desconhecem ! ! !

    ResponderEliminar
  12. Para
    Conde deVimioso
    Ó lerdo tú nem a árvore vês quanto mais a floresta.
    Àcerca das tuas afirmações do passado de Mário Dias valem. O que valem.
    Dor de cotovelo, azia.,inveja é um sentimento menos nobre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OH sor Silva, poupe-nos, porque afinal o sor é mesmo lerdo e nem com a idade aprendeu.

      Porque não se cala ???? É que só só baboseiras.

      Eliminar
  13. É só engenheiros tipo Sócrates. Temos + inimigos do SLB que fora.

    ResponderEliminar
  14. caso se confirmei estes dados é preocupante ainda mais porque não faz sentido nenhum que a manutenção seja feita nesta altura do ano, deveria ter sido feita em tempo seco, e com o episódio do ano passado em que já se tinham soltado placas com ventos parecidos ainda se percebe menos porque esperaram para agora.
    mas ao que parece noutro jornal o mesmo mario dias diz outra coisa, ou melhor o pasquim escreveu outra coisa porque o que o mario dias disse não sei, que não existia manutenção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É preocupante porque a manutenção para ser bem feita devia ter sido feita no Sahara que é um sítio totalmente seco e nunca chove. Assim as condições para uma manutenção bem feita estavam garantidas. Fazer a manutenção em Portugal no inverno é um risco muito grande.
      Na Bola o Mário Dias diz que manutenção estava a ser feita. O Record diz que o Mário Dias disse que a manutenção não estava feita. É natural, se ela estava a ser feita é natural que não estivesse feita. Mas cada jornal dobra as palavras como lhe apraz melhor.

      Eliminar
  15. Era uma vez um mercado do peixe... por acaso o dono era patrão de várias coisas.... quando foi preciso sócios aquilo nem foi preciso "dias" ...comendo o novo estádio a prioridade foi não ficarem espinhas... querem o resto da história abanem as orelhas que a mística foi comida ali bem no alto do Monsanto ;)

    Dias e muitas histórias que serão pagas talvez em 2024... com mais relvados e coberturas...passivamente é quase 470 Milhões...

    nota: derbis e comilões...

    Altas pressões no B T T

    ResponderEliminar
  16. O senhor Mário Dias dá palpites e, ainda por cima, fundamentados por «probabilidades» e pelo «que lhe dizem».
    "Pelas informações que tenho, estava a ser feita a manutenção"
    "É provável que não estivessem colocados todos os rebites"
    "Provavelmente, as chapas que se soltaram hoje não foram as mesmas que foram substituídas há um ano"
    " Volto a referir, porém, que, pelo que sei, não foi esse o caso, mas sim o facto de as obras de manutenção não estarem concluídas"
    Os homens, técnicos, ainda por cima, andaram a arranjar a cobertura e não colocaram uns rebites, deixaram-nos para próxima oportunidade - isto cabe na cabeça de alguém que saiba, de trabalho feito, o que é colocar rebites?
    O senhor Mário Dias, pessoa e benfiquista que todos muito respeitamos, teria prestado um grande serviço ao Benfica se não tivesse botado faladura.
    Andamos a perder tanta energia com questões de lana-caprina! Ainda nos vai faltar para defendermos o Glorioso dos inimigos que tem.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking