Sobre o ser fraco com os Grandes e forte com os Pequenos - Novo Blog Geração Benfica
O Novo Blog Geração Benfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


quinta-feira, 12 de abril de 2018

Sobre o ser fraco com os Grandes e forte com os Pequenos

Avatar
 ●  + 20 comentários  ● 

Sobre a ideia passada por mim no meu texto desta manhã:

Que de uma forma geral, a competitividade e o nivelamento das competições por cima as torna muito mais interessantes e atrativas, é óbvio.

Que a competitividade e o nivelamento por cima atraem patrocínios, contratos de TVs e melhores jogadores, enchem estádios e exponenciam as receitas dos clubes, é óbvio também.

Que é do nivelamento por cima e da competição entre Golias que nascem as lendas das quais um dia falaremos aos nossos netos, que Ronaldos fazem Messis ser melhores e vice versa, é óbvio também...

Nada disso foi posto em causa... 

MAS... 

Vão lá perguntar ao Neymar na corrida pela Bola de Ouro se prefere que o Messi e o Ronaldo ponham a fasquia habitual nos 80 golos por época ou se não preferia que nenhum deles passasse dos 30 para que ele ficasse mais perto?

Vão lá perguntar a um portista se preferia a era do Benfica fraco onde levantava 3 canecos por ano ou se a era do Benfica forte onde há 4 anos que não levanta a lata.

Vão lá perguntar a um Portista se prefere ter ganho uma Liga dos Campeões contra o Mónaco na final, ou se preferia ter defrontado o Real Madrid e ter eventualmente perdido.

Vão lá perguntar ao Rui Vitória se, numa profissão em que pode ser campeão sete vezes seguidas, perder a oitava e ir para a rua, se prefere um Benfica muitíssimo superior aos rivais e conquistar 10 campeonatos em 10 anos, ou se prefere um mais nivelado onde só conquiste 5 em 10. E a mesma pergunta pode ser feita aos adeptos.

Vão lá perguntar aos adeptos do Benfica se no sorteio da Liga dos Campeões torcem para que nos calhe um grupo com os mais fortes de cada pote ou os mais fracos dos mesmos potes. Vão lá perguntar-lhes se nessa altura também querem é bater os melhores ou se não preferem que os melhores vão caindo aos pés de outros mais pequenos para que nunca tenhamos de jogar contra eles!

Vão lá perguntar a um Benfiquista se amanhã chegar a uma final da Liga dos Campeões contra o Barcelona, se prefere que no dia da final Messi esteja a 100% ou com uma lesão muscular que o impeça de jogar!

Vão lá perguntar ao Jonas se prefere ser ídolo e a figura do campeonato em Portugal ou um jogador irrelevante num campeonato mais competitivo?

Vão lá perguntar ao Hamilton se prefere ser campeão mundial de F1 com um carro que anda por volta dois segundos mais rápido que os outros, ou acabar em quinto lugar no campeonato porque todos os carros andam à mesma velocidade! 

Vão lá perguntar a um pugilista que chega ao 12º assalto de um combate de boxe com os bofes de fora e encostado às cordas, se quer que o adversário seja forte e continue a bater porque o que a gente quer é competir com gajos muita fortes e que nunca se cansam nem nos dão descanso, ou se não prefere estar a defrontar um que bate forte mas que nos últimos minutos do combate vacila sempre!

Vão lá perguntar aos Benfiquistas se preferiram ter sido campeões com Trapattoni ao fim de tantos anos num campeonato onde não houve grandes equipas, ou ter prolongado o jejum de vitória mais uns anitos se nesse ano tivesse havido um Sporting ou Porto ligeiramente mais competentes!

Vão lá perguntar ao Rui Vitória se amanhã o Porto contratar o Messi e o Ronaldo, e o Sporting o De Bruyne e o Modric, se lhe dá um orgasmo de felicidade pela subida da competitividade do nosso campeonato ou se não começa a ver a vida dele a andar para trás quando percebe que ele tem de ir à luta com mais três putos da B que tem para lançar na época seguinte. 

Ah e tal que a competição nivelada por cima é muito melhor? Claro que é, desde que a nossa equipa continue a ser a melhor nesse patamar elevado!

Ah e tal que um campeonato onde uma equipa vence todos os jogos é uma seca do caraças? Isso é, quando são os nossos adversários a fazê-lo, porque se for a nossa ninguém se queixa!

Ah e tal que o Benfica derrotar o Real Madrid do Di Stefano na final e sagrar-se campeão europeu sabe bem melhor do que se o adversário tivesse sido o Cova da Piedade? 100% de acordo também, como já disse! Mas isso é se formos capazes de derrotar o Real Madrid! Se não formos, prefiro que lá esteja o Cova da Piedade e o Benfica leve o caneco para casa!

E era isso meus amigos...

Na verdade, compreendo perfeitamente quem defendeu o oposto do que disse. Eu também sou capaz de defender o oposto do que disse dentro de um certo contexto e partindo de um outro ângulo de abordagem!

Eu também preferia defrontar Reais Madrids todas as semanas em vez de Reais Massamás, desde que, claro, os possa vencer...

E este “desde que” faz uma diferença de todo o tamanho!



20 comentários blogger

  1. Sei que não vem ao caso, mas ainda vamos jogar contra eles, bom jogo da Lagartagem.

    Espero que contra nós joguem no máximo metade.

    ResponderEliminar
  2. Sou um ávido defensor dos teus posts. Nesta situação não estou de acordo mas percebo que para algumas pessoas a sede de vencer seja superior à vontade de defrontar os melhores. Se fizeres a mesma pergunta aos jogadores, talvez encontres respostas diferentes do teu ponto de vista.

    Para mim resume-se a isto: As minhas memórias mais bonitas não são campeonatos, são jogos marcantes e regra geral são marcantes quando vencidos contra os melhores.
    93-94 - Sporting 3 Benfica 6 contra um grande sporting na altura.

    Benfica - Leverkusen (UEFa)

    Liverpool - Benfica (champions)

    Benfica - Porto (final taça portugal na era mourinho e camacho)

    Entre outro q agr n me recordo.

    Assim como o sentimento de perder o Euro contra uma Grécia resultou num sentimento confuso de ter preferido perder contra uma outra seleçao mais forte.

    ResponderEliminar
  3. Falando agora deste texto, e do anterior com o qual também concordei.

    É assim, nós que estamos a borrar-nos para a competitividade sonhamos também com ligas como a inglesa, a italiana, a espanhola, ou a alemã, embora hoje em dia algumas destas ligas estejam bastante "macrocefálicas". E isto para não falar daquela que é para mim a liga mais de sonho do Mundo: a argentina.

    Mas uma coisa é competir numa liga como a argentina, onde os cinco clubes de topo são no mínimo rivais, e no máximo "inimigos".

    Agora cá, três clubes, dois deles historicamente "amantes", às vezes com um artigo ou outro como é normal, é um outro que por vezes se dá bem com um dos outros, raramente com os dois.

    No caso português estamos a falar duma luta desigual, são todos tratados como verdadeiros rivais, quando dois deles estão a actuar em tandem?

    Se calhar bom-bom eram os anos de. 2000 a 2003, aí a liga portuguesa era competitiva, até deu para a Leiria, o Braga, o Boavista, o Porto, e o Sporting irem à Europa, é nós ficámos a vê-los na TV.

    ResponderEliminar
  4. Que visão tão pequena.

    Obviamente, se queres ser melhor, é sempre contra os melhores. Se eles são melhores que tu, trabalha para lhes passares à frente.

    O contrário chama-se pequenez, que é o que este país mais tem.

    Zé Pincel

    ResponderEliminar
  5. Redmoon, acabaste de publicar um dos textos mais lucidos sobre futebol que já li. Tendo todas essas ideias em mente qualquer conversa de futebol pode ser sana, obviamente divertida, mas sempre com bom censo. A ver, mas pelo menos agradeço a destreza de o escrever e realmente o "desde que" é quase tudo mesmo. Se não compreendem isso, não sei que diga.

    ResponderEliminar
  6. Concordo completamente, tendo em conta, claro, o 'desde que'.

    O FCP ganhou a Liga dos Campeões sem haver competitividade em Portugal e sem ter equipa para merecer estar lá, todos vimos o que aconteceu conta o Man Utd... e tanto Sporting como Benfica nessa altura eram medíocres.

    Independentemente do FCP ter ganho a hegemonia em Portugal graças a corrupção desportiva, o FCP tinha essa hegemonia, o que significa que um clube que consiga hegemonia pode competir lá fora, mesmo que as outras equipas sejam fracas.

    Mas a realidade é que para o Benfica ter a reputação necessária para competir pelo titulo da Liga dos Campeões de uma forma consistente, precisamos de um campeonato forte e atractivo em Portugal, e para isso precisamos de um Braga e um Guimarães fortes, visto que o Sporting e o FCP estão falidos.

    ResponderEliminar
  7. Perguntem ao Rui chouriço pq é q nunca ganha aos porcos? Domingo com o chouriço vamos levar outra vez no cortiço.

    ResponderEliminar
  8. A competitividade não porto e Sporting ganharem-nos. É os Tondelas, os Aroucas, os Setúbal ou os Leixões desta vida não terem apenas 5% de hipóteses de ganhar aos grandes. Competitividade é não ser possível ganhar o campeonato invicto ou apenas com 1 ou 2 derrotas.

    ResponderEliminar
  9. Ninguém se importa aue os outros sejam fortes... desde que sejam mais fracos que os nossos e os possamos vencer.

    ResponderEliminar
  10. Post muito longo e muito verboso ara ser eficaz.

    ResponderEliminar
  11. EU percebo as duas visões. Não creio que adepto aglum não as tenha sentido. Parece-me que subjacente ás visões há dois contextos diferentes: o longo prazo, o ideal e romântico; e o de curto prazo, pragmático e resultadista.
    Nestes dias antes do jogo, e durante o jogo o foco será no segundo. Agora queremos e precisamos de ganhar. Ganhar é tudo. Mas não podemos trocar todos os amanhãs apenas por um. O Benfica tem um ideal, é um ideal. Não é cortando a cabeça aos outros que nos tornamos mais altos, somos apenas mais altos que um decepado.
    Dai dizer que não podemos fazer desse princípio resultadista um ideal, que não podemos desejar um Porto e Sporting de vão de escada. Porque acabaremos no mesmo vão de escada que eles.

    Há aquela famosa frase do "futebol não é uma questão de vida ou de morte, é muito mais que isso". Esse romantismo é o muito mais que isso. E na derrota também se vê a fibra dos Homens.
    Hoje o Benfica está em grande, mas não precisamos de recuar muito tempo para vermos como era uma sombra do passado. Como caminhava (e até era) para ser um clube de vão de escada. O Benfica ter-se erguido dos escombros é um feito que não é fácil. Creio que poderemos ver a dificuldade que o nosso rival Sporting irá ter (e creio que que vai conseguir a muito custo).
    Um clube precisa de rivais.

    Miguel

    ResponderEliminar
  12. Redmoon, com o devido respeito:

    O que você gosta é da supremacia sobre a mediocridade, não é de competição desportiva. O que você gosta mesmo é de vencer no conforto. Não quer correr o risco de ser encostado às cordas e reagir como um campeão, prefere, antes, bater no ceguinho, regaladamente recostado no sofá. É dessa competição que gosta e é nesses heróis que se revê. Acho que está no clube errado (pelo menos mentalmente). Devia estar no FCP, clube que quer o Benfica na segunda divisão para serem, eles, os únicos heróis das vitórias!

    ResponderEliminar
  13. Muito bom... "desde que"!
    Se o aumento de competitividade dos "outros" tiver como resultado menos vitórias "nossas"... NINGUÉM assina.

    ResponderEliminar
  14. Esta discussão está inquinada porque em Portugal não existe competição saudável. Temos corrupção desportiva há décadas e portanto, por vezes, quem ganha não é o melhor. A mim não me faz confusão perder para outros se reconhecer que foram melhores, mais fortes e que nós demos tudo, mas não chegou. Será o competir por competir. Umas vezes perde-se, outras ganha-se. Era assim que devia ser. Mas cá no burgo existem uns que querem ganhar a qualquer preço e perder com erros grosseiros de arbitragem, contra uma equipa que andou a ser levada ao colo o ano todo já me faz comichão.

    ResponderEliminar
  15. Red Moon, the hypocritical buster!...

    Desde o ano do tri que digo que só descanso com o hexa de 2019. Mas se for o deca de 2023 não me chateio nada - muito pelo contrário: ainda mais descansado fico! ;)

    ResponderEliminar
  16. Uma publicação bastante longa na tentativa de marcar um ponto que já tinhas marcado no anterior...

    Para mim o ponto é o mesmo. Se queremos ser melhores, temos de competir com os melhores. A competição em Portugal está inquinada à partida com o jogo sujo dos últimos anos. Assim como está inquinada contra os melhores da Europa com a diferença de orçamentos.

    Nunca conseguiremos fazer frente aos tubarões da Europa se não competirmos regularmente com boas equipas. Senão vamos continuar a ouvir o pessoal a queixar-se de jogar de 3 em 3 dias, como se fosse algo mau.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que acho que se passa é que estamos mal acostumados. Vamos olhar para o panorama nacional:

      1) Temos 3 equipas candidatas ao título por força do historial e das suas finanças;
      2) Depois, conforme a época vá andando, podemos ter 3 ou 4, candidatas a ir à Europa mas sem poder para competir a um ritmo maior e contra outras equipas europeias;
      3) Logo desde o início, como dizes e muito bem, temos um poço envenenado. Cabe na cabeça de alguém que o Portimonense pedir 10M pelo Paulinho no início da época e depois emprestá-lo ao FCP por tuta e meia? Logo um dos melhores jogadores. Só não foi o Nakajima porque não calhou... E a pressão do SCP para ter já o Raphinha, enquanto foi sacar o Rúben Ribeiro e trata de anunciar o Marcelo ainda a época vai a meio?
      4) Como é que competimos contra os petro-dólares? É que milagres acontecem, mas não são todos os dias. Jogar com um Wolverhampton (que de si já tem dinheiro) ou um City não é a mesma coisa lá, mas se calhar para nós, que temos orçamentos mais reduzidos e cujos campeonatos andam sempre enlameados em porcarias com árbitros, VAR's, casos, etc, já não é bem o mesmo.
      5) De que nos vale competir regularmente com os melhores, se não tivermos meios de nos tornarmos tão bons? O nível económico nacional conta um bocado e como sabemos, na Alemanha, Espanha ou Inglaterra os vencimentos e valores médios do que quer que seja estão acima dos nossos. Além de que existem regras próprias de cada federação que permite algumas coisas nuns locais e noutros não: co-ownership de jogadores, empréstimos, etc.

      Eliminar
  17. Fazer essas perguntas a toda essa gente quando os mesmos eventos descritos acontecem, não me parece ser possível contrariar a sua lógica. Mas não deixa de ser uma lógica de baixo Standard.

    Somos Benfica. Se os outros são mais fortes, então saberemos o que fazer para lá chegar. E assim o faremos.

    Se os outros são fracos, será uma questão de anos até uma equipa Portuguesa ter competitividade para chegar longe a uma qualquer competição. Que essa equipa seja o Benfica porque é tão booommm bater em ceguinhos.. Pff.

    O Benfica tem de competir com os melhores. E se levar na boca, levou. O que conta é o facto de ter lá estado + Humildade benfiquista para aprender com os melhores. Se me perguntar no dia do Jogo se quero o Messi a 100 %...? Bro, se for na Luz, é bom que sim!! Há também o facto de uma equipa ser feita por 11. O barça é mau porque sim. Tem o Messi e são ainda mais maus? e que?

    DSC

    ResponderEliminar
  18. Pah!! O Real Massama é uma grande equipa! 😀. Benfica ganhar SEMPRE! Que se foda* os outros. Rumo ao P3N7A

    ResponderEliminar
  19. Não me importava nada de ser tipo Bayern. Sem concorrência.
    O que faz os patrocínios é muito mais o mercado do que a competitividade.
    Rumo ao penta meu Benfica.

    ResponderEliminar

Atenção: O NGB mantém um registo completo de todos os comentários.
Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.
Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado.
Comente o assunto do post, salvo algum off-topic que se enquadre no âmbito do NGB

ranking

recentes

Mensagens populares