A época quase perfeita II
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


segunda-feira, 17 de junho de 2013

A época quase perfeita II

 ●  + 14 comentários  ● 


Portugal, 17 de Junho de 2013

Na continuação do tema, tentei explicar no texto anterior porque razão os erros do treinador não podem ser tão esmiuçados e univocamente relacionados com a causa das três derrotas nas provas que nos podiam ter dado a época perfeita. 


Aceito que o futebol é paixão e ilusão, e que a análise dos adeptos – formatados ou não pela comunicação social – muitas vezes vê os maiores defeitos naqueles que mais idolatram e aplaudem: treinadores e jogadores. Por isso compreendo que existam criticas contra o treinador por alguns maus resultados embora sejam criticas injustas e incorrectas, como tento demonstrar. Mais não fosse porque a existir um treinador que tivesse solucionado bem o jogo com o Estoril, ou o jogo com o Guimarães, quem pode dar garantias que esse treinador teria chegado ao mesmo jogo com o Estoril com possibilidade de ser campeão, ou que conseguisse ter chegado à final da Taça? 


Criticar porque faltou algo, esquecendo de valorizar o que se conseguiu alcançar, não me parece um raciocínio inteligente pois conduz à mudança sem garantias de sucesso. Ter garantias que o novo treinador não vai errar como supostamente errou Jesus, não é garantia de que o Benfica vai ganhar como tem ganho com Jesus. E para conquistar títulos é preciso ganhar jogos.


Como já referi noutros textos, nas análises sou pouco dado a paixões e mais dado a reflexões com fundamento rigoroso. Por isso costumo estar do lado oposto à paixão, na abordagem aos problemas do futebol do Benfica.

Porque há de facto, dois outros problemas, estes de natureza claramente objectiva: os erros da arbitragem e os erros da gestão da Direcção. Uns e outros, com implicações distintas, tiveram mais responsabilidades na “época quase perfeita” do que propriamente algumas decisões do treinador menos consensuais.


A arbitragem ao contrário dos treinadores, tem regras objectivas para serem cumpridas, que são as denominadas leis de jogo. Estão no sítio da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e estão ao alcance de qualquer um. A aplicação das leis de jogo depende da qualidade dos árbitros, da sua disponibilidade física para acompanhar de perto as jogadas e assim terem percepção correcta dos lances, bem como da sua disponibilidade intelectual para saberem interpretar os lances com correcção após um único visionamento dos mesmos. 


Ser árbitro não é fácil. Esperar arbitragens com erros zero é uma utopia. O que se espera é que os árbitros errem de igual modo para todas as equipas e isso manifesta e objectivamente não acontece! Para quem está atento aos jogos do Benfica e do principal rival, FCP, conclui que há um manual de arbitragem, que o líder da Comissão de Arbitragem gere a seu bel-prazer, de acordo com os resultados e os interesses em causa. Árbitro que erre de forma grosseira contra o Benfica, continua a arbitrar com mais ou menos jogos de suspensão, a maior parte das vezes para o protegerem para outras “encomendas” futuras. Árbitro que tenha um deslize, nem que seja mediático (caso Capela), a favor do Benfica, tem garantido uns jogos de suspensão, em maior ou menor número, conforme o erro seja mais mediático ou mais grosseiro. Na inversa, árbitro que erre de forma grosseira em benefício do FCP, é protegido e continua a arbitrar jogos. “Árbitros que errem contra o FCP” é cenário que não posso caracterizar, porque isso não aconteceu ao longo da época. E não foi por acaso...


Quando se perde um campeonato por 1 ponto, para mim é óbvio que temos de procurar na arbitragem as razões do insucesso, e só depois, caso se conclua que a arbitragem errou de forma aleatória, seja na natureza dos erros seja na diversidade de oponentes beneficiados, só nessa hipótese devemos partir para causas internas. O que não foi o caso. O FCP, uma vez mais, beneficiou de vários lances de grandes penalidades perdoadas, por lances de braço na bola: Gil Vicente, Moreirense, Braga, Setúbal, etc., quando em situações de jogo adversas, com 0-0 ou 1-0 a seu favor, Tal como no ano de Villas-Boas, onde aí o infractor era geralmente Rolando (Guimarães, Nacional da Madeira, etc.). O FCP beneficiou uma vez mais de critério disciplinar largo em particular nos jogos difíceis, como na 1ª volta na Luz, ao passo que o Benfica teve regra geral critério disciplinar curto, como atesta a expulsão de André Gomes no jogo com o Olhanense na Luz, pelo mesmo árbitro João Ferreira que não teve igual critério cm Fernando no jogo do Benfica – FCP. O FCP teve 1 fora de jogo mal assinalado (!) em 30 jogos, na Luz, 1º mn, enquanto o Benfica teve mais de uma dezena. O FCP não sofreu golos em fora de jogo, enquanto o Benfica sofreu. O FCP marca golos em fora de jogo. O Benfica não.


Quem pensa que este tipo de erros de arbitragem, são aleatórios e uma simples consequência do “errar é humano”, ou é uma pessoa distraída, ou é bem intencionada, ou é um otário por completo.


Sobram por fim, os erros de gestão. Para não ser maçudo e não ser acusado de estar sempre contra o Sr.º Vieira, deixo o tema para outra altura. Foram cometidos vários erros, objectivamente falando, sendo o mais evidente e recorrente, a falta de estratégia para a arbitragem e defesa dos superiores interesses do Benfica. A recorrência desta falta de estratégia faz-me pensar que é uma opção deliberada. Voltarei ao tema.


Para já espero ter conseguido passar uma outra mensagem sobre a responsabilidade do treinador no inêxito desta época, quando podia ter sido uma época de ouro. Bastava ter ganho as duas provas nacionais, o que teria acontecido, e com larga vantagem, se a arbitragem fosse correcta e não estivesse ao serviço do clube ali de baixo (para um transmontano, é assim).

14 comentários blogger

  1. Resumindo, o Jesus continua a ser um catedrático..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...catedrático mas mal amado pelo povo da Catedral!

      Eliminar
    2. Não sei se é catedrático, aliás parece que o único que é catedrático é o Mourinho ganhando ou perdendo. O que sei é que o Benfica de Jesus fez menos pontos do que o futebol jogado, por interferências de arbitragem (apesar da pressão da Sporti-FCP TV em sentido contrario - caso Capela) e o que sei que o FCP de Vítor Pereira fez pontos a mais do que o futebol que praticou, também por interferências de arbitragem.

      Na UEFA e apesar de alguns sinais que o poder do FCP tem alguma influência, o Benfica de Jesus fez melhores resultados quer na Champions, quer na Liga Europa. Com interferências de árbitros aleatórias, na minha perspectiva...

      Eliminar
  2. sim, o jesus continua a ser um catedrático. foi ele quem elevou o futebol do benfica após anos e anos de marasmo. e teria 3 titulos em 4 anos se não fossem os mestres do apito.

    os numeros nao mentem. passando para 3 pontos por vitoria todos os campeonatos desde sempre, fui verificar quantas vezes em 79 ligas o benfica teve indice de pontos superior ao deste ano. ano em que jesus partiu para a epoca sem medios titulares nem lateral esquerdo.

    nos ultimos 40 anos, so houve UM melhor. 1990-91, ainda o sistema corrupto nao estava totalmente instalado. 1 em 40. e em toda a historia 8 em 79. 2 deles no tempo do campeonato de 14 equipas nos anos 30, e 5 na epoca dourada do clube entre 1960 e 1973. e admita-se, entre 1963 e 1983 o benfica dominava os meandros do futebol.

    sem jesus este ano em março o porto ja era campeao, como tantas e tantas vezes desde que manda na arbitragem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado por tentar perceber o meu ponto de vista. Jesus errou? Talvez, mas os outros não erraram porque os árbitros não deixaram.. é a velha problemática de que não nos conseguimos livrar...

      Quanto à fantástica época 90/91, julgo que o "sistema" estava implantado mas de forma diferente. Note que o Fernando Marques substituiu a meio da época, o famigerado Lourenço Pinto, na CA da FPF e o FCP deixou de controlar a arbitragem nessa época. Depois o Boavista aproximou.se do FCP outra vez, e na época seguinte fizemos 68% de pontos ... pouco mais do que Trapp e Quique Flores com 65% cada um ...

      Eliminar
  3. Ok, só considero este post, porque acho que depois da fase da desilusão,neste momento estás na fase de negação, mais um mês passas á fase de ilusão e no fim volta ao inicio do ciclo! Ponham uma coisa na vossa cabeça é impossível o agente desportivo mais bem pago de Portugal, (sim não é nenhuma vedeta do relvado é o treinador) que em 4 anos ganhou, 1 campeonato, continue e para mais super fragilizado! Porque ele continua lá? É simples, enchem todos os bolsos na altura das vendas com as comissões celebres que nem preciso esmiuçar, é fácil de ver, basta ver o que o LFV fez com todos os treinadores anteriores ao Jesus, não havia margem nenhuma de erro, perde 1 ano, sai, nunca concordei com esse sistema, acho que um treinador precisa de margem de 2 anos para conseguir impor as suas ideias, o mais importante para nós que pagamos cotas e vamos ao estádio é ganhar titulos, não quero saber se o Fabio Coentrão ou A B ou C sai por 20M, 30M ou 40M reconheço importância e obviamente é bom mas quero é ganhar! O Jesus não é um vencedor, ponto final, já demonstrou que não tem capacidade mental para aguentar a pressão e sair por cima! Este ano teve azar, e o ano passado também? Não muito azar seguido?
    PS: Culpar arbitros quando a 3 jornadas do fim com 2 jogos em casa estás a 4 pontos do Porto e perdes o campeonato, é no minimo ridiculo e á Sporting!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, por no Benfica pensar como tu, é que há mais de 20 anos que andamos a apanhar bonés. O campeonato não se perdeu nas ultimas 3 jornadas. Um campeonato tem 30 jornadas. Vires aqui falar das ultimas 3, é sinal que não percebeste nada do que escrevi.

      Até porque não atingiste que os 4 pontos de avanço do Benfica se deveram a 2 penaltys falhados pelo Jackson. Não foi o futebol do Benfica, apenas, que originou a ilusão dos 4 pontos, mas sim, e em especial os penaltys oferecidos ao FCP e falhados pelo Jackson...

      Não me vou alongar em discussões com pessoas que acham que o treinador é bom na UEFA porque se quer mostrar e sair desta parvalheira. Porque até te posso dar o exemplo do Hóquei: na prova europeia, com árbitros estrangeiros ganhamos o único titulo que faltava, em casa do rival português. Com árbitros portugueses fomos eliminados 6-5 em Valongo.

      Não percebes? Não sei fazer melhor. Tenho uma licenciatura e um mestrado mas não é na área da comunicação. Por isso não me sei expressar melhor...

      Eliminar
  4. Ok, só considero este post, porque acho que depois da fase da desilusão,neste momento estás na fase de negação, mais um mês passas á fase de ilusão e no fim volta ao inicio do ciclo! Ponham uma coisa na vossa cabeça é impossível o agente desportivo mais bem pago de Portugal, (sim não é nenhuma vedeta do relvado é o treinador) que em 4 anos ganhou, 1 campeonato, continue e para mais super fragilizado! Porque ele continua lá? É simples, enchem todos os bolsos na altura das vendas com as comissões celebres que nem preciso esmiuçar, é fácil de ver, basta ver o que o LFV fez com todos os treinadores anteriores ao Jesus, não havia margem nenhuma de erro, perde 1 ano, sai, nunca concordei com esse sistema, acho que um treinador precisa de margem de 2 anos para conseguir impor as suas ideias, o mais importante para nós que pagamos cotas e vamos ao estádio é ganhar titulos, não quero saber se o Fabio Coentrão ou A B ou C sai por 20M, 30M ou 40M reconheço importância e obviamente é bom mas quero é ganhar! O Jesus não é um vencedor, ponto final, já demonstrou que não tem capacidade mental para aguentar a pressão e sair por cima! Este ano teve azar, e o ano passado também? Não muito azar seguido?
    PS: Culpar arbitros quando a 3 jornadas do fim com 2 jogos em casa estás a 4 pontos do Porto e perdes o campeonato, é no minimo ridiculo e á Sporting!

    ResponderEliminar
  5. Concordo. Para o Bandido, só lhe pergunto se Jesualdo Ferreira,Fernando Santos, Vilas Boas e Vitor Pereira são catedráticos. Porque nunca mais ganharam nada, nem vão!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é. Quando saem desta máquina de fabricar resultados, são como os outros.. o que é que muda?

      Alguns vão regurgitar a peregrina ideia que o balneário do FCP é muito forte. Ora bem, os jogadores do FCP, e salvo honrosas e muito limitadas excepções, também falham lá fora.... bolas, então ninguém no planeta tem o balneário do FCP?

      Ou será que nenhum outro clube no planeta é beneficiado com 1 penalty que resulta de um tropeção do próprio jogador, fora da área?

      Eliminar
  6. Eu concordo com o que dizes aqui sobre a arbitragem, basta conhecer o que Marinho Neves tem dito sobre isso, todos sabem como funciona uma marcação de uma falta em certo movimento atacante, como se transforma em amarelo uma simples falta em x minutos, como se tira um fora de jogo, como se controla a raça de um jogador, como se é "ajudado" em jogos de destaque sabendo que o final é que conta, sabemos quem são os arbitros que o fazem, etc, etc, etc, mas a melhor parte do teu texto é esta:

    "Porque há de facto, dois outros problemas, estes de natureza claramente objectiva: os erros da arbitragem e os erros da gestão da Direcção. Uns e outros, com implicações distintas, tiveram mais responsabilidades na “época quase perfeita” do que propriamente algumas decisões do treinador menos consensuais."

    Nem mais!!! Ora com uma direção no minimo competente, menos passiva e fora do sistema muito provávelmente JJ teria outra orientação e acredito que não cometeria erros amadores e crassos! Porém não nos podemos esquecer que não temos defesa esquerdo nem outras lacunas muito por culpa de JJ, não acredito que o Benfica não contratou tem defesa esquerdo só porque a direção não lhe deu, temos Luisinho, Carole e compramos outro a meio da época brasileiro, não acredito que tudo isto JJ não tenha conhecimento...mas tou á espera daquilo que possas escrever sobre o resto!

    Só gostava que a classificação dos arbitros tivesse algum destaque por aqui por exemplo...

    http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/artigo/2013/06/06/paulo_baptista_est_inclinado_pa.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro, já não vou escrever sobre a Direcção porque com o tema Assembleia Geral aí mais premente, acho que o assunto dos erros da Direcção - bem ais objectivos do que os do treinador - já não terá muito interesse.

      Eu não vejo os erros da Direcção como tu aqui desenhas. De fato concordo contigo quando falas de uma Direcção que estivesse fora do "sistema". Porque qualquer pessoa atenta conclui que Vieira anda a trabalhar para outros interesses que não os do Benfica e os dele. Mas de muitos outros clubes.

      Uma Direcção competente não deixava que se criasse o "caso Capela". Não é possível esperar 8 dias para o Presidente do Benfica falar do tema na inauguração de mais uma Casa do Benfica, quando nos 7 dias anteriores, o árbitro foi injusta e incorrectamente vexado e ligado a supostos erros de arbitragem que beneficiaram o Benfica. Com imagens manipuladas e acima de tudo, sonegando um conjunto de lances em que o Benfica também saiu prejudicado, a Sporti-FCP TV criou a ideia, em conjunto com os programas dos Trios (é para isto que eles servem), de que aquela arbitragem tinha sido uma arbitragem criminosa...

      Na jornada seguinte, apenas 8 dias depois, o SCP ganhou 2-1 ao Nacional aos 86 mn com um golo em fora de jogo, tão televisivo como os erros do Capela, e o FCP beneficiou de 1 penalty oferecido pelo Xistra, quando estava 0-0 com o Setúbal, que foi falhado, mas depois quando o FCP estava a ganha 1-0, o mesmo Xistra tirou 1 penalty claro ao Setúbal, com poucos minutos para jogar...

      Onde estava a Direcção do Benfica?

      Pois é neste plano que os erros da Direcção são objectivos e evidentes. Se a Direcção desse sinais claros que está atenta ao MANUAL DE ARBITRAGEM, os árbitros não erravam tanto e o Benfica tinha sido campeão, com este mesmo Jesus, com as mesmas opções dele ...

      Reparem, já o escrevi antes, só 3 equipas campeãs fizeram mais pontos que jesus: Barcelona, Bayern e Shacktar, para além claro do FCP. Isto quer dizer que grandes treinadores perdem pontos, porque seguramente tomaram opções menos correctas ou que resultaram mal. E não foi por isso que os adeptos os criticaram: Ferguson, Conte, Ancelotti, etc. Ora Jesus é criticado não por fazer uma má percentagem de pontos, 85,6 mas por não ganhar o titulo principal, sabendo nós como o FCP conseguiu fazer mais 1 ponto, nem a Taça onde sofre 1 golo claramente em fora de jogo (volta Capela, estás perdoado) depois de ter 2 jogadores fulcrais, Enzo e Matic, com cartão amarelo desde a 1ª parte, quando em situações mais gravosas, 3 jogadores do Guimarães passaram sem cartão e puderam ter níveis de confiança elevados ...

      Eliminar
    2. Mas o meu desenho é precisamente esse que mencionas, dei o exemplo técnico mas o mais grave é mesmo esse, a falta de apoio ao JJ no extra futebol! Como seriam as conferências de imprensa de Jesus (se ele orientado pela direção ) "disparava" e alertava em direção ao rival, isto é, o que seria se JJ mandasse umas bocas e/ou um discurso parecido com o do Vitor Pereira no FCP? Um treinador tem de estar identificado com o clube principalmente defendê-lo e isso resume-se a meter-se em tudo! Pois é as coisas seriam realmente melhores...

      Eliminar
  7. Um texto racional, com pés e cabeça. Parabéns!

    Manda mais destes! :D

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares