Balanço de Campeões
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 8 de dezembro de 2012

Balanço de Campeões

 ●  + 16 comentários  ● 

Portugal, 6 de Dezembro de 2012

Depois de termos ultrapassado com distinção as duas anteriores finais com Spartak e Celtic, apesar do melhor resultado de sempre obtido ontem em Barcelona, ficamos de fora da Liga dos Campeões e fomos remetidos para a Liga Europa. Nada que tire brilho à excelente campanha que fizemos nesta edição. Vamos a números.

Este Benfica sem Javi Garcia e Witsel (só jogou na Escócia) peças fundamentais no 4-2-3-1 da época passada na Champions, com Aimar (1 jogo a titular, 1 como suplente utilizado) e Carlos Martins (1 jogo a suplente utilizado) os nossos organizadores de jogo limitados fisicamente, com Luisão castigado durante 4 dos 6 jogos e Maxi durante um, este Benfica escrevia eu, conseguiu fazer 8 pontos no que é o 2º melhor registo da fase de grupos (igual a Koeman em 2005/06 e inferior aos 12 pontos da época passada).

Em remates totais à baliza, fomos superiores aos adversários em 5 dos 6 jogos, apresentando uma média de 18,5 (!) remates por jogo (8,8 dos adversários). Destes, em remates enquadrados com a baliza, fomos superiores aos adversários em 4 dos 6 jogos, apresentando uma média de 9,1 remates por jogo. Este valor não deve ser muito relevado porque se retirarmos os 18 do jogo com o Celtic, a média de remates enquadrados com a baliza, baixa para 7,4. Em contrapartida os adversários remataram 5,4 vezes em média.

Na posse de bola, pelo contrário, fomos superiores aos adversários apenas em 2 dos 6 jogos (em casa contra Spartak e Celtic), sendo de destacar a enormidade de posse de bola do Barcelona nos dois jogos: 72 e 71 contra os nossos 28 e 29%. No global fizemos 43,8% de posse de bola, que se descontarmos os 2 jogos com o Barcelona, sobe para 51,5%.

Nos cantos fomos sempre superiores aos adversários, 6 em 6, tivemos em média 8,8 por jogo contra 4,3 consentidos por jogo. Nos cartões amarelos tivemos menos que o adversário em 3 dos 6 jogos, iguais, em 1 jogo, e superiores nos 2 jogos com o Barcelona. Média de cartões sofridos por jogo: 2,7 (comparem com a nossa Liga para se perceberem certas “coisas”).

Como interpretar estes itens estatísticos? Cada um que ponha o “tempero” na parte que lhe convier. Do meu ponto de vista, o Benfica teve indicadores suficientes para passar aos oitavos de final, mesmo considerando a dificuldade do grupo (pelas razões que já mencionei em textos anteriores), as vendas dos habituais titulares Javi e Witsel (jogou ainda na Escócia), os castigos dos também habituais titulares Luisão (4 jogos) e Maxi Pereira (1 jogo), bem como as várias lesões das quais se salientam dos habituais maestros Aimar (alinhou em 2 jogos, 63 mn a titular na Escócia e 30 mn como suplente utilizado frente ao Barcelona com o resultado feito) e Carlos Martins (45 mn como suplente utilizado num jogo).

Sem organizadores de jogo com a qualidade e antiguidade de Aimar e Carlos Martins, o Benfica regra geral, teve de fazer jogos diferentes do ano anterior, optando por um futebol mais trabalhador, menos vistoso, mais compacto (excepção na Rússia) e estranhamente, muito rematador. Infelizmente a eficácia dos remates foi baixa, o que também merece reflexão.

E no final, ficamos em 3º lugar, com 8 pontos, a 2 pontos dos oitavos. Porquê? Por uma mera questão de falta de sorte. Com 8 pontos, como já referi noutro texto, fizemos a 2ª melhor pontuação desde que a Champions tem este modelo de competição e desde que conseguimos marcar presença com regularidade (época 2005/06). Dessa vez deu para os oitavos, desta vez não deu. Porque o Celtic teve a seu favor a sorte de conseguir 2 resultados que não deixam de ser acontecimentos estatísticos: ganharam fora de casa, 18 anos depois da última vitória, e ganharam ao Barcelona que desde a fase Guardiola julgo nunca ter perdido qualquer jogo na fase de grupos.

Depois de nos terem eliminado em 1967 por moeda ao ar, a sorte parece continuar do lado deles. Para o ano haverá mais e quem sabe voltamos a ficar no mesmo grupo para ajustarmos contas?

Em matéria de ganhos económicos, o Benfica ganhou 11,6 milhões sem contar receitas de bilheteira e de televisão. Também não é um mau resultado.

Por último a palavra de quem sabe: “o Benfica jogou muito bem. Para nós ia ser difícil e pelo futebol que o Benfica mostrou hoje merecia passar”, Adriano jogador do Barcelona (2 jogos como titular nos 5 anteriores ao último jogo com o Benfica) citado pelo SAPO DESPORTO, 4 de Dezembro. “O Benfica teve mais ritmo, mais ambição e estiveram mais perto da vitória do que nós”, Thiago Alcântara (primeiro jogo a titular na Champions), idem. “Foi um jogo muito complicado frente a uma equipa muito difícil. E foi uma pena não terem feito o golo para se poderem qualificar”, Rafinha, idem.

16 comentários blogger

  1. O Witsel saiu ao mesmo tempo do Javi e quem jogou na Escócia foi o Enzo, de onde saiu esse 'só jogou na Escócia'?

    Quanto á questão sorte foi realmente um infortúnio o Barça não ter ganho ao Celtic, agora isso não serve de desculpa para tudo, na Rússia a abordagem ao jogo foi péssima, foi também opção recorrente o Cardozo não ser titular e é interessante reparar que sem este em campo apenas se marcou um golo do fraco pecúlio de 5.
    Também convém frisar que fomos das piores equipa em termos de eficácia, 5 golos está ao nível dos piores desta edição, por outro lado com 5 sofridos a defesa está ao nível dos melhores. A marcação de cantos é de um nível amador outra situação que se arrasta e não entendo.

    Aimar e Martins que me desculpem os mais sensiveis mas já não dá, temos que olhar para o futuro e para os habituais titulares temos que ter jogadores que não sejam tão susceptiveis a lesões e que tenham estofo físico, o nome e o qualidade/potencial inerente de pouco vale se as pernas não se aguentam, ainda para mais jogando o SLB by JJ da forma que joga.

    Quando se começar a ser rigoroso e cirúrgico para com as necessidades da equipa nas contratações e se passe a jogar num modelo mais sóbrio e realista para a Europa pode ser que não se dependa tanto do factor sorte! Até quem puder que se sinta satisfeito e orgulhoso com vitórias morais que isso não é para mim e muito menos devia ser para o GLORIOSO!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto escrever de memória, mesmo com a estatística à frente, às vezes também dá erro. Na Escócia não jogou nenhum dos dois jogadores que mencionei. Mas sim Enzo Peres e André Almeida. No resto, de facto único jogo que não saiu bem, foi na Rússia, mas isso deve-se aos críticos que descontentes com o empate na Escócia, pediram mais "atrevimento". Por mais atrevimento entende-se uma postura mais ofensiva.

      E foi o que JJ fez na Rússia. Se na Escócia jogou com o Rodrigo como único atacante, tendo entre os mn 63 e 70 mn dois avançados (Cardozo entrou nessa altura), já na Rússia jogaram de inicio Lima e Rodrigo. O resultado foi o que se sabe. Mas os críticos aí devem ter descoberto outra coisa qualquer, menos a realidade: na Champions jogar com 2 avançados é um suicídio quase certo.

      Eliminar
  2. Para mim esta edição da Liga dos Campeões do Benfica resume-se em dois pontos:
    - Falta de ambição
    - Falta de jeito

    Explicando, nos três primeiros jogos faltou ambição e nos três seguintes faltou jeito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se aplicares esse critério ao SCP e ao Braga, seguramente encontrarás adjectivos de pior calibre. O que me deixa satisfeito.

      Claro que não imagino o que pensas do Chelsea ou do Manchester City, mas isso são contas de outro rosário ...

      Eliminar
  3. O Benfica nos últimos anos em tido sempre falta de sorte...a sorte dá muito trabalho...Valorizar o empate com este Barcelona só demonstra aquilo que somos,muito incompetentes! Incompetentes, falta de ambição e exigência..No Benfica é tudo perfeito e quando falhamos os erros não são nossos, é o árbitro, é o apito dourado, é isto, é aquilo, e nunca é culpa nossa!
    Lembro que o Benfica foi a única equipa que não marcou golos ao Barcelona mesmo jogando com uma equipa de remendos! É vergonhoso...Passar um Celtic!? por muita vontade que tenham em futebol são de uma infantilidade gritante...o golo que sofreram com o Spartk nem em infantis se vê! Vejam o golo e expliquem-me como é possível um defesa abrir uma autoestrada daquelas!? É esta equipa que passa!? É assim que defendem!?
    É quase tão deprimente como ter um jogador que custou 6 milhões a jogar constantemente na equipa B!

    Este Benfica é um regabofe e vejam bem este resultado...sim, é de uma modalidade mas nunca deixa de ser o Benfica...E não perdoo quem brinca com o nome do Benfica....
    http://www.maisfutebol.iol.pt/outros-desportos/benfica-perde-99-0-raguebi-cdul-taca--maisfutebol/1400170-1493.html

    Sim,leu bem...perdeu 99-0! ok, é raguebi...mas porra, não deixa de ser o Benfica...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Responder a anónimos é complicado porque muitos se fazem passar por benfiquistas, quando não são ...

      Falar de como o Celtic joga ou deixa de jogar, não contempla este facto: nenhuma equipa portuguesa dos 3 grandes, alguma vez tinha pontuado lá. Quer dizer que o Celtic jogando assim ou assado, sempre marca golos aos 3 grandes e ganha. Agora se joga sempre bem contra o FCP e mal contra o Benfica, eu já sei, estou habituado a essas formas enviesadas de ver o futebol ...

      Até porque se o Benfica marcasse 1 golo em Barcelona, nada garantia que não entrassem 2 ou 3 mais rodados, que Messi entrasse mais cedo etc, e não sofressemos um golo também. Alguém pode dizer que não? Só os analistas, já sabemos ...

      O FCP falhou alguns golos em Paris, mas disso não se fala. É pá, o FCP não precisava, mas fez descansar jogadores em Braga, porque interessava o 1º lugar. Então gaita, falhou o seu objectivo. E não se falam dos golos que falhou porque passou à fase seguinte? FALHOU O OBJECTIVO DO 1º LUGAR...

      Quanto ao râguebi, deves colocar essa questão ao Sr.º Vieira. Ele destruiu o anterior campo de treinos do Benfica. E a equipa anda de casa às costas ...

      A última equipa do Benfica campeã de raguebi, foi a que Vale e Azevedo deixou a Vilarinho ... é só uma nota de "reportagem" ...

      Eliminar
  4. O Witsel não jogou na Escócia. Foi o primeiro jogo do Enzo no meio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela correcção. Já tinha corrigido no primeiro post.

      Eliminar

  5. Eagle

    Então estás satisfeito????

    Eu acho que tinhamos obrigação de ir mais longe e não seria preciso nada de transcendente.

    Os Benfiquistas andam a contentar-se com pouco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São os benfiquinhas à procura das justificações para as vitórias morais. O JJ envereda pelo mesmo caminho. Fomos os maiores porque rematámos 18 vezes... Isso deve dar alguma taça, para juntar às taças da cerveja. Eu preferia que tivessem rematado 2 vezes e feito 2 golos.

      Eliminar
    2. Sim estou satisfeito ... se tivéssemos ficado fora da Liga Europa é que ficaria chateado ... Mas os valentes são sempre assim ... todos os anos leio isto, é só gente a pedir vitórias mas quando jogamos como na Escócia, com equilíbrio, vêm criticar porque não fomos atrevidos ... porque não jogamos ao ataque ...

      O adepto do Benfica por norma não sabe o que quer. Quer tudo e não quer nada. Contudo acredito que com Witsel e Javi a equipa poderia ter passado.

      É que ainda há essa vertente: a equipa globalmente está mais fraca, mas o Sr.º Vieira tinha de comprar o Sálvio para o FCP receber do Atlético ...

      Eliminar
  6. Quando se justifica o fracasso da nossa equipa com a falta de sorte no resultado desejado nos jogos dos nossos adversários entre eles...nem sei o que dizer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim. Para nós ganharmos é preciso que os adversários percam. Ora o Celtic bateu 2 recordes numa só edição da Champions. Em 2 dos 6 jogos, foi bafejado com a dita sorte do jogo. Vitória na Rússia com 1 autogolo e a jogar contra 10 desde o mn 60, mais o golo da vitória no ultimo minuto. Vitória sobre o Barcelona, metendo dois autocarros à frente da baliza.

      Convenhamos que se o Benfica fizesse o mesmo, aposto que o Pedro vinha aqui falar da "cobardia" do treinador ... houve 1 vez que com uma data de jogadores lesionados e empatamos e Lille (que havia ganho ao Manchester United) e você também achou mal ...

      Que havemos de fazer? Muda-se de treinador, muda-se de jogadores, continuamos a jogar no 4-4-2 e andamos na Champions a pensar que são todos tolos, como nós. Depois falhamos o objectivo principal e ai Jesus, que somos "isto e aquilo" ...

      MAs recordo que se fosse adepto do SCP, ultimo na Liga Europa, seguramente estaria mais desanimado ...

      Eliminar
  7. Agradeço os comentários mas esperava que analisassem a dupla perspectiva da quebra de qualidade do meio campo, com as vendas de Javi e Witsel, titularissimos na época passada. Também gostaria que tivessem analisado os modelos de jogo, uma vez que este ano só jogamos no 4-2-3-1 contra o Celtic fora e o Barcelona em casa. Faltou jogar assim na Rússia e quem sabe teríamos passado.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares