O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Vieira forçou a saída de Bruno César contra a vontade de Jesus. Então quem manda no futebol do Benfica?

 ●  20 comentários  ● 
Não tivesse o brasileiro sido vendido ao Al Ahli, por €5,5 milhões, e hoje a carreira dele poderia ter mudado, segundo o próprio. Em entrevista a A BOLA, revela que foi Luís Filipe Vieira a forçar a saída, contrariando a opinião de Jorge Jesus, treinador que tem muitas semelhanças com... Vítor Pereira. «Seguem a mesma linha», diz.
Como está a correr experiência no Al Ahli, na Arábia Saudita, quase um ano depois de ter saído do Benfica?
- Já me adaptei completamente, ainda para mais com a chegada de Vítor Pereira. É um grande treinador que todos em Portugal já conhecem. É um vencedor, onde passou no FC Porto.

O que teve de mudar no seu estilo de vida?
- Temos de respeitar os horários deles, têm as cinco rezas, os treinos são à noite, é muito difícil fazermos dois treinos diários porque durante o dia não dá, devido ao calor. Não dá para treinar tanto como em Portugal ou no Brasil. Temos de nos adaptar mas já me acostumei ao estilo de jogo também. O clima é muito seco, temos de beber muita água, o desgaste é grande, mas nada que faça a diferença.
Quase um ano depois da saída do Benfica, acha que foi a melhor decisão?
- Acho que sim. Para mim naquela altura não estava a jogar, estava a ser bastante contestado. Fiz uma primeira época muito boa mas sem saber porquê não jogava, não tinha oportunidades. Para mim foi a melhor decisão e para o Benfica também. O presidente queria que eu saísse.
O treinador também?
- Não. Era diferente. Alguns queriam que eu saísse, mas Jorge Jesus queria que eu ficasse. Acho que pesou mais a decisão da presidência. Havia muitos interesses por detrás que queriam que eu fosse embora mas isso agora já é passado, já foi, agora é viver o presente.
Se ficasse teria sido transformado em lateral-esquerdo?
- Pelo que estava a treinar quando saí, estaria a jogar, sim. Estive a treinar naquela posição durante dois meses. Aprendi muito a marcar como lateral, Jesus ensinou-me muita coisa e podia aprender, não seria problema algum. Não me faz diferença jogar a lateral, ala ou 10.
É uma posição com uma tradição especial no Benfica, nomeadamente as adaptações. Se não tivesse saído, poderia ter transformado a sua carreira?
- Acho que sim. Se tivesse continuado, hoje poderia ser o lateral-esquerdo do Benfica. Mas não foi possível e a vida segue.

Como é ser treinado por Vítor Pereira, o técnico que ajudou a roubar os títulos ao Benfica?
- Normal. Nunca falámos disso. Ele é muito profissional nessas questões e nunca falámos sobre isso porque eu também já não estava no Benfica há cinco meses quando ele veio para o Al Ahli. Mas quando há um FC Porto-Benfica surge sempre uma brincadeira, mas nada de especial.
Foi uma boa surpresa?
- Foi, sim. Já trabalhei com Jorge Jesus e Vítor Pereira segue a mesma linha do Jesus, eles são bastante parecidos. Os treinadores portugueses são bastante parecidos na forma de treinar.

in A Bola

Convém que ficasse explicito quais os interesses que queriam ver Bruno César fora do Benfica e que sobrepuseram a sua vontade á do treinador Jorge Jesus!
E é pura e simplesmente deplorável que Luís Filipe Vieira tenha forçado a saída de Bruno César em Janeiro quando o Benfica estava presente em quatro competições e com possbilidades de as ganhar todas!
O que se constatou foi que ao chegar ao final da época a maioria dos jogadores estavam no limite das capacidades físicas e, especialmente no meio-campo Jorge Jesus tinha um número muito limitado de alternativas a Enzo e Matic.

