O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


O Benfica deve vender em Janeiro?

segunda-feira, 28 de março de 2016

Avatar

Mataram o futebol.

 ●  + 50 comentários  ● 

Partilho aqui um excelente artigo que li no Expresso escrito pela jornalista Mariana Cabral.

De leitura obrigatória.

50 comentários via blogger

  1. Corrige o link. Não está a funcionar. Sl

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha o lagarto saloio. Lol

      Eliminar
    2. Eeeehhh granda abuso! Lol além de uma ordem direta ainda és brindado com um SL! Lol

      O texto ta bastante satisfatore, o meu 1 mundial foi o de 98 e não foi assim tao entediante!

      Eliminar
    3. O que significa SL? Sporting Lisboa? LOL

      Eliminar
    4. O mundial de 98 foi um grande mundial, com a argentina e a Holanda a jogarem grande futebol

      Eliminar
    5. O mundial de 98 foi um grande mundial, com a argentina e a Holanda a jogarem grande futebol

      Eliminar
  2. ...e em breve voltamos aos anos 90 na arbitragem tuga. ora vejam a lista do jorge coroado...

    ResponderEliminar
  3. Sem fazer valorização do texto só questiono.
    Como é possível dizer que isto é um excelente texto e criticar o jogador mais criativo (juntando a eficácia) que passou no Benfica nos últimos anos? Ah... Já sei... Embirração (e falta de conhecimento futebolístico)!

    ResponderEliminar
  4. Artigo com o qual me identifico em quase 100%, lembro-me da Argentina de Kempes, da Holanda, do Brasil de 82 - DO BRASIL DE 82! PORRA QUE MARAVILHA!, mais tarde do Ajax, até de um Dinamo de Kiev (creio)... as equipas que jogam bom futebol são as que apaixonam, por mim vencer não é o mais importante, a arte vem primeiro... prefiro ganhar 5-3 , que 2-0, esse futebol que volte depressa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Roberto Rensenbrink28/03/16, 21:29

      Brasil de 82: 100% de acordo. Aliás, quase todo o mundial de 82 foi soberbo.

      Comparar aquilo com o futebolzinho de hoje... Na década de 90, nós, portugueses, tivemos momentos sublimes e de grande futebol. Agora, é verdade que os mundiais foram uma trampa. E daí para a frente foi mais do mesmo.

      Quando me recordo de Tatas Martinos e Sabellas, por exemplo, até me chega o vómito à boca.

      Os miúdos, hoje, deixaram de jogar na rua e são domesticados desde o início.

      É por considerar que o futebol é arte que considero o nosso Ronaldo dos últimos 4 ou 5 anos um atleta muito mais do que futebolista e me parece que existe um par de jogadores muito superiores a ele. Infelizmente, nos últimos anos reduziu-se o futebol a estatísticas, a grelhas, a dados quantificáveis (o futebol e o resto; é uma tendência da sociedade contemporânea). Relembro aqui o célebre 'Clube dos Poetas Mortos', nomeadamente as cenas iniciais em que o professor K chega à escola e manda rasgar as páginas de um manual de literatura que concebia uma escala para medir a poesia. A arte é, sobretudo, sensorial e não mensurável por escalas.

      Tinha 13 anos quando vi o mundial de 1982. Nunca mais vi nada parecido e não me parece que volte a ver.

      P.S. - Junte-se às causas da morte do futebol a entrada em cena de Carvalhos, Inácios, Guerras, etc., que vieram fazer companhia a outros que já por cá andavam.

      Eliminar
    2. Subscrevo. O Mundial de 82 foi o primeiro em que vi alguns jogos a cores e aquele em que assisti a grandes jogos de futebol com um Brasil como nunca mais voltei a ver.
      O Europeu de 84 também foi bastante bom.
      Tenho vagas memórias do Argentina 78 mas lembro-me de um grande ambiente festivo. Quanto à qualidade do futebol, zero recordações.

      Eliminar
    3. Ainda sonho um qualquer avanço no sentido de um futebol e um mundo mais arte , mais paixão, sonhar é o que me resta, e sonho...
      ... grandes recordações,... grandes recordações... e sim os guerras, os inácios e o dinheiro, o dinheiro, o dinheiro uhhhhhhhh, kacena meus, ...
      Concordo totalmente com a observação sobre o Cristiano!!!

      Eliminar
    4. Está visto que quem perdeu a paixão foram os adeptos...

      Eliminar
  5. Águia Preocupada28/03/16, 22:11

    Não li o texto todo! Mas discordo quando é dito que o futebol morreu nos anos 90! Há algum tempo já havia morrido...
    O meu primeiro Mundial foi o de 1966! Sim, o Mundial dos Magriços, desprezados à sua chegada a Inglaterra e venerados na sua despedida!
    E o meu último foi precisamente o de 1982! Grande mundial esse! Grandes jogadores, grandes selecções e grandes histórias... Desde Paolo Rossi que foi "pescado" da cadeia para ser o melhor marcador e Campeão Mundial, até Shumacker(?) que numa saída assassina mandou Batiston para o hospital até à reentrada em campo de um jogador alemão com braço engessado depois de ter sido substituído... Mas sobretudo por um futebol de excelência que jamais vi quer em mundiais quer em europeus!
    Hoje, o que vemos não passa de arremedos de futebol, onde as estratégias e as tácticas se sobrepõem à arte e ao espectáculo!

    ResponderEliminar
  6. Masterpiece28/03/16, 22:36

    Esta imberbe jornalista de 27 anos, limita-se a debitar uma série de lugares comuns como a maioria dos jornalistas "new wave " que depois de algumas aturadas pesquisas despejam para o papel teorias absurdas sobre treinadores, jogadores e presidentes !
    Simplesmente deplorável ter colocado entre aspas o apelidado "Doutor" e lider da selecção canarinha nos mundiais de 82 e 86, quando Sócrates Vieira de Oliveira ao tempo, já era de facto formado em Medicina que curiosamente nunca chegou a exercer na plenitude uma vez que conjugava a sua actividade de comentarista desportivo com a de médico em part-time. Respeito pelos leitores e profissionalismo é o mínimo exigível por uma profissão cada vez mais avacalhada ! ! !

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Finalmente um comentário realista.

      Parabéns pela lucidez Masterpiece.

      Eliminar
  7. http://www.record.xl.pt/internacional/paises/inglaterra/detalhe/man-united-em-leiria-para-ver-renato-sanches-bernardo-silva-e-andre-gomes.html

    Olha esta tripla.

    ResponderEliminar
  8. Primeiro mundial que vi 1974, ficou-me na memoria a jogada inicial do Cruyff na final, o Zaire que era só cabazadas e a Holanda, o melhor mundial o de 1982, grandes jogos e grandes selecções, a partir dai foi sempre a descer, o de 1986 já não teve nem metade da qualidade apesar do Maradona.

    Penso que o facto da Holanda ter perdido 2 mundiais a jogar daquela forma e depois ao Brasil ter acontecido o mesmo em 1982, penso que esse factor foi nefasto para o futebol, levou as pessoas a olharem mais para o resultado e menos para a arte, por isso eu dizer que os jogadores de hoje não me dizem nada, até podem marcar 500 golos por época. Quando as pessoas comparam o golo do Messi ao Getafe, com todo o respeito com aquele marcado por Maradona, num mundial 1/4 final, um jogo a eliminar e com uma tensão enorme devido à guerra das Malvinas, só podem estar a brincar ao futebol

    Hoje preocupam-se com estatisticas, kms, passes, numero de golos, Jonas é um bom exemplo disso, mas há muitos mais, já o disse vou-me lembrar tanto do Jonas como me lembro do Mats Magnusson, nada, arte no futebol de hoje é zero, futebol desequilibradissimo, jogadores banalissimos e já expliquei porquê em alguns posts por aqui.

    Houve jogadores que em determinadas epocas eram grandes jogadores que se jogassem hoje eram reis

    O problema começou timidamente no final dos anos 80, mas a Lei Bosman e a União Europeia, é que acabaram por matar o futebol, futebol como se viu até aos anos 80 nunca mais se vai voltar a ver, jogadores como aqueles, estádios com 100 e tal mil pessoas, aqueles ambientes, nunca mais, até doi quando se vê imagens do Estadio da Luz, por exemplo contra o Marselha, Steaua, Anderlecht, jogos grandes, comparado com o estádio da Luz de hoje é a noite e o dia. O que se assiste hoje nas equipas de clube, antigamente só se via quando havia jogos de selecção da Europa contra o resto do mundo, hoje é ao contrario. O verdadeiro valor de Messis, Ronaldos e e outros, é mostrado quando eles jogam nas suas selecções, onde não beneficiam do desequilíbrio a que se assiste nos campeonatos e nas competições europeias, por isso já participaram em não sei quantas fases finais e não mostraram nada de nada nenhum deles, e a nível de golos também não se vê nada de nada

    Falando um pouco de mim foi no inicio dos anos 90 que me comecei a afastar do tutebol, durante os anos 70 e 80, era todos os jogos na Luz, juniores, Basquetebol, Hoquei, até Andebol, com a chegada dos anos 90 deixei de ir a todas e comecei a ir a certos jogos, fora deixei de ir, apenas nas redondezas de Lisboa, e depois de 94 nem isso, depois passei a ver os jogos grandes, os que mais gosto de ver, depois coincidencia ou não com a chegada de LFV, a partir foi sempre a descer até deixar de ir ver um jogo do Benfica há 4 anos, a excepção foram as finais europeias da Liga Europa, mas já não senti nada como em 1983, 1988 e em 1990, triste mas uma tristeza muito diferente daquela que senti nas primeiras finais, e dificilmente voltarei, continuarei socio, mas nem com bilhetes oferecidos vou

    Há muitos anos a esta parte que devo ver para ai 1 a 2 jogos completos de principio a fim por época, tal é o interesse que tenho pelo futebol, o dinheiro e a fobia do sucesso que graça nesta sociedade de porcaria deram cabo de todos os desportos, mataram o desporto e geraram negocio e nada mais que isso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Jonas é um bom exemplo disso, mas há muitos mais, já o disse vou-me lembrar tanto do Jonas como me lembro do Mats Magnusson, nada, arte no futebol de hoje é zero, futebol desequilibradissimo, jogadores banalissimos"

      Meu caro, excelente análise.
      Aqui á dias estive a ver o Estoril - Sporting de 92, e a diferença é enorme.
      Quer dum lado quer de outro.
      A qualidade dos intervenientes e a qualidade do jogo nada tem a ver.
      Os jogadores de hoje são sobretudo produtos de laboratório.
      O futebol passou a ser uma indústria.

      Eliminar
    2. António Madeira29/03/16, 14:01

      Tinha-me proposto a não comentar nenhum tópico aberto pelo Shadows, não por não gostar do que escreve, mas devido à incoerência e aos ataques despropositados que faz para dentro.
      No entanto, e considerando que o artigo em questão é razoável, mais não seja porque nos leva a discutir o assunto, não podia deixar de comentar estas linhas do Zé.
      O primeiro mundial que vi foi o de 86, mas sempre tive pena de não ter visto os de 66, 74 e 82. E digo isto porque os vi a todos em vídeo, embora não tenha vivido a emoção, obviamente. Contudo, é graças ao mundial de 66 que sou adepto de futebol e, em certa medida, benfiquista.
      O meu pai é benfiquista, e quando falava sobre futebol, os olhos brilhavam quando me falava do Eusébio, do Coluna, do Simões e do mundial de 66. O mesmo brilho que via nos olhos de ingleses quando me diziam em Londres "Portugal? Eusébio!"
      Aprendi a ver futebol a reboque do entusiasmo do meu pai, pelo brilho e entusiasmo puros que ele me transmitia e que foi morrendo, desvanecendo e esvaziando como água pelo ralo da pia.
      Hoje já raramente fala de futebol, e o brilho, esse, já se foi há muito.
      Lá sorri e faz um comentário quando o Benfica faz um brilharete na Europa ou ganha um campeonato, mas nada comparável aos anos 80, quando se ouviam os dérbis na rádio e uma caderneta levava meses a completar.
      Recuando aos mundiais que vi em vídeo, e comparando com os dias de hoje, não há nada para comparar. É tudo tão diferente, desde a tinta dos postes aos calções dos jogadores e ao peso da bola que nem sequer se pode dizer que estamos a falar do mesmo desporto. Hoje em dia já não vejo a seleção e quando me dizem que o Ronaldo (que tem o seu mérito) é o melhor de sempre, apenas sorrio.
      O futebol como arte morreu e dificilmente ressuscitará. Não é pessimismo, é uma certeza. Enquanto o futebol for governado pelo dinheiro da forma como é hoje, a magia do futebol estará apenas ligada à máquina pelos raros Messis que vão aparecendo, ofuscados pela competição artificial, exacerbada e comprada pelos petrodólares e as casas de apostas.

      Eliminar
    3. Só um reparo, atenção ao argentino actual, é um produto de laboratório.
      Já ouviu falar da operação puerto?
      Sabe quem estava envolvido?
      Sabe porque foi abafado?
      Há muitos interesses obscuros!
      Já reparou que ele de tempos a tempos está mal disposto.

      Eliminar
    4. Masterpiece29/03/16, 19:16

      Operação Puerto - Dr.Fuentes, Maio 2006

      Messi- inicio oficial liga espanhola 2004/2005

      " In May 2007 Sepp Blatter, president of FIFA, at a World Anti-Doping Agency meeting in Montreal, was reportedly interested in the contents "of the Puerto file".[58] Le Monde had reported in December 2006 that they had possession of documents of Fuentes detailing "seasonal preparation plans" for Spanish football clubs FC Barcelona and Real Madrid. These plans did not specifically name any players.[59] This news seem to be only rumors, since the French journal lost its trials in 2009 and 2011 against the FC Barcelona because it could not produce any proof of its allegations. In the ultimate judgement, on 14 November 2011, it was condemned to pay 15,000 euros of indemnity for "using false and unverified facts "

      Não sejas Inácio !

      Eliminar
    5. Acho piada a este pessoal que fala do que desconhece, e que vem para aqui com bocados de notícias a julgar que descobriu a pólvora.
      Ignorantes que ignoram, que ignoram.
      Podes continuar a comer o que te dão para comer!
      E o pai natal existe,e a carochinha.

      Eliminar
  9. Não me lembro bem do Mundial de 82, mas lembro-me do entusiasmo e da euforia daquele Mundial, mesmo o do México ainda teve muito disso. Depois, foram umas coisas muito cinzentas, qual deles o mais sombrio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Não me lembro bem do Mundial de 82, mas lembro-me do entusiasmo e da euforia daquele Mundial, mesmo o do México ainda teve muito disso"

      Era precisamente esse ambiente magnífico, que nos alegrava e emocionava, que se vivia nessa altura em relação ao futebol.

      Eliminar
  10. É tudo muito bonito mas no final há contas para pagar, ordenados milionarios, camisolas para vender, contratos televisivos, agentes a receber comissões...
    Futebol romântico é nas futeboladas com os amigos...
    Alguém se lembrava da aposta na formação quando o benfica ia a 7 pontos do SCP? Agora é tudo muito bonito porque vão em primeiro, e o Rui Vitória se fosse em 4? Onde estaria se tivesse perdido em Braga?

    ResponderEliminar
  11. Muito bom este artigo. Se hoje gosto de futebol devo-o ao Mundial de 86 e ao génio de Maradona.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu primeiro mundial 82
      A primeira vez que chorei a ver um jogo, Brasil -italia
      A ultima vez que chorei a ver um jogo, sportig 3 benfica 6
      Pelo meio teve o portugal -franca84
      O benfica -marselha
      benfica steua
      as laranjas para o laureta porque parecia o futre a molha descomunal e três dias de cama no Benfica 9 marítimo 0
      Sei lá não sei se fui eu que cresci, ou o futebol mudou.

      Eliminar
  12. Para mim o futebol começou a morrer com a vitória, em 82, da Itália do Paolo Rossi sobre o Brasil do Zico.
    Sei que os italianos já tinham anteriormente sido campeões. Mas naquele mundial de Espanha, em que houveram grandes jogos, venceu a equipa que praticava o anti-jogo.
    O mundial do Maradona em 86 e o europeu da Holanda do Van Basten e Co foram espasmos post mortem.

    ResponderEliminar
  13. O meu problema com a peça jornalística é que ela se pode aplicar a qualquer desporto. Mesmo aos mais amadores em que o dinheiro ainda não tem qualquer significado. As melhores equipas de hoje, dizimavam as melhores equipas dos anos 80. A evolução tática, física e de eficácia é abismal.
    Ainda há dias estava a ver uma final de ténis entre Jimmy Connors e Bjorn Borg, dois monstros sagrados do ténis mundial e pus-me a pensar que se jogassem aquele tipo de ténis hoje, contra um Djokovic ou Nadal, eram absolutamente humilhados, tal a velocidade, potência e precisão com que se joga hoje em dia.
    É a evolução natural da espécie humana aplicada ao desporto e não tem nada a ver com dinheiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António Madeira29/03/16, 16:12

      Engana-se quando diz que não tem nada que ver com dinheiro.
      É que esta evolução não surgiu apenas por o Manel querer ser melhor do que o Chico ou querer ganhar mais do que ele. Surgiu por causa do dinheiro. Das montanhas de dinheiro que levam a que baste um pormenor para deitar por terra todo o investimento de uma época ou o pagamento das dívidas cada vez mais colossais e impagáveis.

      Eliminar
    2. Evolução da espécie humana?
      Pois, agora chame-lhe nomes!
      Mais um que tenta vender a banha!
      Só as substâncias dopantes que existem hoje chegam para fazer essa diferença.
      Se você analisa-se de forma séria, não fazia esse tipo de comparação.
      Pois os grandes atletas do desporto de outros tempos, com os métodos actuais seriam super atletas.


      Comparar a década de 80 com o investimento que é feito num atleta actualmente em termos de rendimento é incomparavel.
      Os atletas actualmente são analisados ao pormenor.
      O que mudou foram os métodos de treino,o material, a nutrição, os suplementos, o doping!

      Eliminar
    3. Concordo e diria mesmo mais, o que se diz na peça poder-se-ia aplicar a tudo! Este tipo de argumentação faz-me sempre lembrar o episódio do velho do Restelo: «agora nada presta, dantes é que era bom...».

      Não digo que não seja em parte verdade. Pessoalmente também acho que em muitas áreas se perdeu alguma coisa (cinema, música, vida social, etc.), mas isso deve-se apenas à evolução das coisas, da vida. O dinheiro é acessório. E ele representa um papel demasiado importante porque nunca houve tanto dinheiro como hoje em dia. Do mesmo modo que hoje os telemóveis parece estarem no centro da vida porque nunca houve tantos como agora.

      Curiosamente existe algo que se mantém inalterável: o Benfica como maior clube do Universo!

      Eliminar
  14. O jogo arrastava pelas personalidades, isto antes das lobotomias publicitárias que vendem hoje batatas fritas e perfumes.Hoje não é o futebol técnico que se torna físico, foram os físicos e tácticos que se tornaram mais técnicos.
    Quem via a Alemanha, Inglaterra, ou outros mais a norte jogar, faz uns 20 anos, era pontapé para a frente e cabeçada com sprint.Isso mudou, o futebol inglês com o dinheiro e com o pós afastamento das provas da uefa começou a importar jogadores de fora, lembrem-se do Ramires lagarto.Mantiveram indices físicos e aprenderam técnica.A Alemanha ganhou n mundiais graças à arte de saber organizar tacticamente um jogo.Organização, que foi sempre o que nos faltou. O Queirós também inovou e poucos lhe dão mérito, foi um dos mais talentosos treinadores do futebol apoiado e soube aproveitar uma geração de miúdos que aprendeu a jogar na rua.

    Para mim, só há futebol no futuro, se cada vez mais se fecharem fronteiras, cada clube tem um limite muito restrito de jogadores estrangeiros com maioria de jogadores de formação do seu país.É mais barato comprar brasileiro que formar português. O SLB prefere variar o mercado de prospecção pois em PT assim que se sabe que o SLB está interessado, o preço decuplica.

    As ligas europeias do money, não serão nada de novo senão o culminar do negócio...um ou outro outsider para dar a sensação de imprevisibilidade, mas tal como a UE é a liga dos fortes.Por isso não lhe vejo muito futuro.

    ResponderEliminar
  15. O texto tem um certo saudosismo, aquela ideia de que o que vai lá atrás é que é bom! Claro que o futebol é mais físico, é mais táctico, mais inteligente, mais cerebral. O objectivo é ganhar, claro que é ganhar. E isso é que faz o futebol aquilo que é! Futebol não é malabarismo ou "free-style" e por isso não pode ser ganho aos ponto, como na patinagem.
    Futebol é força, é arte, é velocidade, é inteligência. Defender que antes é que era porque jogadores como Van Basten chegavam à hora do jogo, ainda bêbedos e de direta, jogavam e marcavam é não ter noção. Antes o futebol era, em grande parte, jogado contra cepos. Por isso jogadores tecnicamente superiores que conseguiam destacar-se tanto. Hoje é tudo mais nivelado, e mesmo um jogador como o Messi tem de estar bem fisicamente.
    Jogadores como Taarabt não tem espaço no futebol moderno, porque para ser bom jogador é necessário mais dois bons pés, é necessário uma boa cabeça.

    Adoro o futebol, só o conheço desde o Mundial de 94, e acho-o mais bonito a cada dia que passa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Antes o futebol era, em grande parte, jogado contra cepos."

      Utilizando as suas palavras, epá quando comentar não comente bêbado, nesse estado vá comentar com o pessoal de taberna.

      Eliminar
    2. Águia Preocupada29/03/16, 18:24

      "jogadores como Van Basten chegavam à hora do jogo, ainda bêbedos e de direta, jogavam e marcavam é não ter noção"

      Seria mesmo assim? Então se já no tempo do Eusébio, o responsável pelos atletas ia de casa em casa ver se eles estavam em casa cumprindo o estipulado pelo clube e pela sua organização... E vens dizer que não havia disciplina?! Claro que hoje há muito mais organização, mais estudo, mais táctica, mais estratégia, muito mais tudo... MAS MUITO MENOS FUTEBOL... Ou pelo menos muito menos e pior espectáculo! Ah! E muito mais violência, pelo menos fora dos estádios, embora mais verbal...

      Eliminar
  16. Estes comentários fazem-me lembrar aqueles posts revivalistas e nostalgicos do facebook de "no meu tempo é que era bom, não havia telemóveis e jogava-se ao pião", "agora já não se faz boa música..."...basta ir lêr o porquê da nostalgia e e a razão das músicas do nosso tempo serem as melhores.
    Já aqui li que marcar 500 golos não interessa e que Jonas não é um bom jogador, não sei o que esperam do futebol mas acho que devem deixar de ir aos estádios, o Cirque du Soleil é capaz de ter algo com bolas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro trata-se de analisar a realidade!
      De pessoas que estão há muito, por dentro do fenómeno desportivo, e que constatam as enormes diferenças. De pessoas que viram os atletas de outros tempos e que vêm os actuais.
      Se você não tem essa capacidade é um problema seu.
      Agora não venha para aqui com argumentação bacoca, pois há muita gente que analisa o fenómeno desportivo.

      Eliminar
  17. Não se podem comparar as coisas.
    O futebol de hoje é o melhor do mundo de hoje. E o de há 50 anos o melhor futebol de há 50 anos.
    É melhor o cinema de hoje ou o de há 50 anos? Eu gosto dos dois, mas olho de forma diferente para cada um deles. O mesmo com o futebol.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Não se podem comparar as coisas.
      O futebol de hoje é o melhor do mundo de hoje. E o de há 50 anos o melhor futebol de há 50 anos. "

      Claro que se pode comparar!
      E por se poder comprar, é que as pessoas dizem que o futebol de outros tempos era melhor.
      Ou tem alguma dúvida sobre isso!?

      Eliminar
    2. Claro que tenho. Apresente parâmetros canonicamente aceites para avaliar objectivamente os dois futebóis e depois falamos. De outra forma será sempre uma apreciação subjectiva sobre uma realidade não objectivavel.
      Ou seja, cada um acha o que quer e tem razão.

      Eliminar
    3. Caro senhor agradeço a forma educada como respondeu.
      Acho que se equivocou.
      Não estamos a falar de matemática.
      Eu também gosto de futebol na actualidade, mas isso não me impede de verificar que o futebol era melhor no passado, sem qualquer dúvida, e com enorme diferença.

      Eliminar
  18. A CARNEIRADA/INÁCIO/NALGAS
    ANDAM A INVENTAR QUE O JOVEM QUE ENTROU
    EM CAMPO PARA ABRAÇAR O RENATO SANCHES
    ESTAVA INSTRUIDO PARA FAZER ESSA INVASÃO DE CAMPO

    INVEJOSOS
    QUE NÃO SABEM O QUE SENTE UM JOVEM ADMIRADOR DE UMA JOVEM ESTRELA

    MAS SE O NALGAS TAMBEM QUER SENTIR O MESMO
    É SÓ JOGAR 5 MINUTOS
    PORQUE RÁPIDAMENTE INVADIRÃO O CAMPO
    NÃO UM
    MAS PELO MENOS OITO HOMENS DO FRAQUE

    PARA RECEBEREM OS CRÉDITOS A QUE TÊM DIREITO
    NAS OITO EMPRESAS FALIDAS

    EHEHEHEHEHEHEHEH
    NALGAS

    EM VEZ DE UM CORRIAM PARA TI PELO MENOS OITO...CREDORES
    EEHEHEHEHEHEHEEH

    ResponderEliminar
  19. Existe arte nos dias de hoje, reconheço, isso, ... e a arte pode vencer, olhemos para o Barça, sem monstros, com meias lecas, portanto a arte é sempre maior... existe arte individual e arte colectiva, como dizia Cruyff com pouco se pode fazer muito é preciso saber correr... está ao alcance de muitos... aliás o Benfica este ano é um exemplo que tudo é possível (ainda hoje), com alma e paixão tudo é possível... e muito mérito está no treinador que incutiu essa paixão esse desejo de vencer aos atletas do clube! , mas sonho sempre mais... sonhar é bom.

    ResponderEliminar
  20. O mundial 86, adorei, com o rei maradona. Depois gostei do brasil de scolari, com os ronaldos, fenomeno e gaucho e da Franca de zidane.Gostei recentemente da espanha de 2010. Em suma, penso que ainda existem criativos, mas sem duvida, que o jogador 10 quase extinguiu- se, dantes tinhamos craques com facilidade em equipas menos sonantes, como hagi, valderrama, chalana ou futre e gulitt,

    ResponderEliminar
  21. O saudosismo que para aqui vai!! Pode-se muito bem racionalizar uma caricatura, fazer toda uma argumentação válida, mas no final das contas continua a ser puro saudosismo.

    Grandes competições a um nível elevado de qualidade e de competitividade entre várias equipas nunca foi a regra. Sempre foi a excepção. Pelo que eu vi, apenas duas foram grandes competições com futebol do início ao fim: Espanha 82 e Euro 2000... Não sei como alguns falam de 88 como exemplo do bom futebol que se praticava antes e não falam de 2000 em que várias selecções estiveram ao mais alto nível, com grandes jogos de futebol desde a fase de grupos e até ao apito final do França Italia. O Euro 88 foi bom... Mas foi bom porque uma equipa, UMA, eraexcepcional.

    Nada nos diz que em 2016 não teremos um Euro tão bom como o mundial de 82 e o euro de 00. Cada época é uma época que deve ser avaliada nela mesma, com as condições que foram as do seu desenvolvimento. Dizer que antes era melhor é completamente subjectivo e sobretudo na maioria das vezes caricatural.

    ResponderEliminar
  22. O Mundial de 1994 esteve longe de ser aborrecido. Está repleto de grandes jogos e de grandes jogadores. Foi talvez o último mundial com múltiplas gerações de ouro, só faltou a nossa e as da antiga Jugoslávia. Aborrecida foi a final, mas isso não apaga o que foi feito. Parece-me que a jornalista só viu a final e tirou a conclusão daí. Não estou de acordo, nem um pouco.

    ResponderEliminar

Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.

artigos recentes