60 Milhões de Tretas
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


quarta-feira, 5 de setembro de 2012

60 Milhões de Tretas

 ●  + 17 comentários  ● 
Chamo a vossa atenção para este texto brilhante abaixo. Este blog vai já para a nossa lista de favoritos:

Quando era mais novo e dava os primeiros passos no Estádio da Luz tive a sorte de apanhar dos últimos anos com planteis de jogadores que sabíamos os nomes de cor. Estávamos na época de 90/91 e no banco estava o Sr. Sven-Goran Eriksson (que esta semana me surpreendeu com uma transferência para um clube da Liga Tailandesa) e há nomes nesse plantel que nunca mais esqueci. Os três guarda-redes sei na ponta da língua: Silvino, Neno e o malogrado Bento. Depois na defesa o José Carlos, o Ricardo Gomes, o William (e aquela sua maneira de bater penalidades), o Veloso e o Samuel. No meio campo havia o Valdo e o Thern , um miúdo chamado Paulo Sousa, um tal de Vitor Paneira (provavelmente o último “7” do Benfica… um “7” como atribuímos o “7” ao Eric Cantona), um jovem sueco chamado Schwarz e outro vindo da Bolívia chamado Sanchez e um extremo electrizante chamado Pacheco. Depois no ataque… Bem… Isaias, Rui Águas, Vata, o eterno Mats Magnusson e o “Joker” César Brito. 

É provavelmente o último plantel em que recordo a maioria dos jogadores sem ter de recorrer aos amigos ou à internet para confirmar. Estes eu tenho a certeza que estavam no plantel de 90/91. Porquê este meu exercício de memória? 

Num ápice o Benfica vendeu 2 dos pilares do seu meio campo a troco de 60 milhões de Euros. Os adeptos indignaram-se no mundo virtual (longe vão os tempos em que o “Barbas” invadia salas de imprensa para impedir que o “menino de ouro” saísse do clube) e pouco mais há a esperar a não ser os apupos e insultos dos suspeitos do costume (as claques) que no fundo acabam por ser o último foco de “resistência” real mas cada vez mais domesticadas a aprisionadas pelos ditames da SAD do Benfica. Existem dois prismas através dos quais quero aflorar estas duas transferências (que do ponto de vista financeiro apenas me fazem tirar o chapéu à administração da Benfica SAD e ao corpo técnico da Luz pela valorização brutal dos jogadores envolvidos). 

O primeiro é o estatuto de ídolo de ambos. Javi Garcia (de Múrcia) e Axel Witsel (de Liége) eram ídolos dos Benfiquistas. Bons jogadores, giros (o público feminino delirava com o Javi Garcia), jovens e demonstravam aquela qualidade que eu mais valorizo num jogador de equipa: são constantes. Não me recordo de um mau jogo de Javi Garcia nem de um jogo mediano de Witsel. 

A Luz e a sua diáspora cedo os elevaram à categoria de Deuses da Luz, algo que apenas deveria estar reservado para alguns. Era os pedidos de camisolas, era os cânticos, são os estandartes e as bandeiras. É todo um folclore que os eleva à categoria de imortais. E no entanto, Javi Garcia sai da Luz com um Campeonato Nacional e umas Taças da Liga. Para Witsel apenas a última. 

O que se passa connosco? 

Como podemos permitir que tenhamos chegado a este ponto sem nos interrogar? Como conseguimos chegar ao ponto em que um Luisão (eu sei, vão puxar do argumento dos contractos) com 10(!!!) épocas de Benfica seja assobiado na Luz e um jogador com 1 época e meia seja quase chorado? Como podemos permitir que o melhor goleador do Benfica desde o Rui Águas (bolas…) seja assobiado e outros com ano e meio de casa sejam vistos como salvadores de uma nova era de triunfos Benfiquistas (não é verdade Nolito?). Será a nossa ânsia por atingir o sucesso rápido e apear o FC Porto da sua senda de vitórias? Ou ambas? Será o nosso consumismo a procurar a solução fácil? Será que ainda não percebemos que o Benfica é hoje um clube plástico sem alma? Sem respeito por si mesmo? E que os culpados somos nós? 

Vou vos dar um exemplo: quem me conhece sabe que sou fan do futebol de Jorge Jesus. No entanto um dia chego à Costa da Caparica e vejo nos conhecidos restaurantes do “Barbas” telas enormes agradecendo ao JJ o Campeonato que conquistou. Como nos podemos queixar do ego gigante do JJ com exemplos destes de adeptos que sabem o que é o Benfica? O JJ almoça com frequência no “Barbas” … querem que volte à sua infância de dificuldades e apareça uma alma que lhe ensine a cartilha da humildade? 

E basta recuar ao David Luiz, ao Ramires, ao Di Maria, ao Coentrão (se bem que este é de uma cepa diferente) ou avançar para o Salvio ou para o Rodrigo (sim…futurologia) para perceber que isto se repete e irá repetir… Mas meus amigos, não se iludam… a culpa não é deles…a culpa é nossa… Vendemos a nossa alma ao diabo jogo após jogo, semana após semana e agora queremos recuperar os nossos valores? 

O segundo prisma é a falta de preparação do Benfica para reagir a estas duas vendas. Custa me acreditar que na SAD do Benfica (e no banco…) habitam pessoas que não acreditassem que estas duas saídas eram possíveis na dead-line. E custa-me a acreditar que o gesto de despedida do Witsel no final do jogo com o Nacional não fosse indicio de que algo estava para acontecer. E custa-me também acreditar que não repararam nisso as mesmas pessoas do banco e da tribuna, fingindo toda a surpresa do mundo quando segunda-feira uns russos aparecem vindos do nada e sem sequer negociar (ou os bancos na Russia trabalham muito bem ao fim-de-semana ou não entendo porque não bateram a clausula do contracto antes de segunda-feira) levam o Witsel debaixo do braço (e o Hulk…). 

O que estou a pretender dizer é que não acredito de todo que no Benfica (e no FCP) não soubessem que estas vendas estariam para acontecer, mas como também não estão para gastar (sabe-se lá porquê) aparece uma venda já depois do prazo de inscrições sem que nada a justificasse. Foquem-se nisto: os russos chegaram e pagaram a clausula. Não esperaram pelo fecho do mercado dos principais campeonatos europeus para “negociar”. Chegarem e bateram os 40M em “cash”. Não vos faz confusão que tenham de esperar até segunda-feira para o fazer? 

Qual a justificação para toda esta patranha desconheço… Sei é que 60M de Euros é bastante dinheiro e também sei que não podem ocupar a posição “6” e a posição “8”… 

Qual será o preço disto tudo? 

Pelo meio destas duas vendas astronómicas o Benfica entrou em campo frente ao Nacional da Madeira e após uma primeira parte miserável (e com uma assistência miserável na Luz) consegue uma vitória por 3-0. Coisas a reter desse jogo: Melgarejo melhora aos poucos mas ainda não tem qualidade para ser defesa esquerdo do Benfica, a ausência de um “trinco” de inicio foi gritante (Matic entrou e a equipa melhorou…mas bolas… é o Matic… de repente não é o melhor trinco do mundo…) e não percebi o que se passou pela cabeça do Maxi Pereira para um dos seus piores jogos de sempre no Benfica na primeira parte e o Carlos Martins do costume… com as lesões. Depois as coisas boas: o Salvio é um jogador fabuloso e acrescenta muita velocidade e qualidade ao Benfica, o Rodrigo é um menino cheio de qualidade, o Cardozo é o melhor ponta de lança no Benfica desde o Rui Águas e o Luisão ainda consegue ter capacidade para dizer à “bancada” para parar de assobiar a equipa e cumprir o seu dever de apoiar nos 90 minutos. 

Agora pára o campeonato para os compromissos de selecção. E ao contrário do meu post anterior em que adivinhava o “onze” de Jorge Jesus frente ao Nacional, neste caso não tenho capacidade para entender quem irá fazer o “box-to-box”… Gaitan? Aimar? Bruno César? Carlos Martins? Miguel Rosa?

Aguardemos… 



17 comentários blogger

  1. Muito bom post.

    Apenas acho que para encontrar um ponta melhor do que o Cardozo é preciso recuar para bem antes do Rui Águas.

    E que ainda assim considero o Benfica o principal candidato ao título. Em condições normais, sublinhe-se.

    ResponderEliminar
  2. O texto está bem escrito, mas o que traz de novo à discussão? Nada. O ponto fulcral da discussão é o modo como a direcção e o treinador não contractaram ninguém para o lugar dos dois que saíram, porque de certeza que já sabiam que iam sair. Aí sim, a maior das críticas deve ser feita.

    Em relação à questão dos jogadores quererem sair, acho a coisa mais natural do mundo. Vocês é que andam iludidos e acham que eles são tão Benfiquistas quanto nós! Estamos a falar de profissionais, isto para eles é trabalho, um negócio. Há melhores condições, então siga! O que é que vocês não compreendem nisto?

    O resto do texto são memórias, querem viver das memórias, força. Eu olho para os títulos que nos faltam conquistar, não para os que já conquistámos. Esta treta da melancolia crónica já enerva. Sempre a evocar os jogadores do passado.

    Está bem que foram importantes, mas também não podem ter memória curta. Ou não se lembram do que fizeram o "miúdo chamado Paulo Sousa" e o "extremo electrizante chamado Pacheco"? Se quiserem eu refresco-vos a memória.

    E já se esqueceram porque saíram o Ricardo, o Schwarz, o Thern e o Valdo? Não foi por dinheiro?

    Witsel, ídolo? Deus? De quê? Esteve cá um ano e já é Deus? Poupem-me! O Javi ainda vá, era um símbolo, mas lá está, foi ganhar mais, para uma equipa que foi campeã no melhor campeonato do mundo, querem o quê?

    Poupem-me os melodramas, isso é coisa de lagarto, o erro que não podemos deixar passar é a falta de preparação do plantel face às saídas. O resto é treta.

    ResponderEliminar
  3. Benfiquista Tripeiro,

    Acho que o que o texto pretende demonstrar é a falta de valores e exigência do clube, em que se eleva a herois jogadores com um ano/ano e meio de clube e se assobia, critica e insulta constantemente dois jogadores como Luisão e Cardozo que cá estão há anos, e são dos melhores que o Benfica já teve nas suas posições. Cardozo então é um caso de estudo no futuro...

    Completamente de acordo com o texto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se for por aí, também acho que o texto está correcto e obrigado pela chamada de atenção. Há que ter respeito por Luisão, que está cá há muitos anos e é o capitão, isso é muito importante.

      Quanto a Cardozo, é simplesmente um dos melhores de sempre na sua posição. Que acha que ele é nabo, não percebe o que é a função dum ponta de lança. Cardozo é um ponta de lança, não é um avançado, são coisas diferentes. Cardozo tem uma tarefa, marcar golos, decidir jogos. E isso ele faz como os melhores. Há quem o queira a correr dum lado para o outro, a bufar, a gesticular, a ir ao meio e às linhas. Eu quero o gajo na área a marcar, que é para isso que lhe pagam. E o que é que ele faz melhor? Marca golos como o carago!

      Eliminar
    2. ... "texto pretende demonstrar é a falta de valores e exigência do clube, em que se eleva a herois jogadores com um ano/ano e meio de clube e se assobia," ...

      Lamento mas não concordo,o problema não reside no Clube, existe sim por culpa de um certo tipo de adeptos comum à maioria dos clubes mais mediáticos, que se estão nas tintas para a génese e cultura do clube.
      Para esses, o que importa é ganhar nem que seja à moda de Contumil!

      Eliminar
  4. Vou voltar ao mesmo e não me canso de dizer. Faltam VERDADEIROS BENFIQUISTAS envergar aquela camisola. É so estrangeirada que nem o valor do Benfica conhece, metade deles não sabe a história do clube que representa, cada vez anseio mais por uma aposta na prata da casa sabendo que com este treinador é um risco, será que os consegue motivar ou apenas desmotivar?
    Cada vez me dá mais vontande ver os Bês e as Modalidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em primeiro lugar, os B e as modalidades são Benfica; em segundo, não há mais clubismo nas modalidades (é só ver a circulação de jogadores entre clubes).

      E pedir benfiquismo aos jogadores é um anacronismo que ajudou a colocar o Benfica no lugar onde está. Quando um tipo é formado no Benfica ou outro diz que tem um grande amor pelo clube isso para mim são coisas secundárias. Não lhe dá mais direitos que aos outros. Tem é que render. Eu quero é que seja profissional. Não lhe peço mais. Honre quem lhe paga, e não é pouco.

      O Carlos Manuel era sportinguista e lutava pela camisola porque era profissional. Encarnava mais os espírito benfiquista do que o Paulo Sousa, formado no clube, ou o Amorim, assumido benfiquista, que passa o tempo a mandar papaias ao clube.

      Eliminar
  5. Realmente aquela deverá ter sido uma das melhores equipas do Benfica de que me recordo ver jogar.

    Mas isso leva-me a pensar noutra situação. Na altura não se via no Benfica o corropio de jogadores a entrar e sair que agora se vêm, víamos contratações cirúrgicas e nas quais se apostava. Se bem se recordam quem era o Paneira, o Pacheco ou o Isaías antes de chegarem à Luz, pouco mais que ilustres desconhecidos, talvez o Isaías fosse o que mais tinha dado nas vistas pelos golos ao serviço do Rio Ave e Boavista.
    As grandes contratações da altura eram jogadores de classe como Valdo (que custou ao Benfica 120 mil contos na altura), Ricardo Gomes, Mozer, Aldair, todos esses com um denominador comum: classe!

    Desde então a política de contratações mudou, e todos os anos vemos a entrar e sair carradas de jogadores, muitos que nem chegam a envergar a camisola nem a almejar sequer jogar na 1ª equipa. A que se deve esta situação? será para adepto ver e ficar contente com tantas contratações? não me parece, penso que todos concordarão que preferiam ver poucas mas acertadas contratações.

    A esta situação junta-se o que em tempos fizemos a alguns dos símbolos do Benfica, e lembro-me de 2 ou 3 ou mesmo mais casos flagrantes: João Vieira Pinto, Paneira, Isaías, quem os dispensou foi o Benfica e o resultado dessa "brilhante ideia" todos o devem recordar.

    Mas há casos mais recentes como o de não querer melhorar o contrato de um avançado com Van Hooijdonk, que deve ter sido do melhor que por cá passou antes de Cardozo, quando ele em conjunto com João Tomás formaram talvez a melhor dupla de avançados que actuou no Benfica, antes de Cardozo cá chegar... Quem não se lembra dos livres e golos de Van Hooijdonk ou da oportunidade de João Tomás? mas não, não eram avançados para o grande Benfica, e depois viu-se com o que acabamos por ficar.

    O futebol não passa de um negócio nos tempos que correm, e pessoas como Toni ou o nosso "velho capitão" Mário Wilson, são talvez os últimos grandes bastiões desta casta que realmente gostava do clube com genuinidade e não com o intuito de agradar aos adeptos e à 1ª oportunidade lá iam eles. Senão basta olhar no período mais negro que vivemos entre o meio da década de 90 e o início da década de 2000 quem eram os "bombeiros" de serviço? Muitas vezes colocando em causa as suas carreiras vindo dirigir equipas que todos sabiam estar quase à partida condenadas ao fracasso.

    Em conclusão, tudo mudou, nós inclusive, basta ver que dantes 70 mil na antiga Luz era uma assistência razoável e hoje enchia o novo estádio e ainda ficavam uns quantos de fora; antigamente éramos a base da selecção nacional e nesta convocatória nem um jogador lá colocamos.
    Parece-me, e isto é a minha opinião, que vivemos muito tempo à sombra das glórias do passado e perdemos o "comboio da modernidade"; perdemos capacidade de exigência e discernimento para com aqueles que viriam representar o nosso clube e enquanto não recuperarmos nestes 2 pontos continuaremos a viver intensamente de vitórias pontuais, precisamos de um projecto sólido e com visão de futuro para que não andemos constantemente a celebrar raros títulos no meio de travessias do deserto.
    Se é com esta ou outra direcção ao comando dos destinos do clube, não sei, mas que preferia ouvir da boca de um dirigente que para ter um projecto ganhador com regularidade eram necessários "X" anos em que poderíamos não vencer mas que a partir daí teríamos condições para... isso preferia, resta saber se a grande maioria de nós, está ou estaria disposta a ouvir essa verdade...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A adaptação à Lei Bosman dificultou uma conjuntura já de si difícil.

      Mas é verdade que as compras há 20/30 anos eram muito menos e eram muito mais criteriosas.

      Claro que nem todos eram craques. Também vinham tipos como o Tueba, Chiquinho ou Wando, só para falar dos estrangeiros.

      Eliminar
  6. Este texto espelha claramente o nosso estado de alma a sede vencer assim o obriga, e nós adeptos queremos titulos neste tempos é fácil idolatrar no nosso SLB alguém, basta que corresponda emediatamente ao que queremos que faça 2 / 3 jogos bem conseguidos e dizemos logo que ESTE É QUE É Á BENFICA...

    Quanto ás saídas estavam mais do que previstas, mas o BENFICA não acaba nem a época acabou, continuo a acreditar em titulos esta época (e não estou falar da taça da liga), o Matic se o mister JJ assim o desejar fará muito bem a posição de trinco, o jovem Miguel Almeida poderá muito bem ser uma alternativa válida( o Javi era igual no Madrid, jovem da cantera com qualidade mas como era da cantera não servia para o clube,os de renome é que eram bons, veio para a Luz virou idolo e agora está no Milionário City, bastou uma oportunidade, é o que se deve dar ao M Almeida e a outros meninos da equipe B, uma oportunidade, e nós adeptos devemos acarinhá los e faze-los crescer, estao em casa, temos valorizá-los como valorizamos "os de fora").

    Miguel Rosa é outro portugues da nossa formação que tão util nos poderá ser no meio campo, e não me digam que este não é já jogador, este sim o verdadeiro JOGADOR À BENFICA, este miudo tem de fazer parte dos eleitos, para mim este dois tem de fazer parte das contas do JJ, a nossa equipe B tem qualidade e de Marca Portuguesa.

    ResponderEliminar
  7. Começa a ser dificil comentar neste blog.
    Aqui só joga o dono da bola e os amigos.
    Quem não fôr da "seita" fica no banco.
    Assim não dá!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  8. BENFIQUISTA DO CORAÇÃO05 setembro, 2012 15:25



    O vice-presidente do Benfica reagiu ao comunicado do FC Porto, emitido na sequência das declarações do também administrador da SAD encarnada, que pediu que o contrato de transferência de Hulk para o Zenit fosse tornado público.

    «O comentário só merece três reparos. Quem confirmou a versão que tinha dado dos factos foi o próprio presidente do Zenit - veio da Rússia a confirmação que tinham dado aquele valor. Em segundo lugar, nunca negociei nenhum contrato, não conheço nenhum agente de jogadores de futebol e nunca assinei nenhum contrato enquanto administrado da SAD, onde nunca tive vencimento, nem ajudas de custa. Em terceiro lugar, não tenho nenhum filho, cunhado nem irmão que são agentes de jogadores de futebol. E tenho dito», disse Rui Gomes da Silva, que esta manhã esteve na oficialização do projeto da Cidade do Futebol, no Jamor

    ResponderEliminar
  9. Post brilhante adorei,tambem gostei dos comentarios ao mesmo,especialmente do benfiquista tripeiro que tambem teve uma resposta brilhante,sei que nao se pode servir dois senhores ao mesmo tempo mas gostei pronto.

    ResponderEliminar
  10. Eu revejo-me neste post! Pessoas que estão constantemente a criticar tudo e todos, a assobiarem o Cardozo ou qualquer jogador do Benfica, isso não são os valores do Benfica!
    Em relação às vendas, ao Javi não bateram a cláusula, mas foi um bom negócio! E o Javi queria ir para o que se está a tornar no melhor clube do mundo, ou pelo menos, cheio de estrelas!
    Witsel, chegaram cá e bateram os 40 Milhões na mesa, nada se podia fazer. E foi a maior venda de todos os tempos do Benfica!
    Matic parece-me ser um bom substituto do Javi, deu para perceber na 2ª parte contra o Nacional.
    Enzo Perez jogava na Argentina onde jogava o Witsel…vamos a ver.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares