O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. novogeracaobenfica@gmail.com


17 de janeiro de 2012

O leproso

 ●  3 comentários  ● 
Ricardo Costa não cedeu a pressões no Apito Dourado, esteve no centro das atenções e foi alvo de todo o vilipêndio no mundialmente famoso Caso Hulk & Sapunaru - o tal que ainda recentemente o romeno ao serviço do FCPorto assumiu publicamente culpas no cartório -, e já recentemente não teve espaço na renovação da continuidade do futebol português, ficando em terra enquanto vimos alinhar figuras comprometidas com o Sistema, como por exemplo Carlos Coutada e, no seu domínio, Herculano Lima, mais domesticável, como aliás mandam as regras.

Hermínio Loureiro, que aparte fazer parte do novo modelo é o principal dos cinco (seis contando com Mário Figueiredo) vice-presidentes do elenco presidido por Fernando Gomes, conhece-o bem não tivesse sido Ricardo Costa a razão principal das pressões que o agora VP federativo sofreu enquanto presidente da Liga de Clubes, como viria o próprio a admitir ao semanário SOL de 22 de Maio de 2010, em que relatou um almoço-reunião que teve a 3 de Setembro de 2008 no Restaurante Lusíadas, em Matosinhos, com Adelino Caldeira, vice-presidente do FC Porto, no qual o mesmo lhe assegurou; «Meu caro, ou você corre com o Ricardo Costa e tem a vida facilitada ou vamos fazer-lhe a vida negra».

Afigurando-se agora mais óbvio ainda que Hulk & Sapunaru agiram efectivamente mal, seria porventura pertinente recordar as habilidades do CJ, o qual aparte contradizer a decisão da CD da LPFP à luz dos habituais interesses e argumentos/Artigos para pategos comerem, resolveu cumulativamente informar o próprio presidente portista da decisão antes de a dar a conhecer a quem de direito – Hermínio Loureiro. Isto demonstra, sem sombra de dúvida, a teia de interesses obscuros que gravitam no futebol dos xitos, dos expedientes e da bajulação.

Remetido às suas crónicas semanais no Record, sem o poder executivo, auscultação, pedido de desculpas e reconhecimento que lhe seriam devidos, Ricardo Costa consegue ainda assim brindar-nos com regulares lufadas de ar fresco ao bafiento mundo do futebol indígena, com crónicas esclarecedoras atingindo os pontos certos, independentemente dos interesses envolvidos...

É o preço da verticalidade, algo que a pandilha das Antas nunca esteve habituada...

3 comentários blogger

  1. Meu caro, no que diz respeito há pandilha das Antas, o lema é este:
    -Quem não é por nós, é contra nós, ponto final.
    Fazem a marcação mafiosa na figura em destaque e o "tempo" se encarregará de fazer a "justiça" de Palermo.

    BENFICA SEMPRE

    ResponderEliminar
  2. Merda na Algibeira17 janeiro, 2012 18:50

    Vi foi muito poucos dos que condenam essa tão corrupta pandilha, a fazerem a defesa da verticalidade deste Senhor!

    Sempre o mesmo. Muita lamuria na condenação da pandilha, muito silencio e pouca acção na defesa dos que se atrevem a enfrentar a mesma!

    Isto é uma acusação a todos nós!

    PS. Bolandas, é tua a primeira referencia elogiosa ao RC que ouço em muito tempo! Já os da pandilha não largam o "osso".

    ResponderEliminar
  3. Ricardo Costa, merece a consideração de todos os desportistas honestos.
    -
    Neste país de corruptos as coisas funcionam ao contrario.
    -
    Mas vale a pena imitar RC

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB.

ranking