O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


O Benfica deve vender em Janeiro?

sábado, 7 de maio de 2016

Avatar

"Fala benfiquista! "

 ●  + 29 comentários  ● 
O seguinte texto é uma contribuição do benfiquista Ricardo Fernandes.
Obrigado Ricardo!
"Adoro o Benfica. É a minha paixão futebolística e durante anos fui um adepto banal. Via um ou outro jogo fora da esfera do Glorioso e era obcecado com o clube: A sua liderança (ou falta dela), os jogos extra bastidores, as contratações, a arbitragem.
Na altura a internet não era o que é hoje. As informações eram parcas e o meu grupo de amigos também era virado para estes aspectos. Nada sobre o futebol em si.
Em 2009 tudo mudou com a entrada de Jorge Jesus no Benfica. Nunca tinha visto futebol assim. E de certa forma apaixonei-me de novo pelo Benfica. Desliguei-me de tudo o que referi acima e passei a gostar de futebol. Não serve este texto para fazer julgamentos de valor à personalidade do treinador, ou se era uma besta teimosa enquanto cá esteve, porém futebolisticamente, tacticamente tive de evoluir para acompanhar o Benfica.
Tenho as minhas próprias ilações sobre o que podia ter melhorado nas 5 épocas de JJ, onde o ego do treinador entrou em conflito com o génio futebolístico (e é isso que o priva de dar voos mais altos). Também tenho as minhas ilações sobre as arbitragens e sobre as verborreias de BdC e a sua hoste, mas mais uma vez não é isso que me motiva a ver futebol.
Este ano tudo muda novamente no Benfica. Eu defendia que o ciclo de JJ, já tinha acabado e que era necessário alguém inteligente que soubesse aproveitar a base do que foi feito e melhorar, alguém sem o ego de JJ e que não tivesse birras com elementos, para que pudéssemos realmente dar o salto.
Nunca escolheria Rui Vitória e os dois primeiros meses, deixaram-me em pânico. Desde as exibições paupérrimas a uma construção deficiente do modelo de jogo ou ainda, às declarações infelizes do nosso treinador. Sou uma pessoa de primeiras impressões e aquele “Não posso garantir títulos, garanto muito trabalho” deixou-me sem qualquer esperança para este ano. Na posição dele eu teria dito, qualquer coisa como o Benfica luta sempre pelo titulo. Não diria que seria campeão, mas também não deixaria de o dizer. A mensagem seria sempre outra.
O modelo inicial sustentava aquilo que muitos consideram uma maior solidez defensiva. Uma linha de 4 defesas sustentada por dois médios de contenção, fazendo um bloco de 6 jogadores a defender. Dois alas bem abertos e um avançado atrás do outro.
Este era também o modelo praticado em Guimarães, André André em contenção e lançamento de bolas para trás da defesa adversária onde Hernani apareceria a finalizar ou a assistir. O Benfica também foi muito isto, quando andou Rui Vitória à procura de uma solução de meio campo e para a ala direita, após a lesão de Salvio. Era Guedes que fazia esse movimento da linha para o meio após os lançamentos.
Arrastámo-nos até ao jogo em Braga, já tínhamos sido humilhados pelo Sporting (pelas criticas verazes de JJ a RV) e de repente, tudo muda. Há duas modificações tácticas na equipa: Pizzi é colocado a jogar a interior direito e a Renato (já dono do lugar 8) é lhe pedido que avance no terreno, tendo a função de transporte de bola.
Estas duas "nuances" permitiram à equipa desenvolver todo um futebol diferente e com diversas soluções. Agora já não eram os médios de contenção que vinham buscar a bola à defesa e sim, eram os defesas que transportavam a bola. Com Pizzi a jogar como interior direito e não alguém colado à linha passou a haver jogadores a ocuparem os espaços entre linhas dos adversários e com a qualidade individual dos nossos jogadores da linha da frente passámos a jogar com qualidade a golear.
Mas tudo isto mudou após o ultimo jogo com o Bayern. Estamos novamente a jogar em contenção. Nos últimos 4 jogos, estamos a jogar com os alas novamente abertos e com Renato a jogar em linha com o colega da linha média. Têm sido assim as primeiras metades de cada jogo. Nas segundas partes, como não está a resultar, Renato sobe no terreno e Pizzi volta a procurar terrenos interiores. Normalmente, criamos maior produção ofensiva chegando inclusivamente a marcar golos, fruto da maior pressão que exercemos sobre o adversário.
Será que RV tenta fazer assim a gestão do cansaço? Penso que sim, mas a equipa sofre com isso, pois tem menos bola, tem menos linhas de passe e chega com menor qualidade na frente. Também creio que peca na gestão do esforço de alguns atletas, ou mesmo na escolha de alguns intervenientes.
Se Salvio por exemplo precisa de tempo de jogo, é para isso que existe a equipa B. Renato, está claramente a baixar os índices físicos e ao ser obrigado a missões defensivas, desgasta-o física e mentalmente. Não sabe ainda ocupar espaços e lugares defensivos e perde-se ao longo do jogo, errando muitos passes e deixando muitas zonas sem cobertura.
Para o jogo com o Marítimo, a primeira final, temos de voltar ao esquema anterior. Começar de rompante e depois ir gerindo o esforço durante o jogo. Marcar cedo, marcar muito, resolvendo na primeira parte. Renato à frente de Fejsa e não ao seu lado Pizzi em terrenos interiores e não colado À linha. A equipa ganha com isso.
Para finalizar, temos de dar o mérito a Rui Vitória. Soube capitalizar os erros dos adversários. Soube unir a equipa ao seu redor (fruto dos ataques de JJ) e dar-lhe algo que eu não observava no Benfica desde a 93/94, espírito de sacrifício e solidariedade. Soube aproveitar as pérolas de casa e soube transmitir-lhes a confiança necessária, para uma excelente época.
Hoje a minha visão dele já não é de um líder fraco, melhorou a comunicação e é líder. Hoje apenas acho que falta saber corrigir determinados jogadores em função do modelo de jogo que escolhe para o jogo e não dar-lhes a liberdade que lhes dá. A equipa crescerá com isso e ele também enquanto treinador.
Renato precisa de saber o seu lugar nos momentos defensivos, Jimenez precisa de ser mais pragmático; correr menos, parar bolas, levantar a cabeça e ver para onde se movimentam os seus colegas.
Mitroglou faz isso na perfeição. Não perde uma bola de costas para a baliza e Jimenez tem esse potencial. Sendo mais rápido, se for efectivo tornar-se-á num dos avançados mais letais que pisou os nossos relvados.
Viva o Benfica, parabéns Rui Vitória e rumo ao #35!"

29 comentários via blogger

  1. Concordo a 500% com tudo o que está escrito pelo Ricardo e identifico-me totalmente com a análise a este último pedaço da época!

    ResponderEliminar
  2. Muito bom mesmo parabens Ricardo gostei de ler e estou de acordo com o brilhante texto.

    ResponderEliminar
  3. Bela análise, podemos vir a ser Campeões mas há coisas para corrigir/aperfeiçoar nos jogos que ainda faltam e para a próxima época.

    ResponderEliminar
  4. Boa analise da época. Apesar de não referir o Jonas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas! Por acaso não foi esquecimento. Se há jogador fundamental este ano ele é Jonas. Não só pelo que joga, mas também pelo que faz jogar. O texto é para e sobre Rui Vitória.

      Eliminar
  5. Apenas uma observação... convém não esquecer que foi precisamente desde o jogo contra o Bayern que os adversários do Benfica no campeonato nacional começaram a jogar com 3 defesas-centrais, obrigando o Pizzi a ficar mais colado à linha e o Renato a ficar mais recuado por causa da falta de espaço no meio-campo ofensivo... a equipa está a aprender a jogar contra 3 defesas-centrais, uma equação nova que Rui Vitória teve de resolver no final da temporada. De resto estou de acordo com tudo.
    Saudações.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não concordo com isso pelas razões que enunciei no texto. Até porque, boa parte dos adversários sempre jogaram com meios campos povoados e com 5 defesas. Se o esquema muda sempre ao intervalo não pode ser por isso. Abraço!

      Eliminar
    2. O Ricardo tem razão. É óbvio pelos últimos jogos que o Benfica tem tido muito mais cautelas na forma de abordar os seus jogos na primeira parte. Apenas quando Vitória mexe no onze, é que a equipa intensifica um pouco mais o seu jogo, com o Renato a ter mais liberdade em campo, e os laterais a subirem com mais frequência no terreno de jogo(Semedo devia ser mandatório nos jogos em casa).
      Compreendo que Vitória não queira uma à lá Estoril, mas tem que ter coragem de assumir o jogo desde o início.

      Eliminar
  6. Jimenez não sabe jogar de costas para a baliza. Tem enormes dificuldades de receção. O problema nele é que a bola tem que lhe ser passada sempre redondinha que de outra forma, não a segura nem em 10 tentativas, e isso obviamente que nos prejudica se precisarmos de jogar mais longo.
    Mitro é um avançado de topo mundial. Não tenho mais a dizer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto. Acho que isso é função do treinador. Insistir com ele até à exaustão.

      Eliminar
  7. Vejam este Rio Ave vs Porto. 90 por cento do estádio às moscas. É isto a força do FC Porto? Até dão pena.

    ResponderEliminar
  8. Boa análise Ricardo! De facto também nunca pensei que o RV melhorasse tanto a equipa. Até achei que íamos ficar pelo 4 lugar mas que devíamos manter RV até ao final da época. Esta é a diferença entre quem sabe de futebol e nós adeptos. Penso que se a direcção tivesse seguido o que nós aqui dizíamos sobre RV (90% das pessoas) não estávamos a lutar por nada hoje.
    Mas ainda não ganhámos nada! Falta lutar e lutar até ao fim!

    É verdade que dá gosto ver a equipa com tantos putos! Força e mais 3 finais!

    ResponderEliminar
  9. Não deixa de ser curioso que alguém com dois dedos de testa na sua análise (obrigado Ricardo Fernandes), reconhecendo o brilhantismo a JJ e à sua equipa a jogar um futebol nunca antes visto (não havendo, de facto memória, talvez só recuando a um Benfica de Eriksson ou de Eusébio) e que nunca escolheria RV (eu continuaria a não escolher, não é o facto de ele ser campeão que vai mudar essa minha opinião - o Benfica, pura e simplesmente, joga pouco e mal - e RV jamais será treinador para um clube destes, embora eu tenha simpatia por ele), ainda não tenha sido apelidado de mau benfiquista pela PIDE ou pelo daesh do bigode...

    Aliás, é indesculpável como é que alguém só começa a acompanhar o Benfica em 2009 e não em 2003, o ano da sua fundação. Tal como é indesculpável a falta de menção ao rei sol e à sua insistência em deixar os treinadores abandonados à sua sorte enquanto trata do entreposto. JJ já o tinha experimentado e RV não foge à regra.

    Enquanto a maralha gostar e se contentar com poucochinho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu esgotas a paciencia a um santo. O proprio ghandi teria vontade de dar-te umas galhetas. Agora estás em modo "vitima em busca de amigalhaços" . Não vais conseguir, compra um casal de gatos e deixa-os procriar livremente.

      Eliminar
    2. O BENFICA DE RUI VITORIA
      CHEGOU AOS QUARTOS DA LIGA DOS CAMPEÕES
      E PERDEU POR UM GOLO COM O BAYERN

      ESTÁ NA LIDERANÇA DO CAMPEONATO

      E É FINALISTA DA TAÇA DA LIGA

      O TEU CLUBE COM UM GRANDE TREINADOR
      FICOU FORA DA LIGA DOS CAMPEÕES
      FICOU FORA DA TAÇA
      FICOU FORA DA TAÇA DA LIGA
      FICOU FORA DA TAÇA UEFA

      FICOU FORA DE TUDO

      E POR ISSO SÓ A JOGAR AOS DOMINGOS
      MELHOR SERIA QUE ANDASSEM CANSADOS

      O RUI VITORIA
      E OS JOGADORES DO BENFICA ESTÃO A FAZER UMA ÉPOCA EXTRAORDINÁRIA

      SÓ NÃO SÃO JÁ CAMPEÕES PORQUE O TONEL
      O QUERIDO, OS APINTADORES A AS EQUIPAS AMIGAS O NÃO TÊM PERMITIDO

      Eliminar
  10. “”Nelo Vingada: «Que ninguém tenha dúvidas que vamos jogar para ganhar ao Benfica»

    O treinador do Marítimo sublinhou este sábado que a sua equipa vai jogar para ganhar ao Benfica, amanhã, na 33.ª jornada da Liga NOS, recordando que o seu histórico frente à formação da Luz é positivo.

    "Espero que seja um grande jogo, um dia de festa e que ganhe o melhor, que espero seja o Marítimo. Sabemos que o Benfica é superior, mas vamos usar as nossas armas. O meu trajeto no passado com o Benfica é bem sucedido. E que ninguém tenha dúvidas, vamos jogar para ganhar", disse Nelo Vingada, que este sábado comentou as acusações de que foi alvo afirmando ser "um homem tranquilo".

    O Marítimo recebe domingo, às 20H30, o Benfica, na 33.ª e penúltima jornada da Liga NOS.


    Comentários
    Já contra o Estoril, não era preciso ganhar, não é, nelinho? mas engraçado que és mais um dos q não desmente a mala verde, pq será?
    Olha este! Diz que vão usar as armas dele. Querem ver que os seus jogadores vão para o campo de mala na mão, para desancar nos jogadores do Benfica?
    E contra o Estoril? Os 3 pontos contra o Estoril valem menos do que os pontos contra o SLB? Eras uma pessoa respeitada no futebol e não havia ninguém que não te admirasse, tal como eu. Mas o maldito dinheiro vale mais do que o carácter. Bateste no fundo.
    Mas ninguém tem dúvidas disso. Deverias ter dito algo similar aquando da poupança com o Estoril...
    Ainda bem que o dizes, para não deixar dúvidas sobre a verdade desportiva, porém isso também se aplicava ao jogo com o Estoril, onde a verdade desportiva foi adulterada, relativamente aos outros candidatos à liga Europa””

    ResponderEliminar
  11. Masterpiece07/05/16, 21:00

    " Penso que se a direcção tivesse seguido o que nós aqui dizíamos sobre RV (90% das pessoas) não estávamos a lutar por nada hoje."

