O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


sábado, 5 de maio de 2012

Campeonato da fraude - T18 parte IV (última)

 ●  19 comentários  ● 
Portugal, 5 de Maio de 2012

O campeão da fraude vai ser hoje entronizado e para que a festa seja mais irónica, o convidado de honra é o SCP. Os seus “compagnons de route” desde 1995 quando ambos optaram pelos mesmos modelos de SAD e grupo empresarial. Foi na época 1994/95 que o Organismo Autónomo organizou a partir do Porto o 1º campeonato, e o FCP de Bobby Robson venceu com 91% de pontos ganhos, o 2º melhor registo dos últimos 25 anos ... o maior foi Villlas-Boas com 93%, ele que foi o pior treinador da era Abramovitch. Adiante.

O controlo que o FCP hoje dispõe no circuito que envolve tudo que é arbitragem, e que antes, com a FPF, tinha de dividir com clubes importantes das Associações que dividiam a influência com a AF Porto, esse controlo resulta de uma vontade, de uma estratégia, de um plano bem arquitectado e melhor executado.

Enquanto em Lisboa se privilegiou desde sempre a tese dos “erros próprios”, mudando-se de jogadores, mudando-se de treinadores e até de Presidentes, no Porto optou-se pelo controlo da arbitragem como forma de garantir melhores desempenhos em campo. E destes resultam mais facilmente vitorias, mais pontos, mais pressão sobre os adversários directos, mais títulos de campeão. Se em simultâneo os adversários directos fossem impedidos de ganhar com a facilidade que o seu futebol merecia, então essas conquistas podiam ser ainda maiores, mais “nítidas”, mais “convincentes”.

Alguém publicou os seguintes dados, referentes ao período 1984/2003, que na altura recolhi num site e que exemplificam o que mudou na arbitragem com esta estratégia do FCP: penalties a favor do FCP, 173, contra, 40. Penalties a favor do Benfica 130, contra, 55. Penalties a favor do SCP 123, contra, 41. Cartões amarelos FCP 1185, Benfica 1225, SCP 1291. Cartões vermelhos FCP 73, Benfica 98, SCP 88. Não por acaso o FCP ganhou 490 jogos, empatou 120 e perdeu 62. O Benfica também não por acaso ganhou 420, empatou 155 e perdeu 97. O SCP ganhou 383, empatou 168 e perdeu 120.

Tenho pena que não se possa fazer a destrinça entre as épocas 84/85 a 93/94 e 94/95 até 2002/03, para verificar a diferença destes dados, entre a arbitragem na FPF e a arbitragem na Liga. Desta maneira as conclusões ficam um pouco limitadas. Menos no essencial: o FCP é o clube que tem mais penalties a favor, menos penalties contra, menos cartões amarelos, menos cartões vermelhos. Como consequência é o clube que apresenta mais vitórias, menos empates e menos derrotas. Ou seja, por tabela é o clube que faz mais pontos. E que ganha mais campeonatos!

Não perceber isto é não perceber o futebol e não perceber porque razão Lisboa perdeu o protagonismo no futebol e se limitam a ser os maiores financiadores de uma “festa” (campeonato) de que estão condenados a ficar sempre á porta enquanto vêm os outros divertirem-se. Na presente temporada se mais exemplos fossem precisos, basta concentrarmos a nossa atenção na jornada 28, a que fez o FCP sagrar-se campeão uma vez mais.

Assim no Marítimo - FCP um árbitro que em tempos foi pressionado pelo FCP como ficou evidente nas escutas entre Pinto de Sousa e Pinto da Costa, (2003) esse desgraçado não podia assinalar penalti contra o FCP, quando Hulk agarrou Heldon de maneira mais evidente que Luisão sobre Wolswinkel. Porque estava 0-1 para o FCP e o título ficava mais longe. Até porque o Marítimo estava a jogar melhor. Então fez o que manda o “manual”: cartão amarelo para o atacante! De seguida na recta final, conseguiu ver penalty num lance em que Djalma se projecta contra o defesa do Marítimo que assim leva 2º amarelo e é expulso!

Ou seja, o FCP jogou mal e graças a 2 decisões invertidas do árbitro, ganhou 2-0. Se fosse o Benfica era assinalado o penalti contra, e o jogo se calhar era empatado ou perdido se o árbitro inventasse umas faltas contra o Benfica nas imediações da área e uma delas desse golo, como Xistra fez em Guimarães.

Em Vila do Conde, a nomeação de Olegário foi desde logo uma provocação após os erros da época passada no Guimarães - Benfica e após este árbitro ter sido retirado dos jogos do Benfica, numa aparente (só aparente) atitude de respeito pelo Benfica.

Olegário até arbitrou razoavelmente bem até aos últimos 10 mn, onde percebendo que o FCP estava quase a ser campeão, permitiu condutas ilegais aos defesas que resultaram em 2 penalties não assinalados a nosso favor. Teve “azar” pois o jogo estava-lhe a correr “bem”, o Benfica até estava empatado por mérito do Rio Ave e por desacerto nosso, quando entretanto os defesas do Rio Ave decidiram abusar da generosidade do árbitro e entalaram-no, obrigando a mostrar de que lado sempre esteve. É esta a história deste campeonato da fraude.



Atenção às movimentações - UPDATE

Avatar
 ●  23 comentários  ● 

A personagem que faltava incluir neste repasto foi a maior surpresa: o corrupto mor!
Ao ler os comentários no post original, vi logo muitas justificações para uma refeição entre o Seara e Oliveira. Com o Relvas, ainda era justificável. Com Oliveira já cheira mal. Com o corrupto, é inaceitável.

Será preciso lembrar o que este senhor fez ao futebol e ao Benfica? Ainda agora se sagrou campeão nacional com a ajuda enorme dos srs.de preto. 

Seara dá a cara pelo Benfica na televisão, como 'notável'. No entanto, e como há muito transparecia, Seara não passa de mais um oportunista que se vale da imagem como benfiquista para angariar votos.

Quem sente o Benfica, nunca poderia sentar-se na mesma mesa que o corrupto mor.

Vou contar uma pequena história que aconteceu há 3 anos num dos restaurantes mais concorridos de Lisboa, que não vou identificar.
Restaurante cheio como sempre, chega Marcelo Rebelo de Sousa acompanhado do corrupto mor. Marcelo entra no restaurante onde se dirige ao dono que o cumprimenta efusivamente, sendo Marcelo um 'habitué' do restaurante.
Diz Marcelo: 'Hoje trago um convidado especial para o almoço'. E aponta para a rua onde o corrupto aguarda. 
O dono, um benfiquista convicto mas que recebe sempre com grande simpatia todos os clientes. Todos? Não. Há quem não mereça.
Responde o dono do restaurante: 'Dr.Marcelo, para esse senhor só tenho mesa daqui a 5 horas.' 
Marcelo replica: 'Mas eu tou farto de lhe gabar o restaurante ao presidente do Porto! E ele está cheio de vontade de comer aqui! E viemos foi para almoçar, não para lanchar ou jantar!' - disse sorrindo.
O dono do restaurante refletiu uns segundos e falou: 'Dr., para si tenho mesa em 5 minutos. Para si com aquele senhor, tenho mesa daqui a 5 horas, mas poderão ser mais horas. E uma hora antes de fechar, a cozinha já não funciona.'
Marcelo não desiste:' Oh homem, esqueça lá o futebol. Ele paga bem!'
O dono encerrou o assunto dizendo: 'Dr., prefiro oferecer os almoços aos clientes todos que aqui estão que vender uma bica a esse senhor. Na minha casa, ele não entra.'
E Marcelo desistiu e foi embora.

Para ser um benfiquista honrado, não se tem que ser nem notável nem anónimo. Basta ser honesto, sincero e ter amor ao clube. E gente honrada não come com gente sem honra nem valores.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Atenção às movimentações!

Avatar
 ●  19 comentários  ● 
Atentem bem no cenário espelhado neste LINK.

O que foi isto?

Hipótese A: Uma versão do 'No Reservations' organizada pelo Oliveirinha?

Hipótese B: Eleições do Benfica à vista?

Hipótese C: Negócios com a C.M.Sintra na mira de Oliveirinha com a benção do Governo?

A resposta é...: não sei!

O que sei sim é que Fernando Seara comprova que como benfiquista vale zero.
É mais um que come na mesa de Joaquim Oliveira. Sim, porque para quem sabe, o Gambrinus é a mesa preferida dele. Logo, foi ele que recebeu 'como em casa'.

Juntando isto a episódios passados em que o benfiquismo do Sr.Seara se mostrou muito fraquinho, espero que a blogoesfera benfiquista se una em denunciar mais este benfiquista da treta, que se 'deita' com o inimigo.
Destes não precisamos mais.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Campeonato da fraude - T18 parte III

 ●  15 comentários  ● 

Portugal, 3 de Maio de 2012

Indubitavelmente o aumento do sucesso futebolístico do FCP está associado à transferência da organização dos campeonatos para a Liga de Clubes, e a concentração dos interesses em torno da arbitragem, num único clube beneficiário: o FCP.

A arbitragem é a explicação para o sucesso do FCP e insucesso do Benfica (e SCP também), embora uma larga maioria de adeptos discorde sem perceber que em nenhum clube do mundo há um treinador que seja perfeito e não cometa erros. E sem perceber que falar de treinadores e jogadores no Benfica é uma boa estratégia da comunicação social para não se falar dos erros de arbitragem que valem pontos. Critério diferente quando acontecem a FCP e SCP.

Erros de árbitros sempre existiram e irão existir. Não é destes erros associados à limitação humana ou contingência dos lances, que estou a falar. Estamos a falar dos erros direccionados de acordo com uma lógica. Uma lógica de poder: favorecer quem manda, prejudicar quem pode disputar o sucesso de quem manda. Favorecer o FCP. Prejudicar o Benfica. E isto pode ser feito de muitas maneiras, no próprio jogo, e em muitos patamares distintos, envolvendo interesses de outras equipas.

Alguém se lembra da última vez que o FCP sofreu um golo em fora de jogo? Alguém se lembra da última vez que um jogador do FCP fez 2 faltas e foi expulso com 2 cartões amarelos? Alguém se lembra da última vez que o Benfica marcou 1 golo em fora de jogo de metro ao FCP? E no Benfica ?

O controlo da arbitragem foi um objectivo de sempre da estratégia de Pinto da Costa e José Maria Pedroto. Consta-se que Pedroto esteve para assinar pelo SCP de João Rocha e foi travado por uma exigência de última hora: exigiu dinheiro para comprar árbitros. Na altura o presidente do FCP não alinhava com Pedroto e Pinto da Costa estava “exilado” em Guimarães como Director Desportivo...

Passando à frente deste período que levou o FCP ao controlo da organização das provas, a Liga de Clubes, a prova que eles levam isto a sério foi quando Manuel Damásio, como presidente (figura decorativa) da Liga de Clubes, introduziu o sorteio dos árbitros para terminar com as suspeitas. Ora que fez de imediato Guilherme Aguiar, como Director Executivo da Liga? Um regulamento de sorteio que acabou por matar o sorteio ao fim de 2 ou 3 épocas, já que as regras eram tantas e restritivas, que em muitos jogos acabava por existir apenas 1 árbitro para ser sorteado. E voltou-se às nomeações. Tinham ganho outra vez...

Mas não foi só isto. Tudo isto (sorteio ou nomeações) era tão bem feito que Paulo Paraty arbitrou os 4 últimos jogos que o Chaves fez com o Benfica em sua casa: 2 por sorteio e 2 por nomeação! (e lembro-me bem como vencemos lá 1-0 em 1995 terminando o jogo com 9). Já na Luz pelo menos os últimos 2 jogos foram arbitrados por João Mesquita, curiosamente também árbitro da AF Porto! 

Nada disto acontecia por acaso assim como quando Laureano Gonçalves se demitiu da presidência da Comissão de Arbitragem, as gentes da AF Porto ficaram em relativo alvoroço, como deram conta no JN. Diziam eles que “não queriam perder o que tinha dado tanto trabalho a alcançar”.
 
Assim enquanto as gentes de Lisboa se afundavam na teoria dos “erros próprios”, mudando de treinadores, de jogadores e até de Presidentes, as gentes do Porto burilavam o seu sistema de controlo da arbitragem até roçar um nível de perfeição. Como na actualidade!

Hoje o FCP controla por via directa ou indirecta, todo o aparelho que começa no presidente da Comissão de Arbitragem, os seus 2 vogais, o gabinete de apoio técnico, os observadores dos árbitros. O controlo é quase TOTAL...

Este controlo permite que se criem circuitos de procedimentos entre todos estes “agentes”, de modo a que as leis de jogo sejam “re-interpretadas” conforme os interesses a proteger. Assim surgem as regras do “manual de arbitragem” que tanto tenho referido, que não sendo um documento escrito e de distribuição (não deixar provas é uma táctica defensiva), mas que vemos em praticamente todos os jogos e que se baseiam na dualidade de critérios...

Prioridades.

 ●  14 comentários  ● 
Depois de LFV estar três semanas "desaparecido" (salvo seja, LFV andou a tentar orgulhosamente voltar a imitar Manuel Damásio tentanto trazer Villas Boas para o Benfica e depois Rui Faria) finalmente o Querido Líder lá se dignou a partilhar os seus magnânimes pensamentos á Comunicação Social.

Conseguem adivinhar o grandioso orgão de Comunicação Social com o qual decidiu falar? Terá sido A Bola, o Record, ou um jornal mais generalista quem sabe um Público ou um Expresso? Não, decidiu falar para aquele jornal de referência a nível nacional e internacional a TVL-Odivelas TV!!!

E o que é que preocupou o nosso Querido Líder? O desaparecimento do Odivelas FC...

Ao mesmo tempo decidiu relembrar aos benfiquistas o estado em que o Benfica estava quando Manuel Vilarinho chegou á presidência do clube.

Afinal de contas trata-se de uma questão de prioridades... Com o Benfica em crise pelo falhanço do mandato desportivo, com um passivo preocupante, uma equipa desmoralizada e uma Direcção a fazer a cama e a tentar retratar como um Judas o melhor treinador dos últimos vinte anos do clube o que é que poderia preocupar mais a figura máxima de autoridade do clube?
Seriam todos estes problemas decorrentes de um clube orfão de liderança? Não... Foi antes tentar salvar o seu pescoço e o futuro do Odivelas FC.

Estará Vieira preocupado com os dois últimos mandatos falhados? Não, está preocupado em assegurar mais um mandato, e escapar por entre os pingos de chuva.

Tal como no Sporting com o Projecto Roquette, o Projecto Estabilidade de LFV falhou no Benfica. O clube está entregue aos bichos. Está na hora de uma limpeza para o clube voltar a ter oportunidade de crescer.


Mário Coluna sobre JJ

Avatar
 ●  11 comentários  ● 
«Sinceramente não gosto dele e não sei porquê. Aquilo que tenho acompanhado na equipa do Benfica não gosto dele. É natural [que defenda a saída de Jorge Jesus], se ele não cumpre e não ganha o que a massa associativa exige ... que arranjem um outro», é assim que à TSF Mário Coluna desabafa sobre o atual momento do Benfica.
Coluna revela ainda que até deixou de ver os jogos para não sofrer.

Queres ver que o Sr.Coluna não percebe de bola também?!
Estará o Sr.Coluna a fechar os olhos às arbitragens, ou estará a limitar-se a saber...ver futebol?

Bem vamos lá ver:

- Capitão de equipa no Benfica
- 2 vezes campeão europeu pelo Benfica
-10 vezes campeão nacional pelo Benfica
- 6 taças de Portugal pelo Benfica
- 3 finais perdidas da taça dos campeões
- Capitão da selecção nacional que ficou em 3º lugar no campeonato do mundo de 1966
- Considerado um dos melhores 100 jogadores do século XX. 


Se calhar, mas só se calhar, ele até percebe de bola.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Campeonato da fraude - T18 parte II

 ●  15 comentários  ● 

Portugal, 2 de Maio de 2012

Como referi no texto anterior, há 18 anos que os campeonatos de futebol profissional são organizados pela Liga de Clubes sediada no Porto. Os campeonatos da fraude. Também referi que esta mudança de local e entidade organizativa, foi vista por gente de responsabilidade no domínio da opinião mediática, como a entrada em vigor de uma nova ordem no futebol nacional.

Os números de facto assim comprovam. Nestes 18 anos de Liga de Clubes, o FCP venceu 13 campeonatos (72%), o Benfica e SCP venceram 2 cada um, e o Boavista ganhou 1. Por comparação, nos anteriores 15 campeonatos organizados pela FPF (lamento não ter dados sobre os anteriores 18 anos) o Benfica venceu 7, tantos como o FCP (47%), e o SCP venceu 1.

Se o algodão não engana, os números também não: a mudança de entidade organizativa dos campeonatos apenas favoreceu um clube, o FCP! Não por mera coincidência, o clube da cidade onde se localiza a Liga de Clubes.

Importa colocar então uma questão. Se o Presidente do FCP e estrutura do clube continuaram as mesmas, como é que a sua eficácia nos campeonatos ganhos, quase duplicou?

Para tornar a pergunta mais difícil, poderemos acrescentar que os principais rivais do FCP, Benfica e SCP, até se reforçaram cada vez mais, melhoraram vários aspectos da sua organização interna, endividaram-se para sustentar uma estrutura futebolística mais competitiva, e contudo o FCP passou de 47% de campeonatos ganhos num intervalo de 15 anos, para 72% num intervalo de 18 anos.
 
A resposta terá de ser encontrada no controlo da arbitragem.

Na altura criou-se a ideia de que o FCP ganhava mais títulos porque as Associações de Futebol, com a do Porto à cabeça por ter maior número de votos (função do número de clubes), controlavam a arbitragem e demais lugares da FPF. Eu próprio vi com bons olhos, a mudança da FPF para a Liga de Clubes, porque assim as Associações deixavam de mandar na Arbitragem. Apenas achei um ponto frágil à instalação da Liga no Porto, mas dei o benefício da dúvida essencialmente porque as jogadas (também conhecidas por “chitos”) de Adriano Pinto, iam acabar.

Passados estes anos todos, tenho de reconhecer que era uma análise errada. O controlo da arbitragem deixou de ser negociado entre 4 das maiores Associações de Futebol do País, Porto, Braga, Funchal e Aveiro, para passar a ser controlada pela teia de interesses económico - desportivos que a nova estrutura dos clubes / SAD passou a representar. Todos os clubes e SAD’s aumentaram a dependência dos direitos televisivos, detidos em exclusividade pela Olivedesportos, e do seu parceiro económico, o BES que viu no futebol um bom nicho de mercado (que lhe tem proporcionado bons retornos financeiros, como eles reconhecem).

Assim, se antes as Associações “cozinhavam” as listas para as eleições e dividiam entre si os interesses, com a Liga quem “cozinha” as listas é o FCP através de outros clubes, com o beneplácito da Olivedesportos e do BES. Obviamente que o FCP nunca apoiou qualquer lista para a Liga, nem mesmo a última com Fernando Gomes um fanático adepto do FCP, que enquanto presidente da Liga de Basquetebol nos anos 90 do século passado, conseguiu a proeza de “arrumar” a equipa do Benfica que dava cartas na Euroliga (a Champions do Basket).

Na estrutura “Associações”, os interesses eram divididos. Na estrutura “Liga”, os interesses são concentrados e o FCP é o denominador comum. Terá pois de se estabelecer uma relação de causa e efeito, entre esta nova ordem do futebol e os resultados do FCP.

Em particular não nos podemos ficar apenas pelo número de títulos conquistados, 13 em 18, mas na qualidade desses títulos. Se a Liga ajudou o FCP a ganhar mais do que ganhava quando a FPF e as Associações organizavam as provas, também a presença de Fernando Gomes na Liga está a ser caracterizada por vitórias mais fáceis ou menos previsíveis

Nestes dois últimos títulos, o FCP conseguiu 93% de pontos com Villas-Boas (o pior treinador da era Abramovitch) e se Vítor Pereira conseguir ganhar os 2 jogos em falta, faz 83%. Estes 2 resultados estão entre os melhores 4 que o FCP fez no milénio, e obviamente isto tem de fazer pensar como serão os campeonatos seguintes...

Até porque o Benfica fez 70% num caso (depois de perder o título, Jesus optou por rodar a equipa para poupar titulares para a Taça de Portugal e Liga Europa) e 77% neste ano se ganharmos os 2 jogos em falta. E 77% é apenas a 2ª melhor pontuação que o Benfica conseguiu nestes 18 anos (a maior são os 84% de Jesus há 2 anos). Não foi pois pelo treinador que o Benfica perdeu este título...

Temos presidente?

Avatar
 ●  24 comentários  ● 
Sim, quem é o presidente do Benfica? Será que ainda é LFV?
Depois de tudo o que se tem passado, nem rasto há daquele que lidera o clube há 10 anos.

Temos algum vice que faça as suas funções? Não.
Há alguém da direcção que até tem exposição televisiva semanal garantida, mas que se deixa enxovalhar por gente sem nível, e ataca talvez o último bastião de puro benfiquismo que são a maioria dos blogs de apoio ao clube.

Quem resta então? Algum presidente honorário? Alguém que haja como 'reserva moral' do clube? Que se pronuncie como voz sensata e com influência na direcção, de forma a sossegar os benfiquistas? 
Nada disso. Todas as vozes discordantes têm sido silenciadas.

O Benfica é portanto um clube à deriva. Sem liderança, sem estratégia, sem defesa, entregue nas mãos do adversário. Cheio de 'cavalos de Tróia', a única defesa que parece importar fazer é a da imagem de LFV.
E para quê? Para mantê-lo no poder. 

É com enorme preocupação que em vez de notícias e rumores sobre nomes credíveis para nos dotarem de um departamento de futebol forte, vejo aparecerem nomes com AVB. Essa seria a última machadada que se poderia dar no Benfica.

AVB é um portista confesso. Isso basta. Nem é preciso relembrar as suas declarações de enxovalho ao Benfica, nem as suas juras de amor ao FCP. É certo que ele tem mais amor aos euros(tipo Figo), mas é um portista. Ainda está para nascer um portista que seja imparcial e isento. Que seja honesto. 
Incomoda-me o tipo de benfiquismo que se contenta com uma 'bicada' a Pinto da Costa com essa possível contratação. Esse tipo de actuação não faz parte do ADN do Benfica, mas sim de LFV.

Chega de se confundir LFV e o Benfica. A foto no post anterior revela o tipo de Benfica que LFV quer perpetuar: um Benfica subserviente, calado, e onde os discordantes são atacados. 
Com esse pensamento vigente, já estão a conseguir transformar a Benfica TV de voz dos benfiquistas em voz de LFV.

É altura de dizer a todos aqueles que pretendem apresentar-se a votos em Outubro que saiam a terreno.
É altura de LFV dizer o que quer fazer, em concreto, no Benfica. 

É altura de os benfiquistas discutirem as razões pelas quais temos apenas 2 títulos de campeão nos últimos 10 anos. E como se pode inverter isso.

É altura de lutar pelo Benfica.

E já agora, de responder à pergunta: Temos presidente?

 

terça-feira, 1 de maio de 2012

Autoridade da Concorrência

 ●  48 comentários  ● 

Quando em 14 de Janeiro de 2012, na sequência das declarações de António Oliveira produzidas na imprensa nacional a propósito das eleições para a FPF, fazendo uso das prerrogativas Democráticas que nos assistem, submeti à Autoridade da Concorrência e DCIAP, uma exposição sobre o tema, solicitando a abertura de um processo de averiguações, tinha consciência das reduzidas probabilidades de sucesso.

Porém, surpreendi-me hoje ao receber resposta da Autoridade da Concorrência. Esta entidade, fez o que lhe competia, o que não é pouco, nos dias que correm! Agradeceu o contributo que lhe permitiu melhorar o conhecimento do funcionamento do setor, cotejou os factos apontados com a legislação em vigor e reenviou a exposição para onde entende mais apropriado; o Ministério Público, visto que, no seu entender, os factos expostos, poderão envolver atos do foro penal.

As minhas expetativas continuam a ser muito baixas, no entanto, não deixa de ser gratificante que, pelo menos esta instância, tenha dado sequência às preocupações cívicas de um cidadão comum.

Caso haja entre nós alguém com conhecimentos jurídicos para conferir a sustentação do argumentário expresso pela Autoridade da Concorrência, agradeço a sua colaboração, manifestando desde já a minha disponibilidade para o que for necessário – dentro das minhas possibilidades.

Na verdade, não estou convencido, uma vez que, perante o senso comum, os factos apontados, indiciam violação grosseira da sã concorrência, no caso em apreço. Por outro lado não posso deixar de estranhar que, tendo a matéria em causa a ver com o futebol nacional, a resposta tenha vindo precisamente no dia em que ficou definido o campeão da prova em curso no primeiro escalão! Fiquei com a ideia que houve a preocupação de não provocar instabilidade na prova!

Devo dizer ainda que, após o desempenho de ontem na TVI 24. No programa “Olhos nos Olhos” com Judite de Sousa e Medina Carreira, onde interveio o Presidente (salvo erro) da Autoridade da Concorrência Dr Manuel Sebastião, mudei a péssima opinião que tinha dele, pela clareza das explicações que deu sobre o preço dos combustíveis, prestando um excelente serviço público.

Resta-me aguardar a reacção do Ministério Público esperando que, igualmente, cumpra o seu dever de garante do Estado de Direito, pois, neste caso, não é apenas o nosso clube que está em causa, mas as condições do exercício de toda a atividade desportiva profissional, e não só, em Portugal.

E assim poderemos conferir o funcionamento das instituições e formar a nossa opinião, traduzindo-a no momento do voto, dando-a previamente a conhecer aos candidatos a funções políticas.

Viva Portugal Livre!

Custava muito ser alguém do Benfica a dizer isto?

 ●  19 comentários  ● 
"Carlos Pereira, presidente do Marítimo, diz que o FC Porto se sagrou campeão por mérito próprio, ainda que tenha contado igualmente com o contributo do Benfica para celebrar a revalidação do título.

«Podemos pensar seriamente como é que um clube que vai cinco ou seis pontos atrás de outro ainda consegue ficar com cinco ou seis à frente. Há mérito de um lado e demérito de outro», argumentou Carlos Pereira, que esta segunda-feira marcou presença no Estoril Open.

«Se não houver provas em contrário e o resultado for homologado, [o FC Porto] é um justo vencedor e só há que dar os parabéns», defendeu." in A Bola

Ou isto?

Quem viu esta Direcção a lutar pela limpeza do futebol português no tempo do Apito Dourado e Final... E quem a vê hoje, depois de apoiar duas vezes um dos Corruptos apanhados nas escutas para os orgãos mais importantes do futebol português. Totalmente submissos e calados após esta vergonha.
Até o Presidente do Marítimo e o Rui Santos reflectem mais o que vai na alma de todos os benfiquistas do que aqueles que deviam ser os maiores benfiquistas.

O que andam mais interessados em fazer hoje os membros da nossa Direcção? Queimar o elo mais fraco. Sempre é mais fácil que fazer face aos verdadeiros inimigos do Benfica.

Onde anda o Presidente em mais um momento negro da história do clube? Anda no estrangeiro. Se se confirmar um dos comentários recebidos num dos nossos textos, por Madrid. Provavelmente a arranjar um "craque" para voltar a distrair o povo. O Benfica naufraga como o Costa Concórdia, e o primeiro a abandonar o barco nos momentos negros é, também, quem tem mais responsabilidades.


segunda-feira, 30 de abril de 2012

Ora vejamos...

 ●  3 comentários  ● 
Primeiro vejam o vídeo: http://youtu.be/eqZKbgE9Zgg

Depois de vermos o vídeo, fica claro que a arbitragem foi uma das grandes responsáveis pela perda deste titulo. Mas como no diz o Vernelhusco no excelente post Balanço de Vieira enquanto dirigente do Benfica, Vieira é também um dos grandes responsáveis pelo não crescimento desportivo do Benfica. As amizades e apoios que Vieira fez só prejudicaram o Benfica, sem falar no seu silêncio quando a equipa do Benfica era atropelada pelas constantes arbitragens. As declarações de Máxi e de Artur são o espelho do que vai na alma dos jogadores do Benfica, os jogadores sentem-se completamente sozinhos, podendo dizer o mesmo de JJ que, no meu entender, foi completamente amordaçado por esta direcção que estipulou e ordenou que não se falassem de arbitragens.

Mas também não podemos deixar de lado o treinador JJ. O JJ é um treinador batidíssimo no futebol tuga e sabe muito de futebol mas tem um ego maior que este planeta. A critica que faço a JJ é sempre no aspecto táctico, ou seja, sabendo eu que ele sabe muito de futebol como pode ele colocar uma equipa a jogar partida em dois, em defesas e atacantes, ou seja, cinco a defender e cinco a atacar, que podem passar a seis a atacar ou até sete se ambos os laterais subirem. Para nós, meros leigos na matéria, é incompreensível, até porque não há paralelo no Mundo do futebol. Até o super Barça, o Real e ambos os finalistas da Champions jogam com uma meio campo equilibrado e com um ponta de lança e no entanto não deixam de vencer e de marcar muitos golos. Mas para JJ, sinónimo de golos é ter muita gente lá na frente e descurar a defesa, o Benfica deve ser a pior equipa a defender de todas as que vi jogar até hoje.

No jogo de ontem, por exemplo, apesar dos erros de arbitragem, o Benfica sofreu dois golos do 13.º classificado e que eu saiba nenhum foi irregular. Ao intervalo estávamos a vencer por 2-1 e o que faz JJ? Tira um médio e mete um avançado!!! Soberbo!!! O mais curioso é que em jogos em que a equipa não estava a jogar nadinha ou até a perder ao intervalo nunca, ou rara vezes, JJ fez um substituição ao intervalo, aguardou sempre até aos 15 minutos finais, ontem a vencer cometeu suicídio!!

A liga ainda não acabou e vamos com 26 golos sofridos, os mesmo que o Braga e mais cinco, imagine-se, que o Sporting. O tal Sporting que tem uma defesa de treta. A culpa será dos jogadores da defesa que não têm qualidade? Será do Emerson? Ontem jogou Cap e sofremos 2 golos na mesma. O ano passado o problema foi o guarda-redes dizem uns, então este ano com Artur só temos menos um golo sofrido do que na época passada na mesma altura. O problema, como eu sempre disse, não está na qualidade dos guarda-redes, nem na qualidade dos defesas, mas sim na forma como a equipa está posicionada em campo, ou não forma como esta se posiciona quando tem de defender ou parar os contra-ataques.

Eu sinceramente estou cansado de JJ e até irritado com o homem porque tenho consciência que ele sabe muito mais e é capaz de muito mais no aspecto táctico, principalmente no aspecto defensivo. Mas JJ quer é alimentar o seu ego colocando o Benfica a jogar ao ataque para golear mas em modo suicídio. A nossa sorte é que cá no burgo 90% das nossas equipas não têm qualidade e na maioria dos ataques não fazem mossa porque decidem mal os lances. Um Benfica mais equilibrado poderia ser campeão a esta altura, ter muito menos golos sofridos e tantos ou mais marcados.

Toda a gente vê as lacunas que o plantel tem, principalmente na lateral direita, como no meio campo e aposto que se JJ se mantiver virão uma carrada de avançados e extremos e iremos descurar a defesa. Um Benfica só com tração á frente, não obrigado!!! Eu quero que o Benfica jogue de forma equilibrada, que seja competente a defender e a atacar. Não marcamos 4 golos num jogo? Marcamos 2 mas não sofremos nenhum. Um Benfica equilibrado, personalizado, coeso e organizado jamais perderia o jogo de ontem. Lembram-se do primeiro jogo da época? Pois... Estivemos a vencer pois dois a zero e empatamos o jogo. Para mim é impensável tal acontecer numa equipa como a do Benfica.

Agora que se pense muito bem o que se quer na próxima época!! Se for este Benfica desorganizado, sem coesão, sem personalidade, uma equipa de reacção em vez de ser de antecipação, que não pressione o portador da bola e que defenda á sorte, por mim JJ pode ir.

A Vieira peço-lhe que faça o que fez o Vermelhusco, um balanço, uma auto-avaliação do que fez desportivamente no Benfica e o que não fez na defesa dos interesses do Benfica. Penso que a conclusão será óbvia para qualquer um...

Campeonato da fraude - T18 parte I

 ●  32 comentários  ● 

Portugal, 30 de Abril de 2012

Em 1994/95 o na altura denominado Organismo Autónomo, aproveitando uma das muitas confusões que existem no edifício jurídico português, organizou o 1º campeonato a partir do Porto onde, habilmente, o presidente da Câmara tinha dado terrenos para construir a sede da Liga de Clubes. Foi há 18 anos...
No ano seguinte, resolvida a questão do Organismo Autónomo, passou a ser a Liga de Clubes a organizar a maior prova do calendário futebolístico. Pela segunda vez na história portuguesa, o campeonato era organizado fora de Lisboa e daí para cá assim tem sido sempre.

Na altura, 1995 ou 1996, um dos muitos fundamentalista que o FCP tinha e tem a escrever em jornais, Pedro Batista (o que esteve para andar à estalada com Dias Ferreira num programa de formato Trio da RTP), anunciava no jornal O JOGO que com a Liga a organizar as provas entrava-se numa “nova ordem do futebol português”.

Percebi nas entrelinhas que aquela afirmação não era leviana nem casual. Aquela afirmação encerrava uma declaração política que só se começou a perceber quando o FCP embalou com 5 títulos consecutivos tendo por base arbitragens que obedecem a um “padrão” determinado pelos interesses do FCP (seja a seu favor, seja contra o Benfica ou outro rival que circunstancialmente possa competir com eles).  

O ciclo desta “nova ordem” iniciou-se com a Supertaça que nos foi roubada em pleno estádio das Antas quando Donato Ramos e o seu auxiliar invalidaram um golo limpo ao Amaral, por fora de jogo de posição sem intervenção na jogada. Daí para cá, tem sido sempre o mesmo.

Nestes 18 anos da “nova ordem do futebol português”, o FCP conquistou 13 campeonatos, e só por mera indigência mental ou má formação pessoal, se pode pensar que os grandes responsáveis são os treinadores: 1) Artur Jorge, 2) Neca e Filipovic, 3) Mário Wilson, 4) Souness, 5) Shéu, 6) Juup Heynckes, 7) Mourinho, 8) Toni, 9) Jesualdo, 10) Camacho, 11) Trappatoni, 12) Koeman, 13) Fernando Santos, 14) Camacho, 15) Chalana, 16) Quique Flores e 17) Jorge Jesus.

Ou seja, por razões de estratégia (ou falta dela) das 4 Direcções que estão abrangidas por este ciclo, Manuel Damásio, João Vale e Azevedo, Manuel Vilarinho e Filipe Vieira, o Benfica teve 17 treinadores, sendo 13 contratados como principais e 4 adjuntos que os substituíram por motivo de doença ou despedimento.

No mesmo período o FCP teve como treinadores 1) António Oliveira, 2) Bobby Robson, 3) Fernando Santos, 4) Octávio Machado, 5) José Mourinho, 6) Luigi Del Neri, 7) Victor Fernandez, 8) José Couceiro, 9) Co Adrianse, 10) Jesualdo Ferreira, 11) Villas-Boas e 12) Vítor Pereira (estes 12 treinadores são um número algo elevado para quem ganha tanto, mas estão “inflacionados” pelos 3 contratados na época 2004/2005).

Se compararmos as carreiras dos treinadores depois de “falharem” no Benfica, com as carreiras dos treinadores depois de “ganharem” no FCP, teremos de reconhecer as boas carreiras de Juup Heynckes, Mourinho, Trappatoni, Koeman e Fernando Santos. E as razoáveis carreiras de Camacho e Quique Flores.
Quanto ao FCP, exceptuando Bobby Robson e Mourinho, não houve um único que se destacasse pela positiva. Bem pelo contrário. António Oliveira foi despedido 15 dias depois de ser contratado pelo Bétis de Sevilha, Jesualdo Ferreira, o único tri-campeão pelo FCP, despedido pelo Málaga e Villas-Boas despedido e considerado o pior treinador da era Abramovitch. Nem Souness foi tão mal tratado depois de sair do futebol português...

O Benfica não tem ganho por mudar de treinador. Pelo contrário. Novo treinador, novos métodos de treino, novos jogadores, novos esquemas de jogo e quando chegamos ao 1º terço do campeonato com as mesmas arbitragens, o FCP já vai à frente e faz a gestão da prova. A comunicação social sabe que é assim, por isso “pede” aos adeptos que façam pressão contra o treinador do momento. Para ajudar o FCP...

Mas quem viu como o Benfica foi impedido ontem de ganhar em Vila do Conde, novamente pelo mesmo árbitro que esta época ofereceu 1 penalty ao FCP para ganhar em Guimarães, só pode concluir que o campeonato terminou como começou: com o FCP a ser ajudado por erros de arbitragem de Benquerença, pela via directa e pela via indirecta. Mais 2 pontos em Guimarães, mais 2 em Vila do Conde, 4 pontos assim oferecidos ao FCP!

Vieira como dirigente do Benfica - a razão do medo de debater?

 ●  36 comentários  ● 
O factor de avaliação mais pertinente para avaliar a prestação de Vieira como Presidente desportivo é o número de títulos conquistados nos seus doze anos á frente de clube. Já fiz esta avaliação de Vieira anteriormente mas acho que é essencial relembrar a "obra" de Vieira no momento das eleições. E não há melhor maneira de avaliar o estado do Benfica de Vieira do que comparativamente com a performance dos grandes rivais nesta década assim como com o período negro da história do Benfica – os anos 90.

Infelizmente, quer muitos apoiantes de Vieira e do Benfica em geral queiram quer não, para uma época desportiva ser qualificada como de sucesso não basta apenas que um clube faça imensos pontos, ganhe imensos jogos: o essencial é que conquiste títulos nas competições mais importantes e faça melhor do que todos os rivais nessa época . Basta ver o exemplo do primeiro Benfica de Camacho que fez mais pontos do que o de Trap e não foi campeão e mesmo o Braga de Domingos Paciência que no ano em que ficou em 2º atrás do Benfica fez pontos suficientes para ser campeão em quase qualquer outro ano!

Consequentemente, o período de Vieira á frente do clube fica não só marcado pelo que o clube alcançou mas pelo que alcançou comparativamente com os rivais e com o suposto período negro do Benfica.

Resultados desportivos do Benfica

Benfica com Vieira (director do futebol e Presidente)
Campeonato Nacional
1º em 2004/2005, 2009/2010 - dois campeonatos.
2º lugar em 2002/2003, 2003/2004, 2010/2011 e 2011/2012 - quatro 2ºs lugares.
3º em 2005/2006, 2006/2007 e 2008/2009 - três 3ºs lugares.
4 º em 2001/2002 e 2007/2008 – dois 4ºs lugares
6º em 2000/2001

Taça de Portugal
Vencedor em 2003/2004, - 1 Taça
Finalista vencido em 2004/2005 - uma final perdida.

Supertaça de Portugal
Vencedor em 2004/2005 - uma Supertaça
Finalista vencido em 2003/2004 e 2009/2010 - duas Supertaças perdidas

Taça da Liga
Vencedor em 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011 e 2011/2012 - quatro Taças

Competições europeias
 Semi-final da Liga Europa em 2010/2011

Benfica de 90
Campeonato Nacional
2 campeonatos - Campeão em 90/91, 93/94
Quatro 2ºs lugares - 1991/92, 1992/93, 1995/96, 1997/98
Quatro 3ºs lugares - 1994/95, 1996/97, 1998/99, 1999/00

Taça de Portugal
2 Taças -1992/93, 1995/96
Finalista vencido em 1996/97

Supertaça de Portugal
Quatro Supertaças perdidas - 1990/1991; 1992/1993; 1993/1994; 1995/1996

Taça da Liga
Não existia

Competições europeias -
Semi-final da Taça das Taças.

Comparemos o período de LFV enquanto dirigente do Benfica com a década "negra" de 90 do clube (e estamos a dar uns anitos extra de “borla” – diga-mos que são os “aninhos da estabilidade”). Os títulos contados numa década e outra demonstram a mediocridade do clube tanto com Vieira como dirigente como nos anos 90.
Qual a diferença entre ambas as décadas? Tirando a Taça da Liga não existente na década de 90 o Benfica de 90 fez melhor que o de 2000. É caso para dizer que o caneco da cerveja é o balão de oxigénio desta Direcção!

No campeonato, com Vieira como Director do futebol e Presidente, o Benfica foi campeão e segundo classificado o mesmo número de vezes em ambas as décadas, e terceiro classificado menos uma vez que nos anos 90. Contudo, as piores classificações do Benfica no Campeonato Nacional foram com Vieira como responsável máximo: o 6º lugar de 2000/2001 e os 4º lugares de  2001/2002 e 2007/2008!
 Nem no tempo negro de Vale e Azevedo isso se verificou!
 O Benfica da década negra de 90 fez participações mais meritórias no Campeonato Nacional que o do novo milénio!

Resume-se este desastre ao campeonato? Não!! Na Taça de Portugal o Benfica venceu mais uma nos anos 90 que com Vieira no leme embora não tenha conquistado nenhuma Supertaça. 

A nível europeu? Uma diferença mínima entre ambas as décadas. Se nos anos 90 houveram os 7 de Vigo também me lembro de muitas humilhações no novo milénio, como os 5 com o Olympiakos por exemplo... Só duas meias-finais europeias em 20 anos é manifestamente pouco! E o Parma dos anos 90 metia medo a qualquer colosso da Europa. E quem é o Braga na Europa de hoje?...

Comparação do Benfica de LFV com Porto e Sporting

Sporting
Campeonato Nacional
1º em 2001/2002 - 1 campeonato.
2º lugar em 2005/2006, 2006/2007, 2007/08 e 2008/09- quatro 2ºs lugares.
3º em 2000/01, 2002/03, 2003/04, 2004/05, 2010/11 - cinco 3ºs lugares.
4º lugar em 2009/2010 e 2011/2012

Taça de Portugal
Vencedor em 2001/02, 2006/07, 2007/08 - 3 Taças.
Finalista em 2011/2012 – por disputar.

Supertaça de Portugal
Vencedor em 2001/2002, 2006/2007, 2007/2008 - três Supertaças
Nenhuma perdida e duas ganhas ao Porto.

Taça da Liga
Finalista vencido em 2008/2009

Competições europeias
 Finalista vencido da Taça UEFA em 2004/2005. Uma Final Europeia.
Semi-final da Liga Europa em 2011/2012.

Porto
Campeonato Nacional
1º em 2002/03, 2003/04, 2005/06, 2006/07, 2007/08, 2008/09, 2010/11, 2011/2012 - 8 campeonatos.
2º lugar em 2000/2001, 2004/2005 - dois 2ºs lugares.
3º em 2001/2002, 2009/2010 - dois 3ºs lugar.
Nunca ficou abaixo de terceiro lugar mesmo nos momentos mais negros desta década e verdade seja dita não tiveram muitos.

Taça de Portugal
Vencedor em 2000/01, 2002/03, 2005/06, 2008/2009 e 2009/2010 - 5 Taças.
Finalista vencido em 2003/2004 e 2007/2008.
Finalista em 2010/2011.

Supertaça de Portugal
Vencedor em 2000/2001, 2002/2003, 2003/2004, 2005/2006, 2008/2009, 2009/2010 e 2010/2011 - Sete Supertaças
Finalista vencido em 2006/2007 e 2007/2008.

Taça da Liga
Finalista vencido em 2009/2010

Competições europeias
Campeão europeu em 2003/2004
Taça UEFA em 2002/2003
Taça Intercontinental em 2004
Liga Europa em 2010/2011

Clara e notório domínio de todos os maiores troféus a nível doméstico, claramente o melhor palmarés a nível europeu nesta década.

Como bónus e para não me dizerem que não menciono os pontos fortes dos mandatos de Vieira aqui fica uma comparação do betão construído pelos três clubes:

Património construído
Benfica
Estádio da Luz: Construido por Manuel Vilarinho, com Mário Dias como responsável. Inaugurado em 25/10/03. Vieira foi eleito para a sua primeira presidência em 03/11/2003. Vieira não tem nenhum mérito na construção do estádio.
Centro de Estágio próprio,
Pavilhões para as modalidades amadoras.

Sporting
Construiu Estádio próprio aquando do Euro-2004,
Centro de Estágio próprio,

Porto
Construiu Estádio próprio,
Pavilhão para as modalidades amadoras,
Centro de estágio não é próprio mas tendo em conta o contrato de uso que têm é como se fosse.

A nível desportivo, o Sporting nesta última década fez melhor que o Benfica. Na Europa chegou a uma final e o Benfica não, ganhou bastantes mais Taças de Portugal e Supertaças mesmo várias vezes contra o Porto enquanto que o Benfica só ganhou uma Taça de Portugal e uma Supertaça.
Nem vale a pena mencionar o claro dominador do futebol português enquanto Vieira liderou o Benfica. O Porto nos últimos anos conquistou um esmagador número de 8 campeonatos, comparados com 2 do Benfica. Conquistou mais títulos internacionais que o Benfica Campeonatos e mais Taças de Portugal que o Benfica Taças da Liga. Com Vieira no Benfica, o Porto só ficou mais forte e ultrapassou o Benfica em número de títulos.


Quanto a betão qual a diferença do Benfica para Porto ou Sporting?
Todos construíram estádio, todos têm centros de estágio de alta qualidade (dos quais só o do Sporting garantiu de facto retorno financeiro em jogadores vendidos) e só o Sporting não tem pavilhão para as modalidades, algo que mudará em breve.

No balanço final da passagem de Luís Filipe Vieira á frente dos destinos do clube o que de tão bom e diferente foi alcançado? Um Benfica que no geral se afirmou como a 3ª maior potência desportiva a nível nacional quando devia ser a primeira?
Os falhanços desportivos são da responsabilidade de quem lá está á tantos anos. Tal como a obra de betão também é. Mérito seja dado a Manuel Vilarinho!!

Ou seja Vieira a nível desportivo alcançou menos que Porto e Sporting no futebol e não fez melhor que o Benfica da década de 90 apesar de estar á mais de dez anos no clube enquanto dirigente. A nível de modalidades o Porto também tem mais títulos apesar da recuperação efectuada pelo Benfica na última época.

E se no plano desportivo o Benfica não se destacou dos rivais e quanto ao património temos que agradecer a Vilarinho e Mário Dias (enquanto que o 6º e 4º lugar de 2000/2001 e 2001/2002 são da responsabilidade de Vieira como Director para o futebol) o que dizer do nível financeiro? A Benfica SAD tem um passivo hoje acima dos 400 milhões, em 2002 esse passivo estava nos 89 milhões! O Benfica Clube tem um passivo acima dos 100 milhões sem ter que gerir o futebol!!!!

De que serve (ou a quem serve...) a estabilidade directiva se não se verifica uma mudança nos resultados desportivos? O multiplicar de empresas serviços do clube/SAD quando nem se assegura os resultados desportivos não servem o benfiquista comum. Servem para dar tacho a muita gente.

Onde está o nosso Benfica? Onde está o Benfica mítico que idealizei porque mal tenho memória desses tempos gloriosos: o Benfica de 80 que vi jogar na Catedral aos ombros do meu pai que juntamente com as estórias que o meu pai contava dos anos 60 e 70 construíram em mim a imagem de um clube que era um colosso europeu e não esta anedota gozada por todos os adversários do futebol português.
O Benfica do Grande Eusébio, do Zé Gato que se atirava de cabeça a bolas onde os outros guarda-redes só iam com o pé, do Bento, do Humberto Coelho, do Chalana...
De equipas que jogavam juntas durante anos e anos e que defendiam o clube com galhardia. De uma altura em que estabilidade não era manter no poleiro um Presidente - estes passavam mas o clube ganhava - mas sim uma equipa, um balneário forte, blindado e que incutia nos novatos o espírito benfiquista.
Daqui a quarenta anos como vai ser este período analisado pelos benfiquistas? Que histórias e títulos nos irão de encher de orgulho e que contaremos aos nosso filhos/netos? Ou iremos ser o benfiquista de 2025?

Com um registo deste para defender percebem agora porque é que Luís Filipe Vieira recusa debater com Rui Rangel??

domingo, 29 de abril de 2012

Procura-se!!!

Avatar
 ●  47 comentários  ● 

Procura-se benfiquista que se queira candidatar à presidência do clube e que esteja interessado acima de tudo em devolver o Benfica ao seu lugar cimeiro e a alegria aos benfiquistas.

Que seja alguém honesto, humilde, mas defensor acérrimo do clube, dos seus atletas, dos seus adeptos e dos valores que tornaram este clube um dos maiores do mundo.

Que seja alguém que não pactue com com gente ligada directa ou indirectamente à corrupção que invadiu o futebol português.

Por favor, traga consigo um grupo de benfiquistas com este espírito para a sua direcção.

Será muito bem vindo.

Assobiem e finjam que não vejam.

Avatar
 ●  11 comentários  ● 


'Não vale a pena estar a desculpar-nos com as arbitragens' - JJ dixit.

Vale sim, caro JJ. Assim como vale a pena questionar as tuas opções nos momentos chave deste campeonato, como hoje.
Tu, juntamente com quem entregou o poder total sobre os árbitros a Fernando Gomes, são os principais responsáveis por mais este falhanço.

Não sei o que é ser do Benfica para alguns. 
Ser do Benfica, do meu ponto de vista, é lisura de processos, transparência, e VITÓRIAS!!
Não temos nada disso com este presidente e com este treinador.

E faço minhas as palavras do post anterior.

Hoje estão em festa os ladrões, os corruptos, os violadores e todo o lixo que aprecia vencer com roubos, com subornos e com chantagem.

O PORTO É MERDA!

 ●  1 comentário  ● 
Este é o post mais pobre que a Gloriosasfera já viu, mas simultâneamente um dos mais ricos em verdade.

Hoje os azuis sagraram-se campeões nacionais. A culpa é nossa. Culpa do Presidente, culpa do treinador, culpa da SAD, culpa dos jogadores. Culpa até do nosso roupeiro. 

Agora assumam as culpas e trabalhem para um futuro mais glorioso.

O PORTO É MERDA.

Rio Ave - Glorioso Sport Lisboa e Benfica

Avatar
 ●  14 comentários  ● 
O grande treinador que é o melhor do mundo e arredores e que ninguém vence nessa arte da táctica e das transições agora que tudo está quase perdido é que aposta no Capdevila e no Nolito.

TSF - Comentário de Bruno Prata
Antena 1 - Comentário de Manuel Queirós

Isenção na rádio garantida!!


E ao escrever este post, o Rio Ave marca...grande JJ! Os teus esquemas fantásticos continuam a resultar!

JJ é para continuar! Nunca ganhamos tanta coisa!!! Jesus! Jesus! Jesus! Jesus! Jesus!

O pior que nos pode fazer Sr. Presidente: Roubar-nos a ilusão

 ●  13 comentários  ● 

Quem foi lendo o que aqui fui escrevendo neste espaço durante o tempo em que fiz parte deste blogue, sabe que sempre fui rotulado de Pró-Vieira, sendo lá isso aquilo que fosse. Defendi-o de ataques que para mim eram injustos, e defendi-o principalmente porque entendi que muitas vezes defender o Presidente do nosso clube era também defender o Benfica.

Mas há limites. Não vou virar a agulha àquilo que sempre defendi, nem passar a ver defeitos onde antes via virtudes. Luís Felipe Vieira terá seguramente os seus méritos, terá mesmo realizado algumas coisas extraordinárias mas, cometeu também seguramente muitos pecados. Sempre acreditei que o tempo corrigiria as imperfeições, que dez anos de mandato transformariam certos erros de amadores em acertos profissionais mas, infelizmente, constato que não, que Luís Felipe Vieira é o que é, é o que sempre será, com todas as suas qualidades e os seus defeitos.

E quando falo em defeitos, estes levam-me imediatamente para o defeito principal, aquele que sempre critiquei, que critiquei sem precisar de ser nenhum génio para o descortinar, porque está à vista de todos: A Política de Comunicação do Benfica que sempre foi com Luís Felipe Vieira, é e continuará a ser absolutamente miserável.

E esta longa introdução leva-me então àquele que foi para mim o momento mais negativo da época, o momento que marca inquestionavelmente o fracasso de mais esta temporada e que leva a mais um fim de época absolutamente amargo para as nossas cores. O dia 9 de Fevereiro de 2012, onde, sem razão que justificasse, o Presidente Luís Felipe Vieira decide dar uma entrevista televisiva, à procura de um certo reconhecimento público, à procura de cultivar a vaidade que os 5 pontos de vantagem permitiam. Pois bem, essa entrevista foi o princípio do fim.

E já não quero falar da penúltima entrevista televisiva do presidente, onde entrou em concorrência directa com Pinto da Costa num canal rival, tendo levado naturalmente um verdadeiro capote. Que falta de bom senso, que falta de tacto para estas coisas! A verdade é que sempre que Luís Felipe Vieira fala, todos nós nos benzemos, porque normalmente sai borrada.

Na altura todos nos questionámos da razão daquela entrevista. O que a minha sensibilidade me diz daquilo que deve ser a intervenção pública de um presidente de um clube como o Benfica, é que, das duas uma: ou fala no final da época para celebrar um sucesso consumado e que já ninguém nos tira, ou então fala num momento conturbado da época, para dar dois murros na mesa e galvanizar as hostes, tal como António Salvador ontem fez quando apareceu para dizer que o Braga se vai qualificar para a Liga dos Campeões, apesar do momento actual.

Mas não Luís Felipe Vieira. Luís Felipe vieira apareceu num momento positivo da época mas em que nada estava ainda ganho, com um discurso que de tão humilde até soou a falso, reconhecendo erros antigos, a elogiar o caminho presente, as decisões tomadas, a assumir os erros do passado para passar a ideia de que teria aprendido algo com eles, só que... não aprendeu, essa é que é a verdade.

Aquele foi um Luís Felipe Vieira já convencido que o sucesso não lhe fugiria, foi um Luís Felipe Vieira mais uma vez a querer celebrar as coisas antes do tempo, foi um Luís Felipe Vieira que no fundo o que quis foi preparar os sócios para um acordo com a Olivedesportos que se anunciava para o final do mês, acordo esse que nunca se anunciou porque a partir daí os resultados do clube foram sempre a descer.

E agora o mais grave: Tal era o convencimento de que o sucesso já não nos fugiria, que o Presidente cometeu ainda o gravíssimo erro de anunciar nessa entrevista que só voltaria a falar dos árbitros quando a arbitragem fosse profissional. E pronto: O descalabro começou aí, porque a partir daí a roubalheira foi de tal ordem e os benefícios ao nosso maior rival tão descarados, que nós (e quando digo nós digo o Benfica) limitámo-nos a comer e calar, reféns das palavras do Presidente.

Ainda deu o Presidente um arzito tímido da sua graça quando criticou o segundo grande momento da época, o terceiro golo dos Corruptos na Luz num escandaloso fora de jogo que arrumou com o campeonato de vez mas foi tudo, de Luís Felipe Vieira nada mais se ouviu, foi comer e calar até ao fim.

E agora pergunto: quanto tempo teremos nós de esperar por uma arbitragem profissional? Quantos anos teremos nós de esperar até termos esse facto como consumado para podermos finalmente ser defendidos pelo nosso presidente? Iremos esperar quantos anos até que o nosso Presidente nos defenda e diga em voz alta aquilo que vai dentro de qualquer Benfiquista? Vamos ter de esperar pela... Arbitragem Profissional?!?! Para sermos defendidos?!

Não Senhor Presidente. Para mim o seu reinado acabou aí, nessa triste intervenção, insultuosa até para qualquer um de nós que todos os fins de semana nos deparamos com a deturpação da verdade desportiva.

O Benfica precisa de alguém com uma energia nova, precisa de alguém que fale alto, que berre, que grite, que divulgue, que faça peixeirada se for preciso, precisa de alguém sem medo de pegar o toiro pelos cornos. Se tivermos de perder e ser roubados, pois que tenhamos um Presidente com tomates para dizer ao mundo a forma como perdemos. Precisamos de alguém não conivente nem em paz com o estado actual das coisas, porque, desculpe Senhor Presidente se estou errado, mas é essa a ideia que dá.

Da minha parte repito aquilo que disse no final da época passada: Obrigado por tudo o que de bom fez Senhor Presidente. Bem sei que o futebol é paixão e que nunca deixará de ser um jogo. Que todas as tristezas da vida fossem estas. Estas atingem-nos mas passam, não são definitivas, apagam-se com a vitória seguinte. Em breve vibraremos com novas aquisições, com um novo entusiasmo, com um sem número de novas possibilidades que se adivinham.

Mas eu queria que LFV não esquecesse, e que percebesse que a certa altura são já demasiadas rasuras, demasiadas emendas e demasiados erros. E quando a borrada é muita, tem o condão de levar com ela a nossa fé e a ilusão.

E isso é o pior que nos pode fazer Sr. Presidente: Roubar-nos a ilusão.

escrito por RedMoon

ranking