O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 21 de julho de 2012

As voltas do Recurso

 ●  24 comentários  ● 

Portugal, 21 de Julho de 2012

Pela primeira vez em meses, o Benfica viu deferido um recurso que apresentou ao CJ da FPF visando revogar a decisão tomada na Liga de Clubes, pelo fim dos empréstimos de jogadores a clubes da mesma divisão. Julgo que este CJ da FPF que apreciou e deferiu as pretensões do Benfica, em tempo recorde, ainda não se pronunciou sobre o recurso do Benfica contra os 2 jogos de sanção aplicados a Aimar no jogo contra o Olhanense. Note-se que desta forma, Aimar não pôde jogar em Alvalade, o que teoricamente enfraqueceu a nossa equipa que precisava de ganhar para não descolar do FCP.

Na mesma reunião estavam agendados outros recursos, alguns mais antigos, como o recurso de Bruno Paixão contra a classificação que a Comissão de Arbitragem lhe atribuiu, depois de Vítor Pereira ter diminuído a nota que lhe havia sido atribuída no jogo entre Gil Vicente e SCP, clube do qual Vítor Pereira continua a ser sócio. Parece-me um caso mais fácil do que aquele que o Benfica recorreu.

Independentemente do que cada um possa pensar sobre a questão em si mesma (para que conste, sou contra os empréstimos de jogadores a clubes da mesma divisão), interessa perceber as voltas que o tema deu até chegar ao Recurso apresentado pelo Benfica.

Em 28 de Junho a Liga Profissional de Futebol Profissional aprovou o fim dos empréstimos para apresente época, contando nomeadamente com os votos a favor de Nacional e SCP, e com os votos contra de Benfica e FCP.

Pelas 00:18 de 7 de Julho, o jornalista Eugénio Queirós, adepto do FCP, escreveu um post no RECORD intitulado “CJ vai chumbar fim dos empréstimos”.

A 9 de Julho o Benfica interpôs Recurso contra essa decisão, antecipando-se a FCP, o principal prejudicado, a par do Benfica, dos efeitos dessa decisão.

A 19 de Julho, o CJ da FPF anuncia que deu provimento ao Recurso do Benfica. Em tempo recorde tinha sido contrariada uma decisão da Liga, que em teoria era desfavorável ao Benfica, e que estranhamente não mereceu da parte do FCP (o outro clube/SAD prejudicado) qualquer tipo de recurso. O que só se compreende porque eles depositavam muita “confiança” no Recurso do Benfica.

Como? Se calhar temos de perguntar ao Eugénio Queirós...

A propósito da temática dos empréstimos e tomando como base a época anterior, a Benfica/SAD foi quem teve mais jogadores emprestados: 30. Destes 30 apenas 8 eram portugueses!

Nomes: Melgarejo, Carlos Martins, Jara, Oblak, Júlio César, Carole, Shaffer, Wass, Roderick, Sidnei, Enzo Pérez, Miguel Rosa, Urreta, David Simão, Coppetti, Léo Kanu, Fábio Faria, Airton, Felipe Menezes, Yartey, Elvis, Felipe Bastos, Leandro Pimenta, Romeu Ribeiro, Nuno Coelho, Fernández, Éder Luiz, Kardec, Alípio, Ruben Amorim.

Rui Costa: “Benfica fez um recurso dessa decisão (da Liga) e como diretor e ex-jogador vai prejudicar o jogador português, que terá de jogar na segunda divisão ou ir para o estrangeiro” – BOLA online, 5 de Julho. Cada vez percebo menos esta “sumidade” futebolística. O Benfica tem 8 jogadores portugueses, em 30 emprestados, como é possível dizer que estamos a ser prejudicados?

Dos 30 jogadores emprestados, 18 foram emprestados a clubes estrangeiros e 12 a clubes portugueses. Destes apenas 6 eram portugueses. Por último, destes 30 jogadores, 15 (50%) nunca foram incorporados na equipa, sendo emprestados de imediato. Como é Rui Costa?

Vamos falar claro. O Benfica não tem uma política de valorização do jogador português, mas sim uma opção por ser entreposto de contratação de jogadores que nem alinham na equipa principal (50%) e que não são portugueses (73%). O Benfica apareceu neste tema, como aliado do FCP, possivelmente cumprindo um papel que mais interessa ao “sistema”: que a opinião pública não perceba que a FPF está totalmente controlada pelo FCP (se fossem estes a recorrer e a ganhar o recurso, era o que se pensaria).

Notícia CM de 6 de Abril último: “o CM sabe que a seguir ao jogo entre encarnados e blues houve uma conversa telefónica entre os líderes da FPF e o do Benfica. Gomes elogiou a exibição da equipa portuguesa e lamentou a actuação do árbitro. Só depois de incentivado é que Luís Filipe Vieira se prontificou a criticar publicamente o juiz Damir Skomina”.

Possivelmente alguém voltou a incentivar o Sr.º Vieira a apresentar o polémico recurso contra as decisões da Liga...

Carta aberta a S. Ex.ª o Sr. Ministro da Administração Interna

 ●  8 comentários  ● 

Exmo Sr:

Ministro da Administração Interna:

O diário Correio da Manhã de hoje, noticiou uma alegada tentativa de agressão ao cidadão, Atleta do Benfica e da Seleção Nacional de Futebol, Nelson Oliveira, numa discoteca situada algures a norte do País onde se deslocou para se divertir e que parece não ter chegado a vias de facto, devido à intervenção dos seguranças do estabelecimento em causa.

Na verdade, agressões, até homicídios, perpetradas em discotecas é  recorrente, perante a perplexidade de todos nós! Neste caso porém, tal hostilidade parece dever-se ao facto de aquele cidadão ser atleta do Benfica, e o agressor, segundo se infere da notícia, ser um adepto de um conhecido clube rival.

Tal seria, ainda assim, irrelevante, se esta ocorrência não tivesse sido precedida de outras de cariz semelhante, sem que seja conhecida qualquer diligência preventiva das entidades a quem cabe o dever de garantir a segurança dos cidadãos e o combate à descriminação social.

Relembro outros casos recentes, nomeadamente:

1. Do jovem aluno que terá sido impedido por uma docente, de participar num pequeno convívio realizado, na sua escola em Braga, por atletas do clube emblemático desta cidade, pelo simples facto de se ter apresentado vestido com a camisola do seu clube, por sinal o Benfica, sob a alegação de que tal circunstância poderia ser interpretado pelos restantes participantes, como um ato provocatório, pelos adeptos do clube em promoção, no evento. Ou seja; a docente de um país Democrático, praticou, neste caso, a pedagogia da intolerância pelo desporto, valores contrários às sociedades humanas civilizadas.

2. Do Dirigente do Benfica Sr. Dr. Rui Gomes da Silva, agredido covardemente e em público por um adepto de um clube rival, quando saía com a sua família de um restaurante da cidade do Porto, onde se tinha deslocado para almoçar, tendo-se recusado o agente da PSP que se encontrava próximo de, a seu pedido, identificar o agressor e seu cúmplice, alegando a prioridade da sua missão de vigiar um prédio próximo, aconselhando a vítima a apresentar queixa na esquadra da PSP.

3. Das agressões perpetradas por desconhecidos, eventualmente adeptos de conhecido clube rival, sobre adeptas do Benfica quando circulavam numa via algures no norte com símbolos do Benfica visíveis.

4. Do testemunho público do Sr Dr Pragal Colaço, conhecido colaborador do Benfica, da resposta que lhe terá sido dada por um agente da PSP local quando lhe solicitou apoio na localização da sede da Casa do Benfica do Porto, ao que este lhe terá referido que tal casa seria para "incendiar um dia destes", bem como ao medo que aquele confessou públicamente, ter de se deslocar ao norte do país!

5. Do impedimento por adeptos de clube rival aos adeptos do Benfica da cidade do Porto e arredores, de comemorarem na Avenida dos Aliados desta cidade as vitórias de campeonato do seu clube, num gesto de reivindicação ilegítima de exclusividade na utilização de um espaço público, perante a aparente passividade das autoridades locais, nomeadamente da PSP.

6. Das agressões, injúrias e ameaças que, segundo tem sido noticiado, têm sido perpetradas contra cidadãos Bracarenses, pelo simples facto de manifestarem pacificamente o seu Benfiquismo, nomeadamente, celebrando as vitórias do seu clube.

7. Da tentativa de homicídio de que foi alvo o Presidente do Benfica quando circulava numa auto-estrada algures a norte, em circunstâncias suspeitas, sem que até hoje sejam conhecidas quaisquer diligências para identificar e punir os seus autores.

8. Do medo de represálias referido por vários adeptos do Benfica da cidade do Porto de revelarem a sua simpatia clubista.

Todos estes factos e muitos outros de contornos idênticos que têm sucedido de forma crescente e reiterada naquela região do país, parecem resultar do conhecido e continuado fomento público de ódio contra os Benfiquistas, por entidades associadas a clubes rivais, quanto a mim, com o intuito de provocação de fraturas sociais, porventura facilitadoras da pretendida criação da respetiva Região Administrativa pelas mesmas entidades.

Desconhecendo publicamente qualquer ação das autoridades responsáveis, para prevenir tais incidentes, identificando e punindo os autores de tais alegados ilícitos; garantir a livre circulação de pessoas no território nacional; garantir um dos direitos fundamentais punindo os autores de atos socialmente discriminatórios nomeadamente pelo desporto; recordando a negação por agente da PSP local, do ataque perpetrado, à vista de todos os presentes e espetadores televisivos, à viatura dos atletas do Benfica na sua deslocação ao Estádio do Dragão sem que tenhamos conhecimento de qualquer ação disciplinar movida ao agente em questão, consolida-se a nossa convicção de que a cultura discriminatória aos adeptos do Benfica contaminou algumas instituições públicas, nomeadamente responsáveis pela segurança, numa extensão e nível ainda desconhecidos em toda a extensão.

É pois minha convicção, estarmos perante um processo de descriminação planeado consolidado e consentido, com fins desportivos e políticos, levando-me a sujerir que, para evitar uma eventual escalada de conflitualidade social, perante a passividade dominante das autoridades nesta conjuntura, se institua um dispositivo de identificação dos Benfiquistas autorizados, certificado, por exemplo, pelo Sr Pinto da Costa ou outra pessoa igualmente relevante na sociedade portuguesa, que serviria como salvo conduto para garantia de circulação daqueles em todo o território nacional, incluindo no norte do País, restringindo-se todos os restantes a permanecer no território que lhes for definido e que alguns atribuem aos mouros, qualificação por que passariam a ser tratados em todo o Portugal uno e indivisível.

Claro que seria uma vergonha para um país que se orgulha da pertencer a um dos mais brilhantes processos de construção política da História, a União Europeia, mas talvez despertasse a tempo as consciências de todos, sobretudo das Autoridades, para o estado de insanidade que se vive no desporto nacional.

Peniche, 18 de Julho de 2012
Cumprimentos,
António Barreto
Contribuinte nº 119008262
Sócio do Sport Lisboa e Benfica
Acionista do Sport Lisboa e Benfica Futebol Sad

Cheira bem !!!

 ●  5 comentários  ● 
O Basket dos corruptos de contomil finou-se, mas pela nota que distribuíram à C.S. parece que o clube do Padre da Freguesia das Antas apenas entrou em estado de coma profundo e que, quando os ventos directivos do Basket forem uns Saldanhosos mais macios e mais a jeito, nessa altura, um qualquer Póvoas os farão sair do coma e voltam.


Mas que azia foi aquela que os rapazes das camisolas berrantes, pregaram naquelas gentes...não aguentaram a afronta e quem pagou, foram aquelas pobres crianças e bebés, que estavam naquele pavilhão, quando a Policia lá entrou para distribuir... a Lei e a Ordem.

Bem se queixaram as mulheres da limpeza no dia seguinte. Cotonetes, fraldas, biberons e chupetas, eram aos milhares espalhadas pelo chão.




Finalmente o Basket cheira bem. Cheira a Lisboa !!!


quinta-feira, 19 de julho de 2012

O fim...do fim dos empréstimos e o papel do Benfica

Avatar
 ●  28 comentários  ● 
Confirmou-se hoje que o recurso do Benfica para a FPF sobre a proibição de empréstimos a clubes da mesma 'divisão' foi aceite e a norma aprovada na Assembleia Geral da Liga invalidada.

Quer isto dizer que os clubes podem de novo emprestar jogadores aos clubes que disputam consigo o mesmo campeonato.

O papel do Benfica neste assunto é deplorável.

O Glorioso tem sido prejudicado ano após ano com as toneladas de jogadores emprestados pelo FCP a outros clubes. Jogadores esse titulares a época inteira mas por magia lesionados ou castigados quando defrontavam a casa mãe.
O uso dos empréstimos tem servido apenas para os corruptos pagarem favores aos clubes pequenos e submissos.

Servir de gazua para que novamente isto possa ser feito é brincar com os benfiquistas.

O Benfica quer fazer o mesmo que o FCP tem feito? Errado! O Benfica não tem que utilizar os mesmos métodos sujos.
Saber viver e lutar com todas armas não significa descer ao nível do lixo.
Temos que ganhar porque somos os melhores e se não o formos, não ganhamos.

O Benfica comprou demasiados jogadores e precisa de emprestar para poder recuperar o investimento? Não comprassem! Usem a equipa B. Resolvam o problema que criaram.

Emprestar jogadores aos molhos é alimentar clubes moribundos. E temos demais desses clubes em Portugal.

Os clubes têm de jogar com jogadores dentro das suas possibilidades, e assim permitir que mais jogadores portugueses possam ter oportunidade de aparecer.

Infelizmente, estamos a dar mais uma borla aos corruptos e a todos que com eles têm pactuado.

Prétemporada: a fase Gama

 ●  10 comentários  ● 

Portugal, 19 de Julho de 2012

A pré-temporada do Benfica já começou e à semelhança de outros anos, pelo menos os últimos 4 (é possível que sejam mais), esta primeira fase foi organizada pela Gama Sports. 

Se calhar só dei mais atenção às pré-temporadas em que Jorge Jesus passou a ser o treinador (mera coincidência) e por esse motivo sei que esta fase ligada à Gama Sports se caracteriza por jogarmos 3 vezes em 4 dias, não sabendo bem a quem é que isso interessa mais. À equipa de futebol não seguramente, porque se isso fosse positivo, já outras equipas tinham copiado o modelo.

Desta vez e ao contrário do que sucedeu nos últimos 2 estágios organizados pela Gama Sports, não perdemos qualquer jogo (Dijon na época passada e Sion na anterior, derrotaram-nos), vencemos 2 e empatamos 1, tal como no último ano em que fomos campeões. Pormenor de interesse: não sofremos golos!

Nós adeptos e sócios do Benfica parece estarmos a criar um estado de exigência que só se satisfaz quando atingirmos a perfeição, situação absurda pois a perfeição não existe. E não é no futebol que estamos mais perto de a alcançar.

Daí já ter lido diversas criticas de ilustres adeptos do clube, em particular na blogoesfera, questionando as adaptações de algumas posições, questionando a morosidade de algumas contratações, questionando a relação entre o treinador e alguns jogadores, questionando a ética de algumas situações, enfim, um conjunto de criticas que a mim não me espantava se fossem feitas por adeptos dos clubes rivais. E também já não me espanta muito que sejam feitas por adeptos do Benfica.

É a factura a pagar pelas prometidas “equipas maravilhas” e o “vamos arrasar a Europa daqui a 2 anos”, ou seja, era em 2005 mas bom, há que ter pensamento positivo. Agora a Direcção não usa de estratagemas para enganar os sócios e adeptos. Adiante.

Para que conste, as equipas iniciais nos 3 jogos do Benfica foram:

Com o Marselha: Artur; Maxi Pereira, Luisão, Garay e Luisinho; Witsel e Javi García; Gaitán, Bruno César e Pablo Aimar; Cardozo.
Com o Hamm: Paulo Lopes; Yannick Djaló, Miguel Vítor, Jardel e Melgarejo; Javi García e Enzo Pérez; Carlos Martins, Ola John e Hugo Vieira; Kardec.

Com o Lille: Artur Moraes; Maxi Pereira, Luisão, Garay, Melgarejo; Javi García, Witsel, Bruno César, Enzo Perez, Ola John e Cardozo.

Como se pode ver, o treinador do Benfica (e quem sou eu para o criticar), optou (na minha perspectiva bem) por fazer jogar os jogadores que na sua opinião ofereciam menos riscos, em função do valor do adversário. Assim se contra o Marselha apenas deu lugar a um dos reforços (o FCP contra o Evian não fez alinhar nenhum), já contra o Lille fez alinhar três (os sublinhados). Contra os amadores do Hamm (1ª divisão luxemburguesa) fez alinhar apenas um dos considerados imprescindíveis (a sublinhado) e deu lugar a quase todos os jogadores que na época passada jogaram menos ou que apenas chegaram esta época.

Partir daqui para “filmes” sobre tudo e nada, como já vi fazer por aí, acho que é mau e acima de tudo, não tem justificação. Esta fase Gama da prétemporada foi uma boa fase, deu boas indicações sobre os jogadores e os modelos de jogo escolhidos, pelo que pouco mais há a dizer excepto que desfrutei.


quarta-feira, 18 de julho de 2012

Rui Costa/Mantorras.

 ●  18 comentários  ● 
Foi linda a festa que decorreu  esta noite na nossa Catedral.

Deu para ver que o RUI COSTA, bem treinado e a fumar menos, ainda fazia duas épocas  esplendorosas !!!

Afinal a solução não só está no Banco, como até na Administração!!!


Outro ponto alto da festa, foi a justíssima homenagem ao Mantorras, que aproveitou para marcar o seu golo da praxe, para deleite de todos os Benfiquistas.



terça-feira, 17 de julho de 2012

Questão para queijinho?

 ●  65 comentários  ● 
Depois do estágio creio ter sido fácil compreender que jogadores como Hugo Vieira não terão lugar no plantel. Rodrigo Mora e o próprio Michel não terão a vida fácil, já para não falar de Luisinho que, com a adaptação - até agora com algum sucesso - de Melgarejo e uma possível contratação de um defesa-esquerdo fica, também, ele sem espaço.

Sendo eles jogadores de 1ª divisão (Paços de Ferreira, Gil Vicente e Peñarol) para onde seguirão? Aceitarão os "portugueses" jogar na 2ª divisão depois de terem feito carreira na primeira o ano passado? O Mora, vai para o Uruguai outra vez?

É verdade que falta muito tempo para fechar o mercado e com possíveis saídas muitas coisa se pode alterar, mas intriga-me como o Benfica pode resolver este problema.

Que dizem?

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Terminou o estágio

Avatar
 ●  15 comentários  ● 


Original Video - More videos at TinyPic

Importante mesmo é o jogo em 19 Agosto com o Braga na Luz!


adenda:
Jorge Jesus abordou, no final do jogo com o Lille, a situação de alguns jogadores do plantel encarnado, entre os quais Melgarejo, Ola John, Carlos Martins e Enzo Perez.

«Melgarejo tem qualidade individual, está a aprender. Fez o jogo treino (com o Lille) com qualidade, deixou boas indicações, assim como o Luisinho já tinha feito. O Ola John é o que tem tido mais dificuldades de adaptação. Não fala português e não sabe as ideias técnicas da equipa. Quanto ao Carlos Martins conquistou um lugar dentro do plantel», afirmou o técnico.

Quanto a Enzo Perez, argentino que na época passada forçou o regresso ao país natal, Jorge Jesus diz que é «jogador do Benfica» e que só saiu na primeira parte do jogo com o Lille devido a «problemas musculares». in abola


domingo, 15 de julho de 2012

E no pimeiro jogo da temporada...

Avatar
 ●  34 comentários  ● 
JJ dá aos benfiquistas mais do mesmo.
Sim, logo no primeiro jogo da temporada JJ começa logo a levar. Nos últimos 2 anos inventou o que quis e como quis. A tolerância neste momento é zero.

Foi com a opção Cardozo/Aimar na frente, que nunca resultou, que JJ resolveu brindar os benfiquistas ansiosos de ver os seus craques de bola no pé. E o desenrolar do jogo comprovou isso.

Depois de um ano a aturar o medíocre Emerson(e ouvindo que ele era afinal um craque!), estamos a meio do estágio e ainda sem defesa esquerdo. Luisinho? O seu primeiro jogo foi muito fraco.

Na frente, não sei porque ainda se insiste em Kardec, um cepo dos antigos. E Cardozo...desculpem lá os fãs dele, mas o paraguaio é mais um peso morto que outra coisa. Tapa o lugar a outros que virão, casos de Rodrigo e Nélson Oliveira. E até ao Hugo Vieira, jovem que não percebi porque não jogou.

Carlos Martins em poucos minutos demonstrou a estupidez que foi a sua dispensa no ano passado. 

Em suma, nova época mas para já os erros de sempre. 

Nota: O preço dos cativos para esta época deve ser gozo. Ganhamos o quê que justifique o inflacionar dos preços? É assim que querem puxar gente para o estádio, numa altura de crise? Prefere 15 mil cativos vendidos a 30 mil por um preço mais acessível? Pelo menos 5 dos meus vizinhos de cativo não o renovaram. Dá que pensar.


ranking