O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


Qual vai ser o resultado do Derby?

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Avatar

Benfica e o futuro: A pergunta em que todos têm de refletir

 ●  + 31 comentários  ● 
Um estudo mostrou que as equipas que mais gastam nos ordenados dos seus jogadores (não tanto em transferências) são aquelas que mais ganham. O que tem lógica. Mais ordenados significa melhores jogadores, estabilidade, continuidade e jogadores valorizados dentro do próprio clube.

Pode claro haver exceções, um ano em que a lógica dos números não funcione, um ano em que um Atlético de Madrid consiga ser campeão espanhol ou um Boavista chegue a campeão português, mas a regra é essa.

Em Inglaterra foi o City o campeão, na Holanda o Ajax, em França o PSG, em Itália a Juventus, na Alemanha o Bayern, na Grécia o Olimpiacos. A exceção este ano foi apenas em Espanha. As equipas que mais gastam são as que mais ganham. Ponto final.

Por isso, nós podemos sempre valorizar demasiado a parte emocional do futebol e esquecer a lógica dos números, partir do princípio que enquanto há vida há esperança, que a bola é redonda, que partimos todos com zero pontos e no relvado são onze contra onze mas, no fim, na conclusão de tudo isto, das guerras, dos piropos, dos penalties roubados e das quezílias clubísticas, quem ganha é quase sempre quem mais gastou.



Num outro ponto, outra ideia que quero deixar aqui, é que é uma ilusão achar-se que para ganharmos competições basta fazermos bem o nosso trabalho. O futebol será sempre um jogo de forças opostas, no qual o resultado final vai depender, não só daquilo que formos capazes de fazer, mas também daquilo que forem ou não capazes de fazer os nossos adversários.

Eu sei que a emoção faz esquecer tudo isto. E sei que no final, para os adeptos o que conta é se chegámos em primeiro ou em segundo. Mas por detrás desse aspeto emotivo está uma lógica indesmentível, e que é o facto de às vezes não se conseguir ganhar mesmo quando se fez quase tudo bem feito, e em outras ganhar-se quando o percurso foi marcado por erros indesmentíveis.

Trapatoni por exemplo saiu em ombros depois de ser campeão com 65 pontos. Jorge Jesus saiu em ombros depois de ser campeão com 74 pontos. Mas o Jorge Jesus dos 77 pontos quase saiu escorraçado, quando em termos numéricos e objetivos, o ano dos 77 pontos foi o ano em que o Benfica foi mais regular e mais competente.

E isto é assim precisamente por causa da variável que não controlamos, aquela que não depende da nossa competência, e que é a capacidade dos nossos adversários. E é por causa disso que num ano medíocre do FCP, um dos piores Benficas da história foi capaz de ser campeão nacional com Trapatoni, e num ano fantástico do mesmo FCP, um quase fantástico Benfica não consegue celebrar nada com 77 pontos conquistados e o seu treinador quase acaba despedido.



Onde quero chegar com isto tudo? Ao analisar o Benfica atual à luz destas duas realidades. O Benfica pode até ter a necessidade de emagrecer orçamentos, de deixar de comprar atletas de 10 milhões para começar a apostar num mercado mais barato ou na prata da casa, hoje inexperiente mas com potencial de futuro.

Mas o problema é que a politica desportiva do Benfica será sempre um camaleão, e estará sempre dependente daquilo que os seus rivais fizerem. Como anteriormente vimos, a equipa que mais gasta e que melhores ordenados paga, ganha quase sempre.  

Pode o Benfica, numa época em que o seu grande rival FCP, coloca toda a carne no assador, que contrata 4 ou 5 jogadores avaliados à volta dos 10 milhões (um deles até 20!!), reduzir o seu orçamento drasticamente e manter aspirações reais à conquista do bi-campeonato? E a resposta é que não, não pode, porque a fazê-lo só seria campeão numa daquelas épocas raras, num ano anormal do FCP em que a regra dos euros fosse quebrada.

Há uns anos atrás os campeonatos disputavam-se, hoje compram-se, ou quase. Chelsea, Liverpool, United e Arsenal já perceberam que só será possível vencer em Inglaterra com investimentos ao nível do Man City. Em França, só o Mónaco poderá roubar o campeonato ao PSG, porque só ele pode competir com o PSG a nível financeiro. Atrás de um louco outro louco vai!

É pois muito bonito, pegar em exemplos tipo o do Atlético de Madrid, e fazer disso uma imagem deturpada da realidade... É mais bonito ainda lembrar exemplos como o do Ajax, como um clube que ganha muito internamente e que tem como politica a aposta na prata da casa.

Mas a pergunta que tem de se fazer é esta: contra quem compete o Ajax internamente? E a resposta é, contra equipas de orçamento inferior ao seu. A lógica dos números por isso mantém-se.

A verdade nua e crua é que se o Porto, o PSV ou o Man City caminharem financeiramente para o precipício, Benfica, Ajax e Chelsea não terão outra opção senão ir atrás para o mesmo precipício. Porque os grandes clubes vivem de vitórias, que geram receitas e paixão dos adeptos. Os grandes clubes não sobrevivem com estádios vazios, resultado da incapacidade de disputarem a vitória nas grandes competições.

Será pois possível ao Benfica vencer internamente de forma regular reduzindo o seu orçamento drasticamente, optando por ser racional e rigoroso? Claro que sim, no dia em que o FCP também o fizer, e ambos puderem competir com as mesmas armas!

Benfica e o futuro: com emoção ou com razão? Estarão os adeptos benfiquistas dispostos a aceitar uma politica de contenção e emagrecimento do passivo se isso significar voltar aos atrasos de 20 pontos para o FCP? Antes de começar a discutir qualquer outra coisa, esta é a pergunta em que todos têm de refletir.




31 comentários via blogger

  1. méxico_8626/08/14, 22:14

    Parabéns pelo artigo brilhante, Redmoon.

    O clube que mais pode perder financeiramente com fracassos desportivos é o Benfica porque é o único que explora os seus direitos televisivos. Imaginemos que o Benfica fica afastado da luta em meados de março, quantos benfiquistas vão cancelar as suas subscrições? Aí já vai um prejuízo dos diabos, depois há a bilheteira, os prémios da UEFA, etc., etc.

    O Porto tem este ano um plantel muito bom, se for bem organizada, dificilmente não vencerá.

    Enfim, em maio estaremos aqui para nos pronunciar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O porto, pelo que tenho visto está muito forte. Oxala percam o gaz!

      Eliminar
  2. Redmoon,
    Isto é de facto um post que vale a pena ler. É uma reflexão coerente sobre a realidade e deixa a todos quantos quiserem perceber a clara ideia que além de tudo o resto há de facto o factor dinheiro a influenciar a competencia das equipas de futebol.
    A minha opinião é que as regras básicas nunca se deviam quebrar e que o risco tem limites.
    É de facto uma escolha dificil de fazer,
    Pedro R.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. È dificil a escolha sim. Arriscar ou abdicar. Apostar as fichas todas e nao ganhar pode ter consequencias devastadoras. Mas abdicar e nao lutar pode ter consequencias mais graves ainda.

      Eliminar
  3. " O Manchester United foi esta terça-feira goleado (4-0), humilhado e afastado pelo Milton Keynes Dons, da League 1, na segunda ronda da Taça da Liga Inglesa. É a primeira vez em 19 anos que os «Red Devils» não chegam pelo menos à terceira eliminatória. "

    Money isn´t everything !

    ResponderEliminar
  4. Que grande post Redmoon!! Só faltou um ataque aqui ao "je" para ser fantástico!!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nao houve espaco para o ataque que o texto ja ia longo! Lol

      Eliminar
  5. Voltaste a escrever romances, companheiro?

    Precisas que te recorde que o Liverpool esteve a disputar o campeonato até ao final com o ManCity tendo gasto 10x menos?

    Precisas de recordar quantas vezes o FCPorto ganhou o campeonato gastando menos que o SLBenfica?

    Aumenta as probabilidades, mas a gestão desportiva é e será sempre o maior factor de sucesso.

    Falaste e bem dos 77 pontos! Eis um exemplo de que podes gastar muito, mas se não os souberes usar... já foste.

    O que tem feito a diferença nessas equipas endinheiradas que tanto falas, chama-se Gestão Desportiva. O Manchester City INVESTIU milhares em recursos que vão muito alem dos jogadores.

    O Real Madrid gasta muito dinheiro em recursos fora do relvado (tem dos melhores centros de trabalho físico (e mental) do MUNDO.

    Não ganha campeonatos? Oh se nao ganha...

    O texto é bonito, e as vezes até parece que faço de propósito (mas não faço e sabes disso), mas novamente acho que estás errado.

    O futebol é 85% cabeça e 15% pernas. A gestão desportiva influencia directa e determinantemente essa componente da "cabeça". Os milhões são para os 15%

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje nao que nao tenho tempo. Mas em calhando envio te para o teu email os links desse estudo. Em 90% das vezes ganha quem mais gasta. O resto sao episodios ocasionais.

      O liverpool fez uma grande epoca o ano passado. Mas nao ganhou, mesmo num ano tipo sporting em que beneficiou do facto de so jogar uma vez por semana.

      E ja viste quanto gastaram este ano?

      Mas como te disse, vou te enviar os links e o nome de um livro ingles sobre o assunto.

      Talvez acredites mais nos factos se os leres de outra pessoa que nao eu :))

      Eliminar
    2. Bons exemplos esses oh geração! lol O Liverpool não ganhou nada e o Porto sempre investiu mais, mas não só em jogadores, tal como todos sabemos, é só ir ao youtube.

      Pedro

      Eliminar
    3. Este GB ainda acredita no pai natal. Mas alguma vez a corruptalhada ganhou campeonatos a gastar menos que nós? Só se foram alguns dos últimos e mesmo assim só com uma grande ajuda dos do costume.

      O Liverpool gastou 10 vezes menos que o CIty? Mas tu informas-te ou debitas números à toa? Enfim, haja paciência. De qualquer forma, e a provar o que disse o Redmoon, ganhou quem gastou mais.

      Mais um bom post RedMoon, keep it up!

      Eliminar
    4. Companheiro, eu acredito no estudo... Só acho que eles estão a focar numa questão que não é a essencial.

      Ainda hoje quando falava nos miúdos, falei nos tutores que o CR7 teve em algumas fases da carreira. O tutor dele em Manchester sou contratado de propósito em Clairfontaine, era treinador, luso-francês e a única função dele no ManUtd era zelar pelo CR7. A isto chama-se potenciar os investimentos.

      É apenas um pormenor que explica parte de algumas fatias de sucesso. Se juntares outros factores humanos, tecnológicos, de organização, etc... Tens a explicação que te dei

      Eliminar
    5. Meu amigo, bem sei que todo o ambiente envolvente a uma equipa tem muita influênciaa, assim como em qualquer empresa. Agora se há uma coisa que é absolutamente essencial é o dinheiro; quanto mais tiveres maiores são as probabilidades de teres sucesso. Basta veres o que eram clubes como o Chelsea, o Man City ou o PSG antes de serem comprados e veres no que se tornaram (uma coisa são provas nacionais, outra é ganhar a Champions).

      A verdade nua e crua é que sem dinheiro não há vícios, e se o Benfica não tiver para gastar bem podemos estar aqui todos com grandes dissertações filosóficas que os nossos posts não marcam golos nem dão assistências.

      Agora se tu me disseres que (na maioria das ocasiões) 85% da importância é a disponibilidade financeira que o clube tem para ter os melhores jogadores e 15% a influência que pode ser decisiva de uma estrutura profissional que dê condições à equipa, assim já concordo mais.

      Eliminar
    6. Hoje em dia, no futebol profissional, trabalha-se bem em quase todos os grandes clubes. As estruturas estão lá, os recursos humanos, o scouting, etc...

      Depois o que manda é o "guito". Se tens compras, se não tens vês os outros comprá-los. E no final, isso faz toda a diferença.

      Eliminar
  6. Mais outro brilhante post Redmoon, sobre a relação entre os poderes económico e desportivo que ditam as regras no Futebol ! :)

    Não vale de nada o poder do dinheiro se não houver competência desportiva !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade que de nada vale o dinheiro sem competência... Mas também de nada vale a competência sem dinheiro.

      Num ou no outro caso, o dinheiro tem de lá estar!!! :))))

      Eliminar
  7. Futuro?

    Demissao em bloco desta direcao em caso de perca deste bi campeonato!!!!

    Farto deste Vieirismo de merda!!!!

    Daniel

    ResponderEliminar
  8. E porque é que o Benfica tem de estar disposto a ter de fazer uma contenção financeira, e ficar a 20 pontos do porto?

    Essa pergunta não faz sentido…
    Sendo o Benfica o Maior clube de Portugal, porque razão teremos de reduzir drasticamente o esforço ou orçamento financeiros, se o rival lá de cima consegue não o fazer?

    Ou por outra, porque razão teremos de ficar a 20 pontos desse mesmo clube de bairro, se eles nunca ficaram a essa distância do Benfica???

    Explicação: Por muito que não se queira, eles, esse clube de bairro, trabalha melhor nos bastidores do que o Benfica alguma vez trabalhou.
    Sabem fazer o seu trabalho de casa. Mesmo aquele que envolve fruta, café e putas… Aliado ao facto de saber comprar e vender.

    Vide as compras/vendas do nosso Clube este ano… quase a 31 de Agosto ainda andam "á nora" á procura de reforços de qualidade, quando eles, os matarruanos anteciparam tudo com tempo

    Pergunto: Porque dizes que temos de nos habituar a ficar a 20 pontos, se desinvestirmos???? NÃO ENTENDO ESSA PERGUNTA…


    ISSO SÓ DEMONSTRA A REAL INCAPACIDADE DA ACTUAL ESTRUTURA DE FAZER BEM, COM MENOS…
    OU POR OUTRA, PORQUE É QUE O fcp PODE CONTINUAR A NÃO DESINVESTIR, QUANO SOMOS NÓS O MAIOR CLUBE DE PORTUGAL?????????

    Resposta por favor…

    Jose Inacio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como eu dizia no post, atrás de um louco outro louco irá...

      "Porquê desinvestir no futebol se o POrto continua a investir?" Lá está, o pensamento do adepto: se o Porto pode nós também podemos. Mesmo que não possamos.

      Eliminar
    2. No essencial do raciocinio aqui escrito estarei de acordo. 85% será o money a falar mas não chega. O porto investe? Ou será o JM juntamente com o Lim a investirem para conseguirem aqueles jogadores? E atenção que aqueles atletas poucos são de 1^água. São bons mas estão a ser recuperados para depois serme vendidos e só gostariamos de saber quem ganha com o "negócio". Três milhões por 30$ dum atleta???E de quem são os restantes 70%??? Isto é que tem que acabar porque assim joga-se om armas por fora. Além do mais para se evitarem "surpresas" desportivas garante-se que "outros" estarão disponiveis para não atrapalhar.Todos sabem quem são os outros...resta saber se tambem queremos ir por aí.
      No entanto, entendo que quem mais gasta em salários tem os melhores. Mas existem muitos mais factores que influenciarão as conquistas.
      Tendo sido dirigente de um Clube pobrezinho com trabalho de um treinador, jogadores e andando com a baliza às costas por nem ter campo para treinar nem jogar(era tudo em campo emprestado a troco de 40.000$00 (€200,00) mensais com iniciados se conseguiu ser campeão da AFL. Pena foi que apareceram os "patos bravos" que sempre criticavam o trabalho e depois da conquista vieram dizer que tb faziam o mesmo e afastaram os competentes e destruiram o trabalho que estava a ser feito. São os tais sabichões que tudo sabem mas quando pegam nas coisas afinal só têm conversa da treta e destroiem o trabalho feito.
      O seu artigo tem lógica mas como se costuma dizer, no Desporto a lógica é uma (quase)batata.Se assim não fosse bastava comprar caro e logo se era campeão.Basta lembrar as finais da Liga Europa disputadas pelo SLB contra Chelsea e Sevilha. Foram os investimentos feitos em jogadores que venceram as finais?

      MARQUÊS DA PRAIA E MONFORTE

      Eliminar
  9. Porquê este blog não fala nas vergonhosas
    arbitragens deste inicio de campeonato????????????????'

    vejam o vergonhoso penalti perdoado
    ao clube da fruta em paços de ferreira

    vejam o blog coluna de aguias gloriosas
    e vejam a frutaria a ser levada ao colinho

    NISTO NINGUEM FALA ???????????????'

    PERCAM TEMPO É NESTAS COISAS

    ResponderEliminar
  10. É um bom post.
    Um dia destes posso explicar essa análise e conclusões com números detalhados ;)
    Também tenho acesso a esse estudo.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Traz lá então esse post com a informação bem formatada. Abraço

      Eliminar
  11. É óbvio que o Benfica não pode ficar a léguas da concorrência em termos de orçamentos ou ainda vai ganhar menos do que ganha. Vitórias episódicas de equipas de baixos orçamentos não servem de exemplo, são a excepção que confirma a regra. Porque é que a equipa dos dois últimos anos foi tão boa? Porque se investiu nela, e reforcou-se o investimento quando falhou no primeiro ano.

    O verdadeiro espelho da (falta) da qualidade da gestão Vieira é que o défice serviu para criar pouco de sustentado em termos de manter uma equipa competitiva. Quando fez promessas e mais promessas de que iríamos deixar de vender, o que se verifica é o contrário. Quando se faziam aqui festas que o Porto financeiramente estava pior que mal, eles investem mais do que nunca. Se o Benfica não faz, quando renegociou contratos publicitarios e as receitas televisivas triplicaram, esse é o maior libelo quanto às maravilhas da actual gestão. São os factos e não as palavras que demonstram a irresponsabilidade da gestão actual, porque nos retira, neste momento, capacidade para continuarmos competitivos.

    ResponderEliminar
  12. Queria agradecer ao Redmoon pelo texto, mas também de lhe dar na cabeça por ter escrito "aspeto", uma palavra que mantém a dupla grafia, e relembrar a todos que dá para mudar no Microsoft Word para a ortografia anterior ao acordo ortográfico de 1990.
    Eu compreendo que muitos de vocês não saiba, mas em 1990 a alfabetização de Portugal era um sucesso, com cerca de 95% da população alfabetizada. Em muito contribuiu o povo ter televisão, rádio, telefone e acesso facil a jornais e revistas. Já no Brasil as coisas estão fracas hoje, mas em 1990 estavam muito piores. Por isso, por favor, não desprezem a língua só porque uns brasileiros carregados de dinheiro e disfarçados de linguistas conseguem manipular as fontes de propaganda, nomeadamente jornais e telejornais. Nós fomos à escola, nós aprendemos a escrever, se os outros não sabem então problema deles, eles que aprendam a escrever português. Qualquer dicionário baseado no acordo ortográfico de 1945 serve.

    ResponderEliminar
  13. https://www.facebook.com/blogsuperporto/photos/a.10151974742777621.1073741825.205905072620/10152385392947621/?type=1&theater

    É só fazer as contas para ver que o investimento dis dois clubes foi igual...

    Pedro Carneiro

    ResponderEliminar
  14. Como é mais que óbvio uma equipa com dinheiro consegue facilmente a qualidade....

    Existem excepções a regra....Trappatoni por exemplo....mas lá a em norma quem mais gasta mais ganha...já dizia o velho ditado, dinheiro gera dinheiro, ou adaptado ao futebol, quem investe bem ganha mais...


    ResponderEliminar
  15. Concordo com uma parte: pagando salários altos a probabilidade de ter equipas mais fortes é superior. Mas no sentido de renovações, de manutenção dos melhores. Por exemplo, aumentando salários de Gaitan e Enzo. O resto é relativo. Muitas vezes jogadores mais bem pagos não são melhores que outros que ganham muito menos. É no aperfeiçoamento desta gestão que está o futuro do SLB e dos clubes de ligas menores como a nossa.

    ResponderEliminar
  16. Caro Benfica by GG,

    Este teu comentário carece de fundamento, basta ver o que dizes relativamente ao Liverpool.
    Tomara o Benfica ter metade do orçamento do Liverpool!
    E também não deves etar atento ao orçamento do Porto ( vê o que gastou em Hulk, Danilo, Adrian ...) ou os vencimentos de Hulk, Moutinho, Falcão e os de Casimiro, Tello ...
    Além disso o Porto beneficiou como todos sabemos de favores e mais favores dos homens do apito!
    O que acontece é que mais dinheiro permite adquirir melhores jogadores, remunera-los melhos e evitar a sua saida ou insatisfação por não sairem e claro também permite criar infraestruturas.
    Depois há como é óbvio gestão desportiva, escolhas mais ou menos certas de jogadores e treinadores e uma estrutura profissional.
    Mas a probabilidade de ganhar quando se tem muito menos para investir é de facto menor.
    Deixo-te duas ou três questões:
    - porque é que os clubes itlianos estão a ter menos sucesso na europa? Será por causa de investirem menos?
    - porque é que a champions nos últimos anos é ganha consecutivamente por clubes ingleses, alemães, espanhois?
    - porque é que o PSG está a dar cartas na Europa n os últimos anos?

    ResponderEliminar
  17. Eu não consigo embarcar facilmente nesse comboio de que quem gasta mais, ganha mais.
    Infelizmente vejo e acredito que o futebol é absurdamente mal gerido. Acredito ainda que é muito mais mal gerido lá fora do que cá dentro.

    A exuberância financeira do futebol dos ultimos 15 anos, com o brutal aumento das receitas da tv e com a entrada dos magnatas e dos fundos a lavar dinheiro, faz com que se assistam a verdadeiros esbanjamentos de recursos.

    O clube que for gerido de forma competente, seja na gestão desportiva seja na financeira, consegue ganhar tanto ou mais do que os esbanjadores.

    Na ultima década, quanto gastou o Benfica em dezenas de jogadores (ou centenas?) que, se o clube fosse bem gerido, nunca deveriam ter sido contratados.

    Sim, a competência, a racionalidade e a eficiência têm espaço para sair vencedoras, o problema é que não existem neste sector da economia em praticamente nenhum clube.

    Prova disso, num clube maduro como o United, o Van Gaal diz que precisa de jogadores novos para serem moldados num projecto de 3 anos, e o que os adeptos clamam é por contratações de jogadores-estrelas...


    ResponderEliminar

Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.

Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado.

artigos recentes