    Isto é de ir às lágrimas...

    Abnçoada inocencia !


    Abençoada inocncia

    ResponderEliminar
  12. Não esquecer que os adversários agora correm com nunca correram. De resto boa análise.

    S Ferreira

    ResponderEliminar
  13. Não ter buscado o Bryan Ruiz por um milhão de euros... Minha nossa, que classe!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso subscrevo a 100%. Grande jogador. Pena não ter vindo com o Mitro...

      Eliminar
  14. E O SULIMANI VOLTOU HOJE A ESCAPAR AO QUINTO AMARELO

    ESTE É MAIS UM DOS FENÓMENOS DESTE CAMPEONATO

    NÃO TER SIDO CASTIGADO PELA AGRESSÃO AO SAMARIS

    E ANDAR DESDE JANEIRO SEM APANHAR O 5º AMARELO

    É OBRA QUE SE FORMOS VER BEM
    ACABA SENDO MAIS VALIOSO QUE O TONEL

    EHEHEHEHEHEHEHEEH

    VERDADE DESPORTIVA

    COITADINHA DELA

    ResponderEliminar
  15. benfiquista a serio08/05/16, 03:04

    eu só quero o 35!

    para isso basta que os nossos jogadores, os nossos treinadores e todo o restante staff façam o melhor que sabem e podem pois se não houver faltas de concentração, faltas de querer, faltas de ambição, faltas de atitude, faltas de raça o 35 será nosso, jogue quem jogar. mas quem jogar deverá sempre ter em mente que só chegamos ao 35 se houver maxima atitude, maxima raça, maximo querer, maxima ambição e maxima concentração

    ResponderEliminar
  16. no caso do pizzi acho que é ele que já não consegue, pelo desgaste, fazer tudo o que ele ia fazendo até porque pouco se vê no meio atrás dos avançados porque já não tem capacidade para recuperar o lugar.
    no caso do renato as ordens claramente vem de fora até porque ele é ainda indisciplinado tacticamente que compensava com disponibilidade física, que cada vez tem menos.
    no caso do jimenez não vejo assim tanto potencial para uma mudança radical, isto para alem de alguns aspectos técnicos que ele não dispõe, até porque essa mudança necessita de um jogador mais inteligente a pensar o jogo enquanto ele o que tem demonstrado até agora é ser sobretudo um jogador de improviso e de sensações.

    ResponderEliminar
  17. Isto dos médios de contenção tem muito que se lhe diga... O Sporting de Braga tem sido das equipas que melhor futebol pratica a nível nacional e joga com dois médios de contenção no meio-campo. O Atlético de Madrid que vai por mérito próprio à final da Liga dos Campeões e está a lutar pelo titulo da Liga Espanhola também joga com dois médios de contenção.

    O problema são as dinâmicas e o modelo em que está inserido. No futebol não existe apenas uma receita de sucesso.

    O exemplo disso até é a mudança táctica que o Rui Vitória introduziu no Benfica na 2ª parte frente ao Sporting de Braga na passada segunda-feira. Engraçado verificar que foi tirando um médio de transição como o Renato e colocado um médio mais fixo como o Talisca a meio-campo que o Benfica deu a volta ao marcador. Como é óbvio não foi apenas este pormenor táctico que originou o sucesso. Também a mudança de posição dos extremos foi deveras importante, mas isso faz parte do modelo e da dinâmica pretendidas.

    ;)

    ResponderEliminar
  18. Ora aí está, Ricardo Fernandes!

    É exactamente isso. Subscrevo tudo, sem tirar nem pôr. Aliás, fui escrevendo isto, nas três fases da época, aqui e em outros blogs.

    Infelizmente, acho que se há jogo em que o RV vai voltar a apostar, de início, no esquema à Guimarães, com dois seis lado a lado e dois alas a marcar as duas linhas laterais, é o jogo de hoje...como espero estar enganado! Seria fundamental ir para o intervalo a ganhar bem.

    ResponderEliminar
  19. Olá a todos! Obrigado pelos vossos comentários, hoje estamos a um pequeno passo do tão almejado tri! Rumo ao 35!!!!!

    ResponderEliminar
  20. É isso tudo e já estou a pensar no trinta e... muitos... espero da Direcção do Clube um defeso cheio de sabedoria a pensar numa posição hegemónica. Para que fiquem realmente na história.

    ResponderEliminar

Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.

artigos recentes