A crise de assistências na Luz.
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


domingo, 2 de dezembro de 2012

A crise de assistências na Luz.

Avatar
 ●  + 17 comentários  ● 
Após a leitura de um trabalho bem estruturado e profundo de análise por parte do Bcool no blogue 'Ontem vi-te no Estádio da Luz', aqui, quero escrever umas linhas sobre a política de bilheteira do Benfica e a ligação com as assistências na 'Catedral'.

A inauguração do novo Estádio da Luz abria uma oportunidade para regressarmos aos tempos do 'Inferno da Luz', aquele ambiente mítico, temível e bem real para os nossos adversários.

O olhar da direcção foi naquela altura apenas para os custos inerentes à construção do estádio e seu funcionamento durante os jogos, como a inclusão de centenas de seguranças. 

Os bilhetes teriam de encarecer obrigatoriamente, pois as condições de conforto proporcionadas aos espectadores eram agora bem melhores. (Já nessa altura, o olhar para os adeptos e sócios como 'espectadores', ou de outra forma, como meros clientes.)

O que não foi levado em conta foi a concorrência. De quê? Por pouco mais de 25 euros, um adepto assistia no conforto do seu lar aos principais jogos...nacionais e europeus. Pelos mesmos 25 euros assistia a um único jogo na Luz.

Além disso, outros factores ainda mais importantes: a travessia no deserto em termos de vitórias. Os tiros nos pés de sucessivas direcções desde 1994 nas relações com o FCP e seus apaniguados, principais promotores do ódio ao Glorioso. A falta de qualidade dos plantéis do Benfica.

Mesmo os títulos de 2005 e de 2010 não conseguiram tornar o Estádio da Luz num local normalmente de lotação esgotada.

Depois de 2 temporadas muito fracas, no início da actual época os REDPASS, símbolo dos que mais vão ao estádio, sofreram um aumento brutal e quase 20% dos detentores de tal cartão não o renovaram.

O preço dos bilhetes não foi revisto de forma a ter mais gente no estádio, obtendo no mínimo a mesma receita.
Comentou o Ricardo no post que mencionei no início: "O problema de termos a dirigir-nos gente que não percebe nem é apaixonada por futebol é este: vêem números, não percebem que se puderem meter 50.000 com bilhetes a 10 euros é melhor do que meterem 10.000 com bilhetes a 50 euros."

A direcção parece agora ter despertado para este tema. Tarde.

Com uma crise financeira como esta geração ainda não tinha sofrido, a direcção, no leme do clube há muitos anos, tem falhado nesta matéria. Não percebe que o futebol é paixão, mas que sem preços adequados ao tempo em que vivemos as pessoas não vêm. 
Que um clube sem sucesso desportivo tem que fazer mais para trazer os adeptos ao estádio. 

Lembrem-se de que os adeptos só gastam dinheiro. Não recebem um tostão para estarem sentados na Luz.
O seu combustível é o amor ao clube e o sucesso desportivo

Ir à Luz para ver roubos ao Benfica? Para não festejar títulos? Numa altura em que quase 20% dos portugueses estão desempregados? Há que pensar.

Decerto todos se lembram das 'molhas' enormes na antiga Luz. Do vento gélido de inverno que escolhia sempre os dias de chuva para brindar a Luz. Mas os adeptos íam na mesma. Porquê? Pensem nisso.


17 comentários blogger

  1. Iam pq tb nesse tempo só se pagava bilhete em 3 ou 4 jogos, sendo os restantes à borla. Iam pq os jogos eram disputados a horas que permitiam a deslocação à Catedral de vários pontos do País com o regresso a tempo e horas. Claro que as condições de vida se agravaram e isso se sente nas assistências. E para ajudar o Governo aumentou o IVA para 23% ENQUANTO PARA OS ESPECTÁCULOS DE ROCK'S E DROGA MANTÉM OS 6%. sE CALHAR MELHOR MESMO ERA BILHETES A 1 EURO...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O IVA é um ponto a que ninguém escapou. Ir ver jogos à borla, só se fosses tu e os muitos que mostravam um cartão qualquer aos porteiros amigos para entrarem à borla.
      Eu pagava sempre bilhete.

      E o estádio da Luz com 80 mil era já um colosso.

      Eliminar
    2. Águia Preocupada03 dezembro, 2012 19:34

      Ó Shadows estás a fazer uma grande confusão... Os sócios só pagavam bilhetes nos dias de sócio que eram apenas 3 por ano... Depois alteraram este esquema e foram passando a quatro, a cinco, até aos dias de hoje...

      Eliminar
  2. Sei que voces sao anti-RECORD por isso apresento-vos a nova ferramenta desenvolvida por mim (Para nao receberem nem 1 centimo!!!)

    http://record.sharedtv.co.uk/ - Conteudo Premium Record.pt Gratuito!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma. Somos anti-qualquer coisa que queira o mal do Benfica.

      Eliminar
  3. A politica de bilheiteira tem vertentes:
    os compromissos com os sponsors;
    a crise do país (desemprego), e
    a perda emocional devido às arbitragens corruptas.

    Qual delas a mais influente?

    O Benfica já adoptou o bilhete familiar, para resolver a questão da carestia.

    Sobre a questão, o Benfica não é propriamente uma instituição de caridade desportiva. Não pode, nem deve ser, assim de animo leve. Deve sim assegurar meios financeiros para responder aos anseios dos socios e adeptos em todas as modalidades.

    Que apareçam estudos bem elaborados para sustentar o clube que temos. Para isso terão que ser consideradas todas as vertentes em que assenta o a realidade do Glorioso. Ecletico e vitorioso.

    xico caçador

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Xico, de que serve um estádio com 40 mil lugares vazios? É preferível ter esses lugares vazios com ganho zero ou preenchidos com algum ganho quer na bilheteira quer em merchadising na loja do clube?

      O bilhete familiar é uma opção, mas reactiva. E que não cobre de forma alguma todo o espectro de adeptos.

      Eliminar
  4. "A trágica morte de João Silva Ribeiro, adepto do Sp. Braga vítima de atropelamento alegadamente quando fugia de uma investida de adeptos do FC Porto, foi o rastilho de uma noite sem precedentes e que terminou com carga policial nos bairros contíguos ao Estádio Axa" in RECORD

    http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/interior_premium.aspx?content_id=791719

    Agora quando falarem da morte naquela final da taça, lembrem-se deste episódio. Se foi intencional ou não, a verdade é que não pode ser abafado tal como o caso "Mesquita Alves" (mesmo que este se tenha suicidado, estranho o silêncio).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, é um assunto que não tem a ver com este post. Encontrarás outros posts neste blogue onde poderás escrever mais sobre isso.

      Eliminar
  5. Obrigado pelas palavras Shadows. A questão relativamente a esta quebra é originada pela crise e porque quem tem responsabilidades nesta área no Benfica não tem visão estratégica. Há muitos anos que o Benfica deveria ter desenvolvido uma política de fidelização de espectadores como o fez com os sócios. Mas não, a questão das receitas sempre foi vista numa óptica de curto prazo e sempre existiu a ideia que aumentando os sócios se aumentariam os espectadores.
    Quando se implementam políticas de atracção de espectadores depois das quebras registadas nas assistências e do aumento desmesurado dos red pass no início da época, podemos fazer a analogia que o Benfica é como se fosse dono de um terreno florestal que foi devastado pelo fogo e agora se preocupa com a limpeza do terreno e com a vigia para detectar eventuais focos de incêndio. O problema desta atitude é que por um lado descredibliza o acto de investir - compra de red pass/pack champions, pois há sempre borlas que efectivamente baixam os preços e prejudica quem investiu à priori pois não é compensado por estas baixas de preços.
    Enquanto tivermos uma gestão reactiva em vez de proactiva, ficaremos sempre totalmente expostos aos efeitos da crise, pois não conseguimos criar a fidelização necessária para impedir que as receitas/assistências caiam abaixo de um determinado nível.

    A mística popular que o outro estádio tinha este não tem, por isso é preciso explorar os pontos fortes deste estádio.

    Claro que com assistências a cair, será mais difícil conseguir um maior valor pelo naming do estádio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. B Cool, sempre achei que uma gestão reactiva revela um mau gestor. Como tudo indica que é DSO o responsável por esta parte da gestão, isto indica que ele não tem assim tantas virtudes para ter tanto poder nas mãos.

      O naming é um aspecto fulcral nas receitas futuras. Também nisto um bom gestor teria antecipado este ponto.

      Sinceramente, desilude-me que até em algo tão óbvio como ter uma política continuada para encher o estádio de forma regular, o Benfica ande sempre atrasado e não aproveite o seu potencial.

      Veremos que medidas tem o clube para 2013. Para já ainda me parecem muito poucas.

      Eliminar
  6. Reactiva e proactiva, dois palavrões que não significam nada que não se saiba. Apenas iludem.

    O novo estadio foi construido para ser lotado pelos socios e adeptos. A zona para adversarios é o que as regras permitem minimamente.

    Ninguem pode prever uma crise do país e tomar medidas antecipadas para encher o estadio. Não esquecer que a vontade é sempre do espectador. O clube pode facilitar e mesmo assim não corresponder à capacidade de compra e vontade do adepto/socio, logo o estadio não enche. Depois há o interesse do proprio jogo que não mobiliza.

    Enfim, sou da opinião que isso de encher o estadio no papel, com politicas reactivas ou proactivas, é muito mais facil, que pôr 60 mil a comprar bilhetes por muito baratos que sejam. Tambem não aprovo custos da uva mijona ou borlas.

    xico caçador

    ResponderEliminar
  7. Mas esse problema não afecta só o Estádio da Luz, veja-se que há uma diferença de 100 mil adeptos nos estádios em relação aos mesmos jogos da época passada.
    É a crise, então se num universo de quase um milhão de desempregados (16,3%????) certamente que haverá por lá muitos BENFIQUISTAS, e não estou a ver como é que pode haver dinheiro para o futebol quando a dispensa e o frigorifico estão com as prateleiras vazias.
    Este é um problema transversal a toda a economia não é um exclusivo do futebol, antes fosse.

    ResponderEliminar
  8. Águia Preocupada03 dezembro, 2012 19:54

    Não me parece que seja apenas a crise que explica a falta de espectadores. Há alguns anos que tal se verifica e não se falava nem se sentia a crise!
    A verdade é que como diz o xico caçador, o futebol enveredou por um caminho negocial desmesurado, esbatendo o fervor, a paixão, e o divertimento que um jogo de futebol nos proporcionava.
    É certo que os tempos mudaram e os sentimentos manifestam-se de formas menos exuberantes e mais comodistas.
    Eu que não falho um único jogo, já não tenho aquele entusiasmo de há meia dúzia de anos e o interesse tem vindo a diminuir drasticamente ao ponto de quando terminar o prazo do meu Redpass, não o renovarei.
    Porquê:
    - Porque são anos a mais a viver na mentira que a corrupção evidencia
    - Porque as horas a que são os jogos, são impróprias
    - Porque o estádio não me diz nada, nem me dá as condições de conforto compatíveis com o que pago
    Porque:

    "A inauguração do novo Estádio da Luz abria uma oportunidade para regressarmos aos tempos do 'Inferno da Luz', aquele ambiente mítico, temível e bem real para os nossos adversários"

    não trouxe nada disto. Antes abafou o "ambiente mítico" e que ainda hoje me arrepia quando revejo imagens antigas!

    E porque há muitos porques que não justificam o endeusamento a uma classe que só vê cifrões e milhões e pouco dignifica a sua profissão!
    Ah! E porque as sucessivas direcções destes últimos 15/20 anos mataram o meu clube!

    ResponderEliminar
  9. ó xico caçador, o país não entrou em crise neste semestre. a crise já vem há algum tempo e qual a resposta da SAD ? qual autista aumenta os preços dos red pass em 15%, o red pass da bancada meo piso 0 passou de 310 para 360 euros, o da coca-cola de 170 para 195.

    o que defendo é que o Benfica deveria preocupar-se em encher o estádio, em criar fidelização e isso passava por não só não subir os preços, como inclusivamente descer os preços do red pass. Para quê ? Para que apesar da crise, o Benfica conseguisse aumentar as suas assistências sem ter que recorrer a esta atabalhoada política de borlas que agora pratica.

    Com os espectadores fidelizados e com a inversão do ciclo económico iria progressivamente aumentando os preços e dificilmente perderia cativos.

    Um estádio cheio, potencia outras receitas, nomeadamente naming, merchandising, aluguer de espaços (caíu 17%) e permite que tendo assegurada uma determinada assistência, praticar preços de bilhetes que compensassem a diminuição dos cativos (não em todos os jogos).

    ResponderEliminar
  10. B cool,

    isso da fidelização dos espectadores é apenas teoria.

    Ninguem, em nenhum espectaculo, vai assitir se não tiver dinheiro para o bilhete.

    A crise de hoje não é a mesma da outra epoca. É mais gravosa, Desemprego, piores salarios, falencias. E depois não é só o preço do bilhete. Há o transporte, a bucha etc.

    Cansa estar a discutir teorias, sem estudos sobre a materia. E tenho a certeza que essa materia foi devidamente estudada pela direcção.

    E se as coisas estão como estão é porque a solução não passa só pela politica de bilheteira adoptada.

    Há toda a problematica que outros comentadores tambem já mencionaram.

    xico caçador

    ResponderEliminar

  11. Este assunto, segundo promessa do Viera na campanha eleitoral está a ser estudado. Vamos ver se é para cumprir.

    Ora leiam:

    "" VAMOS BAIXAR AS QUOTAS E OS BILHETES ATÉ JANEIRO"

    O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, durante um jantar, com as 12 casas do clube encarnado no Algarve, revelou que pretende uma redução nas cotas e bilhetes para garantir a lotação máxima no Estádio da Luz em todos os jogos.

    «Vamos baixar as quotas e os bilhetes até Janeiro. Esta medida já estava a ser pensada e não é demagogia. Quero um estádio sempre cheio e não meia casa»
    *******************************

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários. Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado. Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado. Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares