O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


Qual destes treinadores mantém o lugar até final da temporada?

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Avatar

Fejsa vs William Carvalho: As virtudes e os defeitos do Sistema

 ●  + 54 comentários  ● 

Feitos os elogios a Rui Vitória no meu texto de ontem, fica a inevitável pergunta: Foi ontem que o Benfica de Rui Vitória esteve por cima taticamente num jogo entre grandes equipas? Na minha opinião não!

Mas Rui Vitória mereceu os elogios sim, em primeiro lugar porque reconheceu a superioridade do adversário a nível tático (essencialmente no miolo), e porque soube contrariar essa superioridade adaptando o Benfica à dificuldade do jogo.

E o que fez Rui Vitória? Apostou em Jimenez para equilibrar a luta do meio campo (mesmo que à conta de quase abdicar de jogar com ponta de lança), e pediu a Gonçalo Guedes um jogo de esforço (que cumpriu), num Benfica onde não havia nenhum jogador que não lutasse avidamente pela posse de bola.

Se Sálvio é também um jogador que normalmente enquanto tem pulmão, apoia muitíssimo Nélson Semedo, já Rafa surpreendeu-me pela positiva, pela disponibilidade que demonstrou em acompanhar as subidas de João Pereira, ele que no Braga era um jogador exclusivamente de tração à frente.

Portanto, Rui Vitória foi inteligente como adaptou a equipa às circunstâncias do jogo, mas não foi o Sporting a adaptar-se ao Benfica. Foi o Benfica a adaptar-se ao Sporting, não pelo génio do desenho tático, mas pelo esforço extra que foi pedido a cada jogador do Benfica, no lutar por cada bola, ciente que só correndo mais do que o adversário seria possível conseguir a vitória. Rui Vitória e os jogadores do Benfica merecem por isso os parabéns!

Agora, mais uma vez o Benfica não fez, contra uma boa equipa, um jogo em que se impusesse ao adversário, em que conseguisse taticamente empurrar o adversário para trás. Podem-me dizer: “Sim Redmoon, mas os jogos podem-se ganhar de muitas maneiras, não necessariamente apenas por rematar mais ou ter sempre a posse da bola.”

Correta esta análise, com a qual terei de concordar em parte. Em parte só, porque há diferenças entre uma equipa que faz do contra ataque uma arma letal e no qual assenta o modelo do seu jogo, mas que quando defende o faz com consistência e controla o jogo quase sempre, de outra equipa, COMO O BENFICA, que quando precisa de recuar para controlar o jogo a partir de trás, mostra em muitos momentos uma fragilidade confrangedora bem como uma incapacidade gritante de manter a posse da bola!

E isto leva-me pois para tentar perceber os porquês desta realidade, a qual, no meu entender, está relacionada com dois fatores:

O primeiro é que realmente, no Benfica não há um número 8, um jogador possante, de raça, que saiba jogar entre as duas grandes áreas com igual qualidade. Danilo mostrou ontem se calhar os porquês de andar fora das opções de Rui Vitória.

E o segundo fator é para mim o estilo de jogo de Fejsa. Esta é pois a altura em que podem já desancar em mim, e dizerem que não percebo nada de bola, e lembrar-me do curriculum imaculado do Fejsa, e réu-téu-téu pardais ao ninho.

Fesja é um GRANDE jogador deste Benfica, para mim isto é ponto assente. Agora, é o jogador que o Benfica precisa para jogar naquela posição 6 em TODOS os jogos e em TODOS os momentos do jogo? Para mim só o é, porque o Benfica não tem outro jogador com outras características.

Uma equipa grande num jogo grande, se quer controlar o jogo e ganhar a luta do meio campo, é imperial ter sempre abertas várias linhas de passe para que a equipa possa respirar. O problema do Benfica em certos momentos é que Fejsa é um jogador com algumas dificuldades em sair a jogar, em ultrapassar um adversário para a frente no corpo a corpo, e que tende muitas vezes em encostar aos centrais, a abdicar de atacar, e dar a bola ao Pizzi à espera que seja ele a levar a bola sozinho para a frente.

Num Benfica que joga muitas vezes com dois médios apenas, ter um deles que quase não sobe, é pedir muitas vezes ao outro (Pizzi) que faça o impossível. E ele tem-no feito muitas vezes, há que reconhecer isso.

Aquilo que o Sporting faz muitas vezes (e outros adversários mais fortes), é ter o seu ponta de lança a fazer sombra a Fejsa, obrigando-o a dar a bola ao Pizzi e a manter-se atrás na cobertura, e depois temos o Pizzi contra dois ou três médios adversários, que logicamente para não perder a bola tem de a passar rapidamente aos extremos ou no avançado, que nesta altura já têm os laterais ou o central encostados a si, não deixando quase nunca o Benfica virar-se de frente para o jogo.

O FCPorto teve este problema o ano passado, quando Danilo Pereira alterou a titularidade com o banco de suplentes, enquanto foi um jogador exclusivamente defensivo, o que fazia com que no miolo o Porto jogasse muitas vezes em inferioridade numérica quando tinha de atacar. O Danilo de hoje é um jogador de campo inteiro!

E quem vê William Carvalho no Sporting por exemplo percebe também do que falo. William não é um jogador exclusivamente defensivo. William é um jogador que sabe ter a bola e levá-la para frente, chegando muitas vezes à área adversária, permitindo sempre a Adrien, Ruiz ou Bruno César subir e criar linhas de passe, empurrando com isso o Benfica para trás. O Sporting ataca por isso sempre com mais homens, porque William faz parte do processo ofensivo (como Matic fazia no Benfica há uns anos), coisa que Fejsa, especialmente nestes grandes jogos não faz.

Enquanto no Benfica, Fesja fica atrás e Pizzi leva a bola; no Sporting é o William a levar a bola permitindo a Adrien subir no terreno e receber a bola mais à frente (nestes jogos contra o Sporting, pressionar bem William Carvalho é essencial para condicionar o seu jogo).

Se contra as equipas pequenas, que atacam com um ou dois homens apenas, este problema não se nota tanto, porque Fejsa encosta ao jogador da saída da bola e ganha os duelos quase sempre matando aí a jogada permitindo aos colegas continuar subidos no terreno, contra boas equipas que atacam com mais homens, o meio campo parte-se muitas vezes, com Fejsa exclusivamente para defender encostado aos centrais (quantas vezes só reparamos que ele está em campo porque fez um desarme delicioso?), e Pizzi para atacar sempre contra dois ou três, com os extremos sempre de costas para o jogo!

Fesja precisava por isso na minha opinião, de juntar às suas EXTRAORDINÁRIAS capacidades defensivas, de fazer essa evolução que por exemplo Danilo fez no FCPorto, de passar a ser capaz de participar mais efetivamente no jogo ofensivo da equipa, permitindo a Pizzi subir no terreno para receber a bola mais à frente, levando consigo um ou dois jogadores do meio campo adversário, e permitindo ao Benfica subir no terreno!

Feita a minha análise, discutível evidentemente, pode Rui Vitória fazer muito mais com os jogadores que tem? Na minha opinião não. Em primeiro lugar porque não há Renato Sanches, um jogador tão efetivo a defender como a atacar. Em segundo porque aparentemente, para a posição 6 só há Fejsa que não permite alterar muito o figurino tático da equipa.

A não ser que o lugar verdadeiro de Danilo seja o 6 e não o 8 (posição para a qual entrou ontem com maus resultados), e talvez Danilo possa ser um bom substituto de Fejsa em alguns jogos e momentos, principalmente quando o Benfica precisa de um jogador mais eficaz na saída da bola sem abdicar da solidez defensiva que traz à equipa, permitindo ao Benfica defender um pouco mais à frente.

54 comentários via blogger

  1. Mas será que eu sou a única pessoa a entender que o problema do Benfica são os constantes pontapés para o "Karadas" do Ederson? Que preferimos mandar a bola para a frente e fé em Deus quando estamos a ganhar do que controlar a bola no meio campo?
    Será que temos sempre que dar a bola ao adversário?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E porque não temos a bola no meio-campo? Se calhar o Redmoon explicou isso...

      Eliminar
    2. Os pontapés para o karadas do Ederson são o reconhecimento de que em muitos momentos, colocar a bola no miolo é dar a bola ao adversário, em parte devidos aos problemas mencionados no texto.

      Eliminar
    3. Para isso precisavas de alguém que soubesse abrir jogo ou então levar a bola. O ano passado tínhamos o "Renato" este ano deveria ser o A.Horta ou o Samaris o A.Horta lesionou-se o Samairis tem uma enorme quantidade de passes falhados num jogo. O Danilo ou o Celis ainda não conseguiram mostrar nada que desse para avaliar. O Pizzi e bom com espaço sem ele, despacha para onde pode. O Fedja está sempre a compensar os erros da defesa. Como não tens a solução é pontapé para a frente e pressionar em cima, ganhar a bola e fazer um contra ataque rápido. A táctica do JJ é mais que conhecida. Assim que recuperam, meio campo e ataque avança em bloco a trocar a bola até chegar a baliza adversária. Com jogadores como Guedes,Rafa,Jimenez,Salvio e Nelson, o Bloco quando perde a bola não tem tempo para recuperar e ficam em desvantagem. Esta táctica do Benfica tem desvantagens uma delas é a posse de bola do adversário, outra é que se não recuperas a bola a tempo, revela todas as fragilidades da nossa defesa. Com o Jardel não sentiamos tanto porque ele era mais rápido e também um pouco "maluco" a defender. Faz lembrar o Ederson na baliza. Não há nada que meta medo.

      Eliminar
  2. Se me é permitido corrigir: Fejsa fez um jogo pelo Olympiacos em 2013–14 antes de vir para o Benfica (depois da saída do Matic) - logo tem mais 1 campeonato no currículo - 9 campeonatos seguidos! (metade de 18...).

    Gloriosas saudações.

    ResponderEliminar
  3. RedMoon estar em cima de um adversário táticamente não é o mesmo que estar a dominar a posse de bola num jogo ou outra qualquer coisa do género. Toma atenção ao que disse o RV no final para perceberes que ontem muito da vitória do Benfica foi obra do seu treinador. O Benfica deu a bola ao Sporting de propósito. Todos sabemos que os lagartos, por dedo do seu treinador, têm muita posse de bola, e a nível interna talvez seja a equipa que melhor trata a bola de pé para pé, mas que falta essencialmente quem depois crie o desequilíbrio. Fora Gelson, poucos á para dar o rasgo na defesa adversária.

    O que fez RV: em vez de ombrear jogo por jogo com eles, deu-lhes a bola, e jogou claramente com quatro gazelas na frente para aproveitar os poucos momentos em que tinha a bola. O que resultou em dois golos, e até podia ter sido pelo menos mais um, se Rafa tivesse outro andamento que ainda não o tem.

    Retirou Gelson do jogo, e é apenas a entrada de Campbell que desequilibrou durante 20 minutos o jogo, muito por culpa de uma má abordagem defensiva de Nelson Semana durante esse período.

    Não retiremos mérito ao nosso treinador.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Mahatma, mas desde quando o Benfica é equipa para dar a bola ao adversário e esperar pelo contra golpe em nossa casa? Somos o Marítimo ou o c#r#lh@?

      Eliminar
    2. Eh pá, jogo de gazelas na frente é jogo de equipa pequena... Não quer dizer que não resulte, mas a história mostra que o saldo de jogos grandes disputados neste figurino das gazelas não é favorável ao treinador Rui Vitória.

      Eliminar
    3. mas atenção que eu não sou contra as gazelas, o que sou é contra a perca sistemática do controle do meio campo

      Eliminar
    4. A ideia feita de que jogar em contra ataque é de equipa pequena, é tão limitada como quem a pensa.
      Muitas equipas jogaram e ganharam assim, por exemplo o sucesso do Valencia de Cuper e Benitez pós ano 2000 vem à memória.

      A questão para mim é que o SLB, com os recursos que dispõe em relação aos adversários em Portugal e com o técnico no seu segundo ano e Departamento de futebol estabelecido, deve ser capaz de formular primeiro um plantel que lhe permita formar uma equipa dominadora e que seja capaz de jogar quer em transição quer em posse.
      Ainda assim mérito é devido ao treinador pelo resultado do trabalho táctico neste jogo.

      Eliminar
    5. Sim mas uma boa equipa de contra ataque é uma equipa que normalmente sabe controlar os jogos mesmo quando não os domina (por opção estratégica)

      O caso do Benfica em alguns momentos do jogo é bem diferente... É um caso de pontapé para a frente e perda sistemática da posse de bola por incapacidade de a manter

      Eliminar
    6. O Benfica so perdeu o controle do meio campo, quando saiu Salvio e entrou Danilo, foi aí que esteve a reacção do Sporting! Deveria ter entrado o Cervi e não se mudar o sistema que estava a tapar todos os meios do Sporting (menos bolas paradas defensivas, que estamos um desastre).
      Depois da entrada do Cervi, o Fejsa não andou tipo barata tonta de um flanco ao outro a tapar buracos, e focou-se mais no lado do Semedo que tava a dar o berro (nota-se bem o cansaço,já nem fez aquelas arrancadas a roubar bolas a gajos menos rápidos que ele) quando o Pizzi igualmente pouco defendia!
      Ora na minha humilde opinião, a nossa tactica inicial resultou e bem, foi mau é andarmos a mudar assim a meio de um jogo que não está resolvido.

      Eliminar
  4. São dois jogadores de classe mundial. Se há jogador intocável no Benfica é Fejsa. Melhor no posicionamento e cobertura e pior na construção do jogo. Não há muito a dizer. São 6 apenas no número da camisola.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que Fejsa é de classe mundial não duvido... Mas também não duvido que há alturas em que o Benfica parece parecer o controlo do miolo, em que a solução seria ter naquela posição 6 um jogador que saiba subir melhor e com isso faça subir toda a equipa. Nos grandes jogos do Sporting este ano contra bons adversários como Real Madrid, Dortmund e Benfica por exemplo, houve sempre um grande William Carvalho (e não foi só na retranca lá atrás).

      Eliminar
    2. O problema é de ordem estrutural. A este Benfica não lhe valeria ter um William Carvalho, se raramente a bola passa pelos pés do médio mais defensivo. O jogo do Benfica, ou está na nossa área, ou está nas redondezas da área adversária. Os médios só estão lá para esticar ainda mais o jogo. É o estilo do nosso treinador. Não se pode fazer muito em relação a isso.

      Eliminar
    3. RedMoon

      Teres Fejsa mais fixo atrás ou mais movel tb depende dos jogadores que tens em campo, com Almeida na esquerda e Pizzi como médio centro vais precisar sempre de um Fejsa mais posicional, porque o Almeida não tem hábito de lateral esquerdo logo precisa de maiores ligações com o centro de jogo (meio campo) logo um Fejsa mais remetido a sua zona mais defensiva dá um importante auxilio a Almeida na opção de passe e para tabelar rápido, e depois com Pizzi à frente de Fejsa existe sempre mais espaço no meio campo defensivo para ser explorado pelas equipas adversárias porque o Pizzi sai muito com bola controlada e não dá um apoio tão profundo a nivel defensivo....
      Tens o exemplo, o Benfica contra o Porto, antes e depois de ter entrado o Horta...

      Eliminar
    4. Que aparentemente é devido mais aos ovos que tem do que gosto pessoal, ainda me lembro de uma entrevista de RV em que diz explicitamente que não gosta desse jogo de bolas a passar por cima dos médios da defesa para o ataque. Fejsa é imperial mas falta o que acho que poderia vir a ser Cristante, que aparentemente em Itália andava a ser preparado para ser um novo Pilro.
      Em relação ao Danilo, claro que é difícil entrar numa equipa com esta rotação, para qualquer jogador (Jonas ficou na bancada), por isso rafa tem andado a ser lançado aos poucos.

      Eliminar
  5. Boa análise Redmoon!!!!

    Só uma observação:

    Danilo pode não ter feito um jogo bom ontem, mas praticamente no primeiro jogo do campeonato, um dos mais difíceis que poderia ter e na pior fase do jogo (Sporting perdia 2-0 e tinha que ir com tudo para cima), acho que devemos ter mais calma ao analisar o seu rendimento!!!

    Danilo é um dos nossos e merece a nossa compreensão para um jogo menos conseguido, praticamente na sua estreia do campeonato...



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Correto. Conheço muito pouco de Danilo. Mas o seu lugar se calhar é o de Fejsa, não o de Pizzi

      Eliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. «E quem vê William Carvalho no Sporting por exemplo percebe também do que falo. William não é um jogador exclusivamente defensivo. William é um jogador que sabe ter a bola e levá-la para frente, chegando muitas vezes à área adversária»
    A partir daqui deixei de ler. Comparar o cócó carvalho com o Fejsa, é uma barbaridade. O carvalho só sabe sair a jogar para dar nas canelas dos adversários. Acho que gostas é de que te critiquem à força toda. És masoquista?

    Obrigado e Saudações!

    ResponderEliminar
  8. Fejsa é um monstro a defender mas fraco em sair com a bola jogável. Pizzi tem melhor capacidade de circulação de bola mas continua a larga distância daquilo que o SLB precisa num meio campo a dois. Daí sentir-se muitas dificuldades em sair a jogar contra equipas mais fortes do que o que é habitual o SLB defrontar. É um problema antigo, não só de agora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Num miolo a dois, nota-se que há momentos em que o Benfica precisava de dois jogadores de um nível mais acima. No caso do Fejsa, de um jogador mais versátil que também soubesse esticar o jogo

      Eliminar
    2. Num dia perfeito o meio campo do Benfica irá ser constituido por Fejsa e Horta no meio Rafa na esquerda e Pizzi na direita depois Jonas ou Guedes no meio atrás do Ponta de Lança

      Eliminar
  9. Será que o Gonçalo Guedes não será o 8 que o Benfica tanto procura?
    Gostava de vê-lo aí, acho que daria muito do que o Renato dava, com vantagens nuns pontos e desvantagens noutros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porra....bora meter cada vez o puto mais longe do seu "habitat"....porque não por o Guedes a central em vez do Luisão....se calhar oferecia qualidade na saida com bola a partir na defesa....ou melhor em casos mais complicados em que o Benfica precisa de ganhar tiramos o Ederson e metemos o Guedes a Guarda Redes avançado....isso é que era LOL....

      Eliminar
    2. Não era preciso ser tão irónico Pedro, mas entendo a ideia, não se vai estragar um jogador porque não houve capacidade de munir o plantel de um jogador para uma dada posição e ainda por cima quando estamos a menos de um mês da reabertura do mercado.

      Eliminar
  10. O que se passou ontem foi simples, JJ pensou em "dinamitar" a construção do Benfica a partir do centro do meio campo, obrigando o Fejsa a ficar mais retraido na retaguarda e a Pizzi a ficar sem linhas de passe, e como é que JJ fez isto, com o retirar de William da zona de construção mandando-o encostar a Pizzi, Vitória prevendo que isto acontecer fez o Guedes jogar mais encostado a Pizzi como falso "Nº10" e fazendo o Jimenez ficar de redea solta na frente de ataque, o Sporting subia a seu belo prazer mas a 30 metros da baliza do Benfica os espaços afunilavam.

    Resumindo o Benfica foi uma equipa que pensou no util, não tendo os jogadores que necessitava para agarrar o jogo e dar dinamica de pé para pé, apostou numa equipa com uma dinâmica de vertigem apostando tudo nas saidas rápidas para o ataque, e tendo um jogador na lateral esquerda que é eximio na colocação de bola no sitio certo, todo o jogo do Benfica acabava por fluir no sentido desse jogador onde com apenas J.Pereira pela frente foi fácil a Rafa criar perigo sempre que tivesse bola.

    Fejsa irá ser sempre um pendulo de meio campo, o problema é que ontem havia a certa altura Ruiz (Bryan) Adrien e William tudo a estar naquela zona do terreno, Danilo entrou mal entrou demasiado "leve" em campo, ocupou sempre mal a posição e obrigava Pizzi sempre a estar em cima do meio campo, com a entrada de Cervi o Benfica voltou a ter as laterais a funcionar e o Fejsa pode começar a sair do meio campo tb.

    Ou seja para mim ´Vitória ontem só falha com a entrada de Danilo, não deveria ter entrado, mas agora é fácil de falar, porque se formos a ver as coisas, quando o Vitória volta a mexar na equipa após a entrada de Danilo, o Benfica volta a estabilizar o seu futebol....havendo um Jonas com minutos de jogo, um Rafa mais entrosado, um Horta recuperado e um Mitroglou confiante ontem as alterações teriam sido outras ....ainda assim nunca vi o Benfica se sentir "inferior" ao adversário, vi sim o Benfica a preferir entregar a bola ao Sporting mas ao mesmo tempo a controlar o jogo com as saidas rápidas para o ataque....

    ResponderEliminar
  11. É evidente que é uma coisa ter um meio-campo com Matic e Enzo Perez e outra coisa com Fejsa e Pizzi, por melhores que eles sejam. Quando o Iniesta não joga o Barcelona também passa dificuldades, mas o que é que se há-de fazer? Não há jogadores iguais e não me parece que o Benfica vá passar a joogar em 4-3-3. Neste momento são os melhores de que dispomos.

    ResponderEliminar
  12. Até ao primeiro golo as equipas estiveram muito parecidas em termos tácticos. Só se jogava praticamente em 1/5 do campo. Ambas as equipas em pressão alta e a encurtar os espaços e a bascularem para onde ia a bola. Depois do golo é que houve uma alteração. Se o golo fosse ao contrário aconteceria o mesmo tal como aconteceu o ano passado. O que falhou no Benfica foi concretizar os vários lances de contra ataque em jogadas de finalização o que acabou por acontecer poucas vezes (vários contra ataques também foram parados com falta sem que o árbitro mostrasse o devido amarelo!).

    Fejsa e Adrien Silva foram autênticos monstros no desempenho dos respectivos papeis. Fejsa distribui muito bem a bola. Não segura a bola e terão de ser os seus companheiros a desempenhar esse papel. Já resultou muito bem quando tinhámos o Javi Garcia. A diferença é que o Javi tinha ao lado o Aimar. Pizzi nunca será um Aimar e ontem esteve uns furos abaixo principalmente porque falhou muitos passes, o que até costuma ser um dos seus fortes. Além disso não define os momentos do jogo como o Aimar fazia.

    Já o William faz bem a gestão dos momentos do jogo mas sem a agressividade e intensidade do Adrian ao lado para compensar a sua incapacidade nestes aspectos (fazer muitas faltas não é defender bem...) torna-se um problema e isso notou-se nesta época.

    Todos os jogadores têm virtudes e defeitos. Cabe ao treinador encontrar o equilíbrio certo. Neste caso e devido à incapacidade do Pizzi em ser intenso e agressivo no processo defensivo o Vitória recorreu, e bem, à união de todos os jogadores. Será que o Danilo pode assumir esse papel como acha o Vitória? Até agora só me deixou muitas dúvidas e ontem quase comprometeu o resultado.

    Para acabar, volto a dizer que o Fejsa foi ontem um monstro no meio campo e achar que ele não faz parte da solução é para mim um erro tremendo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem lembrado. Uma coisa era ter o Javi mas ter ao lado o Aimar... Outra é ter o Fesja e ter ao lado o Pizzi... Sem desprimor para ninguém.

      Mas mesmo no caso do Javi, notou-se que a evolução do espanhol no Benfica passou sempre por fazer dele um jogador que soubesse também ter a bola no pé e levá-la para a frente. A evolução do William também tem sido sempre nesse sentido.

      Eliminar
    2. A melhor análise que li até agora! Principalmente têm de ser destacado a quantidade de faltas ditas "cirurgicas" que nos impediram de impor uma derrota maior.

      Volto a reiterar aquilo que digo há bastante tempo, alteração táctica para 4-3-3 e com os elementos no lugar certo ainda esmagava-mos os vermes.

      Eliminar
    3. O Aimar sempre teve muito boa imprensa. Craque, mas nunca me encheu completamente as medidas- NO QUE FEZ NO BENFICA-como Jonas, Gaitan, Enzo, Witsel ou Di Maria.

      Eliminar
    4. RedMoon o Javi no Benfica nunca foi um jogador de ter bola no pé....funcionava sim era muito bem como 3º central, ele baixava e deixava David Luiz ou mais tarde Garay assumirem o transporte de bola porque não tinha capacidade de ruptura com bola, nunca teve nem passou a ter quando estava no Benfica, o que ele tinha no Benfica era uma equipa que se conhecia e que funcionava de olhos fechados, mas transporte de bola.....Javi nunca o fez nem nunca tentou fazer...
      Fejsa é completamente diferente de Javi, Fejsa tecnicamente é mais evoluido que qualquer outro jogador a actuar na mesma posição em Portugal e é acima de tudo um jogador super mega inteligente quando em comparação com qualquer outro médio defensivo a atuar em Portugal, Fejsa sabe perfeitamente quando o jogo pede que ele tenha mais bola, quando o jogo lhe pede para fazer mais lançamentos em ruptura ou quando o jogo lhe pede que suba para fazer o pressing alto...não é um jogador de fazer só por fazer, ele faz o que tem de fazer quando é preciso, se formos a ver a estatisticas....vê quantos cortes ou roubos de bola fez o Fejsa e compara os numeros com os do William, eu sei que os numeros do William estão um pouco aldrabados (metade das faltas não foram marcadas) mas se vires a preponderância de Fejsa no momento defensivo e ofensivo do Benfica verás rapidamente que o Sérvio é mais importante no Benfica do que qualquer outro jogador


      P.S.- O Fejsa entra na 2ª volta da época a realizar a sua melhor época de sempre pelo Benfica, em Golos em Assistência em Jogos e em Minutos em campo......

      Eliminar
    5. Comparar a dupla Javi / Aimar com a dupla Fejsa / Pizzi sem ter em consideração os jogadores que atuavam nas alas é demasiado redutor.
      Em 2010 jogava Ramires e Di Maria e atualmente temos Salvio e Cervi. Obviamente que não está em causa a classe de Aimar, mas o equilíbrio em termos defensivos era garantido por Ramires, algo que Salvio não pode consegue fazer.
      O futebol é um jogo de equipa!

      Eliminar
  13. "perda sistemática do controle".
    perca é um peixe.

    ResponderEliminar
  14. Ha tambem a agravante que o William so leva cartoes quando sao arbitros estrangeiros. Ca dentro e dificil ou talvez impossivel isso acontecer. E so vermos o que se passou contra o Vitoria Setubal e ontem.

    Entretanto, no reino dos Saraivas, os blogues avencados ja andam a falar em tres penaltis e very lights.

    Eles que estrebuchem e na quarta todos ao Restelo que isso e que importa.

    ResponderEliminar
  15. RedMoon, a sério, abdica de falar de futebol porque disso percebes zero.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elucidado e esclarecido. Obrigado pelo contributo.

      Eliminar
  16. Subscrevo mas discordo do facto de inexistências de soluções, isto não obstante as dores de transformação inerentes, ou seja, a evolução táctica da equipa para um 4 3 3 e o sacrifício do fedja por troca por samaris... espero contradita

    ResponderEliminar
  17. Porra, parei de ler quando disseste que o Danilo é um jogador de campo inteiro, este ainda tem mais dificuldades com bola que o Fejsa LOL

    ResponderEliminar
  18. Frisa é indiscutível... Se calhar nestes jogos é preferível jogar em 4x3x3 com frisa, pizzi e rafa no meio campo

    ResponderEliminar
  19. Redmoon,
    acertas em quase tudo, o problema é o nosso meio campo, sem dúvida. Boa análise, ainda ontem comentava mais ou menos isto na "tasca" onde estava a ver o jogo. Para mim seria indispensável o Fejsa ter a ajuda de um 8 com mais capacidade de jogar sem bola e aí sim teríamos uma equipa mais equilibrada do que temos, pq o Pizzi sem bola não tem "ombro" para defender e tracção para jogos duros de luta.
    cumps,

    Saudações Vermelhas!!!

    ResponderEliminar
  20. O Benfica tem mais remates, mais remates enquadrados, mas centros e mais golos. Porto e Sporting tem mais posse de bola. É preciso dizer mais?

    Um tópico sobre a preparação fisica da equipa é que era de valor, entre o numero de lesões e a equipa que em Dezembro parece que ainda está na pre-epoca, havia muito por esmiuçar

    O Sporting ontem acabou aos 80 minutos o Benfica acabou aos 60. Foi confrangedor ver durante todo o jogo o Sporting ganhar todos os ressaltos, todas as disputas fisica, é que o Benfica há partida já não é um equipa com caparro, se não tiverem frescos é receita para disastre.




    eparece que ainda está na pré-epoca, havia muito por esmiuçar.

    ResponderEliminar
  21. Redmoon vais me desculpar mas a tua visão do futebol é demasiado estreita.
    Fejsa é melhor que o WC em tudo...No passe então...o Fejsa queima linhas com passes para a frente...o WC joga para o lado e para trás...Por favor...

    O problema do benfica nos jogos grandes é ter extremos que não defendem e não abrem linhas de passe de conforto...a equipa está precipitada a ir para a frente...como diz Mourinho não sabe descansar com bola...Quem são os grandes culpados...eu digo-te...RV e os interpretes...o Salvio só corre para frente...não consegue temporizar um lance...o Guedes idem...mal recebe a bola quer correr como um maluco...Aí faz nos muita falta o Jonas...que descia ao meio campo ofensivo...para organizar, abrir uma linha de passe...uma hipótese de tabela com o Pizzi...promover uma mudança de flanco...Por favor...o Fejsa pura e simplesmente é intocável...Tivesse um físico mais condizente com o seu talento e já estava fora do SLB faz tempo...Precisamos de um oito não de um 6...Se me dissesses que o SLB não pode jogar contra equipas grandes com o Pizzi e Fejsa no meio campo concordo contigo...para jogar a 2 no meio campo contra equipas de topo...o Pizzi é demasiado macio...Agora questionar a qualidade do Fejsa ao nível do passe e inteligência do mesmo é brincadeira só pode. Volto a referir o Fejsa passa melhor que WC...ocupa melhor espaços que WC...faz menos faltas que WC e é mais agressivo que WC....É que não tem discussão (do meu ponto de vista claro...)....

    ResponderEliminar
  22. Deixem-se de tretas. Nós jogamos assim os jogos grandes e contra os medianos (vulgo, spitting), porque o nosso treinador tem aquela mentalidadezinha de jogar retraído e no contra-golpe. Além disso, o Pizzi é o que é, um jogador mediano que vai dando para o nosso bananal e faz umas flores, às vezes, um bouquê completo. Erra quase tantos passes quanto os que acerta, não é rápido, não finta meia equipa adversário, não sabe cobrar cantos e faltas... mas é o melhor que temos. E isso diz tudo do nosso meio campo. Do outro lado está um rafeiro que bate em tudo o que mexe e um pino meio lelé mas que também sabe dar patadas, ambos contando com a complacência dos nossos árbitros. Quando vão lá fora, apanham o que merecem pela safarrada repetida e é o que se vê: vão tomar banho mais cedo.

    Quanto a Danilo, o rapaz basicamente não jogou toda a época e é mandado lá para dentro assim de supetão. Mas o maior problema nem foi esse, mas sim o facto de o Vitória ter retirado o Pizzi e o ter deslocado para a direita. Por mais estranho que pareça, sim, o Pizzi.

    Em suma, mais uma vitória e 3 pontos no bornal para nós e a quinta ou sexta vitória moral para o spitting do campo grande.

    PS - E faltam Jardel, o espanholito, Jonas...

    ResponderEliminar
  23. Excelente post. Bem fundamentado, goste-se ou não dos argumentos, que provocou também vários bons comentários.
    Uma lufada de ar fresco aqui no NGB.
    Venham outras análises.

    ResponderEliminar
  24. O que vocês querem é um Matic!
    Já ca esteve! Não está mais... Nem temos ninguém parecido, no plantel!
    Fejsa tem de jogar sempre! É apenas e só o melhor trinco a actuar em Portugal, mesmo com o elevado índice de lesões!
    Samaris é um 8! Porque não joga mais nessa posição?
    Em 3/4 dos jogos da Liga Portuguesa, Fejsa e Pizzi no meio, deveria ser suficiente, especialmente na Luz!
    Noutros jogos mais difíceis, creio que a solução de ontem, com jimenez na frente, só acrescentaria o 3o elemento no meio... O tal 8 e 1/2
    Um gajo que saiba ter posse de bola mas ao mesmo tempo apareça também na área adversária!
    Exemplo: Adrien! Mal empregado... Que pena vê-lo jogar numa equipa tão merdosa!

    Saudações Gloriosas rumo ao Tetra! (Que é o que interessa)

    ResponderEliminar
  25. Esqueci-me
    Ainda faltam: GRIMALDO!!! Essencial no desequilíbrio atacante pelas alas!
    HORTA!!! Muito útil na posse de bola e gestão dos momentos!
    JONAS!!! O melhor marcador e mais experiente na frente, no apoio ao ponta!!!
    E... Agora, RAFA! Creio que vá ser essencial em muitos jogos, como ontem mostrou um pouco, após prolongada lesão!

    ResponderEliminar
  26. " o Pizzi é o que é, um jogador mediano que vai dando para o nosso bananal e faz umas flores, às vezes, um bouquê completo. Erra quase tantos passes quanto os que acerta, não é rápido, não finta meia equipa adversário, não sabe cobrar cantos e faltas "

    Clap!clap!clap!...mereces um picolé, por teres conseguido escrever tanta asneira em tão poucas linhas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Pizzi é de facto muito fraco!!!!!!
      É o melhor marcador do Benfica.
      Tem mais golos e assistências.
      É dos jogadores com mais minutos de utilização.
      Faz 4 posições em campo.
      Raramente vê cartões ....

      Eliminar
  27. Peço desculpa mas não tens conhecimento suficiente para falar sobre isto. Não percebo porque te recusas a mandar bitaites sobre medicina mas achas que podes escrever sobre futebol. O facto de veres todos os jogos do Benfica não faz de ti um conhecedor do jogo. O problema do RV é não ter ideias suficientemente boas para dominar um treinador do nível - no que diz respeito ao trabalho de campo - do JJ. É simples, na verdade, entender isto. O Benfica tem muito melhores jogadores do que o Sporting. Por isso mesmo o problema não é individual, nem do Fejsa que por acaso é das únicas posições em que o Sporting está mais bem servido. E também o Benfica não joga nunca com dois médios. O Benfica joga num claro 4-4-2. Isto significa que jogamos sempre com quatro médios. Não é por repetires isso bué de vezes que vai ser verdade.

    ResponderEliminar
  28. Red,não estiveste no estádio só pode, o william carvalho não joga a 5/h joga a 1/5h, o grande jogador do sporting é o adrian silva, esse sim, lê mto bem o jogo. O benfica precisa de um lateral esquerdo, e jardel na defesa,já foi aqui falado, lindlof não vai aguentar, vem fechar/ dobrar à esquerda, à sua direita, enfim e repara o últimos jogos tem sido de carnificina para o nelson do lado direito.
    A equipa está é muito desiquilibrada na defesa,perdoa luisão mas....

    ResponderEliminar
  29. Tudo muito bem.
    Uma bela tertúlia benfiquista esta.
    O Sr. do blog que fez uma apresentação deliciosa sobre as movimentações da equipa contra o Nápoles, que nos brinde de novo com uma análise do posicionamento dos jogadores do SLB quando perdem a bola, e verifique-se que a tática do ferrolho está instalada (outra vez) no Benfica. Como a equipa desconfia da defesa (Salve-nos o Ederson Preud´homme)é tudo a recuar em aflição, sem qualquer confiança no atacar da bola.
    Vem da fragilidade dos centrais? É provável.
    A realização atacante no modo gazela até que funciona, mas é este o típico jogo que o Inferno da Luz almeja?
    É curto. O resultado ontem podia ter sido outro, pese os maravilhosos 2 golos do Paços de Benfica, mas chega?
    Venha o Horta, O Danilo, o Witsel, o Jonas, O Cervi ao meio, quem quiserem, não deixe de mexer nos centrais e no esforço sobre-humano a que o Fejsa está sujeito.
    Carrega!

    ResponderEliminar

Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.
Seja moderado na linguagem. Se não o for, não se queixe se o seu comentário não for publicado.

artigos recentes