E contra o Estoril, no jogo que definiu o rumo da época passada, acho que todos se lembram do desastre que foi a entrada de Carlos Martins para substituir Enzo nesse jogo. E se tivesse sido Bruno César a entrar em vez do português? Teria feito a mesma burrice? Duvido muito, porque Bruno César não tem as paragens cerebrais de Carlos Martins.

Para mim o que fica claro nesta entrevista é que temos um Presidente hipócrita, que para as câmeras diz que temos uma estrutura do futebol em que manda Rui Costa, Shéu e Lourenço Coelho mas depois vai-se a ver e quem decide saídas de jogadores acaba por ser o Presidente.

A razão para a estrutura do futebol encarnado ser uma barafunda é para ser fácil a Vieira arranjar bodes expiatórios no caso de tomar decisões erradas na gestão do futebol. Gestão essa que não delega a NINGUÉM apesar de ser um incompetente nato nessa área. O ano passado a fava caiu ao Carraça, e este ano a quem vai cair?

20 comentários blogger

  1. Isto é pra calar muitos que dizem é que o JJ despacha alguns jogadores.
    O JJ queria que o Bruno César ficasse tal como também queria que o Nolito ficasse (o JJ até disse publicamente que tinha dito ao Nolito que queria que ele ficasse). Saíram os 2 e o JJ disse que gostaria que viesse algum jogador. Não veio ninguém.
    Com o Melgarejo passou-se o mesmo. Aquando da transferência falhada para o Liverpool, o empresário dele disse que o JJ queria que ele ficasse mas que o presidente o queria vender.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem tirar razão ao teu raciocínio, também são muitos os casos em que foi JJ que não quis ou não quer contar com os jogadores.

      Eliminar
  2. Duvido que entrasse em vez do carlos Martins pois também segundo Bruno César: "Pelo que estava a treinar quando saí, estaria a jogar, sim. Estive a treinar naquela posição durante dois meses. Aprendi muito a marcar como lateral, Jesus ensinou-me muita coisa e podia aprender, não seria problema algum."

    Ainda me lembro de a maioria criticar o Bruno César, eu por acaso até gostava dele com jogador.

    Mas tendo em conta que andava a treinar há 2 meses para defesa esquerdo era pouco provável que entrasse no jogo do Estolril para o meio campo.. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também gostava dele.
      Mas não é por aprender a jogar numa nova posição que desaprende de jogar na antiga.
      E para isso basta ver na época passada que o André Almeida jogou no meio campo, a lateral direito e até a lateral esquerdo.

      Eliminar
  3. Este Bruno César mexe-se bem no mundo dos midia, de vez em quando aparece... jogador banalissimo!
    O ano passado era o Milan que estava interessado e afinal foi parar a um tal campeonato onde se treina à noite e onde se bebe muita água (deve ter menos barriga?). Julgava que esta noticia culminava com o interesse do Bayern de Munique, mas afinal defraudou-me as expectativas...

    Marques

    ResponderEliminar
  4. Como é óbvio, o presidente tem sempre a última palavra, seja no Benfica, no Real Madrid ou no Barcelona. Podemos concordar ou não com as saídas mas é assim que funciona em todo o lado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso e não nos podemos esquecer da necessidade de facturar e recuperar o investimento. Foi uma oportunidade que surgiu que até já foi dito pelo próprio presidente. Óbvio que quem trata disso é o chefão não é o treinador. Como em todos os clubes.

      Eliminar
    2. epa comentário diz tudo. esta aqui a resposta ao titulo do post

      Simples.....

      Eliminar
  5. «E contra o Estoril, no jogo que definiu o rumo da época passada, acho que todos se lembram do desastre que foi a entrada de Carlos Martins para substituir Enzo nesse jogo. E se tivesse sido Bruno César a entrar em vez do português? Teria feito a mesma burrice? Duvido muito, porque Bruno César não tem as paragens cerebrais de Carlos Martins.»

    Isto é um exercício de história contra-factual, presumo? É que argumento para alguma coisa não pode ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se tivesses outro jogador para entrar no meio campo nesse jogo, não entrava o Carlos Martins. Não entrando o Carlos Martins não havia expulsão e não havendo expulsão as coisas teriam sido diferentes.

      Eliminar
    2. mas porque é que é preciso ir buscar um jogador que já nem estava no clube, e até nunca terá jogado cá nessa posição a de 8, quando o jejum optou claramente pelo carlos martins em vez do andre gomes.

      Eliminar
  6. aposto que jj nao queria que di maria witsel javi ramires coentrao etc... saissem mas e a lei da vida pode-se acusar a estrutura ou a falta dela em mta coisa mas agora arranjar um problema so pq o vieira quis que bruno cesar saísse. nao vejo problema algum, é criticar por criticar

    ass: alexandre

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queres dizer com isso que não fez falta? Foi claro que fez bastante falta.

      Eliminar
  7. Era preciso fazer dinheiro na altura e também duvido que o Bruno César fosse entrar em vez do Carlos Martins no jogo com o Estoril. Além disso parece que querem fazer dele melhor jogador do que realmente é.

    "E se tivesse sido Bruno César a entrar em vez do português? Teria feito a mesma burrice? Duvido muito, porque Bruno César não tem as paragens cerebrais de Carlos Martins." Ai não? Assim de repente lembro-me do Benfica-Académica para a Taça da Liga, perda de bola disparatada que resulta em golo da Académica. Isto para vos mostrar que este texto está cheio de afirmações hipotéticas, falar agora é fácil. Até podia acontecer que no jogo com o Estoril o Enzo não se lesionasse e empatarmos na mesma. é hora de seguir em frente, mas se vocês querem continuar a insistir neste tipo de coisas estão à vontade.

    Por outro lado, se foi LFV que manteve o Coentrão contra a vontade do JJ na época em que fomos campeões, vocês aplaudem. Nesta situação do Bruno César vocês criticam. Em que ficamos então? Decidam-se.

    ResponderEliminar
  8. O Bruno César é um jogador fraco e nem sei porquê que lhe metem um microfone à frente...aliás, sei...

    ResponderEliminar
  9. Quando o JJ faz porcaria, o pessoal queixa-se que o presidente não sabe segurar as rédeas ao treinador. Quando o presidente impõe algo ao treinador, queixemo-nos de que não damos liberdade ao treinador para fazer o seu trabalho.

    ResponderEliminar
  10. O disco aqui é sempre o mesmo. Se o Bruno César tivesse continuado e começasse a jogar a lateral caia o carmo e a trindade. Todos iriam criticar por ser um 10 e lento adaptado a lateral (não acredito muito no sucesso, mas nas mãos de Jesus, já vi muito jogador transformar-se em craque). Em relação ao que diz em relação a Carlos Martins, até concordo, mas com o que tenho visto neste blog, se tal tivesse acontecido, ou seja, jogasse o Bruno C. em vez do Carlos M. e o resultado não fosse o desejado, garantidamente que opinião por aqui era algo do tipo: o treinador não gosta dos portugueses. Enfim, virem o disco, critiquem antes os governos, que esses sim têm-nos destruído a vida.

    ResponderEliminar
  11. Bruno César foi só no ano interior á vinda para o Benfica o segundo melhor marcador do brasileirão atrás do Nilmar, mesmo jogando a 10. Não duvido que quando chegar a a jogar outra vez na europa vai ser um crack, O Vieira que não percebe nada de futebol, só viu foi mais uma oportunidade para meter uma comissão ao bolso.

    ResponderEliminar
  12. Estaria a defesa esquerdo, médio...
    Estaria 2 anos sem marcar um livre directo???
    Olhando para o tempo que teve de Benfica... o estar adaptado... a falta de médios no final da temporada passada...ganhou a "guita".
    Melão aberto...vendido às fatias!!

    Benfica T T

    ResponderEliminar
  13. Vermelhusco ( o nome está mesmo a matar)
    Sei que não vai passar mas mesmo assim, no mínimo ficas a saber: Como podes tu agora defender o Bruno César se tu próprio e quantos aqui escrevem diziam que era tosco, que era gordo, um tanque, que não se mexia, etc.? É preciso ter muita lata e ser muito hipócrita.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking