O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


domingo, 27 de outubro de 2013

Um clube preso aos egos...

 ●  4 comentários  ● 
O Benfica sempre foi um clube humilde, com ideais muito próprios, que nasceu do povo e para o povo. Um clube que subiu a pulso no panorama futebolístico português fruto da entrega da sua gente, da sua vontade de vencer, do trabalho árduo em prol de um emblema que representava uma universalidade de sentimentos, de crenças, de valores, um amor infinito que se manifestava em cada acção, em cada jogo, em cada momento da sua existência. Perder com honra, ganhar com mérito, mas sempre fiel à sua identidade. Foi assim que foi ganhando simpatias, foi assim que se tornou um clube mítico, foi assim que foi criada uma cultura de exigência que fazia com que o Sport Lisboa e Benfica nunca adormecesse à sombra dos êxitos conquistados, que se rejuvenescesse após um falhanço, que se levantasse graças à paixão infinita e querer absoluto de colocar este clube no lugar que merece. E esse lugar é o topo. Conquistas, titulos, competência, tudo isto é o Benfica.

Esse Benfica porém é uma mera miragem nos dias de hoje. As pessoas que o servem não têm a competência para nos colocar no rumo dos títulos e os benfiquistas, a maioria pelo menos, estão num sono profundo, anestesiados, como que sentados confortavelmente num teatro à espera que um milagre aconteça. A sensação que tenho é que estou a ler um livro com uma capa bonita, mas a medida que vou explorando, a medida que o vou lendo, as letras vão ficando turvas, as páginas cinzentas, o coração desiludido.

A renovação do Jesus foi um prego no caixão para esta época desportiva. Um treinador desgastado, que mostrou por inúmeras vezes claudicar nos momentos decisivos, um treinador que não consegue unir os jogadores à sua volta, que não consegue tirar o melhor rendimento do plantel à sua disposição. Um treinador com um ego incontrolável que não o permite evoluir. Jesus estagnou no tempo, está preso ao seu modelo de jogo, à sua filosofia e não consegue ver para além da sua própria realidade. Era mais do que óbvio e isso tem sido comprovado que o tempo de Jesus no Benfica estava esgotado. Esta renovação é só mais uma prova de que a cultura de exigência no Benfica está em vias de extinção. Outrora seria impensável renovar com um treinador quem em quatro anos vence apenas um campeonato e perde outros três. Esta decisão tem um dono: Vieira.

E o ego de Vieira é outro dos problemas do Benfica. Um presidente que tem tido méritos em criar acessórios para o Benfica (centro de estágio, Benfica TV, fundação Benfica, Museu Benfica) mas que tem falhado de forma contundente na gestão desportiva do clube no que toca ao futebol. Até quando o fantasma Vale e Azevedo, até quando estes acessórios que são importantes, mas não são de todo o que caracteriza o Benfica, como um homem também não é aquilo que veste, vão desculpar a incompetência que tem sido manifestada nos últimos anos? Quantas mais provas serão necessárias para se chegar à conclusão de só isto não basta? Quantos mais títulos terão que ser perdidos para se perceber que precisamos de um outro rumo, de uma outra liderança, de uma outra mentalidade?

O Benfica vive hoje numa luta de egos. Ego de um presidente que apela às pedras da calçada para justificar a sua permanência já que pelas conquistas pouco pode apelar..., ego de um treinador que encontra sempre uma razão para o seu fracasso e que consegue a incrível proeza de cometer os mesmos erros de forma sistemática. Vieira e Jesus são hoje a personificação cruel do que o Benfica se tornou. Um cube amorfo, descaracterizado, sem alma. 

O ego que devia sobressair não devia ser desta estirpe. O ego que devia sobressair agora e sempre devia ser o espírito inabalável de vitória. Humildade para se reconhecer quando não somos bons o suficiente, destreza  suficiente para nós adeptos, não compactuarmos com algo que está a destruir pouco a pouco o adn do clube que amamos. Temo dizer, caros benfiquistas que o meu amor pelo Benfica nunca será posto em causa. Mas quem sabe a massa de que este clube foi feito, quem um dia viu em campo as papoilas saltitantes serem o espelho das nossas almas, jamais poderá ficar identificado com esta cópia que por sua vez foi fotocopiada do que um dia foi o Benfica. 


4 comentários blogger

  1. O Vieira e o Jesus estao a destruir o Benfica! Mas LFV tem o apoio de 83% dos sócios! Identifiquem-nos porque serão cumplices da desgraça que nao querem ver! Será porque o "povo" não é tão sabio como dizem?

    ResponderEliminar
  2. Excelente!!!
    Até quando, os EGOS, a se sobreporem aos interesses do BENFICA!!! Não existe, ninguém
    num universo enorme, de adeptos e Sócios no mundo inteiro, que se apresente como alternativa
    ao estado de descrédito que se tornou o BENFICA, por causa dos SEUS dirigentes! Presidente, e treinador.
    Esses, sim, são os principais responsáveis pelo estado actual de coisas ; e enquanto eles continuarem à frente
    a situação não mudará tenho a certeza.
    Saudações Benfiquistas.

    ResponderEliminar
  3. Ja agora... lembram-se como o Trapattoni assim que conquistou o campeonato foi a bancada zurzir num Benfiquista que passou o ano a assobia-lo e a insulta-lo para se ir embora? Era bom que aprendessemos com os nossos erros, mas nao. Pagamos bilhete...

    Renovou-se com o treinador por dois anos para dar estabilidade a equipa de trabalho (Alias ainda ha uns meses atras imprensa toda e a blogosfera criticava o LFV por deixar a epoca acabar sem renovar com o meu). Entretanto meteu-se a BenficaTV (Para mim o MAIOR erro estrategico dos ultimos tempos) e iniciou-se a ataque cerrado vindo do Oliveiredo. Maria vai com as outras como somos os Benfiquistas, vai de Robertizar o JJ atras dos jornaleiros amestrados. Resultado: aquilo que teria sido uma medida excelente de gestao tornou-se o maior problema. Agora como de estabilidade quem percebe mesmo o terceiro anel, vai de tiro ao pato ate ao fim. Ate ao fundo. Esta semana ja tiveste a cena numero um do ultimo acto. O Papa relembra aos benfiquistas o golo do Kleber... isto antes de dois jogos decisivos com Olympiacos e Sporting. La vamos nos ao nosso enterro.

    ResponderEliminar
  4. Uns despedem treinadores bicampeões, enquanto aqui no Benfica glorifica-se a derrota e os 2ºs lugares, em privilégio das tais coisas acessórias... A maioria dos benfiquistas que defende a dupla maravilha JJ/LFV, por causa das pedras da calçada, do V. Azevedo, do PDC, da chuva e do vento, ganhem um pouco de inteligência e caco na cabecinha : não é com TVs, RedPass, estádios, museus, betão que se compra o sucesso de um clube grande, É COM TÍTULOS E PRESTÍGIO !!!...Mas o benfiquista comum de hoje em dia (mais propriamente vieirista, que tem bigodaça, que palita os dentes no café a beber as mines e comer tremoços enquanto ouve o Pedro Guerra na BTV e os servos do Vieira nas colunas do Benfica na Bolha, e que tem em casa um mega retrato do Vieira) deixa-se levar por estas coisinhas acessórias, em vez de acordar para a realidade ao ver que JJ/LFV são humilhados e toureados diária e sistematicamente pelos rivais (com FCP à cabeça)..Hoje em dia Maior é o retrato do país: uma máscara de aura triunfal e gloriosa, que esconde a pequenez, tacanhez, ser humilhado e vilpendiado, até ao momento da misericórdia. Resumindo e concluindo: um gigante com pés de barro.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking