É preciso saber assumir...
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


segunda-feira, 9 de novembro de 2009

É preciso saber assumir...

 ●  + Sem comentários  ● 
Vamos começar directamente pelo fim, porque seja qual for o momento, eu sempre tive o coração na ponta dos dedos, mas nunca fui hipócrita.

Talvez fosse mais confortável para mim não revelar esta satisfação que vos vou descrever! A minha opinião pode não ser a de outros. Posso não escrever o que todos gostam de ler, nos momentos que gostam de ler e posso até escrever coisas sem sentido às vezes... mas se há coisa que nunca fui foi "lambe cús" ou "yes man". Quando tive que engolir sapos e fingir que nada acontecia, em prol da união... fi-lo; quando achei que era tempo de dizer "basta" a certas situações que tinham que ter um fim... disse; quando discordei assumi-o sempre!

Escrevi em tempos que lamentava certas posições a que Rui Costa era sujeito, assim como lamentei a ingerência de Luis Filipe Vieira em "dossiers" que eu entendia (bem ou mal é a minha opinião) que Rui Costa deveria ter total ou maior autonomia. Enfim... como podem ver não aproveito bons momentos para esquecer o que escrevi no passado e correr atrás dos bons momentos.

E porque recordo agora as diferenças? Para dar valor a quem hoje me deu gosto ver no final do jogo: Rui Costa!

E não me deu gosto apenas pela forma intensa e apaixonada como viveu o fim do jogo e celebrou a vitória com Jorge Jesus e os jogadores. NÃO! Foi por aquele virar costas para o campo, olhar para LFVieira, na tribuna, e estender-lhe no braço um símbolo de conquista (retorquido pelo Presidente), como quem diz "GANHÁMOS, Presidente"!

No gesto de Rui Costa ia a comunhão de uma vitória de um Clube como um todo! Não interessa voltar ao facto de se é uma comunhão conquistada, imposta ou consentida. Isso é lá com eles e eu sei o que desejo que fosse (ou seja). Mas se estiver a fazer bem ao Benfica, está bom para mim.

Pouco falarei hoje do jogo! Porra! Que novidade é dizer que a nossa equipa tem uma força e determinação de guerreiros que lutam pela vida em campo? E que novidade é dizer que os nossos adeptos levam a equipa a uma dimensão e atitude inesgotável? Ou que novidade é dizer que Jorge Jesus é um motor de uma dinâmica de constante insatisfação e vontade de querer sempre mais?

Não há muito a dizer sobre o jogo! Era jogo para 4-0 se a Naval não tivesse vindo para a Luz ter apenas 28% de posse de bola, fazer dois remates à baliza e utilizar no seu último terço do campo duas linhas de 5 homens à frente da baliza. O autocarro do Marítimo perto deste era uma mera furgoneta.




Prefiro voltar à satisfação que senti no gesto do "Rui Costa adepto". Por momentos vi em Rui Costa gestos e atitudes que eu próprio e cada um dos 42.000 gostaríamos de estar a exultar e partilhar com aqueles bravos jogadores.

Com as opiniões que me conhecem sobre este tema, era bem mais fácil escusar-me de falar sobre isto. Mas não me vou esconder, porque nunca fui e continuo a não ser do Sport Rui Costa e Benfica ou do Sport Vieira e Benfica! Só tenho um Clube e esse Clube será uma paixão com ou sem Rui Costa, Vieira ou qualquer outro.

Não embarco em ondas de loucura! Luis Filipe Vieira não virou o "mr. perfect" só porque o Clube ganha. No rescaldo de Braga eu próprio apontei um conjunto de situações que são ABSOLUTAMENTE FUNDAMENTAIS de melhorar... e muito. Mas seria de uma tremenda estupidez e mesquinhez não assumir as coisas boas que são feitas.

Continuo a discordar de alguma situações e sempre que entender que deverei dar a minha opinião discordante vou fazê-lo - ao fim ao cabo, são os bons momentos, os melhores para mudarmos as coisas que estão menos boas. Mas por outro lado, o Presidente, especialmente o Presidente, tem que merecer o mérito das coisas boas que estão a acontecer este ano e uma delas, a principal, é a contratação de Jorge Jesus, e só ele sabe as resistências que teve dentro do Clube.

Em tempos desejei que Rui Costa tivesse mais e melhor autonomia em determinadas decisões ou dossiers. Posso até estar errado, mas não é por acaso que José Mourinho um dia disse a um presidente: "se eu for para aí é para, no futebol, mandar mais que você". Ele sabe que o futebol é para quem sabe de futebol.

Hoje vi um Rui Costa satisfeito e orgulhoso! Neste momento pouco me interessa se isso é porque não tem outra opção, se é porque conquistou o seu espaço ou se sempre foi assim. Interessa-me, sim, que não haja "rabos de palha" e caminhos de discórdia no Benfica.

Seja pela mão de Rui Costa, de Vieira ou de ambos... é vital não esquecer neste momento, que em matéria de organização da "máquina do futebol" (e porque não falar também do Hóquei e do Baskete) estamos ainda longe do desejável e é importante apontar baterias para esse lado.

Não deixem de ler o tópico anterior: Confusão no Gayniário

0 comentários blogger

Enviar um comentário

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares