O futebol dos assobios e dos estádios vazios
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


terça-feira, 12 de março de 2013

O futebol dos assobios e dos estádios vazios

Avatar
 ●  + 40 comentários  ● 

Ponto 1. Sou completamente contra os assobios à nossa equipa durante o jogo. Sou contra porque não ajuda, sou contra porque só prejudica, sou contra porque serve para galvanizar o adversário, sou contra porque é um atitude egoísta e que resulta da frustração pessoal. 

E quero neste contexto, relembrar um caso paradigmático de um jogador do Benfica a quem a arte do assobio assassinou, e que tornou a sua presença no clube totalmente insustentável. Esse jogador chamava-se Abel Xavier, e se muitos se recordam, simplesmente não podia tocar na bola sem ser imediatamente cilindrado pelo pelotão de fuzilamento do terceiro anel. Poderão alguns dizer, Abel Xavier era um mau jogador. Mas de facto não era, e a prova disso é que depois de ser escorraçado do Benfica pelos próprios sócios e adeptos, este “tosco” prosseguiu carreira em clubes como Bari, Oviedo, PSV Heindhoven, Everton, Liverpool, Galatasaray, Hannover, Roma, Middlesbrough e Los Angeles Galaxy, o que prova que o “tosco” não era tão tosco assim. 

Admito também que nos finais dos jogos também nunca assobiei o meu Benfica mas, acho esse tipo de assobio muito mais legitimo. Aliás, ao contrário do que alguns dizem, em Inglaterra também se assobia no fim. Mas em Inglaterra também acontece o oposto, os adeptos aplaudirem de pé a sua equipa que perde contra um adversário que foi melhor desde que deixe a pele em campo. 

Agora, o que eu acho é que o problema do assobio é bem mais profundo do que alguns querem fazer crer. O problema é que não se pode dissociar a arte do assobio do facto dos estádios em Portugal estarem cada vez mais vazios. 

Há um argumento que diz que os estádios só enchem quando a equipa vai na frente. Ora, como vemos, o Benfica vai em primeiro lugar, e nem por isso o nosso estádio tem estado sequer perto do máximo da sua lotação; 

Há um outro argumento que diz que os estádios estão vazios por causa do preço dos bilhetes. Este argumento explica, claro, parte da coisa mas, não explica tudo. Aliás, eu sou daqueles que acredita que mesmo que os bilhetes fossem de borla, nenhum estádio em Portugal lotaria, salvo num ou noutro jogo mais importante. 

Importa portanto escalpelizar as razões pelas quais os estádios não enchem. E na minha opinião, entre outras razões, a principal é que os espetáculos são pobres, os oponentes são fracos, os artistas têm mais pinta de carpinteiros, a vitória não está em causa, ninguém espera um jogo renhido, Benfica e Porto têm os jogos resolvidos aos 20 minutos e o resto do tempo é apenas gerir. 

Em resumo, o adepto que vai à Luz ver o Bordéus até percebe o contexto atual e até percebe o desgaste desta altura da época. Percebe a necessidade da rotação do plantel e o poupar de energias para as próximas batalhas. O adepto percebe isso tudo mas, não aceita, porque o adepto paga bilhete para assistir a um espetáculo, e quando paga o seu bilhete tem o direito de exigir um espetáculo digno, em que os jogadores corram e se esforcem, não quer pagar 20 euros para passar 90 minutos a ver 11 jogadores a trocar a bola em ritmo de treino. 

É o mesmo que pagar 50 euros para ir ver um concerto dos U2 mas, nesse dia, em vez de 25 só tocam 13 músicas, porque a digressão tem sido longa e no dia seguinte há um concerto importante que vai ser gravado para DVD. Em suma, eu aceito que em certos jogos o Benfica vai correr menos, mas o Benfica vai ter de aceitar que nesse dia eu vou escolher ficar em casa. 

Algumas notas breves: 
1. Certos espetáculos não justificam o preço do bilhete, tal como certos espetáculos da Broadway estão vazios exatamente pela mesma razão. O público é sempre soberano; 

2. Eu também adoro cinema mas não gasto dinheiro para ir ver um mau filme; 

3. Eu adoro espetáculos musicais ao vivo, mas só vou ver as bandas que me agradam e que me garantam um retorno emocional que justifique o meu investimento; 

4. Quantas vezes, mesmo em casa a ver um jogo de futebol do campeonato português, não dou comigo a bocejar e a ter de ir buscar uma cerveja ao frigorifico para que consiga aguentar o martírio até ao fim; 

5. Alguns dirão: Então tu és um mau adepto. Discordo. Eu sou adepto de muitas coisas na vida, e posso escolher gastar os meus 20 euros num jogo de futebol no estádio, posso gastá-los numa ida ao cinema, posso gastá-los num concerto de uma banda que gosto, posso gastá-los a comprar um livro, ou posso gastá-los numa noite de borga com os meus amigos a ver o mesmo jogo de futebol de borla num tasco qualquer. 

O que falta então para que os estádios voltem a encher? 
1. Jogos ao Sábado ou Domingo à tarde era importante. 

2. Mais dinheiro no bolso dos portugueses também ajudava. 

3. Mas fundamentalmente faltam bons espetáculos com emoção. E para haver emoção é necessário que haja equilíbrio, que haja incerteza no resultado, que hajam artistas, que hajam adversários que nos façam arregaçar as mangas e correr até ao último minuto, que hajam Sportings, Boavistas, Guimarães, Marítimos, Belenenses e Farenses como havia no passado. 

O adepto paga bilhete para gritar golo, para berrar, para roer as unhas, para quase morrer de ataque cardíaco, para dar cabo de um maço de cigarros em hora e meia, para libertar as angústias do dia a dia, para se deliciar com uma onda num estádio cheio, para sentir adrenalina, para celebrar golos aos pulos no último minuto abraçado a um qualquer desconhecido. 

O que se vê hoje em Portugal? Uns vão ao estádio e acreditam que os árbitros estão comprados e que é tudo uma farsa; uns vão aos estádios e aborrecem-se; outros vão ao estádio e assobiam para ver se não adormecem; outros acham que a maioria dos espetáculos que se vêm não valem o dinheiro que pedem e preferem ver o mesmo jogo no conforto do sofá ou no tasco do sítio. 

Assobios no futebol? O problema é bem mais profundo que isso.

40 comentários blogger

  1. Respostas
    1. Calma lá contigo Ó Shadows, andamos a concordar muito. Esta merda vai dar cabo das audiências:)))) abraço

      Eliminar
  2. Concordo com alguns aspetos do que dizes e não concordo com outros.

    Os estádios vazios, na minha opinião explicam-se com alguns motivos. Alguns já abordados por ti, a questão do preço e dos horários.
    No meu entender, os estádios estão vazios essencialmente pelo descrédito do futebol em Portugal, pela falta de integridade de muitos dirigentes de clubes pequenos, pela insegurança e pelos que já referiste: preço (associados à crise) e horários. E há um terceiro factor (que tocaste levemente) mas que é por demais importante. Em Portugal perdeu-se a cultura de gostar de futebol pelo desporto. Os atuais adeptos, são adeptos da vitória, o que faz que quando o seu clube não ganhe, o jogo seguinte não interessa.

    Antigamente, as pessoas iam ver o futebol, porque era como ir ao cinema ou ao teatro, era um local onde as pessoas viam um espectáculo (fosse bom ou mau, nunca foi muito importante) e passavam umas horas com o pessoal da bola a beber uns copos e a discutir o jogo.
    Depois apareceram treinadores e dirigentes para quem ganhar a qualquer custo é a palavra de ordem e aí começaram a surgir os erros escandalosos dos árbitro em catadupa. Surgiram ainda as claques associadas ao crime e a insegurança nos estádios. Já se tentou fazer qualquer coisa em relação à segurança, mas apenas continua a ser seguro ver jogos no nosso estádio. Entenda-se "nosso" como o da equipa que joga em casa e não só do Benfica.

    As pessoas começaram a ter medo de ir ver jogos fora. Façam um exercício de memória: quantos adeptos de equipas rivais vocês veem no Estádio do Bicho? Benfica, Sporting, Guimarães e Braga e equipas estrangeiras?
    Quantos adeptos vocês vêem na Luz? De quase todas as equipas (muitos ou poucos, vêem de quase todos).

    Surgiram Apitos Dourados e sporcos tv, que internamente retiram credibilidade ao desporto.
    Surgiram programas de TV que não ajudam o futebol, apenas o prejudicam. As pessoas já não vão ao estádio com vontade de ver futebol, mas sim irritadas, com a dúvida do que vai fazer o árbitro. Os erros dos árbitros deixaram de ser só erros (culpa deles, fizeram por isso), passaram a ser mais do isso, passaram a ser atos de guerra.

    Eu posso dizer-te que em jovem, ia quase todos os 15 dias ver o Boavista ao Bessa. Gostava de ver futebol e tinha uma costela Boavisteira.
    O Bessa enchia. Nem todos eram Boavisteiros a 100%, muitos eram como eu, tinham uma costela, mas íamos ver os jogos, éramos sócios e dava-me gozo ver futebol.
    Por uma questão de respeito pelo Boavista, nunca fui ao Bessa ver jogos do Benfica, o Boavista não me merecia que gritasse golo do Benfica com o cartão de sócio do Boavista.

    Os Loureiros, nomeadamente a partir da subida ao poder do mais novo, tiraram-me a vontade de ir ao Estádio. Curiosamente foi na altura em que foi campeão, mas nunca mais meti lá os pés com tanta frequência.

    Resumindo:
    Preço (associado à crise), horários, perda de cultura futebolística, insegurança, dirigentes corruptos e árbitros corrompíveis, descredibilização do futebol, são para mim estes os verdadeiros motivos que tiraram gente aos estádios.

    Nunca foi o facto da equipa jogar bem ou mal, porque o verdadeiro adepto do futebol acredita que "hoje é que vai ser" e vai lá estar na mesma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitissimos pontos validos, com os quais concordo em absoluto.

      Discordo um pouco quando falas em falta de cultura desportiva, que antes havia e hoje nao ha. Nao sei, talvez seja da idade, mas nao me lembro de um POrtugal com cultura desportiva. Sempre vi um POrtugal com cultura clubistica, que sao coisas bem diferentes.

      Mas quanto ao resto, assino por baixo.

      Eliminar
    2. Nem de propóstio, podes ver o último post do Em Defesa do Benfica e percebes o que quero dizer com a cultura benfiquistas. Antigamente os feitos realizados lá fora era um feito para o país, isso agora é impossível.

      Já ninguém bate palmas se a equipa perder, mas der tudo em campo. Serão uns incompetentes.

      Atualmente assiste-se ao propagar da cultura do corrupto Pedroto e propagada por muitos dos atuais treinadores. O que interessa é ganhar, seja de que maneira for. Há muito poucos treinadores que gostem de futebol, agora, gostam é de vitórias.

      Não ouvi nem li todas as declarações do Paulo Alves, mas acho que ele em tempo algum disse algo como: "O Benfica foi melhor, foi esse o motivo de termos perdido por 5." Os adeptos já não aceitam isso.
      E veem o futebol não como um desporto imprevisível (dentro da sua previsibilidade), mas passaram a achar que é um espectáculo pelo qual eu pago e exijo ter um retorno positivo e esse retorno é ganhar. Não interessa se há mais equipas em campo e se o jogo é imprevisível, só é aceite uma opção. E só não pedem a devolução do dinheiro e apresentam reclamação no livro vermelho, porque isso não entra legalmente na categoria de reclamação, caso contrario, muitos iriam fazê-lo.

      Eu vejo futebol porque me dá prazer, mas para te ser sincero, já não tiro qualquer prazer de ir ver um jogo ao Estádio, sem ser o da Luz.

      Eliminar
    3. Em Portugal não se gosta de desporto. Gosta-se de clubes. E isso faz toda a diferença.

      Mas também é verdade que ver um Swansea X Everton é bem diferente de ver um Olhanense X Beira Mar.

      Mas é possivel haver bom futebol em Portugal com os orçamentos miseraveis da maior parte das equipas da Primeira Liga?

      Eliminar
    4. Excelente post, meu caro RedMoon!
      Excelente também a argumentação e suporte á mesma!
      Excelente ainda o comentário meu caro F1!
      Excelente a visão e sustentação do mesmo!

      Mas.... como tudo na vida existe sempre um mas!

      O "mas" é simples e sem sustentação, pois é uma decisão pessoal! Por isso ficam algumas perguntas!

      Comparam então os meus caros o negócio futebol aos negócios das comunicações, energia, água, distribuição, etc..?

      Se os julgam comparáveis ficam as questão que talvez mereçam um esforça para serem respondidas.

      Reconhecendo que o negócio futebol cada vez se assemelha mais ao negócio PT, EDP, etc. Mas reconhecendo também que os clientes/utentes das referidas empresas as escolheram por todas as razões possíveis!
      O que diferencia os clubes? Os clientes, certo? Mas quem são os clientes de um clube de futebol?

      Isso, os adeptos!

      Ninguém é adepto da PT nem da EDP! O ser cliente/utente em nenhum aspecto envolve ser adepto!
      O ser cliente representa satisfação de um serviço em troca de valor. Senão satisfaz ou se o valor é inferior o cliente muda de serviço.

      Terão escolhido o Benfica como prestador de serviços desportivos? Haverá algum negócio com tanta escolha e concorrência? E se o serviço não satisfizer? Mudam de serviço? Os "clientes" dos clubes pequenos mudam porque o serviço não lhes entrega objectivos vencedores?

      Qual de vocês vai mudar de serviço hoje, amanhã ou no futuro?

      Concluindo. Mesmo debaixo de pressão social para ver em tudo um negócio! Há coisas que não devem ser analisadas há mesma "luz da EDP". Há muito mais luz na "Luz" do que a mentalidade social dominante!
      E se o futuro breve não o demonstrar, o médio ou longo se encarregará de o fazer!

      RC

      PS. Não sei se o comentário será publicado. Desde há muito que neste blog deixei de ter certezas. Mas se passar pelo teu crivo, gostaria de ver - não agora, com toda a tua calma - uma resposta em forma de post às questões levantadas!

      Eliminar
    5. RC,

      Pois aqui tens a tua resposta:))

      Repara, a conversa foi para o adepto/cliente, porque um leitor nosso levantou essa questão.

      O problema é que ele distingue os dois, e acho isso um erro. Porque um adepto, pelo menos um adepto que vai ao estadio, que paga quotas, compra camisolas e que vai assinar a Benfica TV é um cliente.

      Eu percebo o NSC, refere-se aqueles adeptos que estao la sempre, quer chova quer faça sol, quer estejamos em primeiro ou em ultimo. Mas esses sao uma minoria.

      o Benfica tem claro um departamento de Marketing Desportivo que trata os seus adeptos como clientes. Claro, não é como ser cliente da MEO que se se chatear com o serviço muda para a Cabo Visão. Um adepto do Benfica nao muda para o Porto.

      Mas um adepto/cliente do Benfica, desliga-se do alvo da sua veneração se os espetaculos sao pobres, se as classificações são pessimas, se as exibiçoes nao justicam a ida ao estadio e o que se gasta para lá ir. Nesse caso, deixa de ir ao estadio, deixa de comprar camisolas, deixa de assinar a Benfica TV, acompanha tudo com maior distanciamento e o Benfica negócio ressente-se.

      Por isso disse que a principal causa (evidentemente ha outras que nao aprofundei porque o texto ja ia longo), para os estadios vazios é a falta de um espectaculo de qualidade, falta de competitividade, falta de adversarios que disputem os resultados ate ao fim.

      Porque nao basta ver apenas o Benfica como o espectaculo. Tu quando vais ao estadio nao vais so ver o Benfica, vais tambem ver o adversario. E eu, pelo menos, gosto de emoçao, de adversarios com valor, de vitorias suadas, de adversarios que nos façam correr.

      Tu vais ver um Benfica/Porto não é porque contra o Porto o teu apoio é mais importante. Tu vais ao Benfica/Porto porque esperas um jogo mais emotivo.

      E isto nao é so no futebol: Repara eu sou um adepto/cliente de Formula1. Mas achas que vejo a Formula 1 com o mesmo entuasiasmo quando o mesmo piloto ganha as primeiras 6 corridas e o campeonato se resolve logo ali, ou quando aquilo vai taco a taco até à ultima corrida?

      O mal é as pessoas pensarem que para o espectaculo ser bom basta que o Benfica seja forte. É um engano. É importante que os outros tambem sejam.

      Eliminar
  3. Continua a confusão entre adepto e cliente.
    Valia a pena ler The Soccer Tribe do Morris para esclarecer um pouco isso. Há uma identificação «tribal» entre o adepto e a equipa (no fim, a equipa é o adepto e o adepto é a equipa), coisa que não acontece com os outros espectáculos. Pelo menos eu não levo cachecóis e bandeiras ao cinema...

    Já agora: «Eu também adoro cinema mas não gasto dinheiro para ir ver um mau filme» Como é se se sabe se é ou não um bom/mau filme antes de o ir ver? É pelos jornais? Pelos amigos? Se é, o que diz isso sobre a capacidade crítica própria?

    Por último, não sei como acontece com os outros mas eu não sou adepto do futebol. Gosto muito de futebol, vejo muito futebol, mas sou adepto do Benfica. E sou dos que não vai ver mais vezes apenas por uma razão: falta dinheiro para isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu nao vou mais vezes 'a Luz porque nem sequer moro em Portugal.

      Mas tambem te digo, essa historia do cliente e do adepto, percebo o que queres dizer mas nao 'e tao linear como isso.

      O adepto de um clube nao o 'e so porque vai ao estadio, 'e ai que a tua teoria falha.

      Tal como eu posso ser um grande adepto de uma banda, ter em casa os albuns todos e nem por uma vez os ter visto ao vivo.

      Por mais Benfiquista que seja, quando vou a um estadio quero ver um espetaculo. Se vou ao estadio so para ver 3 pontos, posso ve-los em casa e continuo com os meus 20 euros no bolso.

      Queiras ou nao queiras, os espectaculos sao quase sempre pobres, e quando um espetaculo 'e pobre e ainda por cima da de borla na televisao, tens de compreender a escolha de muitos.

      Eu nao sou contra quem vai ao estadio. Quando eu morava em Portugal tambem ia muito.

      O que eu percebo 'e as razoes pelas quais muita gente deixou de ir.

      Olha, a minha mulher 'e inglesa e levei-a 'a Luz duas vezes. Nao gostou, porque o espetaculo foi fraquinho.

      Mas se a levar em Inglaterra a um jogo de futebol ou de rugby, a satisfacao 'e completamente diferente.

      Eliminar
    2. Em suma, um adepto não tem de ser um cliente, e um cliente não tem de ser um adepto.

      O que me parece, e é em relação a isso que não concordo, é que para ti um adepto tem de ser um peregrino, alguém que é escravo da sua fé e do seu coração de adepto, tem de seguir tudo às cegas, sem fazer perguntas nem fazer juizos.


      Eliminar
    3. De facto a televisão veio tirar pessoas dos estádios. Eu não vou mais ao estádio por causa do guito...e não é só o preço dos bilhetes é também o custo das viagens! Quando andava nos NN ou nos diabos tudo era mais acessível monetariamente e era fácil encher o carro! Hoje em dia se não for com 3 ou 4 amigos ver a bola, sai-me muito caro ir sozinho ao estádio!

      Eliminar
  4. Red, à uns anos o Belem abriu as portas para a recepção ao Boavista, o resultado foi um Restelo à pinha. O preço dos bilhetes é importante, muito importante. Tal como os horários. Mas não só. É um conjunto de pontos q tu referes muito bem.

    Os preços, os horários, o fraco espectáculo e, igualmente importante, a sensação de logro, de roubo, de injustiça que existe no nosso futebol. A crise ajuda a responder a algumas coisas mas o deserto nas bancadas vem de há muito tempo, bem antes da "crise".

    Soluções? Não sei. Olho para Itália e vejo estádios semi vazios, olho para Espanha e vejo estádios semi vazios. Inglaterra e Alemanha serão um Oasis mas mesmo na Premier League se vê bancadas vazias em certos jogos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queiramos quer nao, ter 4 jogos por dia em direto na televisao, alterou toda a dinamica do futebol.

      Antigamente, futebol era no estadio, era um sentimento de exclusividade. Se nao fosses ao estadio, tudo o que tinhas era o resumo de 5 minutos no domingo desportivo.

      Imagina a tua banda musical favorita que vem a Portugal uma vez. Claro que vais ver. Mas se calhar 'a segunda ou terceira vez ja pensas duas vezes se vais ou nao, especialmente se nao existe um album novo para tocar.

      E pior ainda se ha uma televisao, que decide dar os concertos todos dessa banda na televisao.

      A televisao banalizou o fenomeno futebol, e tudo o que 'e banalizado perde grande parte da emocao.

      Eliminar
    2. Em Inglaterra ha maior equilibrio, quer no topo da tabela, quer no meio quer na cauda.

      Todas as equipas jogam para ganhar.

      E os estadios, tirando 4 ou 5, olha que sao estadios pequeninos, 20000 ou 30000 pessoas, 'e bem mais facil,estarem sempre cheios

      Eliminar
  5. E não e só o preço dos bilhetes, acho que o pior é o que vem a seguir ou antes, o jantar, a bebida, a gasolina para o carro, o estacionamento, para alguns as portagens, etc
    Um sem inumeros de facturas a pagar para um jogo de futebol, que verdade seja dita há uma data de jogos por ano, não é como um concerto de uma banda que vem a PT 1 vez em x anos ou um esptaculo de teatro que tb está por pouco tempo. O Benfica baixou uns tipos de bilhete e criou o bilhete família etc mas o resto é sempre a subir

    Os horarios também desmotivam bastante, claro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo que jogos à tarde dariam uma gradissima ajuda.

      Pode ser que o Benfica, ao sair da Olivedesportos, possa pensar tambem no horario dos seus jogos em casa.

      Eliminar
    2. é isso mesmo RedMoon, não ficamos dependentes deles para escolhermos os dias/horas a que os adeptos têm que ir ao estádio.

      Parabéns pelo teu tópico

      Eliminar
  6. A última vez que fui a um jogo foi no início de Fevereiro, num Domingo, e acabou perto das 22h.

    Não só saí do estádio com montes de frio (22h em Fevereiro é hora para acabar um jogo?!), como se tivesse que me levantar cedo no dia seguinte seria bonito (felizmente sou estudante e faço o meu próprio horário).

    Na Alemanha interrompe-se o campeonato no Inverno (para não massacrar o público com a neve).
    Na Alemanha e em Inglaterra é raro um jogo começar depois das 16h30 (horas decentes). É melhor um jogo entre os dois últimos nesses países que qualquer jogo de meio de tabela em Espanha, Itália, Portugal então nem se fala.
    Resultado: estádios cheios. No fim de semana passado, com jogo grande na 4ª, estavam 80 mil no estádio a ver o Dortmund com um clube de meio da tabela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E em Portugal para se o campeonato 3 semanas no natal sem nada que o justifique. E depois tens o Benfica desde JAneiro com dois jogos todas as semanas, excepto uma em que houve jogos da selecao.

      E nao querem que a equipa esteja de rastos.

      Eliminar
  7. Como disse NSC, post carregado de pura confusão entre cliente e adepto ou sócio.
    Vou ver um jogo do Benfica, porque quero ver um bom jogo de futebol e obviamente que o Benfica jogue bem e ganhe.
    Mas sou sócio, não sou cliente. Não vou no final do jogo reclamar porque o Benfica não jogou bem (ainda que tenha ganho)ou porque a equipa adversária não deu luta.
    Só não vou mais vezes à Luz, por falta de disponibilidade de tempo, devido à minha actividade profissional, ou mesmo e também à falta de condições económicas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Discordo.

      EU próprio disse que nunca na vida assobiei um jogador do Benfica, nem no meio ou no fim.

      Mas enganas-te quando dizes que ou se é adepto ou se é cliente. Enganas-te, porque este adepto paga quotas, paga bilhete e lugar no estádio, compra camisolas, muitas vezes até subscreve acçoes do seu clube como adepto e que estão cotadas na bolsa.

      Pois se esse adepto não é cliente, que raio lhe chamas?

      Agora, um adepto pode ser adepto e nunca ser cliente, e isso não o torna um pior adepto. Tal como um adepto de uma banda musical pode amar a musica da banda, ter em casa os albuns todos da banda e nunca ter visto a banda ao vivo.

      Não confundas é um adepto com um peregrino, alguém que fruto da sua fé e do seu coração de adepto, segue tudo às cegas sem nunca fazer perguntas nem fazer juizos.


      E repara que eu nem culpo o Benfica pelos maus espectaculos. Culpo um campeonato pobre, em que a maior parte das equipas que vai à Luz passa duas vezes a linha do meio campo e sao 11 defesas quase enfiados na baliza.

      Queres-me dizer que por ser adepto tenho de pagar bilhete e ir à Luz gramar isso? AInda por cima sabendo já que na semana seguinte alguém vai dizer que o penalty nao era, que o arbitro estava comprado, e que o resultado é uma farsa?

      Eliminar
  8. Redmoon,

    Na minha óptica, tocas num ponto fulcral que acho o mais importante de todos: futebol ao sábado e domingo à tarde. Os restantes pontos, embora importantes, são "contornáveis".

    Como tal, como a Sportv não pretende, por motivos óbvios, jogos à tarde, vamos continuar a ter estádios vazios, com todas as conseuqências que, a curto prazo, daí advirão.

    Quanto aos assobios, sou completamente de acordo que se assobie quando a equipa não rende. O adepto é soberano, PAGA para assistir ao espectáculo e deve mostrar indignação quando o mesmo não justifica o valor do ingresso. Em alta competição não há desculpas. Ou agora os meninos não podem ser assobiados?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser que no proximo ano, sem ser escravo da sport tv, o benfica possa repensar os horarios dos seus jogos em casa.

      Quanto aos assobios, eu nao assobio por principio.

      Sou contra assobios durante o jogo.

      Mas tambem entendo que um jogador de futebol, se está preparado para os aplausos tambem tem de estar para os assobios.

      Eliminar
  9. Concordo, mas nós, LIGA de clubes, FPF, e, os próprios clubes não parecem estar muito inclinados para tal!

    Uma forma, simples e fácil, de atrair mais gente aos estádios passava pela mudança de um regulamento actual, refiro-me ao caso de empate por pontos o desempate ser feito pelas maior diferença entre golos marcados e sofridos! Quando deveria de ser pelo maior número de golos, sim, pela maior diferença de golos, porque assim as ditas equipas pequenas além de jogarem para o empate, se calhar iriam começar apostar em atacar mais, contribuindo desse modo para o espectáculo e atrair mais gente ao estádio! Um empate com golos 1-1/2-2/3-3 é sempre muito mais emocionante que um empate 0-0!

    Outra, aqui mais complexa, seria a LIGA de clubes de uma vez por todas assumir a responsabilidade total da organização dos jogos, para isso bastaria centralizar os direitos públicitários da LIGA, na própria LIGA, obrigar (tal como sucede na UEFA) os clubes a fazerem referência ao seus sponsers 50/50 nas conferências de imprensa. E, digo isto porquê, porque isso permitiria aliviar todos os clubes de uma despesa importânticima da organização do jogo, permitiria com isso baixar os preços, permitiria aos clubes pequenos terem mais dinheiro por via da publicidade, e, aumentava a competição, pois poderiam fazer com 50% do bolo publicitário fosse distribuído por ordem da classificação, um prémio monetário!

    E, depois os horários dos jogos são importantes, e, centralizar todos os jogos entre sábado e domingo! Excepcionalmente fora desses dias!

    O preço é importante, mas a competição também, e, há jogos do terceiro escalão aqui no país vizinho com mais gente no estádio do que os nossos da primeira liga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é que a gente vê a bola pelo nosso problema, o problema do Benfica que SÓ leva ao estádios 35000 pessoas.

      Então e os que só levam 200 ou 300 pessoas? Não fazem parte do mesmo campeonato?
      Achas que esses estádios estão vazios pelo preço dos bilhetes?

      Mas qual é a alma caridosa que quer passar duas horas num estádio a ver um jogo entre solteiros e casados? Claro que alguns ainda vão, são esses tais 200 ou 300. O resto está na praia, num shopping center ou a ver a bola no tasco a beber bagaço com os amigos.

      Mas o futebol é um espectáculo, e como qualquer espectáculo que é tem que ter bons artistas.
      Toda a industria futebol tem de ser repensada.

      Porque a malta vai aplaudir se daqui ate final o Benfica for so vitorias e se terminarmos a epoca com 26 vitorias e 4 empates... Mas acredita, isso não é bom para o futebol... Tal como nao é bom para o futebol espanhol um Real Madrid ou um Barcelona acabarem um cmapeonato com 100 pontos conquistados.



      Eliminar
    2. A pergunta é sempre pertinente, a coisa não se muda do dia, para a noite!

      Eu acredito sempre que as pessoas irão ao estádio, mas para isso os horários do jogo tem, e, forçosamente, tem de mudar.

      Depois, a nível de espectaculo, concordo contigo, a filosofia das nossas equipas é o pontinho, e, é muito chato ver um jogo entre duas equipas.

      Mas no nosso campeonato há grandes jogos, além dos super jogos, e, quantos desses grandes jogos quantos dariam na TV em sinal aberto? Nenhum, não critico nem SIC nem TVI, mas, a RTP sim, porque poderia dar jogos dessas equipas, já vi um ano na RTP um jogo entre Guimarães e Braga não ser dado para ser dado um do Benfica sem interesse nenhum, qual o problema? Audiências! Nisto nós estamos um passo atrás.

      Se queremos espectáculo temos de exigir mais, horários mais amigáveis, melhores espectaculo televisivo (copiar de preferência o da liga inglesa) e, a liga, deveria apostar com as rádios, sobretudo as que relatam os jogos, oferta de bilhetes, para todos os jogos, não só para os dos ditos grandes.

      Se pensarmos bem, e, olhando às equipas da primeira liga temos bons jogos, e, cheios de história, um Braga Guimarães, um Marítimo Nacional, um Nacional Guimarães, um Braga Maritimo e um guimarães maritimo e um braga nacional, e, vice-versa, agora pergunto eu, porque nunca dão estes jogos em sinal aberto? São clássicos, mais pequeninos, mas são-o, e, acabam por contribuir para o tal espectaculo, para levar mais gente ao estádio, para levar as pessoas a perceber que o campeonato não é porto, benfica e sporting!

      E, este ano houve boas sensações com Rio Ave e Paços!

      Isto levaria mais algumas pessoas, mais 100/200/300, a juntar aos tais 200/300 já seria qualquer coisita.

      Depois, com a centralização da publicidade, e, dos encargos da organização dos jogos pela Liga! Isso permitiria por parte dos clubes uma menor dependência da bilheteira para aumentar a receita!

      Contudo, isto é um pequeno passo! Mas seria útil para mudar a cultura.

      Outro aspecto, a violência nos estádios também contribui para diminuir o número de espectadores!

      Por último, espero que a BenficaTV seja uma lufada de ar fresco, e, contribua para esse melhoramento que se precisa no audio-visual, e, que jogos à tarde na Luz seja coisa do presente! Sobretudo os derby's

      Eliminar
  10. Daniel Oliveira12 março, 2013 12:51

    Ir ao futebol tornou-se um luxo. Muitas pessoas deixaram de ir porque simplesmente têm de optar pela alimentação da familia. Os preços dos bilhetes não ajuda. A austeridade não ajuda. Hoje em dia é possível ver o jogo na televisão e na internet com qualidade. O ambiente de violência que há muitas vezes não ajuda. O tempo de frio e chuva também não. Se juntarmos a isto tudo um pobre espectaculo é natural que cada vez vá menos gente ao estádio.

    No final do jogo os adeptos e sócios têm direito de manifestar a sua opinião. Também têm durante o jogo mas aí é preciso ponderar se podem estar a prejudicar a sua equipa ou não.
    Não percebo toda a sensibilidade que existe ao assobio. Os sócios e adeptos devem manifestar à equipa o que sentem. Querem os adeptos só para aplaudir e dar tapinhas nas costas? O público de um clube grande dever ser exigente e deve fazer sentir essa exigência. Se dão tudo em campo têm todo o apoio mas se encaram os jogos com leveza merecem ser espicaçados.
    Os jogadores são adultos. Porque devem ser tratados como cristais? Porque há tanto esta ideia que os jogadores no Benfica quebram e choram e param de jogar se forem assobiados? Queremos Homens de garra e força em campo ou queremos divas?
    O assobio é uma forma de manifestação que deve ser encarado por toda a equipa como uma critica construtiva. Como uma motivação para fazer mal e melhor.
    Por vezes o público erra e aí cabe aos jogadores treinador e presidente provarem esse erro.
    Vão dizer que sempre que o Cardozo foi assobiado não mereceu? Se está parado em campo tem é de acordar e começar a correr.
    Vão dizer que os assobios ao Emerson não resultaram? Deixou de ser titular e saiu no final da época.
    A malta tem a memória curta. Quantos jogadores o estádio já apoiou mesmo no erro permitindo que esse não perdesse confiança e melhorasse a qualidade? Eu dou já um exemplo. Fábio Coentrão quando foi adaptado a lateral. A expectativa era baixa e os seus erros iniciais foram perdoados e tiveram como resposta aplausos e palavras de incentivo do estádio.

    O assobio durante o jogo não deve ser uma regra. Deve ser uma excepção. Por vezes são necessários, por vezes são essenciais, mas raramente e devem ser bem ponderados. Aos jogadores cabe lidar com isso e crescerem.
    No final do jogo todos têm direito a manifestar-se como desejam.

    Já muitas vezes a equipa foi aplaudida mesmo não ganhando, deixaram tudo em campo e o adepto reconheceu o esforço. Mas porque não assobiar quando a postura e atitude é de displicência e desinteresse.

    Muitas vezes a malta esquece-se que estamos a falar de profissionais. O jogo acaba aos 90. Se uma equipa abdica do jogo por estar a ganhar 3-0 ao intervalo arrisca-se a sofrer um ou dois golos e a ter de correr o dobro com o risco de perder pontos. São profissionais e como tal têm de encarar os 90 minutos com profissionalismo. Sem esquecer que o goal average pode decidir o campeão.
    Felizmente o Benfica tem tido imensa sorte nos momentos dos jogos em que entra em hibernação. Ninguém pode dizer que não foi sorte o Gil não ter marcado no inicio da segunda parte. Eu acho preferível manter niveis de intensidade e concentração médios todo o jogo do que desligar 20 ou 30 minutos e arriscar uma vitória tendo de apostar na sorte para não ser preciso correr muito até ao fim do jogo.

    Vejam o caso do Man-Real. United apurado, jogo a correr de feição e Real sem capacidade de resposta. Depois um lance de infelicidade e inesperado deu a volta ao jogo e à eliminatória. Resultado: O United foi eliminado, os jogadores tiveram de correr que nem loucos e no jogo seguinte, em cada para a taça com o chelsea, a equipa rebentou, perdeu uma vantagem de 2-0 e agora vai ter mais um jogo no calendário e decidir essa meia-final da taça em Londres.

    ResponderEliminar
  11. Boa análise. Deixa-me só acrescentar que o problema do preço dos bilhetes é bastante complicado, porque as pessoas que tinham o hábito de ir aos jogos e perderam-no por causa do preço, perderam uma tradição e vai ser mais difícil recuperá-los. Assim como fazer um enfoque também no referido logro que tem sido o futebol português.

    Outra coisa que é importante ter em conta quando analisamos este problema: o que tem acontecido nos outros países - Holanda, Espanha, Itália, França, Bélgica, Escócia, etc? é que é fácil comparar com alemanha e inglaterra, mas para perceber bem as razões convém conhecer a realidade de países mais parecidos connosco. Convido-te a analisares isso :P

    Aparte: outro jogador que a arte do assobio assassinou: Calado. Mas isso era em todos os estádios xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh pá, o Calado, se a memoria nao me falha, começou a ser assobiado por outras razões!!:)))

      Mas obviamente, exemplos há muitos.

      Eliminar
    2. e todos nós sabemos qual ahah

      Eliminar
  12. Li o post todo mas não li os comentários.

    Acho que tens razão no que falas mas é preciso acrescentar alguns pontos:

    - A falta de competição e o Benfica e o Porto terem os jogos resolvidos aos 20 minutos não é mau. O que é mau é o triste espectáculo que se vê algumas equipas fazem. Peguem no jogo entre o Benfica e a Académica... a Académica nem tenta atacar (ganhar o jogo) e tem os jogadores a fingir lesões desde a primeira parte. Isto sim é que tira pessoas do estádio. Cá em Portugal há uma equipa a tentar ganhar e outra a tentar parar o jogo. Podem dizer, "ah e tal, isso é contra os grandes e cada um tem de jogar como pode". Ora, em Inglaterra, Alemanhã, Holanda (tudo campeonatos que enchem estádios) a filosofia do jogo é diferente... todas as equipas tentam ganhar e não é com anti-jogo. Apostam no contra-ataque, tentam aguentar o jogo mas mesmo as equipas mais fracas tentam ganhar e, num dia bom, ganham. Agora... com o anti-jogo todo contra o Benfica que estas equipas fazem, eu pergunto-te: que esperar no próximo jogo entre o Benfica e essa equipa? Mais ainda... o que esperar num jogo entre duas equipas dessas? Por isso se vê as equipas portuguesas (menos os grandes) lá fora a dar luta às equipas grandes (mesmo que percam) mas sempre que jogam com adversários mais fracos ou do mesmo nível, vêm com 3 golos na sacola e a eliminatória perdida logo após o primeiro jogo. Quantas vezes já não aconteceu isto?

    - Segundo ponto... a corrupção. Ora, ninguém acredita que isto é um desporto. Os Benfiquistas sabem que mais cedo ou mais tarde vem o artista do apito, os do Porto sabem como ganham e é por isso que querem treinadores tri-campeões na rua, os do Sporting vêm toda a gente a roubar o clube e ninguém com a paixão deles ano após ano e claro que também desanimam. O resto vai mais pelo pobre espectáculo de que falei acima.


    O resto também não ajuda (preço dos bilhetes e tal) mas se os espectáculo fosse bom, se houvesse cultura desportiva (coisa que não falei, mas não temos um programa que fale de futebol... só temos programas que falam dos erros dos árbitros, de declarações, de penteados... tudo menos futebol) as coisas podiam ser diferentes. As grandes ligas têm os estádios cheios (Alemanha e Inglaterra) e eles estão melhores que nós financeiramente. Mas a Irlanda, a Escócia e mesmo outros países têm uma filosofia de jogo diferente da que há aqui e os estádios enchem... Porque o espectáculo é bom, duas equipas a jogar e tal... aqui não... quando deviam ser duas equipas, nós só temos jogos ora com uma ou com 3...

    ResponderEliminar
  13. O nosso futebol é uma merda e ponto final!! Aceito que equipas como Académica e etc, joguem mais fechadas contra os grandes, agora entre eles andarem a jogar ao pontinho é que não!!! Devem jogar para vencer e o que assistimos são a jogos muito pobres, com equipas a jogarem a medo e muito jogo a meio campo. A última vez que fui ver a Briosa ao municipal de Coimbra em jogo de campeonato o primeiro remate da partida foi feito aos 43 minutos... Está tudo dito!!! Nunca mais lá me viram!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente o que disseste: É uma merda!

      Como escrevi la mais acima, um adepto, pelo menos um adepto que vai ao estadio, que paga quotas, compra camisolas e que vai assinar a Benfica TV é de facto um cliente.

      Eu percebo o NSC, refere-se aqueles adeptos que estao la sempre, quer chova quer faça sol, quer estejamos em primeiro ou em ultimo. Mas esses sao uma minoria.

      o Benfica tem claro um departamento de Marketing Desportivo que trata os seus adeptos como clientes. Claro, não é como ser cliente da MEO que se se chatear com o serviço muda para a Cabo Visão. Um adepto do Benfica nao muda para o Porto.

      Mas um adepto/cliente do Benfica, desliga-se do alvo da sua veneração se os espetaculos sao pobres, se as classificações são pessimas, se as exibiçoes nao justicam a ida ao estadio e o que se gasta para lá ir. Nesse caso, deixa de ir ao estadio, deixa de comprar camisolas, deixa de assinar a Benfica TV, acompanha tudo com maior distanciamento e o Benfica negócio ressente-se.

      Por isso disse que a principal causa (evidentemente ha outras que nao aprofundei porque o texto ja ia longo), para os estadios vazios é a falta de um espectaculo de qualidade, falta de competitividade, falta de adversarios que disputem os resultados ate ao fim.

      Porque nao basta ver apenas o Benfica como o espectaculo. Tu quando vais ao estadio nao vais so ver o Benfica, vais tambem ver o adversario. E eu, pelo menos, gosto de emoçao, de adversarios com valor, de vitorias suadas, de adversarios que nos façam correr ate ao ultimo minuto.

      Tu vais ver um Benfica/Porto não é porque contra o Porto o teu apoio é mais importante. Tu vais ao Benfica/Porto porque esperas um jogo mais emotivo.

      E isto nao é so no futebol, é no desporto em geral. Eu sou um adepto/cliente de Formula1. Mas achas que vejo a Formula 1 com o mesmo entuasiasmo quando o mesmo piloto ganha as primeiras 6 corridas e o campeonato se resolve logo ali, ou quando aquilo vai taco a taco até à ultima corrida?

      O mal é as pessoas pensarem que para o espectaculo ser bom basta que o Benfica seja forte. É um engano. É importante que os outros tambem sejam, mas que o Benfica saiba ser ainda melhor.

      Claro que quando vamos ver os programas dos paineleiros nas TVs todos os dias, percebemos logo que eles sao todos demasiado inteligentes para perceberem isso.

      Eliminar
  14. Faltou falar da violencia nos estádios e das decisões dos poderes instalados por parte de quem manda na federacao e liga que em muito descradebiliza o futebol, de resto plenamente de acordo

    Furabardas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito mais haveria para falar, mas o texto ja ia longo.

      Eliminar
  15. Se o empate valesse o mesmo que a derrota iam ver como havia melhor futebol em portugal, não resolvia tudo mas ajudava...

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares